Pesquisar este blog

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

De olho nas chuvas, PCR inicia ciclo de limpeza dos canais do Recife

27.12.2011
Do BLOG DE JAMILDO, 26.12.11
Postado por Helder Lopes




A Prefeitura do Recife antecipou as ações preparatórias para o enfrentamento do inverno 2012. O marco inicial é a limpeza dos 66 canais que cortam a capital pernambucana. O trabalho foi iniciado pelo Canal Derby/Tacaruna, na Avenida Agamenon Magalhães. A desobstrução de toda a rede de drenagem receberá um investimento de R$ 4 milhões e será concluída em abril, dois meses antes do que convencionalmente tem sido feito nos últimos anos.

A primeira etapa da limpeza beneficiará dez canais nas seis regiões da cidade. Na Agamenon Magalhães, uma retroescavadeira e 11 homens estão retirando os resíduos da calha do canal desde a última segunda-feira (19). Além desse, serão limpos até o dia 31 de janeiro os canais Ibiporã (Coque); Ibura de Baixo (Ibura); Guarulhos (Jardim São Paulo); Rodomaia (Jardim São Paulo); Vasco da Gama/Peixinhos, que corta os bairros do Vasco, Casa Amarela e Arruda; ABC (Mustardinha e Bongi); Maria Irene (Jordão) e Sítio dos Pintos (Dois Irmãos); e Vila das Aeromoças (Jordão).

Em fevereiro, outros 20 canais serão limpos. “Essa ação é essencial para combater os alagamentos na cidade. Estamos antecipando ainda mais a preparação para o inverno com a desobstrução dessas 10 redes e, em fevereiro, outros 20 devem ser beneficiados. É a primeira vez que começamos no ano anterior a programação de manutenção dos canais. A expectativa é concluir o ciclo de limpeza em abril para podermos enfrentar com maior tranquilidade o período de chuvas. Isso demonstra o planejamento preventivo da Prefeitura do Recife”, destaca o prefeito João da Costa.

A programação de limpeza dos canais é preparada considerando critérios indicados pela Secretaria de Saúde, Coordenadoria de Defesa Civil (CODECIR) e Emlurb. Um dos fatores é o trabalho em locais estratégicos, como forma de prevenção contra doenças (dengue, filariose e leptospirose). Por isso, as áreas beneficiadas também passarão por serviços de desratização e desinsetização. 
****

A fome na África: Em imagens

27.12.2011
Do blog COMUNIDADES.NET


Organizações não-governamentais se uniram nos últimos dias em um apelo por doações que, segundo essas agências, podem evitar que 14 milhões de pessoas morram de fome no sul da África.

As vítimas sob maior ameaça vivem em Moçambique, Angola, Zimbábue, Zâmbia, Lesoto, Maláui e Suazilândia - países que tiveram suas safras agrícolas praticamente reduzidas a zero por causa de catástofres naturais, como secas e inundações, e instabilidades políticas.

O Fundo de Alimentação da ONU conseguiu arrecadar apenas 22% dos US$ 500 milhões que esperava receber de governos quando lançou um apelo no início deste mês.

Veja abaixo algumas imagens do drama africano: 

<













*****
Fonte:http://kris71ane.no.comunidades.net/index.php?pagina=1158528955

Novas regras passam a valer nos próximos dias

27.12.2011
Do blog G20TOTAL, 2612.11
Publicado por Marcelo Mesquita

Pelo menos 10 novas regras deverão valer para 2012 e entram em vigor nos próximos dias. Dentre algumas das novas regras, destaque para estas:
Aumento do salário Mínimo – Passa dos R$ 545 para R$ 622, um acréscimo de 77 reais, passando a valer a partir de fevereiro.
Micro e pequenas empresas – Quem tem faturamento anual acima de R$ 120 mil terá redução de impostos entre 12% e 26% em relação ao que pagavam anteriormente. O pequeno empreendedor poderá constituir empresa sem necessidade de sócio.
Planos de saúde – Os planos deverão cumprir 69 novos procedimentos, como exames, cirurgias e consultas a partir de 1º de janeiro. Demitidos e aposentados poderão manter os planos, desde que assumam o valor integral da parcela.
Cigarros – Sofrerão aumento gradativo de impostos nos próximos quatro anos. Em 2012 o valor mínimo do maço será de R$ 3.
Placas de veículos – Os veículos emplacados a partir deste ano deverão colocar placas refletivas, mais caras. Motos terão placas maiores.

******

Brasil supera Reino Unido e agora é sexta economia do mundo

27.12.2011
Do DIÁRIO DE PERNAMBUCO, 26.12.11
Por Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR 
Daily Mail

O Brasil agora tem a sexta maior economia do mundo, ultrapassando o Reino Unido. A conquista da economia brasileira foi publicada pelos principais jornais britânicos nesta segunda-feira. O Daily Mail traz a informação ressaltando que Grã-Bretanha está, pela primeira vez, atrás de uma nação sul-americana. 

O jornal The Guardian atribui a perda de posição à crise bancária de 2008 e à crise econômica que persiste em contraste com o crescimento vivido no Brasil, principalmente por causa das exportações para a China. Os periódicos britânicos se basearam na pesquisa do Centre for Economic and Business Research’s. 

Em 2010, o Brasil ficou como sétima maior economia do mundo depois de ultrapassar a Itália. Este ano a estimativa do Ministério da Fazenda é de que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresça algo em torno de 3% e 3,5%. A crise econômica mundial reduz em 0,5% a 1% o crescimento do país neste ano. Mesmo assim, o Brasil está em destaque no cenário mundial.

Confira a liga de economias mundiais:

1 – Estados Unidos
2 – China
3 – Japão
4 – Alemanha
5 – França
6 – Brasil 
7 – Reino Unido 
8 – Itália 
9 – Rússia 
10 – Índia
Do Estado de Minas
*****

MANIPULAÇÃO DA MÍDIA GOLPISTA:Quem fez farra com dinheiro público nas férias?

27.12.2011
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE

A presidente Dilma Rousseff deu início nesta segunda-feira a um período de descanso e deverá passar o feriado de Réveillon na Base Naval de Aratu, na região metropolitana de Salvador, na Bahia.Dilma estará de férias até o dia 10 de janeiro. Mas  a imprensa que não tira férias nunca quando o assunto é governo do PT, já está em ação, na escandalização do nada.

Nesta terça feira, a manchete de capa na Uol, é a notícia da ONG, "contas abertas":"Marinha gastou R$ 657,9 mil com reforma e compras para residência onde Dilma passa recesso"

Segundo informa a nota,antes de receber a chefe do Estado Maior do Exército brasileiro, a Marinha gastou R$ 657,9 mil em novos móveis e reformas da Residência Funcional da Boca do Rio, que fica na Base Naval. O valor se refere a cinco notas de empenhos emitidas entre os dias 21 de novembro e 10 de dezembro deste ano....

Para quem não sabe, o deputado Augusto Carvalho (PPS-DF), da bancada da base aliada de José Roberto Arruda (DEM), o governador do panetonegate, é o dono da ONG Contas Abertas. Ele foi um dos fundadores do site Contas Abertas. Convido os meus queridos leitores comparar ás férias da presidente Dilma, com as férias do tucanato no governo de FHC...
  

A ilha da fantasia



Vamos comparar?

E as férias do pessoal do PSDB no governo federal?

Da Revista Veja, a revista de maior credibilidade para a oposição e imprensa

A ilha da fantasia

Enquanto os ministros descansam à beira-mar, num paraíso no Atlântico, você paga as contas

"Caro leitor: como você se sentiria se chegasse a sua casa uma conta de Brasília informando que você, como todos os outros brasileiros, precisa pagar sua parte numa despesa de férias de um servidor do governo? A cobrança nunca chegou nem vai chegar de forma explícita, mas é exatamente isso que está acontecendo. Ministros e outros altos funcionários do governo federal foram descansar e se divertir com a família em fins de semana na paradisíaca ilha de Fernando de Noronha, usando de graça aviões da FAB e lançando despesas na conta de Brasília. Tudo por baixo do pano"

O ministro da Casa Civil, Clóvis Carvalho, já viajou a lazer para a ilha quatro vezes nos jatinhos oficiais da FAB. Uma das viagens, realizada no Carnaval passado, na qual levou a mulher, Gema, os cinco filhos, o namorado de uma filha e a namorada de um filho, ficando por lá uma semana, acabou sendo paga pelo próprio ministro. Ele não pagou pelo passeio.

O procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, cuja função, entre outras coisas, é ficar de olho em quem abusa do patrimônio público, também foi à ilha com a mulher e os filhos em janeiro passado.

De fato, quando ministros visitam Fernando de Noronha acabam se encantando com suas belezas e fazem o que podem para ajudar. O ministro José Serra, hoje na Saúde, visitou o arquipélago a convite de Krause, em setembro de 1995, época em que era ministro do Planejamento. Mas Serra está na categoria dos que não assumem.Mas Serra esteve lá em companhia da mulher e um filho, desembarcando em Noronha na sexta-feira à noite e partindo de volta para o continente no domingo à tarde. Quer ler a matéria completa? Está aqui
*****

Casa dos tucanos está podre, vai cair

27.12.2011
Do blog de Altamiro Borges, 26.12.11
Por Marco Antonio Araujo, no blog O Provocador:


Diante do silêncio absoluto da mídia canalha, se tornou obrigação cívica divulgar o livro A Privataria Tucana (Geração Editorial), do jornalista Amaury Ribeiro Jr. A reportagem é uma porrada.

É o velho esquema de sempre: Rede Globo, Veja, Folha de S.Paulo e adjacências se calam quando acusações, por mais graves que sejam, como é o caso, atingem seus aliados. Para os amigos, as manchetes; para os inimigos, os editoriais. Ou o contrário, tanto faz.


A blindagem às falcatruas cometidas pelo tucanato atravessa década. Há muito é caso de polícia. No mínimo, os donos dos grandes veículos de comunicação deveriam ser intimados a depor no Congresso Nacional, junto com os ladrões que protegem. A omissão é criminosa, fere todos os princípios da liberdade de imprensa que esses safados tanto defendem quando lhes convêm.

Um fato precisa ficar claro, e ser repetido à exaustão: a venda de estatais durante o governo FHC foi o maior assalto aos cofres públicos da história deste país. O famigerado Mensalão é troco de pinga. Jamais duvidem disso.

Foram bilhões de dólares desviados, lavados, propinados e roubados do povo brasileiro. Não faltam denúncias, documentos, provas, testemunhas. O que falta é vergonha na cara das elites que insistem em varrer esse lixo para debaixo de seus tapetes sujos. São cúmplices.

Outro livro, histórico, também ignorado pelo silêncio ensurdecedor dos barões da imprensa, foi escrito pelo nosso maior jornalista econômico, Aloysio Biondi, em abril de 1999: “O Brasil Privatizado”. Segundo ele, a conta do prejuízo é assustadora: R$ 87,6 bilhões não entraram ou saíram dos cofres públicos durante o processo de privatização. Não ficamos com um único centavo.

O livro de Biondi vendeu 130 mil exemplares. Você não leu errado: foram 130 mil exemplares vendidos. Sem que uma única linha ou comentário saísse nos grandes veículos de comunicação. Fazem parte da quadrilha.

O povo não é bobo. Em apenas quatro dias, o fenômeno se repete e a obra de Amaury Ribeiro esgotou seus 15 mil exemplares e já parte para uma segunda edição. Um belo tapa na cara da tucanagem corrupta! Denúncia em CPI do PT é refresco. Vamos ver se agora a casa cai. Podre, já está faz tempo.

****

Serra fala de corrupção. A dos outros

27.12.2011
Do blog de Altamiro Borges, 26.12.11
Por Nirlando Beirão, em seu blog:


Nas páginas sempre amigas, aliadas, do Estadão de S. Paulo – clamoroso exemplo da imparcialidade da imprensa brasileira – o ex-tudo José Serra (ex-prefeito, ex-senador, ex-ministro, ex-governador, ex-candidato à Presidência) volta à tona, em 22 de dezembro, como se nada tivesse acontecido.

Quer dizer, como se o livro A Privataria Tucana, do repórter Amaury Ribeiro Jr., não tivesse destampado o esgoto da maior falcatrua da história recente da República, episódio no qual a famiglia Serra está muito bem representada.

Lá está Serra, na página 2 do Estadão, jornal solidário na censura ao livro do Amaury, desancando o governo Dilma.

Fala, inclusive, de corrupção.

 
É animador saber que Serra finalmente se interessa pelo assunto. Seria bom que ele, além de falar das maracutaias alheiras, pudessem explicar aquelas muito próximas a ele.

 
PS: ... e lembrem-se: faltam 365 para o mundo acabar (a data anunciada é 21 de dezembro de 2012).
******
Fonte:http://www.altamiroborges.blogspot.com/2011/12/serra-fala-de-corrupcao-dos-outros.html#more

Mais de 485 mil famílias podem recuperar Tarifa Social nas contas de energia


27.12.2011
Do BLOG DE JAMILDO, 26.12.11
Postado por  Helder Lopes


Os clientes de baixa renda que perderam o benefício da Tarifa Social nas faturas de energia elétrica podem recuperar o desconto de até 65% e voltar a ter contas mais baixas. A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) estima que mais de 485 mil famílias em todo o estado perderam o benefício ao longo de 2011. Elas não atenderam às convocações para o recadastramento que mantém o direito ao desconto e estão sentindo o aumento nas faturas de energia. A partir desta semana, a Celpe renova os esforços de convocação desses clientes e adota novas estratégias, contando com a parceria das prefeituras e colocando as agências móveis e o caminhão Educação com Energia à disposição dos retardatários.

O primeiro município a receber atenção especial é Olinda. Nesta terça-feira e quarta-feira (dias 27 e 28), nos horários das 8h às 16h30h, duas unidades móveis da Celpe estarão estacionadas na Travessa Farmacéutico Gonçalo de Freitas, s/n, Varadouro - (Conteiner - por trás do Mercado Chaves) para efetuar o recadastramento. Moradores dessa e das cidades vizinhas podem comparecer ao local e, de posse da conta de energia, de um documento com foto, CPF e Número de Identificação Social (NIS), do Governo Federal, poderão recuperar o benefício.

Os clientes que não tiverem o NIS e forem residentes em Olinda, poderão fazer a inscrição provisória no mesmo local, onde a prefeitura vai manter equipe exclusiva para esse atendimento. É necessário levar os seguintes documentos: identidade, CPF, título de eleitor e carteira de trabalho de toda a família, além da conta de energia. No entanto, não haverá ressarcimento pelo período em que ele permaneceu sem cadastrado. Para incentivar o comparecimento dos clientes, a Celpe vai distribuir lâmpadas compactas de desempenho eficiente aos consumidores que regularizarem a situação junto à companhia. Serão doadas até duas lâmpadas por cliente.

O recadastramento é uma determinação do Governo Federal, por meio da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), para todos os consumidores residenciais com renda mensal de até meio salário mínimo que recebia o subsídio tarifário.

Para tirar dúvidas e obter mais informações, a concessionária disponibilizou o telefone gratuito 0800 081 3217.

SERVIÇO:

Local: Travessa Farmacêutico Gonçalo de Freitas, s/n, Varadouro - (Conteiner - por trás do Mercado Chaves)

Data: 27 e 28 de dezembro (terça e quarta feiras)

Horários: 8h às 16h30


Documentos Necessários


Cadastro da Tarifa Social
Documento com foto / CPF/ NIS


Inscrição do NIS
Maiores de 18 anos
RG/ CPF/ Título de Eleitor/ Carteira de Trabalho e comprovante de residência


Adolescentes de 16 e 17 anos
Registro de Nascimento ou RG e Declaração Escolar


Crianças e Adolescentes de 6 a 15 anos
Registro de Nascimento e Declaração Escolar


Crianças abaixo de 6 anos
Registro de Nascimento/ Cartão de Vacina ou RG e Declaração Escolar


Gestantes
Cartão Pré-Natal

*****
Fonte:http://jc3.uol.com.br/blogs/blogjamildo/canais/noticias/2011/12/26/mais_de_485_mil_familias_podem_recuperar_tarifa_social_nas_contas_de_energia_121499.php

PP oficializa apoio à pré-candidatura de Cleiton Collins


27.12.2011
Do BLOG DE JAMILDO, 24.12.11
Por Leandro Magalhães, especial para o Blog de Jamildo
Postado por Jamildo Melo 

Olhos voltados para Jaboatão dos Guararapes nas próximas eleições. O município promete ser palco de uma disputa interessante na eleição majoritária. 

Na noite desta sexta-feira, no Hotel Barramares, em Piedade, foi anunciado – junto com o presidente estadual do partido, Eduardo da Fonte, prefeitos, vereadores e demais integrantes da legenda – o apoio ao nome do pastor Cleiton Collins à prefeitura da cidade.

 “Jaboatão precisa de seriedade e respeito. Vamos enfrentar gigantes, porque não dá mais para aguentar a desigualdade que existe aqui”, disse.

Cleiton Collins ainda teceu críticas à atual gestão tucana em relação à falta de prioridade de ações. 

Como exemplo, ele citou um anúncio que viu na cidade sobre a festa de reveillon.

 “Jaboatão está frustrada por causa da inversão de valores da atual gestão. Em vez de fazer melhorias em comunidades como Muribeca e Barra de Jangada, esta gestão prefere fazer festa de reveillon durante três dias”, disparou.    

O presidente do partido no Estado, Eduardo da Fonte, também não perdeu a oportunidade de alfinetar a gestão tucana.

 “O prefeito prometeu o que podia e o que nem podia e, hoje, ele não tem coragem de andar nas ruas, porque a população cobra as promessas de campanha dele”, afirmou. 

O Partido Progressista ainda convidou o comunicador Pedro Paulo para compor a chapa como vice-prefeito de Jaboatão.

 “Fico agradecido por receber esse convite e de poder apoiar uma candidatura diferente das que estão aí.  Prezo pelo compromisso com a sociedade e pela defesa da família”.
*****

São Paulo não precisa da Nova Luz, diz urbanista

28.12.2011
Do blog DESAFIOS URBANOS, Rede Brasil Atual,21.12.11
Por Thalita Pires, Rede Brasil Atual

Um projeto que pretende demolir mais da metade dos imóveis não beneficia a cidade, diz Vitor Nisida (Foto: Maurício Morais/Rede Brasil Atual)
Uma das iniciativas mais polêmicas da administração Gilberto Kassab, o projeto Nova Luz vem atraindo a atenção de ativistas, do meio acadêmico e demais interessados nos rumos do planejamento em São Paulo. Um dos resultados desse interesse é o trabalho Outra Luz: Alternativas Urbanísticas para o Projeto Nova Luz, realizado pelo arquiteto e urbanista Vitor Coelho Nisida como Trabalho Final de Graduação na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP.
No texto, Nisida questiona o tipo de intervenção planejada pela Prefeitura para a área da Santa Ifigênia. Ao contar a história da ocupação e dar voz a seus atuais ocupantes, ele tenta descontruir a ideia de que o local necessite de uma revitalização, pelo menos nos termos que estão sendo propostos até agora. Para ele, quaisquer que sejam esses termos, o importante é que eles sejam discutidos com a população local. "As alternativas devem ser construídas coletivamente dentro de um processo amplo de discussão envolvendo o maior número de atores possível e contemplando as complexidades da região", acredita.
O trabalho do urbanista pode ser acessado neste link. Abaixo, uma entrevista detalha alguns problemas e possível soluções do projeto Nova Luz.
DU - Qual sua motivação para pesquisar sobre a Nova Luz? Você acredita que esse tipo de intervenção seja algo que estará mais presente em São Paulo no futuro?
Vitos Coelho Nisida - Espero, sinceramente, que este tipo de projeto não se torne um paradigma de intervenção nem pra São Paulo e nem pra nenhuma outra cidade do país. Eu acredito que um projeto urbano para uma área consolidada, como a região da Santa Ifigênia, deve ser algo  construído coletivamente, só que a Nova Luz é um projeto impositivo desenhado sem participação alguma da população.
Uma proposta de requalificação do bairro precisa nascer das demandas e das questões colocadas por aqueles que vivem lá, ou porque moram ou porque trabalham. Esse Projeto Nova Luz, que propõe a demolição de mais da metade da superfície da região pra viabilizar a exploração comercial dos terrenos com novos empreendimentos, não é uma solução pra nenhum dos problemas do bairro. Pode perguntar para os moradores de lá, ou para seus comerciantes.
E um dos aspectos mais preocupantes é o modelo da intervenção, baseado na Concessão Urbanística. A prefeitura alega que é o instrumento ideal, para que a execução do projeto não onere os cofres públicos, mas a mesma prefeitura já reconheceu que vai ter que desembolsar milhões e milhões de reais pra "fechar a conta". Isso fora o que já foi pago para o consórcio elaborar o projeto. 
Tudo isso para justificar esse absurdo de transferir prerrogativas do Estado para empresas. Elas podem desapropriar e demolir mais da metade dos terrenos do bairro, e o projeto chama isso de requalificação. O que se quer mesmo é eliminar o que existe para construir um novo bairro em cima, e não melhor o contexto urbano dado.
Qual a sua opinião sobre o projeto da Prefeitura para a 'revitalização' de Santa Ifigênia? São Paulo precisa desse tipo de intervenção?
Confesso que da primeira vez que vi a apresentação do projeto fiquei me perguntando: "Mas o que tem de errado? Ele é até bonito!" Só que quando você para pra pensar a quem serve e quem se beneficia com tudo que se propõe, você começa a enxergá-lo de uma maneira diferente. O Projeto Nova Luz é uma proposta pra substituir todo o contexto urbano, social, a dinâmica econômica a riqueza das relações estabelecidas, etc... 
Essa visão de que requalificar parte da cidade significa refazê-la por inteiro precisa ser superada. A região da Santa Ifigênia tem tantas qualidades e valores que deveriam ser utilizados em benefício do próprio bairro. Este termo "revitalização" também precisa ser superado: só se revitaliza o que não tem mais vida e o centro de São Paulo - o que inclui a Santa Ifigênia - é um lugar de uma vitalidade incomparável.
Não, São Paulo não precisa de um projeto como este!
Aliás, esse conceito de revitalização usado também é questionável. Como você enxerga a tentativa de mudar e gentrificar completamente aquela área?
O grande problema dessas transformações propostas é justamente este aspecto da gentrificação, ou, do processo de enobrecimento. As mudanças previstas no projeto não são feitas para aqueles que vivem na Santa Ifigênia, ou seja, para melhorar a vida cotidiana de quem mora ali, e sim são pensadas em detrimento de sua permanência. O entendimento geral da proposta é de que nada, ou quase nada, do que existe na região tem algum valor e que para recuperá-la é necessário mudar tudo. 
Se não fosse assim, a base do projeto Nova Luz seria qualificar de fato o que já existe em vez de propor a reconstrução de tantas áreas.
Além do óbvio deslocamento das atividades econômicas e dos moradores que deverão deixar seus imóveis a serem demolidos, a valorização imobiliária da região deve ainda responder por um processo progressivo de substituição da população atual, por uma outra que possa pagar os novos e mais altos preços de aluguel e do metro quadrado.
Esse é um problema da visão de que a degradação da área central está associada à população de baixa renda, como se os moradores mais pobres fossem os responsáveis pela condição de deterioração da área central. Aí, cria-se a ilusão de que a solução do problema deve passar eliminação destes e sua substituição por grupos de maior renda, quando, na verdade o que levou o centro ao estado em que se encontra hoje está diretamente vinculado às políticas públicas e às prioridades dos governos que deslocaram os seus investimentos, ao longo dos anos, para outras áreas da cidade, precarizando a região central.
Tendo em vista o exemplo da Nova Luz, São Paulo está ficando menos democrática?
Acho que dá pra usar o exemplo da Nova Luz, mas também o exemplo da Copa e das Olimpíadas, que, não só em SP, mas em outras cidades do Brasil, estão evidenciando a falta de espaços de participação popular e estruturas mais democráticas de decisão. 
Infelizmente não é só no projeto Nova Luz que a população sente falta de abertura para dar sua opinião, participar das decisões; ter voz de verdade. A gente tem visto que nos grandes projetos urbanos, e a Copa tem mobilizado muitos recursos públicos para eles, as propostas são impostas de cima pra baixo como se a solução apresentada fosse óbvia e consensual. 
Os conflitos e os impactos que as intervenções do grande projetos de mobilidade sequer são colocados pra população em geral e tampouco para aqueles que são diretamente afetados pelas obras. No caso da Nova Luz não é diferente.
O único espaço democrático que existe dentro do processo da Nova Luz é o Conselho Gestor da ZEIS da Santa Ifigênia: uma conquista que tem fortalecido a luta conjunta de moradores e comerciantes, mas que, ainda assim, tem suas restrições por compreender só uma parte do projeto Nova Luz. As audiências públicas feitas pela prefeitura e pelo consórcio responsável pelo projeto são meras formalidades de caráter informativo: não trazem a possibilidade da participação efetiva.
Na sua opinião, quais as alternativas para melhorar a qualidade de vida dos moradores da Santa Ifigênia?
Essa é a pergunta que eu fiquei me fazendo ao longo deste último ano no meu TFG (trabalho final de graduação) e, por mais que eu tenha levantado algumas possibilidades na proposta alternativa que eu coloco no trabalho, a única conclusão que pude tirar é que essas alternativas devem ser construídas coletivamente dentro de um processo amplo de discussão envolvendo o maior número de atores possível e contemplando as complexidades da região. Coisas que, na minha opinião, passam batido pelo projeto Nova Luz.
Outra certeza que eu tenho é que dá para pensar em uma outra forma de se  qualificar a Santa Ifigênia sem utilizar o instrumento da Concessão Urbanística. O Estado tem certa prerrogativas, que são de sua exclusividade porque uma de suas obrigações ée garantir o interesse público em cada uma de suas ações. Transferir poderes para terceiros (empresas, concessionárias, etc) é um absurdo, pois quem tem que operar melhorias na cidade é o poder público: essa é uma de suas atribuições.
Em termos de estratégias, acho que existem algumas possibilidades para que intervenções menos agressivas e destrutivas possam ser feitas aproveitando os vazios que existem na região. E para isso, levantei alguns instrumentos urbanísticos que poderiam ser acionados ou até mesmo alterados (como é o caso do zoneamento) para viabilizar mudanças que não excluam a população loca, mas integrem novos moradores e melhorem a dinâmica urbana local.
Acho que a escala e o programa funcional dos equipamentos culturais que o Estado e a Prefeitura vem propondo na região também deveriam ser diferentes. É claro que é importante consolidar a centralidade daquela região, mas atender as necessidades locais e respeitar suas diferenças em relação ao resto da cidade é uma estratégia importante para uma proposta que busca qualificar a região.
*****