Pesquisar este blog

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

AZEVEDO: SALÁRIO PAGO POR AMERICANOS

12.08.2011
Do blog ANAIS POLÍTICOS,04.08.11




Dia desses uma amiga comenta "minha Veja não chegou". Ela se referia à assinatura pela qual pagou, mas que não teve o destino correto, sua caixa de correio.

- E você está triste porque a Veja não chegou? Devia agradecer, deixará de emburrecer mais um pouco.

Mesmo assim ela não se convenceu. Já sabe que a editora Abril produz lixo midiático e espalha idéias fascistas, mas ainda mantém o apego ao que foi sua cultura por muito tempo.

Vasculhando o latão de lixo da imprensa, vejo o grito indignado de Reizinho Azevedo, o autoproclamado defensor das inequidades impostas contra os ricos e bem sucedidos do planeta. Especialmente se eles morarem no Higienópolis paulistano e nos Estados Unidos do Tio Sam.

Após um bem sucedido pacote industrial para estimular a competitividade da indústria brasileira, com a isenção de impostos, coisa pretendida por dez entre dez empresários nacionais, Azevedo, sem discurso, conclama a oposição a reclamar.

Mas reclamar do quê, cara pálida? Não importa. O que interessa é reclamar do Governo central. Claro que se esse governo fosse tucano, como já foi por 502 anos, seria diferente. Veja e Reinaldo ergueriam uma estátua ao presidente lacaio da vez. Como é um governo petista, não dá pra não criticar.

Desta vez, Reinaldo e Alvaro Dias vão ficar gritando sozinhos no canto da sala. A mídia via dizer que o pacote "não é suficiente" (pode procurar, pra ver se não dirão isso). Os empresários, que não são bobos, vão ficar quietinhos. Sabem muito bem que o pacote presta e estimula ainda mais o crescimento do país.

De novo Azevedo mostra que seu salário não é pago por brasileiros. Ele quer mesmo é que o país se exploda.

Clique aqui para ver sobre o bronzeamento artificial de Álvaro Dias.
Clique aqui para ver como a Folha distorce a questão do desemprego.
Clique aqui para ver que Schwarzenegger zomba do Brasil.
Clique aqui para ver o ótimo recorte de idiotices de Bolsonaro, feito por Douglas Yamagata.
Clique aqui para ver Dilma esculachando a Folha.

****
Fonte:http://anaispoliticos.blogspot.com/2011/08/azevedo-salario-pago-por-americanos.html

ADESÃO A BASE DO GOVERNO? Dilma receberá lideranças do PSD na próxima semana

12.08.2011
Do BLOG DA FOLHA
Postado por José Accioly 
Da Folha.com


Em uma manifestação de apoio à criação do PSD, a presidente Dilma Rousseff irá receber na próxima quinta-feira (18) as lideranças estaduais do novo partido. A sigla, criada pelo prefeito de São Paulo Gilberto Kassab, enfrenta dificuldades para cumprir os requisitos e obter registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral)


O encontro, marcado para as 8h, deve ser um café da manhã no Planalto ou no Palácio da Alvorada. A agenda foi acertada na tarde desta sexta-feira entre Kassab e Dilma, que se reuniram por cerca de uma hora no Palácio do Planalto.


Apesar do encontro com Dilma, Kassab voltou a afirmar que seu partido surge como uma "força política independente" e não é governista. Ele citou, por exemplo, seu apoio a José Serra, tucano derrotado por Dilma nas eleições presidenciais de 2010.


Kassab, que negou dificuldades na criação do partido, afirmou que a executiva e a direção do partido serão escolhidas neste sábado, em reunião em São Paulo.


Para tirar o PSD do papel, Kassab precisa do apoio de 490,3 mil eleitores. As assinaturas devem ser colhidas em, pelo menos, nove Estados. Os esforços das lideranças do PSD estão sendo minadas por denúncias de irregularidades na coleta das assinaturas.
*****
Fonte:http://www.blogdafolha.com.br/index.php/materias/23448-dilma-recebera-liderancas-do-psd-na-proxima-semana

Serão mais três universidades federais

12.08.2011
Do DIÁRIO DE PERNAMBUCO


O país vai ganhar mais quatro universidades federais, além de 120 campi dos institutos federais previstos no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). O anúncio será feito pela presidente Dilma Rousseff, na próxima terça-feira, durante o evento de lançamento da terceira fase do programa de expansão da Rede Federal de Educação Superior, disse ontem o ministro da Educação, Fernando Haddad, ao participar do programa Mulheres Mil, no Ministério da Educação.


A Bahia vai receber duas novas universidades federais, o Ceará, uma e o Pará, outra. Haddad não deu mais detalhes sobre a terceira fase do programa de expansão, mas informou que esta terceira fase tem um recorte específico e é de porte menor em relação às duas etapas anteriores, que dobraram as vagas nas instituições federais. O ministro também preferiu deixar para a presidente o anúncio dos estados que receberão as escolas técnicas que, na verdade, são novos campi de institutos federais existentes. Dentro do Pronatec, Dilma Rousseff ainda vai inaugurar 81 escolas que começaram a ser construídas no governo Lula.
****
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/2011/08/12/brasil2_0.asp

Recife sem Drogas acontece neste sábado, no Parque Dona Lindu

12.08.2011
Do BLOG DA FOLHA
Postado por Valdecarlos Alves 

Um grande evento, repleto de atividades e atrações para chamar a atenção da sociedade sobre o problema das drogas. Trata-se do “Recife sem Drogas”, que será realizado pela Associação Oásis da Liberdade (AOL), com apoio da Prefeitura do Recife, no próximo sábado, dia 13 de agosto, a partir das 14h, no Parque Dona Lindu.

O evento é gratuito e aberto à comunidade em geral, especialmente os cristãos evangélicos, católicos, entre outros. O Recife sem Drogas é uma atividade que marca a passagem do Dia Municipal de Combate às Drogas, que foi instituído pela Lei Nº 17.442/2008, de autoria do vereador Luiz Eustáquio.

A programação do Recife sem Drogas será iniciado às 14h, com uma exposição de serviços específicos realizados na área de prevenção, tratamento e recuperação de usuários e dependentes de drogas. Nos dez estandes que serão instalados na exposição, o público conhecerá os serviços disponibilizados à sociedade pela Prefeitura do Recife, ONG’s e Polícia Militar.

A partir das 17h, haverá apresentações musicais das crianças da AOL, da Orquestra Criança Cidadã e o show de Kleber Lucas, considerado um dos grandes expoentes da música gospel da atualidade.

Para o presidente de honra da AOL, vereador Luiz Eustáquio, a expectativa é que o evento tenha participação de um grande público, pois o tema é de interesse de todos os segmentos da sociedade. Entre as autoridades convidadas está o prefeito do Recife, João da Costa, secretários e vereadores. “Nosso objetivo é ampliar o debate e apoiar as ações de combate às drogas, pois é preciso tirar as crianças das ruas. Algumas ainda com 7 a 11 anos de idade, que já estão se drogando. Temos que fazer alguma coisa”, disse Luiz Eustáquio.
****

Depoimentos acusam Fátima Pelaes de embolsar parte das emendas do Turismo

12.08.2011
Do DIÁRIO DE PERNAMBUCO
Por Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR
Da Agência O Globo.



Depoimentos de três detidos na Operação Voucher, da Polícia Federal, acusam a deputada Fátima Pelaes (PMDB-AP) de ser beneficiária do esquema de desvio de dinheiro do Ministério do Turismo. A parlamentar é autora das emendas que deram origem aos recursos desviados. As revelações foram feitas na edição desta quinta-feira do “Jornal Nacional”. Na operação, 36 pessoas envolvidas no esquema foram presas e 18 delas continuam detidas.

O nome da deputada foi citado por três pessoas ligadas à Cooperativa de Negócios e Consultoria Turística (Conectur), de Macapá (AP), subcontratada pelo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura (Ibrasi). A Conectur, assim como o Ibrasi, celebrou convênio com o Ministério do Turismo, tendo recebido o valor de R$ 2,5 milhões. Fátima Pelaes destinou R$ 9 milhões de suas emendas ao Ibrasi.

Em depoimento à PF, em Macapá, Hellen Luana Barbosa da Silva, sócia da Conectur, afirmou ter ouvido de Wladimir Furtado, outro dono da suposta empresa, que ele (Furtado) ficaria com 10% dos R$ 2,5 milhões. Fátima Pelaes receberia a maior parte desse dinheiro.

Outro depoente a acusar Fátima Pelaes como principal beneficiária do esquema foi David Lorrann Silva Teixeira. Ele é sobrinho de Wladimir e afirmou ter ouvido do tio que ele (Wladimir) ficaria com 10% e que a deputada receberia R$ 500 mil. Errolflynn de Souza Paixão, vice-presidente da Conectur, também afirmou que ouviu de Wladimir o relato de que o dinheiro apenas entraria na Conectur e seria destinado à parlamentar.

Pelaes nega todas as acusações

Em nota, Pelaes negou todas as acusações e afirmou repudiar o envolvimento de seu nome no esquema de recebimento de recursos ilegais de empresas ou instituições. A deputada colocou seus sigilos bancário, fiscal e telefônico à disposição da PF, disse que as acusações são caluniosas e que irá tomar medidas cabíveis.

Fátima Pelaes havia informado ao GLOBO, anteontem, que escolheu o Ibrasi para destinar emendas após conhecer a entidade por panfletos distribuídos em eventos do Ministério do Turismo. Pelaes teria optado pelo instituto pelo fato de a ONG já ter convênios com a pasta. De acordo com o Portal da Transparência do governo federal, a informação prestada pela assessoria da deputada é falsa. Segundo o Portal, o convênio de R$ 4 milhões bancado por emenda de Fátima foi assinado em dezembro de 2009, no mesmo dia de outro convênio financiado por emendas de comissões do Congresso. O terceiro convênio é de 2010.

Em 13 meses, o Ministério do Turismo liberou R$ 7 milhões dos R$ 9 milhões das emendas da deputada para o Ibrasi. Até a parceria com Fátima Pelaes, o Ibrasi nunca havia realizado trabalho no Amapá. O dinheiro destinado ao instituto foi supostamente desviado do esquema que atuava no ministério e deveria ser utilizado para capacitar pessoas em turismo.

O Ministério Público Federal já pediu a quebra do sigilo bancário dos suspeitos e, ainda ontem, pediria o bloqueio de bens desses envolvidos. O Ibrasi tem, ao todo, três convênios com o ministério, no valor de R$ 17,7 milhões e recebeu, até agora, R$ 13,9 milhões. Fátima Pelaes destinou duas emendas, no total de R$ 9 milhões.

Segundo o Ministério Público, ocorreram contratações de cinco empresas pelo Ibrasi antes mesmo do fim do processo de licitação do ministério. Segundo o “JN”, o relatório do MPF aponta como provas da ilegalidade a substituição de documentos sobre a tomada de preços e a coincidência entre o valor liberado pelo governo e o total pago às empresas.

Fiscalização do Tribunal de Contas da União (TCU) concluiu que as empresas contratadas pelo Ibrasi enviaram seus orçamentos antes de o instituto encaminhar a elas o pedido de cotação de preços. O relatório também aponta como evidência da fraude a utilização de empresas de fachada e a coincidência entre os sócios dessas empresas que receberam antecipadamente por serviços não executados.

O trecho da gravação de um diálogo apresentado ontem no “Jornal Nacional”, segundo o MP, demonstra como empresários combinavam as propostas de preço para participar dos convênios. Em 21 de julho deste ano, o empresário Hugo Leonardo Gomes é abordado por um amigo, identificado como Ricardo, que se diz preocupado com uma visita da PF.
*****
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/politica/nota.asp?materia=20110812093908

TRÂNSITO e MOBILIDADE: Os desafios para fazer a Agamenon do futuro

12.08.2011
Do JORNAL DO COMMÉRCIO
Cidades


Estudo de circulação e projeto das obras ficam prontos em novembro e vão detalhar como tudo será feito


Foto: Luciana Ourique/JC Imagem


Principal corredor viário do Recife deve ganhar quatro viadutos até o fim de 2013


Depois do anúncio da construção de quatro viadutos na Avenida Agamenon Magalhães, feito pelo governador Eduardo Campos na última quarta-feira, vieram à tona questionamentos sobre o desafio de tirar o projeto do papel. O que fazer, durante as obras, com os quase 100 mil veículos que circulam diariamente pelo principal corredor viário do Recife? Como construir elevados em áreas onde a densidade de imóveis é tão alta? Como concluir complexas intervenções a tempo da Copa do Mundo de 2014? Para especialistas na área, os transtornos serão inevitáveis, mas, com um plano adequado, é possível amenizar efeitos nocivos das intervenções.


As perguntas acima deverão ser respondidas após estudo técnico de circulação viária que, assim como o projeto executivo das obras, deve ficar pronto até o fim de novembro. Os elevados que serão construídos entre a Ilha do Leite e o Parque Amorim fazem parte do Programa Estadual de Mobilidade Urbana (Promob) e têm custo estimado entre R$ 180 milhões e R$ 200 milhões. O valor inclui, a princípio, apenas a construção dos elevados, não levando em conta eventuais desapropriações. Os trabalhos na Agamenon têm conclusão prevista para o fim de 2013.


Para o professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Oswaldo Lima Neto, que tem doutorado na área de planejamento de transporte urbano, as obras terão que ser executadas com a maior rapidez possível. “O ideal é que sejam utilizadas as mais modernas técnicas, com o uso de pré-moldados. Devido ao grande fluxo, uma obra da forma tradicional seria inviável. Sempre haverá transtornos, mas existem formas de minimizá-los.” O engenheiro civil Maurício Pina, professor da Universidade Católica de Pernambuco, sugere que as intervenções na via aconteçam de uma só vez. “Como certamente haverá contratempos, seria melhor se a construção dos quatro viadutos fosse feita simultaneamente.” Sobre as alternativas de trajeto durante os serviços, o professor diz não haver muitas opções para fugir da Agamenon. Para Oswaldo Lima Neto, as pessoas vão começar a buscar outras rotas, como acontece hoje em pontos de congestionamento.


Professor da pós-graduação em arquitetura e urbanismo da UFPE e membro do Conselho Diretor da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), César Cavalcanti considera a construção dos viadutos um “grande desafio”. “É um projeto fora do comum. Certamente haverá desgaste na fluidez e a população terá que se sacrificar. Será preciso ter paciência.” Hoje, em horários de pico, a velocidade média na avenida é de 4,5 km/hora.


“Mas estas são medidas paliativas. Com a quantidade absurda de carros que têm chegado às ruas nos últimos tempos, logo mais encontraremos a mesma dificuldades, com ou sem viadutos”, ponderou Cavalcanti. “O caminho para encontrar uma solução definitiva é priorizar o transporte público.”


Sobre a necessidade de desapropriações, o secretário das Cidades, Danilo Cabral acredita que não haverá grandes intervenções, mas ressaltou ser preciso esperar o projeto executivo. “Pode ser necessária, mas deve ser pequena, porque algumas vias, como a Rui Barbosa e a Paissandu, se alargam nas proximidades da Agamenon.” A Associação do Mercado Imobiliário estima que o metro quadrado do imóvel residencial na avenida custe R$ 5 mil e do comercial, R$ 8 mil. O presidente Alexandre Mirinda não aposta na valorização após as mudanças.


De acordo com o engenheiro Rogério Giglio, presidente da Maia Melo Engenharia, empresa que desenvolve o projeto e o plano de circulação, só será possível informar a quantidade de imóveis para desapropriação quando estiver definida a geometria das alças dos elevados. “Usaremos software para simular a circulação de veículos e ter condições de determinar detalhes.”


O mesmo ocorre quanto à forma de execução. Segundo ele, a tendência de a obra ser estaiada se deve ao fato de causar impacto visual positivo e, principalmente, por ser constituída de peças pré-moldadas, o que traria mais rapidez.
*****
Fonte:http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cidades/geral/noticia/2011/08/12/os-desafios-para-fazer-a-agamenon-do-futuro-12735.php

Diário Político,por Marisa Gibson

12.08.2011
Do DIÁRIO DE PERNAMBUCO
Por Marisa Gibson
Diário Político

Cobrindo a retaguarda

Tudo bem que a justificativa foi a adequação do estado para a Copa de 2014, mas o anúncio feito pelo governador Eduardo Campos (PSB) das obras para melhorar a mobilidade na principal avenida do Recife representa uma ajuda importante para o prefeito João da Costa (PT) – considerando que este é um dos seus “calos” mais evidentes. Por outro lado, mostra que o governador não está disposto a esperar pelas iniciativas do aliado petista. Afinal de contas, os quatro viadutos da Agamenon Magalhães bem que poderiam ser fruto de um projeto da Prefeitura do Recife e não do estado, como é o caso da Via Mangue. E quem vai tocar as obras? O secretário das Cidades, Danilo Cabral (PSB), sempre apontado como um dos “coringas” de Eduardo para disputar qualquer cargo majoritário nos próximos anos. E até o dia em que a reeleição de João da Costa for confirmada pela Frente Popular vai pairar uma nuvem de dúvidas sobre o futuro da aliança PSB-PT no Recife. Acontecimentos recentes – como a formação do PSD no estado e as especulações sobre o ingresso do PSDB no governo Eduardo – só reforçam essa interrogação em torno do futuro de João da Costa. Afinal, o PSD vem sendo formado com o aval do governo e o partido já disse que está na oposição ao PT. O mesmo se aplica aos tucanos, que, numa eventual formalização do apoio a Eduardo pretendem deixar a eleição recifense de fora do acordo com o PSB. Enfim, os viadutos anunciados para a Agamenon Magalhães devem melhorar a mobilidade de milhares de recifenses  mas complicam a mobilidade do PT, que está ficando engessado dentro da Frente Popular.

Marca negativa

Da vereadora Priscila Krause (DEM): "A grande surpresa do Programa de Mobilidade do Estado foi a exclusão de uma parceria com a Prefeitura do Recife para construção de viadutos na cidade, que sempre foi uma prerrogativa da URB. A ausência da PCR em ações essencialmente municipais é mais uma marca do prefeito João da Costa (PT)”.

Fechando o cerco

O novo presidente do Grande Recife Consórcio de Transporte, Nelson Menezes, tem dois desafios: concluir, até 2013, as obras de reforma e construção de 10 Terminais Integrados na Região Metropolitana e licitar o Sistema de Transporte Público de Passageiros. Nelson é gente da confiança do secretário das Cidades, Danilo Cabral, tendo trabalhado com ele no TCE e na Secretaria de Educação.

Cutucada em Sarney

JarbasVasconcelos aproveitou seu discurso na sessão do Congresso em homenagem a Itamar Franco para cutucar José Sarney (PMDB), que disse que o Plano Real foi inspirado no seu Plano Cruzado. “Numa tentativa de reescrever a História para salvar biografias, surgiram versões fantasiosas daqueles que querem ‘faturar’ o sucesso do Plano Real. Itamar não precisou prender boi no pasto nem de tabelamento de preços”, ironizou Jarbas.

Programa do PMDB

Além do deputado Raul Henry, as inserções que o PMDB de Pernambuco leva ao ar na próxima segunda-feira terão como estrelas os vereadores recifenses Liberato Costa Júnior e André Ferreira e o ex-presidente da OAB estadual, Jayme Asfora. Todos vão focar problemas da cidade do Recife.

Confiança

José Chaves (PTB) se diz confiante na eleição de Ana Arraes (PSB) para o Tribunal de Contas da União: “O apoio à deputada é uma questão de honra da bancada pernambucana”.

O bicho vai pegar 

Não foi à toa que a presidente Dilma, que já vem sendo chamada de “Collor de saia” por não dialogar com o Congresso, pediu socorro, quarta-feira, ao ex-presidente Lula. diante dos recados da base aliada. O potencial embutido de crise é maior do que se pensa.

*****
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/2011/08/12/politica1_0.asp

67,16% dos estudantes das federais precisam de apoio institucional para se formar, diz relatórioTweet

12.08.2011
Do BLOG DO ONI PRESENTE



O mito de que estudantes das universidades federais são os mais ricos caiu por terra nesta última quarta, 3, após ser divulgado o resultado da pesquisa da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES). De acordo com o relatório, 44% dos estudantes pertencem às classes C, D e E, enquanto que estudantes da classe A totalizam somente 15%, com maior concentração na região Centro-Oeste. 
Com o intuito de mapear a vida social, econômica e cultural dos estudantes de graduação presencial, o “Perfil Socioeconômico e Cultural dos Estudantes de Graduação das Universidades Federais Brasileiras”, desenvolvida de outubro a dezembro 2010, comprovou que atualmente, um contingente de 67,16% necessita de algum tipo de apoio institucional para a sua permanência e conclusão de curso.
A pesquisa é relevante ao passo que atualiza o perfil dos universitários em comparação as duas últimas análises (2003/4 e 1996/7). Aplicado para possibilitar a agilidade da pesquisa, a qualquer tempo, o relatório utilizou o Sistema de Informação do Perfil do Estudante, o SIPE-Brasil. Este que permitiu efetuar levantamentos de dados, cruzamento e mapeamentos em geral de forma online, facilitando a coleta de informações.
Confira alguns dados desta pesquisa:
Trabalho
De acordo com o relatório, mais de um terço dos estudantes, 37,6%, trabalham. O destaque se dá para a região Sul, no qual quase a metade dos estudantes se esforça para trabalhar e atender as exigências da vida universitária. Os estudantes que mais exercem atividade não acadêmica remunerada regularmente são os das classes econômicas C, D e E, que totaliza 37,63%.
Faixa Etária
A pesquisa revelou que 75% dos estudantes universitários são jovens na faixa etária de até 24 anos. No entanto, a maior concentração se dá na faixa de 21 anos de idade. Na região Sudeste este índice sobe para 77,8%, enquanto as regiões Norte e Sul apresentam os menores percentuais, 70,1% e 71.8%, respectivamente.
Estado Civil
86,6% dos universitários são solteiros. Segundo o presidente da Andifes quando a pesquisa foi realizada, professor Edward Brasil (UFGO), essa constatação parece refletir uma mudança de comportamento social que está exigindo, cada vez menos, um casamento formal para que duas pessoas se organizem numa vida conjugal. O relatório também acrescentou perguntas relativas à separação/divórcio e a morte do cônjuge.
Transporte
O transporte coletivo é utilizado por mais da metade dos estudantes para ir à universidade, excetuando a região Centro-Oeste, na qual a maioria dos estudantes utiliza transporte próprio. Nas demais regiões mais da metade dos estudantes fazem uso de transporte coletivo, sendo identificados os índices mais altos nas regiões Norte e Nordeste (64,0% e 61,1%). Além disso, foi observada ao longo das três pesquisas, uma constante elevação no percentual de estudantes que se deslocam a pé, de carona,de bicicleta para a universidade. Este número passou de 14,6% em 1996/7 para 18,63% em 2010.
Raça
Apesar da maioria dos universitários serem de etnia branca (54%), em especial na classe A (74%), o relatório destaca que “o percentual de estudantes de raça/cor/etnia preta” (expressão utilizada na divulgação da pesquisa) aumentou para 8,7% em 2010. Este aumento ocorreu em todas as regiões, com ênfase para a região Norte, que praticamente dobrou o número de estudantes (13,4%), e a região Nordeste, que teve um aumento de 46%.
Esta nova configuração, segundo a pesquisa, se deve, sobretudo, pela institucionalização nos últimos anos das várias políticas de inclusão, em especial das modalidades de ações afirmativas e também do programa de expansão das Universidades Federais. “O aumento do universo de estudantes de raça/cor/etnia preta e parda, majoritariamente nas classes C, D e E, evidencia o importante papel dessas políticas na democratização do acesso à universidade pública” é o que se lê no relatório final. Não obstante, verificou-se uma diminuição da população indígena (0,9%), concentrando-se majoritariamente na classe E, além da diminuição no número dos estudantes considerados amarelos.
Para acompanhar a pesquisa completa acesse
******
Fonte:http://blogdoonipresente.blogspot.com/2011/08/6716-dos-estudantes-das-federais.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+blogspot%2FjENg+%28Oni+Presente%29

Seis mil vagas para professores

12.08.2011
Do DIÁRIO DE PERNAMBUCO
Vida Urbana


Contratos serão válidos por quatro meses e os salários variam de R$ 300 a R$ 800



Docentes darão aulas no projeto Aprender Mais.
Imagem: EDVALDO RODRIGUES/DP/D.A/PRESS
A Secretaria de Educação do Estado (SEE) vai contratar 6.492 professores, de forma temporária, para atuar no projeto Aprender Mais, que vai beneficiar cerca de 100 mil estudantes de 870 escolas estaduais. Os salários ofertados variam de R$ 300 a R$ 800, dependendo do cargo pretendido e da jornada de trabalho semanal. Os interessados podem se inscrever até o dia 20 de agosto no sitewww.educacao.pe.gov.br. A seleção é simplificada, o que significa que os currículos devem ser enviados pela internet para apreciação de uma comissão formada por representantes da SEE. O resultado será divulgado até o dia 2 de setembro.

Os cargos ofertados foram divididos em 95 coordenadores regionais, 870 coordenadores de unidade escolar, 5 técnicos de avaliação e monitoramento escolar, 464 professores polivalentes (com ensino médio completo) e 5.058 professores de língua portuguesa e matemática (com licenciatura). O projeto Aprender Mais vai oferecer aulas de reforço em português e matemática para os estudantes do ensino fundamental (5º e 8º ano) e do 3º ano do ensino médio.

Os professores polivalentes terão uma carga horária de 4 horas aos sábados e vencimento mensal de R$ 400. Os professores de língua portuguesa e matemática cumprem 2 horas também aos sábados e vencimento mensal de R$ 300. Os coordenadores regionais, de unidades escolares, e os técnicos de avaliação e monitoramento têm carga horária de 20 horas/semana, incluindo os sábados e vencimento mensal de R$ 800.

De acordo com a gerente de correção de fluxo da Secretaria de Educação, Ana Selva, a contratação dos novos professores atende a uma política de governo voltada para a melhoria dos índices educacionais do estado. “O Aprender Mais está em consonância com a Lei de Diretrizes e Bases, que estabelece como dever garantir padrões de qualidade de ensino”.

****
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/2011/08/12/vidaurbana9_0.asp

MAS QUEM É ESSA TAL "BASE ALIADA"?

12.08.2011
Do blog ANAIS POLÍTICOS




Tem umas coisas na política que se você não prestar atenção, passam despercebidas.

Uma delas é o trololó da imprensa e da oposição, sobre a corrupção.

E por que trololó? Ora, porque do jeito que falam, até parece que esses ilustres deputados e senadores nasceram uns do lado do PT e outros do lado do PSDB, e nunca mudaram de lado.

Outro dia você ouviu dizer que o irmão do Senador Romero Jucá, líder do Governo no Senado, foi pego com a mão no jarro. A tucanada lascou o pau.

Ora, se esqueceram que Jucá foi líder de FHC no Senado, também?

Esqueceram, claro. Era a coisa mais sem vergonha do mundo. No dia seguinte que acabou a tucanolândia federal, Jucá saiu do PSDB e foi pro PMDB ficar do ladinho do governo.

Quem é a tal "base aliada" que está irritada com a faxina promovida por Dilma, Gleisi e Ideli? Em geral, é composta de ex-integrantes de outros partidos que, sedentos por estarem do lado de quem tem a caneta, pularam rapidinho de palanque. Demos e tucanos se fazem de vestais, mas não conseguiram evitar a revoada de infiéis que deixaram suas legendas para ir para o tal PSD do Kassab. Esse partido também faria parte da base aliada do Governo Federal, com vistas às próximas eleições.

Dureza para os infiéis é que o PSD corre o risco de não sair do papel por irregularidades. Quero ver como vai ficar a cara dos que abandonaram o barco e saíram atirando. Com que cara voltarão?

Nomes conhecidos e "respeitados" da direita migraram rapidinho para o centro quando notaram que não vai rolar por um bom tempo um novo governo da turma da privataria. Como não largam o osso, deixaram pra trás seus velhos aliados e sua tosca ideologia.

Seria conveniente relembrarmos para a mídia e para os deputados e senadores, que não somos assim tão desinformados a respeito de tudo, como eles imaginam.

Não tem muito cabimento Álvaro Dias, ACM Neto e similares posarem no Jornal Nacional dia sim e outro também falando de algo que é pura ficção na terra brasilis. Políticos com vergonha na cara e com no mínimo, fidelidade partidária.

Clique aqui para saber do tal filho de FHC, que não é mais dele.
Clique aqui para saber que Serra pode ter consultoria, mas Palocci não pode.
Clique aqui para ver o descompasso entre o que a Globo fala, e o que ela faz.

****
Fonte:http://anaispoliticos.blogspot.com/2011/08/mas-quem-e-ess-tal-base-aliada.html

Movimentos fazem ato em defesa da Banda Larga

12.08.2011
Do blog de Rodrigo Vianna, Escrevinhador
Por Juliana Sada


Os rumos que o Plano Nacional de Banda Larga está tomando desagradam diversos movimentos sociais. De acordo com as organizações, os contratos fechados com as empresas de telecomunicações não atendem a uma série de itens considerados essenciais para a expansão do acesso à internet pela população.

Para marcar sua insatisfação, os movimentos realizarão um protesto, nesta segunda feira em São Paulo. 

Convocado pela Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS), o ato vai reafirmar que as organizações querem banda larga de qualidade, barata e para todos.

O ato será segunda-feira (15) às 19h, no Sindicato dos Engenheiros (rua Genebra, 25. Próximo ao Metrô Anhangabaú).

Abaixo a íntegra do manifesto, publicado no site da CUT:

Banda larga é um direito seu!  Por uma internet rápida e de qualidade para todos e todas

Sem controle de tarifas, continuidade ou metas de universalização para o acesso à internet, o acordo fechado pelo Ministério das Comunicações com as empresas de telecomunicações vai na contramão da democratização dos serviços.

Os ‘termos de compromisso’ assinados são completamente insuficientes para os usuários que continuarão pagando caro pelo uso de uma internet lenta e concentrada nas faixas de maior poder aquisitivo.

Além de inaceitável, o acordo com as teles representa a negação do próprio Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) e das diretrizes aprovadas na Conferência Nacional de Comunicação (Confecom), que apontavam para um maior protagonismo do Estado e para o fortalecimento da Telebrás, essenciais para fazer da internet um direito de todos, e não privilégio de alguns. Afinal, mais do que lazer e diversão, a internet é um instrumento fundamental para o desenvolvimento nacional e a inclusão social.

Venha lutar conosco por uma banda larga de qualidade e para todos e todas, prestada em serviço público, com expansão constante das redes e universalização progressiva.

O que está em jogo são os direitos, o presente e o futuro do povo brasileiro.
Junte-se a nós!


Leia outros textos de Plenos Poderes


****

O extermínio negro direto e indireto como parte do projeto de poder no Brasil

12.08.2011
Do blog CONVERSA DE FEIRA
Por Radioagência NP
Postado por , editor do blog



Funcionário em serviço espancado pela polícia maranhense

Em maio de 2011 o governo federal definiu o limite da miséria - renda de até R$ 70 por mês - e divulgou que 16,2 de pessoas se encaixam nele. 

Uma semana depois, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou a cor ou raça declarada deste grupo de pessoas. 

De acordo com os dados, 4,2 milhões dos brasileiros pobres se declararam brancos e 11,5 milhões pardos ou pretos - isso significa que o número de pobres negros é 2,7 vezes o número de pobres brancos.

Não bastassem as mazelas sociais que afligem historicamente a população negra por meio do subemprego, do desemprego, da falta de moradia, da falta de oportunidades e do desumano e permanente preconceito e discriminação racial em todo e qualquer ambiente social, percebe-se a vigência de um projeto de extermínio da população negra, por parte do Estado brasileiro.

O Estado e suas polícias mantêm uma atuação coercitiva, preconceituosa e violenta dirigida a população negra. Desrespeito, agressões, espancamentos, torturas e assassinatos.

Em julho de 2009 a Secretaria Especial dos Direitos Humanos, UNICEF e o Observatório de Favelas divulgam resultados de sua pesquisa, e os dados são estarrecedores: 33,5 mil jovens serão executados no Brasil no curto período de 2006 a 2012. Os estudos apontam que os jovens negros têm risco quase três vezes maior de serem executados em comparação aos brancos.

Gerô, assassinado pela polícia maranhense
Conforme o “Mapa da Violência 2011: os jovens do Brasil”, em 2002, em cada grupo de 100 mil negros, 30 foram assassinados. Esse número saltou para 33,6 em 2008; enquanto entre os brancos, o número de mortos por homicídio, que era de 20,6 por 100 mil, caiu para 15,9. Em 2002, morriam proporcionalmente 46% mais negros que brancos. Esse percentual cresce de forma preocupante uma vez que salta de 67% para 103%.

O último grave acontecimento foi a do desaparecimento do menino negro Juan Moraes, morto aos 11 anos pela polícia do Rio de Janeiro. O genocídio negro já é admitido por parte da imprensa nacional, a exemplo do jornal Correio Brasiliense, que após cruzar dados de mortalidade por força policial do Ministério da Saúde e das ocorrências registradas nas secretarias de Segurança Pública do Rio de Janeiro e São Paulo, revelou que uma pessoa é morta no Brasil pela polícia a cada cinco horas e que 141 assassinatos são realizados por agentes do Estado a cada mês. 

Soma-se a esse quadro, a ação genocida indiretamente promovida através do encarceramento em massa de jovens e adultos em internatos, fundações, institutos de recuperação, cadeias, penitenciárias e presídios. Espaços onde a tortura e o completo desrespeito aos direitos humanos são rotina. A subserviência e a aliança entre grupos políticos e empresários junto ao tráfico internacional de drogas e o consequente mercado ao mesmo tempo fascina pelo “ganho” fácil, coopta e vitimiza a juventude. 

Pesquisas e estudos demonstram no campo da formalidade o que vivenciamos no dia a dia de nossas comunidades. Presenciamos um momento de ofensiva de opressões por parte do Estado Brasileiro que por sua vez, enxerga na população empobrecida, em especial na juventude negra, seu principal inimigo.

Garoto Juan assassinado pela polícia carioca
Aos movimentos populares cabe a permanente denúncia e a teimosia em organizar a população para a resistência e ação. A UNEafro-Brasil soma-se a esse esforço no cotidiano de sua atuação nos Cursinhos Comunitários e nos Núcleos de Cultura. 

Assumimos o desafio de, devagar e sempre, fomentar uma nova mentalidade, crítica, questionadora e sedenta por transformações, elementos tão necessários para a organização da classe trabalhadora e para a nossa vitória.

Professor de história e integrante do conselho geral da União de Núcleos de Educação Popular para Negros e Classe Trabalhadora (Uneafro).

Fotos postadas pelo blog.

*****
Fonte:http://conversadefeira.blogspot.com/2011/08/o-exterminio-negro-direto-e-indireto.html

Metrópoles da América Latina podem virar entrave ao crescimento, diz relatório

12.08.2011
Do site da BBC BRASIL


Trânsito é apontado como um dos principais problemas das grandes cidades da América Latina


Um relatório da consultoria McKinsey diz que as megalópoles latino-americanas, como Rio e São Paulo, precisam entrar em um caminho de desenvolvimento sustentável se não quiserem se tornar um entrave para o desenvolvimento da região.


Antes apontadas como uma fonte de dinamismo econômico, hoje as megacidaes do continente podem perder sua majestade de "dínamo" se não investirem em planejamento urbano, defende o relatório, Construindo cidades globalmente competitivas: a chave para o crescimento latino-americano.


Rio e São Paulo, as duas metrópoles brasileiras, são citadas como exemplos de localidades que até 1970 costumavam crescer mais do que a média nacional e, atualmente, passam longe desse índice.


"As bases institucionais, sociais e ambientais dessas cidades não acompanharam o ritmo de crescimento populacional", e como consequência elas hoje são "congestionadas, mal planejadas e perigosas".


A América Latina é a região emergente mais urbanizada do planeta. Quase 80% da população do continente vive em cidades, e esse percentual deve aumentar para 84% até 2025, cita o relatório.


As 198 maiores cidades da região respondem, juntas, por 60% do PIB regional, sendo que metade deste desempenho se deve às dez maiores.


"A América Latina já se beneficiou da grande fatia dos ganhos fáceis trazida pelas populações urbanas em expansão. Hoje, a maioria das grandes cidades da América Latina se debate com trânsitos congestionados, deficits habitacionais e poluição, todos eles sintomas da deseconomia de escala", afirma o documento.


"Para que as maiores cidades da região possam sustentar seu crescimento, elas precisam ser capazes de abordar os desafios não apenas do desempenho econômico, mas também das condições sociais vividas por seus cidadãos, do uso sustentável de recursos e da solidez de suas finanças e governança."


Se comparada com outras metrópoles mundiais, avalia o relatório, as da América Latina sofrem mais gravemente de problemas como falta de moradia, educação e sistema de saúde precários, além da ineficiência na distribuição energética e no manejo do lixo.


Qualidade de vida


O relatório define as grandes cidades como aquelas com população acima de 200 mil habitantes. Nesta categoria estão 198 cidades da região.


"Bases institucionais, sociais e ambientais dessas cidades não acompanharam o ritmo de crescimento populacional, tornando-as congestionadas, mal planejadas e perigosas"
Dentro deste grupo estão as quatro megacidades com população acima de 10 milhões de habitantes - Rio, São Paulo, Buenos Aires e Cidade do México.


Os analistas creem que é no grupo intermediário onde se nota mais dinanismo. Neste grupo estão urbes de médio porte como Curitiba, Florianópolis, Mérida (no México) e Medelín (na Colômbia).


McKinsey prevê que nos próximos 15 anos essas cidades cresçam acima das médias nacionais, diferentemente das 10 metrópoles regionais, que no momento estão exacerbando os problemas nacionais, em vez de mitigá-los. A exceção é feita ao Rio de Janeiro, que vai ter grandes investimentos por causa do pré-sal e da Copa e Olimpíada.


Para reverter esse quadro, é precisa investir em planejamento urbano. Apneas para lidar com a falta de moradia, a região precisar de US$ 3 trilhões até 2025.


Além da moradia, o transporte é o outro problema crucial a ser resolvido. Curitiba é citada como exemplo de sucesso nessa área, por ter conseguido tornar 54% das viagens feitas na cidades em transporte público e não em veículos particulares.


Apesar disso, segundo o relatório, é preciso fazer mais diante do crescimento do número de veículos particulares nos próximos 15 anos. As principais sugestões vêm de exemplos na Ásia e Europa, onde se investiu de parcerias com o setor privado e, apesar de caro, no metrô.
****
Fonte:http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2011/08/110812_relatorio_cidades_pu.shtml