sexta-feira, 15 de abril de 2011

Governo prevê salário mínimo de R$ 616,34 em 2012

15/04/2011
Economia
Wellton Máximo e Stênio Ribeiro
Repórteres da Agência Brasil

Brasíli
a – O governo prevê salário mínimo de R$ 616,34 no próximo ano. Os números constam do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias enviado hoje (15) ao Congresso Nacional. Os dados foram divulgados há pouco pelo Ministério do Planejamento.

O reajuste segue a fórmula aprovada pelo Congresso no início do ano, que estabelece correção pela inflação oficial pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do ano anterior mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos atrás, que foi 7,5% em 2010.

A estimativa, no entanto, leva em conta a inflação mais baixa que a apontada pelo mercado. Segundo o Planejamento, o IPCA acumulado neste ano será de 5%. O relatório Focus, pesquisa divulgadas toda semana pelo Banco Central, a inflação oficial fechará 2011 em 6,26%.
Edição: João Carlos Rodrigues
******
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-04-15/governo-preve-salario-minimo-de-r-61634-em-2012

Vídeo imperdível: Globo defende (até hoje) Golpe de 1964

15.04.2011
Do blog CONVERSA AFIADA
Por Paulo Henrique Amorim


A propósito do post “Escola de Realengo é espetacular !”, o amigo navegante Eduardo enviou a seguinte preciosidade – como a Globo, em 1975, defendeu com unhas e dentes (e defende até hoje) a intervenção militar de 1964:

Eduardo Lima disse:

10 de abril de 2011


PHA, você tem que ver este vídeo. Rede Globo fazendo exaltação explícita ao golpe militar em 1975.


A Globo está onde sempre esteve: no Golpe ! 

*****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/video/2011/04/11/video-imperdivel-globo-defende-ate-hoje-golpe-de-1964/

Governador Geraldo Alckmin e sua turna foram vaiados em envento. A imprensa esconde

15.04.2011
Do blog OS AMIGOS DA PRESIDENTE DILMA,em 13.04.11

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) inaugurou nesta sexta-feira, em Registro, no Vale do Ribeira, seu "governo itinerante" sob manifestações de professores, ambientalistas e trabalhadores rurais. O governador Alckmin, e os secretários Bruno Covas (Meio Ambiente) e Antonio Ferreira Pinto (Segurança Pública) foram vaiados no auditório do clube central da cidade, que recebia 1.500 pessoas, segundo a PM, para a plenária de encerramento.

Munidos de faixas, bandeiras e cartazes, os ativistas se misturaram a uma plateia composta predominantemente por servidores públicos e assessores de prefeitos, deputados e vereadores. Com pleitos que iam do aumento da reserva legal da área da Jureia ao reajuste dos bônus salariais da educação, foram inflamados pelo discurso da prefeita Sandra Kennedy Viana (PT), que se queixava da instalação de uma penitenciária. "Temos 1% da população do Estado e não é justo que venha pra cá um presídio para 756 condenados, muitos de outras regiões", disse a petista, posicionada ao lado de Alckmin no palanque.
******
Fonte:http://osamigosdapresidentedilma.blogspot.com/2011/04/governador-geraldo-alckmin-e-sua-turna.html

A FOLHA APOIOU APOIOU A TORTURA

Dá pra não ler

Dá pra não ler
Se você assina a Folha e não concorda que um veículo de comunicação se sinta no poder de mentir, enganar o leitor e denegrir a imagem de uma pessoa, então te convidamos a cancelar sua assinatura e optar por um outro veículo, que respeite nosso direito de informação com qualidade.
*****

IPEA desmente Globo

15.04.2011
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA


Nota de esclarecimento do Instituto ao jornal O Globo


Foi publicada no Jornal O Globo do dia 12 de abril deste ano a reportagem Assentamentos ameaçam plano para barrar desmatamento da Amazônia, escrito pela jornalista Catarina Alencastro.

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) vem esclarecer que o documento citado na reportagem refere-se ao “Relatório Preliminar da Avaliação dos Resultados Atingidos pelo Plano de Ação de Prevenção e Controle do Desmatamento da Amazônia (PPCDAm)” elaborado por uma pareceria entre o Ipea, a Cepal (Comissão Econômica para a América Latina e Caribe) e a GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit) a pedido do Ministério do Meio Ambiente e da Comissão Executiva do PPCDAm.

Como consta do próprio título do documento, o estudo em questão está em fase preliminar, não dispõe de achados conclusivos e seu relatório ainda não se encontrava pronto para ser divulgado amplamente. Espera-se concluir a avaliação em julho.

A despeito disso, é importante frisar que algumas das informações da reportagem não refletem o conteúdo do documento. Por exemplo, o estudo não aponta os assentamentos como um entrave à estratégia do governo de controle do desmatamento, tampouco afirma que o Incra dificulta a legalização dos assentados. E é exagero dizer que a regularização fundiária das unidades de conservação é o principal gargalo do PPCDAm.
*****
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2011/04/ipea-desmente-globo.html

“Calunista” da Globo gera crise diplomática

15.04.2011
Do blog de Altamiro Borges
Por Altamiro Borges

O programa “Manhattan Connection”, exibido para assinantes da TV a cabo – antes no GNT e atualmente na Globo News –, adora polemizar pela direita. Com comentários agressivos e elitistas, seus “calunistas” atacam tudo e todos, esbanjando arrogância. O pitbull Diogo Mainardi é a cara do “Manhattan”, mas parece que o jornalista Caio Blinder decidiu disputar o posto.

Nesta semana, porém, ele exagerou e mordeu a língua. Caio chamou a rainha da Jordânia, Rania, de “piranha”, o que gerou uma crise diplomática. “Politicamente, ela [Rania] e as outras piranhas são intragáveis. Todas elas têm uma fachada de modernização desses regimes – ou seja, não querem parecer que são realeza parasita e nem mulher muçulmana submissa. Isso é para vender para o Ocidente, enquanto os maridos estão lá, batendo e roubando”, esbravejou.

“Já acabou essa história pra mim”

Diante do comentário tresloucado e machista, o embaixador da Jordânia, Ramez Goussous, enviou ao Itamaraty protesto formal contra o jornalista. A embaixada exigiu retratação de Blinder durante o programa e ainda ameaçou processar a Rede Globo. De imediato, a Jordânia recebeu a solidariedade de outros 17 embaixadores, que repudiaram a atitude leviana do jornalista.

No final da tarde de ontem (14), Caio Blinder confessou o crime e tentou colocar panos quentes. Em conversa por telefone com a reportagem do Portal Imprensa, admitiu: “Eu errei e estou pedindo desculpas”. Sua confissão, porém, parece visar apenas evitar o pior. Ele quer abafar o caso. “Eu sabia que a gente tinha feito uma besteira, mas já acabou essa história pra mim”.

“Comentemos leviandades e insultos”

Para ele, tudo já está resolvido. “Houve a retratação no ar. O Lucas [Mendes], editor-executivo do 'Manhattan', pediu desculpas pelo meu termo ofensivo. E nós demos as mãos à palmatória”, argumentou. Segundo o inocente Caio Blinder, o episódio foi “mais um momento raro, mas não inédito, onde cometemos leviandades, injustiças e insultos”.

Quanto à explicitação do seu machismo, o jornalista jurou: “Não me refiro às mulheres como piranhas, sejam elas árabes judias, esquimós... Aliás, eu faço críticas políticas; não a pessoas”. Quem tem a paciência de assistir a “Manhattan Connection”, porém, sabe que não é bem assim. O programa é dos mais preconceituosos e elitistas da televisão brasileira. Na campanha eleitoral do ano passado, por exemplo, ele abusou do seu direitismo em vários comentários agressivos contra Dilma Rousseff.
****
Fonte:http://altamiroborges.blogspot.com/2011/04/calunista-da-globo-gera-crise.html

O PIG volta à casa e relança o caos-aéreo com a oposição

15.04.2011
Do blog OS AMIGOS DO PRESIDENTE LULA


Ontem de manhã, o IPEA divulgou o estudo "Aeroportos no Brasil: investimentos recentes, perspectivas e preocupações".

No mesmo dia, a propaganda eleitoral do PSDB na TV mostrou um daqueles atores figurantes do movimento CANSEI, dizendo que o Brasil vai "passar vergonha" lá em 2014, "por causa dos aeroportos".

O Jornal Nacional da TV Globo foi na mesma linha demo-tucana, dando destaque ao relatório do IPEA, muito acima da importância que ele tem, e ignorando boa parte do que diz o próprio relatório favorável ao governo.

Vamos analisar por partes.

Relatório do IPEA precisa ser lido com reservas: contém erros e foi ignorado pela imprensa nos pontos favoráveis ao governo

O IPEA é órgão técnico e seus estudos devem ser técnicos para orientar políticas públicas, não é para bajular governos, por isso é natural que tenham críticas no sentido construtivo, que oriente e desperte o debate dentro do próprio governo.

Mas a questão deste relatório é que não é bom, nem do ponto de vista acadêmico, e precisa ser lido com ressalvas, enxergando ser apenas um estudo que acerta em alguns aspectos econômicos e de demanda, mas erra ao especular quanto a cronogramas de engenharia, assunto que, ou deveria ter tratado com profundidade ou deveria ter deixado de fora do estudo.

Não tem sentido falar que o histórico pregresso indica que obras levam 7 anos, em "média".

Média do passado não serve de referência para o quadro atual.

Para começar, é absurdo falar em média, comparando um período fora-do-normal em que existe uma força-tarefa preparatória para a Copa do Mundo e Olimpíadas, que não existia nos períodos em que a tal média foi apurada. A última Copa do Mundo no Brasil foi em 1950, não dá para comparar períodos tão distintos.

Não dá para comparar períodos em que o Brasil estava quebrado, sem condições de investir, com o período atual, em que as obras dos aeroportos tem verbas garantidas no PAC-2.

Não dá para comparar o período em que a capacidade da Infraero de investir era muito menor, com a situação atual, quando o movimento de passageiros cresceu de 71 milhões de passageiros em 2003 para 154 milhões em 2010, e receitas da Infraero também aumentaram com isso.

O relatório também recorre à média para dizer que licenças ambientais demoram 38 meses (mais de 3 anos) em setor de transporte (misturando na média, rodovias na Selva Amazônica com ampliação de Aeroportos urbanos).

Piora, ao ignorar que muitas obras em aeroportos apenas estão executando projetos que já existiam, e já estavam licenciados, como construção de nova pista já prevista. Portanto tem pouco valor prático este estudo, feito nestas bases.

O estudo também erra ao estimar, com base em projeções, a saturação do Aeroporto de Guarulhos e uma capacidade ociosa do Aeroporto de Viracopos em Campinas, quando ambos atendem a região metropolitana de São Paulo, e são infra-estruturas complementares, que permite remanejar vôos de um para o outro. Principalmente considerando que Viracopos terá uma estação do trem de alta velocidade ligando-o à capital.

O mesmo erro é cometido no Rio de Janeiro, ao apontar saturação do pequeno Aeroporto de Santos Dumont, e capacidade ociosa do Aeroporto Tom Jobim (Galeão). Além disso, o Santos Dumont, cuja maior demanda atual é vôos Rio-São Paulo, perderá passageiros para o trem-bala.

Mesmo com estas deficiências no estudo, o Jornal Nacional, a oposição e o resto da imprensa, deturparam seu real conteúdo.

Ignoraram estes trechos fundamentais:

"Deve-se ressaltar que este estudo considera que as obras em pistas, pátios e módulos provisórios nos aeroportos têm, ainda, tempo hábil para serem concluídas até o evento de 2014.

... a Infraero possui um plano de investimentos de R$ 1,4 bilhão ao ano (entre 2011 e 2014) para 13 aeroportos brasileiros, visando a Copa de 2014. Isso representa mais do triplo da média anual investida entre 2003 e 2010 pela empresa, que foi de R$ 430 milhões".

Técnico do IPEA refutou lobby pela privatização

Na entrevista concedida, Carlos Alvares da Silva Campos Neto, um dos autores do trabalho, refutou a idéia de que a privatização seria solução, em pergunta de jornalistas :

"Isso não é uma ação trivial. A participação da iniciativa privada (no setor aeroportuário) é uma alternativa viável, mas não terá resultados imediatos. Isso não deve ser computado como uma alternativa para 2014... O novo presidente da Infraero (Antonio Gustavo Matos do Vale) já disse que o processo de abertura de capital levaria em torno de três anos", afirmou.

A propaganda do PSDB em dobradinha com o Jornal Nacional

A coincidência da propaganda do PSDB, incita a imaginação sobre tucanos infiltrados no IPEA, mas se fosse assim, não haveria assuntos de maior apelo popular para o IPEA fazer um relatório?

No campo eleitoral, o horizonte recomendaria lidar com assuntos que alavanquem conquistas nas eleições municipais, no ano que vem. Assuntos como saúde, educação, transporte urbano, trânsito, moradia decente e segura, meio-ambiente, segurança pública e prevenção de drogas, tem mais apelo popular em uma campanha municipal do que transporte aéreo.

É difícil imaginar algum candidato a prefeito da oposição, mesmo de cidades sede da Copa, centrar sua campanha em cima de obras de Aeroportos que estarão em curso, gerando empregos, e serão perfeitamente viáveis para conclusão em 2014. Só conseguirá votos entre os assinantes da revista Veja, que já votam na oposição desde criancinha.

A oposição, se agarra no que tem para criticar, e testa o "caosaéreo" de novo. Talvez, como boa ave de rapina que é, jogue na loteria do mau-agouro, apostando em algum acidente aéreo que, estatisticamente, acontece de tempos em tempos em qualquer lugar do mundo, para procurar culpar o governo federal, como tivesse alguma relação.

O Jornal Nacional (JN), mostrou que a TV Globo, após uma relativa trégua depois da posse, volta ao ativismo oposicionista explícito, ao dar destaque ao relatório de um órgão que, normalmente, não merece destaque no telejornalismo da emissora. Quantos relatórios do IPEA foram noticiados no JN?

No dia anterior, o mesmo IPEA publicou um estudo sobre"Relações comerciais e de investimentos do Brasil com os demais países do BRICS", no semana em que a presidenta Dilma reuniu-se com os demais líderes destes países. Foi uma das principais notícias da semana. O JN da Globo não se interessou por esse relatório do IPEA, que não casava com os interesses da oposição.
*****
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2011/04/o-pig-volta-casa-e-relanca-o-caos-aereo.html

FHC tira a máscara

15.04.2011
Da CartaCapital
Por Mauricio Dias*


O ex-presidente define-se: chega de social-democracia, tudo a favor dos valores da casse média. Por Maurício Dias. Foto: Edson Silva/Folhapress

“Ele é um presidente definido por lei que está fazendo o que o país dominante quer que ele faça”.
Avaliação do governo de FHC feita por Raymundo Faoro, em 15/5/2002

Finalmente, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, suposto arauto da social-democracia brasileira, entrou no trilho adequado. Foi preciso mais de oitos anos, além de três fracassos eleitorais sucessivos na disputa presidencial, para que ele jogasse fora a máscara da social-democracia e assumisse o papel de expressão política da classe média. O sociólogo faz isso agora, na condição de presidente de honra dos tucanos.

“Enquanto o PSDB e seus aliados persistirem em disputar com o PT a influência sobre os “movimentos sociais” ou o “povão”, falarão sozinhos”, sentencia FHC em artigo escrito para a nova edição da revista Interesse Nacional, que começou a circular na quinta-feira 14.

Nada de mal. É bom para o País que o rio corra no seu leito natural. Nada de mais. A minoria precisa de alguém que defenda seus valores. O ex-presidente finca a bandeira nesse espaço ou, pelo menos, tenta. Pela primeira vez se apresenta como porta-voz dessa camada social e se apressa a dar receita eleitoral para os candidatos da oposição.

“Se houver ousadia, as oposições podem organizar-se, dando vida não a diretórios burocráticos, mas a debates sobre temas de interesse dessas camadas.”

Quem compõe essas camadas da sociedade brasileira? A nomenclatura sociológica se embaralha nesse ponto. A classe média é difusa mesmo a partir da base da pirâmide social. Os milhões tirados da marginalidade ao longo do governo Lula – em torno de 20 milhões – foram batizados de integrantes da classe média “E”, embora uma classe social não se consolide somente a partir do salário.

O ex-presidente faz uma leitura muito particular da eleição de 2010. Ele acredita que o resultado traduz essa visão polarizada: Dilma 56,5% dos votos contra 43,95% de Serra.

O sociólogo, já de olho na competição presidencial de 2014, vê as coisas com a lente descalibrada do político oposicionista. Sem ameaça de ser vitimada pelo preconceito da classe média bem aquinhoada, como acontece com Lula, a presidenta Dilma tem chances de transitar melhor nessa faixa do eleitorado. Exatamente o contingente preferencial do governo de FHC.

Ainda em 2002, poucos meses antes da eleição de Lula, diante da pergunta se achava que o governo tucano fora feito para somente 30 milhões, o jurista e historiador Raymundo Faoro lançou uma dúvida: “Tanto assim?”. E argumentou: “O país que lê jornal… quantos são? E o país que lê livros? Não há sequer mercado para sustentar a cultura”.

FHC tornou-se um ícone do país privilegiado: “É isso que sobrou”, disse Faoro.
Foi o que restou também do PSDB, que nunca teve vínculos com os sindicatos brasileiros e com os movimentos sociais. Vínculos que, em essência, definem historicamente a natureza dos partidos social-democratas. Uma aliança que os tucanos nunca buscaram.

*Maurício Dias é jornalista, editor especial e colunista da edição impressa de CartaCapital. A versão completa de sua coluna é publicada semanalmente na revista. mauriciodias@cartacapital.com.br
*****
Fonte:http://www.cartacapital.com.br/destaques_carta_capital/fhc-tira-a-mascara

Baixou o Bolsonaro no boca-suja da Globo News

15.04.2011
Do BLOG DA CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães

Uma notícia se espalhou como fogo ontem pela internet: o apresentador Caio Blinder, do programa da Globo News Manhatan Conection, no programa do último domingo insultou a rainha Rania, da Jordânia, chamando-a de “piranha” no ar.

A embaixada do país e 17 embaixadores de outros países protestaram. Virou um incidente diplomático para o Brasil.

Apesar de a fórmula do programa em questão ser a de afrontar o politicamente correto, esse moleque que saca insultos sexistas contra mulheres na primeira oportunidade deve ter levado uma reprimenda do patrão e, assim, tratou de pedir desculpas rapidinho.

“Não me refiro às mulheres como piranhas, sejam elas árabes, judias, esquimós… E não é uma questão política. Aliás, eu faço críticas políticas; não a pessoas. Eu errei e estou pedindo desculpas“.

É bom, assim, não? Eu digo a besteira que quero e, se a chapa esquentar, uso a saída Bolsonaro: nego o que disse. O deputado, após dizer que negros se casarem com brancos seria “promiscuidade”, renegou as próprias palavras. Este, agora, usa a mesma estratégia.

A embaixada da Jordânia não deve abrir mão de processar Blinder assim como a Câmara dos Deputados não pode deixar de processar Bolsonaro. O que fizeram é crime. O fato de alegarem que não sabiam o que diziam não desculpa o que disseram.

Abaixo, o vídeo da Globo News com o portador da síndrome de Bolsonaro vomitando sua irresponsabilidade para entreter idiotas iguais a ele que sintonizam naquela porcaria de programa para assistirem a homens feitos agirem como moleques.
******
Fonte:http://www.blogcidadania.com.br/2011/04/baixou-o-bolsonaro-no-boca-suja-da-globo-news/

Dias na Carta: caiu a máscara do FHC. É um instrumento da elite

15.04.2011
Do blog CONVERSA AFIADA
Por Paulo Henrique Amorim


Na pág. 12 da CartaCapital desta semana, Mauricio Dias, na imperdível coluna “Rosa dos Ventos”, faz uma uma análise do artigo do Farol de Alexandria em que replica o Justo Veríssimo –“quero que o pobre exploda” – e emprega a palavra que o perseguirá e ao PSDB: o povão.

Clique aqui para ler “FHC vai procurar a classe média no Facebook” e a intepretação que Santayana fez do malfadado artigo: “FHC esté onde sempre esteve: em si mesmo”.

Dias considera que FHC jogou fora a máscara da social-democracia.

Sobre o que são “povão” e “classe média”, onde um começa e o outro acaba, Dias considera que a “nomenclatura sociológica se embaralha”.

Os sociólogos do iFHC vão passar o resto da vida a desembaralhar esse nó – sem saber como utilizar as “categorias” para ter voto.

Diz Dias: “O ex-presidente faz uma leitura muito particular da eleição de 2010. Ele acredita que o resultado traduz essa visão polarizada: Dilma 56,5% dos voto contra 43,9% do Serra”.

Raymundo Faoro entra com a epígrafe da análise de Dias:

Disse Faoro, em 15/05/2002, sobre o cinzento governo FHC:

“Ele é um presidente definido por lei, que está fazendo o que o país dominante quer que ele faça”.

Simples, não, amigo navegante ?


Paulo Henrique Amorim

****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/politica/2011/04/15/dias-na-carta-caiu-a-mascara-do-fhc-e-um-instrumento-da-elite/

Maria Izabel repudia caça da Veja aos sindicatos

14.04.2011
Do blog de Luiz Carlos Azenha
Por Maria Izabel Azevedo Noronha*

Um ataque à democracia e à educação pública

As opiniões expressas pelo economista Gustavo Iochpe na revista Veja de 09/04 surpreendem pela virulência com que este articulista investe contra os sindicatos de profissionais da educação. Ele simplesmente propõe que as representações sindicais do magistério e demais profissionais seja ignoradas nas discussões sobre educação! Na prática, quer uma caça às bruxas contra os sindicatos, incompatível com o atual estágio da democracia brasileira.

Em seu artigo ele “acusa” os sindicatos de lutarem pelo bem-estar de seus associados. Extravagante seria se não o fizessem. Mas ele omite que os sindicatos de professores e demais profissionais da educação têm uma longa tradição de luta pela melhoria da educação pública e que parte expressiva de suas propostas vem se tornando realidade nos últimos anos.

Há no Brasil hoje um forte movimento de valorização do magistério, que compreende de forma clara a relação que existe entre essa valorização e a qualidade do ensino. Esta tendência já se refletiu na decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de declarar constitucional o piso salarial profissional nacional como vencimento básico da carreira do magistério, ou seja, sem acréscimos de qualquer natureza. O mesmo certamente irá ocorrer quanto à nova composição da jornada de trabalho, com 33,3% dedicados a atividades extra-classes, cujo julgamento foi suspenso com cinco votos a favor e quatro contra, devido a interpretações regimentais.

O Brasil vem formulando e implementando políticas educacionais que apontam para a melhoria da qualidade do ensino, valorização dos profissionais da educação, gestão democrática e a superação de déficits acumulados ao longo de décadas graças ao diálogo entre as autoridades educacionais e as organizações da sociedade civil, entre elas os sindicatos dos profissionais da educação. O que Gustavo Iochpe expressa é a reação a esses avanços da direita mais conservadora e de uma certa elite que autointitula “social-democrata”.

A Conferência Nacional de Educação (CONAE) representou um momento importante neste processo, envolvendo milhares de profissionais da educação, estudantes, gestores, especialistas, pais, trabalhadores dos mais diversos segmentos e centenas de organizações sociais na discussão dos rumos da educação brasileira. Foram realizadas reuniões, debates e encontros nas escolas e outros espaços, culminando em conferências municipais, intermunicipais, estaduais e, finalmente, na CONAE, em Brasília, no mês de abril de 2010.

A CONAE definiu as bases de uma nova política educacional que começa a se concretizar no projeto de lei do Plano Nacional de Educação 2011-2020, já em tramitação no Congresso Nacional. Mas nada disso interessa a Iochpe e os que defendem os mesmos interesses que ele. Ele querem desqualificar os professores das escolas públicas e as políticas educacionais para abrirem espaços cada vez maiores para a venda de métodos, apostilas, consultorias e, se possível, tomar a gestão dessas escolas, para torná-las mais “eficientes” e “produtivas”.

Não constitui surpresa, entretanto, que este senhor escreva tais absurdos. Há anos ele vem se dedicando à tarefa de avacalhar todos aqueles que se opõem à política privatista na educação e certamente os sindicatos estão na linha de frente dessa resistência.

Em suas colunas na revista Veja ele afirma que o Brasil investe mais que o suficiente em educação; que não há relação nenhuma entre o valor dos salários pagos aos professores e a qualidade do ensino; que só merece receber salário decente quem tiver seu “mérito” reconhecido pelas autoridades educacionais; e por aí vai.

Ora, a política de “mérito” que esse senhor defende já mostrou seus péssimos resultados no estado de São Paulo, tanto assim que o atual governo, pelo menos verbalmente, vem manifestando a intenção de abandoná-la. Uma das mais importantes mentoras do sistema de meritocracia na educação norte-americana, a ex-secretária adjunta de Educação dos Estados Unidos, Diane Ravitch, já declarou que esse sistema não funciona e vem se dispondo a realizar palestras ao redor do mundo para demonstrar isso.

Nos últimos tempos Gustavo Iochpe vem defendendo a ideia de que o ensino infantil não tem importância nenhuma para o desenvolvimento da educação e do país. Ele, na verdade, contrapõe o combate ao analfabetismo à expansão das creches e pré-escolas. Ou seja, para ele o país só deve combater o estrago já feito; nada de investir para prevenir o futuro.

Curiosamente, todas as críticas e restrições do economista são voltadas ao ensino público. Se para os filhos dos pobres creches e pré-escolas não são importantes, nada é dito quanto às “escolinhas” privadas que existem em cada esquina e aos bons colégios de elite que oferecem educação às crianças desde a mais tenra idade. Ou seja, o que vale para a elite não vale para o povão.

A revista Veja e o senhor Gustavo Iochpe são velhos conhecidos na tentativa de demonizar os movimentos e sindicatos de professores, estudantes e outros segmentos sociais que lutam pela melhoria da educação pública e pela valorização de seus profissionais, por meio de políticas de formação que atendam à escola real na perspectiva da escola ideal que todos almejamos, carreira, salários dignos, participação da comunidade, gestão democrática e outras medidas.

Iochpe, a revista Veja e os que os apoiam estão se movendo contra a democracia e contra o livre direito de organização e expressão. A sociedade brasileira não pode tolerar isso!

*Presidenta da APEOESP
Membro do Conselho Nacional de Educação
Membro do Fórum Nacional de Educação

*****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/denuncias/maria-izabel-repudia-caca-da-veja-aos-sindicatos.html

Burburinho: Militares querem tirar do ar novela do SBT

14.04.2011
Do blog de Luiz Carlos Azenha
Por Stanley Burburinho(blog)

Depois do texto abaixo, fica parecendo que a matéria sobre VAR-Palmares publicada hoje pelo Estado ( http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-var-palmares-nos-documentos-da-aeronautica ) foi encomendada.

“No texto de abertura do abaixo-assinado, os reservistas insinuam que a novela parece ser um acordo firmado entre o proprietário da emissora, Silvio Santos, e o governo federal por meio da Comissão de Verdade para quitar as dívidas do Banco Panamericano que pertencia ao apresentador e foi recentemente negociado por R$ 450 milhões.”

“Dalla Vecchia, que é o 1º secretário da Associação Beneficente dos Militares Inativos Graduados da Aeronáutica (ABMIGAer), alega que as Forças Armadas não devem permitir, dentro da legalidade, que a novela seja exibida. Ele ressalta que os militares já se manifestaram negativamente sobre a trama.”

AMOR E REVOLUÇÃO

Militares da reserva querem tirar do ar novela do SBT sobre ditadura

Publicada em 14/04/2011 às 09h16m

Rafaela Santos*

RIO – Um abaixo-assinado criado por militares da reserva da Aeronáutica, disponível no site militares.com.br , pede a retirada do ar de “Amor e revolução”, novela escrita por Tiago Santiago e exibida no SBT. O autor da mobilização, José Luiz Dalla Vecchia, alega que o folhetim pode colocar a população contra as Forças Armadas. A trama gira em torno da ditadura militar (1964-1985) no país e retrata a perseguição política contra os militantes de esquerda da época.

Até o início da manhã desta quinta-feira, a ação tinha sido assinada por aproximadamente 400 pessoas. No texto de abertura do abaixo-assinado, os reservistas insinuam que a novela parece ser um acordo firmado entre o proprietário da emissora, Silvio Santos, e o governo federal por meio da Comissão de Verdade para quitar as dívidas do Banco Panamericano que pertencia ao apresentador e foi recentemente negociado por R$ 450 milhões.

Dalla Vecchia, que é o 1º secretário da Associação Beneficente dos Militares Inativos Graduados da Aeronáutica (ABMIGAer), alega que as Forças Armadas não devem permitir, dentro da legalidade, que a novela seja exibida. Ele ressalta que os militares já se manifestaram negativamente sobre a trama.

- Qual a finalidade da novela? Será que veio para reviver essa questão? – questiona. – Todos os que participaram dessa época já estão mortos. Nós, os militares atuais, não temos nada a ver com isso. Não é justo que esse assunto venha à tona e prejudique os que estão na ativa – disse ao site do GLOBO.

O abaixo-assinado já causou polêmica na web e, em contrapartida, foi criado uma outra ação, no site Petição Pública , que defende a transmissão da novela. A presidente do grupo “Tortura nunca mais” , Cecília Coimbra, acredita que “Amor e revolução” conta com depoimentos verídicos sobre a época e que o abaixo-assinado é um absurdo.

- Seria cômico se a história não fosse trágica. As pessoas se esqueceram que estamos em 2011 e que a censura ficou para trás – conclui.

*Rafaela Santos é integrante do Programa de Estágio da Infoglobo

http://oglobo.globo.com/pais/mat/2011/04/13/militares-da-reserva-querem-tirar-do-ar-novela-do-sbt-sobre-ditadura-924233922.asp

Clique aqui para ler a carta de um ex-preso político à ministra Maria do Rosário, dos Direitos Humanos


******
Fonte:http://www.viomundo.com.br/denuncias/burburinho-militares-querem-tirar-do-ar-novela-do-sbt.html

JOVENS CONFESSAM MORTE DE UNIVERSITÁRIA

15.04.2011
Da FOLHA DE PERNAMBUCO


Após 48 horas de buscas e investigações, a equipe do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) conseguiu alcançar os dois adolescentes envolvidos no assalto que resultou na morte da universitária Fernanda Patrícia Veras Mateus, de 26 anos, na última terça-feira em Aldeia, Camaragibe, no Grande Recife. Os jovens de 15 e 17 anos foram encontrados por volta das 22h de ontem, no bairro do Timbi, também em Camaragibe.

Eles foram flagrados cheirando cola na casa do pai do garoto de 17, que estava com a mesma camisa (de cor azul) usada no crime. No local, foram apreendidas a arma usada, um revólver 38, além de outro revólver do mesmo calibre e sete munições. “A nossa equipe passou o dia fazendo buscas numa comunidade próxima (ao local do crime) durante a tarde. Conseguimos fotografias dos dois suspeitos e deixamos nossos contatos para que a população nos repassasse detalhes sobre o paradeiro deles. No início da noite, recebemos um telefonema de que os dois estariam na casa do pai de um deles.

Quando chegamos ao local eles estavam cheirando cola e confessaram o crime. Como estavam bastante fora de si não souberam informar quem atirou, mas já sabemos qual deles efetuou os disparos”, detalhou o delegado Isaias Novais.

O responsável pelos tiros foi o jovem de 17 anos. No DHPP, ele contou como foi feita a abordagem. “Na hora que elas pararam o carro junto da gente eu nem sei o que foi que elas falaram. Daí, o outro puxou a bolsa e a menina disse que a gente não estava armado, puxando de volta. Depois, quando eu vi já foi ela com tiro no rosto, caída dentro do carro, eu não sei quem atirou não”, assegurou. Porém, o adolescente de 15 anos afirmou que o responsável pelo disparo foi o comparsa: “Quem atirou foi ele. Eu só fiz puxar a bolsa”.

A dupla confessou que a arma usada no crime foi roubada de uma granja, onde o garoto de 17 anos trabalhava, há um mês e 15 dias. As armas apreendidas estavam com a numeração raspada. O DHPP havia recebido, ontem, cerca de 25 telefonemas de supostas vítimas da dupla, segundo o gestor do departamento, Joselito Amaral. Depois de receberem o ato infracional, os dois, que são considerados pela polícia autores confessos, foram encaminhados para uma unidade da Funase.
******
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/edicao-de-hoje/631886-jovens-confessam-morte-de-universitaria

Equipe da UFPE vence concurso e vai para maior evento de tecnologia do mundo, nos EUA

14.04.2011
Da FOLHA DE PERNAMBUCO


A equipe formada pelo professor José Marcos Francisco da Silva e pelos alunos Marco Antonio Santos Guimarães de Fontes e Thiago Cleyandson Rodrigues Alves, do curso de Engenharia Química da Universidade Federal de Pernambuco, foi a campeã do concurso “Óleo e gás: usando a tecnologia a favor do ser humano”. O prêmio é uma viagem para o maior evento de tecnologia offshore do mundo: o OTC Houston, no Texas, Estados Unidos, de 2 a 5 de maio.

Com a colaboração voluntária da aluna do curso de Design da UFPE Pedrina Tavares dos Reis, eles criaram o vídeo “HQ trata do sequestro de CO2”, uma animação em stop motion feita com desenhos e fotografias. No concurso promovido pela Radix Engenharia e Software, era preciso conseguir o máximo de votos no Facebook para ficar entre os cinco escolhidos. O curta foi “curtido” por 1.137 usuários no Facebook e ficou entre os selecionados. [confira vídeo com Thiago Rodrigues]

Em seguida, uma banca formada por Luiz Rubião (diretor da Radix), Jeferson Borghetti (Empresa de Pesquisa Energética - EPE), Bruno Rosa (Jornal O Globo), Ramona Ordoñez (Jornal O Globo) e Maida Furnia (Consulado Americano) elegeu o vídeo da UFPE como vencedor na última terça-feira à tarde. O vídeo foi o único concorrente que usou a técnica de stop motion, enquanto as outras equipes optaram pelo formato de documentário.

A dupla de alunos e o professor vão ganhar passagem, hospedagem e inscrição pro congresso. Também vão aproveitar para visitar a Universidade do Texas, tida como uma das melhores dos EUA na área de Engenharia Química. Ambos são bolsistas do Programa de Recursos Humanos da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (PRH-28/ANP).

Com informações da assessoria
****
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/estudantes/631513-equipe-da-ufpe-vence-concurso-e-vai-para-maior-evento-de-tecnologia-do-mundo-nos-eua