quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Familiares de vítimas do voo 1907 da Gol pedem apoio no Congresso e têm promessa de audiência pública até dezembro

29.09.2011
Do UOL NOTÍCIAS,
Por Janaina Garcia
Do UOL Notícias
Em São Paulo




Familiares de vítimas do voo 1907 da Gol obtiveram nesta quinta (29) na Câmara dos Deputados, em Brasília, a garantia de que, até no máximo meados de dezembro deste ano, o Congresso será palco de uma audiência pública que debaterá a falta de respostas a grandes tragédias aéreas no Brasil.

Acidente com voo da Gol completa 5 anos




Foto 7 de 44 - 30.set.2006 - Familiares dos passageiros choram enquanto aguardam notícias do avião no aeroporto de Brasília. O acidente, no qual 154 pessoas morreram, completa cinco anos hoje (29) Mais Ueslei Marcelino/AP
A reunião de representantes da Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas do Voo 1907 aconteceu no dia em que o acidente completa cinco anos. Naquele 29 de setembro de 2006, todas as 154 pessoas a bordo da aeronave morreram –o voo saíra de Manaus (AM) com destino ao Rio e escala em Brasília.
O Boeing da Gol foi atingido pelo jato Legacy, da empresa ExcelAire, conduzido pelos pilotos norte-americanos Jan Paul Paladino e Joseph Lepore, se despedaçou no ar e caiu em área de selva amazônica, no Estado do Mato Grosso. Apesar de laudos técnicos da Polícia Federal e da Aeronáutica que apontaram negligência por parte dos norte-americanos, o máximo que obtiveram da Justiça foi uma pena de quatro anos e quatro meses em regime semiaberto, revertida em prestação de serviços comunitários nos Estados Unidos.
Pela Câmara, as medidas relativas ao acidente estão sob análise da comissão de Direitos Humanos do Senado e da comissão de Viação e Transporte da Câmara, cujos presidentes, respectivamente o senador Paulo Paim (PT-RS) e o deputado Edson Ezequiel (PMDB-RJ), estiveram hoje com representantes das famílias das vítimas.
“Pedimos o apoio dos parlamentares para a punição dos pilotos norte-americanos, mesmo pedido que faremos ao Itamaraty e à presidente Dilma [a associação quer entregar um abaixo-assinado a ela]. Essa audiência pública, que vai ainda tentar buscar soluções para esses acidentes, foi um passo importante e satisfatório à luta das famílias”, disse ao UOL Notícias a relações-públicas da associação, Celmira Milleo Costa.
De acordo com ela, além do acidente com o voo 1907, a audiência tratará ainda da tragédia com o voo 3054, do Airbus A 320 da TAM, em julho de 2007 --no qual 199 pessoas morreram, em São Paulo--, e do acidente do voo AF 447, de 2009, do Airbus A 330 da Air France, no Oceano Atlântico, em que 228 a bordo morreram; 59, brasileiros.
A expectativa é de que a Anac (agência Nacional de Aviação Civil), o Ministério Público e o Ministério das Relações Exteriores, além de representantes das duas comissões, participem da audiência.
No encontro, a Comissão de Viação e Transporte ainda se comprometeu cobrar dos Estados Unidos uma resposta oficial sobre a cassação da licença para pilotar de Paladino e Lepore. Em anos anteriores, o grupo encaminhou pedidos para uma série de órgãos do governo norte-americano reivindicando medidas nesse sentido, mas nenhuma resposta foi dada.
Outra medida definida foi o apoio da comissão aos familiares quanto ao resgate da perícia que deveria ter sido feita nos pilotos do Legacy. É ela que comprovaria, por exemplo, se eles ingeriram ou não bebida alcoólica antes de pilotar de São José dos Campos (SP) para os EUA.

O que aconteceu no dia 29 de setembro de 2006


*****
Fonte:http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2011/09/29/familiares-de-vitimas-do-voo-1907-da-gol-pedem-apoio-no-congresso-e-tem-promessa-de-audiencia-publica-ate-dezembro.jhtm

Comissão de mobilidade da Alepe discute ações na região metropolitana

29.09.2011
Do blog MOBILIDADE URBANA
Por Tânia Passos


Entrevista com o presidente da comissão de Mobilidade Urbana da Alepe,
Sílvio Costa Filho
*****
Fonte:http://blogs.diariodepernambuco.com.br/mobilidadeurbana/index.php/2011/09/comissao-de-mobilidade-da-alepe-discute-acoes-na-regiao-metropolitana/

A AGONIA DE CINEMAS E A DESUMANIDADE CAPITALISTA

29.09.2011
Do blog NÁUFRAGO DA UTOPIA, 28.09.11
Postado por Celso Lungaretti




A Prefeitura de São Paulo decidiu não tombar o cine Belas Artes, na mais do que valorizada esquina da Consolação com a Paulista.

André Sturn, que foi proprietário do cinema e hoje dirige o Museu da Imagem e do Som, desabafou: "É a vitória da especulação, do que tem de pior no capitalismo contra a memória, a fantasia, a qualidade de vida".

Como bom cinéfilo, meus sentimentos são de simpatia para com o movimento que tenta manter o Belas Artes funcionando.

Mas, não seria o caso de a cidadania se mobilizar contra a desumanidade capitalista em toda e qualquer circunstância, não apenas em situações específicas?

Cada cinema fechado nas últimas décadas significava algo para muitas pessoas. Nunca houve movimento para os salvar. Então, há um certo ranço elitista nesta mobilização única.

Espremido e jogado fora: O fim do patrocínio
de um banco inviabilizou de vez o Belas Artes
Cada vez que passo pelo prédio que abrigou o cine Aliança das minhas matinês longínquas, sinto um aperto no coração. Ninguém lutou por ele na Mooca. Os frequentadores não eram intelectuais, mas sim pessoas comuns da baixa classe média. Seus sonhos e sua nostalgia não mereciam respeito?

Também sou avesso a deturpações, ainda que bem intencionadas. Tudo bem que se queira preservar o Belas Artes, mas não é preciso fazer chantagem emocional com a afirmação de que ele funcionava desde 1943, sendo, portanto, uma espécie de relíquia cultural....

Inclusive, há uma confusão com o cinema ao lado, que era Astúrias entre 1931 e 1943, passando então a chamar-se Ritz, enquanto o cine Trianon, verdadeiro antecessor do Belas Artes, só seria aberto em 1956.

A Sociedade Amigos da Cinemateca, constituída em 1962, inicialmente exibia suas pérolas cinematográficas numa pequena sala da rua Aurora, constrangedoramente próxima de uma zona de meretrício. Lembro-me de nela ter assistido, p. ex., O Homem do Prego(1964), de Sidney Lumet.

Surgiu uma oportunidade de se transferir para um local mais apropriado e a SAC não bobeou, assumindo o espaço do ex-Trianon e nele instalando o Belas Artes, que logo se tornou o principal cinema de arte de Sampa, eclipsando o Bijou, o Marachá Augusta, etc.
Esta era a fachada na inauguração
A atração inaugural, em julho/1967, foi Os russos estão chegando! Os russos estão chegando! (1966, d. Norman Jewison).

Enfim, o cinema cultuado que se queria tombar remonta a 1967, não a 1931, 1943 ou 1956.

E teve seu grande momento nos idos de 1968, quando exibiu fitas como A Chinesa (1967, d. Jean-Luc Godard), esmiuçada à exaustão pelas rodas de estudantes, contestadores e outsiders  em geral que se aglomeravam no bar em frente.

Para quem não sabe, esclareço: trata-se de um filme que entrou em evidência com a chamada Primavera de Paris, por parecer tê-la antecipado.

Mostra jovens que se isolam durante algum tempo para aprofundarem sua opção revolucionária, entre leituras, discussões, relacionamentos pessoais/amorosos e esboços de uma existência mais livre. Termina com o fim do aprendizado, quando cada um, aclaradas suas dúvidas, direciona-se para a forma de vida e de atuação que lhe é mais afim.

Quanto ao título, não se referia a uma mulher asiática, mas sim à linha chinesa, de Mao Tsé-Tung e seu livrinho vermelho, que então eram tidos como uma alternativa ao revisionismo  soviético...

****
Fonte:http://naufrago-da-utopia.blogspot.com/2011/09/agonia-de-cinemas-e-desumanidade.html

João da Costa: pode chamar qualquer político, estou doido para fazer um debate

29.09.2011
Do BLOG DE JAMILDO
Postado por Helder Lopes

No evento em que apresentou o balanço das ações da Prefeitura do Recife no período de chuvas desse ano, o prefeito João da Costa, disse ter plena convicção dos programas e projetos que tem feito a frente do município. Tanta é a convicção do prefeito, que se dispôs a debater com qualquer um sobre sua gestão.
"Pode pegar qualquer político, eu estou doido para um debate. Estou doido para fazer um debate, pode chamar", falou o prefeito em seu discurso arrancando apláusos e risadas do público que enchia o auditório do Centro de Formações de professores Paulo Freire.
Questionado pelo Blog de Jamildo se estaria também pronto para debater com o ex-prefeito João Paulo, o prefeito disconversou e respondeu brincando:
"Eu disse que estou doido para qualquer debate, pode ser político ou não. Se você quiser (para o repórter Helder Lopes), estou preparado para debater com você".

****
Fonte:http://jc3.uol.com.br/blogs/blogjamildo/canais/noticias/2011/09/29/joao_da_costa_pode_chamar_qualquer_politico_estou_doido_para_fazer_um_debate_114224.php

Decreto assinado por Dilma desapropria terras reivindicadas por quilombolas mineiros

29.09.2011
Da Agência Brasil
Por Carolina Pimentel
Repórter da Agência Brasil

Brasília – A presidenta Dilma Rousseff assinou hoje (29) decreto para desapropriar as terras reivindicadas pela comunidade quilombola Brejo dos Crioulos, no norte de Minas Gerais. A medida vai beneficiar mais de 500 famílias de remanescentes de escravos que vivem na região.
Desde terça-feira (27), representantes dos quilombolas estão em Brasília reivindicando a desapropriação, esperada há 12 anos. Alguns deles se acorrentaram ontem (28) a uma placa em frente ao Palácio do Planalto para pressionar o governo federal.
Hoje, eles foram recebidos pela presidenta e pelo ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, responsável pela articulação entre o governo e os movimentos sociais.
Com o decreto, fazendeiros receberão uma indenização do governo para deixar a área. Dos mais de 17 mil hectares da área, cerca de 13 mil são ocupados pelos fazendeiros, segundo os quilombolas.
“É um começo. Hoje, vivemos em vilas e não dá para plantar”, disse José Carlos Oliveira Neto, um dos representantes do grupo. Os quilombolas relataram sofrer ameaças e violência por parte dos fazendeiros e de grupos armados.
Depois da desapropriação, o próximo passo do grupo é buscar o título das terras. “Temos convicção que o problema não está resolvido”, disse Paulo Roberto Faccion, da Comissão Pastoral da Terra (CPT).
Edição: João Carlos Rodrigues

****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-09-29/decreto-assinado-por-dilma-desapropria-terras-reivindicadas-por-quilombolas-mineiros

Familiares de vítimas do voo 1907 da Gol pedem apoio no Congresso e têm promessa de audiência pública até dezembro

29.09.2011
Do UOL NOTÍCIAS,
Por Janaina Garcia
Do UOL Notícias
Em São Paulo


Familiares de vítimas do voo 1907 da Gol obtiveram nesta quinta (29) na Câmara dos Deputados, em Brasília, a garantia de que, até no máximo meados de dezembro deste ano, o Congresso será palco de uma audiência pública que debaterá a falta de respostas a grandes tragédias aéreas no Brasil.

Acidente com voo da Gol completa 5 anos




Foto 7 de 44 - 30.set.2006 - Familiares dos passageiros choram enquanto aguardam notícias do avião no aeroporto de Brasília. O acidente, no qual 154 pessoas morreram, completa cinco anos hoje (29) Mais Ueslei Marcelino/AP
A reunião de representantes da Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas do Voo 1907 aconteceu no dia em que o acidente completa cinco anos. Naquele 29 de setembro de 2006, todas as 154 pessoas a bordo da aeronave morreram –o voo saíra de Manaus (AM) com destino ao Rio e escala em Brasília.
O Boeing da Gol foi atingido pelo jato Legacy, da empresa ExcelAire, conduzido pelos pilotos norte-americanos Jan Paul Paladino e Joseph Lepore, se despedaçou no ar e caiu em área de selva amazônica, no Estado do Mato Grosso. Apesar de laudos técnicos da Polícia Federal e da Aeronáutica que apontaram negligência por parte dos norte-americanos, o máximo que obtiveram da Justiça foi uma pena de quatro anos e quatro meses em regime semiaberto, revertida em prestação de serviços comunitários nos Estados Unidos.
Pela Câmara, as medidas relativas ao acidente estão sob análise da comissão de Direitos Humanos do Senado e da comissão de Viação e Transporte da Câmara, cujos presidentes, respectivamente o senador Paulo Paim (PT-RS) e o deputado Edson Ezequiel (PMDB-RJ), estiveram hoje com representantes das famílias das vítimas.
“Pedimos o apoio dos parlamentares para a punição dos pilotos norte-americanos, mesmo pedido que faremos ao Itamaraty e à presidente Dilma [a associação quer entregar um abaixo-assinado a ela]. Essa audiência pública, que vai ainda tentar buscar soluções para esses acidentes, foi um passo importante e satisfatório à luta das famílias”, disse ao UOL Notícias a relações-públicas da associação, Celmira Milleo Costa.
De acordo com ela, além do acidente com o voo 1907, a audiência tratará ainda da tragédia com o voo 3054, do Airbus A 320 da TAM, em julho de 2007 --no qual 199 pessoas morreram, em São Paulo--, e do acidente do voo AF 447, de 2009, do Airbus A 330 da Air France, no Oceano Atlântico, em que 228 a bordo morreram; 59, brasileiros.
A expectativa é de que a Anac (agência Nacional de Aviação Civil), o Ministério Público e o Ministério das Relações Exteriores, além de representantes das duas comissões, participem da audiência.
No encontro, a Comissão de Viação e Transporte ainda se comprometeu cobrar dos Estados Unidos uma resposta oficial sobre a cassação da licença para pilotar de Paladino e Lepore. Em anos anteriores, o grupo encaminhou pedidos para uma série de órgãos do governo norte-americano reivindicando medidas nesse sentido, mas nenhuma resposta foi dada.
Outra medida definida foi o apoio da comissão aos familiares quanto ao resgate da perícia que deveria ter sido feita nos pilotos do Legacy. É ela que comprovaria, por exemplo, se eles ingeriram ou não bebida alcoólica antes de pilotar de São José dos Campos (SP) para os EUA.

O que aconteceu no dia 29 de setembro de 2006


*****
Fonte:http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2011/09/29/familiares-de-vitimas-do-voo-1907-da-gol-pedem-apoio-no-congresso-e-tem-promessa-de-audiencia-publica-ate-dezembro.jhtm

Fundação Roberto Marinho, da Globo, abocanhou R$ 24 milhões destinados à enchentes

29.09.2011
Do blog PRAGMATISMO POLÍTICO,27.09.11
Por Antônio Mello, em seu blog



O dinheiro que deveria amenizar o sofrimento humano resultante de tragédias foi misteriosamente (ou nem tanto) engordar a conta da Rede Globo.  

O jornal O Globo (do Oligopólio Globo) deu manchete e reportagemde página inteira em seu primeiro caderno de hoje criticando o governo federal, que não estaria liberando verbas para prevenção das enchentes de verão, como a última, que atingiu a Região Serrana do Rio, provocando quase 600 mortos e desabrigando dezenas de milhares de famílias.
Essas obras de prevenção são essenciais para evitar ou atenuar tragédias que se repetem todos os anos, como deslizamentos de terra em áreas de risco. No caso do Estado do Rio, foram reservados R$ 7 milhões para apoio a obras preventivas, mas nenhum tostão foi liberado até agora.

Leia mais:

Mas a preocupação demonstrada hoje por O Globo contrasta com a posição do jornal há aproximadamente um ano, quando o governo do Rio desviou R$ 24 milhões, que deveriam ser usados para a prevenção de enchentes, e os entregou para a Fundação Roberto Marinho (do Oligopólio Globo).

O anúncio foi feito pela comunicação da Secretaria do Ambiente do RJ:

– Nossos recursos serão usados principalmente na parte de conteúdo do museu. Consideramos o museu uma instituição importante, por tratar de forma lúdica e interativa a questão do desenvolvimento sustentável e do meio ambiente, entre outros temas, numa perspectiva futura. É uma oportunidade que teremos de transmitir para a população, em geral, e para a juventude, em especial, esses conhecimentos que despertam a consciência – afirmou a secretária do Ambiente, Marilene Ramos.

O tal conteúdo do museu de que fala a secretária nós não pudemos apreciar, pois o Museu da Fundação Roberto Marinho ainda não tem um tijolo de pé, embora já tenha recebido mais de R$ 200 milhões do governo do estado e da prefeitura do Rio. Mas que as verbas fizeram falta, fizeram. Pois nem três meses depois, aconteceu a tragédia da Região Serrana.

A Folha de S.Paulo denunciou que o governo do Rio tinha estudos de 2008 que mostravam o alto risco de tragédia na região:

O risco de um desastre na região serrana do Rio de Janeiro, como o que ocorreu nesta semana e já deixou pelo menos 547 mortos, havia sido apontado desde novembro de 2008 em um estudo encomendado pelo próprio governo do Estado, informa Evandro Spinelli.

A situação mais grave, segundo o relatório, foi identificada exatamente em Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo, cidades com o maior número de mortes em razão das chuvas intensas.

No entanto, o governo Cabral ignorou os estudos e destinou a verba para a Fundação Roberto Marinho, sem que se lesse uma notinha sequer criticando a medida no mesmo O Globo.


A Folha publicou matéria afirmando que os custos para a construção do Museu do Amanhã triplicaramem apenas 1 ano (ver aqui).

Leia também:
Diante da atitude hipócrita do jornal, fica a dúvida:

1- Estão arrependidos e, sentindo-se culpados, defendem as verbas agora para que a catástrofe não se repita;

2- Ou só querem mais verbas para que sejam novamente encaminhadas para a Fundação Roberto Marinho

****
Fonte:http://www.pragmatismopolitico.com.br/2011/09/fundacao-roberto-marinho-da-globo.html