Pesquisar este blog

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Após pressão de religiosos, Dilma suspende produção de "kit homofobia"

25.05.2011
Da Agência Brasil
Por Luciana Lima
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Depois de se reunir hoje (25) com deputados da chamada bancada religiosa, o governo decidiu suspender todas as produções que estavam sendo editadas pelos ministérios da Saúde e da Educação sobre a questão da homofobia. De acordo com o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência da República, a presidenta Dilma Rousseff assistiu vídeos do chamado "kit homofobia" e não gostou do tom das produções.

"A presidenta decidiu suspender esse material e suspender também a distribuição", disse o ministro, após se reunir com cerca de 30 deputados, entre eles, o líder do PR na Câmara, Lincoln Portela, e Anthony Garotinho.

De acordo com Gilberto Carvalho, todo material sobre "costumes" será produzido após consulta a setores da sociedade interessados, inclusive a bancada religiosa.

"A presidenta se comprometeu, daqui para a frente, que todo material sobre costumes será feito a partir de consultas mais amplas à sociedade, inclusive às bancadas que têm interesse nessa situação. Nós entendemos que é importante que, para ser produtivo e atingir seu objetivo, esse material seja fruto de uma ampla consulta à sociedade, para não gerar esse tipo de polêmica que, ao fim, acaba prejudicando a causa para a qual ele é destinado", disse Carvalho.

O governo admite que a decisão foi provocada pela pressão da bancada religiosa. "Na verdade o governo recebeu hoje a bancada evangélica e católica que vieram contestar os materiais atribuídos aos ministérios da Educação, da Cultura e da Saúde. O governo informou aos deputados que estão suspensas todas as produções de materiais que falem dessas questões, sobretudo dessa questão comportamental", informou o ministro.

"A posição do governo é clara. Estão suspensas a edição e a distribuição desse material. E qualquer material daqui para frente passará por um crivo de um debate mais amplo da sociedade", enfatizou Gilberto Carvalho.

O kit de combate à homofobia foi elaborado por entidades de defesa dos direitos humanos e da população LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e travestis) a partir do diagnóstico de que falta material adequado e preparo dos professores para tratar do tema. O preconceito contra alunos homossexuais tem afastado esse público da escola, apontam as entidades.

Na semana passada, o ministro da Educação, Fernando Haddad, em entrevista ao programa de rádio Bom Dia, Ministro, negou que o ministério tivesse decidido pela alteração do conteúdo do kit de combate à homofobia. “O material encomendado pelo MEC visa a combater a violência contra homossexuais nas escolas públicas do país. A violência contra esse público é muito grande e a educação é um direito de todos os brasileiros, independentemente de cor, crença religiosa ou orientação sexual. Os estabelecimentos públicos têm que estar preparados para receber essas pessoas e apoiá-las no seu desenvolvimento”, defendeu Haddad à época.

O material do kit ainda não havia sido finalizado pelo governo. Entretanto, três vídeos que vazaram pelainternet provocaram polêmica há duas semanas. Apesar das críticas, o kits ganharam apoio da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e a Cultura (Unesco) que lançou seu parecer favorável ao material. Na avaliação da Unesco, o material iria contribuir para a redução do estigma e da discriminação. O material deveria ser distribuído a 6 mil escolas de ensino médio.

Edição: Lílian Beraldo

****

Machu Pichu: a fascinação Inca antes e depois do desastre

25.05.2011
Do MSN NOTÍCIAS, 27.04.11
Por Javier Otazu, Agência EFE

Dos dois milhões de turistas que entram no Peru, a maioria o faz para ver o famoso monumento; tanto é, que seu fechamento durante dois meses causou perdas próximas a US$ 200 milhões só no setor de turismo // EFE (EFE)



Dos dois milhões de turistas que entram no Peru, a maioria o faz para ver o famoso monumento; tanto é, que seu fechamento durante dois meses causou perdas próximas a US$ 200 milhões só no setor de turismo
Os profissionais do turismo no Peru falam da necessidade de "desmachupizar" o país e promover entre os viajantes outras das muitas riquezas que ele tem, mas a realidade é esta: dos dois milhões de turistas que entram no Peru, a maioria o faz para ver o famoso monumento. Tanto que seu fechamento durante dois meses causou perdas próximas a US$ 200 milhões só no setor de turismo.



Já se sabe muitas coisas sobre Machu Picchu: sabe-se que a cidade não chegou a ser terminada, já que os espanhóis chegaram ao Peru durante sua construção e os incas não quiseram deixar esse presente para eles


Machu Picchu é também um dos poucos monumentos que são "etnicamente puros", como se diz agora, pois todo o resto de templos ou casas incas foram modificadas pela herança espanhola ou se levanta sobre civilizações anteriores. Nesta cidade, já se recuperou cerca de 65% do total, como proclamam orgulhosos os arqueólogos.


A cidade não era um santuário, como às vezes é chamada, mas uma cidade multifuncional. Claro que houve templos e palácios, mas o que hoje mais chama a atenção dos turistas é o relógio solar (que marca as estações, mais do que as horas), o observatório astronômico e a Casa do Condor, onde os incas homenageavam sua ave sagrada.

As chuvas do final de janeiro arrancaram quilômetros de trilhos de trem // EFE (EFE)
As chuvas do final de janeiro arrancaram quilômetros de trilhos de trem
A fascinação de Machu Picchu é compreensível: encravada em imponentes colinas que beijam as nuvens carregadas de água, a cidade inca fica a meio caminho entre os agrestes Andes e a Floresta Amazônica, dentro da chamada "sobrancelha de selva", e tudo ao redor é verde e exuberante.

Nesse lugar único e quase inacessível, os incas levantaram uma cidade para cuja construção tiveram que transportar praticamente tudo: areia, argila e pedras. De pouco lhes serviram os únicos animais de carga que então conheciam, as lhamas, pois elas podiam carregar apenas 25 quilos, por isso que é certo que foram braços humanos que transportaram as toneladas de materiais necessárias para construir nas alturas.

Além disso, os incas desmancharam literalmente uma colina para criar um planalto artificial onde instalar sua cidade, e sobre esse planalto dispuseram várias camadas de argila e areia para dar estabilidade a suas construções.

Quando o planalto ficou pequeno, começaram a "domesticar" a montanha circundante criando um conjunto de plataformas de estação ou terraços onde cultivar sua muito sofisticada agricultura.
Nos meses de fevereiro e março o Governo peruano reabilitou pelo menos um quarto da via (28 quilômetros de um total de 102) e no dia 1° de abril o monumento pôde ser reaberto, enquanto as outras vias são reparadas // EFE (EFE)
*****
Fonte:http://viagem.br.msn.com/Galeriadefotos.aspx?cp-documentid=24049716&page=3

Mulheres são minoria entre assalariados em todos os Estados

25.05.2011
Do MSN NOTÍCIAS
Por Daniela Amorim, da Agência Estado, estadao.com.br

As mulheres ainda são minoria entre os trabalhadores assalariados de empresas em todo o País. Santa Catarina é o Estado com a maior participação de mulheres, de 39,6%, entre a força de trabalho assalariada, segundo o Cadastro Central de Empresas 2009 (Cempre), divulgado hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Outros Estados em que a participação das mulheres foi considerável, embora sempre menor que a masculina, foram Rio Grande do Sul (38,5%), Roraima (37,3%), Paraná (36,9%) e Distrito Federal (36,8%).

Já o Estado que teve a maior participação de homens foi Alagoas, com 77,2% do pessoal ocupado assalariado formado pelo sexo masculino. O Estado foi seguido por Pará (71,5%), Maranhão (71,4%), Paraíba (70,3%) e Tocantins (69,5%).

Na classificação por nível de escolaridade, os Estados que tiveram as maiores participações de empregados com curso superior no total de assalariados foram São Paulo (40,9%), Rio de Janeiro (12,3%), Minas Gerais (8,9%), Paraná (6,4%) e Rio Grande do Sul (4,7%).

O Distrito Federal foi a região com a maior proporção de profissionais com diploma universitário (13,2%), seguido por Rio de Janeiro (11,9%) e São Paulo (11,6%). O Estado com a maior participação de pessoal ocupado sem nível superior foi Rondônia (95,2%), seguido por Acre (95,0%) e Alagoas (94,5%).

O Distrito Federal também apresentou o maior salário médio do País, de 6,7 salários mínimos, enquanto a Paraíba registrou a pior média salarial, de 2,3 salários mínimos.
*****
Fonte:http://estadao.br.msn.com/economia/mulheres-s%c3%a3o-minoria-entre-assalariados-em-todos-os-estados

Padre Lancellotti e o crime da mídia

25.05.2011
Do blog de Altamiro Borges
Por Antônio Mello, em seu blog:
Em outubro de 2007 comentei aqui:

O padre Júlio Lancellotti fez queixa à polícia de que estava sendo chantageado havia bastante tempo. Levou provas da chantagem. Mas as acusações voltaram-se contra ele, num efeito bumerangue.

O padre, que cuida dos moradores de rua e é diretor de uma entidade que acolhe crianças portadores do vírus HIV, está sendo acusado de pedofilia, desvio de dinheiro de ONG, o diabo. Tudo isso, sem uma prova sequer. Apenas suspeitas. Para deleite de um jornalismo de esgoto.

O padre foi massacrado, ridicularizado. Agora, sai a sentença: o padre era inocente e o casal que o chantageava, culpado:

O casal Anderson Marcos Batista e Conceição Eletério foi condenado nesta segunda-feira, pela 25ª Vara Criminal da Barra Funda, a sete anos e três meses de reclusão pelo crime de extorsão. Em janeiro deste ano, os dois ameaçaram o padre Júlio Lancellotti com denúncias falsas de pedofilia para obter vantagem financeira indevida. Os três já se conheciam devido a realização de trabalhos sociais [Fonte].

Mas, e a mídia porcorativa, a chamada "grande imprensa" que massacrou o padre? Para quem não se recorda ou não acompanhou o caso, reproduzo trecho de reportagem do Inverta:

Padre Júlio Lancellotti: de vítima a réu

Mais uma vez a imprensa corrupta, aproveitando-se de acusações não comprovadas, volta-se contra um defensor dos direitos humanos. Desta vez o alvo é o padre Júlio Lancellotti, transformado de vítima em réu por ter denunciado que o ex-interno da Febem, Anderson Batista, sua mulher, Conceição Eletério e pelos irmãos Everson e Evandro Guimarães o estão extorquindo há 3 anos.

Depois de preso, Anderson Batista afirmou que mantinha relações sexuais com Júlio Lancellotti, que foi quem sempre procurou ver a humanidade das pessoas e das coisas e o ajudou a conseguir emprego e moradia.

Outro envolvido no caso de extorsão do padre também afirmou que mantinha relações com ele em troca de dinheiro. O mais estranho nas acusações de Marcos José de Lima é que ao ser preso em flagrante, no dia 19 de abril, com 49 pedras de crack, não mencionou o nome do padre. Somente em 03 de setembro é que resolve acusar o mesmo. Acusações que foram negadas, inclusive, pelos investigadores que o prenderam e consideradas irrelevantes pela promotora Paula Lamenza. Em 27 de setembro, ele foi condenado a 1 ano e 8 meses de prisão pela juíza da 21ª Vara, Maria Isabel Dias.

As notícias sobre as acusações têm sido apresentadas com grande destaque pelos veículos de divulgação dos oligopólios das comunicações. Os jornais da imprensa corrupta muito pouco ou nada dizem sobre sua atuação.

Júlio Lancellotti sempre ajudou moradores de rua, menores infratores e abandonados. É grande referência na defesa dos pobres, dos excluídos por este sistema de injustiças do Brasil. Foi contemplado com a Medalha Chico Mendes, concedida pelo Grupo Tortura Nunca Mais/RJ todos os anos a todas às pessoas que se destacam na defesa dos direitos humanos aqui e no exterior. [continue lendo].
*****

Dilma manda PF desvendar assassinato de casal, sucessores de Chico Mendes

25.05.2011
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA,24.05.2011


José Claudio Ribeiro da Silva (membro do CNS - Conselho Nacional das Populações Extrativistas - e considerado sucessor de Chico Mendes) e sua mulher Maria do Espírito Santo da Silva foram assassinados na noite de segunda-feira na cidade de Nova Ipixuna, no sudeste do Pará (390 quilômetros de Belém).

A suspeita recai sobre madeireiros da região, que o ameaçavam desde 2008. Pelo jeito, com a volta de um governador tucano se encorajaram. Segundo informações do CNS, desconhecidos costumavam rondar a residência do casal disparando vários tiros para tentar intimidá-los.

José Cláudio da Silva era um dos principais defensores da preservação das floresta amazônica após a morte de Chico Mendes e constantemente fazia denúncias sobre o avanço ilegal na área de de preservação onde trabalhava por madeireiros para extração de espécies como castanheira, angelim e jatobá.

Pelas primeiras informações, o casal saiu do Projeto de Assentamento Agroextrativista Praia Alta Piranheira, localizado a cerca de 50 quilômetros da sede do município de Nova Ipixuna, quando foi cercado em uma ponte por pistoleiros. Ali, eles foram executados a tiros.

Tom da polícia do governador Tucano não cheira bem

A Polícia Civil do Pará está investigando o caso, mas começou mal. Não confirmam ainda a hipótese de execução, supostamente comandada por madeireiros da região.

O Conselho Nacional das Populações Extrativistas (CNS), ONG fundada por Chico Mendes da qual o casal participava, pediu investigação da Polícia Federal e apoio do Ministério Público Federal (MPF) e Assembléia Legislativa do Pará.

A presidenta Dilma Rousseff determinou que a PF ajude a desvendar o caso. (Com informações do Ig)
*****
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2011/05/dilma-manda-pf-desvendar-assassinato-de.html

Chanceler apoia manifestações pacíficas na África e diz que Brasil se dispõe a ajudar

25/05/2011
Internacional
Roberta Lopes e Renata Giraldi
Repórteres da Agência Brasil

Brasília
- O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, reiterou hoje (25) o direito à liberdade de expressão e manifestação no mundo. A afirmação foi uma referência direta aos protestos nos países do Norte da África, como a Líbia, a Tunísia e o Egito. Patriota afirmou que o Brasil se coloca à disposição para cooperar com os líderes políticos dessa região na consolidação do sistema democrático.

“O Brasil defende o direito de manifestação pacífica”, disse o chanceler durante a celebração do Dia da África, no Itamaraty, na presença de embaixadores brasileiros e estrangeiros. “O Brasil tem interesse em cooperar com os países do Norte da África da maneira mais adequada para cada país.”

Na Líbia, a crise se agravou a partir de meados de março quando as forças militares da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) passaram a bombardear o país. Os bombardeios foram autorizados pelas Nações Unidas sob a alegação que o governo de Muammar Khadafi oprime e trata com violência a população civil.

Na Tunísia e no Egito, as manifestações populares provocaram as renúncias dos então presidentes tunisiano BenAli e egípcio Hosni Mubarak. Ambos foram acusados de corrupção, violação de direitos humanos e repressão às liberdades.

Ao discursar para os representantes africanos no Brasil, Patriota ratificou os laços que unem o Brasil à África. “O Brasil quer continuar sendo percebido como um amigo dos países africanos”, disse. Segundo ele, o governo brasileiro mantém 37 embaixadas em países africanos e há 17 representações africanas em Brasília. “O governo Dilma [Rousseff] quer ter uma cooperação inovadora e criativa com os países africanos.”

Tradicionalmente, o Brasil mantém parcerias com os africanos nas áreas de desenvolvimento de projetos agrícolas, de telecomunicações, bancária, além de saúde e educação. Patriota afirmou também que a prioridade será intensificar as parcerias para o combate e tratamento da aids e da anemia falciforme.

Atualmente, o comércio do Brasil com os países africanos movimenta cerca de US$ 25, 9 bilhões, de acordo com dados de 2008. Em geral, as empresas brasileiras investem principalmente nos setores de mineração e construção civil. “Anteriormente os africanos vinham para o Brasil para trabalhar como escravos e hoje assistimos a um movimento oposto: os brasileiros têm ido trabalhar em países africanos como parceiros”, disse o embaixador do Zimbábue no Brasil, Thomas Bvuma.
Edição: Talita Cavalcante
*****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-05-25/chanceler-apoia-manifestacoes-pacificas-na-africa-e-diz-que-brasil-se-dispoe-ajudar

Câmara aprova emenda ao Código Florestal que permite que estados possam legislar sobre meio ambiente

25/05/2011
Política
Iolando Lourenço e Ivan Richard
Repórteres da Agência Brasil

Brasília
- A Emenda 164, de autoria do deputado Paulo Piau (PMDB-MG), que libera plantações e pastos feitos em áreas de preservação permanente (APPs) até julho de 2008, foi aprovada pela Câmara, no começo da madrugada de hoje (25), por 273 votos favoráveis, 182 contrários e 2 abstenções. Na prática ela anistia quem desmatou, o que não é aceito pelo governo.

Além disso, a emenda transfere para estados e o Distrito Federal, em conjunto com a União, o direito de também legislar sobre meio ambiente. A 164 foi negociada com o PMDB e a oposição na semana passada em troca da emenda 183 apresentada pela oposição no último dia 11.

A Emenda 164 altera o Artigo 8º da texto do relator Aldo Rebelo (PCdoB-SP) que estabelece que a intervenção ou supressão de vegetação em APPs, e a manutenção de atividades consolidadas até 22 de julho de 2008, ocorrerá nas hipóteses de utilidade pública, de interesse social ou de baixo impacto ambiental previstas em lei, bem como nas atividades agrossilvopastoris, ecoturismo e turismo rural.

Após a votação, os deputados também aprovaram a redação final do novo Código Florestal que agora seguirá para apreciação do Senado, onde o governo tentará mudar o texto do relator, inclusive suprimindo a Emenda 164.

Edição: Aécio Amado
*****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-05-25/camara-aprova-emenda-ao-codigo-florestal-que-permite-que-estados-possam-legislar-sobre-meio-ambiente

Pimenta Neves e a cumplicidade da mídia

25.05.2011
Do blog de Altamiro Borges, 24.05.11
Por Altamiro Borges

Finalmente, o ex-diretor de redação do Estadão, Antonio Pimenta Neves, está preso – mas não se sabe se por muito tempo, já que no Brasil só ladrão de galinha fica na cadeia. Nesta terça-feira, agentes da Divisão de Captura da Polícia Civil de São Paulo detiveram, em casa, o ex-poderoso jornalista.

Depois de mais de dez anos em liberdade, vivendo em sua mansão de 900 metros quadrados na zona sul da capital paulista, o assassino confesso da também jornalista Sandra Gomide foi levado, sem algemas, para a cadeia. A ordem de prisão foi expedida pelos ministros da 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), que determinaram o cumprimento da pena de 15 anos de reclusão, “inicialmente em regime fechado”.

Impunidade dos ricos e famosos

Em agosto de 2000, o badalado jornalista deu dois tiros na ex-namorada pelas costas num haras em Ibiúna, no interior paulista. Ele inclusive confessou o crime. Sandra Gomide conheceu Pimenta Neves, 30 anos mais velho, em 1996. Depois que o namoro terminou, ele não se conformou e passou a persegui-la, até matá-la. Em maio de 2006, foi condenado a 19 anos de prisão, mas conseguiu habeas corpus e ficou em liberdade.

O caso é uma das aberrações da Justiça. Segundo o ministro Celso de Mello, do STF, “o jornalista valeu-se de todos os meios recursais postos à disposição dele. Enfim, é chegado o momento de cumprir a pena”. Já a ministra Ellen Gracie disse estranhar a lentidão da Justiça. “Como justificar que, num delito cometido em 2000, até hoje não cumpre pena o acusado?”. Outros ministros do STF também choraram o leite derramado!

Omissão criminosa da imprensa

Vários fatores explicam a impunidade do ex-diretor de redação do jornal O Estado de S.Paulo. O principal é que os ricos e famosos não vão para a cadeia no país. Já uma segunda explicação revela à cumplicidade da própria mídia hegemônica. Ela que adora explorar os escândalos, para aumentar a sua tiragem e audiência, sempre protege os poderosos. Nestes longos dez anos, ela evitou destacar o delicado caso Pimenta Neves.

Como apontou Luciano Martins Costa, num artigo de agosto passado no sítio do Observatório da Imprensa, a mídia sempre procurou “esquecer o crime”. Neste sentido, a sua omissão foi também criminosa – em especial, do jornal Estadão. Ele lembra que quando Sandra Gomide rompeu o namoro, o poderoso diretor de redação a demitiu do cargo de editora de economia do Estadão, para o qual a havia promovido.

Silêncio dos "calunistas"

Pimenta Neves “passou a persegui-la, ameaçando com retaliações qualquer empresa que a contratasse”. Ele chegou a invadir o apartamento da jornalista, que registrou o fato em boletim de ocorrência. “Segundo um ex-repórter do Estadão, Pimenta costumava exibir uma arma, emprestada por um amigo publicitário, e chegou a dizer a diretores do jornal que pretendia cometer um assassinato”. A diretoria do Estadão nunca conteve seu poderoso diretor. Depois do assassinato, ainda tentou protegê-lo do noticiário.

A mesma cumplicidade se deu em outros veículos. “Nenhum desses cronistas e articulistas que vociferam contra qualquer coisa que se move se encheu de coragem para comentar que, quase uma década depois, Sandra Gomide segue sendo triplamente vitimada: pelo assassinato covarde, pela ausência de Justiça e pelo esquecimento decretado pela omissão da imprensa... São quase dez anos de um assassinato covarde, impune graças a chicanas de advogados e sob o silêncio omisso da grande imprensa”.
*****

Veja o que muda nas regras dos cartões de crédito

25.05.2011
Do BLOG DA FOLHA
Postado por Valdecarlos Alves

alt

Da Folha.com

O CMN (Conselho Monetário Nacional) decidiu, em novembro do ano passado, padronizar a cobrança de tarifas sobre cartões de crédito e fixar regras sobre o pagamento mínimo da fatura, entre outras mudanças que entram em vigor, a maioria, no dia 1º de junho de 2011.

Quais tarifas podem ser cobradas pela emissora do cartão de crédito?

O número de tarifas cobradas cai de mais de 80 para apenas cinco serviços: anuidade, emissão de segunda via, saque, pagamento de contas no cartão e avaliação emergencial de limite de crédito.

Quando entra em vigor?

A mudança começa a valer em 1º de junho de 2011 para cartões emitidos a partir desta data. E a partir de 1º de junho de 2012 para cartões emitidos até 31 de maio de 2011.

Qual é o valor mínimo exigido para pagamento da fatura?

A partir de 1º de junho, o valor mínimo para pagamento mensal do cartão de crédito será de 15% do valor total da fatura. Hoje não há essa exigência. A partir de 1º de dezembro, o valor sobe para 20% do valor total da fatura. O objetivo é evitar endividamento excessivo das famílias.

O que acontece com o cliente que pagar valor inferior?

O não pagamento desse valor será considerado uma operação de crédito, com incidência de juros e encargos previstos no contrato com o banco sobre o valor remanescente.

Obrigação de oferecer cartão de crédito básico.

Os bancos ficam obrigados a oferecer o cartão básico, nacional ou internacional. Trata-se do cartão usado apenas para pagamento de compras, contas ou serviços. Esse cartão não pode ser associado a programas de benefícios ou recompensas. Esse produto deve ter preço menor que o dos demais cartões oferecidos pela mesma emissora.

Envio de cartão não solicitado e cobrança indevida.

Conforme as regras que já estão em vigor, as empresas continuam proibidas de enviar cartões sem o pedido do consumidor. Assim como acontece no caso de cobrança indevida, o cliente deve procurar primeiro o banco, depois o servido de atendimento ao consumidor ou ouvidoria caso não seja atendido. Se não tiver sucesso, pode recorrer ao Banco Central e a órgãos de defesa do consumidor.

Fonte: Cartilha Cartão de Crédito do Banco Central do Brasil.
******

Delma Freire confessa ter arquitetado morte de Jennifer

25.05.2011
Da FOLHA DE PERNAMBUCO

25052011grecife-01Após o tumulto, que resultou no adiamento do julgamento dos quatro acusados de matar a turista alemã Jennifer Kloker marcado para começar ontem, Delma Freire de Medeiros, de 49 anos, resolveu quebrar o silêncio. Em entrevista exclusiva à repórter Priscilla Aguiar, da Folha de Pernambuco, Delma confessou pela primeira vez que planejou o crime junto com o irmão Dinarte Dantas de Medeiros e afastou qualquer culpabilidade do filho Pablo Richardson Tonelli e do companheiro Ferdinando Tonelli. Na Colônia Penal Feminina de Abreu e Lima, ontem, durante duas horas de conversa com a reportagem, Delma alegou que tinha medo que a nora levasse o neto para a Alemanha, uma vez que as brigas entre a vítima e o filho da ré eram constantes. Aparentemente tranquila, ela tomou um copo de suco de laranja e, depois de fumar um cigarro, trocou a blusa de crochê, que vestiu para ir a júri, por um casaco preto com roxo. Vaidosa, ela afirmou que uma das coisas que mais gosta é apresentar-se bem.

Você nunca se pronunciou sobre o caso e quando o julgamento foi adiado afirmou que contaria toda a verdade. Qual a verdade que você quer falar?
A verdade do ocorrido porque só quem sabe sou eu e Deus. O que aconteceu é que eu realmente sou a mandante. Apesar de dizerem que eu sou a cabeça de tudo, essa minha cabeça não pensou sozinha. Foi decidido entre eu e meu irmão por parte de pai, Dinarte Dantas. Agi errado demais e me encontro hoje sem a minha família, sem meus filhos, sem as minhas condições.

Você se arrepende?
Eu errei porque eu não tinha o direito de tirar e nem de mandar tirar a vida de ninguém. Deus é quem tem direito a tudo porque ele morreu na cruz e está olhando para baixo. Deus está olhando pra mim, pra você e pra todos nós, porque ele é o Deus do perdão. E eu pedi perdão a ele e sei que ele me perdoou.

O que levou você a querer a morte de Jennifer?
Eu reconheço que eu agi com emoção e com amor, eu não agi com razão. Eu não me considero uma boa mãe, uma boa amiga, acima de tudo porque para você ser mãe, você tem que ser amiga antes. Então eu nem fui mãe nem amiga do meu filho. Eu vi todo o sofrimento do meu filho e depois tomei as dores pra mim.

O que ficou combinado durante a conversa com Dinarte?
Quando eu chegasse aqui no Brasil entrava em contato com os meus irmãos por parte de pai. Então, assim que eu cheguei, encontrei Dinarte. Ele conversando comigo disse que estava trabalhando com táxi, querendo comprar um táxi com placa da cidade, para trabalhar como taxista, na rua das Calçadas. Quando ele entrou em contato comigo e disse ‘olhe eu estou precisando de dinheiro pra comprar um táxi, uma frota, porque eu não aguento mais pagar diária. E gostaria também de comprar um apartamento’. Ele me viu muito abatida e eu contei a ele todo o problema que eu tinha com a minha nora, aí ele disse ‘a gente pode se ajudar, uma mão com a outra’. Eu perguntei em que sentido e ele disse ‘você compra isso pra mim e eu encomendo o corpo dela’.

Como você sabia que ele realmente tinha como matar a mulher do seu filho?
Ele já era do crime, tanto que a minha família do Brasil nunca aceitou a entrada dele em casa. Então a única pessoa perigosa com quem eu tive contato foi ele e ele quem passou a ideia pra mim. Disse que resolvia tudo, comprava arma e que faria da melhor forma possível. Então eu confiei nele e foi esse o resultado, ele mesmo foi me entregar na delegacia pra ter delação premiada. Esse foi o primeiro envolvimento dele com homicídio, mas ele teve outros precedentes. Inclusive, ele disse pra mim que eu não me preocupasse, porque esse advogado dele é um ex-policial e já estava acostumado a saber das coisas dele e driblar a polícia. O que aconteceu foi isso.

Quem mais sabia sobre esse combinado para matar Jennifer?
Só eu, Dinarte e os dois caras da moto. Dinarte ia fazer o serviço e não pôde porque iria trabalhar à noite. Trocou de plantão com um colega e fez o contato com dois homens. Pablo e Ferdinando não sabiam de nada. Eles vieram saber que Jennifer morreu lá no DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa).

Quem são esses dois homens da moto?
Eu não sei nada sobre eles, Dinarte combinou tudo. Isso ele não entrou em detalhes comigo. Ele deu o local. O primeiro local que ele comunicou é um clube de campo na BR, mas ele foi lá dias antes e viu que estava fechado, não tinha funcionamento. Depois o combinado foi onde encontraram o corpo dela.

O que você fez para levar Jennifer, Pablo e Ferdinando até o local combinado?
Por incrível que pareça, eles faziam tudo o que eu queria. A gente foi no TIP ver o preço das passagens, porque a gente viajou por várias regiões para ver casas, fazendas, negócios pra comprar. Na volta, aconteceu a abordagem.

O seguro foi uma das motivações para o crime?
Eu não sabia de nada quanto ao fato do seguro, nem sobre o seguro dela e nem sobre o seguro dele (Pablo), mas todo mundo lá tem seguro, até o meu cachorro. É uma coisa normal.

O que fez você guardar tanta mágoa da sua nora?
Desde a primeira vez que eu conheci Jennifer vi que não era uma pessoa certa para o meu filho. Ela morava lá com um marroquino e vivia praticamente presa em um quarto de hotel para ter relações sexuais com esse marroquino e usar drogas. Ela veio da Alemanha fugida, cartão de crédito, roubo, briga, por tudo. Agora é aquela coisa, morreu e se mudou é boa. A menina é linda, a menina é jovem, mas vai saber.

Quando começaram as brigas entre Pablo e Jennifer?
Depois que ele viu que era ‘corno’, quando percebeu que ela estava traindo ele com o segurança de uma boate de Streep Tease.

O fato dela querer levar o filho para a Alemanha foi um motivo para o crime?
Surgiu o comentário que ela sempre teve vontade de levar o filho para a Alemanha, porque você sabe que na Alemanha é outra lei. A gente já ia perder a guarda da criança se ela levasse pra lá. Nando (neto) pra mim é especial porque praticamente quem criou ele fui eu, porque a mãe ia trabalhar, ele ficava comigo. A mãe quando abandonou a casa deixou ele comigo, com Pablo e Ferdinando. Quando eu ia buscar ele na escola, ele ficava muito no meu apartamento, passava dias sozinho comigo.

O que fez você resolver falar?
O que me fez falar foi ver o sofrimento da minha mãe e ver o meu companheiro passando por tudo isso sem ter necessidade. Não estou nem pensando em mim, estou pensando no lado deles, da minha família. Eles vieram descobrir depois e ficaram revoltados comigo. Inclusive nas audiências eu sempre procurava falar com meu filho e ele sempre me rejeitava. Até hoje o meu filho não aceita isso. Tenho muita pena de Ferdinando pelo fato do AVC que ele teve, tudo por culpa minha.

O que fez com que você segurasse esse segredo por tanto tempo?
Esse silêncio me incomodou muito e ainda incomoda. Choro muito durante a noite pensando em tudo, arrependida. Eu quero botar pra fora porque eu não aguento. Está me fazendo muito mal. Também pelo fato de que eu agora sou evangélica então eu não posso ficar escondendo, falando mentiras. Já fazia muito tempo que eu queria falar e não tinha oportunidade. E hoje (ontem), quando eu tive a oportunidade de falar toda a verdade, não pude.

O que você pensa quando escuta os gritos de assassina?
O que me entristece muito é ter passado uma imagem minha para a sociedade que eu sou um monstro, mas eu não sou um monstro. Eu sou uma mãe, eu sou uma avó, eu sou uma amiga e fico imaginando porque esse problema todo em cima de mim, falando sempre mal de mim. Eu pergunto se a Jennifer fosse uma Jennifer da Silva ou uma Jennifer Oliveira, se teria esse procedimento todo, ou isso tudo é porque ela era europeia? Porque eu não sou a primeira e nem sou a última a ter um caso desses. Eu já vi pessoas bem piores do que eu que não passam por toda essa discriminação que eu estou passando.

Como é hoje a sua relação com Roberta, vocês conversaram?
Conversamos muito. Meu relacionamento com Roberta é de sinceridade. Ela é uma pessoa muito sincera, muito mesmo. O que ela pensa, o que ela acha, ela diz a você na sua frente. Ela tem muita personalidade, ela é uma pessoa de personalidade.

Quem mais te deu apoio após a prisão?
Foi a minha mãe e a direção aqui da penitenciária. Ela sempre vem me visitar, na medida do possível. Quando eu contei pra ela o que aconteceu a pressão subiu e ela chegou até a ser socorrida.

O que você achou de toda a confusão que aconteceu hoje (ontem) no júri?
Inesperada. Eu passei até mal na hora, o Samu teve que aferir a minha pressão. Ele pegou um documento comprovando que faço tratamento para depressão. Lógico, quem tem depressão tem distúrbio bipolar. Tanto faz você está bem como ter uma crise de depressão, mas isso não quer dizer que eu sou realmente uma louca, porque quem não tem depressão hoje em dia?

Você ainda espera que Dinarte seja preso?
Eu sei que também sou culpada, mas acho um absurdo estar aqui e ele lá fora. Eu não sei ainda como ele não fugiu pra São Paulo e eu ouvi dizer que ele estava se organizando para ir pra lá. Se falasse com ele eu iria mandar ele pedir perdão a Deus, porque Deus está à frente de tudo.

Escute a entrevista completa aqui

*****

Se Palocci cair, haverá castas políticas no Brasil

25.05.2011
Do BLOG DA CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães

Entendo Lula e Dilma ao apoiarem Palocci com tanta veemência, cobrando apoio daqueles que se propuseram a ser aliados dos dois maiores líderes políticos do Brasil, um por sua liderança propriamente dita e outra pelo cargo que ocupa. Afinal, o que se está tentando fazer com o chefe da Casa Civil é lhe negar os mínimos direitos civis.

Esse fato já começava a ficar claro quando veio a público seu suposto “enriquecimento ilícito” através de matéria do jornal Folha de São Paulo. O jornal registra aumento patrimonial de vinte vezes em quatro anos sem informar que é comum que ex-membros de equipes econômicas do governo federal enriqueçam ao saírem dos cargos.

Nesse momento, começa a concessão de direitos “diferenciados” para petistas, de um lado, e para tucanos ou demos do outro. É imoral enriquecer rápido após passar pelo governo, mas só para petistas. Tucanos podem porque teriam mais títulos e mais experiência no setor financeiro. Então podem enriquecer 100 vezes no mesmo período que Palocci que “tudo bem” e não se fala mais nisso.

Agora, porém, veio o supra-sumo do absurdo. O crime que até há pouco mais de seis meses era passível de pena capital, na mídia, agora se torna irrelevante. Quebra de sigilo fiscal foi um tema que permaneceu por semanas a fio nas manchetes principais de primeira página com letras garrafais e em todos os telejornais, com matérias, às vezes, de VINTE MINUTOS de duração.

A então candidata Dilma Rousseff, ano passado, foi cobrada no ar, durante entrevistas ao SBT ou ao Jornal Nacional, por supostamente ter mandado quebrarem o sigilo fiscal da filha de seu adversário José Serra. A mídia, a cada minuto, soltava o nome de um envolvido, de um suspeito do “crime”, enquanto longos discursos sobre direitos civis enchiam as páginas dos jornais.

Hoje, o que se vê são notinhas de pé de página nos jornais e nenhum, repito, NENHUM artigo ou coluna se indignando com a violação dos direitos civis de Palocci, que já foi julgado e condenado sem que ninguém ao menos saiba dizer o que foi que ele fez.

Palocci fez o que? Tráfico de influência? De quem para quem? Quando? Em que área do governo? Onde está o objeto do crime? Silêncio. Os clichês sobre “ética” abundam. As ironias são cortantes. Mas fatos, que é bom mesmo, ninguém dá.

Admite-se que as operações de Palocci parecem legais, mas, no entanto, seriam imorais. Mas, detalhe: só para ele.

Cortem-lhe a cabeça que estará resolvida a imoralidade legalizada – só não há garantias de que não se repetirá, pois outros que passarem pela área econômica estarão liberados. Quebrem seus sigilos, ignorem a sentença da Justiça que o absolveu da acusação de violar o sigilo do pobre caseiro que após se reunir com o DEM ganhou 40 mil do mesmo pai que jamais lhe dera um pirulito.

Ora, a prefeitura de São Paulo, através de um secretário da cota de Serra, violou o sigilo de Palocci? “Bem feito. Ele violou o sigilo do caseiro”, dizem, sem dar bola para o fato de que a Justiça não aceitou nem abrir inquérito devido à total falta de provas.

Para Palocci, não vale nenhuma das garantias legais que valem para tucanos. Não só pode ser acusado sem provas como pode ter seus direitos civis violados e, achando prova ou não, deve ser punido ao menos com perda do cargo. Enquanto isso, os negócios obscuros da família Serra com Daniel Dantas permanecem na escuridão.

Entendo Lula e Dilma. Também estou indignado. E, como eles, no que depender de mim não conseguirão derrubar o ministro. Sua queda significaria a materialização de castas políticas, no Brasil. A uma, tudo seria permitido. Cometendo crime, passaria a vítima e poderia enriquecer sem questionamento; à outra, nenhum direito – sigilo fiscal, presunção da inocência…

Esse caso deixou de ser político e passou a ser institucional. Não se pode apoiar a criação de castas políticas neste país. Até porque, você nunca sabe se estará entre os contemplados a ser incluído na escala político-social mais alta.

******

Brasil deve ascensão aos EUA, diz Obama

25.05.2011
Do BLOG DE JAMILDO

Foto: AP

Do iG, com agências

O presidente dos EUA, Barack Obama, buscou nesta quarta-feira reassegurar o mundo de que a influência dos EUA e da Europa continuam dominantes mesmo com a ascensão de poderes como a China, Índia e Brasil.

"EUA e Reino Unido devem acolher o desenvolvimento (de China, Índia e Brasil), que tirou milhões da pobreza ao redor do mundo e criou novos mercados e oportunidades para nossas próprias nações", afirmou. "Enquanto essa rápida mudança aconteceu, tornou-se comum em alguns lugares questionar se a ascensão dessas nações virá acompanhada do declínio da influência dos EUA e da Europa no mundo. Talvez, continua o raciocínio, essas nações representem o futuro, e o tempo de nossa liderança foi ultrapassado. O argumento está errado. o momento de nossa liderança é agora", afirmou em pronunciamento perante as duas Casas do Parlamento britânico.

"Mesmo que mais nações assumam a responsabilidade da liderança global", disse Obama, "nossa aliança (entre EUA e Reino Unido) continuará indispensável para o objetivo de um século mais pacífico, forte, próspero e justo". "Depois uma década difícil que começou com uma guerra e terminou com uma recessão, nossas nações chegaram mais uma vez a um momento crucial."

Para ele, países como China, Índia e Brasil na verdade devem seu crescimento à liderança dos EUA e da Grã-Bretanha. "O crescimento de China, Índia e Brasil é importante por tirar milhões da miséria,

A Obama foi dada a honra de ser o primeiro presidente americano a falar perante o Westminster Hall, onde foi recebido calorosamente. Ele recontou uma história que começou numa guerra entre dois países divididos por um oceano, mas que se tornaram uma indispensável força global para o crescimento econômico, segurança, democracia e paz.

"O caminho nunca foi tão perfeito", disse Obama. "Mas através das lutas de escravos e imigrantes; minorias das mulheres e étnicas; ex-colônias e religiões perseguidas, aprendemos melhor do que a maioria que o desejo pela liberdade e a dignidade humana não é inglesa ou americana ou Ocidental - é universal."

Conflito no Oriente Médio

Previamente, Obama afirmou que a Organização das Nações Unidas não "estabelecerá um Estado palestino", caracterizando como "erro" a intenção da liderança palestina de buscar reconhecimento para um Estado durante a Assembleia das Nações Unidas, em setembro.

Durante coletiva ao lado do primeiro-ministro britânico, David Cameron, o líder americano reafirmou que a única forma de os palestinos alcançarem um Estado é por meio de negociações com Israel. Segundo Obama, um Oriente Médio pacífico requerirá "concessões dolorosas" de israelenses e palestinos e um acordo nunca será alcançado se os dois lados não voltarem à mesa de diálogo.

O presidente americano disse que recentemente propôs que os dois lados retomem o processo trabalhando primeiramente na questão das fronteiras de um Estado palestino e na segurança de Israel antes de abordarem temas mais emocionais, como o destino dos refugiados palestinos e do status de Jerusalém, que os dois lados querem como capital.

Em grande discurso na quinta-feira, Obama propôs que um Estado palestino seja estabelecido tendo como base as fronteiras anteriores à Guerra dos Seis Dias, de 1967, quando Israel capturou a Península do Sinai e a Faixa de Gaza do Egito, a Cisjordânia (incluindo Jerusalém Oriental) da Jordânia e as Colinas do Golan da Síria. O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, rejeitou a proposta, afirmando que as linhas de 1967 são "indefensáveis".

Em pronunciamento perante uma sessão conjunta do Congresso dos EUA na terça-feira, Netanyahu prometeu que faria "concessões dolorosas" para alcançar a paz com os palestinos, mas disse que não concordará com nenhum acordo que ameace a segurança israelense ou o Estado judeu.

Ele reiterou que vê Jerusalém como capital indivizível do Estado judeu e conclamou o presidente palestino, Mahmud Abbas, a romper seu acordo de união com o movimento islâmico Hamas - que não reconhece o direito de existência de Israel - e negociar com o Estado israelense. Nesta quarta-feira, Obama disse que Israel "tem razão" em estar preocupado pela reconciliação entre Fatah e Hamas.

Um porta-voz de Abbas reagiu ao pronunciamento de Netanyahu afirmando que é uma "declaração de guerra". Nesta quarta, Abbas reiterou que buscará o reconhecimento de um Estado palestino na ONU se não houver avanço no processo de paz até setembro. Falando durante reunião da Organização pela Libertação da Palestina em Ramallah, na Cisjordânia, ele disse que a visão de paz exposta por Netanyahu no discurso "não tem nada com que possamos trabalhar".

Missão na Líbia

A coletiva posterior a um pronunciamento conjunto foi feita depois de os dois líderes se reunirem na manhã desta quarta-feira em Londres, na qual discutiram o conflito líbio, a situação no Afeganistão e as revoltas no mundo árabe.

Questionado sobre o conflito na Líbia, o presidente americano descartou o envio de tropas terrestres para enfrentar o regime de Muamar Kadafi, afirmando que "não haver prazos artificiais" para colocar fim à missão da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte). Obama disse ter a convicção de que, apesar de as operações aéreas na Líbia terem tido um impacto "limitado", um "processo lento, contínuo" terá como resultado a derrubada do coronel Kadafi.

"Quando se exclui o recurso às forças terrestres, enfrentam-se os limites inerentes às operações aéreas", disse. "No final das contas, será um processo lento, contínuo", disse o presidente americano, acrescentando que a oposição líbia deve "assumir a responsabilidade" pela saída de Kadafi.

Por sua vez, o primeiro-ministro do Reino Unido disse que ele e Obama se comprometeram a "aumentar a pressão" na Líbia para forçar a saída de Kadafi. Cameron afirmou que o Reino Unido "olhará todas as opções para aumentar essa pressão, dentro dos termos da resolução 1973 do Conselho de Segurança da ONU".

*****

Mala pronta há um mês e três livros na prisão

25.05.2011
Do MSN NOTÍCIAS
Por Marcelo Godoy e Renato Machado, estadao.com.br

Não fez nenhuma exigência de esquema especial para evitar o público. Antes de sair e trancar a porta, só pediu para apanhar três livros para levar à prisão: Vigiar e Punir, do filósofo Michel Foucault, O Deus Selvagem, do ensaísta A. Alvarez, e um volume das obras de Shakespeare.

Os primeiros policiais da Divisão de Capturas chegaram às 18h30 na casa de Pimenta Neves, na Chácara Santo Antônio, zona sul. Eles tocaram a campainha e bateram palmas, mas não houve retorno. Todos desconfiavam de que o jornalista estava em casa - seu Peugeot 606 estava na garagem, havia luzes acesas e um vulto passava de vez em quando na frente da porta de entrada.

Os policiais não podiam entrar na residência, pois ainda não havia mandado judicial e a legislação proíbe prisões em domicílio à noite - exceto em flagrantes. 'Nós vamos cercar a casa para evitar uma fuga. Caso não haja contato, vamos invadir pela manhã e efetuar a prisão', disse o delegado assistente Pablo Baccin, que primeiro conduziu a operação.

Uma hora depois, no entanto, o jornalista abriu a porta e chamou os policiais para entrar em sua casa e conversar sobre a apresentação - que já havia sido acertada por telefone. 'O senhor está com prisão decretada', disse o primeiro policial. 'Ah, tudo bem, entre aqui. Já estou sabendo, liguei para minha advogada', respondeu Pimenta.

Seu computador estava ligado e um site mostrava a notícia da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). A conversa durou meia hora, período em que uma viatura estacionou de ré na frente da garagem. 'Nós não poderíamos escondê-lo. Foi um caso de muita repercussão e aumentaria mais a tensão do momento se entrássemos com um carro na casa dele', afirmou o diretor do Departamento de Identificação e Registros Diversos, Aldo Galiano Júnior.

Às 20 horas, Pimenta Neves saiu de casa calmamente, usando calça social, camisa e cardigã. Ele não usava algemas e disse que 'não tinha nada a declarar'. Já na viatura questionaram se foi surpreendido com a decisão do Supremo, ao que ele respondeu 'não'. Algumas pessoas aplaudiram, enquanto outras gritaram 'assassino'.

Pimenta Neves foi levado na noite de ontem para a delegacia da Divisão de Capturas. No local, passou por exames de corpo de delito (concluídos por volta das 23 horas) e passaria a noite no 2.º Distrito Policial, no Bom Retiro, região central.

Vizinhos. A prisão de Pimenta Neves mobilizou moradores do bairro na frente da residência. Eles contaram que o jornalista dificilmente saía de casa e, quando o fazia, era pela manhã bem cedo. 'Eu só o via quando ia levar meus filhos na escola e ele saía para caminhar, por volta das 6 horas. Mas ele nunca repetia o mesmo caminho', contou a moradora do bairro Cristiane Steinhoff

O empresário Christian Daniel Ferreiro, de 38 anos, morava ao lado da casa de Pimenta Neves na época do assassinato e depois mudou para uma rua próxima. O jornalista chegou a entrar na residência do vizinho antes do crime para verificar rachaduras no muro. 'Depois, eu nunca mais o vi na rua. De vez em quando, vinha uma pessoa de moto na casa dele, mas não dava para ver quem era, porque ele não tirava o capacete até entrar na casa.'

Mandado

A polícia prendeu Pimenta Neves antes mesmo de receber o mandado de prisão da Vara do Júri de Ibiúna. Por ordem do STF, ele será expedido hoje.

*****

Boa notícia. Prefeitura inicia concretagem final do viaduto Capitão Temudo

25.05.2011
Do BLOG DE JAMILDO


A Prefeitura do Recife iniciou na madrugada desta quarta-feira (25) a colocação das formas de concreto que servirão de base para a concretagem final da pista do viaduto Capitão Temudo.

Cerca de 15 pessoas - entre técnicos da obra e agentes de trânsito - trabalharam na ação, que será realizada até a próxima sexta-feira (27), sempre das 0h às 5h.

O viaduto Capitão Temudo, situado entre os bairros do Cabanga e Ilha Joana Bezerra, e com cerca de 950m de comprimento, terá sua largura ampliada dos atuais 14m, para 28m de largura.

Para dar continuidade ao trabalho que vem sendo realizado pela Prefeitura do Recife, a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), realizou um trabalho especial de monitoramento durante a ação, que interditou uma faixa do viaduto no sentido Olinda/Boa Viagem. Já na madrugada desta quinta-feira (26), a interdição será novamente em apenas uma faixa, desta vez no sentido Boa Viagem/Olinda.

A duplicação do Capitão Temudo é considerada uma obra importante para a melhoria do tráfego para a zona sul do Recife. A ampliação das

faixas de rolamento nos dois sentidos beneficiará o deslocamento de moradores entre as zonas norte e sul do Grande Recife, melhorando o trânsito num corredor que inclui a PE-15 e a Avenida Agamenon Magalhães.
*****
Fonte:http://jc3.uol.com.br/blogs/blogjamildo/canais/noticias/2011/05/25/boa_noticia_prefeitura_inicia_concretagem_final_do_viaduto_capitao_temudo_101808.php

Humberto destaca andamento das obras da Copa 2014

25.05.2011
Do BLOG DA FOLHA
Postado por Valdecarlos Alves
Arquivo Folha
alt

Pernambuco é um dos estados mais avançados na construção das obras da Copa de 2014 no país. Essa avaliação foi feita em audiência pública realizada nesta terça-feira, 24 de maio, na Subcomissão Permanente de Acompanhamento da Copa do mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 do Senado Federal. Os empreendimentos da Arena da Copa, da Via Mangue e de todas as obras viárias que facilitarão o acesso à Cidade da Copa foram apresentados pelos secretários de Controle e Desenvolvimento Urbano e Obras do Recife, Amir Schvartz, e pelo secretário em exercício da Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo do Estado, Sílvio Bompastor.

“Os secretários demonstram que Pernambuco está cumprindo com todas as suas obrigações e, o mais importante, no tempo correto. É um dos estados em que não temos problemas de atraso nas obras. Naturalmente que existem algumas preocupações no que diz respeito ao financiamento global da obra. Mas, no que depender do que foi feito até o presente momento e, se não houver falta de recursos, tenho certeza de que Pernambuco terá o seu estádio pronto em tempo”, ressaltou o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), que conversou com os dois secretários sobre as obras.

Para o presidente da Subcomissão, senador Blairo Maggi (PR/MT), Pernambuco e o Recife são o estado e a cidade com o cronograma das obras mais avançado entre todos os demais que participaram de audiências no Senado. A subcomissão já ouviu representantes do Mato Grosso, Bahia, Amazonas, Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo, Rio Grande do Norte e Minas Gerais. Amanhã será a vez do Distrito Federal. As próximas agendas serão com o Rio de Janeiro e o Ceará.

Schvartz explicou o andamento da Via Mangue, com previsão de 30 meses para conclusão, e de outras obras viárias do Recife, como o alargamento da Avenida Maurício de Nassau, o Capibaribe Melhor e as intervenções no Viaduto Capitão Temudo. “A Via Mangue cria alternativa de mobilidade para a Zona Sul do Recife. Importante uma vez que 70% dos negócios e serviços do Recife estão em Boa Viagem”, apresentou o secretário. A preocupação é que os investimentos não sejam voltados somente para a Copa, mas que sejam algo permanente para os recifenses e os pernambucanos.
******