Pesquisar este blog

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

“Novo partido será amigo do PSB”

24.02.2011
Do FOLHA DE PERNAMBUCO
Por ARTHUR CUNHA


Eduardo Campos diz que caminho de Kassab é criação de nova legenda

SOCIALISTA se reuniu, ontem, com João da costa para traçar ações conjuntas

O governador Eduardo Cam­­pos (PSB) confirmou, ontem, pela primeira vez de forma aberta, que o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, deve deixar o DEM e fundar o Partido da Democracia Brasileira (PDB), que, segundo o gestor, será “amigo do PSB” e integrará a base da presidente Dilma Rousseff. Presidente nacional socialista, Campos admitiu que essa nova legenda fará uma “aliança estratégica” com o PSB, seguindo a sigla em um “projeto nacional e nos projetos estaduais”.
Ainda que o próprio Eduardo evite o assunto, chegando, inclusive, a dizer que deseja terminar seu mandato em Pernambuco, o projeto nacional pode ser sua eventual candidatura à Presidência da República, em 2014, ou uma composição na vice. Ontem, o socialista reuniu-se com o prefeito João da Costa (PT) para traçar ações em conjunto. Questionado sobre a potencial filiação de Kassab ao PSB, à tarde, depois de assinar a ordem de serviço do terminal do Largo da Paz, o governador afirmou que “o caminho é a criação do novo partido”. “É esse. Agora, esse novo partido será um partido amigo do PSB. Vamos ter alianças no Brasil inteiro. Até hoje é isso. Esse partido terá mais de 20 deputados federais. E a tendência deles é formar um bloco que nós já temos com o PCdoB e o PDT (na Câmara Federal), que vai para a base de sustentação da presidente Dilma. Que vai seguir o caminho do PSB no projeto nacional e nos projetos estaduais”, revelou.

Na noite da última segunda-feira, Campos e Kassab jantaram em São Paulo para discutir o assunto. O socialista, contudo, não quis revelar os detalhes da conversa. “Você não tem segredos? Você me conta todos os seus segredos?”, respondeu, quando perguntado sobre o teor do encontro. “Você imagine se, num dia a gente faz uma atividade, e você me chama para jantar. E aí, no dia seguinte, eu conto a todo mundo tudo o que você me contou. Você não me chama mais, né? Não tem nenhuma novidade, minha gente. Eles vão esperar até o dia 15 (de março), o que está havendo no DEM. A alternativa é a criação de um novo partido. E esse partido, criado, poderá ter uma aliança estratégia com o PSB”, ressaltou.

A aproximação de Kassab com o PSB pode trazer o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, também insatisfeito no DEM, além de parlamentares e prefeitos ligados às duas lideranças. Nos bastidores, comenta-se que Campos teria oferecido a Kassab, em troca da vinda de Colombo, o comando de 50% do PSB de São Paulo e o domínio total do diretório da capital. Interlocutores do pernambucano, entretanto, negaram a versão. As mesma fontes adiantaram que ficará para depois da votação do mínimo no Senado a discussão sobre o preenchimento de cargos no segundo escalão federal, a exemplo da Chesf, Codevasf e Sudene.

LULA

Eduardo também sublinhou que a proposta do Galo da Madrugada e do governo de levar o ex-presidente Lula para o carro abre alas não foi confirmada ainda, nem por ele, nem pelo petista. “Eu vou falar com o presidente, saber a hora que ele chega, o que ele quer fazer. Quando tiver a hora eu aviso a vocês. Até lá o que aparecer ou foi ele que falou a vocês e não falou a mim, ou é chute. Das duas, uma”, salientou.
****
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/622797-novo-partido-sera-amigo-do-psb

A policial despida à força

24/02/11
Do BLOG DA CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães

É de cortar a alma ao meio a cena em que aqueles depravados que deveriam resguardar a lei despiram uma garota insensata que se envolveu em um caso como esse. Ainda assim, não ficaria surpreso se, ao fim, ficasse provado que a menina passou por tudo aquilo à toa por ser inocente da acusação de “concussão” que lhe foi feita.

Surpreso mesmo, fiquei ao saber que existiu uma corrente de opinião que defendeu aquele abuso inadmissível contra a mulher. A corregedora da Polícia Civil apoiou aquilo. Isso é o que mais espanta, o machismo feminino.

Sob que argumento defendem essa barbaridade? De que tem que fazer cumprir a lei sem perda de tempo, porque a moça seria evidentemente culpada, etc., etc.?

Pergunto, então: cumprir uma lei descumprindo outras? Como assim? Lei é lei. Há lei para punir e há lei para defender o cidadão, inclusive no caso de esse mesmo cidadão ter errado. E aquele cidadão que acha que se deve punir de forma descontrolada quem delinqüe, inclusive com uso de violência desnecessária ou tortura mesmo, é um criminoso em potencial.

As pessoas que apóiam justiçamentos só entenderão como são inaceitáveis no dia em que um ente querido der um mau passo e por isso for punido além da medida. Devassar a dignidade humana daquela menina, expondo sua genitália a um bando de homens, doeu-me na alma. Lembrei de minhas filhas, de que jovens são freqüentemente insensatos.

E que ninguém duvide de que um filho seu pode cometer um erro. Eu, por exemplo, tenho duas filhas moças exemplares, corretas, sérias, esforçadas, trabalhadoras e belas. Sei a criação que lhes dei. Mas sei que somos humanos, falíveis e, assim, todos passíveis de errar…

Em minha opinião, os homens e mulheres que compactuaram com aquele crime devem, no mínimo, ser afastados da atividade policial. No mínimo e definitivamente.

PS: este post foi alterado. Havia menção a uma pessoa que me havia feito uma cobrança grosseira no Twitter para que eu escrevesse sobre este assunto. A pessoas se desculpou e eu achei que não valeria a pena deixar aquela parte do texto. Afinal, o que nele importa é só a parte que ficou.

—–

Assista, abaixo, ao vídeo da indignidade que é esse caso:


****
Fonte:http://www.blogcidadania.com.br/2011/02/a-policial-despida-a-forca/

Confissão envergonhada: “Folha de S. Paulo”, sobre o apoio à ditadura militar: fumei mas não traguei!

24.02.2011
Do blog de Rodrigo Vianna

Esquerda explodiu carros: eram usados pela ditadura

A presença de Dilma na festa (?!) da “Folha” foi o aspecto mais comentado pelos internautas nas observações sobre o aniversário de 90 anos do jornal. Eu estava em Buenos Aires, e lá a notícia foi outra. Numa nota de pé de página, o jornal “La Nacion” trouxe, na terça-feira, informação de que desconfiei a princípio: “Folha” admite que apoiou a ditadura.

Achei que os argentinos não tinham entendido direito o assunto, até porque a nota fazia referência também ao fato de a Folha” chamar a ditadura de “ditabranda”…

Mas leio no blog do Eduardo Guimarães que a “Folha” admitiu mesmo o apoio à ditadura.

Admitiu daquele jeito dela. Disse que apoiou o golpe (mas, veja bem, quase toda grande imprensa apoiou)… Disse que carros do jornal “teriam” sido usados por agentes da repressão (mas, veja bem, “a direção da Folha sempre negou ter conhecimento do uso de seus carros para tais fins”).

A “Folha” lembrou-me um pouco o Bill Clinton, ao ser pergunatdo se tinha experimentado maconha na juventude: “sim, fumei, mas não traguei”. Ou, pra ser mais escrachado, a “Folha” lembrou-me da frase do roqueiro Lobão, que meus filhos adolescentes adoram citar: “peidei, mas não fui eu”.

Melhor não dizer mais nada. Fiquem com a narrativa “oficial” publicada pelo jornal.

===

A Folha apoiou o golpe militar de 1964, como praticamente toda a grande imprensa brasileira. Não participou da conspiração contra o presidente João Goulart, como fez o “Estado”, mas apoiou editorialmente a ditadura, limitando-se a veicular críticas raras e pontuais.

Confrontado por manifestações de rua e pela deflagração de guerrilhas urbanas, o regime endureceu ainda mais em dezembro de 1968, com a decretação do AI-5. O jornal submeteu-se à censura, acatando as proibições, ao contrário do que fizeram o “Estado”, a revista “Veja” e o carioca “Jornal do Brasil”, que não aceitaram a imposição e enfrentaram a censura prévia, denunciando com artifícios editoriais a ação dos censores.

As tensões características dos chamados “anos de chumbo” marcaram esta fase do Grupo Folha. A partir de 1969, a “Folha da Tarde” alinhou-se ao esquema de repressão à luta armada, publicando manchetes que exaltavam as operações militares.

A entrega da Redação da “Folha da Tarde” a jornalistas entusiasmados com a linha dura militar (vários deles eram policiais) foi uma reação da empresa à atuação clandestina, na Redação, de militantes da ALN (Ação Libertadora Nacional), de Carlos Marighella, um dos ‘terroristas’ mais procurados do país, morto em São Paulo no final de 1969.

Em 1971, a ALN incendiou três veículos do jornal e ameaçou assassinar seus proprietários. Os atentados seriam uma reação ao apoio da “Folha da Tarde” à repressão contra a luta armada.

Segundo relato depois divulgado por militantes presos na época, caminhonetes de entrega do jornal teriam sido usados por agentes da repressão, para acompanhar sob disfarce a movimentação de guerrilheiros. A direção da Folha sempre negou ter conhecimento do uso de seus carros para tais fins.

Leia outros textos de Radar da Mídia
****
Fonte:http://www.escrevinhador.com.br/

Carlos Weis: A decisão da Corte Interamericana

24.02.2011
Do blog de Luiz Carlos Azenha
Por CARLOS WEIS*, na Folha de S. Paulo


Decisão judicial: cumpra-se

Se palavra dada é palavra cumprida, o Brasil tem a obrigação de promover a persecução criminal dos torturadores do regime militar

Dadas suas recentes manifestações, a presidente da República vem indicando ter um compromisso decidido com a realização dos direitos humanos. Mas há um ponto sensível, que precisa ser enfrentado com firmeza: o pleno cumprimento da sentença condenatória proferida pela Corte Interamericana de Direitos Humanos.

Trata-se do caso Gomes Lund e outros, apresentado em 1995 pelo Centro pela Justiça e Direito Internacional (Cejil), pela Human Rights Watch/Americas e por familiares de pessoas desaparecidas na chamada “Guerrilha do Araguaia”, em que a Corte reconheceu a violação da Convenção Americana de Direitos Humanos como resultado das ações do Exército na década de 70.

Desde 1998, quando o país decidiu submeter-se às decisões daquele tribunal internacional, já sofreu outras três condenações, que, dadas suas dimensões e contexto, não se comparam à atual.

Agora, debruçando-se sobre fatos dolorosos da história recente do país, a Corte sentenciou que as disposições da Lei da Anistia são incompatíveis com a Convenção Americana e não podem impedir a investigação dos fatos e a identificação e punição de responsáveis por violações a direitos humanos.

Não bastasse ter jogado luz sobre as atrocidades do regime militar, a sentença é, em parte, oposta à recente decisão do Supremo Tribunal Federal, que entendeu a citada lei como compatível com a Constituição e, portanto, de todo aplicável.

Apesar de algumas vozes terem se erguido contra a sentença internacional, o fato é que deve ser cumprida integralmente, não porque seja uma revisão do acórdão do STF (o que tecnicamente não é), ou porque ignore o imaginado acordo político que teria viabilizado a transição para a democracia, mas pelo fato de o Brasil ter, voluntariamente, reconhecido a competência da Corte Interamericana como obrigatória e de pleno direito para julgar denúncias formuladas contra si.

E, se palavra dada é palavra cumprida, o Brasil, por todos os seus órgãos, tem a obrigação de promover a imediata persecução criminal dos assassinos e torturadores do regime militar, cujos atos configuram “crimes de lesa-humanidade”, sendo, assim, imprescritíveis.

Mais: deve tomar uma série de medidas, como reconhecer publicamente sua responsabilidade pelos fatos, tipificar o crime de desaparecimento forçado de pessoas, dar treinamento às Forças Armadas sobre direitos humanos etc., sem o que o país será vergonhosamente incluído no rol dos Estados para quem os direitos humanos só existem na medida de seus interesses.

Ainda que o acatamento das sentenças da Corte Interamericana seja novidade por aqui (a Suprema Corte da Argentina já o faz costumeiramente), importa reconhecer que a referida decisão oferece uma oportunidade de reencontro com o passado, como condição para a construção de uma sociedade verdadeiramente garantidora dos direitos humanos para todos.

O combate à tortura, que continua a existir para os presos comuns brasileiros, não pode mais esperar.

*CARLOS WEIS, mestre em direito pela USP, é defensor público do Estado de São Paulo e coordenador do Núcleo de Cidadania e Direitos Humanos da Defensoria Pública de São Paulo.

E-mail: cweis@defensoria.sp.gov.br
****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/carlos-weis-a-decisao-da-corte-interamericana.html

INSS : Assistentes sociais promovem paralisação na próxima segunda

24.02.2011
Do BLOG DA FOLHA
Postado por Valdecarlos Alves


Em assembleia realizada na última sexta-feira, no auditório do Sindsprev-PE, os assistentes sociais do INSS aprovaram, por unanimidade, paralisação de 24 horas para a terça-feira, dia 1º de março, que será realizada em todo o País. Neste dia, a categoria vai realizar um ato público, às 10h, na Superintendência Regional Nordeste do INSS (Avenida Dantas Barreto, 300, Santo Antônio, em frente ao prédio JK). A concentração está marcada para as 8h, com carro de som, camisas padronizadas, faixas, apitos, narizes de palhaço.

A manifestação é um protesto contra o descumprimento da L ei 12. 317/2010, aprovada em agosto do ano passado, e que prevê a jornada de trabalho de 30 horas sem redução salarial para toda a categoria. No último dia 2 de fevereiro, o Ministério do Planejamento publicou no Diário Oficial da União (DOU) Orientação Normativa Nº 01/2011, instituindo a jornada de 30 horas como opcional. O profissional que optar pela redução da jornada reduzida terá seu salário reduzido proporcionalmente, ou seja, 33%.

É importante ressaltar que no INSS já existem outras categorias contempladas com a redução da jornada de trabalho, sem redução salarial, a exemplo de jornalistas, terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas. Para esse ato de protesto e luta, que acontecerá das 8h às 13h, conclamamos a participação dos companheiros e companheiras servidores do INSS, ativos e aposentados, assistentes sociais do banco de reserva do último concurso do instituto, de outros órgãos públicos de Pernambuco e do No rdeste, estudantes de serviço social e entidades representativas da categoria e a classe trabalhadora.
****
Fonte:http://www.blogdafolha.com.br/index.php/materias/17593-assistentes-sociais-promovem-paralisacao-na-proxima-segunda

Todos os brasileiros interessados em deixar Trípoli saíram da Líbia

24/02/2011
Renata Giraldi
Repórter da Agência Brasil

Brasília
– A maioria dos 600 brasileiros que estavam na Líbia retornaram ao Brasil, segundo o Ministério das Relações Exteriores. O número preciso ainda está sendo levantado. No entanto, os interessados em sair de Trípoli tomaram voos hoje (24) em direção à Europa.

No entanto, em Benghasi, segunda maior cidade líbia, o navio que transportará brasileiros, portugueses, espanhóis e um tunisiano aguarda para atracar. O navio partiu ontem (23) à tarde da costa da Grécia e chegou na costa líbia no começo da manhã, mas não conseguiu atracar porque há uma fila de embarcações à espera de espaço. O transporte está sob coordenação da empresa Queiroz Galvão e do Itamaraty. A previsão é que o navio parta ainda hoje de volta a Atenas com 148 brasileiros, 48 portugueses, 20 espanhóis e um tunisiano.

Em Atenas, o grupo poderá seguir viagem para os respectivos países. De ontem para hoje, segundo diplomatas, cinco voos com funcionários de construtoras que estavam em Trípoli deixaram o país. As empresas Queiroz Galvão, Andrade Gutierrez e Odebrecht mantinham escritórios na capital líbia. A Petrobras disse ter apenas um pequeno grupo de trabalhadores no país árabe.

Apesar do agravamento da situação na Líbia, o Itamaraty informou que não há registros de casos de violência nem agressão contra brasileiros. O clima é mais tenso em Benghasi, devido aos bombardeios mais intensos. Desde o último dia 15, há protestos contra o governo de Muammar Khadafi.

O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, rechaçou os atos de violência cometidos contra os manifestantes por forças policiais. No entanto, rebateu a possibilidade de sanções à Líbia. Segundo ele, o Brasil é favorável à busca do diálogo e o fim negociado do impasse.
Edição: Rivadavia Severo
****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/home;jsessionid=F341E02238C6042D5A3DC5F7D8B25953?p_p_id=56&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-1&p_p_col_count=1&_56_groupId=19523&_56_articleId=3197727

Nicolelis rechaça intrigas da Folha

24.02.2011
Do blog de Altamiro Borges


Reproduzo artigo de Conceição Lemes, publicado no blog Escrevinhador:

No último domingo, 20 de fevereiro, a seção “Painel” da Folha de S. Paulo, publicou esta nota sobre o neurocientista Miguel Nicolelis, professor da Universidade Duke, nos EUA, e fundador do Instituto de Neurociências de Natal, no Rio Grande do Norte.
Quem conhece a trajetória e o caráter do professor Nicolelis ficou injuriado. A nota, além de faltar com a verdade, é caluniosa. A sua caixa postal ficou entupida de mensagens de solidariedade a ele e de repúdio à Folha, que não se deu ao trabalho de, por telefone ou e-mail, checar as informações para saber se procediam.

“Muito triste constatar que seus julgamentos morais são feitos a partir de critérios que imperam no varejo da política brasileira e ao seu redor”, escreveu Nicolelis à jornalista responsável pelo “Painel”. “Achar que eu mudaria minha opinião sobre qualquer coisa referente à ciência brasileira baseado numa nomeação para um serviço voluntário, à frente de uma comissão temporária, ou é muita ingenuidade, ou má fé. Sua insinuação maldosa e precária (não há fatos que a suportem) não só não procede, como é risível. Fica aqui o registro do meu protesto pela sua intenção maldosa de insinuar que minhas opiniões estão à venda. Fale pela senhora, não por mim! E se quiser expressar minhas opiniões na sua coluna social, me pergunte primeiro! Muito mais digno, honesto e profissional seria!”

A jornalista respondeu. Prontificou-se a publicar os esclarecimentos do professor a partir de um texto que ele enviou. Por ser grande para os padrões da seção, seria resumido, mas mantendo o espírito.

Na terça-feira, 22 de fevereiro, foi publicada então esta nota:
O “Painel” não assume o erro nem esclarece quase nada.

“Se a jornalista da Folha me conhecesse pessoalmente, saberia que há 9 anos desenvolvo um trabalho voluntário, não remunerado, em prol da educação científica e da ciência brasileira”, continua indignado Nicolelis. “Na minha profissão, o único bem que nos cabe é a nossa reputação e idoneidade, portanto, considero vil, leviano, o que o jornal fez.”

Por isso, segue a íntegra do texto que o professor enviou à Folha:

Em resposta à nota publicada no Painel de 20/02, gostaria de declarar que, em momento algum, alterei quaisquer das críticas feitas ao atual modelo de gestão da ciência brasileira em decorrência do recente convite, feito pelo senhor Ministro da Ciência e Tecnologia, para presidir a Comissão do Futuro, proposta por esse ministério. Quando disse, em entrevista ao Estado de S. Paulo, em dezembro passado, que o Ministério da Ciência e Tecnologia não podia ser considerado como um prêmio de consolação, não estava emitindo nenhum juízo de valor sobre a pessoa do senhor ministro Aloízio Mercadante, mas simplesmente reivindicando o reconhecimento do novo governo à importância fundamental da área de ciência e tecnologia para o desenvolvimento do Brasil. Da mesma forma, desde o convite e anúncio formal do mesmo, no último dia 13/02, não emiti nenhuma declaração ou qualquer avaliação da presente gestão do MCT. Dessa forma, estranha-me ler nesse jornal a insinuação que, um convite para presidir, de forma voluntária e não remunerado, uma comissão temporária, destinada a elaborar e disseminar ideias que possam contribuir para o futuro da ciência brasileira, tenha servido como forma de cercear minhas opiniões. Na realidade, o objetivo dessa comissão é levantar todas críticas ao modelo vigente e propor soluções eficazes para que a ciência brasileira possa contribuir decisivamente para o desenvolvimento social e econômico do país.

Sinceramente,

Miguel Nicolelis


A Folha mais uma vez briga com a verdade factual, aprontando outra das suas.

Para começar, desde há muito, o professor Nicolelis faz críticas aos tucanos (clique aqui para ler).

A entrevista em que o professor Nicolelis critica o atual modelo de gestão da ciência brasileira está aqui.

Vale lembrar que é a mesma Folha que, em 2008, levou muita gente a se vacinar desnecessariamente contra a febre amarela (clique aqui), cometendo um crime contra a saúde pública brasileira. Depois, em 2009, previu que até 67 millhões de pessoas poderiam ser afetadas pela gripe suína (clique aqui). Outra irresponsabilidade.
****
Fonte:http://altamiroborges.blogspot.com/2011/02/nicolelis-rechaca-intrigas-da-folha.html

Odebrecht e Goldfarb são responsabilizadas por trabalhadores terceirizados em condições degradantes

24/02/2011
Alex Rodrigues
Repórter Agência Brasil

Brasília
- As construtoras Odebrecht e Goldfarb vão ter que assumir parte da responsabilidade e ressarcir um grupo de trabalhadores submetidos à condições degradantes pela empreiteira FKRJ Construções, contratada por elas.

Segundo o Ministério Público do Trabalho, após a prisão do dono da empreiteira, ontem (23), em Campinas (SP), as duas empresas aceitaram assinar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) se comprometendo a resolver a situação dos trabalhadores. Ao todo, foram encontrados 41 operários em situação de risco.

O TAC proposto pelo Ministério Público estabelece que, além de arcar com os custos para que os trabalhadores regressem ao seu estado de origem, o Maranhão, a Goldfarb também terá que pagar R$ 400 a cada trabalhador como uma espécie de reparação de danos. Além disso, no caso dos funcionários que preferirem permanecer em Campinas, a construtora se comprometeu ou a contratá-los imediatamente ou então a viabilizar que sejam recrutados por alguma das empresas que lhe prestam serviços, se responsabilizando pela moradia e alimentação fornecida ao grupo.

Já a Odebrecht teve de se comprometer a regularizar as condições do alojamento onde estavam 14 trabalhadores contratados pela FKRJ, dos quais dez trabalhavam em um empreendimento da construtora no parque Itajaí, também em Campinas. Segundo o Ministério Público, no local não havia camas, colchões e nem bebedouros.

A Odebrecht também terá que fornecer alimentação e continuar pagando os salários dos trabalhadores até que a situação da FKRJ seja regularizada. Se descumprir o TAC, a Odebrecht terá que pagar multas de R$ 50 mil por item infringido.

Conforme os agentes federais apuraram, os migrantes saíram do Maranhão com destino ao estado de São Paulo atraídos pela promessa de salários equivalentes a R$ 2 mil, o que não se concretizou. O grupo chegou a ser provisoriamente instalado em hotéis pagos pela própria Goldfarb. A construtora também terá que se responsabilizar pelo pagamento dos salários dos funcionários com quem a FKRJ ainda tem contrato até que a empreiteira possa assumir novamente os encargos trabalhistas.

Hoje (24), em Brasília, o procurador-geral do Trabalho, Otavio Brito Lopes, disse que o Maranhão é de onde sai a maioria dos trabalhadores para outros estados em condições análogas à escravidão.

A Agência Brasil entrou em contato com as duas empresas. Por meio de sua assessoria, a Odebrecht disse que não comentaria o assunto. Já a Goldfarb não respondeu até a publicação desta reportagem.

Edição: Rivadavia Severo
****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/home;jsessionid=7F86CCC582C865B490D8C7256D4D6B8A?p_p_id=56&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-2&p_p_col_pos=2&p_p_col_count=3&_56_groupId=19523&_56_articleId=3197819

Casas lotéricas e Correios recebem autorização para fazer operações cambiais de até US$ 3 mil

24/02/2011
Luciene Cruz
Repórter da Agência Brasil

Brasília
– A partir de hoje (24), as casas lotéricas e agências dos Correios estão autorizadas a fazer operações de câmbio manual e transferências de pequenos valores, ambas de, no máximo, US$ 3 mil. A permissão, aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), depende de interesse das unidades e aprovação da instituição bancária.

Segundo o chefe do Departamento de Normas do Banco Central (BC), Sérgio Odilon, a medida visa a aumentar a possibilidade de se fazer transações cambiais. “Queremos aumentar a capilaridade do sistema com segurança”, afirmou. Até o momento, apenas pessoas jurídicas, contratadas por prestadores de serviços de agências de turismo cadastradas no Ministério do Turismo, tinham permissão para fazer o câmbio manual.

O câmbio manual é a compra e venda de moeda estrangeira até o valor máximo permitido. Já a transferência de pequeno valor permite o envio ou recebimento de valores entre pessoas no exterior. Nessa operação, a instituição funciona como “ponta do banco”.

Com o voto favorável às operações cambiais manuais e a transferências de pequeno porte por parte de lotéricas e pelos Correios, o CMN quer melhorar o sistema para a Copa do Mundo que ocorre no Brasil em 2014. “Temos preocupação adicional pela proximidade da Copa do Mundo porque vai haver aumento de compra de moeda”, justificou Odilon.

Edição: Lana Cristina
****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/home;jsessionid=098930C42F28B1ED4BF00E84E7D9677E?p_p_id=56&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-3&p_p_col_pos=1&p_p_col_count=7&_56_groupId=19523&_56_articleId=3197576

Em cada três assassinatos no Brasil, dois são de negros

24/02/2011
Do UOL NOTÍCIAS
Em São Paulo


No Brasil, em cada três assassinatos, dois são de negros. Em 2008, morreram 103% mais negros que brancos. Dez anos antes, essa diferença já existia, mas era de 20%. Esses números estão no Mapa da Violência 2011, um estudo nacional apresentado hoje pelo pesquisador Julio Jacobo Waiselfisz.

Os números mostram que, enquanto os assassinatos de brancos vêm caindo, os de negros continuam a subir. De 2005 para 2008, houve uma queda de 22,7% nos homicídios de pessoas brancas; entre os negros, as taxas subiram 12,1%. O cenário é ainda pior entre os jovens (15 a 24 anos). Entre os brancos, o número de homicídios caiu de 6.592 para 4.582 entre 2002 e 2008, uma diferença de 30%. Enquanto isso, os assassinatos entre os jovens negros passaram de 11.308 para 12.749 - aumento de 13%.

No Estado da Paraíba, em 2008, morreram 1.083% mais negros do que brancos. Em Alagoas, no mesmo ano, foram 974,8% mais mortes de negros. Em 11 Estados, esse índice ultrapassa 200%. As diferenças são pequenas apenas nos Estados onde a população negra também é menor, como no Rio Grande do Sul, onde a diferença é de 12,5%; Santa Catarina, com 14,7%; e Acre, com 4%.

Pobres

"Alguns Estados têm taxas insuportáveis. Não é uma situação premeditada, mas tem as características de um extermínio", diz o pesquisador Waiselfisz. "A distância entre brancos e negros cresce muito rápido", ressalta. Ele credita essa diferença à falta de segurança que envolve a população mais pobre, em que os negros são maioria. "O que acontece com a segurança pública é o que já aconteceu com outros setores, como educação, saúde, previdência social: a privatização. Quem pode, paga a segurança privada. Os negros estão entre os mais pobres, moram em zonas de risco e não podem pagar". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
****
Fonte:http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia/2011/02/24/em-cada-tres-assassinatos-no-brasil-dois-sao-de-negros.jhtm

Dilma aprova salário mínimo no Senado. E Aécio debocha de Fernando Henrique

23.02.2011
Do blog CONVERSA AFIADA

O interessante, porém, não foi aprovar o que estava previamente aprovado.

O interessante foi uma vinheta nos debates que precediam a votação.

Falava a Senadora Kátia Abreu.

Foi um exercício de atropelar a Língua Portuguesa.

E a História.

A certa altura, ela afirmou que o Plano Real foi do Presidente Fernando Henrique.

Imediatamente, o Senador Itamar Franco pediu um aparte.

A câmera da TV Senado mostrou Itamar de pé e, ao lado dele, sentado, em segundo plano, o Senador Aécio Neves.

Itamar corrigiu a Senadora Kátia: o Plano Real era dele, Itamar, e não, do Fernando Henrique.

Desde que Itamar começou a falar, se via um sorriso debochado, divertido do Aécio.

Ele sabia o que Itamar ia dizer.

E se divertiu mais do que o Itamar, que manteve o semblante fechado.

Aécio saboreava cada palavra do Itamar.

Desmanchar a lenda do PiG (*): a lenda de que o FHC fez o Real.

Eles se amam: o FHC e o Aécio.

Em tempo: este ansioso blogueiro registra que os debates do Senado se enriquecerão com os estreantes José Pimentel, do PT do Ceará, e Chico Viana do PT do Acre.


Paulo Henrique Amorim


(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.
****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2011/02/23/dilma-aprova-salario-minimo-no-senado-e-aecio-debocha-de-fernando-henrique/

Pai acusado de abusar da filha por 12 anos é preso no Maranhão

23/02/2011
Do UOL NOTÍCIAS


Rio de Janeiro, 23 fev (EFE).- Um homem de 50 anos foi detido no Maranhão acusado de abusar sexualmente durante 12 anos de sua filha, com quem teve dois filhos e era mantida em cárcere privado, informou nesta quarta-feira a Polícia.

Raimundo Vicente Barbosa da Silva, que foi preso na terça-feira em uma zona rural de Pirapemas, a 190 quilômetros de São Luís, abusou sexualmente de sua filha desde que ela tinha 14 anos e teve dois filhos-netos, uma menina que atualmente tem cinco anos e um bebê de dois meses.

Em sua declaração perante a Polícia, que foi alertada do caso por várias denúncias anônimas, o acusado confessou os fatos.

A filha, que agora tem 26 anos e recebe tratamento psicológico, relatou à Polícia que sua mãe "a abandonou com os quatro irmãos, aos 11 anos, e desde os 14 anos era mantida em cárcere privado e sofria abusos do pai", disse Leonardo do Nascimento Diniz, responsável pela investigação do caso, ao portal de notícias "G1".

A jovem, que teve a sua primeira filha aos 22 anos, deu a criança mais velha para adoção, que agora é procurada pelas autoridades, enquanto a outra permanece com ela, segundo a Polícia.

O caso foi anunciado menos de um ano depois que o pescador José Agostinho Bispo Pereira, que vivia em uma região afastada do município de Pinheiro, também no Maranhão, fosse detido por abusar durante 12 anos de sua filha, com a qual teve sete crianças.

Bispo Pereira foi assassinado este mês durante uma rebelião dos detentos em uma prisão de São Luís, onde estava preso.

"Vemos que no interior do Maranhão, os autores destes crimes encaram a situação com naturalidade, e inclusive as vítimas se acomodam, em algumas ocasiões, a seu estilo de vida", disse o delegado policial Jair Lima de Paiva Júnior, citado pelo "G1".
*****
Fonte:http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/efe/2011/02/23/pai-acusado-de-abusar-da-filha-por-12-anos-e-preso-no-maranhao.jhtm

Dilma vence fácil também no Senado, e salário mínimo será de R$ 545

23/02/2011
Maurício Savarese e Camila Campanerut
Do UOL Notícias
Em São Paulo e em Brasília


Por ampla margem, assim como tinha acontecido na Câmara dos Deputados, a presidente Dilma Rousseff fez valer sua vontade no Senado nesta quarta-feira (23) e aprovou para este ano sua proposta de salário mínimo de R$ 545. Os governistas derrotaram duas emendas com valores maiores sugeridos pela oposição, que prometeu apelar ao STF (Supremo Tribunal Federal) para barrar o dispositivo que permitirá ao Palácio do Planalto usar decretos para aprovar os próximos aumentos.

Depois de aprovar o texto-base que fixou o reajuste do salário mínimo em R$ 545, os senadores rejeitaram emendas que elevariam o valor para R$ 600, conforme o pedido do PSDB, ou para R$ 560, de acordo com o texto do Democratas. A primeira foi rejeitada por 55 votos contra, 17 a favor e cinco abstenções. A segunda foi repelida por 54 votos --19 votaram a favor e quatro se abstiveram. Até a senadora Kátia Abreu (DEM-TO), ferrenha oposicionista, chegou a apoiar a proposta dos governistas, mas na votação se absteve.

A emenda contrária à política salarial via decreto do Palácio do Planalto foi derrotada por 54 votos. Os oposicionistas, que fizeram inflamados discursos contra a medida, atraíram 20 parlamentares, enquanto três se abstiveram. Estavam ausentes na sessão os senadores Cristovam Buarque (PDT-DF), que se recupera de uma cirurgia, e Cyro Moreira (PSDB-GO), suplente do governador goiano, Marconi Perillo.

O projeto segue para sanção da presidente, que deve sancioná-lo até o fim do mês. Dessa forma, o mínimo de R$ 545 passa a valer a partir de março. O resultado, assim como a vitória fácil na Câmara, já era previsto pelos oposicionistas ao longo do dia.

Na terça-feira, emissários do governo foram ao Senado para pressionar os parlamentares. Em seu discurso, Pedro Taques (PDT-MT), denunciou ameaças para que votasse junto dos governistas. Ele votou contra.
****
Fonte:http://noticias.uol.com.br/politica/2011/02/23/dilma-vence-facil-tambem-no-senado-e-salario-minimo-sera-de-r-545.jhtm