Pesquisar este blog

sexta-feira, 25 de março de 2011

Acusado de roubar galinhas, caseiro de granja deve ser indenizado em R$ 200 mil

25/03/2011
Do ÚLTIMA INSTÂNCIA
Da Redação

O TST (Tribunal Superior do Trabalho) confirmou decisão anterior que condenou a empresa Cialne (Companhia de Alimentos do Nordeste) a pagar $ 200 mil de indenização por danos morais a um trabalhador acusado de ser ladrão de galinhas da granja onde era caseiro e da qual foi demitido por justa causa.

A empresa entrou com recurso no Tribunal Superior alegando que a decisão havia sido proferida por juízo “absolutamente incompetente”. No entanto, os ministros da SDI-2 (Subseção 2 Especializada em Dissídios Individuais) negaram provimento à ação.

De acordo com a juíza convocada Maria Doralice Novaes, o caso em questão não permite concluir pela “inequívoca incompetência do órgão prolator, quer em relação ao julgamento de primeiro grau, quer quanto ao acórdão proferido em grau de recurso”. Isso porque, explicou a magistrada, “na ocasião em que foi ajuizada, a ação era admissível e foi admitida na Justiça Comum”. Quando o recurso foi impetrado, por sua vez, a Justiça trabalhista já era de todo competente para apreciar a matéria. Dessa forma, a alegação de incompetência não poderia servir de fundamento para a ação rescisória.

Segundo a juíza, até a promulgação da EC 45/04 (Emenda Constitucional), que transferiu para a Justiça do Trabalho a competência para julgar danos morais decorrentes da relação de trabalho, a grande maioria dos julgados gerava muita controvérsia e as decisões eram divergentes quanto a competência judicial para solucionar tais questões.

Ainda na sua fundamentação, Doralice Novaes observou que, tanto a Justiça Comum como a Justiça do Trabalho desatenderam a orientações do STF (Supremo Tribunal Federal), no que se refere às regras de transição relativas à competência. A magistrada ressaltou que o Supremo deliberou a permanência, até o trânsito em julgado, de todos os processos com sentença de mérito proferidas na Justiça Comum antes da entrada em vigor da emenda constitucional. Entretanto, ponderou, esse desrespeito não torna a Justiça do Trabalho incompetente.

Apesar do entendimento do relator, ministro Guilherme Caputo Bastos, ter sido contrário – para ele o apelo da empresa merecia ser acolhido –, seu voto ficou vencido e a maioria dos ministros da SDI-2 acompanhou o voto da juíza.

O caso

De acordo com informações do TST (Tribunal Superior de Justiça), um dos gerentes da empresa descobriu que dez sacos, com cinco galinhas cada um, estavam sendo guardados na granja. Apesar de ninguém ter aparecido para levar os sacos, a polícia foi chamada e o empregado, autor do pedido de indenização, sugeriu aos colegas que procurassem um advogado caso fossem chamados para depor. Segundo ele, foi isso que despertou a ira da empresa, que o demitiu por justa causa e o processou por crime de furto.

Depois de prestar serviços na granja Cialne III por 20 anos, sem nunca ter tido problemas no trabalho, o empregado viu sua boa fama acabar. Ele disse que o fato repercutiu no relacionamento com a mulher, os familiares e vizinhos.

Posteriormente, mesmo absolvido no processo criminal e na ação trabalhista, que não reconheceu a justa causa, na contestação da ação de danos morais, a empresa, apesar de condenada a pagar verbas recisórias, ainda declarou expressamente que, sem dúvida, o caseiro “era o autor do furto, useiro e vezeiro na prática de tal comportamento”.

Insatisfeito, o trabalhador buscou a Justiça estadual para obter a reparação por dano moral. Em agosto de 2003, antes de publicada a Emenda Constitucional 45/04, a ação foi julgada pela 1ª Vara Cível de Aquiraz, município do Ceará, que determinou à empresa o pagamento de indenização no valor de R$ 200 mil.

Ao recorrer contra a condenação, depois de promulgada a reforma constitucional, que transferiu para a Justiça do Trabalho a competência para julgar danos morais decorrentes da relação de trabalho, o processo foi remetido ao TRT-CE (Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região), que negou provimento à pretensão da empresa. Após o trânsito em julgado da decisão, a Cialne decidiu interpor ação rescisória, para recorrer novamente.

Em sua defesa, a empresa sustentou que a decisão fora proferida por juízo incompetente, materialmente pela Justiça Comum, que proferiu a decisão de mérito, ou ainda pela Justiça do Trabalho, que, ao confirmar a sentença prolatada na Justiça Comum, teria ferido a competência do TJ (Tribunal de Justiça) para apreciar a apelação. No entanto, o pedido foi julgado improcedente pelo TRT-CE (Tribunal Regional do Trabalho no Ceará).
****
Fonte:http://ultimainstancia.uol.com.br/conteudo/noticia/ACUSADO+DE+ROUBAR+GALINHAS+CASEIRO+DE+GRANJA+DEVE+SER+INDENIZADO+EM+R+200+MIL_73675.shtml

Recife é apontado como destino único para mercado de turismo de incentivo

25.03.2011
Do BLOG DA FOLHA
Por Arthur Mota/Folha de Pernambuco
Da Assessoria
O Recife é apontado como um destino único no mundo para o mercado de turismo de incentivo. Essa é a visão de Edmundo de Almeida, da Associação de Marketing Promocional (Ampro), que realizou palestra ontem (24), no Recife, a convite do Recife Convention & Visitors Bureau. O vice-presidente da TAP, Luiz Mór, também desferiu elogios à cidade por seu reposicionamento turístico durante painel para empresários e profissionais do setor esta semana.

“Lugares diferenciados permitem emoções, sonhos, reconhecimento, conforto e segurança. Todos esses ingredientes podem ser encontrados em Pernambuco, um dos melhores destinos de incentivo do mundo”, disse Edmundo de Almeida. Após a palestra com Edmundo de Almeida, foi apresentado o vídeo Recife Corporate, iniciativa da Prefeitura do Recife a partir da Secretaria de Turismo, para vender todas as opções de roteiros e produtos que só o Recife tem e podem ser utilizadas pelo turista de incentivo.

Para Luiz Mór, o Recife venceu um quadro desfavorável que levou ao fechamento de hotéis e vive um ciclo de crescimento contínuo, trazendo uma percepção muito positiva sobre a cidade e sua imagem. “Vejo que o turismo é prioridade para a cidade e o Estado”, afirma.

Mór lembrou ainda o sucesso e a necessidade de se firmar parcerias com a iniciativa privada, em especial o Convention Bureau local. Na capital pernambucana, as ações com o Recife CVB foram objeto de estudo do Sebrae-MG em 2010. A cidade também conquistou no ano passado, pela segunda vez, o título de melhor Políticas Públicas do Brasil e destaque em Marketing com prêmios concedidos pelo Ministério do Turismo, Sebrae e Fundação Getúlio Vargas.
****
Fonte:http://www.blogdafolha.com.br/index.php/materias/18768-recife-e-apontado-como-destino-unico-para-mercado-de-turismo-de-incentivo

Trabalhadores de Suape decidem por manutenção da greve

25.03.2011
Do BLOG DA FOLHA
Por Andréa Rego Barros/Folha de Pernambuco
Postado por José Accioly

Trabalhadores da PetroquímicaSuape e da Refinaria Abreu e Lima decidiram, em assembleia geral da categoria, manter a greve que ocorre desde o último dia 17. A legalidade da paralisação seria julgada ontem (24) pelo Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT6), porém foi adiada para a terça-feira (29). A decisão foi baseada nas ações impretadas por empresas que compõem o consórcio, que ingressaram pedidos de liminares para julgar o mérito da greve.

A pauta de reivindicação dos funcionários avançou em 11 dos 13 itens, porém os dois principais continuam pendentes. Os funcionários cobram o aumento de 100% no valor da cesta básica - saindo de R$ 80 para R$ 160 -, mas as empresas oferecem R$ 130. Outro ponto é o acréscimo na porcentagem das horas-extras aos sábados. O pleito dos trabalhadores é que o valor suba para 100%, ou invés dos 80% sugeridos pelo sindicato patronal. O percentual, atualmente, é de 70%. Eles também querem incluir o abono pelos dias parados.

Mais de seis mil trabalhadores participaram do movimento hoje pela manhã, em manifestação pacífica. Outra assembleia está marcada para a próxima segunda (28). De acordo com o TRT6, o órgão federal preferiu adiar o julgamento para ter tempo de analisar os processos impretados pelas empresas e não correr o risco de emitir pareceres contrários. O Ministério Público do Trabalho (MPT) pretende fazer audiência conciliatória entre o sindicato patronal e os trabalhadores.
******
Fonte:http://www.blogdafolha.com.br/index.php/materias/18782?task=view

Deputados pernambucanos na luta contra o crack

25.03.2011
Do BLOG DA FOLHA
Postado por José Accioly
Da Assessoria

Há dez dias, uma comissão da Câmara Federal tem rodado o Brasil em busca de alternativas para o combate ao crack. Pernambuco, Alagoas e Minas Gerais receberam a visita de alguns deputados federais integrantes da Frente Parlamentar em Defesa das Comunidades Terapêuticas do Brasil, que será instalada na próxima semana.

A comissão tem o objetivo de conhecer o trabalho de casas de recuperação que oferecem oportunidades a milhares de viciados, a maioria delas mantida e organizada por voluntários, e formular um documento com sugestões para modernizar o combate ao crack e a recuperação de dependentes químicos, que será entregue à presidente Dilma Rousseff em maio.

Em Pernambuco, a comissão visitou o Centro Evangélico de Recuperação Lar Feliz (CERELF), criado pela Assembléia de Deus em Pernambuco, no município de Petrolina, no Sertão do Estado. A unidade já beneficiou mais de 300 pessoas, reinserindo-as à sociedade com a dignidade e capacitação profissional. A visita foi sugerida pelo deputado federal Pastor Eurico (PSB-PE), que tem se empenhado para que a discussão sobre o combate ao crack seja uma prioridade para o governo.

“Essa é uma droga extremamente perigosa, capaz não só de destruir a saúde, mas também a dignidade do viciado. Precisamos encarar o crack como um mal a ser combatido com seriedade e urgência, para evitar que ele destrua um número ainda maior de famílias”, apela.
***
Fonte:http://www.blogdafolha.com.br/index.php/materias/18766-deputados-pernambucanos-na-luta-contra-o-crack

A nova cara do terrorismo

24/3/2011
Do MSN NOTÍCIAS
Por Darío Garzarón
Da EFE

Após os atentados de 11 de setembro em Nova York e os de 11 de março e 7 de julho em Madri e Londres, respectivamente, a opinião pública mundial tomou conhecimento da existência de um terrorismo nunca visto até então. Hoje, sua versão 2.0 avança com estratégias cada vez mais complexas.

Depois de serem completados sete anos dos atentados em Madri, continuamos, quase a cada dia, vendo o reflexo de uma prática que remonta há vários séculos na história: o terrorismo.

Neste novo século, após a ampla cobertura midiática registrada nos atentados de 11 de setembro em Nova York, o terror continua apresentando, seja qual for o lugar onde apareça, metas bem definidas: ferir o maior número de pessoas possível.

O ponto de partida

Os atentados ocorridos nos Estados Unidos em 2001 não só comoveram a opinião pública pelas dramáticas imagens e depoimentos que os rodearam por sua cobertura ao vivo em todo o mundo, mas, como afirma Francisco Llera, professor de Ciência Política da Universidade do País Basco (norte da Espanha), "significaram um antes e um depois no que se refere ao terrorismo, já que romperam o mito da invulnerabilidade da primeira potência mundial e atacaram, de forma espetacular, o coração do capitalismo mundial".

Alfonso Merlos, graduado em Estudos de Segurança pelo Instituto Espanhol de Estudos Estratégicos, acrescenta que "após estes eventos, os Estados tomaram consciência de que o terrorismo internacional é a maior ameaça simétrica existente para as sociedades abertas, enquanto a opinião pública foi testemunha da presença de constantes focos de violência antiocidentais e antidemocráticos".

"Após os atentados ocorridos em Nova York, o governo dos EUA defendeu a destruição de todos os campos de treinamento a céu aberto, o que fez com que a tipologia dos ataques evoluísse fundamentalmente por duas razões: a utilização de campos de treinamento virtuais e a aparição de terroristas isolados", avalia Merlos.
****
Fonte:http://noticias.br.msn.com/artigo.aspx?cp-documentid=28118516

SEMINáRIO - PT debate ciclo de desenvolvimento

25.03.2011
Da FOLHA DE PERNAMBUCO
Por MARILEIDE ALVES

“Até que ponto vamos conseguir, do ponto de vista da política urbana, criar alguma coisa mais humana, mais fraterna e menos desigual?”. Foi com esse questionamento que o professor Jean Bitoun convocou a militância petista para refletir sobre o ciclo de desenvolvimento no Recife e no Estado, on­tem, durante sua palestra “Rea­lidade e perspectivas na qualidade de vida do recifense”. O evento integra o ciclo de debates estratégicos do PT.

Bitoun fez uma comparação entre o ciclo de desenvolvimento que o País viveu nos anos 20, contemplando as regiões Sul e Sudeste e o desenvolvimento atual, no qual o Nor­deste, especificamente Pernambuco, é beneficiado. “Co­mo é que a gente vai viver isso? Como vai se dar essa apro­priação do desenvolvimento econômico?”, questiona o professor. Bitoun teme que o desenvolvimento se concentre nas mãos de um pequeno grupo, enquanto a grande maioria continua passando pelos mesmos problemas de infraestrutura, habitação e mobilidade urbana.

Em sua análise, indagou se o crescimento ampliará a desigualdade ou tende a reduzi-la. “Aí tem uma dimensão forte da política de quem exerce o poder. Os poderes que se constituem dentro do contexto da desigualdade que tende a se manter. Existem os lobbys, os grupos que estão executando o poder econômico tendem a con­centrar os benefícios para eles“, observa o acadêmico. Se­gundo ele, quem exerce o po­der político “tem que estar atento para não se perder”. “Temos que ver qual o modelo de desenvolvimento urbano que estamos seguindo, quais as dificuldades para reverter essas desigualdades”, refletiu.
***
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/627578?task=view

PAULISTA/PE: Vereador Fábio Barros visita obras de proteção costeira no Ceará.

25.03.2011
Do blog PAULISTA EM 1º EM PRIMEIRO LUGAR
Postado por Francisco Marques

Vereadores do Parlamento Metropolitano de Recife, em comitiva visitamos as obras de contenção da Praia do Icaraí, em Caucaia (Região Metropolitana de Fortaleza). No grupo, Fábio Barros vereador de Paulista(PT) e Secretário Geral do Parlamento, o vereador Marcelo Santa Cruz (Olinda) e João Bosco (Camaragibe), fomos conhecer a solução encontrada para conter o avanço do mar, fenômeno que preocupa nossa RMR e, em especial, o litoral da cidade do Paulista.

O prefeito Washington Gois nos recebeu e explicou da importância das obras para Caucaia, depois seguimos para o Sesc Iparana, onde, às 9h30min, foi realizada uma apresentação técnica da obra. Em seguida, todos visitaram o barra-mar, que consiste em uma contenção realizada com blocos de concreto dispostos em 11 degraus.

Segundo o engenheiro supervisor das obras, Ronaldo Rocha, já foram construídos 640 metros do barra-mar, estando ainda em fase de conclusão mais 700 metros. O prefeito Washington Gois diz que a intenção é buscar mais recursos para dar continuidade à obra, podendo chegar aos seis mil metros de contenção, da praia do Icaraí até a praia da Tabuba.

Os resultados obtidos na praia de Icarai são animadores, pois além de garantir menor impacto ambiental também recuperaram toda a faixa de praia com a engorda natural.
****
Fonte:http://paulistaem1lugar.blogspot.com/2011/03/vereador-fabio-barros-visita-obras-de.html

Acusações de abusos podem derrubar 7 governadores

25/3/2011
Do MSN NOTICIAS
Por Hugo Bachega, Reuters

BRASÍLIA (Reuters) - Eles derrotaram adversários na eleição em outubro, mas um terceiro turno pelo cargo pode estar diante de sete governadores acusados de irregularidades na campanha de 2010 e que podem ter seus mandatos cassados.

A movimentação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) envolve denúncias de abuso de poder econômico e político, compra de votos e uso indevido de meios de comunicação, acusações que custaram o mandato de três governadores somente nos últimos quatro anos.

A ameaça existe mas, apesar das recentes cassações, o risco da perda de mandato é considerado mínimo por lideranças políticas ouvidas pela Reuters.

Sob suspeita, estão os governadores do Acre, Tião Viana (PT); do Amazonas, Omar Aziz (PMN); de Minas Gerais, Antonio Anastasia (PSDB); do Piauí, Wilson Martins (PSB); do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini (DEM); de Roraima, Anchieta Júnior (PSDB), e do Tocantins, Siqueira Campos (PSDB).

'Eu conheço a maioria dos casos e acredito que não vão prosperar', disse o presidente do PSDB, Sérgio Guerra (PE). 'O importante é não deixar esse tipo de questionamento vivo.'

A tranquilidade em relação à perda do mandato, no entanto, pode esbarrar no histórico recente do TSE.

Desde 2006, três governadores foram cassados pelo tribunal, todos acusados de abuso de poder econômico e político, entre outras irregularidades. As denúncias derrubaram os governantes de Paraíba, Maranhão e Tocantins, cassados dois anos após serem empossados.

'A cassação de três governadores é efetivamente grande no Brasil. Cria-se uma jurisprudência', disse o advogado Maurício Oliveira Campos, especialista em direito eleitoral. 'Nos processos atuais, o acirramento do período eleitoral se despejou no período pós-eleitoral.'

Caso as cassações se confirmem, os vices também perdem seus cargos, já que a chapa eleita é invalidada, segundo o TSE.

A lei prevê nova eleição no caso de definição em primeiro turno e a posse do segundo colocado para vitórias ocorridas em segundo turno. Se a duração dos últimos processos serve como um indicativo, os julgamentos podem levar tempo para serem concluídos.

'Não vejo iminente a perda de mandato em nenhum dos casos (atuais)', afirmou o líder do PT na Câmara, Cândido Vaccarezza.

'A lei não é clara, tem muitos furos. Eu sou a favor de que, uma vez diplomado, uma vez tomado posse, só com fato novo possa se pedir a cassação, senão você fica instigando uma discussão que não faz sentido', disse o deputado.

CHORO DE PERDEDOR

A sensação de um 'terceiro turno' do período eleitoral não se restringe à arena política. Especialistas veem as representações como um movimento natural dos derrotados nas urnas e adotam cautela sobre o fato de sete governadores serem acusados de crimes eleitorais.

'Tudo isso diz respeito a fatos ocorridos na campanha eleitoral. Eu não vejo nenhuma gravidade... é plenamente previsível', explicou Fernando Neves, advogado especialista em direito político e ex-ministro do TSE. 'Hoje é muito normal, quem perde a eleição propõe uma ação contra quem ganha.'

Dos outros processos em trâmite, quatro são de autoria de rivais derrotados, que acusam os governantes eleitos em Minas Gerais, Piauí, Rio Grande do Norte e Tocantins de compra de votos e abuso de poder econômico e político.

'Naturalmente existe um fator político, no sentido de desestabilizar o governo do adversário', disse o advogado Campos. 'Algumas vezes é choro de perdedor.'

Em Roraima, o governador Anchieta Júnior já perdeu seu mandato, cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Ele recorreu ao TSE, que concedeu mandado de segurança suspendendo a decisão.

No Acre e no Amazonas, as ações foram iniciadas pelo Ministério Público Eleitoral (MPE).
****
Fonte:http://noticias.br.msn.com/artigo.aspx?cp-documentid=28131264

Explorar centro da Terra já é viável

24.03.2011
Do ESTADÃO.COM.BR/CIÊNCIA

Em artigo na ''Nature'', cientistas europeus afirmam que tecnologia desenvolvida pela indústria petrolífera permite perfurar crosta até o manto

SÃO PAULO - É possível fazer uma viagem ao centro da Terra ou, ao menos, ao seu início. É o que afirma um grupo de cientistas em artigo publicado na revista Nature. Segundo eles, as tecnologias existentes já são suficientes para perfurar a crosta terrestre até a camada inferior, o manto - que representa 68% da massa da Terra e permanece inexplorado. O objetivo é entender melhor a estrutura da Terra, a ocorrência de terremotos e aprimorar a exploração mineral.

Os cientistas propõem, na prática, a retomada da primeira expedição para perfuração científica no oceano, que ocorreu há 50 anos, em abril de 1961, chamada Projeto Mohole. Embora não tenha sido bem-sucedida em seu objetivo de atravessar toda a camada rochosa que forma a crosta, essa expedição conseguiu, com os dois quilômetros perfurados a partir do subsolo em alto-mar, desenvolver a tecnologia que hoje ajuda as petrolíferas a explorarem campos de petróleo como o da camada de pré-sal de Tupi, na Bacia de Santos.

Segundo Benoit Ildefonse, da Universidade de Montpellier II, da França, um dos autores do artigo juntamente com Damon Teagle, da Universidade de Southampton, da Grã-Bretanha, "graças às companhias de petróleo, agora temos a tecnologia para perfurar a distância necessária para chegar ao manto".

O objetivo agora é ultrapassar o marco de 2.111m - máximo que já se conseguiu chegar até hoje - e perfurar os seis quilômetros necessários para atravessar toda a crosta em seu ponto mais fino, abrindo um buraco de 40 centímetros que poderá ficar aberto por muitos anos.

O melhor ponto de escavação deve ter a menor espessura de crosta possível. No entanto, nesses pontos com a chamada "alta taxa de espalhamento" a crosta ainda está muito quente, pois sua formação é recente, o que dificulta a perfuração. Dessa forma, de acordo com Ildefonse, eles conseguiram limitar as possíveis locações a três áreas - costa do Havaí, da Baixa Califórnia e da Costa Rica, todas no Pacífico -, onde a espessura é a mais fina possível e a temperatura da placa, suficientemente fria.

Compreensão. "Com essa análise direta a partir dos resultados da perfuração, nós poderemos calibrar nossos dados indiretos e saber exatamente onde está o limite crosta/manto, fabricando um melhor modelo de Terra", afirma Ricardo Trindade, professor do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (IAG-USP). "É justo dizer que em muitos aspectos conhecemos mais sobre espaço do que sobre o nosso próprio planeta."

Segundo Ildefonse, saber mais sobre o manto poderá ser valioso para a compreensão dos terremotos, momento de convergência das placas tectônicas, formação das placas no oceano e sua participação no ciclo químico do planeta - incluindo o ciclo do carbono.

George Sand, do Observatório Sismológico da Universidade de Brasília (UnB), afirma que a "pesquisa terá um impacto enorme sobre a exploração mineral". Segundo ele, a perfuração poderá encontrar novas jazidas, além de ajudar na tecnologia de exploração.

No entanto, mesmo com a avançada tecnologia petrolífera que levou ao desenvolvimento do navio Chikyu, que será usado para a perfuração, ainda assim serão necessários pelo menos 10 anos de pesquisas antes do início dos trabalhos. Isso porque parte da tecnologia terá de ser adaptada para a enorme pressão e temperatura que os aparelhos encontrarão em maiores profundidades.

Além disso é necessário garantir o financiamento. "Dependemos muito da vontade política pois a quantidade de dinheiro necessária para esse projeto é muito grande", diz Ildefonse, lembrando que o Brasil já fez parte dos países que financiaram o projeto durante a década de 1980.

Entenda: Petrolíferas chegam a 12 km

As empresas petrolíferas já conseguem perfurar enormes profundidades para chegar às reservas de óleo e gás. Segundo Kazuo Nishimoto, do Departamento de Arquitetura Naval e Engenharia Oceanográfica da USP, a perfuração mais profunda desse tipo foi de 12km.

No entanto, esse tipo de perfuração é diferente daquela que o Projeto Mohole pretende fazer. Isso porque, embora escavem grandes distâncias, as companhias estão perfurando apenas sedimentos, que têm menor resistência e baixas temperaturas, apresentando um menor desafio técnico para os equipamentos de perfuração. Essa maior camada de sedimentos é característica das regiões costeiras e de alguns outros pontos do relevo oceânico.

Além disso, as companhias de petróleo perfuram a uma profundidade do chamado espelho d'água de cerca de 2km. As regiões que o Projeto Mohole pretende explorar estão a 4km de profundidade, aumentando a pressão sobre o equipamento de escavação e gerando a necessidade de tubulações mais longas e resistentes que ainda não foram desenvolvidos, segundo Ildefonse.

Sendo assim, o projeto busca regiões específicas onde o acúmulo de sedimentos é menor e a crosta mais fina, perfurando praticamente apenas o chamado embasamento, rocha dura que forma a crosta. Nesta camada, o mais longe que já se conseguiu perfurar foram 2.111 m.

***

Fonte:http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,explorar-centro-da-terra-ja-e-viavel,696569,0.htm

Xavier descarta negociações com João Paulo

25.03.2011
Da FOLHA DE PERNAMBUCO
Por MARILEIDE ALVES
POLÍTICA

O secretário estadual de Meio Ambiente e presidente do PV de Pernambuco, Sérgio Xavier, disse, ontem, que a legenda tem um diálogo permanente com o deputado federal João Paulo (PT), mas descarta conversas sobre sucessão municipal. Xavier afirmou que o foco do partido, neste momento, é o trabalho na Secretaria de Meio Ambiente. “Não estou participando de nenhuma articulação para antecipar as eleições de 2012. Neste momento, no PV, estamos focando na pauta que envolve a Secretaria de Meio Ambiente. O diálogo (com João Paulo) sempre teve. É normal essa conversa permanente”, disse o verde.

Segundo ele, o debate sobre 2012 terá início “no momento certo”. Por enquanto, a preocupação da sigla é com a reestruturação interna. “Quando o PV for discutir (eleições municipais) vai ser uma discussão coletiva, quando chegar o momento certo”, frisou, completando que as “novas direções” do partido é que darão início às conversações. “Só vamos tratar de eleições quando as direções estiverem formadas”, enfatizou.

O PV se prepara para a renovação dos dirigentes da agremiação. Os verdes estão discutindo uma reformulação no novo estatuto. “Queremos uma participação mais ativa do filiado”, adiantou Xavier. O secretário defende que o mandato dos novos dirigentes seja de dois anos, com possibilidade de renovação. “É salutar fazer a renovação, para que outras pessoas possam dirigir o partido”, disse.

Com relação à declaração do presidente nacional da sigla, deputado federal José Luiz Penna, de que “no partido não é um imperativo a aliança com o Governo do Estado projetar-se para o futuro”, Xavier afirmou que o PV deve se manter, nas eleições, com autonomia. “O PV deve ser autônomo, independente. Existe a aliança com o PSB, mas na eleição teremos total autonomia, liberdade para que nossas propostas sejam discutidas. A aliança não quer dizer que o PV esteja agregado a projetos que vão ocorrer daqui a dois anos”, explicou. Xavier se encontra em São Paulo, onde teve reuniões com a ex-senadora Marina Silva.
****
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/627831?task=view

Mozart Sales chama protesto no Dona Lindu de ação desmedida

25.03.2011
Do BLOG DA FOLHA
Postado por Gilberto Prazeres

Em estadia no Recife, o assessor do Ministério da Saúde Mozart Sales (PT) classificou o protesto realizado pelas vereadores Aline Mariano (PSDB) e Priscila Krause (DEM), na tarde de hoje, no Parque Dona Lindu, como uma ação desmedida e totalmente fora de foco. “Eu nunca vi ninguém protestar contra uma inauguração! Ainda mais de um parque que será referencial cultural e uma opção de lazer que valoriza ainda mais um cartão postal como a praia de Boa Viagem”, bateu o petista.

Mozart disse também que a oposição no Recife se mostra desnorteada porque está vendo uma série de obras em andamento da gestão do prefeito João da Costa (PT) , e que esquece de “marcos” negativos de administrações comandadas por eles. “Todos lembram do viaduto Joaquim Cardoso. As pessoas jogavam bola lá por mais de dois meses. E a duplicação da BR-116? Marco Maciel era vice-presidente e fizeram inaugurações de cada 10 metros duplicados”, bradou Sales.
****
Fonte:http://www.blogdafolha.com.br/index.php/materias/18799-mozart-sales-chama-protesto-no-dona-lindu-de-acao-desmedida

Professor da UFPE que estava desaparecido é encontrado morto com um tiro na cabeça

25.03.2011
Do Folha Digital
Com informações de Yone Salles
De Grande Recife

O corpo do professor Helio Meneses Pacheco, 47 anos, chefe do Departamento de Eletrônica e Sistemas da UFPE, foi encontrado morto por populares com um tiro na cabeça, no bairro da Muribeca, na quarta-feira passada, dia em que ele desapareceu. Porém, o corpo seguiu para o IML e não foi identificado. O professor tinha sido dado como desaparecido desde a semana passada e estava sendo procurado pela polícia. A família do professor irá enterrar o copo nesta sexta-feira à tarde. Um laudo da perícia realizado no corpo será divulgado até a segunda-feira (28).

Nesta sexta-feira (25) pela manhã, a polícia realizou perícia na casa de Helio, mas o resultado ainda não saiu. Também, o carro do professor foi achado queimado na bairro do Cordeiro.

Durante as investigações, o porteiro do prédio do professor foi ouvido pela polícia. Após depoimento, ele acabou sendo preso, porque havia um mandado de prisão expedido pela justiça baiana desde 2007, por atentado violeto ao pudor. O porteiro será investigado pela polícia para saber se tem algum envolvimento com a morte do professor.
****
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/noticias-geral/33-destaque-noticias/627909-identificado-corpo-de-professor-da-ufpe-que-estava-desaparecido

Votação no Parlamento derruba governo no Canadá

25.03.2011
Da BBC BRASIL

Novas eleições devem ocorrer no início de maio; partido do atual premiê é o favorito.

Premiê Stephen Harper é o favorito nas eleições de maio

O governo do Canadá, do premiê conservador Stephen Harper, foi derrubado nesta sexta-feira, após a aprovação de um voto de desconfiança no Parlamento.

A moção, adotada por 156 votos contra 145, foi articulada pelo Partido Liberal, o principal da oposição, apoiado por dois outros grupos opositores.

Com isso, o Canadá agora deve realizar uma eleição no início de maio.

As últimas pesquisas indicam vantagem dos próprios conservadores, liderados por Harper, que pode ser reconduzido ao poder. Por outro lado, a expectativa é de que os conservadores não consigam obter maioria no Parlamento.

Rainha

Os opositores decidiram apresentar a moção alegando que o governo não havia esclarecido todos os detalhes financeiros de um programa de investimentos.

O líder do Partido Liberal, Michael Ignatieff, celebrou o "momento histórico" e pediu mais foco no sistema de saúde e de educação do país.

Conforme estabelece a lei canadense, Harper pedirá agora ao governador-geral, David Johnston, que dissolva o Parlamento e convoque as eleições. Johnston é representante da rainha britânica Elizabeth 2ª, oficialmente a chefe de Estado do Canadá.

O procedimento, porém, é apenas uma formalidade, já que o governador-geral segue as diretrizes dadas pelo premiê.
***
Fonte:http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,votacao-no-parlamento-derruba-governo-no-canada,697364,0.htm

Obra na BR-101 compreende 30 quilômetros e ligará o Cabo a Abreu e Lima

24.03.2011
Do blog ESCADA E DESENVOLVIMENTO

Contorno do Recife inicia em agosto

Da precariedade das vias ao caótico trânsito, a Região Metropolitana do Recife (RMR) reflete um transtorno comum nas grandes cidades. A falta de um transporte público eficaz aliado ao aumento de veículos nas ruas ajuda a agravar as deficiências da mobilidade urbana. Para reverter este cenário, a Secretaria Estadual de Transportes (Setra) dá seguimento ao projeto Contorno do Recife. A obra abrange a área da BR-101 que vai do Cabo de Santo Agostinho, na altura da Fábrica da Vitarela, até Abreu e Lima. O projeto compreende 30 quilômetros de extensão e recebe o investimento de R$ 550 milhões.

O Contorno do Recife já teve os recursos liberados e está em fase de conclusão do projeto executivo, que deve ser entregue até o início do mês de maio. As obras estão previstas para serem iniciadas em agosto e conclusão com prazo estipulado para 2013. A intervenção vai preparar o Estado para a chegada da Copa do Mundo de Futebol, em 2014. “Vamos desafogar o trânsito na Região Metropolitana com intervenções nos viadutos e construção de corredores e elevados para a circulação dos BRTs (Bus Rapid Transit)”, disse o Secretário de Transportes, Isaltino Nascimento.

Os BRTs correspondem a um tipo de transporte público onde os ônibus circulam de maneira mais rápida, utilizando faixas exclusivas e independentes do restante do trânsito. As novas faixas do Contorno do Recife deverão ser construídas no canteiro central da rodovia, ficando o uso de elevados para as áreas onde a obra for impossibilitada.

Em paralelo às obras do projeto, terão início também em agosto, os trabalhos para a construção do Corredor Norte-Sul, que vai do município de Igarassu até o Terminal Integrado de Joana Bezerra. Os serviços simultâneos deverão gerar novos problemas de mobilidade na RMR. “As obras vão gerar um certo transtorno, mas é temporário e necessário para a situação que beneficiará a mobilidade”, afirmou o secretário.

Um dos objetivos dos novos projetos é que a população deixe o carro em casa e utilize o transporte público, que promete ser eficiente. “A ideia é otimizar um veículo de qualidade e confortável. Teremos um modelo onde a pessoa sabe a que horas irá chegar ao seu destino”, frisou Isaltino. No Contorno do Recife serão construídos terminais integrados e passarelas para facilitar a utilização do sistema pelos usuários e pedestres.

Ainda sem previsão de início das obras, o Arco Metropolitano, que abrange 98 quilômetros, será construído entre os municípios de Ipojuca e Igarassu, e corresponderá a mais um reforço para a mobilidade. A via passará por sete municípios e auxiliará a transferência dos veículos de grande porte da área urbana da RMR para a nova estrada.

OESTE

Entre as novas obras de mobilidade urbana, as cidades da Região Oeste da RMR, como Camaragibe e São Lourenço da Mata, também serão beneficiadas. Além de contempladas pelos corredores e pelas já executadas obras de duplicação da BR-408, elas terão um novo acesso. De olho na Copa de 2014, a Setra prevê a execução de uma via paralela à avenida Belmiro Correia, em Camaragibe, que dará acesso à Arena da Copa, em São Lourenço. A obra deverá ser entregue em 2013.
(Folha de PE)
*****
Fonte:http://escadaedesenvolvimento.wordpress.com/2011/03/24/arco-metropolitano-em-planejamento/

Cientistas dos EUA querem usar lasers para limpar o lixo espacial

25.03.2011
Do MSN NOTÍCIAS
Por Leonardo Carvalho,em 15/3/2011

Laser de baixa potência seria usado para desacelerar objetos para que eles reentrem na atmosfera de forma segura


O “lixeiro” seria instalado na Terra

No fim do ano passado, os russos divulgaram um plano para resolver o problema do lixo espacial, cada vez mais crescente e preocupante –. Agora, em um déjà-vu que nos lembra os tempos da corrida espacial, é a vez dos EUA anunciarem sua solução. Diferentemente dos russos que confiariam em uma espécie de cápsula limpadora que seria enviada para o espaço exterior, os americanos preferem brincar de tiro ao alvo, usando o bom e velho laser.

James Mason, cientista da NASA, apresentou uma ideia que pode ser um pouco mais barata do que os US$ 2 bi necessários para colocar o plano dos russos em prática. A ideia é disparar lasers contra os objetos para que eles reduzam sua velocidade a ponto de reentrar na atmosfera, caindo em um lugar seguro.


Isso não é necessariamente uma novidade. A Força Aérea dos EUA já haviam cogitado a solução mas ela não foi adiante pelo temor de que um laser potente o suficiente para abater um objeto no espaço poderia ser mal visto por outras nações.

Mas Mason e sua equipe afirmam que é possível usar um sistema de baixa potência para fazer o trabalho. Segundo o estudo um laser de 5KW seria suficiente, contanto que ele fosse disparado por uma hora por ou duas durante alguns dias.

O custo da operação, segundo o estudo, ficaria na casa de US$ 1 mi.

O problema com o lixo espacial começa quando o número de satélites – operantes e inoperantes – supera o número de objetos que caem na atmosfera. A superpopulação de objetos orbitando o planeta pode causar colisões, reduzindo os objetos a pedaços menores e criando um efeito cascata que poderia causar muito estrado na Terra.

Até janeiro de 2009 isso era apenas uma teoria catastrofista. Naquele ano, os satélites Cosmos 2251 e o Iridium 33 se chocaram e cientistas passaram a tratar a ameaça como algo mais urgente.

Fonte: Technology Review
***
Fonte:http://tecnologia.br.msn.com/noticias/artigo.aspx?cp-documentid=28010007

Parlamento do Tibete aprova renúncia do dalai lama da função de líder político

25/03/2011
Renata Giraldi
Repórter da Agência Brasil

Brasília
– O Parlamento tibetano no exílio, em Dharamsala, no Norte da Índia, aprovou hoje (25) o pedido de afastamento do dalai lama das atividadades políticas. A solicitação foi aprovada por unanimidade. O deputado Karma Yeshi, um dos parlamentares que votou a favor do pedido, afirmou que o difícil foi separar o líder religioso das funções políticas.

No último dia 10, o dalai lama, de 75 anos, anunciou sua renúncia. Segundo ele, seu objetivo era que as funções passassem a ser desempenhadas pelo primeiro-ministro. Inicialmente, os parlamentares demonstraram hesitação quanto à sua renúncia.

A decisão do dalai lama foi anunciada durante cerimônia que lembrou a revolta tibetana de 1959 contra as autoridades chinesas. De acordo com ele, é o momento de “devolver” a autoridade formal para um líder eleito.

As informações são da agência pública de notícias de Portugal, a Lusa. Exilado na cidade indiana de Dharmsala, o dalai lama afirmou que o governo tibetano deve ter mais poder. Segundo o líder, a disposição é apresentar propostas de emendas à Constituição para incluir as mudanças pretendidas.

Por tradição, os dalai lama são líderes políticos e espirituais do Tibete e o atual mantém essa função considerada quase mítica para a maioria dos seguidores. O atual dalai lama é o décimo quarto de uma linhagem de líderes espirituais que, pela crença budista, são a reencarnação de espíritos que têm o objetivo de esclarecer a humanidade.

Lama é uma palavra tibetana que significa sabedoria, monge, mestre e guru. O dalai lama também é chamado de Sua Santidade por seus seguidores.

Edição: Lana Cristina
****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-03-25/parlamento-do-tibete-aprova-renuncia-do-dalai-lama-da-funcao-de-lider-politico

Cientistas encontram indícios de ocupação das Américas há 15.500 anos

25/3/2011
Do MSN NOTÍCIAS
Por estadão.com.br

Divulgação de Michael R. Waters

"Alguns dos artefatos encontrados no sítio arqueológico Debra L. Friedkin, no Texas, Estados Unidos"

Pesquisadores encontraram milhares de artefatos no Texas, Estados Unidos, que datam de período anterior à suposta chegada da cultura Clóvis, creditada como a primeira a povoar as Américas, há cerca de 13 mil anos.

Estudos destes artefatos mostraram que eles têm entre 13.200 e 15.500 anos e foram encontrados em um sítio arqueológico chamado Debra L. Friedkin. Os pesquisadores usaram um processo de datação por luminescência, que avalia energia da luz presa aos grãos de sedimentos que cobriam as 15.528 ferramentas encontradas.

Michael Waters, da Texas A&M University, disse que a descoberta revela dados importantes para as discussões sobre o povoamento do continente americano. 'No sítio de Debra L. Friedkin nós encontramos evidências da ocupação humana anterior em 2.500 anos à cultura Clóvis. Este sítio é importante no debate sobre quando ocorreu a colonização das Américas e a origem da cultura Clóvis', explica o pesquisador.

Embora sejam visivelmente diferentes, as ferramentas encontradas apresentam algumas similaridades com aquelas creditadas à cultura Clóvis, que, acredita-se, tenha povoado o continente americano vindo da Ásia pelo Estreito de Bering. De acordo com os pesquisadores, o material da época da cultura Clóvis teria se originado a partir dos artefatos encontrados no sítio texano. As ferramentas recém-descobertas são menores e feitas a partir de uma rocha chamada sílex.
****
Fonte:http://www.blogger.com/post-create.g?blogID=6270130302447890955

Paralisação de obras em usinas do Madeira não deve prejudicar cronograma, diz Tolmasquim

25/03/2011
Alana Gandra
Repórter da Agência Brasil

Rio de Janeiro
- O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, espera que as obras das usinas hidrelétricas Jirau e Santo Antônio, paralisadas desde a semana passada por causa de protestos dos operários, sejam retomadas o mais rápido possível para não afetar o cronograma de operações.

O cronograma prevê que as duas usinas entrarão em funcionamento com um ano de antecipação, ou seja, deverão começar a operar entre o fim de 2011 e o início de 2012. Santo Antônio foi licitada em 2007 e Jirau em maio do ano seguinte. Somadas, as hidrelétricas terão capacidade instalada de 6,4 mil megawatts (MW).

Em relação ao contrato de fornecimento de energia das usinas, Tolmasquim considerou pouco provável que haja atraso, justamente porque as obras devem ser entregues antes do prazo previsto.

Ele disse que o governo está acompanhando essa nova realidade da economia brasileira, de grandes obras em andamento, como hidrelétricas e refinarias, que acabam gerando muitas demandas trabalhistas. “É uma situação nova, um volume grande de obras ao mesmo tempo e o mercado está superaquecido, o que dá um certo poder de barganha ao próprio trabalhador, porque a demanda é grande”. Ele confia, no entanto, que os problemas nas usinas do Rio Madeira são gerenciáveis e que haverá negociação para que as obras sigam adiante.

Em relação ao programa nuclear brasileiro, descartou qualquer processo de descontinuidade em razão da tragédia ocorrida no Japão. A situação aqui é distinta, segundo ele. A tecnologia usada no Brasil é mais segura e o país não está sujeito a terremotos nem tsunamis.

Admitiu, porém, que a questão nuclear está sendo objeto de reexame em todo o mundo, face à catástrofe japonesa. “É claro que tudo isso que está sendo visto no mundo vai ter influência aqui no Brasil também”. Segundo Tolmasquim, o Brasil deve continuar a obra da Usina Nuclear Angra 3 e olhar o que está acontecendo no resto do mundo, fazer comparações para, então, tomar decisões.

Tolmasquim participou hoje (25) da solenidade de posse do novo presidente da Câmara de Comércio Americana do Rio de Janeiro, Henrique Rzezinski.

Edição: Vinicius Doria
****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-03-25/paralisacao-de-obras-em-usinas-do-madeira-nao-deve-prejudicar-cronograma-diz-tolmasquim

Rio Tietê ficou sem limpeza por quase três anos em São Paulo

25.03.2011
Do UOL NOTÍCIAS
Arthur Guimarães
Em São Paulo

Para tirar o atraso, governo Alckmin dobrou metas de limpeza e anunciou aporte de R$ 558 milhões

O governo estadual assumiu nesta semana, em resposta a questionamento feito há 24 dias pelo UOL Notícias, que por mais de 1.000 dias não foi feito o serviço de desassoreamento do leito que corta São Paulo e cujos transbordamentos, em dias de forte chuva na capital, interrompem o tráfego na marginal e trazem o caos aos paulistanos. Só nos primeiros três meses deste ano, foram registrados três episódios do tipo.

Nota oficial emitida em 22 de março pelo Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), órgão vinculado à secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos, confirma que houve uma suspensão no serviço de escavação, recolhimento e transporte dos dejetos que se acumulam no fundo do leito do rio.

“A obra de aprofundamento da calha do rio Tietê possibilitou condições de escoamento das vazões que dispensaram a necessidade de realização do serviço de desassoreamento em 2006 e 2007”, afirma o texto, acrescentando que a tarefa só foi retomada no final de 2008.

Na análise de especialistas, no entanto, tal suspensão é temerária e pode, inclusive, ter prejudicado os ganhos obtidos com o rebaixamento da calha do Tietê, obra entregue em 2005, sob o custo de R$ 2 bilhões, e que alargou o rio em até 30 metros e o aprofundou em 2,5 metros.

Como apontam engenheiros e geólogos, o Tietê é um rio plano, com baixa velocidade da água e limitada capacidade de autolimpeza. Por isso, precisaria ser desassoreado sempre –apesar de essa ser uma tarefa cara (retirar 1 milhão de metros cúbicos custa R$ 64 milhões) e com pouca visibilidade política.

Aluisio Canholi, doutor em engenharia e coordenador do Plano de Macrodrenagem da Bacia do Alto Tietê (1998), afirma que a suspensão no serviço é "menos grave" por ter sido concentrada no período imediatamente posterior à entrega da obra de rebaixamento da calha.

Como ele explica, o revestimento de concreto aplicado em 2005 nas paredes do leito, em tese, fez com que os resíduos se acumulassem em menor escala nos anos seguintes à inauguração. Além disso, as intervenções aumentaram a vazão do rio e sua velocidade, facilitando a dispersão dos dejetos. "Se eram poucos os resíduos, não teria tanto problema em suspender a limpeza. De toda forma, todo rio urbano precisa ser desassoreado constantemente", pondera.

Segundo o especialista, no entanto, só é possível saber a extensão exata do problema –e suas reais consequências– se fosse feita uma análise dos resultados das medições do Tietê em 2006, 2007 e 2008. "É necessário ver o que apontam os relatórios de batimetria (técnica que mede a profundidade do rio) e vazão. Se o assoreamento estava de fato interferindo significativamente na vazão do rio, a questão é gravíssima."

Guardião de tais relatórios, o DAEE foi solicitado em 1º de março deste ano a fornecer os resultados dos estudos de batimetria e vazão. O órgão não havia respondido o pedido até ontem (23 dias depois), quando foi cobrado novamente. Por meio de sua assessoria de imprensa, o DAEE informou que não iria fornecer à imprensa tais informações.

Histórico de idas e vindas

A necessidade de continuar o trabalho de limpeza foi lembrada pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), no dia da cerimônia de entrega da obra de rebaixamento da calha, em 19 de março de 2006.

Na ocasião, além de prometer que o Tietê não voltaria e encher tão cedo, o então postulante ao Planalto anunciou aos presentes que uma Parceria Público Privada (PPP) seria lançada para garantir a manutenção da obra recém-inaugurada, enquanto outras empresas governamentais –Sabesp, Nossa Caixa, Cetesb e Cesp – cuidariam dos 50 quilômetros de jardim na marginal. “A manutenção já começa imediatamente. Começamos com quatro empresas do governo e pretendemos ampliar com a iniciativa privada”, disse na ocasião.

Apesar do corte da vegetação marginal ter sido feito, a PPP nunca foi adiante no Palácio dos Bandeirantes, que passou a ser comandado em março de 2006 por Claudio Lembo. Foi somente no final de 2008, na gestão José Serra (PSDB), que o serviço foi retomado, em contratação anunciada no dia 14 de outubro na página 129 do Diário Oficial do Estado.

R$ 2,1 bilhões/mêsÉ o prejuízo estimado causado pelas enchentes às empresas de São Paulo, segundo dados da Fiesp

Segundo o DAEE, no ano da assinatura do contrato, máquinas removeram 117 mil metros cúbicos de sedimentos (contra o 1 milhão que chega anualmente) em pontos mais críticos do rio Tietê (como a foz dos rios Tamanduateí e Aricanduva), o que representou um investimento de R$ 7 milhões.

Na temporada de chuvas do ano passado, no entanto, após ser alvo de críticas quando a marginal encheu e interrompeu o trânsito novamente, Serra anunciou que o volume de resíduos que voltou a ser retirado precisava ser ampliado. Em fevereiro de 2010, ele afirmou que aumentaria o serviço: passaria de 400 mil metros cúbicos para 1 milhão de metros cúbicos anuais.

Desde então, o contrato foi várias vezes aditado. Foi somente neste ano, quando Alckmin retornou ao poder, que o governo resolveu fazer novas licitações para o setor. Assim que enfrentou a primeira leva de críticas após o caos visto em São Paulo com a chuva de 10 de janeiro de 2011, o tucano lançou um novo programa de contenção de enchentes.

Alckmin, que mudou o rumo de vários projetos do antecessor, incluiu no pacote uma revisão do que se vinha fazendo com o Tietê. Na primeira ação anunciada, ele disse que passaria a retirar 2,1 milhões de metros cúbicos de resíduos do rio neste ano, contra meta anterior de 1 milhão de metros cúbicos.

No total, entre todos os pacotes anunciados, o governador afirmou que irá investir cerca de R$ 558 milhões em ações contra as enchentes. O governo estadual calcula que, hoje, o rio tenha cerca de 2 milhões de metros cúbicos de resíduos.

Outro lado

O ex-governador José Serra foi procurado para se posicionar sobre a reportagem. Apesar do contato feito com sua assessora de imprensa e das perguntas enviadas, não houve retorno até a publicação deste texto.

O DAEE, que desde o começo do mês é solicitado a passar ao UOL Notícias dados sobre a questão, enviou apenas um texto em que elenca de forma genérica os principais projetos e as promessas do órgão.

Mesmo sendo solicitado diversas vezes a detalhar os dados que forneceu, o DAEE não divulgou mais informações e não agendou entrevistas com os técnicos do órgão, como foi solicitado pela reportagem.
*****
Fonte:http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2011/03/25/governo-de-sp-deixou-de-limpar-o-rio-tiete-por-quase-tres-anos.jhtm

O Brasil vencerá o complexo de vira lata?

21.03.2011
Do blog GONZUM
Por Miguel do Rosário



Nilton Pinho - Objeto sem título

Técnica: Assemblage - Ano: 2001


Francamente, o que mais me espantou nessa visita de Obama ao Brasil foi assistir ao show de complexados xingando o Brasil, os brasileiros, o governo, os ministros. A postura paranóica do esquema de segurança do presidente americano é um problema deles, dos americanos. Somos um país amigo, com obrigação de tratá-los da melhor maneira possível. Ministros foram revistados? Foram. É um absurdo? É. Mas até onde eu sei foi um engano do segurança americano, de um sujeito ou da equipe toda. Não foi para ofender o Brasil. Não foi um atentado à soberania nacional. Os americanos estão preocupados em proteger seu presidente. É medo. Os americanos têm medo. Já perderam vários presidentes. Abraham Lincoln foi assasssinado num teatro em 1865, num momento em que o país comemorava o fim da guerra civil. John Kennedy foi assassinado em 1963, num momento em que o país alimentava grandes sonhos de libertar-se do racismo e do conservadorismo, sonhos que voltaram com mais força ainda durante a campanha de Bob Kennedy, irmão de John, para presidência, igualmente assassinado, em 1968. Martir Luther King, que não era presidente, mas um líder amado em todo país pelas pessoas de bem, foi assassinado também em 1968.

Eu até compreenderia a reação se ela se limitasse a ser uma irritação contra os americanos. Mas não. Preferiu-se dirigir a raiva contra o Brasil, contra os brasileiros, contra o governo. Escreveram-se e reproduziram-se ad infinitum artigos esculachando o povo, o governo, a própria cultura nacional.

Todos esses que chamaram o governo, o povo e os brasileiros de serem subservientes, são uns complexados, ou então oportunistas.

O Brasil é um país soberano, independente, rico e promissor. Não se curva diante de ninguém. Seguranças americanos em frente ao hotel revistam um carro da Polícia Federal? Ora, paranóia dos agentes americanos que evidentemente suspeitavam que pudesse ser um terrorista disfarçado de polícia federal. Não é ataque a soberania. É paranóia dos americanos. Os policiais, mesmo contrariados, aceitaram a revista porque seria ridículo criar um incidente diplomático por uma besteira dessas. Os EUA são amigos, os agentes americanos que estão aqui são amigos, e Obama era no momento o hóspede mais ilustre do país.

Somos um povo hospitaleiro, cordial e pacífico, e isso implica em tolerar inclusive o medo e a paranóia dos americanos.

Mais grave ainda: internautas, achando-se muito politizados, procuraram ridicularizar populares que esperavam Obama e fizeram festa para o presidente americano, num ato de simplicidade, alegria e cordialidade, sentimentos bons que devemos estimular. Mas não. Houve uma campanha do ódio. Para certas pessoas a única postura correta era demonstrar ódio, aos Estados Unidos, a Obama, ao governo, a tudo. E essas mesmas pessoas ainda se acham defensoras da paz! Eu gostaria de saber que raios de defensores da paz são esses que defendem o ódio!

O povo simples, com sua inocência, demonstrou mais sabedoria (como sempre) que a classe média metida a politizada que passou dois dias vomitando ódio na rede.

Os Estados Unidos tem milhões de defeitos. Mas quem somos nós para jogar pedras? Por acaso o Brasil é uma perfeição? Tudo bem, não patrocimamos golpes de Estado em outros países, nem invadimos outra nação, mas e a violência terrível que inflingimos há séculos a nosso próprio povo? Não quero, porém, falar mal do Brasil. Ao contrário, quero afirmar aqui minha fé no povo brasileiro e em seu futuro. Quero fazer um contraponto à campanha masoquista e vira-lata que tomou conta das redes sociais.

Obama veio ao Brasil e só fez elogios à cultura brasileira. Elogiou a luta contra a ditadura, mais de uma vez. Elogiou nossas ações contra a pobreza e o fato de termos levado milhões para a classe média. Disse que apoiava a entrada do Brasil no Conselho de Segurança da ONU. Enfim, Obama veio com flores para o Brasil e nós o tratamos com pedradas?

Em relação à Líbia, repito o que disse em post anterior. Foi uma ação da ONU. Se a ONU é submissa aos EUA, é um problema sexual da ONU, não dos EUA, porque temos ali potências econômicas independentes e maduras, que seguem os EUA de livre e espontânea vontade. Ninguém foi contra. O Brasil se absteve, assim como China, Rússia ou Índia. Ou seja, em vez de odiar Obama, pensem nisso, que ninguém foi contra a guerra.

Sou contra guerra, contra qualquer guerra, por princípio. Morrem inocentes. É uma coisa horrível. Confesso que eu e todos os analistas políticos do planeta estamos confusos com esse conflito. A situação na Líbia funde a cuca de qualquer um. Não sei mais em quem acreditar. Disseram-me que as denúncias do Lybia Alive costumam ser sérias, e foi lá que li a descoberta de buracos onde o regime de Kadafi enterrava centenas de pessoas vivas. Há um relato de 1.500 pessoas enterradas vivas. Sei que antes da guerra no Iraque também rolou satanização de Saddam Hussein para justificar a guerra, mas mesmo com Saddam não havia nada tão diabólico e com tantos depoimentos, e através de tantas fontes diferentes. Além disso, no Iraque não houve nunca nenhum protesto popular contra o ditador.

Nossa última esperança (frágil) é que não haja invasão por terra.

Outros disseram que foi um desrespeito de Obama dar ordem de ataque à Líbia no momento em que se encontrava com Dilma Rousseff. Por acaso ele escolheu isso? Claro que não! Decisões militares são tomadas pelo Pentágono. O presidente recebe a informação em cima da hora e só tem tempo de dizer sim ou não.

Obama frustrou as expectativas do mundo inteiro, mas é besteira demonizá-lo. Ele é um homem, não um monstro. A culpa é do sistema, e de cada um de nós, que fazemos parte desse imenso organismo vivo chamando humanidade. É muito fácil vomitar verdades em 140 caracteres no Twitter. Difícil, como dizia Maiakóvski, é a vida e seu ofício. Quantas revoluções já não viveu a humanidade e que logo se transformaram em pesadelo? Alguém tem a fórmula da justiça no mundo? Quantas mortes e guerras já não foram feitas em nome dos melhores ideais? Por acaso Obama é culpado por tudo?

Morre mais gente assassinada no Brasil do que em qualquer guerra no mundo hoje, a maioria pela própria polícia, ou seja, pelo Estado, e Obama é que é o monstro?

A opinião pública do mundo inteiro pediu a intervenção na Líbia. Se aqui no Brasil vimos um Clovis Rossi vociferando furiosamente para que a ONU intervisse militarmente na Líbia, imagine a pressão dentro dos EUA? Obama não é um faraó sagrado que pode fazer o que lhe der na telha. Ele tem atuação limitada ao que lhe permite o jogo de poder nos Estados Unidos.

Outra coisa que tem me deixado estupefato é esta crise de insegurança infantil que assolou uma parte das redes sociais, com pessoas gritando pela volta de Lula e Celso Amorim, como se o governo brasileiro dependesse de uma ou duas pessoas. Ou como se Lula não acompanhasse e assessorasse Dilma. Ora, Marco Aurélio Garcia, assessor de Lula, não continua lá, assessorando Dilma?

Rolou muita especulação sobre a não-ida de Lula ao almoço com Obama, mas amigos e o próprio já deixaram bem claro a razão: é o momento de Dilma. Não precisava nem ler a reportagem da BBC onde consta uma declaração do próprio presidente neste sentido, bastava usar o bom senso: o objetivo do encontro era mostrar imagens de Obama e Dilma juntos, e Lula, uma celebridade mundial, iria dispersar as atenções. Não porque falte luz própria a Dilma, mas Lula acabou de ficar oito anos na presidência. Muita gente no mundo ainda acha que o Lula é o presidente.

E tem mais, Lula declarou no último final de semana que ainda tem esperança em Obama:



Em post anterior, eu lembrei que Lula recebeu Bush em 2003. Rolou o mesmo aparato de segurança, e se não soubemos que agentes não revistaram carros da PF ou ministros, isso não quer dizer que tal fato não tenha acontecido. Ou que não tenha acontecido apenas por sorte de haver um agente um pouco mais competente ou menos paranóico na hora e no lugar certo.

Há uma crise de insegurança e há também muitos carinhas da direita (ou da ultra-esquerda, o que é quase a mesma coisa) usando as redes sociais para botar pilha, tentando criar uma caveira do governo brasileiro e desestabilizar o país. O exército de Serra continua ativo e tem gente entrando inocentemente na onda. Eu já vi manifestações nitidamente falsas, forçadas, com objetivo notório de produzir discórdia e desânimo.

Cada bobagem que eu li! O antiamericanismo que explodiu na rede foi absolutamente idiota. E muitos blogueiros entraram na onda, sem o cuidado de fazer nenhum contra-ponto, nenhuma análise. A maioria dos americanos são pessoas legais, comuns, simples, como qualquer ser humano. É um país de cultura riquíssima, uma democracia pujante que venceu o racismo para eleger um negro presidente da República. Não vi uma pessoa olhando para esse ponto. A presença de Obama no Brasil tem uma importância enorme para a formação de uma consciência não-racista em nossas crianças e adolescentes. Um negro, presidente do país mais rico do mundo. E num país de brancos, ainda por cima. É um exemplo para nós, onde negros são maioria, e onde o número de dirigentes políticos negros é ínfimo. Qual o impacto na consciência das crianças negras do Brasil, que viram Obama, acompanhado de sua esposa negra e suas filhas negras? Obama tem defeitos? E daí? Qual o presidente dos Estados Unidos que não teve defeitos?

Se o Brasil fosse tão rico e desenvolvido como os EUA talvez tivéssemos os mesmos defeitos e a mesma arrogância. Quem garante que não? Somos todos seres humanos inchados por ambição, vaidade, inveja e medo. Todos iguais, americanos e brasileiros. Não quero tirar onda de sábio, essa é uma máxima que as pessoas mais simples conhecem.

Só se sente humilhado quem tem baixa autoestima. Quem sabe o seu valor, quem tem amor próprio e altivez, entende que a postura dos americanos provêm apenas do medo. É um problema deles, não nosso. E nossa obrigação, como anfitriões, é proporcionar-lhes sensação de segurança. Não por subserviência, mas por uma questão de hospitalidade e tolerância! Não se deve ser tolerante apenas com o humilde, mas também com o arrogante. Ambos são defeitos humanos que nós mesmos possuímos. Se fôssemos tão ricos e visados quanto eles, e se tivéssemos tido tantos presidentes assassinados e sofrido tantos ataques terroristas, seguramente nos comportaríamos da mesma forma!

Por essas e outras é que eu, mesmo sendo ateu, admiro tanto a palavra de Cristo e os ensinamentos do Velho e do Novo Testamentos, que ensinam, em resumo, que o orgulho é uma merda.

O que não podia acontecer seria assinarmos contratos econômicos ou políticos que prejudicassem o povo brasileiro. Fizemos isso? Não. O governo brasileiro por acaso assinou algum acordo nocivo aos interesses nacionais? Não. Essa é a única subserviência com a qual devemos nos importar. Essa é a subserviência que tivemos no passado e que, com auxílio da sabedoria eleitoral do povo, esperamos nunca mais voltar a acontecer no futuro.

Ao contrário, a visita resultou em aproximação política entre os dois governos, facilitando futuros acordos vantajosos para nós. Os americanos conheceram um pouco mais do Brasil, e nós conhecemos um pouco mais os dirigentes americanos. Não fomos nós que babamos o ovo de Obama, foi Obama quem veio babar o nosso ovo! Com interesse, claro, mas sempre se baba ovo por interesse.

Somos um país com grande potencial e um futuro brilhante. Nossas contas externas são firmes e não dependemos mais dos EUA ou de nenhum país rico para quase nada (eles dependem mais de nós do que nós deles). Não há razão para tanto complexo. Espero que um dia nos libertemos dessa maldita baixa autoestima e olhemos a si mesmos com mais generosidade, compreensão e autoconfiança!
***
Fonte:http://www.gonzum.com/2011/03/o-brasil-vencera-os-complexados.html

O HERÓI PRÓ-CÍCLICO

24.03.2011
Do blog FAZENDO MEDIA
Por Redação*

O conservadorismo brasileiro, é forçoso reconhecer, não abandona seus heróis e mitos. Roger Agnelli, colocado na presidência da Vale do Rio Doce pelo tucanato, em 2001, é um deles. A Vale foi privatizada por R$ 3,3 bilhões, em 1997. Atualizado, o valor corresponde ao lucro líquido da empresa obtida apenas em um trimestre (o 3º) de 2010. Um negocião. Agnelli é o herói pró-cíclico desse épico neoliberal. Compõe a galeria dos executivos ‘matadores’ de um capitalismo reflexo, imediatista, em que as coisas dão certo quando tudo dá certo. Esses centuriões atingem seu apogeu no ciclo de alta da acumulação, quando euforia, especulação e irresponsabilidade se mesclam fornecendo o pavio para o estouro inevitável do paiol econômico na etapa seguinte, em que empregos e riquezas são dizimados para o ‘ajuste responsável’. Nesse momento, as baterias midiáticas desviam o foco dos agnellis para martelarem ‘o corte das despesas públicas’ . O importante então é salvar a banca e as corporações e não desperdiçar recursos em programas, projetos ou obras do interesse da sociedade que envolvam despesas e investimentos públicos e privados prejudiciais aos retornos dos acionistas.

Agnelli deu certo esburacando o país para saciar a fome das siderúrgicas chinesas e japonesas. Hoje o Brasil é um paradoxo mineral: exporta ferro e importa trilhos. Zero de agregação de valor. Enquanto o mundo mastigava avidamente o minério de teor de ferro mais elevado do planeta, Agnelli foi de vento em popa incensado pela mídia a cada balanço, seguido de robustas rodadas de distribuição de lucros aos acionistas. Bastou o primeiro soluço da crise mundial para que o herói pró-cíclico reagisse de forma reflexa e, como um réptil invertesse o bote: a Vale foi a primeira grande empresa a cortar 1.300 trabalhadores em dezembro de 2008, quando o governo tomava medidas anti-cíclicas na frente do crédito, do consumo e do investimento. A Petrobrás não demitiu. Ao contrário, reafirmou seus investimentos no pré-sal, que hoje somam mais de US$ 200 bilhões até 2014. Se um herói pró-cíclico dirigisse a Petrobrás e um tucano ocupasse o Planalto, o óleo do pré-sal teria o mesmo destino do minério da Vale: embarque imediato pelo portão do entreguismo; nenhuma preocupação em agregar valor local, impulsionar a industrialização brasileira ou criar um fundo para investir no futuro da sociedade. O mandato de Agnelli na presidência da Vale termina agora. O que está em jogo na sua sucessão é o confronto entre essas duas lógicas: a do interesse público brasileiro e a da coalizão mercadista.

(*) Editorial de hoje, dia 24/03, na Carta Maior.
****
Fonte:http://www.fazendomedia.com/o-heroi-pro-ciclico/

Os intensos movimentos para 2012 e 2014

22.03.2011
Do BLOG DO ROVAI
Por Renato Rovai


É comum no Brasil que a discussão sobre os prováveis cenários da próxima eleição inicie-se logo após o início do governo recém eleito. Há quem entenda isso como especulação barata, já que os ventos mudam no percurso de quatro anos. Mas cada vez começo a desconfiar desta tese, principalmente para a disputa presidencial.

Por conta de o Brasil ser um país continental, sem alianças fortes nem o Sobrenatural de Almeida tem chances numa disputa em que a eleição presidencial acontece concomitantemente com a de governos estaduais e de cargos parlamentares federais e estaduais.

Só num momento de grave crise econômica ou institucional a eleição presidencial poderia ser vencida por alguém de fora dos partidos estruturados nacionalmente.

Pode-se dizer, mas Marina foi muito bem na última eleição. É fato. Mas seus votos vieram fundamentalmente das grandes cidades e das metrópoles. Nas pequenas, a candidata verde mesmo tendo a simpatia dos evangélicos não teve a mesma porcentagem de votos. E por isso não foi ao segundo turno.

Pode-se dizer que Collor ganhou a eleição de 1989 a bordo de um partido recém criado, o PRN. Mas aquela eleição foi a única disputa presidencial solteira. Só havia o cargo de presidente em jogo. A eleição para governadores e deputados foi em 1990.

Mas o que importa neste artigo são as articulações que estão acontecendo hoje e que podem impactar nas eleições de 2014. E aproveitando a deixa, vamos começar por Marina.

A ex-senadora está com um abacaxi de um tamanho de um bonde para descascar. O eterno presidente do PV, o deputado federal Penna, deu um olé em Marina e deixou claro quem manda na sigla. A ex-senadora não terá o controle da executiva e se não gostar da solução vai ter de cair fora. O PV e Penna ficam com o tempo de TV conquistado pelos votos dela nas últimas eleições e ainda têm como aliada a lei da fidelidade partidária para segurar deputados eleitos. A não ser que Marina adote a solução Kassab e crie uma nova sigla.

Aliás, Kassab é o personagem que tem mais movimentado o jogo político neste início de ano. O prefeito paulistano, que está com a popularidade na descendente, percebeu que sua carreira política estaria perdida se não mudasse de rumo. Olhou para os lados e viu à direita o PSDB e quase na esquerda o PT. Ou seja, sobrava-lhe o tal do centro político. Que hoje está desocupado na capital. Não dá pra ser de centro no DEM, por isso Kassab decidiu sair da sigla.

Sua primeira tentativa foi negociar o PMDB de Michel Temer, mas o vice-presidente que não é bobo percebeu que depois da morte de Quércia, era essa a sua hora. Que não precisava dividir o bolo com ninguém.

Kassab procurou, então o PSB, enquanto ao mesmo tempo enviava acenos ao PCdoB, que, aliás, adorou os sinais, e ao PDT. Identificou neste campo a possibilidade de se aproximar de Dilma e ao mesmo tempo formar um arco de alianças que possa vir a garantir um candidato forte à prefeitura de São Paulo. Para não correr riscos de ver seu mandato questionado, criou o seu partido (PSD).

Ele vai tentar organizar um novo campo para as eleições municipais que não só apresente alguém com chances em São Paulo, mas também em outras importantes cidades. Uma delas é Campinas, onde Kassab tem boas relações o prefeito Dr. Hélio.

A questão é que faltam ao prefeito e sua turma projeto político consistente, base social e lideranças fortes. Cá para nós, Kassab não é exatamente uma liderança, foi uma circunstância. Por isso seu projeto tem tudo para dar errado. E se o PSB, PCdoB e o PDT embarcarem nessa canoa furada o custo político para eles pode vir a ser enorme.

Mas e o PT, o PSDB e o PMDB, que são os maiores partidos brasileiros? Esses têm se mexido pouco para fora, mas muito para dentro. O PSDB está em guerra de baixa intensidade. Aécio, Alckmin e Serra disputam o partido sem cerimônias.

No PT, há um rearranjo em curso que vai depender muito de Dilma e de Lula e de como eles vão mexer o tabuleiro para as eleições de 2012. Caso, decidam coordenar o jogo, isso pode causar desequilíbrio interno e algumas forças podem perder espaço. Em São Paulo, por exemplo, se decidirem que a disputa deve se dar com Mercadante ou Marta, a história será contada de um jeito. Se fecharem que é necessário lançar um nome novo, tudo fica diferente. Em BH, se abençoarem Patrus, há chances de que o partido retome a prefeitura. Caso não, baubau nicolau.

O PMDB é o PMDB. O partido deve eleger um montão de prefeitos Brasil afora, mas tende a continuar como uma confederação de interesses. Dificilmente será protagonista na próxima disputa presidencial.

Ainda há muito tempo e jogo pela frente. Mas quem vier a acreditar que o jogo de uma eleição se monta um pouco antes da disputa, fica fora dela. Os reis e as damas do baralho de 2014 devem ser Aécio, Serra, Lula, Alckmin, Dilma e Marina. Será surpreendente se a eleição tiver algum nome com força fora o deles.

E como eles sabem disso, já estão no jogo.
***
Fonte:http://www.revistaforum.com.br/blog/2011/03/22/10059/

Aécio Neves repete Joaquim Silvério dos Reis, ao defender a derrama da Vale nos royalties de Minas

25.03.2011
Do blog AMIGOS DO PRESIDENTE LULA

Joaquim Silvério dos Reis, FHC e Aécio

Desde Joaquim Silvério dos Reis e FHC, Minas Gerais não sofria uma conspiração para manter a derrama de suas riquezas, para os bolsos de interesses externos ao povo mineiro, como sofre agora com Aécio Neves (PSDB/MG).

A Vale está sendo cobrada em R$ 4 bilhões de royalties de mineração pelo DNPM (Departamento Nacional da Produção Mineral), em favor dos estados de Minas Gerais e do Pará.

O atual presidente de saída da Vale, Roger Agnelli, se recusa a reconhecer a dívida, e avisou que a Vale não vai desistir dos processos na Justiça contestando o pagamento. Isso foi dito em Belo Horizonte, após se reunir com o atual governador de Minas, Antonio Anastasia (PSDB/MG).

Qualquer senador de Minas deveria espinafrar Agnelli na tribuna do Senado, e defender a bufunfa bilionária para o povo mineiro.

Mas o senador demo-tucano fez o contrário: subiu ao plenário para defender Agnelli de uma suposta ingerência do governo federal na troca de presidente da empresa, dizendo que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, deverá ser convidado a falar na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) sobre a questão:

- O que queremos é saber, objetivamente, quais as razões que levam o governo federal a achar que pode impor a sua vontade sobre uma empresa controlada pelo capital privado, não obstante as participações dos fundos de pensões no controle dessa Companhia - disse Aécio.

Em primeiro lugar, o demo-tucano mostra toda sua subserviência à privataria, ao ignorar que, hoje, o BNDES e PREVI (Fundo de pensão do Banco do Brasil) detém maioria de ações com direito a voto. Não é maioria suficiente para decidirem sozinhos, mas é preciso que os sócios privados (Bradesco e Mitsui) entrem em acordo. O que Aécio faz serve de lobby para o Bradesco e para a japonsa Mitisui.

Em segundo lugar, a Vale, sob direção de Agnelli, tem deixado a desejar no projeto de desenvolvimento nacional, porque não quer investir em siderurgia. Prefere exportar ferro barato do que aço mais caro, e que gera mais empregos aqui. Esse posicionamento gerou atrito desde o governo Lula, que pressionava a empresa para investir mais no Brasil.

Enquanto a China saltou da produção de 100,6 milhões de toneladas em 1996 para 650 milhões de toneladas, com sua economia estatizada, o Brasil produzia 25,2 milhões de toneladas em 1996 (ano em que a Vale foi privatizada por FHC) e continua patinando em 26,5 milhões de toneladas atualmente, com todo o setor siderúrgico privatizado.

Se a Vale ainda fosse estatal, agiria como a Petrobras. Geraria lucros, mas também desenvolveria cadeias produtivas no Brasil, e não na China.

Joaquim Silvério dos Reis, traiu Tiradentes e o povo mineiro que lutava contra a derrama do ouro brasileiro para a coroa portuguesa.

FHC traiu o povo brasileiro ao vender a Vale e outras estatais pelo preço de banana.

Agora Aécio Neves trai Minas ao defender Agnelli, em vez dos bilhões do povo mineiro.

***
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2011/03/aecio-neves-repete-joaquim-silverio-dos.html

Obama é um tosco como os outros, e ser negão é sua única contribuição para um mundo melhor

17.03.2011
Do blog DESCULPEM NOSSA FALHA

Por Lino Ito Bocchini (texto) e Mário Ito Bocchini (cartaz)

Pra não dizer que eu não tive nenhuma esperança no dia em que Obama foi eleito, uma coisa me alegrou: o fato dele ser negro. Milhões de crianças mundo afora verem o cara mais poderoso do planeta com uma cor de pele escura parecida com a sua, ajuda. Faz toda a diferença na expectativa que esses guris e gurias terão para suas vidas. Preto não é mais só bandido, assalariado mal pago ou no máximo artista ou atleta, como o pai e a mãe dele ouviram e viram, pelo menos na TV, a vida toda.

Mas infelizmente — mesmo– para todo o planeta, o que Obama trouxe de bom não foi além de sua epiderme. Os Estados Unidos continuam pregando os mesmos princípios de merda de sempre, cagando as mesmas regras de sempre e fudendo a tudo e a todos sem piedade — como sempre. Claro que eu não imaginava que o governo Obama seria revolucionário, que fecharia bases militares, acabaria com guerras, defenderia um capitalismo (um pouquinho só) mais humano, geração de energia mais limpa, uma vida com menos carros, hambúrgueres e injustiça. Mas nem Guantánamo ele fechou, porra! Não fez NADA. Como ter a fucking “hope”??

Gringos ainda vêm passar o chapéu (?!)

E olha que beleza o objetivo da vinda de Obama ao Brasil, segundo a própria Casa Branca: “a viagem é fundamentalmente a respeito da recuperação econômica e exportações americanas”. Ah, jura? Que dureza, vou mandar já uma nota de R$ 2 pro consulado, temos que dar uma mão pros caras. Tinha certeza que o homem vinha colaborar, pensar com Dilma e a sociedade brasileira como o mundo pode sair do buraco, ou pelo menos como o Brasil e os EUA podem ser lugares melhores para se viver. E o louco é que agora a gringada quer meio milhão de pessoas aplaudindo Barack lá na Cinelândia, se estapeando pelas bananas que ele vai jogar aos macaquitos aqui do terceiro mundo lá do alto do púlpito. Faça-me o favor! Sou mais o Sérgio Cabral: “Um milhão? Tudo isso de gente, só para o Roberto Carlos”.

Não desejo que ninguém tente matar o cara, mas adoraria ver e ouvir uma vaia muito alta por onde Obama passasse. Ele merece, e muito. Faz uma besteira atrás da outra, como TODOS os seus antecessores. Enfim, os Estados Unidos e seus presidentes continuam os mesmos na essência, com leves variações ideológicas ou de tom de pele: toscos, arrogantes e com um empenho inigualável para tornar o mundo pior. No que depender de mim, não são bem vindos.

***

Fonte:http://desculpeanossafalha.com.br/obama-e-um-tosco-como-os-outros-e-sua-pele-escura-e-sua-unica-contribuicao-para-um-mundo-melhor/

Mello: O ataque ao blogueiro Ricardo Gama

25.03.2011
Do blog de Luiz Carlos Azenha

quarta-feira, 23 de março de 2011

Blogueiro Ricardo Gama é atingido por três tiros em Copacabana

do blog do Mello, assunto sugerido pelo Rodrigo Leme

Foi na manhã desta quarta-feira, por volta das 11h, pouco depois de ter feito uma postagem em seu blog, às 10h41, criticando o governador Sergio Cabral e o prefeito Eduardo Paes, seus alvos prediletos. O primeiro, pela prisão dos manifestantes do consulado americano. O segundo, pela nova forma de divulgação dos dados da dengue na cidade.

O RJTV fez uma boa reportagem sobre o assunto, que pode ser assistida aqui. Nela, o delegado Bruno Giladerte, responsável pelo caso, afirma:

Nós temos ali várias pessoas que poderiam ter se sentido ofendidas ou mesmo que poderiam ter como objetivo silenciar o que ele vinha escrevendo.

Segundo informações que me chegaram, Ricardo Gama não corre risco de morrer, embora tenha sido atingido por três tiros. Uma das balas atravessou seu rosto, outra o atingiu no pescoço e a terceira no tórax. Ricardo está internado em Copacabana e passa por uma cirurgia no momento para limpar a área do rosto atingida pela bala.

Vamos torcer para que ele se saia bem dessa. E que atirar em blogueiros não vire moda.

****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/denuncias/mello-o-ataque-ao-blogueiro-ricardo-gama.html

TSE: aplicação Lei da Ficha Limpa em 2012 é incerta

25.03.2011
Do BLOG DO JOSIAS/Folha On Line

Você ficou irritado com a decisão do STF que devolveu os mandatos dos fichas-sujas barrados em 2010? Pois se ainda tem cabelos, convém descabelar-se.

O que parece apenas ruim pode evoluir para algo muito pior. A Lei da Ficha Limpa pode ser invalidada também para as eleições futuras, a começar de 2012.

Quem admite o risco é ninguém menos que o presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski, dono de um assento também no STF.

Lewandowski disse, em entrevista, que podem surgir, até 2012, novos questionamentos judiciais à lei higienizadora.

Explicou que, por ora, o Supremo limitou-se a julgar recurso que invocava o artigo 16 da Constituição.

Por esse artigo, alterações à legislação eleitoral precisam ser aprovadas pelo menos um ano antes da eleição.

Como a Lei da Ficha Limpa foi sancionada em junho de 2010, em pleno ano eleitoral, o STF decidiu (6 votos a 5) que a peça não valeu para a eleição do ano passado.

“Essa foi a única decisão tomada”, disse Lewandowski, levando o resto da lei para o alto do telhado. “O Supremo não se pronunciou sobre a constitucionalidade da lei”.

Como assim? “Essa constitucionalidade relativamente aos seus vários artigos poderá ser questionada futuramente, antes das eleições de 2012”. Hummmm!

Eis algumas alguns dos argumentos que podem servir de recheio para futuros recursos contra a Ficha Limpa:

1. Presunção de inocência: Reza a Constituição que todo mundo é inocente até prova em contrário.

A Lei da Ficha Limpa promoveu, para efeitos eleitorais, uma espécie de antecipação da culpa.

Para ser barrado na urna, basta que o político carregue em sua biografia uma condenação de segunda instância, emitida por mais de um juiz.

Em casos assim, o sentenciado ainda dispõe da possibilidade de recorrer às instâncias máximas do Judiciário (STJ e STF).

Se provocado, o Supremo pode entender que a lei saneadora fere o princípio constitucional da presunção de inocência.

2. Retroatividade da lei: a Constituição também estabelece que nenhuma lei pode retroagir no tempo senão para beneficiar o réu.

Significa dizer que ninguém pode ser condenado com base numa lei aprovada depois da data em que o crime foi cometido.

A Lei da Ficha Limpa fixou limites à elegibilidade. Ampliou o rol de crimes que tornam um candidato inelegível pelo prazo de oito anos.

Suponha o caso de um político que decida concorrer à prefeitura de determinada cidade em 2012.

Se ele tiver, por exemplo, uma condenação por improbidade administrativa cometida, digamos, em 2004, será alcançado pela Lei da Ficha Limpa, editada em 2010.

De novo: se provocado, o Supremo pode entender que uma lei de 2010 não pode retroagir no tempo para punir um candidato por crimes cometidos no passado.

Retorne-se ao início do texto: Você está irritado? Então, descabele-se. O ruim pode ficar muito pior!

Quanto à encrenca de 2010, resolvida em favor dos fichas-sujas, Lewandowski explicou que o STF aplicou ao julgamento o critério da “repercussão geral”.

Significa dizer que a decisão que beneficiou um candidato imundo a deputado estadual de Minas Gerais se aplica a outros sujos que foram às urnas em 2010.

O presidente do TSE também informou que o Supremo atribuiu aos relatores dos recursos ainda pendentes de julgamento a prerragativa de decidir sozinhos.

O ministro estimou em três dezenas os recursos remetidos pelo TSE ao STF, a Corte que detém a palavra final.

“Então, os ministros, nestes cerca de 30 recursos extraordinários que já foram enviados pelo TSE para o STF, deverão decidir isso individualmente...”

“...Dizendo que a lei não se aplica às eleições 2010, sem a necessidade de um novo pronunciamento do plenário”.

Decidida a pendenga no Supremo, o dono do prontuário enodoado terá os seu registro regularizado na Justiça Eleitoral.

A posse na Câmara, no Senado ou nas Assembléias Legislativas não será, porém automática. Ouça-se mais um pouco de Lewandowski:

“A partir daí, o candidato deverá tomar as providências, porque o Poder Judiciário não age de ofício, nem o STF e nem o TSE...”

“...O candidato deverá, por meio de seu advogado, tomar as providências para que uma das Casas do Congresso Nacional eventualmente afetada, ou as Assembleias Legislativas, tomem as providências necessárias”.

Antes, disse o ministro, a Justiça Eleitoral terá de “reproclamar o resultado [das urnas] e refazer os cálculos com base no quociente eleitoral modificado”.

Recontados os votos dos sujos, o TSE e os TREs “deverão diplomar os candidatos novamente e esses candidatos, depois, tomarão posse”.

Dito de outro modo: aos sujos de 2010, proveu-se a certeza da posse. Aos enlameados futuros, o benefício da dúvida. Aos eleitores, um nariz de palhaço.

***

Fonte:http://josiasdesouza.folha.blog.uol.com.br/arch2011-03-01_2011-03-31.html#2011_03-25_06_36_22-10045644-0