Pesquisar este blog

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Ustra: torturador e colunista da Folha

30.05.2011
Do blog de Altamiro Borges
Por Antônio Mello, em seu blog:


Que o coronel reformado Carlos Alberto Brilhante Ustra é sequestrador e torturador não é uma opinião minha, é sentença do juiz Gustavo Santini Teodoro, da 23ª Vara Cível de São Paulo, 9 de outubro de 2008. A notícia, que reproduzo em parte abaixo, mostra quem é o que fazia o coronel no período mais infame da ditadura (a tal ditabranda da Folha).

Pois não é que a Folha abriu espaço em sua página 3 de sexta-feira para que Brilhante Ustra dê sua versão sobre acusações que sofre de outro que o acusa de tortura, o ex-presidente do BC no governo FHC Pérsio Arida?

Não foi à toa que a Folha procurou a ficha de Dilma durante a campanha. Se, durante a ditadura, com o empréstimo de seus veículos para que presos fossem transportados para serem torturados pela turma de Brilhante Ustra e com o editorial de Otávio Frias pai elogiando Médici, o jornal mostrava de que lado estava, agora, com a classificação da ditadura como ditabranda , com a infame (duas vezes a palavra "infame" numa mesma postagem, deve ser recorde - só a Folha...) publicação na primeira página da ficha falsa de Dilma e com a publicação da defesa de um sequestrador e torturador (não sou eu quem diz, mas a sentença de um juiz, até hoje válida), a Folha confirma sua posição - e se ela está ao lado de Médici, da ditabranda e de Ustra, o leitor fica no pau de arara da História.

Leia a notícia da condenação de Brilhante Ustra, conforme publicada na própria Folha em 2008:

"Por decisão do juiz Gustavo Santini Teodoro, da 23ª Vara Cível de São Paulo, de primeira instância, o coronel reformado Carlos Alberto Brilhante Ustra tornou-se o primeiro oficial condenado na Justiça brasileira em uma ação declaratória por sequestro e tortura durante o regime militar (1964-1985).

"A sentença, publicada ontem, é uma resposta ao pedido de cinco pessoas da família Teles que acusaram Ustra, um dos mais destacados agentes dos órgãos de segurança dos anos 70, de sequestro e tortura em 1972 e 1973.

"(...) Na decisão de ontem, o juiz Santini argumentou que a anistia refere-se só a crimes, e não a demandas de natureza civil, como é o caso da ação declaratória, que não prevê indenização nem punição, mas o reconhecimento da Justiça de que existe uma relação jurídica entre Ustra e os Teles, relação que nasceu da prática da tortura.

"(...) As testemunhas, que estiveram presas junto com os Teles, disseram que Ustra comandava as sessões de tortura com espancamento, choques elétricos e tortura psicológica. Das celas, relatam que ouviam gritos e choros dos presos.

"Não é crível que os presos ouvissem os gritos dos torturados, mas não o réu [Ustra]. Se não o dolo, por condescendência criminosa, ficou caracterizada pelo menos a culpa, por omissão quanto à grave violação dos direitos humanos fundamentais dos autores", afirmou o magistrado [Fonte: Folha, para assinantes]".


O artigo de Ustra na Folha você encontra lá e nos espaços que defendem os crimes praticados pelo estado sob a ditadura civil-militar, de 1964 a 1985.

Mas, repare como a Folha o apresenta a seus leitores:

CARLOS ALBERTO BRILHANTE USTRA, coronel reformado do Exército, foi comandante do DOI-Codi de 29.set.1970 a 23.jan.1974 e é autor dos livros "Rompendo o Silêncio" (1987) e "A Verdade Sufocada" (2006).

Sobre a sentença, nenhuma palavra.
******
Fonte: http://altamiroborges.blogspot.com/2011/05/ustra-torturador-e-colunista-da-folha.html

Governo pede apoio dos evangélicos no plano Brasil sem miséria

30.05.2011
Do BLOG DE JAMILDO
Com informações da assessoria


A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, e o ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, realizaram um encontro no Palácio do Planalto com líderes evangélicos. O objetivo era de aprofundar o diálogo com as igrejas e movimentos religiosos, a partir do compromisso assumido pela presidente Dilma Rousseff de superação da miséria no Brasil.

Foram convidados a participar do encontro, grandes líderes evangélicos do país, de diversas denominações cristãs, e não somente parlamentares evangélicos. Pernambuco foi representado pelo deputado federal Pastor Eurico e pelo 1º Secretário  da Igreja Evangélica  Assembléia de Deus de Pernambuco, Pastor Ailton José Alves Júnior.

Para enfrentar esse desafio, o governo está elaborando um plano de ações convergentes, sob a coordenação do Ministério de Desenvolvimento Social. Segundo os representantes do governo, o combate à miséria, no entanto, somente será possível com a participação ativa da sociedade brasileira.

Os ministros abriram um diálogo, iniciado pela Ministra Tereza Campelo, a qual pediu o apoio do segmento evangélico sobre o principal promessa de Dilma Rousseff, o combate  miséria no Brasil.
*****
Fonte:http://jc3.uol.com.br/blogs/blogjamildo/canais/noticias/2011/05/30/governo_pede_apoio_dos_envagelicos_no_plano_brasil_sem_miseria___102251.php

POLÊMICA AMBIENTAL: Código Florestal pode chegar ao Senado nesta semana



30.05.2011
Do BLOG DE JAMILDO


Da Agência Senado

Votado pela Câmara dos Deputados na semana passada, o projeto de reforma do Código Florestal Entenda o assunto (PL 1876/99) deve chegar nesta semana ao Senado. A proposição está recebendo naquela Casa a redação final, visto que foi aprovada com uma última emenda apresentada em plenário.

A emenda 164, de autoria de deputados do PMDB e do PR, anistia os proprietários rurais que plantaram ou fizeram pastos em áreas de preservação permanente (APPs) até julho de 2008. Além disso, a emenda transfere para os estados e o Distrito Federal, em conjunto com a União, o direito de também legislar sobre meio ambiente.

No Senado, o projeto deverá ser encaminhado a três comissões: Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ); Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA)  e Agricultura e Reforma Agrária (CRA). E deverá ser entregue aos seguintes relatores: Luiz Henrique (CCJ), Rodrigo Rollemberg (CMA) e Acir Gurgacz (CRA), respectivamente.

MPs

A agenda para esta semana inclui também o exame de quatro medidas provisórias que trancam a pauta do Plenário e devem ser votadas pelo Senado até quarta-feira (1º), caso contrário perderão a validade.

São elas a MP 521/10, transformada no PLV 11/11, que aumentou de R$ 1.916,45 para R$ 2.338,06 o valor da bolsa paga ao médico residente; a MP 517/10 (PLV 13/11), que trata, entre outros itens, da concessão de incentivos fiscais a vários setores da economia; a MP 520/10 (PLV 14/11), que cria uma estatal para gerenciar hospitais universitários; e a MP 519/10 (PLV 15/11) , que trata da doação de alimentos para ajuda humanitária.

Tapajós

Também está na pauta do Plenário o substitutivo substitutivo é quando o relator de determinada proposta introduz mudanças a ponto de alterá-la integralmente, o Regimento Interno do Senado chama este novo texto de "substitutivo". Quando é aprovado, o substitutivo precisa passar por "turno suplementar", isto é, uma nova votação. do projeto de decreto legislativo (PDS 19/99) que propõe a realização de um plebiscito sobre a criação do estado de Tapajós. A proposta é que o novo estado seja criado a partir do desmembramento da área onde atualmente se situam 27 municípios do oeste do Pará.

Livros Didáticos

Audiência pública para ouvir o ministro da Educação, Fernando Haddad, sobre polêmicas que envolveram o órgão nos últimos dias, como as relativas ao conteúdo de livros didáticos, está marcada para terça-feira (31), às 10h, na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE). O ministro confirmou presença à comissão.

Reforma Política

Após pedido de vistaPedido de vista é a solicitação feita pelo senador para examinar melhor determinado projeto, adiando, portanto, sua votação. Quem concede vista é o presidente da comissão onde a matéria está sendo examinada, por prazo improrrogável de até cinco dias. Caso a matéria tramite em regime de urgência, a vista concedida é de 24 horas, mas pode ser somente de meia hora se o projeto examinado envolve perigo para a segurança nacional. coletiva, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) volta a analisar na quarta-feira (1º) as propostas elaboradas pela Comissão Especial da Reforma Política. Os senadores devem discutir e votar as propostas de emenda à Constituição (PEC) 37/11, que altera o regime de suplência de senador, e a PEC 41/11, que dispensa a exigência de filiação partidária para os candidatos nas eleições municipais.

Fuso Horário

Está programada ainda a votação do projeto de lei que altera o fuso horário do estado do Acre (PLS 91/11), em reunião conjunta das comissões de Assuntos Econômicos (CAE), Relações Exteriores (CRE) e Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ. O senador Luiz Henrique (PMDB-SC) é o relator nas três comissões da proposta que é de autoria do senador Pedro Taques (PDT-MT
*****
Fonte:http://jc3.uol.com.br/blogs/blogjamildo/canais/noticias/2011/05/30/codigo_florestal_pode_chegar_ao_senado_nesta_semana__102275.php

TRANSPARÊNCIA: Governador debate problemas de seu governo em plenária nesta segunda, no Centro de Convenções

30.05.2011
Do BLOG DE JAMILDO 


O Governo do Estado encerra o ciclo dos Seminários Regionais Todos Por Pernambuco nesta segunda-feira (30/5), a partir das 09 horas, no Centro de Convenções, em Olinda, com o encontro da Região Metropolitana.
O governador Eduardo Campos, junto com todo o secretariado, participa da plenária a partir das 14 horas.
A iniciativa encerra uma grande ausculta junto a representantes de entidades governamentais e não-governamentais, que começou em março deste ano.
Mais de 12 mil pessoas participaram dos seminários já realizados no Sertão, Agreste e Zona da Mata.
O resultado das discussões e sugestões, alinhado ao plano de governo, norteará o planejamento do Estado dos próximos quatro anos.
         
O encontro da RMR será realizado no Teatro Guararapes. Pela manhã, serão formados grupos para discutir as seis principais áreas de gestão – saúde, segurança, educação e cultura, desenvolvimento econômico e sustentabilidade, desenvolvimento social e infraestrutura.
No período da tarde, os integrantes das seis salas temáticas se reúnem na plenária para consolidar junto ao grande grupo tudo o que foi debatido.
Outro canal direto para colaborar com o Governo é o caderno de propostas, que foi distribuído com os mais diversos setores da sociedade e que também foi disponibilizado no portal da transparência e no site www.todosporpe.com.br.
Com conteúdo avaliativo e propositivo, o objetivo do caderno é recolher uma contribuição qualificada para a formulação do planejamento estadual.
          
Programação do seminário
08h - Inscrições e credenciamento 
08h30 - Abertura do Seminário
09h - Apresentação e discussão nas salas temáticas
13h - Almoço
14h30 - Plenária
18h - Encerramento

*****
Fonte:http://jc3.uol.com.br/blogs/blogjamildo/canais/noticias/2011/05/29/governador_debate_problemas_de_seu_governo_em_plenaria_nesta_segunda_no_centro_de_convencoes_102222.php

Cuidado com a propaganda enganosa de imóveis

30.05.2011
Do blog ACERTO DE CONTAS, imóveis, 24.05.11
Postado por Pierre Lucena


Provavelmente várias pessoas já passaram ou ouviram falar sobre uma seguinte situação: um cliente vai visitar um apartamente decorado (desses que ficam expostos enquanto o prédio ainda está em fase de construção), e fica deslumbrado com o imóvel, todo bonitinho, com tudo se encaixando perfeitamente. Mas depois de comprar o apartamento, na hora de mobiliá-lo, percebe que os móveis não cabem na casa. É aí o comprador fica se perguntando o que aconteceu que fez a casa encolher…

Tarde demais. Danou-se o comprador que passou anos juntando seu dinheiro para realizar o sonho da casa própria, e foi enganado pelo vendedor.

A artimanha de uma parte do empresariado do setor imobiliário para enganar o cliente é a seguinte: junta-se um grupelho de construtores, arquitetos e decoradores, e montam um apartamento para exposição onde as coisas não têm tamanhos reais. Os móveis são menores do que o padrão de mercado, e feitos especialmente para enganar o consumidor, que fica com a  impressão de que tudo cabe ali no seu apartamento – camas, sofás, mesas, et cetera. -, mas não cabe quase nada.

A maior incidência desse tipo de enganação acontece com apartamentos de 60 ou 70 m². Puro milindre empresarial – em bom português, uma baita sacanagem de empresários cheios de má-fé, crentes que as leis são apenas para os outros, nunca para si mesmos. Eles ignoram as legislações de forma descarada, como elas não lhes dissessem respeito. Esse assunto não é novidade, e a quantidade de pessoas lesadas é grande.

Sobre esse assunto, acabo de ler um artigo muito interessante de Rizzatto Nunes, publicado hoje no Portal Terra Magazine. No texto, Nunes foca a questão da informação e da publicidade. Como as duas estão vinculadas à ideia de “liberdade de expressão”, tem empresário pensando que pode fazer tudo o que quiser, e criar na terra o país das maravilhas do livro de Lewis Carrol (Alice).

Vale a pena ler o texto, pois se trata de um assunto que atormenta muitos consumidores. Lembrando aos interessados nesse tipo de discussão que o Acerto de Contas tem uma rede social específica para tratar assuntos relativos ao mercado imobiliário. A página éwww.acertodecontas/ning.com.

“Informação e publicidade: a má-fé de alguns empresários”
por Rizzatto Nunes
No Portal Terra Magazine
Muitos empresários, não só no Brasil como também em vários lugares do mundo se julgam acima das leis. Eles agem como se as normas jurídicas não lhes dissessem respeito, como se certas determinações que foram feitas exatamente para eles simplesmente não existissem. Muitos abusos são fruto, é verdade, da negligência, da imprudência e da imperícia típicas dos vários modos de produção e prestação de serviços, mas vários são tão descarados, tão escancarados que não há desculpa alguma: trata-se de dolo, a intenção explícita de enganar o consumidor e de burlar a lei visando aumentar a receita, diminuir o risco e as perdas e aferir maior lucro (no caso, ilegalmente). O nome disso é má-fé, tanto subjetiva quanto objetiva. Isto é, tanto fruto da ação e vontade conscientes (má-fé subjetiva) como decorrente do próprio ato objetivado em documentos, papéis, textos, anúncios publicitários, cláusulas contratuais etc (má-fé objetiva).

Há dezenas de exemplos. Focarei no artigo de hoje a informação e a publicidade. Ambas estão ligadas a idéia de liberdade de expressão, essa que é uma das mais importantes garantias constitucionais, um dos pilares da democracia. Mas, quando se trata de apontar fatos objetivos, descrever acontecimentos, prestar informações de serviços públicos ou oferecer produtos e serviços no mercado há um limite ético que controla a liberdade de expressão. Esse limite é a verdade.

Com base nos princípios éticos e normativos da Constituição Federal, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) regulou expressamente a informação e a publicidade enganosa, proibindo-a e tipificando-a como crime. A informação e apresentação dos produtos e serviços, assim como os anúncios publicitários não podem faltar com a verdade daquilo que oferecem ou anunciam, de forma alguma, quer seja por afirmação quer por omissão. Nem mesmo manipulando frases, sons e imagens para de maneira confusa ou ambígua iludir o destinatário do anúncio: o consumidor. A lei quer a verdade objetiva e comprovada e por isso, determina que o fornecedor mantenha comprovação dos dados fáticos, técnicos e científicos que dão sustentação à mensagem.

Infelizmente, nada disso impede que haja anúncios publicitários que enganem o consumidor, com métodos bem antigos. Ou que a cada dia mais se assistam anúncios abusivos, violando a imagem de homens e mulheres, principalmente mulheres. Ou, ainda, que o consumidor encontre pela frente placas com informações falsas e até produtos em si enganosos.

Examine comigo alguns exemplos. Veja o caso da construção civil de apartamentos. Certamente você viu um anúncio do tipo “chamariz” que diz: “visite apartamento decorado” “ou conheça apartamento em exposição”. Muito bem. Você sabia que em alguns empreendimentos o próprio apartamento decorado é em si enganoso? . Reúnem-se construtores, arquitetos e decoradores e, agindo com uma verdadeira quadrilha, montam um apartamento em exposição em que nada é realmente verdadeiro. Esse tipo de abuso se dá usualmente com apartamentos pequenos, de 60/70 metros quadrados com dois quartos, juma suíte etc.

O consumidor chega no prédio ainda em construção, visita o imóvel decorado e se sente muito bem porque tudo está no seu devido lugar. Camas, armários, sofás, mesas, quadros, abajures etc. Na verdade, tudo é fora de medida padrão existente no mercado. A cama e o colchão são menores, os armários são diminutos, o criado-mudo, os sofás, os quadros, os abajures, enfim tudo é construído especificamente para “aquele” apartamento em exposição. Daí, o consumidor se encanta porque tudo se encaixa, realiza a compra que é o sonho de sua vida e quando vai mobiliar seu imóvel comprando os móveis existentes no mercado, que logicamente tem um tamanho padrão maior que aqueles que ele viu, percebe que nem tudo cabe. E o comprador nem entende bem o que aconteceu.

E veja mais essa da área da construção civil e também no caso de apartamentos de pequena metragem. É o problema que nos últimos anos tem infernizado a vida de milhares de consumidores compradores. Trata-se do incrível problema das garagens em que: a) o automóvel não cabe; b) o automóvel cabe, mas não há espaço para manobrar e entrar; c) o automóvel cabe, entra, mas não sai por falta de espaço; d) o automóvel, depois de muito esforço, entra, mas a porta não pode ser aberta por causa da proximidade do automóvel do lado ou da parede! É mais um modo de enganar o consumidor, na maior parte das vezes feitas em lançamentos em que o comprador não pode enxergar o problema real.

Funciona assim: para oferecer muitos apartamentos pequenos em terreno com pouca possibilidade de utilização do espaço para as garagens, são projetas, desenhas e registradas garagens coletivas/rotativas, não individualizadas para cada unidade habitacional. No espaço desenhado no chão (literalmente pintado no chão da garagem) normalmente cabe um carro pequeno, dos menores existentes no mercado. Acontece que automóvel não desce de elevador para a garagem e cai suavemente por sobre o espaço pintado; ele tem de ser manobrado e quando uma ou mais vagas ao lado, atrás ou na frente já estão ocupadas, o morador passa por uma das situações que acima descrevi.

Porque se trata de má-fé, pergunto? Porque a construtora, que é a única responsável pelo problema, não só não o informa aos interessados, como utilizada a tática das vagas não individualizadas para ocultá-lo e conseguir vender todos os apartamentos. Com esse esquema, a construtora passa o pepino para os futuros compradores e moradores. Estes logo percebem o drama e a cada ano fazem um sorteio, muito esperado e cheio de angústia para que os mais desafortunados fiquem com as piores vagas.

Nesse golpe das vagas, a construtora acaba vendendo todos os apartamentos porque, na prática, nenhum deles está vinculado à uma das vagas impossíveis de serem utilizadas. Em outros termos, de forma maldosa e enganosa, a construtora transfere para os compradores o risco do mau empreendimento desenvolvido. A rigor, para respeitar o Código de Defesa do Consumidor (CDC), a construtora teria de anunciar a venda de apartamentos dizendo claramente que o morador somente deverá se utilizar de veículos muito pequenos e não poderá utilizar a vaga que lhe pertence em todos os dias e horários que desejar, além de também informar as quatro situações que acima descrevi. Será que veremos um dia um anúncio honesto assim?

Veja agora esse caso. A última Revista do IDEC (www.idec.org.br) publicou matéria mostrando que as principais e enormes redes de varejo desrespeitam franca e abertamente o CDC na questão do prazo para reclamação de vícios dos produtos duráveis. Relembrando: produtos duráveis, como o próprio nome diz, são aqueles que não se extinguem imediatamente após o uso; eles duram no tempo. São os eletrodomésticos, eletrônicos, peças de vestuário, brinquedos, automóveis etc. Vícios são as características de qualidade ou quantidade que tornem os produtos impróprios ou inadequados ao consumo ao qual se destinam ou lhes diminuam o valor. Por exemplo, é a geladeira que não gela, o aparelho de tevê que não sintoniza os canais, o sapato novo cujo salto caiu etc.

Pois olhe. Já faz quase vinte anos que o CDC está em vigor e ele é claro em conferir o prazo de 90 dias para o consumidor reclamar dos vícios dos produtos duráveis. E, pela lei o consumidor tem o direito de optar em fazer a reclamação diretamente ao vendedor, ao fabricante ou à sua assistência técnica. É o consumidor quem escolhe, pois é ele que deve saber o que á mais fácil e prático. Imagine o consumidor que adquire um produto, cujo fabricante é de outro Estado da Federação e/ou em que na sua cidade não exista assistência técnica para aquele produto que apresentou vício.

Sabe o que o IDEC constatou? Que os grandes varejistas informam expressa e abertamente que o prazo para fazer reclamação na loja (dos produtos lá adquiridos) é de 3 e 7 dias. Isso! Alguns anunciam prazo de 3 dias e outros de 7 dias. Um abuso escancarado. Má fé desses empresários atrasados que se julgam acima da lei.
Saiba que você não precisa nem deve aceitar esse tipo de abuso. Se não quiserem atender sua reclamação procure um órgão de defesa do consumidor, o Ministério Público (já que a questão envolve direito coletivo e difuso) ou um advogado.
______________________

* Rizzatto Nunes é mestre e doutor em Filosofia do Direito e livre-docente em Direito do Consumidor pela PUC/SP. É desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo. Autor de diversos livros, lançou recentemente “Superdicas para comprar bem e defender seus direitos de consumidor” (Editora Saraiva) e o romance “O abismo” (Editora da Praça)
.

*****
Fonte:http://acertodecontas.ning.com/profiles/blogs/cuidado-com-a-propaganda

O assassinato do comunista Dinho

30.05.2011
Do blog de Altamiro Borges
Do sítio Vermelho:


Em telegrama enviado neste sábado (27) para a família de Adelino Ramos, camponês líder do Movimento Camponês Corumbiara e militante do Partido Comunista do Brasil assassinado na sexta-feira em Rondônia, o presidente nacional do partido, Renato Rabelo, lamenta a morte de Dinho, como era conhecido, e manifesta solidariedade à família.


"Em nome da direção nacional do Partido Comunista do Brasil me solidarizo com a família de nosso camarada Adelino Ramos, militante comunista destacado, assassinado em Vista Alegre do Abunã, distrito de Porto Velho, estado de Rondônia, que lutava com seus companheiros contra os grandes latifundiários e proprietários de madeireiras em sua região", diz o telegrama.

"Desde 2009 que Ramos denunciava à ouvidoria agrária nacional ameaças de morte que ele e outros lutadores estavam sofrendo por exigir a criação de um assentamento agrário em seu estado. Esta morte – assim como outras que vêm acontecendo pelos mesmos motivos – devem ser imediatamente investigadas e esclarecidas, além de que sejam tomadas providências para que não mais ocorram. A luta pela reforma agrária em nosso país é uma exigência nacional", conclui a mensagem, assinada por Renato Rabelo.

O PCdoB de Rondônia, por meio do seu vice-presidente regional, Francisco Batista da Silva, também divulgou nota lamentando o assassinato de Dinho. "Em 27 de maio de 2011, foi ceifada a vida do líder sindical camponês Adelino Ramos (Dinho) militante da causa pela reforma agrária em Rondônia e conhecido nacionalmente pela luta e contra a violência no campo", diz a nota, publicada nesta sexta-feira (27).

"Dinho, como era conhecido, dedicou toda a sua vida a causa dos camponeses. Recentemente vinha trabalhando em um assentamento no sul do Amazonas, em uma região conhecido como Ponta do Abunã. Era um homem marcado para morrer há cerca de dois anos, vinha sendo ameaçado constantemente e assim perdeu sua vida", prossegue.

"O Partido Comunista do Brasil, que ao longo de 90 anos sempre esteve na luta pela reforma agrária em nosso país, repudia a violência no campo, que tem aumentado na região norte do país, onde em apenas uma semana três lideres foram executados, e ao mesmo tempo solicita às autoridades estaduais e federais a apuração imediata e punição aos responsáveis por tais tragédias. Adelino Ramos era um dos militantes do partido em Rondônia.

Ramos filiou-se ao PCdoB em 22 de setembro 2007, junto com mais outras 150 membros do Movimento Camponês Corumbiara (MCC), de Rondônia. O movimento congrega cerca de 600 famílias e foi fundado em 1995.

Na ocasião de sua filiação, Ramos disse que o movimento se fortalecia ainda mais. “O PCdoB está ligado à luta dos trabalhadores. É um partido forte que sempre lutou pela reforma agrária no País”, destacou. Eron Bezerra, então Deputado Estadual do Amazonas, abonou as fichas dos novos filiados.

Amigo pessoal de Dinho, Bezerra explica que a região é conflituosa. “São madeireiros que atuam de forma irregular que não querem organização e nem a presença do Estado. Para eles não interessa. Significa ameaça. Dinho foi mais uma vítima dessas pessoas”, declarou.

Bezerra acionou novamente a Secretaria de Segurança Pública para evitar novas mortes no local. O secretário Zulmar Pimentel comprometeu-se em averiguar o caso.

Velório na sede da CTB

O velório de Dinho está sendo realizado na sede da CTB em Porto Velho. Várias lideranças nacionais confirmaram presença no velório, entre eles a senadora do Amazonas Vanessa Grazziotin (PCdoB).

Ramos, que em agosto de 1995 sobreviveu ao ataque em que morreram 12 pessoas, entre camponeses e crianças, às mãos de um comando de supostos paramilitares, foi assassinado quando vendia produtos agrícolas no distrito de Vista Alegre do Abunã, capital de Rondônia.

Segundo a organização católica Pastoral da Terra, o camponês foi baleado por atiradores que estavam em uma motocicleta.

Segundo a CPT, Ramos vinha sendo ameaçado há algum tempo por madeireiros da região. A pressão teria piorado após ações do Ibama que resultaram em apreensão de madeira extraída ilegalmente e de cabeças de gado.

*****
Fonte:http://altamiroborges.blogspot.com/2011/05/o-assassinato-do-comunista-dinho.html#more

Aplicativo de celular é capaz de diagnosticar catarata

30.05.2011
Do portal ÚLTIMO SEGUNDO
Por Maria Fernanda Ziegler, iG São Paulo |



Pesquisa de brasileiros no MIT simplifica identificação da doença e permite que ela seja monitorada antes de se tornar grave



Foto: Divulgação
Pesquisadores desenvolveram aplicativo de celular capaz de identificar catarata
A catarata, doença ocular mais predominante no mundo, vai poder ser diagnosticada e ter sua evolução acompanhada por meio de um aplicativo de celular. O software ainda em testes é projeto de uma equipe de pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts. O projeto, que conta com a participação de dois brasileiros, recebeu recentemente 300 mil dólares como prêmio do Vodafone Wireless Project Award e mais 10 mil em prêmios de incentivo do MIT.

O dinheiro será usado para fazer testes clínicos em pacientes na Índia, país com maior incidência da doença no mundo. Testes também estão sendo feitos no Hospital da Conceição, em Porto Alegre. A equipe já desenvolveu outro aplicativo que mede o grau de miopia, hipermetropia, presbiopia e astigmatismo.
“Ainda é difícil falar em custo e comercialização, pois muitos testes para regulamentação médica precisam ser feitos. Mas acredito que o aplicativo poderia ser baixado gratuitamente e os acessórios sairiam por uns três dólares”, disse ao iG Vitor Pamplona, um dos pesquisadores do projeto.
Além do custo baixo, o aplicativo consegue fazer teste de contraste por região do cristalino e também mede o quanto a catarata está se espalhando. “Podemos medir o quanto cada ponto da doença interfere na visão do indivíduo e com isto simular a visão específica de cada. Assim, é possível montar imagens para ajudar o paciente a decidir se deve operar a catarata”, disse.
Pamplona explica que normalmente os testes para catarata são subjetivos, apenas com notas de um a quatro dadas pelos oftalmologistas, que determinam a gravidade da doença. No entanto, com o simulador, fica mais fácil decidir se a operação deve ser feita, já que ele faz a comparação de uma imagem vista por olhos saudáveis com a de olhos com a doença.
Vale lembrar que a retirada do cristalino na operação da catarata faz com que o paciente perca a capacidade de focar, o que o impede de ler sem óculos para presbiopia. A doença é bastante comum na terceira idade.
Foto: DivulgaçãoAmpliar
Pontos na tela do celular ajudam paciente a mapear onde há catarata no cristalino
Como funciona o aplicativo
O software, chamado de Catra, cria um mapa do olho, identificando a catarata. Ele também permite a comparação da evolução da doença. Instalado no celular, tem como “acessório” uma espécie de lente ocular e uma máscara.
São ao todo cinco testes. O primeiro identifica a catarata: pontos imóveis verdes são projetados na tela do celular por 10 segundos. Se o paciente vir os pontos alterados, é sinal de catarata. No segundo teste ocorre o mapeamento. “Para cada região ocular, o celular espera entre 1 e 2 segundos para identificar se houve borrão. O paciente deve marcar onde ocorreu o borrão”, disse.
Depois é avaliada quão densa é a catarata, o que em testes clínicos atuais é feito em tomografia computadorizada. No aplicativo, um dos pontos onde foi identificado o borrão é comparado com um que não tenha ocorrido.
Os dois últimos testes só o Catra faz. No teste de contraste, os tons claros e escuros ficam mais acentuados, realçando a imagem, e o voluntário precisa assinalar em que ponto de contraste a imagem aparece para ele. “O teste de contraste é tão novo que a gente nem sabe para que vai usar, só que ele dá o percentual de catarata”, disse .
Pamplona. Por fim, o último teste mede quanto a catarata se espalhou pelo cristalino, permitindo fazer um quadro de como a doença atrapalha a visão do indivíduo.
Pamplona conta que ainda são necessários vários testes, pois não se sabe ainda se o fato de o aplicativo ser usado em um paciente com catarata e miopia, por exemplo, afetaria o resultado do exame. "Só com os exames clínicos feitos nas vilas indianas e no hospital aqui no Brasil poderemos descobrir se há interferência. Um dos integrantes do projeto vai passar dois meses na Índia para isto", disse.

*****
Fonte:http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/aplicativo+de+celular+e+capaz+de+diagnosticar+catarata/n1596984073925.html

CIÚME MORTAL

30.05.2011
Da FOLHA DE PERNAMBUCO

Duas Marias. Mãe e filha. Mortas no mesmo momento.

Duas meninas, uma de três anos e outra de um ano, espectadoras de um crime bárbaro, onde mãe e avó eram as vítimas. Na madrugada de ontem, o desempregado José Roberto da Silva, de 25 anos, matou a facadas a sogra, Maria da Lenha da Silva, de 51 anos, e a sua companheira, Maria José da Silva, de 20 anos, na presença das duas filhas. O crime aconteceu na rua Pau Brasil, no Sítio do Curigi, em Barra de Jangada, Jaboatão dos Guararapes. Ele foi preso momentos depois, em flagrante.

Passava de meia noite quando o choro de duas crianças acordou a vizinhança. A dona de casa Vilma Betânia Lima Lacerda, de 48 anos, escutou os gritos e foi até a rua. Chegando lá, viu as duas meninas de mãos dadas e chorando. “Eu conheço a mãe e a avó delas, tínhamos ido mais cedo à igreja, e achei estranho aquela hora as duas na rua sozinhas. Quando perguntei pela mãe e pela avó, a maiorzinha apontou para casa. Quando perguntei pelo pai ela apontou para rua. E disse: ‘Papai puf, puf em mamãe’ fazendo com a mão o gesto de como se tivesse com uma faca ou um punhal”, disse. Com medo do que poderia ter acontecido, a dona de casa pediu para o vizinho ir até a residência das mulheres, mas como encontrou tudo escuro e as portas abertas ficou com apreensiva em entrar. “Foi quando chamamos a polícia e depois soubemos que as duas estavam mortas”. Vilma Betânia é a dona do quartinho onde a família morava há pouco mais de dois meses e disse que só tinha contato com as duas mulheres, mas não com o acusado. “Eles passavam necessidades e iam pedir nas ruas. Elas às vezes pescavam no mangue. Com ele eu não tinha contato”, conta a mulher, que está com as duas meninas em sua residência.

A motivação, segundo o acusado informou à polícia seria ciúmes. “Ele disse que a sogra, que morava com ele, ficava arrumando namorado para a filha. E na noite do crime ela teria confirmado uma traição”, afirmou o delegado Walcir Martins, da Força Tarefa Sul do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O delegado explicou que o acusado relatou que na hora da briga pegou uma faca artesanal de um cabo de ferro adaptado e esfaqueou as duas mulheres. “Ele disse que esfaqueava as duas ao mesmo tempo. Estamos esperando a perícia para confirmar se a esposa estava grávida. Porque pelo que foi apurado ela estaria com três meses de gestação”, disse Martins. Após cometer o crime, o desempregado foi para Delegacia da Mulher de Prazeres, que o encaminhou para o DHPP. Lá ele prestou depoimento e foi autuado em flagrante, e encaminhado para o Centro de Triagem de Abreu e Lima. Os corpos das duas vítimas foram levados para o Instituto de Medicina Legal (IML), no bairro de Santo Amaro.
*****
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/edicao-de-hoje/640539-ciume-mortal