quinta-feira, 11 de agosto de 2011

INSIDE JOB: Entendendo as origens da crise econômica mundial

11.08.2011
Do blog ACERTOS DE CONTAS,08.08.11
Por  Marco Bahé




Muito importante ver (ou rever) o documentário Inside Job – porcamente traduzido para o português como Trabalho Interno – neste momento em que novos dias difíceis se desenham na economia mundial. Na verdade, a crise que se apresenta não é nova, apenas o desdobramento do crash de 2008 envolvendo a bolha imobiliária estadunidense e seus títulos subprime.


O documentário, muito bem dirigido pelo empresário e matemático Charles Ferguson, mostra a origem do problema lá trás, ainda no governo de Ronald Reagan, com a desregulamentação do setor financeiro, envolvendo bancos, seguradoras e agências de rating. Mostra como os lobistas se infiltraram no aparato estatal do governo ianque e vêm se mantendo até hoje, com os mesmos nomes fazendo rodízio nos cargos das gestões Reagan, Clinton, Bush e Obama.


Ferguson desmascara vários desses sujeitos olho-no-olho, em entrevistas constrangedoras (para eles, claro). E também expõe a promiscuidade dos “cérebros” das principais universidades dos EUA, que deram verniz acadêmico às lambanças ao mesmo tempo em que eram bem remunerados por artigos, palestras e “consultorias”.


Milhões de pessoas no mundo todo perderam suas poupanças e seus emprego. Muitas outras ainda perderão. Enquanto esses vigaristas ganharam bilhões em bônus.
Enfim, um filme brilhante. Recomendo.
****
Fonte:http://acertodecontas.blog.br/economia/entendendo-as-origens-da-crise-economica-mundial/

Governador tucano é alvo de CPI que pede contra o governo

11.08.2011
Do blog CONVERSA AFIADA
Por Paulo Henrique Amorim



Defensor de uma CPI da Corrupção, Anastasia enfrenta a mesma tentativa de parlamentares adversários
Saiu na Carta Maior:

Governador tucano de Minas é alvo de CPI que defende contra Dilma

Defensor de uma CPI da Corrupção contra Dilma Rousseff, Antonio Anastasia (PSDB) enfrenta a mesma tentativa de parlamentares adversários de investigar fraudes em diversas áreas do governo de Minas. Para opositores, tucano repartiu cargos entre partidos aliados. Anastasia possui secretário com bens bloqueados, outro que dirigriu o DNIT, além de ter nomeado para conselho de estatal mineira um ex-senador do Amapá e um ex-prefeito de Cuiabá (MT).


André Barrocal


BRASÍLIA – Os partidos adversários da presidenta Dilma Rousseff decidiram nesta quinta-feira (11/08) caçar assinaturas de parlamentares para criar uma grande CPI da Corrupção contra o governo. A ideia tem um adepto ilustre, o governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB), que a defendeu em uma entrevista também nesta quinta-feira.


O tucano está tendo de enfrentar, no entanto, uma tentativa igual por parte de rivais na Assembléia Legislativa. Para eles, Minas pratica a mesma repartição de cargos que os inimigos de Dilma condenam como responsável pela corrupção que querem apurar via CPI. E a consequência do “loteamento” também seriam ilegalidades.


A criação de uma CPI para investigar irregularidades de autoridades mineiras em áreas diferentes foi proposta em junho pelos opositores de Anastasia. Eles querem botar lupa em casos que vão de supostas fraudes na concessão de área pública para construção de um hotel e na compra de medicamentos. Passam por ilegalidades em obras do estádio Mineirão. E chegam ao repasse de recursos para uma rádio da irmã do antecessor de Anastasia, o senador Aécio Neves (PSDB-MG).


“Esse apetite do PSDB por CPIs em Brasília não se repete aqui em Minas”, afirma o ex-líder dos adversários de Anastasia na Assembléia, deputado Sávio Souza Cruz (PMDB). Para ele, o suposto loteamento de cargos visto em Brasília seria “muito pior” em Minas.


Um exemplo de “loteamento” que teria terminado em irregularidade tem como protagonista o secretário Extraordinário de Regularização Fundiária, Manoel Costa. Ele é suspeito de fraude com terras públicas e está com bens bloqueados pela Justiça. A secretaria de Costa não existia antes de Anastasia. Para os inimigos do governador, foi criada só para acomodar o PDT, partido Costa.


O secretariado de Anastasia conta ainda um ex-dirigente do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (DNIT), tornado sinônimo de fraudes nos últimos tempos e um dos alvos do pedido de CPI da Corrupção em Brasília.


Trata-se do deputado federal licenciado Alexandre da Silveira, do PPS, partido aliado do PSDB em Brasília e Minas. Silveira foi diretor-geral do DNIT entre 2004 e 2005, sob as ordens do ex-ministro dos Transportes Alfredo Nascimento, demitido na recente “faxina” promovida pela presidenta.


Em 2006, o Tribunal de Contas da União (TCU) determinou que Silveira devolvesse parte de um pagamento superfaturado que teria ocorrido na gestão dele no Dnit relativo a uma obra rodoviária em Rondônia.


A secretaria comandada por Silveira – Gestão Metropolitana – também não existia antes de Anastasia. No total, o governador criou seis secretarias, entre permanentes e extraordinárias. “Todas foram rateadas entre partidos da base aliada do governador”, diz o líder do PT na Assembléia, Rogério Correia.


Com cerca de 15 partidos, a base do tucano em Minas é quase tão ampla quanto ade Dilma em Brasília. “A lógica que preside a montagem do governo Anastasia não é administrativa, é da candidatura do Aécio”, afirma Sávio Souza Cruz, referindo-se ao sonho presidencial do senador tucano.


Um outro exemplo desta “lógica” seria a nomeação do ex-senador Papaléo Paes, que é tucano mas do longínquo estado do Amapá, para ser conselheiro da estatal mineira de energia, a Cemig. Teria sido uma costura de Aécio para agradar um potencial cabo eleitoral em 2014.


A Cemig ajudou a abrigar um outro potencial pedidor de votos para Aécio, o ex-prefeito de Cuiabá Wilson Santos. Ele é igualmente tucano, pertence a um estado do Centro-Oeste, e foi indicado pela estatal mineira para ser conselheiro de uma empresa controlada pela Cemig no Rio de Janeiro.


******
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/politica/2011/08/11/governador-tucano-e-alvo-de-cpi-que-pede-contra-o-governo/

Clarice Copetti, “presa” pelo Jornal Nacional: Foi mais que um erro

11.08.2011
Do blog de Luiz Carlos Azenha
Por Felipe Prestes, do Sul 21


‘Foi mais que erro’, diz ex-diretora da Caixa ‘presa’ pelo Jornal Nacional

Às 18h10min desta terça-feira (9), Clarice Coppetti estava chegando em casa, após passar a tarde preparando uma palestra, quando recebeu a ligação de um parente desesperado. Ficou sem entender nada quando o familiar quis saber sobre sua prisão, uma vez que se encontrava em plena liberdade.  Minutos mais tarde se inteirou de tudo. Por volta das 17h, uma chamada para o Jornal Nacional, da Rede Globo, anunciara a prisão da ex-vice-presidente de TI da Caixa pela Polícia Federal, que investigava irregularidades no Ministério do Turismo. A esta altura, jornalistas já telefonavam freneticamente, querendo saber sobre seu suposto envolvimento no caso de corrupção.
“Um veículo de comunicação me colocou como ré, me julgou, fazendo o papel do Judiciário, e me prendeu, fazendo o papel do Executivo. Ou seja, assumiu as funções do Estado brasileiro sem sequer procurar se informar sobre quem eu era, se eu tinha algo a ver com o Ministério do Turismo”, desabafa Coppetti, gaúcha de Ijuí, em entrevista ao Sul21.
Após assistir uma gravação da chamada, a ex-diretora da Caixa ligou para diversas instituições do governo e para a Rede Globo, tentando saber de onde partia a informação. Conversou com editores do Jornal Nacional e, segundo conta, nem eles souberam explicar como haviam anunciado a falsa prisão. “Disseram que foi um erro gravíssimo e que não sabiam a origem. Disse a eles que não queria apenas o esclarecimento do fato no jornal, mas uma retratação”, afirma.
O pedido foi atendido. Durante o JN, a Rede Globo pediu desculpas a Coppetti. Entretanto, ninguém explicou ainda como a informação errada chegou até os editores do jornal. “Até agora não tem nenhum explicação sobre como meu nome apareceu lá”, diz Clarice, que ainda analisa uma eventual medida judicial contra a emissora.
A ex-diretora da Caixa lembra que a Rede Globo anunciou nesta semana um código de ética. “Foi muito mais do que um erro, uma coisa gravíssima para uma instituição que acaba de lançar seu código de ética e de conduta de seus profissionais. A primeira coisa que qualquer veículo de comunicação tem que fazer é contatar o outro lado. Eu fui avisada por meus familiares”, reclama Clarice. “A gravidade é um veículo que tem à sua disposição tecnologia, pessoas, não ter feito esta checagem. A sensação que eu fiquei foi que eles queriam dar essa notícia”. Ela afirma que ainda não sabe se vai tomar alguma medida judicial contra a emissora, porque ainda está analisando o que, de fato, ocorreu.

*****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/denuncias/clarice-copetti-presa-pelo-jornal-nacional-foi-mais-que-um-erro.html

PF já prendeu quase 400 corruptores, mais que o dobro de corruptos

11.08.2011
Do site da Revista Carta Maior,10.08.11
Por André Barrocal

Operações da Polícia Federal (PF) em 2011 já levaram à cadeia 392 empresários e seus comparsas por corrupção ativa e participação em esquemas de desvio de dinheiro estatal. Nas mesmas ações, foram algemados 143 funcionários públicos. Última leva de detenções, feita nesta terça-feira, desbaratou fraude no ministério do Turismo, prendeu número dois da pasta e pode custar problemas políticos à presidenta Dilma Rousseff.

BRASÍLIA – A Polícia Federal (PF) prendeu, de janeiro a agosto, 392 corruptores, entre empresários, seus intermediários e laranjas, todos por montagem de esquemas de desvio de dinheiro estatal ou aliciamento de funcionários públicos em troca de favorecimento em licitações, por exemplo. A quantidade de corruptores algemados, segundo dados da própria PF, é mais do que o dobro de servidores detidos (143) nas mesmas 27 operações. 

A última leva de corruptores (29) foi encarcerada nesta terça-feira (09/08), durante operação que prendeu o número dois do ministério do Turismo e pode causar problemas políticos à presidenta Dilma Rousseff. Este e outros casos de corrupção envolvendo pessoas ligadas a partidos devem ser discutidos por Dilma com dirigentes aliados nesta quarta-feira (10/08).

A nova operação da PF, batizada de Voucher, desbaratou esquema operado a partir do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável (Ibrasi). Sediada em São Paulo, a entidade assinou com o ministério do Turismo, em 2009, convênio de R$ 4,4 milhões para treinar trabalhadores no Amapá. Segundo a PF, o Ibrasi recebeu R$ 4 milhões e teria desviado cerca de um terço, em vez de destinar à qualificação de trabalhadores. 

“O Ibrasi criou um esquema e fraudava licitações”, disse o diretor-executivo da PF, Paulo de Tarso Teixeira. “Tem empresários envolvidos”, completou o delegado, relatando que foram apreendidos R$ 610 mil em dinheiro vivo na casa do dirigente principal do Ibrasi, em São Paulo.

Impacto político
A operação começou em abril, a partir de um comunicado feito à PF pelo Tribunal de Contas da União (TCU). Em três processos em curso no TCU, foram identificados indícios de irregularidades. A origem delas seriam “emendas parlamentares”, dinheiro separado no orçamento de órgões públicos a pedido de um deputado ou um senador. O convênio com o Ibrasi seria objeto de uma emenda ao caixa do ministério do Turismo.

O ministério informou que, nesta quarta-feira (10/08), vai publicar no Diário Oficial da União portaria que impõe uma auditoria a todos os convênios com prestação de contas pendentes e a suspensão da assinatura de novos convênios. E que pediu à Controladoria Geral da União que abra processos para apurar o envolvimento de servidores nos desvios.

A PF prendeu seis funcionários públicos, entre eles, o secretário-executivo do ministério, Frederico Silva Costa, e o secretário nacional de Desenvolvimento de Programas de Turismo, Colbert Martins. Os dois foram nomeados pelo ministro Pedro Novais, que foi indicado para o cargo pelo presidente do Senado, José Sarney (PMDB). Sarney é eleito pelo Amapá, onde deveria ter havido treinamento de trabalhadores com dinheiro público desviado.

Também foi encarcerado o ex-presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), Mário Moysés. Ele deixou o cargo em junho para ser substituído pelo deputado federal Flavio Dino (PcdoB-MA), que é inimigo da família Sarney no Maranhão e foi escolhido por Dilma Rousseff. 

Moysés era chefe de gabinete do ministério na época em que o convênio com o Ibrasi foi celebrado. Foi levado à pasta pela ex-ministra Marta Suplicy (PT).

Para a ministra-chefe da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência, Ideli Salvatti, que é encarregada da coordenação política do governo, por ora, não há nada contra o ministro Pedro Novais, já que a origem da operação da PF é um convênio anterior à nomeação do peemedebista. 

Ela disse que é preciso esperar a conclusão das investigação da PF, que promete fazê-lo em duas semanas. “Vamos aguardar. Quem cometeu qualquer ato ilegal deverá ser punido, por isso nós estamos acompanhando a investigação”, disse.

Apesar da implicação de políticos e servidores graúdos, o delegado Paulo de Tarso disse que a Presidência não foi previamente comunicada da operação.


****
Fonte:http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=18213

Mulher Negra pode ocupar vaga no Supremo

11.08.2011
Do portal VERMELHO
Por Edson França*

Apesar do apoio de petistas a Maria Elizabeth Rocha, ministra do Superior Tribunal Militar, torná-la uma das favoritas para posto, Dilma será consequente com sua decisão de fortalecer as mulheres se perceber que entre elas existem as negras.


A sucessão da ministra do STF (Supremo Tribunal Federal) Ellen Gracie pode ter surpresa se Dilma Rousself manter firme sua determinação de promover mulheres aos espaços de poder. Segundo a Folha de São Paulo há sete mulheres na disputa desse importante cargo: Maria Elizabeth Rocha, Ministra do Superior Tribunal Militar, indicada por Lula, atualmente conta com apoio de José Dirceu e do ministro Toffili. 

Sylvia Steiner, juíza do Tribunal Penal Internacional, com sede em Haia - Holanda, o mandato encerra em 2012, é público a intenção da ministra Ellen Gracie ocupar esse cargo após sua aposentadoria. Sylvia Steiner conta com apoio dos ministros Cezar Peluso, presidente do STF, e Ricardo Lewandowski.

Flávia Piovesan, da Procuradoria do Estado e da PUC-SP, com forte atuação na área de direitos humanos, conta com o apoio do ministro da justiça José Eduardo Cardoso e de setores do movimento de direitos humanos e movimentos sociais. Trata-se de uma jurista com profundo compromisso com as ações afirmativas para mulheres, negras e negros.

Duas potenciais candidatas vêm do STJ (Superior Tribunal de Justiça), caminho natural para o STF, Fátima Nancy Andrighi e Maria Thereza Rocha Moura, a segunda conta com a simpatia do ex-ministro da justiça no governo Lula, Marcio Tomaz Bastos. Outra candidata é Eunice Carvalhido, muito conhecida entre os juristas em Brasília, esposa do ministro aposentado do STJ, Hamilton Carvalhido, está no páreo, pode vir a ser a ocupante da vaga deixada do Ellen Gracie. 

A grande surpresa será a escolha da desembargadora Neuza Maria Alves da Silva. Primeira desembargadora negra do Brasil, baiana, tem o apoio do governador Jaques Wagner (PT) e certamente de todo o movimento negro brasileiro. Apesar do apoio de petistas a Maria Elizabeth Rocha, ministra do Superior Tribunal Militar, torná-la uma das favoritas para posto, no universo de nomes colocados, Dilma será conseqüente com sua decisão de fortalecer as mulheres se perceber que entre elas existem as negras, ou seja, imitar Lula é fácil, o desafio atual é de avançar. 

O Brasil conseguirá fincar firmes estacas contra o racismo na medida em que compreende que as mulheres negras acumulam graves desvantagens econômicas e sociais, fato que incide negativamente na qualidade de vida, auto-estima, perspectiva de futuro de mais de 25% da população brasileira. 

A presença de uma negra na mais alta corte da nação enseja um gesto importante, de alto valor simbólico para a população negra brasileira, especialmente, às meninas e jovens negras ávidas de exemplos de conquistas de mulheres com os mesmo traços fenotípicos de suas, avós, mães e tias. Está na hora do movimento negro manifestar-se.



*
Historiador e Coordenador Geral da Unegro


*****
Fonte:http://www.vermelho.org.br/coluna.php?id_coluna_texto=4185&id_coluna=15

Deputados do PT querem que Globo peça desculpas

11.08.2011
Do blog de Luiz Carlos Azenha
Do deputado Paulo Pimenta, via e-mail


TV Globo é criticada por acusações equivocadas

Os deputados Paulo Teixeira (PT-SP), líder da bancada, e Paulo Pimenta (PT-RS) manifestaram solidariedade em plenário à ex-vice-presidente de Tecnologia da Informação da Caixa Econômica Federal, Clarice Coppetti, citada ontem de maneira “açodada e irresponsável , pela TV Globo, de que estaria envolvida em escândalo em curso no ministério do Turismo”, denunciou Paulo Pimenta.
“Ela não tem qualquer envolvimento. E eu creio que a Rede Globo deve pedir desculpas a ela, já que foi um equívoco da emissora, mas, nesse caso, gerando um dano enorme a essa mulher”, ressaltou Paulo Teixeira.
Na avaliação de Paulo Pimenta, a atitude da TV Globo foi extremamente grave. “Clarice Coppetti jamais teve qualquer vínculo com o Ministério do Turismo, não tem nada a ver com esse episódio. Isso é uma brutal violência porque a Rede Globo informou ao Brasil a prisão de um inocente, que não tem nenhum envolvimento com o episódio, reconhecida pela sua seriedade, honestidade”, reiterou o parlamentar.
 

*******
Fonte:http://www.viomundo.com.br/denuncias/deputado-do-pt-querem-que-globo-peca-desculpas.html

A falsa prisão da ex-diretora da Caixa na Globo

11.08.2011
Do blog ONI PRESENTE
Do Sul 21

Por Felipe Prestes


“Foi mais que um erro”, diz ex-diretora da Caixa que teve falsa prisão anunciada na Globo

Às 18h10min desta terça-feira (9), Clarice Coppetti estava chegando em casa, após passar a tarde preparando uma palestra, quando recebeu a ligação de um parente desesperado. Ficou sem entender nada quando o familiar quis saber sobre sua prisão, uma vez que se encontrava em plena liberdade. Minutos mais tarde se inteirou de tudo. Por volta das 17h, uma chamada para o Jornal Nacional, da Rede Globo, anunciara a prisão da ex-vice-presidente de TI da Caixa pela Polícia Federal, que investigava irregularidades no Ministério do Turismo. A esta altura, jornalistas já telefonavam freneticamente, querendo saber sobre seu suposto envolvimento no caso de corrupção.

“Um veículo de comunicação me colocou como ré, me julgou, fazendo o papel do Judiciário, e me prendeu, fazendo o papel do Executivo. Ou seja, assumiu as funções do Estado brasileiro sem sequer procurar se informar sobre quem eu era, se eu tinha algo a ver com o Ministério do Turismo”, desabafa Coppetti, gaúcha de Ijuí, em entrevista ao Sul21.

Após assistir uma gravação da chamada, a ex-diretora da Caixa – que ainda está de quarentena e que não trabalha para o governo federal desde março – ligou para diversas instituições do governo e para a Rede Globo, tentando saber de onde partia a informação. Conversou com editores do Jornal Nacional e, segundo conta, nem eles souberam explicar como haviam anunciado a falsa prisão. “Disseram que foi um erro gravíssimo e que não sabiam a origem. Disse a eles que não queria apenas o esclarecimento do fato no jornal, mas uma retratação”, afirma.

O pedido foi atendido. Durante o JN, a Rede Globo pediu desculpas a Coppetti. Entretanto, ninguém explicou ainda como a informação errada chegou até os editores do jornal. “Até agora não tem nenhum explicação sobre como meu nome apareceu lá”, diz Clarice, que ainda analisa uma eventual medida judicial contra a emissora.

A ex-diretora da Caixa lembra que a Rede Globo anunciou nesta semana um código de ética. “Foi muito mais do que um erro, uma coisa gravíssima para uma instituição que acaba de lançar seu código de ética e de conduta de seus profissionais. A primeira coisa que qualquer veículo de comunicação tem que fazer é contatar o outro lado. Eu fui avisada por meus familiares”, reclama Clarice. “A gravidade é um veículo que tem à sua disposição tecnologia, pessoas, não ter feito esta checagem. A sensação que eu fiquei foi que eles queriam dar essa notícia”. Ela afirma que ainda não sabe se vai tomar alguma medida judicial contra a emissora, porque ainda está analisando o que, de fato, ocorreu.

Clique aqui para ler ““Princípios” da Globo chegam ao fim”.

****
Fonte:http://blogdoonipresente.blogspot.com/2011/08/falsa-prisao-da-ex-diretora-da-caixa-na.html

Mobilidade Urbana:Corredores exclusivos para ônibus

11.08.2011
Do DIÁRIO DE PERNAMBUCO
Vida Urbana


Governo lançou editais para construção do sistema que interligará Norte a Sul, Leste a Oeste em linha rápida



Governador conheceu veículo que
poderá ser adotado. Imagem: CECILIA
DE SA PEREIRA/DP/D.A PRESS
As contas estão feitas. Se não houver questionamentos na Justiça durante o processo licitatório, a expectativa do governo do estado é iniciar as obras dos corredores Norte-Sul e Leste-Oeste e do Ramal Cidade da Copa em novembro ou, no máximo, dezembro deste ano. Os editais para os serviços, assinados ontem pelo governador Eduardo Campos (PSB), serão publicados hoje no Diário Oficial. Os três eixos, previstos no Programa Estadual de Mobilidade (Promob), representam mais da metade dos 100 km de corredores exclusivos de transporte coletivo para a Região Metropolitana. Serão 52 km de corredores para um sistema onde duas ou três linhas costumam circular.

No máximo, adiantou o governador, os corredores Norte-Sul e Leste-Oeste começarão a funcionar nos primeiros meses de 2014. O mesmo, embora não tenham sido lançados os editais, planeja-se para os corredores da Avenida Norte e da BR-101. Enquanto os três editais lançados totalizam R$ 476 milhões, os outros dois somam R$ 658 milhões. A requalificação da BR-101 é a mais cara. Está orçada em R$ 458 milhões. A rodovia deve ganhar pistas exclusivas para ônibus no centro e um elevado entre a Avenida Caxangá e a Ceasa. A licitação do projeto da Avenida Norte, esclareceu o secretário das Cidades, Danilo Cabral, será definida no próximo mês após o governo federal anunciar os projetos escolhidos para receber recursos do PAC da Mobilidade. As intervenções na Avenida Norte estão orçadas em R$ 200 milhões.

Os investimentos nesses corredores têm como primeiro destino atender a demanda da Copa do Mundo, a qual, seguindo exigências da Fifa, requer um bom sistema de transporte público. O BRT, modal selecionado para o Norte-Sul e Leste-Oeste, prevê que as estações sejam em nível. Isso facilitará o embarque e desembarque dos passageiros, que somente terão acesso às estações após pagar as tarifas.

O projeto apresentado ontem prevê 53 estações nos dois corredores e parte delas estarão interligadas a terminais integrados de passageiros. No Leste-Oeste, ao longo da Avenida Caxangá, haverá três elevados - próximos ao Bompreço da Benfica, ao Hospital Getúlio Vargas e no Engenho do Meio - e um viaduto - próximo à UPA da avenida. E, ao lado do Museu da Abolição, na Madalena, será construído um túnel. Embora mais extenso o Norte-Sul terá apenas dois elevados, um em Ouro Preto e outro nos Bultrins, que também terá um viaduto.

As vantagens dos corredores exclusivos vão além do conforto e segurança dos passageiros. Por causa da maior velocidade das viagens e da revisão do sistema de integração, a expectativa é que um número significativo de pessoas optem pelo transporte público e cerca de 500 ônibus deixem de circular na RMR. Outra consequência seria a redução de veículos particulares na rua. Ao se optar pelos corredores, entende Danilo Cabral, o estado optou por investir em soluções coletivos às individuais.

*****
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/2011/08/11/vidaurbana3_0.asp

MP denuncia cunhado de Alckmin por fraude em merenda em SP

11.08.2011
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA


O Ministério Público entrou na Justiça na terça-feira com uma ação civil pública contra os envolvidos no suposto esquema de fraude na merenda escolar em Pindamonhangaba, a 140 km da capital paulista, cidade natal do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Foram denunciadas 19 pessoas, incluindo o prefeito João Antônio Salgado Ribeiro (PPS) e o cunhado de Alckmin, Paulo César Ribeiro. Na investigação, Paulo César era apontado como responsável por direcionar a contratação da empresa Verdurama, que fornecia merenda. A Verdurama, suspeita de ser pivô do esquema, também foi denunciada na ação. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.


A Verdurama ganhou, em 2006, uma concorrência de R$ 6,8 milhões para fornecimento de merenda. O caso era investigado desde 2007 pelo Ministério Público. Constam ainda na ação Lucas Ribeiro, sobrinho de Lu Alckmin, Marcelo dos Santos, ex-diretor de licitações, e Silvio Serrano, ex-secretário de Finanças. Outras duas investigações envolvendo a prefeitura de Pindamonhangaba estão em andamento no Ministério Público. Uma delas, criminal, também é sobre o caso da merenda escolar. Há ainda uma investigação que apura suposta fraude na contratação da Sisp, empresa de informática que tem contrato de R$ 774 mil com a prefeitura. Paulo César também aparece nesse segundo inquérito como suspeito de tráfico de influência para favorecer a empresa.
******
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2011/08/mp-denuncia-cunhado-de-alckmin-por.html

Ministério da Saúde faz parceria com Coca-Cola em projeto contra obesidade

11.08.2011
Do site da Rede Brasil Atual, 10.08.11
Por  Cida de Oliveira, Rede Brasil Atual


Especialista em nutrição critica apoio institucional do governo. Para ela, administração pública deveria enfrentar – e não se unir – à indústria de alimentos e bebidas



Ministério da Saúde faz parceria com Coca-Cola em projeto contra obesidade
São Paulo – Por ironia, uma marca de refrigerantes – produto associado ao ganho de peso da população em todo o mundo – é o principal patrocinador de um projeto de emagrecimento da editora Abril. O projeto conta com apoio do governo federal.
Empresa não concorda que refrigerantes estejam ligados à obesidade (Foto: stock.xchng)
Intitulado Emagrece, Brasil, a iniciativa é liderada por duas revistas do grupo editorial e tem o apoio dos ministérios da Saúde, dos Esportes e da Educação. Segundo ohotsite da campanha, o objetivo é "fazer uma revolução no combate ao excesso de peso e ao sedentarismo".
A meta, ainda segundo o site, é "reunir o maior número de pessoas dispostas a melhorar seus hábitos para conquistar um peso adequado e ganhar saúde e disposição por meio de uma alimentação equilibrada e da prática de atividade física".
Para Carlos Augusto Monteiro, professor da Faculdade de Saúde Pública da USP,  a iniciativa é emblemática do crescente assédio da indústria de alimentos calóricos, ricos em açúcar e gordura e pouco nutritivos às autoridades de saúde em todo o mundo. Essa aproximação, por meio de patrocínio a ações de fundações, entidades e governos, visa a melhorar a imagem dessas empresas junto ao público consumidor, aos editores, à mídia em geral e ganhar aliados contra projetos de lei que vêm sendo elaborados em vários países da Europa e nos Estados Unidos, que pretendem sobretaxar esses "alimentos e bebidas".
Dados oficiais mostram que no Brasil, mais da metade (52,1%) dos homens está acima do peso. Entre as mulheres, a taxa é de 44,3%.
"O Ministério da Saúde deveria pressionar outras áreas do governo para elevar alíquotas de impostos sobre esses produtos e dar incentivos aos produtores de alimentos saudáveis, inclusive de frutas e verduras, em vez de se aproximar desses fabricantes, como acontece neste exemplo", disse o especialista, durante evento sobre a saúde dos brasileiros na USP.
A estratégia das indústrias tem sido criticada por especialistas no mundo todo. Artigos publicados em revistas especializadas denunciam apoio de fábricas de chocolates e de outros produtos nada saudáveis a entidades que se dedicam ao bem estar infantil em todo o mundo, como a Save The Children e Associação Americana de Diabetes.
Procurado diversas vezes pela reportagem da Rede Brasil Atual, o Ministério da Saúde não se pronunciou sobre o assunto. A Coca-Cola respondeu, mas limitou-se a discorrer sobre aspectos nutricionais da questão (leia abaixo).
 

A resposta da Coca-Cola

A Coca-Cola Brasil não concorda que os refrigerantes estejam ligados à obesidade.  Refrigerantes podem fazer parte de um estilo de vida saudável – que inclua uma variedade de alimentos, além de atividade física – mas não devem ser a única fonte de hidratação. Eles ajudam a matar a sede e a suprir, no organismo, a dose diária de líquidos. Podem contribuir também para satisfazer a demanda de carboidrato, combustível que fornece a energia necessária às atividades diárias.
A boa saúde depende do equilíbrio entre as calorias consumidas e o que queimamos por meio da atividade física. Este equilíbrio varia de pessoa para pessoa. A quantidade de açúcar e calorias dos refrigerantes, suficiente para realçar o sabor da bebida, é aproximadamente a mesma encontrada em diversos sucos de fruta. Sucos como de maçã, laranja e uva podem conter mais açúcar ou a mesma quantidade que os refrigerantes. Algumas frutas como a banana são também ricas em açúcar. Açúcar provém da cana e é um nutriente energético. Portanto, tem valor nutritivo. A não ser quando ingerido em excesso (como qualquer outro nutriente) o consumo de açúcar não traz qualquer inconveniente à saúde. Pessoas que não podem ou não querem ingerir açúcar, nos refrigerantes, podem optar pelos refrigerantes dietéticos ou de baixa caloria.

******
Fonte:http://www.redebrasilatual.com.br/temas/saude/2011/08/coca-cola-patrocina-projeto-do-grupo-abril-contra-a-obesidade