quinta-feira, 26 de maio de 2011

Fifa impede divulgação de documentos contra Teixeira, diz BBC

26.05.2011
Do OPERA MUNDI
Por Carta Capital | São Paulo

O site da BBC Brasil informou que a Fifa (Fédération Internationale de Football Association) está impedindo o programa de TV Panorama, da emissora inglesa, de divulgar documentos que supostamente revelam a identidade de dois dirigentes do órgão máximo do futebol que foram forçados a devolver dinheiro de propinas em um acordo com autoridades suíças – sede da entidade. Um dos dirigentes seria o presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), Ricardo Teixeira, integrante do comitê executivo da Fifa.

Um promotor de Zug, cidade no nordeste da Suíça, tenta divulgar detalhes do caso, mas é contestado pelos advogados contratados pela Fifa.

Segundo a BBC, Teixeira foi obrigado a devolver o dinheiro por ter supostamente recebido propinas, durante a década de 90 pagas pela empresa de marketing esportivo, a ISL (International Sports and Leisure). A empresa comercializava direitos de televisão e anúncios durante a Copa do Mundo para anunciantes e patrocinadores e foi à falência em meados de 2001.

Leia mais:
Ricardo Teixeira é acusado de tentar vender voto à candidatura da Inglaterra
Rússia e Catar são escolhidos para sediar Copas de 2018 e 2022
BBC acusa Ricardo Teixeira e outros dois membros da Fifa de receber suborno
FIFA e COI confiam no Brasil para segurança de Copa e Olimpíada


No ano passado, o mesmo programa da BBC levantou a suspeita sobre integrantes do comitê executivo da Fifa. Além de Teixeira, foram citados o paraguaio Nicolás Léoz, presidente da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) e o camaronês Issa Hayatou, líder da CAF (Confederação Africana de Futebol).

O total de propinas pagas aos dirigentes chegaria, segundo a reportagem, a 100 milhões de dólares.

Segundo o jornalista suíço Jean François Tanda, que requisitou a divulgação de detalhes do acordo na Justiça, a Fifa está atrasando a liberação do documento para que ela não ocorra antes das eleições da entidade.

Segundo a nota da BBC Brasil, tanto Ricardo Teixeira como ex-presidente da entidade internacional João Havelange – também citado entre os suspeitos – se recusaram a responder perguntas feitas pela emissora. A Fifa, por sua vez, se limitou a afirmar que o caso já está encerrado.
*****

Anvisa libera vacina contra HPV para homens

26/05/2011
Saúde
Paula Laboissière
Repórter da Agência Brasil

Brasília
– A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou a aplicação da vacina contra HPV em homens de 9 a 26 anos. Até então, a vacina estava sendo aplicada apenas em mulheres, como forma de prevenção do câncer de colo de útero, já que o HPV é responsável por cerca de 90% dos casos.

De acordo com a Anvisa, novos estudos comprovaram a eficácia da vacina também em pessoas do sexo masculino. A imunização, entretanto, ainda não está disponível no sistema público de saúde, apenas em clínicas particulares.

O HPV, sigla em inglês para papiloma vírus humano, é transmitido pelo contato genital com a pessoa infectada (incluindo sexo oral) e por via sanguínea, de mãe para filho, na hora do parto. Na maioria das vezes, a infecção é transitória e desaparece sem deixar vestígios.

Dados do Ministério da Saúde indicam que o HPV é uma das doenças sexualmente transmissíveis (DST) mais comuns em todo o mundo. Uma em cada cinco mulheres é portadora do vírus. No Brasil, 137 mil novos casos são registrados a cada ano.

Edição: Vinicius Doria
*****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-05-26/anvisa-libera-vacina-contra-hpv-para-homens

Quanto dura o “caso” Palocci?

26.05.2011
Do blog de Luiz Carlos Azenha
Por Luiz Carlos Azenha


Não existe ainda uma única prova de que Antonio Palocci tenha cometido um crime, ou enriquecido ilicitamente.

Mas, como escrevi anteriormente, não se trata de uma questão policial, mas ética e política.

O que explica porque o PT tenta “politizar” o assunto.

É uma forma de tirar os holofotes da questão ética: o que fazia um deputado-coordenador de campanha arrecadando ao mesmo tempo para a candidata e para seu próprio bolso, para em seguida assumir o “coração” do novo governo?

Aliás, no item arrecadação de campanha, um colega jornalista me lembrava que os serviços “imateriais” foram uma importante descoberta: a varrição das empresas de coleta de lixo, quem é que mede? E os serviços das assessorias de comunicação? E os serviços de consultoria?

Quanto ao “caso” Palocci, ele durará tantos quanto forem os clientes do ministro. Calculando que cada cliente de Palocci receba cinco dias de cobertura nos jornais, multiplicado por 20 empresas, teremos 100 dias de noticiário…

Como não se trata de uma caso estático, ou seja, tanto o ministro quanto as empresas para as quais ele prestou consultoria vão continuar por aí, trata-se de um inesgotável manancial de manchetes com ilações, suposições e dúvidas.

Aos próprios clientes de Palocci, em algum momento, vai interessar que ele se afaste do governo: caso contrário, todos os negócios que essas empresas fecharem com entes públicos, subordinados direta ou indiretamente a Palocci, ficarão sob suspeição.

Minha suspeita: Dilma defende Palocci publicamente e, em seguida, ele pede para sair. Mas costumo errar meus palpites.
****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/opiniao-do-blog/quanto-dura-o-caso-palocci.html

Recife é a cidade mais tuiteira do NE

26.05.2011
Do blog "ACERTO DE CONTAS"
Por Marco Bahé

São Paulo lidera disparado no país. Recife, no Nordeste

Acabo de ver no site Proxxima um mapa dos principais centros emissores de twitters do mundo. Por esse infográfico, quanto mais intensa a luminosidade, mais tuitadas. No Brasil, São Paulo lidera disparado. Mas vejam que Recife é o ponto mais aceso do Nordeste. E ainda tem muita gente comendo mosca por aqui… Alô, Governo de Pernambuco! Alô, PCR!

Brasil é um dos grandes centros emissores globais de mensagens em 140 caracteres. Mas tem muita gente que não acordou pra Jesus...

******

A receita desandou: Dilma, Palocci e os omeletes

26.05.2011
Do blog de Rodrigo Vianna
Por Rodrigo Vianna

A defesa de Palocci já custou caro para o governo: primeiro os ruralistas aprovaram o Código Florestal, em troca de não apertar o cerco ao ministro consultor; depois, Dilma cedeu à pressão da bancada religiosa e suspendeu o kit contra preconceito do Ministério da Educação. Esse foi o custo, no curto prazo.

Mais grave é o que pode ocorrer no médio prazo: a dissolução da base social que apoiou Dilma na eleição. Isso sim é grave, gravíssimo.

Os sinais já estão nas redes sociais. A militância que defendeu Dilma bravamente contra Serra durante a campanha suja de 2010, essa começa a abrir mão de apoiar o governo… O quadro pode ser revertido? Pode, com mudança de rumo. No ritmo atual, Dilma caminha para uma situação preocupante.

Muita gente há de de lembrar 2003. Primeiro ano de mandato de Lula. O governo parecia paralisado: juros nas alturas, Reforma da Previdência, parte da base social do petismo abandonava Lula. Palocci tentava acalmar o “mercado”. Era preciso. O Brasil estava às portas da bancarota. E aquele era um governo de coalizão, que ninguém se enganasse.

Lula perdeu algum apoio, mas não todo, e se recuperou. Antes, entretanto, teve que enfrentar a crise do Mensalão em 2005. A velha imprensa tentou fazer daquele o “escândalo mais grave da história”. Não era. Havia gente disposta a derrubar Lula entre os demotucanos. Isso havia. Bornhausen que o diga. Sabe por que não tentaram pra valer? Porque Lula tinha base social…

Quando o caldo entornou em 2005, não foram os banqueiros de Palocci que deram sustentação a Lula. Mas a base organizada. Assim como foi essa base, ou o que restou dela, que ajudou a enfrentar o PIG em 2006 e a onda conservadora insuflada por Serra em 2010.

O PT tomou um susto com os 20 milhões de votos de Marina? Se Dilma seguir no ritmo atual, o susto será dobrado em 2014… Quem vai defender o “legado” de Dilma?

Dilma encontrou a casa relativamente arrumada depois da vitória. Não precisava pagar o pedágio que Lula pagou em 2003. Mas escolheu fazê-lo. Levou Palocci ao centro do governo. E agora é ele que se agarra à presidenta, arrastando o governo para um redemoinho que, a médio prazo, pode tragá-lo.

E não é só isso. Vejamos. Em apenas cinco meses, quanta coisa desandou:

- retrocesso na política externa;

- retrocesso no Ministério da Cultura;

- derrota no Código Florestal;

- recuo no kit contra o preconceito.

O dado positivo do governo até agora, em minha humilde opinião: a política econômica. Mantega e o BC enfrentaram o repique da inflação sem ceder à chantagem mercadista. Foram bombardeados (e o bombardeio, dizem, teria partido de Palocci). Resistiram. A condução não liberal da economia (legado do segundo mandato de Lula) foi mantida por Dilma.

Lula, ao fazer determinadas escolhas ao longo de 8 anos, perdeu parte da base tradicional petista. Mas compensou as perdas com o tal “subproletariado” de que falou Andre Singer num já célebre artigo. Essa turma do subproletariado premiou Lula (e seus anos de bonança econômica) com a eleição de Dilma. Essa turma está se lixando pra Palocci, é verdade. Mas na hora em que o bicho pega não é essa turma (menos orgânica) que sustenta governo na rua. É a militância. E a militância, a mesma que o PT e Dilma desprezaram no primeiro turno e que mesmo assim evitou a vitória de Serra no segundo, essa está entre decepcionada e furiosa.

As escolhas de Dilma nesse início de governo me lembram um sujeito que tem família muito sólida, mas faz questão de agradar os vizinhos da rua. Deixa a mulher em casa pra ir ao churrasco de um. Depois, esquece de pegar o filho na escola pra ajudar o outro vizinho. E assim vai… Passa o tempo. Um dia ele volta pra casa distraído e descobre que a mulher foi embora e levou os filhos. Sente-se só. Vai bater na casa de um daqueles vizinhos muito amigos, e aí ouve: “cada um com seus problemas…”

Dilma faz a opção de agradar conservadores e religiosos de sua ampla base de apoio. Talvez as pesquisas ainda mostrem a popularidade da presidenta alta, porque essas questões demoram pra se espalhar entre o povão. Mas a base tradicional, mais à esquerda, essa se desmancha. Mas quais sáo os números que indicam isso? Não são números, é a pulsação na rede. Só não vê quem não quer.

O problema é que, quando vier uma crise brava ou quando chegar a eleição de 2014, esses conservadores não estarão com Dilma. Encontrarão outras alternativas. “Cada um com seus problemas” – dirão os banqueiros, os religiosos e a turma do agronegócio. Dilma vai olhar pro lado e perguntar: cadê o meu povo? Aí, pode ser tarde… Omeletes e Paloccis não vão resolver.

Ainda há tempo pra acertar a rota. Veto decidido ao Código Florestal, reorganização da base no Congresso, recomposição do Ministério abrindo mão de alguns nacos conservadores – na base aliada – para fortalecer o núcleo histórico de apoio ao lulismo. Isso tudo poderia ajudar. Mas seria preciso começar pela saída de Palocci.

A escolha parece não ser essa. Os sinais são preocupantes.

Leia outros textos de Palavra Minha

*******

A conta da lua-de-mel

26.05.2011
Do BLOG DA CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães

Já dizia Milton Friedman, economista americano da famigerada Escola de Chicago, prêmio Nobel de economia em 1976 e inspirador da política econômica do ditador chileno Augusto Pinochet: “Não existe almoço grátis”. Eis que, assim, está sendo apresentada à presidenta Dilma Roussef a conta do idílio que, ao que se sabe, acreditou que poderia manter com a elite.

Não faltou esforço, de parte da presidenta, para enterrar a guerra entre governo e imprensa que vigeu durante o governo Lula. E agora, meses depois do início deste governo, o blog já tem condições de oferecer um relato fundamentado dos bastidores do atual governo no que diz respeito à sua relação com essa elite midiática.

Antes de prosseguir, é bom que fique clara uma coisa: todas as informações de que disponho foram obtidas em “off” e, assim, as fontes não serão citadas. Todavia, é possível garantir que as suas informações foram confirmadas e reconfirmadas.

Dilma Vana Rousseff, 63 anos, mineira, assumiu a Presidência da República Federativa do Brasil em 1º de janeiro de 2011 convencida de que não havia razão outra para a guerra político-midiática que permeara o governo que integrou e que acabara de terminar que não fosse produto de mera picuinha entre oposição, mídia e Lula.

Dilma se decidiu, pois, a apagar a chama do ódio e do ressentimento. E foi dessa decisão que agora decorrem os incríveis problemas políticos que está vivendo ainda no quinto (!!) mês de seu governo de quatro anos, que todos já podem mensurar o que pode vir a ser…

Observação: segundo disse Lula na terça-feira em encontro com parlamentares do PT, o que pode ser o governo Dilma é ele vir a ter que “se arrastar” pelos próximos quatro anos caso a mídia, a oposição e ex-apoiadores de Dilma, decepcionados com ela, consigam derrubar Palocci.

Tudo começou com o mutismo de Dilma logo após ela assumir a Presidência – e que persiste enquanto o circo pega fogo. Em seguida, coroando uma decisão questionável daquela que deveria estar em festa com seu povo e compartilhando com ele o seu início de governo, a presidenta decidiu deixar Brasília e ir fazer um gesto de boa vontade ao pior inimigo que teve, ao lado de Lula, durante os anos anteriores.

A ida de Dilma à festa de 90 anos da Folha de São Paulo e as palavras elogiosas que teceu ao patriarca morto da família Frias já prenunciavam o que ocorreria dali em diante, uma pretensa relação de quase afetividade com os seus algozes durante o governo Lula.

Não se cuidou tão somente de afagar a imprensa que durante seis dos oito anos da Presidência lulista a fustigara sem dó, piedade ou limites. Havia que acarinhar, também, a oposição, em uma vã esperança de conseguir um armistício impossível, mas que, vigendo, permitir-lhe-ia levar a cabo o seu edificante projeto de extirpar a miséria do Brasil.

Naquele momento, Lula relutou em corrigir a presidenta. Consta que chegou a achar que ela tinha razão, que fora a sua verve (dele mesmo) que rendera os problemas políticos que o seu governo enfrentara.

Apesar da campanha de desmoralização de Lula que corria simultaneamente à lua-de-mel entre Dilma e a direita midiática, com convites ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e elogios desabridos que a presidenta recebia dos jornais dia sim, outro também, tudo parecia caminhar para uma benfazeja distensão política no Brasil.

Quem pode culpar Dilma por querer distensão? Já há semanas que o Brasil está paralisado pelo caso Palocci. O prejuízo para a agenda pública se fez sentir na recente aprovação do Código Florestal, que, quase unanimemente, verifica-se um desastre justamente por falta de um debate que submergiu diante da volta do denuncismo seletivo e partidarizado.

E agora que o governo está sob a ameaça impensável de virar presa na temporada de caça a seus ministros e expoentes, Dilma verifica que medidas tomadas na área de comunicação para distender as relações com a direita midiática a deixaram com muito menos aliados. Sobretudo na internet, a arena mais dinâmica do debate político, atualmente.

Que medidas foram essas? Por exemplo, na Secom. A nova ministra da Secretária de Comunicação Social da Presidência da República, Helena Chagas, esteve entre os conselheiros de Dilma para distender as relações com a mídia e a oposição, enquanto que seu antecessor, Franklin Martins, saía de cena, tendo sido visto como um fomentador de confusão.

Franklin Martins, que estabeleceu pontes com a blogosfera progressista na era Lula, cedeu lugar a uma direção da Secom voltada a não se meter com esses “blogueiros encrenqueiros”. Para que se tenha uma idéia, a pessoa que comanda o Blog do Planalto acha que blog é coisa de “adolescente”… Precisa dizer mais?

Helana Chagas é uma excelente pessoa. Íntegra, sensata, inteligente. Não lhe falta competência. Este blogueiro esteve consigo durante a Confecom, em dezembro de 2009, aliás. E só fez confirmar a boa impressão que já tinha dela.

Todavia, tanto Dilma quanto Helena não tinham – e continuam não tendo – a experiência de Lula e de um Franklin Martins no trato com essa direita demente que infecta o Brasil. Não é por outra razão que um e outro estão sendo recrutados a coordenarem a reação ao que já ameaça se tornar o “mensalão” de Dilma.

Tudo muito parecido. Os petistas e simpatizantes “decepcionados” são o maior sintoma. A maioria, aliás, é composta por pessoas de boa fé, que, como as de má fé, já dizem as mesmas frases moralistas sobre Palocci que uma Eliane Cantanhêde, um Reinaldo Azevedo e companhia limitada.

Verifiquem os posts do blog sobre o assunto e verão trolls de direita e gente séria e que defendeu Lula com unhas e dentes dizerem as mesmas coisas sobre Palocci, sobre “ética” etc. E vejam os trolls se passando por petistas arrependidos, o que já dificulta identificar quem é quem em centenas de comentários.

Para coroar a dissertação, vale prestar atenção na cobrança da conta da lua-de-mel entre Dilma e a direita midiática. As gentilezas, os elogios, em fevereiro já se dizia por aqui que seriam usados como “prova” de que a imprensa golpista teve boa vontade com Dilma, mas seu governo não soube honrar o voto de confiança.

O colunista da Folha de São Paulo Janio de Freitas já apresenta a fatura à presidenta, hoje:

“Excetuado Fernando Henrique Cardoso, e por motivos óbvios, Lula [que criticou a mídia no caso Palocci] não demonstraria que algum outro presidente, desde o fim da ditadura de Getúlio, fosse tratado [pela mídia] com mais consideração pessoal e cuidado crítico do que Dilma Rousseff em seus cinco meses iniciais”

O ex-presidente tem toda razão quando diz que a queda de Palocci seria um imenso desastre. Cinco meses de governo. Se conseguirem derrubar Palocci tão cedo – a guerra contra Lula começou no terceiro ano de seu primeiro mandato –, estará aberta a porteira. E quem diz não é este blog, mas aquele que já é considerado o maior estrategista político do Brasil.

Não depende mais de nós, formiguinhas da política, fazer alguma coisa. Dilma tem que decidir se quer passar os próximos quatro anos discutindo a avalanche de acusações e picuinhas que vem por aí ou se, como fez Lula, atuará para dar à sua base de apoio na sociedade as condições de ajudar a fazer o país seguir avançando.

Os blogueiros “encrenqueiros”, por exemplo, nunca dependeram do governo. Apenas acreditaram que, ao apoiarem Lula, estavam apoiando o Brasil. Se não fosse a ressonância que as suas aspirações encontraram em seu governo, porém, não teriam podido ajudar. Mas ninguém pode ajudar quem não quer ser ajudado.

Para não terminar em tom de apocalipse este texto, porém, há que dar uma boa notícia: o país real, essa nação que trabalha, estuda, progride, anseia, sonha – que pulsa, enfim –, não está nem aí para a politicagem. Está subindo na vida. O problema é se a sabotagem conseguir paralisar o governo. Aí, o mundo da fantasia da política se materializará no mundo real.

*****

Brasil sobe nove posições e ultrapassa Estados Unidos em ranking global da paz

26/05/2011
Internacional
Da BBC Brasil

Brasília
- O Brasil é o 74º país mais pacífico do mundo, de acordo com o Índice Global de Paz (GPI, sigla em inglês) de 2011. O país subiu nove posições em relação a 2010 e superou os Estados Unidos.

O estudo foi divulgado pelo Instituto pela Economia e pela Paz, um centro de pesquisas internacional sobre as relações entre desenvolvimento econômico e paz no mundo.

O índice, que está em sua quinta edição, classifica os países de acordo com sua pontuação em uma escala de um a cinco. O número um representa mais proximidade do estado de paz e o número cinco, mais distanciamento.

Para avaliar a ausência de violência nos países, uma equipe de acadêmicos, empresários, filantropos e membros de organizações pela paz analisa indicadores como relações com os países vizinhos, instabilidade política, número de homicídios para cada 100 mil pessoas, número de população encarcerada, gastos com a militarização e facilidade de acesso a armas.

A Islândia ocupa o primeiro lugar no ranking de 2011, seguida por Nova Zelândia, Japão, Dinamarca e República Tcheca.

Já a Somália foi considerada o país menos pacífico, substituindo o Iraque, que foi para o penúltimo lugar. Acima deles estão o Sudão, o Afeganistão e a Coreia do Norte.

Em 2011, o Brasil subiu da 83ª para a 74ª posição e ultrapassou os Estados Unidos, que está em 82º lugar, devido principalmente ao envolvimento em conflitos internacionais, à exportação de armas e aos gastos com a militarização do país.

Na América do Sul, o Brasil é o nono país mais pacífico, atrás do Uruguai, que ocupa o primeiro lugar, e de países como a Costa Rica, o Panamá, o Chile e Cuba. Em 2010, o Brasil ocupava a décima posição, atrás da Bolívia.

No entanto, a pesquisa mostra que o Brasil apresenta níveis de crimes violentos, desrespeito aos direitos humanos, número de população encarcerada e número de homicídios por 100 mil pessoas iguais ou maiores do que os níveis da Colômbia e do México, respectivamente o primeiro e o quarto país menos pacíficos do continente.

O Instituto pela Economia e pela Paz, que organiza a avaliação, diz que o mundo está menos pacífico pelo terceiro ano consecutivo.

Em 2011, a pontuação geral média dos países ficou em 2,05 (em uma escala de 1 a 5, em que 5 representa mais violência). Em 2010, o índice global era de 2,02 e em 2009, de 1,96.

“A deterioração no índice entre 2009 e 2010 parece ter sido reflexo dos conflitos que eclodiram em diversos países, estimulados pelo rápido aumento nos preços de alimentos e combustível em 2008 e pela crise econômica”, diz a pesquisa.

Outro fator, de acordo com a instituição, teria sido o aumento do risco de ataques terroristas em 29 países. No entanto, a pesquisa também atribui a melhora no índice de paz de alguns países a uma diminuição nos gastos com a defesa nacional, forçada pela crise econômica que afetou o mundo em 2008.
******
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-05-26/brasil-sobe-nove-posicoes-e-ultrapassa-estados-unidos-em-ranking-global-da-paz

Humala critica agressão a Keiko Fujimori e se dispõe a investigar incidente

26.05.2011
Do OPERA MUNDI
Por Efe | Lima


O candidato nacionalista à Presidência do Peru, Ollanta Humala, criticou nesta quarta-feira (25/05) a agressão de supostos seguidores seus contra a congressista Keiko Fujimori, sua rival no segundo turno do pleito presidencial de 5 de junho, e assinalou que o incidente será investigado.

"Nós rejeitamos qualquer tipo de violência e vamos investigar se de fato houve isso. Assim como damos direções claras para que não haja atos de violência, esperemos que o outro lado também dê uma mensagem clara", declarou aos jornalistas.

Keiko Fujimori foi agredida por um grupo de militantes nacionalistas na cidade de Bambamarca e acusou seu rival político de estimular o incidente. Keiko foi a Bambamarca para um comício que contou com a presença de três mil pessoas, ato que foi criticado por cerca de 50 seguidores de Humala. Estes militantes lançaram ovos contra Keiko e atacaram vários veículos de sua comitiva a pedradas.

A congressista se mostrou surpresa que o ataque tenha acontecido no dia em que completava 36 anos. Por ocasião da data, Humala lhe enviou uma saudação através do Twitter: "Felicidades também à senhora Fujimori por seu aniversário. Tomara também que tenha um momento para desfrutá-lo com sua família".

As últimas enquetes com relação ao pleito de 5 de junho atribuem a Keiko Fujimori uma ligeira vantagem sobre Ollanta Humala, embora cerca de 20% dos eleitores tenham assinalado que ainda não decidiram em quem votarão.
******
Fonte:http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticia/HUMALA+CRITICA+AGRESSAO+A+KEIKO+FUJIMORI+E+SE+DISPOE+A+INVESTIGAR+INCIDENTE_12204.shtml

Palocci está prestando as explicações necessárias aos órgãos de controle, diz presidenta

26/05/2011
Política
Yara Aquino
Repórter da Agência Brasil

Brasília
– A presidenta Dilma Rousseff saiu hoje (26) em defesa do chefe da Casa Civil da Presidência da República, ministro Antonio Palocci, afirmando que ele está prestando aos órgãos de controle as explicações necessárias sobre sua evolução patrimonial nos últimos quatro anos.

Dilma também falou sobre a denúncia feita por deputados do PSDB de que Palocci teria favorecido a empresa WTorre, que usou os serviços da consultoria do atual chefe da Casa Civil. “Sobre a questão da devolução dos impostos da empresa WTorre, a Fazenda demorou em certo tempo, em torno de dois anos, e a Justiça determinou à Fazenda o pagamento da restituição devida à empresa. Não se trata, de maneira alguma, de manipulação. Lamento que um caso como este esteja sendo politizado”, afirmou a presidenta, após cerimônia no Palácio do Planalto.

Ontem (25), o líder do PSDB na Câmara, Duarte Nogueira, apresentou documentos que sugeriam que a Receita Federal teria dado prioridade à empreiteira WTorre na análise de dois pedidos de restituição. Dois pagamentos foram liberados quase simultaneamente, mas, de acordo com o partido, um deles tinha sido protocolado quase um ano antes do outro.

O Ministério da Fazenda divulgou nota alegando que o pagamento das restituições do Imposto de Renda à empreiteira WTorre ocorreu por determinação da Justiça. Na nota, o ministério informou que cumpriu liminar da 22ª Vara Federal Cível de São Paulo, concedida em agosto do ano passado.

Edição: Nádia Franco
****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-05-26/palocci-esta-prestando-explicacoes-necessarias-aos-orgaos-de-controle-diz-presidenta

Cristóvão Feil: Ruralistas vaiam anúncio de morte de extrativistas do Pará

26.05.2011
Do blog de Luiz Carlos Azenha
Por Cristóvão Feil, no excelente Diário Gauche, sugestão do leitor Pedro Henrique

Era perto das 16h quando uma cena grotesca aconteceu no plenário da Câmara dos Deputados. O líder do Partido Verde, José Sarney Filho, lia uma reportagem sobre o extrativista José Claudio Ribeiro da Silva, brutalmente assassinado pela manhã no Pará, junto com sua mulher Maria do Espírito Santo da Silva, também uma liderança amazônica. Ao dizer que o casal que procurava defender os recursos naturais havia morrido em uma emboscada, ouviu-se uma vaia. Vinha das galerias e também de alguns deputados ruralistas.A indignidade foi contada no Twitter e muito replicada. “Foi um absurdo o que aconteceu”, diz Tasso Rezende de Azevedo, ex-diretor geral do Serviço Florestal Brasileiro. “Ficamos estarrecidos”. A informação é do jornal Valor Econômico, edição de hoje 25/5.

O assassinato de Zé Claudio, como era conhecido, e de Maria do Espírito Santo aconteceu às 7h da manhã, a 50 km de Nova Ipixuna, sudeste do Estado, na comunidade de Maçaranduba. “Eles vinham no carro deles, indo para a cidade. Tinha uma ponte meio danificada no igarapé. Ele desceu para ver e ali foi a emboscada”, conta Atanagildo Matos, diretor da regional Belém do Conselho Nacional das Populações Extrativistas, o ex-Conselho Nacional dos Seringueiros. Zé Claudio foi morto fora do carro, Maria foi baleada dentro do veículo. Uma orelha foi arrancada pelos pistoleiros, conta Atanagildo, o primeiro a ser avisado por Clara Santos, sobrinha de Zé Claudio.

O casal vinha sofrendo ameaças desde 2008. “É um área muito tensa, que vinha sofrendo muita pressão de madeireiros e carvoeiros”, conta Atanagildo. “Era a última área da região com potencial florestal muito bom. Zé Claudio e Maria resistiam muito ao desmatamento.” Os dois viviam em Nova Ipixuna há 24 anos, em um terreno de 20 hectares no Projeto de Assentamento Agroextrativista (Paex) Praialta – Piranheira, às margens do lago de Tucuruí. Extraíam óleo de andiroba e castanha.

Em palestra em novembro, no evento TEDx Amazônia, Zé Claudio denunciava o desmate. “É um desastre para quem vive do extrativismo como eu, que sou castanheiro desde os 7 anos da idade, vivo da floresta e protejo ela de todo jeito. Por isso, vivo com a bala na cabeça, a qualquer hora”.

Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência estava no Fórum Interconselhos quando um dirigente da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) deu a notícia. Foi ao Palácio, relatou à presidente Dilma Rousseff e ela determinou ao ministro da Justiça José Eduardo Cardozo que a Polícia Federal apure o assassinato dos sindicalistas.

*****

“O Palocci acertou o veio.”

26.05.2011
Do blog CONVERSA AFIADA
Por Paulo Henrique Amorim

Trabalhando tá muito dificil

O motorista de taxi, vestido de corintiano da cabeça aos pés, me pergunta de estalo:

- E o Pimenta, vai ficar preso ?, Paulo Henrique.

- Só um pouco, respondo.

- E aquele médico que agarrava as mulheres ?

- Ah, esse sumiu. Foi agarrar em outra freguesia.

- E aquele banqueiro que o Protógenes não bota ele na cadeia, nunca ?

- Esse não vai preso nunca.

- E o Palocci ?

- O que é que tem o Palocci ?, aí, eu é que pergunto.

- O Palocci acertou o veio, Paulo Henrique.

- O que é que quer dizer isso … “acertou o veio”.

- Paulo Henrique, trabalhando fica difícil. Muito difícil. Você sabe …

- É verdade …

- Trabalhando não dá. Você tem que acertar o veio.

- O que é que é isso ? Que veio ?

- Olha só, Paulo Henrique. O dinheiro tá aí. Olha só – e aponta para fora da janela. Estávamos em Higienópolis, único lugar do mundo em que o Farol de Alexandria se elegeria alguma coisa.

- Tá aí, onde ?

- Aí fora … Olha só que predião bonito. Ele tá cheio de dinheiro.

- E o “veio” ?

- O veio é o seguinte. Você tem que acertar o veio. O veio é que vai fazer os caras botarem dinheiro na tua conta do banco …

- Mas, isso não é corrupção ?

- Não, senhor ! Não tem nada de corrupção, ele explica. Se você acertar o veio, o cara vai lá, pega o dinheiro dele – que dinheiro é o que não falta – pega o dinheiro dele e põe na tua conta.

- Mas, como é que o cara tira o dinheiro do bolso dele e põe na tua conta, assim, sem mais nem menos, eu pergunto atônito e perplexo, como diria o Mino.

- Paulo Henrique … você tem que acertar o veio … o veio.

- É, pode ser.

- Porque trabalhando tá muito difícil…

Pano rápido


Paulo Henrique Amorim

*****

Espigões para conter o mar

26.05.2011
Do DIÁRIO DE PERNAMBUCO
Por Vida Urbana

Quebra-mares em forma de %u201CT%u201D serão colocados em pontos específicos das praias

Clique aqui para ampliar
Morador da Avenida Boa Viagem, o engenheiro Petrônio Gama, 65, acompanha há mais de 20 anos os efeitos do avanço do mar e da erosão. Em todos esses anos, apenas um projeto de contenção foi apresentado pela Prefeitura do Recife. Em 2003, a proposta era implementar um arrecife artificial com cerca de 2,2 quilômetros de extensão e 200 metros da faixa de areia. A Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos não aprovou a ideia. Ontem, a empresa norte-americana Coastal Planning apresentou uma nova realidade, aparentemente mais eficiente. A iniciativa trouxe esperança ao engenheiro Petrônio Gama. “Quem sabe agora finalmente vamos ter a praia de volta”, disse.

Serão colocados quatro espigões em forma de “T”, responsáveis por reduzir o impacto da força do mar e consequentemente da erosão desenfreada, na altura do Parque Dona Lindu. A extensão é de 5,7km. A proposta de engordamento da praia de 60 metros também foi adotada no projeto. O trecho citado será coberto por cerca de 780 metros cúbicos de areia.

Rodrigo Barletta, gerente técnico da Coastal Planning, informou que as obras têm uma vida útil e vão requerer manutenção pelo menos a cada cinco anos. “A continuidade das manutenções vai reduzir os custos com essa atividade, mas não podemos esquecer que a mesma requer um gerenciamento constante da prefeitura”, explicou Rodrigo Barletta.

A intervenção em Olinda será em três pontos: Carmo, Bairro Novo e Casa Caiada. Os atuais espigões que se estendem por quase nove quilômetros de orla serão trocados pelos em forma de “T”. Os quebra-mares serão sedimentados em três partes. A maior intervenção prevista será no bairro de Casa Caiada. A extensão no local é de 5,3km. A proposta de engordamento é de aproxidamente 40 metros. No trecho citado serão colocados cerca de 780 metros cúbicos de areia. O investimento é de cerca de R$ 32 milhões.

Em Paulista, as praias do Janga e Maria Farinha vão passar por intervenções. Na primeira, a área de recuperação será de 10km. O engordamento chega a 60 metros, que serão cobertos por 907 mil metros cúbicos de areia. Em Maria Farinha, a extensão é de 3km, com inserção de 660 mil metros cúbicos de areia.

Pioneiro

Jaboatão dos Guararapes deve sofrer intervenções para a recuperação da sua orla já no próximo semestre. A expectativa é de que em agosto ou setembro a empresa contratada, a partir de licitação, dê início às obras. O trecho beneficiado tem 5km, indo de Barra de Jangada até as proximidades da Igrejinha de Piedade. A Coastal Planning acredita que as obras custarão cerca de R$ 25 milhões, recurso garantido em emenda parlamentar.

O processo de licitação será aberto para a contratação da empresa que fará as dragagens. Segundo o secretário, a areia utilizada no engordamento será retirada do fundo do mar. Com o volume das jazidas submarinas, a faixa poderá chegar a 40 metros de comprimento. Cerca de 800 mil metros cúbicos de areia, o equivalente a 130 mil caminhões cheios, serão necessários para a recuperação de toda o trecho da orla.

*****

Escorraçado do cenário político pelos eleitores, Arthur Virgílio pede cargo em embaixada

26.05.2011
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA

Afastado do Itamaraty desde 1982, o ex-senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) assumirá nos próximos dias o posto de conselheiro especial na Embaixada do Brasil em Portugal. Arthur Virgílio, rejeitado nas urnas, era o protegido da mídia. Ficou o mandato inteiro criticando o governo Lula e teve, como tantos outros, o destino merecido. Foi escorraçado do cenário político.E agora com a maior cara de pau do mundo, pede emprego no governo que criticou a vida toda..

Ele pediu cargo

O tucano conta que, além de Portugal, ofereceram a ele outros dois países e um cargo no escritório de representação do Itamaraty na região norte do Brasil.

"A intenção pode ter sido a melhor possível, mas eu expliquei que não podia aceitar uma coisa que achei pequena", disse.

Segundo o Itamaraty, o tucano pediu para participar de missão transitória no exterior.

"O que eu vou fazer lá? Vou combinar com o embaixador. Eu gostaria muito de cuidar dos países africanos de língua portuguesa", afirmou Virgílio.Como conselheiro especial, ele terá um salário mensal bruto de R$ 16.500.

Algoz do Itamaraty pede cargo

O ex-senador tucano foi um dos principais opositores ao governo Lula no Congresso,foi também um algoz do Itamaraty quando participou da Comissão de Relações Exteriores do Senado, muitas vezes crítico as decisões da gestão do ex-chanceler Celso Amorim.

Virgílio entrou no Itamaraty em 1976 pelo concurso do Instituto Rio Branco, de formação de diplomatas. No ano seguinte pediu licença de 10 meses para cuidar de "interesses particulares", segundo os registros do Ministério. Pelo mesmo registro interno, em 1982 ele saiu de licença e desde então estava afastado. Quando deixou a carreira de diplomata para seguir a vida política, Virgílio era segundo secretário, segundo posto mais baixo na hierarquia do Itamaraty.
*****

José Serra manda bater mais forte...

26.05.2011
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA, 25.05.11


Você viu o Jornal Nacional edição PSDB?

Hoje o assunto foi...Palocci

Nesta quarta, o PSDB convocou jornalistas para fazer uma nova denúncia. O deputado Fernando Franceschini encontrou no Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal, o Siafi, duas ordens bancárias da Receita Federal para a construtora WTorre.

Então o deputado tucano quer CPI

Esqueceu que a WTorre também doou R$ 300 mil para a campanha de José Serra à presidência da República.

Os pagamentos foram feitos por ordem judicial.


Em nota, a WTorre informou que entrou com um mandado de segurança na justiça, em abril de 2010, para conseguir a restituição do Imposto de Renda. O dinheiro foi pago em outubro do mesmo ano, porque a justiça deu ganho de causa à ação.

Segundo o comunicado, o juiz federal José Henrique Prescendo entendeu que a empresa vinha sendo prejudicada por ter aguardado mais de um ano a análise dos pedidos de restituição sem obter resposta. Na decisão, ele ordenou que o imposto fosse devolvido em até 30 dias. O pagamento ocorreu em outubro de 2010, portanto depois do prazo determinado pela Justiça.

O Ministério da Fazenda afirma que o pagamento das restituições do Imposto de Renda à empreiteira WTorre ocorreu por determinação da Justiça. De acordo com nota divulgada na noite desta quarta-feira, o ministério informou que cumpriu liminar da 22ª Vara Federal Cível de São Paulo concedida em agosto do ano passado.

A Fazenda havia emitido outra nota, alegando que nenhum dos dois processos de análise de restituição do Imposto de Renda teve tratamento especial pela Receita. De acordo com o comunicado, os dois pedidos foram protocolados no mesmo dia, mas um pedia a restituição do Imposto de Renda de 2008 e o outro se referia à restituição de 2009.

A secretaria da Receita Federal confirmou que a restituição foi feita por determinação judicial e que não houve nenhum favorecimento à construtora. Segundo a Receita, no mesmo dia, mais de 3.3 mil empresas também foram contempladas. O deputado tucano só viu a WTorre

A empresa Projeto negou ter realizado qualquer trabalho envolvendo órgãos públicos e reafirmou que todos os seus contratos possuem cláusula de confidencialidade que impedem a revelação dos nomes dos seus clientes e os serviços prestados.
****
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2011/05/jose-serra-manda-bater-mais-forte.html

Legalização de assentamentos pode conter violência no campo, afirma ministra

26/05/2011
Meio Ambiente Política
Alex Rodrigues
Repórter Agência Brasil

Brasília
- A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, garantiu hoje (26) que o governo federal tenta acelerar os procedimentos de regularização fundiária e ambiental de assentamentos rurais, o que pode reduzir a violência no campo. Ao participar, em Brasília, da reunião do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), a ministra afirmou que a legalização dos assentamentos é uma das principais formas de minimizar o problema.

Após destacar que a insegurança jurídica à que estão expostos muitos dos agricultores familiares brasileiros – setor que responde por cerca de 70% da produção nacional de alimentos – tem que ser solucionada, a ministra comentou o assassinato do casal de seringueiros João Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo, ocorrido na terça-feira (24), no Pará. O casal denunciava a extração ilegal de madeira no sudeste do estado.

“Não é possível que o país fique exposto a sucessivos crimes dessa natureza”, declarou Izabella Teixeira, para quem os sucessivos crimes contra sindicalistas, ambientalistas e defensores dos direitos humanos funcionam como um intolerável recado de que, no país, defender o meio ambiente é uma ameaça de morte.

“Acho inaceitável que a sociedade brasileira tolere ou permita que este tipo de prática ocorra. Os governos federal e estadual estão fazendo todos os esforços para apurar esse crime e eu tenho certeza de que vamos pegar os criminosos”, afirmou a ministra.

Izabella Teixeira também comentou a aprovação pela Câmara dos Deputados do novo texto do Código Florestal, que será apreciado pelo Senado e submetido, ainda, à sanção ou ao veto da presidenta da República, Dilma Rousseff.

A ministra disse estar tranquila pois, mesmo o governo federal tendo sido derrotado na Câmara dos Deputados, a proposta é “sólida, coerente e foi negociada com todos os setores da sociedade de forma a olhar para o futuro, e não apenas para o passado, para a resolução do passivo de alguns agricultores”.

“Tenho certeza de que o processo na Câmara foi um aprendizado e que iremos para o Senado discutir a proposta que não é só do ministério, mas sim do governo federal. E a presidenta [Dilma Rousseff] já afirmou que seu compromisso está mantido”, disse a ministra, em referência à intenção do governo de tentar reverter, no Senado, a aprovação de itens como a anistia para quem desmatou áreas de preservação permanente ou de reserva legal até 2008 e que repassa aos governos estaduais e do Distrito Federal poder de decidir sobre atividades agropecuárias em áreas de preservação permanente.

Edição: Talita Cavalcante
****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-05-26/legalizacao-de-assentamentos-pode-conter-violencia-no-campo-afirma-ministra

Aos poucos, a “democracia” de Uribe é desnudada

26.05.2011
Do blog TIJOLAÇO, 24.05.11
Por Brizola Neto

O ex-presidente colombiano Álvaro Uribe, saudado pela direita latinoamericana como o “grande estadista” da região, aos poucos vai tendo desmascarados os métodos que praticava.

Depois de revelada a montagem dos supostos “arquivos das Farc”, agora a Justiça daquele país mandou ex-diretora do Departamento Administrativo de Segurança no governo Uribe, María del Pilar Hurtado (foto), acusada de envolvimento de escutas ilegais.

Ela está exilada no Panamá desde novembro de 2010, deixou o cargo diante das denúncias, feitas pela imprensa local de que o organismo realizava interceptações ilegais contra juízes, jornalistas e políticos da oposição durante o governo do ex-presidente Álvaro Uribe (2002-2010), dia a agência italiana Ansa.

A Procuradoria Geral da Colômbia já a inabilitou por 18 anos para exercer cargos públicos devido a essa ação judicial.

Outro auxiliar direto de Uribe , Bernardo Moreno, ex-secretário-geral da Presidência é acusado de estar por trás das escutas e dos procedimentos ilegais.

O governo do Panamá não concedeu a prisão de Hurtado, por alegar que a causa contra ela tem caráter político.

Uribe era, no Governo, o queridinho dos EUA e concedeu aos americanos o direito de instalar diversas bases militares no país.

*****

Iriny Lopes defende lista fechada na eleição de deputados e vereadores

26.05.2011
Da Agência Brasil
Por Gilberto Costa
Repórter da Agência Brasil

Brasília - A ministra-chefe da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM), Iriny Lopes, defende que a reforma política estabeleça o voto em lista fechada para a escolha de vereadores, deputados estaduais, deputados distritais e deputados federais.

Ela é a favor também que os partidos ou coligações tenham o mesmo número de candidatas e candidatos, que poderão ser eleitos conforme ordem alternada por sexo. O número de pessoas eleitas dependerá do total de votos obtidos pelo partido ou coligação.

“A reforma é fundamental para modernização do país”, avalia ao ponderar que, apesar de o país ser governado por uma mulher, a repartição do poder é desigual. “A eleição de Dilma [Rousseff] não criou um efeito cascata”, disse, durante o programa Bom Dia, Ministro, produzido pela EBC Serviços em parceria com a Secretaria de Comunicação da Presidência da República, se referindo à eleição de poucas governadoras, senadoras e deputadas.

Atualmente, há no Congresso Nacional apenas 44 deputadas (menos de 9% da composição da Câmara dos Deputados). As mulheres representam 52% da população e formam 51% do eleitorado brasileiro. Oito partidos com representação no Congresso não têm nenhuma parlamentar eleita.

Para Iriny Lopes, que é deputada licenciada (PT-ES), os partidos descumprem a cota de 30% de candidaturas femininas e também não respeitam regras da legislação eleitoral, por exemplo, quanto à destinação do percentual de participação das mulheres nas propagandas eleitorais gratuitas no rádio e na TV.

Durante o programa, a ministra relatou que na campanha do ano passado reclamou do descumprimento da lei e teve como resposta do seu próprio partido que a “coligação chiou”. Ela, então, recorreu ao Tribunal Regional Eleitoral que respondeu por escrito que o tempo seria igual para todos os candidatos, independentemente do sexo.

A reforma política começou a ser discutida no governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) e desde então resultou em pequenas mudanças da legislação eleitoral. Caso o Congresso Nacional não faça a reforma no começo dessa legislatura, Iriny Lopes defende que a bancada feminina se articule e, por meio de emenda constitucional, crie instrumentos legais que assegurem a maior participação das mulheres nos parlamentos.

Edição: Talita Cavalcante

****

Prefeitura usa nº do PSDB para emplacar carros em cidade no PR

26.05.2011
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA

Oito carros comprados pela Prefeitura de Candói (320 km de Curitiba) foram emplacados com a numeração 4545, repetição do número do PSDB, partido do prefeito da cidade, Elias Farah Neto.

O prefeito, que exerce o terceiro mandato, diz não ver irregularidades no emplacamento e afirma que o número 45 o persegue não só na vida pública, mas também em suas atividades privadas.

"Quando eu comprei o meu carro, ganhei do despachante [de veículos] a placa 4545", diz. "No ano passado, completei 45 anos de casamento. O número 45 só me traz alegria", afirma.

Farah Neto diz que não pretende mudar o número das placas voluntariamente. "Se houver uma decisão judicial eu me curvo diante dela", diz. O Ministério Público Estadual investiga o caso.

A numeração das placas, segundo o prefeito, foi escolhida pelo secretário de Administração, João Jardelon. Não houve, porém, a intenção de divulgar o número do partido, segundo Farah Neto, que não soube dizer se o secretário é filiado ao PSDB.

"Pode ser um cochilo do secretário, mas, para mim, é uma coisinha tão pequena que eu prefiro continuar com ele, porque é um bom secretário", diz Farah Neto.

O prefeito afirma que o episódio é "mais uma denúncia" contra ele em razão da proximidade das eleições municipais de 2012.

"À medida que vai chegando a campanha política, vai despertando a ira dos adversários que não se conformam com projetos sociais pioneiros [realizados em Candói]. Isso aguça o ódio, a cobiça, sei lá o que", diz.

O Ministério Público informou que as investigações estão em fase inicial e que um procedimento semelhante foi instaurado em Foz do Jordão, na mesma região.

Lá, o prefeito Anildo Alves da Silva, que é filiado ao PMDB, emplacou carros com iniciais do seu nome e o número 1515, numa referência ao seu partido.Folha tucana
*****

Empresa da filha do José Serra cresceu 50.000 vezes em apenas 42 dias

26.05.2011
Do blog OS AMIGOS DO BRASIL
Por Zé Augusto

A imprensa brasileira que divulgou o dossiê Palocci, noticiando que seu patrimônio aumentou 20 vezes em 4 anos, o que dirá do aumento vertiginoso de 50.000 vezes da empresa da filha de José Serra (PSDB/SP) em 42 dias?

Verônica Allende Serra, filha de José Serra, era sócia da empresa DECIDIR.COM BRASIL, já conhecida de outras reportagens.

A empresa teve seu capital multiplicado por 50.000 (cinquenta mil vezes)… repetindo para você ter certeza do que está lendo: 50 MIL VEZES!

E isso em apenas 42 dias.

A empresa foi criada no dia 8 de fevereiro de 2000, com capital de R$ 100,00 (cem reais).

Quinze dias depois, no dia 22 de fevereiro de 2000, o nome da empresa mudou para “Decidir.com Brasil S.A.” e a sócia Verônica Allende Serra (filha de José Serra) assumiu o cargo de Diretora e de Vice-presidente da empresa.

Em 21 de março de 2000, passados 42 dias da criação da empresa, o capital foi aumentado para R$ 5.000.000,00 (cinco milhões de reais), ou seja 50 mil vezes o valor incial.

Detalhes:

Verônica Allende Serra não era apenas filha de José Serra. Também era sócia do pai em outra empresa, de consultoria, simultaneamente: na ACP – ANÁLISE DA CONJUNTURA ECONÔMICA E PERSPECTIVAS LTDA (conforme citado na ação proposta do Ministério Público Federal, aqui)

José Serra era ministro da Saúde no governo de Fernando Henrique Cardoso, nesta época, e pré-candidato à presidência da República.

O Ministério Público Federal apurou que José Serra NÃO DECLAROU sua empresa de consultoria à Justiça Eleitoral, nas eleições em que concorreu em 1994, 1996 e 2002.

Documentação comprova:

Nosso blog não precisou bisbilhotar o sigilo fiscal na Secretaria de Fazenda de São Paulo (comanda pelo serrista Mauro Ricardo), para obter os documentos abaixo:

******