Pesquisar este blog

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

PiG (*) pratica ilegalidades no ENEM

28.10.2011
Do blog CONVERSA AFIADA, 24.10.10
Por Paulo Henrique Amorim


O Conversa Afiada reproduz post do Blog do Nassif:


Jornais praticam ilegalidades no ENEM
Por Alberto Porém Júnior


Em seu afã de criar motivos para enxovalhar o ENEM, a grande imprensa está passando dos limites como nunca se viu.


Perpetrar crimes para forjar fatos é algo que não se via, pelo menos tão escancarado…


Sim porque o que segue abaixo já colocou muita gente na cadeia.


Jornal divulga proposta de redação do Enem antes da saída dos primeiros inscritos; tema é “redes sociais”


-Uol ENEM 2011 – Redação – 15:48hs


O jornal O Globo em seu site divulgou o tema da redação do Enem 2011: “Viver em rede no século 21: os limites entre o público e o privado”. A nota foi publicada no site com horário de 13h59 – a reportagem do UOL visualizou a matéria pela primeira vez às 14h34. Os primeiros candidatos só poderiam começar a sair dos locais de prova às 15h


Segundo a editora do site de Educação e do Megazine, Valquíria Daher, o tema foi passado por um estudante. “Um aluno que estava dentro de um local de prova passou o tema”, afirmou Daher. A jornalista contou que o estudante conseguiu se comunicar com a redação do jornal. Mas não quis explicar de que maneira, uma vez que os inscritos só podem sair da prova às 15h e não podem se comunicar com ninguém.


Questionado, o MEC (MInistério da Educação) confirmou o tema. Segundo a pasta, isso não configura quebra de sigilo da prova, uma vez que o tema foi divulgado depois de o início da mesma. Para o MEC, o fato não configura falha na segurança.


Proposta

Segundo a nota do site, “os textos de referência são os artigos “Liberdade sem fio”, da revista “Galileu” e “A internet tem ouvidos e memória”, do portal Terra”. Eles ainda citaram uma tirinha do cartunista André Dahmer, da série “Quadrinhos dos anos 10″ — esta última informação confirmada por estudantes ouvidos pela reportagem do UOL em Porto Alegre.


Os cadernos serão divulgados oficialmente na noite deste domingo.


Segurança


Apesar de o Ministério da Educação afirmar que o Enem tem uma equipe de fiscais cadastrados e previamente treinados, a realização do primeiro dia do exame contou com “voluntários” escolhidos sem critério, na porta do local do exame. Cerca de 30 pessoas foram selecionadas em uma repescagem em que o único critério foi apresentar o documento original de identificação. O repórter Paulo Saldaña, do jornal O Estado de S. Paulo, foi um dos que, com RG na mão, entrou na fila e garantiu uma vaga para a fiscalização.


No local, havia 8 mil candidatos inscritos.


No primeiro dia, um fotógrafo contratado pelo UOL para fazer a cobertura do Enem 2011 em Fortaleza entrou em algumas salas de prova da Uece (Universidade Estadual do Ceará). O momento em que pediram para que ele se retirasse foi a chegada dos pacotes lacrados com a prova.

Em instruções distribuídas pela assessoria de imprensa do MEC na sexta-feira, não seriam “autorizadas, por motivo de segurança, imagens internas dos locais de prova”. Ainda alegando motivos de segurança, a assessoria de imprensa não divulgou os locais com maior número de inscritos para o UOL, como havia feito em anos anteriores.


No ano passado, um repórter um repórter do Jornal do Commercio de Comunicação, de Pernambuco, conseguiu informar qual era o tema da redação de dentro de um local de prova por meio de torpedo.


Clique aqui para ler “PiG e elite não destruíram o ENEM. 83 instituições se valem dele”.

(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.
****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/pig/2011/10/24/pig-pratica-ilegalidades-no-enem/

PARTIDO DA MÍDIA GOLPISTA avança no cerco: escândalo morto, escândalo posto

28.10.2011
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA

Sexta-feira, dia da nomeação do novo ministro, sua imagem já começa a ser desconstruída, inclusive pautada pelo mesmo PM milionário. Ainda falta a revista Veja e, quem sabe, a repercussão no Jornal Nacional.

Na guerra da comunicação sobre a chamada faxina, o PIG (Partido da Imprensa Golpista) avança no cerco ao governo Dilma, não interessa o que a Presidenta faça.

Escândalo morto, com a demissão de Orlando Silva, já procuram forjar escândalo posto com Aldo Rebelo.


Nós aqui sempre defendemos que a verdadeira faxina na corrupção deve ser feita continuamente, como rotina e com rigor, como faz a CGU, a Polícia Federal, o Ministério Público. E todas as repartições de governo devem ser cada vez mais aperfeiçoadas para agir com o mesmo rigor destes órgãos. Honestidade não é mais do que obrigação, e nem deveria ser visto como diferencial político, pois se tivéssemos um sistema jurídico rigoroso, os desonestos ficariam automaticamente banidos da política e dos cargos públicos.


No caso do Ministério dos Esportes, a política que parecia mais correta era apenas separar o joio do trigo, preservando os honestos, consertando o que estava errado, e divulgar à exaustão tanto os acertos, como as medidas exemplares tomadas para punir os desonestos e para prevenir a repetição de erros.


Orlando Silva era parte do trigo (pelo menos até agora convenceu, como poucos políticos, de que é inocente, e de que as políticas que desenvolveu apenas tiveram seus riscos inerentes de fraudes e ataque de picaretas, mas foram bem intencionadas e estruturantes. Boa parte deram bons resultados, e os fraudadores e picaretas estavam sendo punidos à medida que eram identificados).


É correto radicalizar os controles que estavam e estão sendo feitos no ministério do esporte (e é bom fazer o mesmo em todos os ministérios, para não se tornarem a bola da vez): cancelar convênios duvidosos, fazer um pente fino em todos eles, auditar, avaliar resultados (mesmo dos convênios honestos, se estão atendendo aos objetivos previstos), reaver dinheiro público desviado, punir fraudadores, expurgar picaretas, melhorar controles e procedimentos preventivos.


Mas tudo isso poderia ser feito sem a troca do ministro, tornando essa batalha mais árdua para o próprio governo no curto prazo, porém com resultados melhores no médio e longo prazo da guerra política.


Politicamente, a demissão do ministro foi como ceder uma fortaleza em uma guerra. O adversário captura o território e avança. Manter Orlando Silva, ainda que sob intenso tiroteiro, manteria o adversário preso naquela batalha, e também sofrendo desgaste, tanto na perda de munição, como na fadiga, até sofrer baixas na credibilidade a cada inocência provada, e a cada punição exemplar exibida pelo governo (inclusive fazendo o PM milionário - protegido da oposição e da imprensa - devolver os R$ 4 milhões que deve aos cofres públicos).


O objetivo de uma guerra é ir vencendo cada fortaleza ou linha de resistência até cercar o quartel-general inimigo, para exigir a rendição ou conquistá-lo à força. O jogo político da oposição no Brasil não é muito diferente, desde 2003.


A má notícia é que o PIG avançou e ficou mais forte em sua sina golpista. Além disso, a militância que deu suporte à Lula durante o mensalão, o "caos-aéreo", e à Dilma quando era ministra e candidata, está com a "moral da tropa" baixa, no momento, ao ver ministros inocentes caírem sem provas e com relativa facilidade.


As condições objetivas para uma boa notícia existem, mas está por vir, e só virá se o governo reagir com firmeza em sua comunicação, não com os veículos de imprensa intermediando a informação, mas diretamente com o povão, mesmo que seja através dos veículos de imprensa, mas usando a própria voz, como bem soube fazer Lula, e a própria Dilma quando era candidata.


Nem precisa expor a Presidenta a um interrogatório diário de jornalistas para discutir factóides e declarações de meliantes arregimentados pela imprensa para inventar denúncias, mas é preciso que ferramentas como o blog do Planalto se tornem fontes de informação para impedir que palavras falsas sejam colocadas na boca da Presidenta por "fontes do Planalto".


E é preciso também liberar mais os ministros e políticos governistas para falarem mais, dar mais entrevistas, fazer o contraponto, dar respostas do governo para os fatos noticiados. Ou seja: atuarem também como líderes políticos que são, e ocupar espaço que está vazio, deixando ser ocupado apenas pela mediocridade de gente como ACM Neto (DEMos/BA).


O governo ainda tem muitas fortalezas e as forças da oposição e do PIG ainda são limitadas. Mas é preciso mudar a tática urgente senão, de vitória em vitória do golpismo, acaba por levar o governo a perder a vantagem e entrar na zona de desestabilização pela oposição.


Todo cidadão brasileiro quer respostas firmes no combate à corrupção, e é dever do governo apresentá-las. Gostemos ou não da "faxina" virar assunto prioritário que despolitiza o verdadeiro debate político, o fato está consumado. Já virou pauta obrigatória nacional e internacional, e não há agenda positiva que fará a imprensa oposicionista desviar dessa pauta, onde ela está ganhando todas.


Na guerra da comunicação da faxina, pouco está interessando as atitudes enérgicas que o governo toma contra os casos de corrupção, porque tudo isso sai deturpado ao bel-prazer da mensagem que a imprensa oposicionista quer passar.


De nada adianta atitudes austeras e desejáveis, caso o governo não falar à exaustão, alto e em bom som o que está fazendo, com sua própria voz.
*****
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2011/10/pig-avanca-no-cerco-escandalo-morto.html

Wikileaks mostra Fernando Rodrigues como informante dos EUA

28.10.2011
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA

Nos documentos vazados pelo Wikileaks, o jornalista Fernando Rodrigues, colunista da Folha de S. Paulo, também aparece como informante, em encontro na embaixada dos EUA.

Numa conversa de 2006, Rodrigues teve um encontro com representantes da embaixada americana, e disse entre as quatro paredes que o TCU (Tribunal de Contas da União) era aparelhado politicamente pelos demo-tucanos, e tinha relatórios feitos para usar como batalha partidária da oposição contra o governo.

Disse que o tribunal faz análises não confiáveis e seus noves ministros são geralmente ex-senadores ou ex-deputados escolhidos por seus colegas para atuarem partidariamente. Rodrigues citou nominalmente o ministro Aroldo Cedraz, a quem classificou como “carlista” – ligado ao finado Antonio Carlos Magalhães.

De acordo com os documentos, Rodrigues também fazia análises políticas para a embaixada americana e avaliou o cenário da Câmara em 2006, que teve como oponentes Arlindo Chinaglia, do PT, e Aldo Rebelo, do PCdoB. Rodrigues disse que, se Aldo perdesse, ganharia como prêmio de consolação o Ministério da Defesa (o que não ocorreu). (Com informações do Portal 247)

Leia também:
- Wikileaks aponta Wiliam Waack como inflitrado na TV pelo governo dos EUA
******
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2011/10/wikileaks-mostra-fernando-rodrigues.html

Como derrubar uma presidente

28.10.2011
Do BLOG DA CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães

Ainda que não seja plenamente reconhecido, o Brasil vive hoje uma crise política de desfecho imprevisível. A fragilidade da equipe de governo, as denúncias intermináveis de corrupção a esse governo e o esfriamento da economia vão se mesclando em uma fórmula com potencial para atirar o país em uma situação que hoje parece impensável, mas que pode se materializar bem mais rápido do que se pensa.

A única perna bamba do tripé fragilidade do governo, denúncias de corrupção e crise econômica, é esta última. Em síntese: só o que pode atrapalhar os planos políticos da oposição e de sua máquina mortífera de propaganda de inviabilizarem a administração federal, por incrível que pareça em um país que atravessou o século XX em crises econômicas, é a economia.

Há dúvidas sobre quanto ou mesmo se a economia pode esfriar. O ponto de consolidação da derrocada do governo Dilma, portanto, será o ponto em que o desemprego aumente. Se se mantiver, é improvável que Dilma e seu governo venham a sofrer queda de popularidade que anime a oposição midiática a concluir para a sociedade que a presidente é responsável – e é –pela equipe que tem e que, portanto, agora será ela que terá que sair.

Nas 48 horas que se seguiram à queda de Orlando Silva, ele saiu da alça de mira da mídia e seu sucessor, Aldo Rebelo, entrou. Denúncias contra ele espalham-se por blogs e portais ligados aos grandes meios de comunicação. Além do novo ministro do Esporte, o ministro da Educação já começa a sofrer fritura midiática. Aqui e ali vão se espalhando acusações. Na caixa de comentários do post anterior, há várias.

Ontem, aliás, a Folha de São Paulo se deu ao requinte de publicar matéria informando quais são os próximos ministros-alvo. Nesse contexto, como Educação e Esporte são pastas com intensas relações com o Terceiro Setor, agora acusado inteiro e inapelavelmente de “foco de corrupção”, há, aí, uma larga avenida para o rolo compressor midiático esmagar o governo Dilma.

Em dado momento, algum desses escândalos em ministérios pode ser imputado à titular do governo federal – crime de responsabilidade etc., etc. Aliás, quando este blog cobriu a “marcha contra a corrupção” que ocorreu em São Paulo no último dia 12 de outubro, o que mais se ouvia era que Dilma deveria ser responsabilizada pelos escândalos envolvendo seu ministério.

A militância tucano-midiática está pedindo. Quando o Partido da Imprensa irá atendê-la? E se atender, será o mesmo procurador-geral da República que passou por cima da oitiva-padrão do Ministério Público (concedida normalmente aos denunciados antes de pedir abertura de inquérito) que terá a faca midiática no pescoço, assim como aquele ministro do Supremo Tribunal Federal que, em 2007, disse que se sentiu pressionado pela imprensa a aceitar o inquérito do mensalão.

Será que a Justiça – ou o Congresso – resistiria mais a aceitar processar um presidente da República do que resistiu em relação ao ex-ministro Orlando Silva, por exemplo? Provavelmente. Até que ponto? Não se sabe. Depende de como estiver a popularidade do governo. Agora, a Justiça decidiu de forma relâmpago mesmo sem clamor popular. O que ela faria se as ruas pedissem a cabeça da presidente?

É claro que esta teoria perde qualquer sentido para quem acredita que a mídia é isenta e que as denúncias contra a equipe de governo de Dilma não têm viés político. Agora, se você acredita que a mídia é parcial e que não é pela “corrupção” que denuncia a equipe de Dilma sem parar, e se acha que essas “marchas contra a corrupção” não são “apartidárias”, terá que concordar que o que leu aqui faz bastante sentido.
*****
Fonte:
http://www.blogcidadania.com.br/2011/10/como-derrubar-uma-presidente/

MANIPULAÇÃO DA MÍDIA: Tudo errado: quando uma mídia comprovadamente corrupta derruba um ministro suspeito

28.10.2011
Do blog PRAGMATISMO POLÍTICO, 26.10.11

Mesmo sem apresentar provas, mídia desonesta derruba Orlando Silva. Quem será o próximo? Melhor, quem derrubará a mídia?

As corporações midiáticas apostaram tudo na derrubada do ministro. Orlando Silva bateu pé e se defendeu. O PC do B o apoiou. Mas o PIG repicou, e o ministro caiu. Mesmo que a situação estivesse mais favorável a ele hoje que na sexta-feira, quando a presidenta o confirmou no cargo.

De lá pra cá, o que aconteceu? O STF mandou o Procurador-Geral trazer provas contra o ministro, além de recortes de jornais e revistas (sic). A Veja, que apresentaria provas, nada mostrou. O policial denunciante (mais sujo do que pau de galinheiro, acusado ou suspeito de ene malfeitos - até de assassinato) também disse à Polícia Federal que não tinha provas contra o ministro a quem acusara. Hoje à tarde faltou a um depoimento na Câmara com a cínica alegação de que o pedido de demissão do ministro (que não havia sido feito) esvaziaria seu depoimento.

Leia também:
O dia em que Wagner Moura humilhou a revista Veja
Fundação Roberto Marinho, da Globo, abocanhou R$ 24 milhões destinados a tragédias

Mas a mídia insistiu. Sábado, domingo, segunda, terça, hoje: nas primeiras páginas dos jornais, na TV, emissoras de rádio, nas revistas, nos portais, o ministro ia (tinha que) cair. Era questão de dias, horas.

Agora à noite, o ministro capitulou. O PC do B, que iria até o fim com ele, aceitou o arreglo, e a mídia corporativa vence mais uma. Batem, e conseguem do governo o que querem (como esse fajuta PNBL e o silêncio sobre a Ley de Medios).

Só não conseguem ainda vencer-nos nas urnas. Mas, até quando? Quantos ministros irão cair até que eles cheguem ao alvo: Dilma Rousseff
****
Fonte:http://www.pragmatismopolitico.com.br/2011/10/tudo-errado-quando-uma-midia.html

Barbiere promete entregar provas de vendas de emendas em São Paulo

28.10.2011
Do site da Rede Brasil Atual,27.10.11

Deputado que denunciou o esquema de corrupção na Assembleia Legislativa paulista foi o 30º a assinar pedido de instalação CPI. Faltam dois nomes 

São Paulo – O deputado estadual Roque Barbiere (PTB) reiterou a sua disposição em entregar provas e nomes dos deputados que praticam a venda de emendas na Assembleia Legislativa de São Paulo. Ele falou que levará tudo o que tem dentro de pouco tempo ao Ministério Público. O petebista foi o 30º a assinar o pedido de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito na Casa. "Eu tenho a obrigação de assinar a CPI. Como eu denuncio algo e não quero, através da minha assinatura, permitir que meus companheiros investiguem esse algo que eu denunciei?".

Barbiere reiterou as denúncias feitas anteriormente e disse que levará tudo ao Ministério Público. "Alguns deputados aqui usaram, sim, essa prática de vendas de emendas, isso vai ser comprovado lá no Ministério Público. Lá eu vou dar nomes, levar testemunhas e comprovar algumas coisas, não todas, e outras eu vou dar indícios sérios", afirmou.

Questionado sobre uma possível crise que sua adesão à CPI poderia causar em seu partido, integrante da base aliada do governo Alckmin, Barbiere disse que possui liberdade de escolha em sua sigla. "No meu partido ninguém me obriga a nada. Lógico que se for algo absurdo contra o partido, nem o partido vai ficar satisfeito."

Sobre a posição do governo estadual de se manter calado em relação às denúncias e de os deputados da base tentarem abafar o ocorrido, Barbiere foi breve: "Se vocês não estão achando nada, imagina eu. Eu não sei nada do governo", lamentou.

Conselho de Ética

Durante os trabalhos do Conselho de Ética, poucos avanços foram obtidos como contribuições para investigações. De todos os convidados, somente o deputado Major Olímpio (PDT) prestou esclarecimento, citando o nome de Tereza Barbosa, conhecida como Dona Terezinha, presidente do Centro Cultural Educacional Santa Terezinha. A líder comunitária confirmou ter protagonizado esquema semelhante com o deputado Rogério Nogueira (PDT), que nega a prática.

Barbiere foi convidado, mas não compareceu, enviando uma carta justificando sua ausência. "Eles erraram em me mandar para o Conselho de Ética, para lá se manda bandido. Eu mandei minhas explicações por escrito ao Conselho, com 22 páginas de explicações e me reservei o direito de citar nomes, fatos, provas, todo o apanhado que eu tenho sobre esse assunto ao Ministério Público", disse o parlamentar.
*****
Fonte:http://www.redebrasilatual.com.br/temas/politica/2011/10/baribiere-confirma-que-entregara-provas-sobre-vendas-de-emendas

Domésticas foram impedidas de entrar pela portaria social, em Vitória

28.10.2011
Do blog ONIPRESENTE, 27.10.11
Do G1 ES, com informações da TV Gazeta

Profissionais teriam sido orientadas a entrar no edifício pela garagem.
Decisão teria sido tomada em reunião do condomínio.


As empregadas domésticas que trabalham em um edifício de um condomínio de luxo na Praia do Canto, bairro nobre de Vitória, foram proibidas de entrar pela porta da frente do prédio. As profissionais eram obrigadas a passar pela garagem do local. A proibição teria partido de uma reunião entre os moradores e a administração do condomínio. As trabalhadoras do local se sentiram humilhadas com a situação.

A denúncia foi protocolizada na tarde desta quinta-feira (27), na sede do Ministério Público do Trabalho (MPT) no Espírito Santo. O órgão tem 72 horas para fazer as investigações preliminares, concretizar a autuação e distribuir o procedimento a um procurador do Trabalho que tomará as medidas cabíveis para investigar o caso e assegurar os interesses dos trabalhadores atingidos.

Alguns moradores do prédio não quiseram gravar entrevista, mas disseram que a regra não tinha o apoio da maioria. A decisão foi derrubada numa reunião, na noite de quarta (26), e a partir desta quinta (27), as profissionais voltaram a passar pela entrada principal do edifício.
A doméstica Benedita Adriano, que trabalha no local, ficou aliviada com o fim da proibição. 
"Somos todos iguais neste mundo", disse.

Segundo a presidente do Sindicato das Empregadas Domésticas do Espírito Santo, Valceni Santos, esse costume deve ser extinguido no Brasil. "O problema é antigo. As pessoas falam em liberdade, falam que o preconceito acabou, mas isso é mentira. Isso é muito mais comum do que as pessoas imaginam", disse.

O procurador Djailson Martins Rocha, do Ministério Público do Trabalho (MPT), informou que casos como este, se não há justificativa convincente, caracterizam discriminação. "No caso do deslocamento de mercadorias ou de estar vestindo roupas de banho, é justificável que seja usado o elevador de serviço, por exemplo", ressaltou. "Qualquer outra limitação ou imposição que não seja baseada numa condição plausível, é ilegal, discriminatória e vai de encontro à Constituição Federal, que diz que não deve existir preconceito por origem, raça, cor, sexo ou quaisquer outras condições sociais", disse.

O procurador destacou que o caso em questão será analisado pelo MPT por ser uma questão coletiva, mas se algum profissional sentir-se discriminado por algum motivo, pode entrar com uma ação trabalhista na Justiça, por danos morais, já que sofreu uma violação da auto-estima e uma situação vexatória que atinge sua condição psicológica.
****
Fonte:http://blogdoonipresente.blogspot.com/2011/10/como-diria-ali-kamel-nos-nao-somos.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+blogspot%2FjENg+%28Oni+Presente%29

ENTREVISTA COM IRINEU MESSIAS SOBRE JORNADA DE TRABALHO DOS SERVIDORES DO INSS

28.10.2011
Do site do SINDSPREV/PE, 27.10.11
Por Wedja Gouveia, imprensa do SINDSPREV

Fonte:www.sindsprev.org.br
****
Fonte:http://www.youtube.com/watch?v=ae9L1E56VrU&feature=player_embedded#!

O PSDB E A CORRUPÇÃO: Governador Alckmin impede investigação sobre corrupção em SP

28.10.2011
Do blog ESQUERDOPATA, 27.10.11

Base de Alckmin enterra investigação sobre venda de emendas em São Paulo
Sem produzir um relatório, Conselho de Ética conclui trabalhos depois de rejeitar a convocação de 17 testemunhas e parlamentares
Ricardo Galhardo, iG São Paulo

A bancada governista na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), capitaneada pelo líder do PTB, Campos Machado, enterrou no início da tarde desta quinta-feira as investigações do Conselho de Ética sobre o suposto esquema de venda de emendas parlamentares. Os governistas membros do conselho aprovaram um requerimento de Machado que determina o envio imediato do material colhido durante um mês de trabalhos ao Ministério Público.

O conselho terminou seus trabalhos sem produzir nem sequer um relatório. Na verdade, o conselho não possui mais um relator já que o ocupante do cargo, José Bitencourt, trocou o PDT pelo PSD e seu antigo partido reivindica o posto.

Durante um mês, o conselho se limitou a apreciar questões estatutárias e burocráticas. A única pessoa ouvida foi o deputado Major Olimpio (PDT), da oposição. Dezessete requerimentos pedindo a convocação de testemunhas, deputados, ex-deputados, ocupantes e ex-ocupantes de cargos no governo estadual que teriam ligações com o esquema foram barrados pela base governista na Alesp.

Apenas três requerimentos foram aprovados convidando os deputados Major Olimpio e Roque Barbiere (PTB, autor das denúncias) e o ex-deputado Bruno Covas (PSDB), atual secretário estadual do Meio Ambiente.

Barbiere e Covas enviaram respostas por escrito e não compareceram ao conselho.

Campos Machado não soube dizer qual o teor do material que será enviado ao Ministério Público. Questionado por jornalistas, recorreu a ofensas acusando repórteres de fazerem perguntas “vergonhosas” e “cretinas”

“No meu partido não tem essa pressão moral”, admitiu Machado, aliado fiel dos sucessivos governadores tucanos desde a posse de Mário Covas, em 1995.

A investigação no Conselho de Ética terminou sem que o órgão cumprisse sua própria pauta. Quatro requerimentos da oposição foram ignorados e nem chegaram a ser apreciados.

A oposição reagiu com indignação.

“Isso é vexatório porque não existe absolutamente nada. Uma grande pizza será enviada ao Ministério Público”, disse o deputado João Paulo Rillo (PT).

O Conselho de Ética tinha como objetivo investigar as declarações feitas pelos deputados Barbiere e Covas sobre a existência de um esquema de venda de emendas na Alesp. Barbiere chegou a dizer que deputados agem como camelôs. Covas, que é pré-candidato do PSDB à prefeitura de São Paulo, declarou em entrevista que foi procurado por um prefeito do interior que tentava lhe entregar R$ 5 mil referentes aos 10% de propina pela liberação de uma emenda de R$ 50 mil. Em vez de denunciar o caso ele teria encaminhado o dinheiro a uma instituição de caridade.
***
Fonte:http://esquerdopata.blogspot.com/2011/10/governador-alckmin-impede-investigacao.html

MANIPULAÇÃO DA MÍDIA: Hipocrisia contra o WikiLeaks

28.10.2011
Do blog VAMOS COMBINAR,24.10.11
Por Paulo Moreira Leite

Há menos de um mês, um número colossal de jornalistas levantou-se para defender uma propaganda de sutiã e calcinha.
Agora, ouço o silencio barulhento sobre o bloqueio econômico ao Wikileaks. É de envergonhar.

Vamos combinar. O sutiã e a calcinha de Gisele Bundchen faziam parte de uma campanha publicitária. Como diz o estatuto do conselho que regula o trabalho das agencias, é um debate que expressa a liberdade de expressão comercial. Você pode até considerar que o esforço para tirar a propaganda do ar foi um absurdo mas tem de reconhecer que há uma diferença nessa discussão.

O Wikileaks é parte da liberdade de expressão — sem adjetivos. Com certeza, seus documentos incomodam. São provocadores, como acontece com todas revelações que mostram que o rei está nu.

Foi assim, há mais de três décadas, com os papéis do Pentágono, que, graças a uma senteça da Suprema Corte, o New York Times pode divulgar em plena Guerra do Vietnã, trazendo para o público americano as discussões internas de Washington sobre o conflito.

A liberdade de expressão pode ser tão inconveniente como toda denúncia que incomoda os donos do poder nos EUA, na França, na Russia e no Brasil.

Ao liberar um conjunto de 250 000 documentos da diplomacia americana o Wikileaks prestou um favor à democracia mundial. Contribuiu para a transparencia. Permitiu que os cidadãos ficassem melhor informados sobre a atuação do governo americano. Flagrou figurões que diziam uma coisa em público e falavam o oposto quando se encontravam com a diplomatas dos EUA.

Numa demonstração de que não pretendia fazer um serviço leviano nem irresponsável, o Wikileaks entregou seu arquivo para respeitáveis veículos da imprensa internacional, reconhecidos por sua credibilidade e senso de responsabilidade. Nos EUA, o órgão escolhido foi o New York Times. Na França, Le Monde. Na Espanha, El País. E assim por diante.

Mesmo assim, a Casa Branca decidiu mobilizar sua máquina política para sufocar a organização. Mantem atrás das grades o militar que é suspeito — apenas isso, suspeito — de fornecer os documentos divulgados.

Seria equivalente a mandar prender o executivo do FBI que estava por trás das denuncias que alimentaram o escândalo Watergate.

Traduzindo em termos brasileiros e atuais, seria o mesmo que o governo Dilma Rousseff mandar prender o PM que faz acusações contra o ministro dos Esportes Orlando Silva — e olha que ele nem sempre se apoia em documentação tão sólida para dizer o que diz. Imagino a reação.

Não importa. Washington foi mais fundo. Pressionou empresas de cartão de crédito e outras instituições financeiras para cortar os canais de financiamento do Wikileaks, num esforço óbvio para inviabilizar seu funcionamento. Numa demonstração de que o mercado nem sempre obedece a uma célebre mão invisível, elas preferiram atender aos apelos da Casa Branca e interromper os pagamentos que garantiam o funcionamento do Wikileaks.

É inacreditável.
****
Fonte:http://colunas.epoca.globo.com/paulomoreiraleite/2011/10/24/hipocrisia-contra-o-wikileaks/

Manifestação pede CPI sobre vendas de emendas parlamentares em São Paulo

28.10.2011
Da Agência Brasil, 27/10/2011
Por Daniel Mello
Repórter da Agência Brasil
Política

São Paulo – A Central Única dos Trabalhadores (CUT) fez na tarde de hoje (27), junto com sindicatos e movimentos sociais, uma manifestação pedindo a instauração de uma comissão parlamentar de inquérito (CPI) para apurar as denúncias de irregularidades nas emendas ao orçamento da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp). O requerimento para a criação da CPI já foi assinado por 30 deputados. Com isso, faltam apenas duas adesões para que a comissão seja efetivada.

Mais cedo, os deputados encaminharam ao Ministério Público documentação e depoimentos colhidos pelo Conselho de Ética que foi criado para apurar as denúncias de irregularidades. Depois da apuração pelo órgão, os resultados devem ser remetidos ao conselho para providências.

Em entrevista ao jornal Folha da Região, o deputado Roque Barbiere (PTB) disse que entre 25% e 30% dos parlamentares recebem propina de prefeituras e empresas para propor emendas ao orçamento. O denunciante não citou, entretanto, os nomes dos deputados que participam do esquema. Cada deputado paulista tem o direito de indicar o repasse de até R$ 2 milhões em verbas para obras e projetos de interesse dos seus redutos eleitorais.

O secretario de finanças da CUT Nacional, Vagner Freitas, é contra a transferência das investigações para o Ministério Público, porque, segundo ele, não permite que a população acompanhe a apuração. “Nós não votamos no Ministério Público. Respeitamos, é uma instituição importante, mas quem foi eleito são os parlamentares. São os parlamentares que têm que prestar contas do que fazem para a população”.

Edição: Rivadavia Severo
****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-10-27/manifestacao-pede-cpi-sobre-vendas-de-emendas-parlamentares-em-sao-paulo

PSD: o partido onde os ricos se encontram

28.10.2011
Do blog de Rodrigo Vianna, 26.10.11
Por Edson Sardinha, do Congresso em Foco

Ele foi anunciado em março por seu criador como um partido que não é de direita, nem de esquerda, nem de centro. Sete meses após a famosa declaração do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, o Partido Social Democrático (PSD) nasce oficialmente hoje no Congresso como uma legenda de ricos e empresários. A maioria deles, ruralistas. Mais da metade da nova bancada tem na atividade empresarial sua principal ocupação. A soma dos bens declarados à Justiça eleitoral pelos congressistas do PSD também faz dele o segundo partido mais rico do Parlamento, atrás apenas do PMDB.

Entre titulares, suplentes e licenciados, o PSD havia arrebanhado 57 deputados e dois senadores até a última segunda-feira. Um número que ainda pode crescer. Desses 59 nomes, 42 (71%) são empresários urbanos ou rurais. Praticamente o mesmo número atua na defesa do agronegócio, como integrantes da bancada ruralista. Juntos, os discípulos do prefeito paulistano no Congresso acumulam um patrimônio de R$ 367,6 milhões. Ou seja, embora representem apenas 8,8% dos congressistas, eles respondem por quase 20% do total de R$ 1,94 bilhão declarado em bens pelos 667 parlamentares que exerceram mandato na atual legislatura.

O PSD abriga o parlamentar mais rico de todo o Congresso, o deputado João Lyra (AL), usineiro dono de uma fortuna declarada de R$ 240,4 milhões, acusado de trabalho escravo no Supremo Tribunal Federal (STF). Outros dois deputados do novo partido também somam mais de R$ 10 milhões em bens, Paulo Magalhães (BA) e Roberto Dorner (MT). Ao todo, 34 representantes do partido de Kassab no Congresso informaram à Justiça possuir mais de R$ 1 milhão em bens.

Plural e eclética
 
O número de empresários na bancada surpreendeu até o futuro líder do partido na Câmara, Guilherme Campos (SP), ele próprio empresário em Campinas. “Tudo isso? É surpreendente. Temos também muitos representantes do agronegócio. A força da nossa representação está na pluralidade. É uma bancada eclética e diversa com gente de vários setores”, afirma o deputado, recém-desfiliado do DEM.

Como exemplo dessa diversidade, Guilherme cita a presença dos deputados Ademir Camilo (MG), ex-PDT, e Roberto Santiago (SP), ex-PV, que têm origem no movimento sindical e ligações com a União Geral dos Trabalhadores (UGT). “Não somos de direita, nem de esquerda. Nem temos perfil conservador. Somos de centro”, avalia o novo líder, destoando da célebre frase de Kassab.

Embora rechace que a representação do PSD no Congresso seja conservadora, Guilherme Campos admite que o novo partido ainda não tem uma identidade bem definida. “Estamos em um processo de construção, que ainda vai definir a cara do partido. Mas isso, por enquanto, ainda não está claro”, reconhece.

Ruralistas
 
A cara do novo partido concilia hoje traços urbanos e rurais. Atualmente, 28 parlamentares do novo partido fazem parte da Frente Parlamentar da Agropecuária. Entre eles, o presidente da frente, deputado Moreira Mendes (RO), e a presidenta da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), senadora Kátia Abreu (TO). Outros nove deputados do PSD também têm atuação destacada na defesa do agronegócio, embora não façam parte da principal frente parlamentar dos ruralistas.

Integrante da frente, empresário rural com patrimônio avaliado em R$ 12,5 milhões, o deputado Roberto Dorner vê em sua nova legenda um caminho para atuar com mais liberdade. “Não somos a favor nem contra o governo”, diz o deputado, que se desfiliou do governista PP. “Não tenho nada contra meu ex-partido, mas precisava de mais espaço para ter opinião e palavra”, afirma.

O novo líder do PSD conta que trabalhará para conciliar eventuais divergências dentro da bancada. “Primeiro, temos de acertar a estrutura do partido, com espaço físico e assessoria. Depois, teremos de respeitar a história de cada parlamentar quando tratarmos de questões que não forem consensuais”, explica. A formação da nova bancada será oficializada em ato na Câmara nesta quarta-feira (26). Guilherme Campos acredita que o PSD possa aumentar, nos próximos dias, sua representação nas duas Casas.

Só a numerosa bancada do PMDB é mais endinheirada que a do PSD. Os 110 peemedebistas acumulam R$ 408,29 milhões em patrimônio. A bancada assumiu a liderança após ser reforçada, no último mês, com a filiação do deputado Sandro Mabel (GO), ex-PR. O dono da fábrica de bolachas figura entre os dez congressistas mais ricos, com mais de R$ 70 milhões em bens. Sem ele, o PMDB ficaria atrás do PSD em volume patrimonial.

Leia outros textos de Outras Palavras
****
Fonte:http://www.rodrigovianna.com.br/outras-palavras/psd-o-partido-onde-os-ricos-se-encontram.html

Lula passa aniversário com amigos e autoridades

28.10.2011
Do portal ÚLTIMO SEGUNDO, 27.10.11
Por Ricardo Galhardo, iG São Paulo, e Agência Estado

Presidenta viria a São Paulo para comemoração na noite desta quinta, mas cancelou visita na última hora

O  ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu a visita de amigos na comemoração do seu primeiro aniversário após deixar a Presidência da República. O petista, que completa nesta quinta-feira 66 anos, chegou às 11 horas à sede do Instituto Lula, na capital paulista, local onde despacha atualmente. Ele foi cumprimentado pelos funcionários da instituição, que não esperavam sua presença no local.


 
Foto: AE Ampliar

Dilma viria para festa, mas cancelou na última hora. Na foto, presidenta e antecessor assopram velas no aniversário do PT
Lula agendou para esta noite uma pequena festa no apartamento onde mora, em São Bernardo do Campo, na qual era esperada a presença da presidenta Dilma Rousseff. A presidenta, no entanto, cancelou a participação na última hora, de acordo com o Palácio do Planalto.


No decorrer de toda a manhã, pacotes e embrulhos chegaram ao instituto. O petista recebeu ainda uma série de telefonemas, entre eles da ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, do ministro da Defesa, Celso Amorim, da senadora Marta Suplicy (PT-SP) e do governador do Rio, Sérgio Cabral.


 O presidente estadual do PT-SP, Edinho Silva, foi um dos primeiros a visitar o ex-presidente nesta manhã. Ele presenteou Lula com uma garrafa de vinho português e, na saída, disse que o ex-presidente é uma de suas maiores inspirações políticas.


O ex-presidente recebeu ainda as visitas do ex-ministro do Turismo e de Relações Institucionais Walfrido Mares Guia, que coopera atualmente com o Instituto Lula, e do vice-presidente de Relações Institucionais da Embraer, Jackson Schneider.


O ex-presidente também recebeu cumprimentos do presidente da Gaviões da Fiel, Antonio Alan, conhecido como Donizete. O dirigente da torcida organizada, que vai homenagear Lula no carnaval de 2012 com o enredo da escola de samba, presenteou o petista com quatro garrafas de cachaça. "Ele nos recebeu muito bem e gostou bastante dos presentes", afirmou.


Donizete disse ainda que o ex-presidente presenteou o Corinthians ao ter colaborado com o estádio do Itaquera, que receberá jogos da Copa do Mundo de 2014. "Não foi só um presente para o Corinthians, mas para todos os cidadãos de São Paulo."
*****
Fonte:http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/lula-passa-aniversario-com-amigos-e-autoridades/n1597330088269.html