terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Portugal cede dados aos EUA sem excluir pena de morte

17.01.2011
Do jornal português, Diário de Notícias
Por Valentina Marcelino

Segurança: Dados biométricos

O acordo que o Governo garantiu não pôr em causa a legislação portuguesa viola a mais importante das nossas leis: a Constituição. O documento, secreto em Portugal, é público nos EUA

O acordo que os ministros da Administração Interna e da Justiça assinaram com os Estados Unidos da América (EUA) para a cedência de dados pessoais de portugueses não exclui a possibilidade de essa informação contribuir para uma condenação à morte, violando a nossa constituição. Este acordo visa o "reforço da cooperação no domínio da prevenção e do combate ao crime" e foi assinado em Julho de 2009 entre o ministro Rui Pereira, o então ministro da Justiça, Alberto Costa, e a secretária de Estado norte-americana, Janet Napolitano. Rui Pereira tinha garantido que o acordo salvaguardava a lei nacional.

O Governo tem mantido o texto secreto, sem que os deputados que o vão ratificar o conheçam ainda, mas o blogue Esquerda Republicana descobriu-o no site do Department of Homeland Security (dhs) norte-americano e publicou-o. Segundo o documento, a partilha de informação, que inclui desde dados pessoais a impressões digitais e perfis de ADN, abrange os crimes "que constituem uma infracção punível com pena privativa de liberdade de duração máxima superior a um ano ou com uma pena mais grave".

O especialista em direito penal e processo penal Pedro Salreu explica que "pena mais grave do que penas privativas de liberdade só existe uma: a pena de morte". No seu entender, "a possibilidade de portugal cooperar na investigação criminal de crimes em relação aos quais se prevê a pena de morte, não constando do texto do acordo qualquer norma que ressalve a impossibilidade de os eua aplicarem a pena de morte aos agentes dos crimes que tenham sido identificados através do recurso ao presente acordo, viola o princípio da inviolabilidade da vida ('a vida humana é inviolável') e a proibição da pena de morte consagrados no artigo 24.º da Constituição Portuguesa ('em caso algum haverá pena de morte').

Este penalista, professor da licenciatura de políticas de segurança da Universidade Lusíada, considera que, "face à proibição de Portugal efectuar extradição por crimes nos quais se aplica a pena de morte no Estado requerente, é manifesto que não se pode cooperar em investigação da qual poderá resultar essa mesma pena", acrescentando que no artigo do acordo que prevê "mecanismos de controle" este "perigo" não está "acautelado".

O professor viu também outra inconstitucionalidade no texto. Diz respeito ao facto de o acordo "não criar limitações à conservação dos dados que, eventualmente, venham a ser recolhidos pelos eua". O nosso ordenamento jurídico, "no que concerne às análises de sangue ou de outras células corporais, estatui que só podem ser utilizadas no processo em curso ou em outro já instaurado, devendo ser destruídos, por despacho de juiz, logo que não sejam necessários".
****
Fonte:http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1758940

Deputado do DF assume a indicação de Ana Arraes para líder do PSB

18.01.2011
Do BLOG DE JAMILDO, via Blog do Josias de Souza

Recém-eleito senador, o ainda deputado Rodrigo Rollemberg (DF) assumiu a paternidade da idéia de lançar Ana Arraes (PE) para líder do PSB na Câmara. A deputada Ana é filha de Miguel Arraes e mãe do atual presidente do PSB, o governador pernambucano Eduardo Campos.

Conforme noticiado aqui, a atmosfera familiar suscitou críticas dentro da própria legenda. Um dos críticos disse que foi implantada a “folhocracia” no PSB. “O responsável sou eu”, disse Rollemberg. Na bica de transferir-se para o Senado, o deputado responde pela liderança do PSB na Câmara até o fim de janeiro.

Afirmou ter recebido do vice-presidente da legenda, Roberto Amaral, a incumbência de articular a escolha de um novo mandachuva para a bancada: “Quem conduziria o processo seria o [deputado] Márcio França. Ele deveria ser o novo líder. Mas assumiu a Secretaria de Turismo do governo Alckmin”.

Rollemberg disse ter consultado os deputados do PSB. Dos 34, só não ouviu três. Entre eles, Gabriel Chalita (SP).

Egresso do PSDB, Chalita tinha pretensões de tornar-se líder do PSB. Não foi ouvido, segundo Rollemberg, porque estava no exterior. Quanto aos demais, apenas um deputado pediu tempo e quatro, da bancada do Ceará do governador Cid Gomes, levaram o pé atrás. Queriam outro nome.

Escorado na maioria, Rollemberg disse ter formulado pessoalmente o convite a Ana Arraes. “Foi uma ação minha, atendendo à delegação do partido”. Recobre a escolhida de elogios: “Sabíamos que haveria o risco [de surgirem críticas]. Mas Ana é preparada para a função...” “...Ela fez um bom [primeiro] mandato, é respeitada pelos demais lideres, pelo governo e pela bancada do PSB”.

Rollemberg acredita que a mãe de Campos irá à liderança “por consenso”. Mas não exclui a hipótese de ocorrer uma votação na bancada. De resto, o deputado disse ter recebido de Roberto Amaral delegação para negociar também a posição do PSB na disputa pela presidência da Câmara.

Sobre esse tema, declara: “Falei com Júlio Delgado [PSB-MG]. Ele me disse que abriu mão de sua candidatura [ao comando da Câmara]...” “...Minha expectativa é a de termos os 34 votos do PSB a favor da eleição do Marco Maia [candidato do PT à presidência da Casa]”. O petismo concordou em ceder uma de suas vagas na Mesa diretora da Câmara para o PSB. A legenda de Eduardo Campos vai à Quarta Secretaria.
****
Fonte:http://jc3.uol.com.br/blogs/blogjamildo/canais/noticias/2011/01/18/deputado_do_df_assume_a_indicacao_de_ana_arraes_para_lider_do_psb_89474.php

Ex-ditador "Baby Doc" retorna ao Haiti, após 25 anos de exílio na França

17/01/2011
Do UOL NOTÍCIAS

"Baby Doc", ex-ditador do Haiti

•Porto Príncipe, 17 jan (EFE).-
O ex-presidente do Haiti Jean-Claude Duvalier, conhecido pelo apelido de "Baby Doc", que governou o país entre 1971 e 1986, chegou neste domingo de surpresa a Porto Príncipe, em um voo da companhia Air France procedente de Paris.

Uma multidão recebeu o ex-ditador no aeroporto internacional Toussaint Louverture, onde chegou acompanhado de vários colaboradores pouco depois das 17h30 (horário local, (20h30 de Brasília), e foi amparado na sala diplomática, informaram emissoras locais.

Cerca de três horas após sua chegada deixou o aeroporto, com destino desconhecido, em um veículo oficial com forte escolta de oficiais da Polícia e da Missão das Nações Unidas para a estabilização do Haiti (Minustah).

A notícia da presença de "Baby Doc" de novo no Haiti 25 anos após ser derrubado por uma revolta popular e no meio da crise que vive o país circulou pela capital e foi retransmitida ao vivo por várias emissoras de rádio.

Centenas de pessoas se reuniram no aeroporto, entre eles curiosos, outros que aclamaram o ex-governante e outros que aproveitaram para pedir o retorno do ex-presidente Jean Bertrand Aristide.

O retorno de Duvalier fez surgir perguntas na capital sobre o significado do retorno deste ex-líder, considerado, junto com seu pai, François, que governou entre 1957 e 1971, responsável por um regime que governou com mão de ferro, desprezo aos direitos humanos e corrupção.

Seus Governos são considerados responsáveis pela morte de milhares de opositores e do desvio de recursos significativos do país durante 29 anos.

O presidente haitiano, René Préval, advertiu em 1997, durante seu primeiro mandato, que Duvalier seria preso se retornasse ao Haiti.

Comentaristas destacaram que não é possível imaginar que as altas autoridades do país não estavam conscientes das diligências de Duvalier para voltar ao Haiti, como também não as autoridades da França, onde se refugiou após ser deposto em 1986, e as dos Estados Unidos.

Um porta-voz da Polícia Nacional, no entanto, disse à Agência Efe que não sabia que ação a corporação tomaria perante sua chegada.

A ministra de Comunicação e Cultura, Marie Laurence Lassegue, disse à Efe que desconhecia se ia ser adotada alguma medida, mas precisou que, em tal caso, o Governo o tornaria público.

Após a notícia de sua chegada aconteceu em Porto Príncipe um intenso fluxo de mensagens e ligações telefônicas entre cidadãos que se aconselhavam uns aos outros para manter uma atitude de prudência e manter a calma.

Duvalier chegou ao poder em 1971, aos 19 anos, após a morte de seu pai, François Duvalier, o "Papa Doc", que previamente o havia nomeado seu sucessor.

Após permanecer na Presidência do Haiti até 1986, teve que exilar-se perante o agravamento da situação no país caribenho, indo para a França, onde morou em várias localidades durante todos estes anos.
****
Fonte:http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/efe/2011/01/17/ex-ditador-baby-doc-retorna-ao-haiti-apos-25-anos-de-exilio-na-franca.jhtm

Ditadura prendeu e torturou duas vezes o mesmo homem por engano

17 de Janeiro de 2011
Do BLOG DA FOLHA
Postado por Valdecarlos Alves

Ex-militante estudantil e recém-casado após passar 18 meses na prisão por invadir a reitoria da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Mário Oba, hoje com 65 anos, foi torturado no final de 1970 e entre 1971 e 1972 (ele não se lembra da data precisa), em Curitiba, confundido duas vezes pela ditadura por um integrante do comando da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) e guerrilheiro da confiança de Carlos Lamarca. Na primeira ocasião, Oba foi surpreendido ao voltar para a UFPR para concluir o curso de engenharia elétrica. Foi liberado após três dias de tortura, quando os repressores concluíram que ele não era o homem procurado pelo regime.

Cerca de um ano depois, já engenheiro, Oba foi novamente preso nas dependências do Exército, onde passou por sessões de tapas nos ouvidos, afogamentos e choques elétricos. "Eles queriam saber coisas da VPR. Eu sabia que eles queriam um japonês, também de nome Mário, mas que não era eu", disse Oba à reportagem. O homem realmente procurado pelo regime militar era Chizuo Osava, conhecido na luta armada como Mário Japa. "Quando caí na clandestinidade, no final dos anos 1960, espalhei para a família e amigos que estava me mudando para Curitiba, cidade em que tinha morado quando jovem. Acho que por isso o pegaram", explicou Mário Osava, que adotou o codinome da luta armada.

Hoje repórter, Osava voltou ao Brasil com a Lei da Anistia, em 1979, após se exilar em países da América Latina, da Europa e da África. Ele havia sido preso em São Paulo no início de 1970 após capotar um carro que carregava armamentos, mas foi libertado uma semana depois, em troca do cônsul do Japão em São Paulo, que havia sido sequestrado pela VPR. Com informações do jornal Folha de São Paulo.
****
Fonte:http://www.blogdafolha.com.br/index.php/materias/16290-ditadura-prendeu-e-torturou-duas-vezes-o-mesmo-homem-por-engano

“Não sou prefeito por acaso, por um aborto”

18.01.2011
Da FOLHA DE PERNAMBUCO Negrito
Por MANOEL GUIMARÃES

João da Costa avisa: não aceita a desconstrução de sua imagem

PETISTA recebeu o cargo, ontem, de Milton Coelho

O retorno do prefeito do Recife, João da Costa (PT), ao cargo, após 101 dias licenciado, foi marcado por respostas afiadas, supostamente a seu antecessor, o deputado federal eleito e ex-prefeito João Paulo (PT). Em discurso, o gestor afirmou que não admitiria a desconstrução de sua imagem política. “Não vou aceitar passivamente a desconstrução da minha história politica. Não sou prefeito por acaso, por um aborto. Essas insinuações são de quem tem inveja de quem sabe aproveitar oportunidades”, atacou. Questionado sobre as indiretas, Costa negou que estaria alfinetando João Paulo, com quem rompeu relações ainda em 2009. “Não me dirigi a ninguém especificamente. Reafirmei um compromisso de uma história de militância e das coisas em que acredito, como trabalhar por um projeto emancipador, melhorar a vida em sociedade e lutar pela democracia no Brasil”, assegurou.

A volta do prefeito ao trabalho foi prestigiada por vários aliados, dentre vereadores, deputados e secretários. No entanto, coube ao deputado federal Inocêncio Oliveira (PR) dar um conselho em forma de crítica a João da Costa. “Você é muito tímido, poderia dizer mais o que faz. Você faz as coisas e não divulga”, atestou. “Vou convidar a Imprensa para ver de perto as obras que estamos fazendo. Às vezes, o espaço publicitário não nos permite mostrar tudo que está sendo feito, mas são obras que ajudarão a mudar a situação da população”, respondeu o petista.

O prefeito também não deu importância à pesquisa Datafolha, divulgada no mês passado, na qual obteve média 5,4 - um décimo a mais do que em julho - considerada baixa. “A maior nota entre os prefeitos é 6,6. E a maioria é abaixo de seis. Se olhar as notas dos governadores, todos têm mais de seis. Não é por acaso que os governadores tiveram uma avaliação maior. Os prefeitos foram mais prejudicados pela crise econômica. Tivemos uma redução drástica do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), em 2009, que não se recuperou em 2010. Mas pesquisa é momento. Quando fui lançado candidato a prefeito, tinha 3% da intenções de voto, e terminei com 51%. Nunca me preocupei com pesquisa”, garantiu.

SECRETARIADO

João da Costa ressaltou, na coletiva, que qualquer eventual mudança no secretariado será anunciada após um balanço com os aliados. “Estou focado em trabalhar as prioridades da gestão. Sobre a questão do processo de avaliação política, tudo o que eu tinha para falar já falei. Agora, só vou falar em 2012. Agora é hora de trabalhar muito, temos muitos desafios na cidade”, completou.

Durante o período de licença, o petista foi substituído pelo vice-prefeito Milton Coelho (PSB). A cerimônia de transmissão do cargo aconteceu no auditório da Prefeitura, após às 8h. Depois, João da Costa concedeu entrevista e foi vistoriar as obras do Parque Dona Lindu, já no final da manhã. A inauguração está prevista para 26de março.
****
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/615327?task=view

Globo e El País: jornalismo na lama

17 de janeiro de 2011
Do blog de Altamiro Borges


Reproduzo artigo de Maurício Caleiro, publicado no blog Cinema & Outras Artes:
Em termos de comunicação, a estratégia que garantiu ao ex-presidente Lula se reeleger e terminar seu segundo mandato com 87% de aprovação popular - a despeito de oito anos de oposição cerrada da mídia, incluindo espasmos golpistas - concentrou-se no seguinte tripé:

1.Diversificação do investimento da verba publicitária federal, espraiada em pequenas e médias publicações e emissoras de rádio;

2.Internet (notadamente blogosfera e redes sociais);

3.Marketing político de primeiro nível, não restrito a campanhas eleitorais.

Mídia internacional

Além desses fatores, a cobertura que grandes veículos da imprensa internacional fizeram da personalidade política de Lula e de seu governo, contraposta à má-vontade e às distorções preconceituosas da mídia nativa, não só tornou evidente o quanto esta oferecia uma visão falsa dos fatos, como forneceu – à história, ao público internacional e a estratos mais antenados no próprio Brasil - um atestado da eficiência da gestão presidencial.

Tal atestado, por sua vez, contradiz as acusações de populismo que, através, de ilações entre altas taxas de aprovação e programas de inclusão social como o Bolsa-Família, a mídia corporativa esforçava-se por pespegar em Lula, adotando-as como a explicação virtualmente exclusiva para o sucesso de sua gestão.

Rancor dos derrotados

A vitória eleitoral de Dilma Rousseff representou a derrota do projeto político abraçado pela mídia corporativa nativa. Pois, como escrevi no início da campanha eleitoral, em artigo no Observatório da Imprensa, as eleições de 2010, de caráter eminentemente plebiscitário, não oporiam apenas o projeto de inclusão social em bases pós-keynesianas encarnado pelo lulopetismo e o retorno à ortodoxia neoliberal tucana, mas a efetividade da influência eleitoral da mídia corporativa versus a diversificação desconcentrada e contra-discursiva da internet e dos pequenos media.

Derrotada uma vez mais, resta à velha mídia procurar minar qualquer estratégia comunicacional que contrarie seu projeto político. Na internet, a briga é por uma regularização draconiana, representada pelo projeto do senador Eduardo Azeredo (acusado de ser o principal nome do mensalão tucano e réu em denúncia criminal aceita pelo STF). Já em relação à desconcentração das verbas publicitárias federais, pouco pode fazer, no curto prazo, para revertê-la novamente ao modelo concentrador de que sempre se beneficiou.

Fontes não confiáveis

No entanto, credenciar-se novamente como fonte da imprensa anglo-européia poderia significar a chance tanto de impedir que Dilma, por seus próprios méritos, se beneficie da cobertura jornalística desta (como ocorreu com Lula) quanto de, assim, criar um fator de chantagem, digo, de pressão para demandar maiores verbas federais para suas publicações.

Por tais razões é importante a reação sistemática dos brasileiros contra matéria publicada hoje pelo usualmente sóbrio El País, da Espanha, ecoando uma edição de imagens claramente mal intencionada e jornalisticamente criminosa da Rede Globo – na qual altera flagrantes de momentos de descontração durante a primeira reunião ministerial, em Brasília, com imagens da tragédia das enchentes. Ou seja, que conecta artificialmente dois eventos espacialmente apartados e de diferentes naturezas de modo a, por interesses políticos, manipular emocionalmente os espectadores, num ato de incrível baixeza e falta de profissionalismo.

No texto, o correspondente de longa data Juan Arias – um especialista em Vaticano e escritor de livros com temática espiritual, incluindo um sobre Paulo Coelho – se diz impressionado e indignado pelas imagens. Um jornal do prestígio internacional do El País não pode manter em um país com a atual importância estratégica do Brasil um correspondente que não só se mostra incapaz de identificar o viés fortemente tendencioso da imprensa, mas compra como legítima – e se deixa impressionar por – uma montagem descontextualizada e artificial de imagens que a ética jornalística condena.

É preciso protestar

Ainda antes antes de saber que Eduardo Guimarães publicara um post conclamando seus leitores a escreverem ao jornal espanhol protestando, enviei ao El País um comentário (que foi publicado). Eis a tradução:

“Não é necessário ser um gênio para perceber que não é honesto confundir a atmosfera particular de uma reunião ministerial com a reação de um presidente ante o sofrimento humano causado pelas enchentes. Além disso, o fato é que a reação efetiva de Dilma Rousseff para amenizar os efeitos da tragédia foi rápida e objetiva, visitando as zonas afetadas e autorizando a liberação do equivalente a U$450 milhões. A imprensa brasileira, desde a eleição de Lula da Silva em 2002, atua como um partido político e não pode ser levada a sério. Sinto muito que um jornal supostamente sério como o El País “compre” a campanha infame que os meios corporativos brasileiros movem contra Rousseff. Reproduzir suas mentiras significa enganar os leitores do jornal – como o correspondente Juan Arias, se realmente tem consciência do que ora acontece no Brasil, deveria saber”.

Gostaria de reforçar o apelo de Eduardo e convidar mais pessoas a protestarem. Ressalvo, no entanto, a importância de ser educado e argumentativo, ao invés de se utilizar da agressividade xenófoba que se lê em alguns comentários. Agredir os espanhóis pelo erro do jornal não é inteligente nem adequado (pense: você acharia justo ser ofendido pelo que a mídia brasileira publica?). Não dominando o idioma, talvez seja conveniente valer-se de um tradutor na internet (não são perfeitos mas ajudam), de maneira a fazer com que os leitores espanhóis entendam nossas razões e eventualmente apóiem nosso protesto. O importante é fazer, através do volume de cartas e da sensatez das argumentações, o editor do El País convencer-se de que erraram - e feio.
****
Fonte:http://altamiroborges.blogspot.com/2011/01/globo-e-el-pais-jornalismo-na-lama.html

A internet já disputa com a televisão

17 de janeiro de 2011
Do blog de Altamiro Borges

Reproduzo artigo de Pedro de Oliveira, publicado no sítio Vermelho:

Gradualmente a internet vai se equiparando à televisão como a principal fonte de informação nacional e internacional do público norte-americano. Em uma pesquisa conduzida pela empresa especializada PEW Research Center for the People and the Press – realizada de 1 a 5 de dezembro do ano passado, com 1 500 pessoas - cerca de 41% dos pesquisados declaram ser a internet a fonte primária de noticias nacionais e internacionais, o que em relação ao ano de 2007 significava apenas em 17%.

A televisão continua sendo ainda a referência principal de noticias para 66% dos norte-americanos, índice que por sua vez significava 74% há três anos e 82% em 2002. Esta mesma pesquisa constatou que a maioria das pessoas busca informações sobre notícias mais pela Internet do que pelos jornais impressos como sua principal fonte de referência.

Este dado mostra a continua curva de crescimento da internet e a queda constante da leitura de jornais: o índice de leitura era de 34% em 2007 e é de apenas 31% atualmente. Já a proporção do índice de ouvintes de notícias pelo rádio manteve-se relativamente estável. Este índice hoje é de 16% dos que procuram notícias nacionais e internacionais.

Pela primeira vez na série histórica desenvolvida pela PEW – que é um instituto independente de pesquisa sobre a mídia – em 2010 a internet superou a televisão como a principal fonte de informações nacionais e internacionais para as pessoas com menos de 30 anos de idade. Desde 2007 o índice de pessoas de 18 a 29 anos que citaram a internet como fonte principal de informações saltou de 34% para 65%, enquanto que no mesmo período o índice de jovens que citaram a televisão como fonte principal diminuiu de 68% para 52%.

A televisão ainda predomina entre os menos escolarizados

Os estudantes universitários nesta pesquisa afirmam buscar como fonte principal de informações a internet com o índice de 51%, enquanto os que procuram a televisão se situam em 54%. Os de nível secundário se colocam de outra forma: 51% citam a internet como fonte principal e 63%, a televisão. O extrato com educação mais inicial faz um bom contraste com os melhores escolarizados: 29% apenas buscam na internet as fontes principais de informação e a maioria de 75% procura a televisão em primeiro lugar.

No caso da televisão brasileira – num levantamento de outra pesquisa publicada no jornal Folha de S.Paulo em 6/01/2010 -, o SBT perdeu quase 50% do seu público de 2000 até 2010. Ou seja, caiu de 10,4 pontos de média no país para apenas 5,9 pontos, que foi a média do ano passado. A Rede Record cresceu 31% na década passada, pulando de 5,5 pontos para 7,2 pontos como média em 2010. Enquanto a Rede Globo, por sua vez, caiu 8,5% na década. Registrou no ano de 2000 média de 19,9 pontos e 18,2 pontos em 2010.

Ou seja, no ambiente brasileiro também se pode verificar o crescimento das redes mais voltadas para um publico menos escolarizado, enquanto que os programas mais sofisticados vão sendo consumidos cada vez mais pelos canais pagos e pela internet.

O crescimento vertiginoso das redes sociais

Se é verdade que as pesquisas detectam este gradual crescimento da internet em relação à televisão como fonte primária de informações, no caso das redes sociais o aumento é explosivo: a contagem de tweets aumentou de 5.000 por dia em 2007 para 90.000.000 (noventa milhões) diários em 2010. Somente o Facebook passou de 30 milhões de usuários em 2007 para mais de 500 milhões atualmente.

Exatamente em função deste poder gigantesco que estas redes sociais foram adquirindo nos últimos anos é que o Departamento de Estado dos EUA, já sob direção da candidata derrotada nas primárias para indicação do candidato a presidente pelo Partido Democrata, Hillary Clinton, anunciou em janeiro de 2010 que o governo americano faria um grande investimento para o desenvolvimento de ferramentas desenhadas para reabrir o acesso à internet em países que restringem sua utilização. Este tipo de política teria como alvo impedir que Estados como a República Popular da China impeça websites como o Google, YouTube ou o New York Times atuem como queiram em seu país.

Alguns programas foram criados com este objetivo como o Freegate e o Haystack, mas acabaram não se tornando úteis para o objetivo do imperialismo, transformando-se ao contrário numa ferramenta a mais para impedir que as empresas norte-americanas infiltrassem idéias e conceitos para combater o governo central na China.

De fato, a questão das redes sociais tornou-se um problema de Estado cada vez mais importante para os interesses norte-americanos no mundo. A capa da principal revista de relações internacionais dos EUA – Foreign Affairs – edição de janeiro/fevereiro de 2011, é dedicada ao tema sob o titulo “O poder político da mídia social”.

A tese principal do artigo é que os Estados Unidos perderam a guerra na tentativa de impedir outros países controlarem a rede social de mídia e que deveriam se voltar para “a luta pelas liberdades políticas nestas sociedades de forma geral”, como se isso tivesse sido em algum momento um dos objetivos do imperialismo americano através da história.
****
Fonte:http://altamiroborges.blogspot.com/2011/01/internet-ja-disputa-com-televisao.html

Mídia protege golpistas de Honduras

17 de janeiro de 2011
Do BLOG DO MIRO
Por Altamiro Borges

Na semana passada, sem que a mídia mundial e nativa fizesse qualquer alarde, o parlamento de Honduras aprovou mudanças na Constituição que permitem a realização de referendo sobre a reeleição presidencial. A alteração foi exatamente o motivo alegado pelos golpistas deste país para derrubar o presidente Manuel Zelaya, em junho de 2009. Sob o pretexto de que ele pretendia alterar as normas legais para se perpetuar no poder, empresários e generais, com apoio direto dos EUA, patrocinaram o golpe.

Agora, os próprios golpistas promovem a “reforma constitucional”. O projeto recebeu 103 votos favoráveis e 25 contrários, num parlamento totalmente tutelado pelos fascistas que usurparam o poder. “Antes era pecado falar que o povo deveria decidir e hoje chegamos ao entendimento de que o povo é superior a nós, os deputados”, argumentou, na maior caradura, Juan Hernándes, o presidente do mesmo Congresso Nacional que há um ano e meio chancelou a violenta derrubada de Zelaya.

Dez jornalistas assassinados

Na época do golpe, a mídia colonizada do mundo inteiro deu respaldo ao ato arbitrário. “Calunistas” brasileiros, como Alexandre Garcia, da TV Globo, difundiram que não houve um golpe, mas sim a defesa da Constituição contra as iniciativas “autoritárias” de Zelaya. Nem os EUA embarcaram nesta conversa, conforme comprovam memorandos da embaixada vazados recentemente pelo Wikileaks. Agora, a mesma imprensa faz total silêncio sobre o “golpe” dos golpistas. Honduras não é mais manchete na mídia.

Enquanto isso, o presidente Porfírio Lobo, eleito num pleito que não é reconhecido pela maioria das nações, incluindo o Brasil, comete as maiores atrocidades. Em dezembro passado, mais um jornalista foi barbaramente assassinado – o décimo em 2010. Henry Souza trabalhava no canal Cablevisión del Atlantico e levou vários tiros ao sair de sua casa, no município de Masica. Ele dava voz em seus programas de televisão às comunidades camponesas da região e era detestado pelos latifundiários.

Onda de violência não é notícia

Segundo o jornal hondurenho La Tribuna, Souza foi o décimo jornalistas assassinado no ano passado. As outras vítimas foram: Joseph Hernández Ochoa (Canal 51), David Meza (Rádio El Patio), José Bayardo Mairena e Víctor Manuel Juárez (Rádio Súper 10), Nahum Palacios (Televisión del Aguán), Luis Chévez (emissora W105), Georgino Orellana (canal de San Pedro Sula), Nicolás Asfura (radialista) e Luis Arturo Mondragón, diretor de notícias do Canal 19 de El Paraíso.

Além de censurar e perseguir jornalistas, o governo de Porfírio Lobo é cúmplice da ação de vários grupos paramilitares. Segundo a Comissão Nacional de Direitos Humanos, somente nos primeiros seis meses de 2010 houve uma média de 16 mortes violentas por dia. Parte destes casos tem motivações políticas. A ONG Human Rights Watch solicitou a investigação de 47 casos de agressão e outros 18 assassinatos de jornalistas, militantes políticos e defensores dos direitos humanos ocorridos no ano passado.

Na semana retrasada, um grupo paramilitar investiu contra um ônibus e matou oito pessoas em Olancho, uma comunidade rural. Quatro mulheres e quatro crianças, incluindo um bebê de 18 meses, foram assassinadas. Segundo a Agência Latino-Americana e Caribenha de Comunicação (ALC), a chacina “teve semelhança com os diversos atentados contra opositores do regime ditatorial, desde o golpe militar de 28 de junho de 2009”. Para a mídia brasileira, que apoiou o golpe, esta onda de violência não é notícia!
****
Fonte:http://altamiroborges.blogspot.com/2011/01/midia-protege-golpistas-de-honduras.html

Professor da Unicap é encontrado morto dentro de apartamento

18.01.2011
Da FOLHA DE PERNAMBUCO


Mãos do religioso estavam amarradas

O padre Ferdinando Azevedo, professor e pesquisador da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), foi achado morto ontem dentro de um apartamento de repouso dos jesuítas localizado no Janga, em Paulista. O religioso, que tinha 72 anos, fazia retiro no local anualmente, segundo informações da Unicap. De acordo com informações do Instituto de Criminalística (IC), o corpo foi encontrado pendurado pelo pescoço em uma corrente, dessas usadas em rede.

O perito criminal Severino Arruda acrescentou que as mãos do religioso estavam amarradas, mas apenas a esquerda estava bem presa. Além disso, ele revelou que o padre estava a uma altura baixa, quase encostando os joelhos no chão e que o corpo estava em estágio inicial de decomposição. O perito disse também que o corpo foi encontrado totalmente despido e que não havia sinais de espancamento, mas que não se pode afirmar que foi um assassinato.

Em nota a Unicap lamentou a morte do padre Ferdinando, como era conhecido na comunidade. O religioso, que nasceu nos Estados Unidos, era graduado em Filosofia pela Gonzaga University (1963), tinha mestrado em História pela Loyola University of Los Angeles (1968) e doutorado em História pela The Catholic University of América (1974). Atualmente era pesquisador da Unicap e professor do Mestrado em Ciências da Religião. Ele coordenava também o Instituto de Pesquisa Padre Nogueira Machado, vinculado à Pró-reitoria Acadêmica da Unicap.

Durante sua trajetória acadêmica, ele deu ênfase às pesquisas sobre História do Brasil, atuando nos seguintes temas: sociedade, política e espiritualidade. Em reconhecimento à sua contribuição à educação, a Assembleia Legislativa de Pernambuco lhe concedeu o título de Cidadão Pernambucano em 1997. Padre Ferdinando entrou na Companhia de Jesus em 14 de julho de 1957 e foi ordenado padre em 20 de junho de 1970.
***
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/noticias-geral/33-destaque-noticias/615347-professor-da-unicap-e-encontrado-morto-dentro-de-apartamento-no-janga

Globo detesta servidores públicos

17 de janeiro de 2011
Do blog de Altamiro Borges

Reproduzo artigo de Augusto da Fonseca, publicado no blog Festival de Besteiras na Imprensa:

Como já dissemos anteriormente, O Globo está no terceiro turno das eleições presidenciais ou, na melhor das hipóteses, já está na campanha presidencial de 2014.

A manipulação da informação corre à solta no jornal, na rádio CBN, na TV Globo e na Globo News.

Não importam os fatos. Qualquer que seja, há sempre uma forma de manipular a informação via juizo sem fundamentação ou via manchetes negativas para fatos positivos.

Como exemplo do que digo, analisemos as manchetes do jornal O Globo de hoje (16/1/11) e o conteúdo das respectivas matérias:

Capa: "No governo Lula, mais 82 mil servidores".

Página 3 (a principal, depois da capa): "Máquina foi inchada até com serviços terceirizados".

Subtítulo dessa manchete: "Na gestão Lula, essas despesas subiram muito acima da inflação".

Como a maioria das pessoas não passa das manchetes, ou seja, não lê a matéria completa, fica a impressão de que o Lula inchou “indevidamente” a máquina pública que era tão “enxutinha” ao final do governo FHC, ainda que às custas de sucateamento da educação, saúde, segurança e infraestrutura, entre muitas outras.

Entretanto, as pessoas que se dispuserem a ler a matéria completa terão uma grata surpresa: essa é uma notícia altamente positiva para o país!

Senão, vejamos alguns trechos relevantes da matéria, elaborada pela Regina Alvarez, que não tem culpa do que o editor faz com as suas matérias (normalmente manipula).

“Maioria das contratações ocorreu na área de educação, com mais 49 mil servidores“.

Perguntei para a minha neta de quatro anos se isso era bom ou ruim e ela me respondeu na lata:

“Vô, todo mundo diz que a prioridade número um do Brasil é a educação. Logo, isso é muito bom!”

Li outro trecho da matéria para a minha neta:

Subtítulo manipulador: “Na Presidência, aumento de 148%“.

Que horror! Diriam em uníssono o Merval e a Míriam Leitão.

Mas, o que diz o texto?

“O número de servidores passou de 3.147 para 7.820. Nesse caso, pesou o fato de a Presidência ter incorporado alguns órgãos que estavam em outros ministérios no governo passado, como é o caso do IPEA“.

‘Voilá”! Não há o que criticar, portanto.

Aumentou muito o número de professores e de profissionais da educação para as Escolas Técnica e Universidades.

E vai aumentar mais, senhores e senhoras do Globo.

“É difícil viver num país onde a imprensa pode manipular a informação do jeito que for mais conveniente para ela, né vô?“, falou a minha neta

“Mas nós e o governo Dilma vamos fazer alguma coisa contra isso. Aguarde, minha neta.”

“E eu vou poder ajudar?“

Balancei a cabeça positivamente.

Politizada essa menina!
****
Fonte:http://altamiroborges.blogspot.com/2011/01/globo-detesta-servidores-publicos.html

Berlusconi é acusado de pagar por sexo com várias menores

17/1/2011
Do MSN NOTÍCIAS
Por BBC Brasil


"Ruby"

Ruby disse ter recebido 7 mil euros para ir à festa de Berlusconi

Promotores italianos afirmaram que o primeiro-ministro Silvio Berlusconi praticou sexo com um 'número significativo' de prostitutas menores de idade, de acordo com um documento publicado nesta segunda-feira.

Eles alegam que o presidente teria oferecido dinheiro às mulheres ou permitido que elas morassem em seus apartamentos de graça - o que agrava as acusações que já pesavam contra ele de pagar por sexo com uma menor de idade.

Berlusconi, de 74 anos, já estava sendo investigado por sua ligação com uma dançarina marroquina de 17 anos de idade. Ele teria dado dinheiro à jovem em troca de sexo, o que caracterizaria prostituição de menor.

Apelidada de Ruby, a dançarina disse ter recebido 7 mil euros (cerca de R$ 15,8 mil) para participar de uma festa de Berlusconi no ano passado.

Entretanto, a jovem, cujo nome verdadeiro é Karima El Mahroug, negou ter mantido relações sexuais com o premiê.

'Degradante'

O documento foi publicado no site do Parlamento italiano. Isso porque a promotoria precisa fazer um pedido formal a uma comissão parlamentar quando quer fazer operações de busca nas propriedades de um membro da Casa.

Os promotores também incluíram no documento alegações de que Nicole Minetti, um ex-assistente de dentista que hoje trabalha no governo, seria uma das responsáveis por procurar as prostitutas menores de idade para o premiê.

O premiê negou as acusações. 'É absurdo até mesmo pensar que eu pagaria para praticar sexo com uma mulher. Seria degradante.'

Prostituição não é crime na Itália, mas pagar por sexo com menores de 18 anos é.
****
Fonte:http://noticias.br.msn.com/mundo/artigo-bbc.aspx?cp-documentid=27290173

Trabalhadores vão às ruas por mínimo de R$ 580, correção da tabela do Imposto de Renda e reajuste das aposentadorias

17.01.2011
Do site do SINDSPREV/PE, via site da CNTSS/CUT
Escrito por: Luiz Carvalho


A Central Única dos Trabalhadores e as demais centrais sindicais brasileiras definiram 18 de janeiro como o dia de luta em defesa do salário mínimo de R$ 580, da correção da tabela do imposto de renda e do reajuste das aposentadorias e pensões para os que recebem benefício superior ao mínimo.

O ato conjunto das entidades acontecerá diante do prédio da Receita Federal, na Avenida Paulista, a partir das 10 horas.

A manifestação faz parte de uma prioridade da CUT para 2011: a geração de mais e melhores empregos com igualdade de oportunidades e de tratamento na perspectiva do pleno emprego, conforme resolução da direção em reunião no início de dezembro.

Conforme destaca o secretário geral da CUT, Quintino Severo, trata-se de uma estratégia unificada das centrais para lutar pela manutenção da política de valorização do salário, responsável por melhorar a distribuição de renda, combater as desigualdades sociais e fazer com que mais de 30 milhões de pessoas melhorassem de classe social.

“Não vamos deixar de lutar contra qualquer retrocesso na política de valorização permanente que conquistamos após muitas marchas e muita pressão. Não fosse o crescimento de 53% do salário que tivemos durante o governo Lula, que fortaleceu o mercado interno, certamente não teríamos sido os últimos a entrar na crise econômica mundial e os primeiros a sair. Esse aumento de R$ 510 para R$ 540, previsto no orçamento, sequer contempla a inflação do período”, critica.

De acordo com dados do Departamento Internsindical de Estatítica e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o aumento acumulado do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) foi de 6,47%, enquanto o reajuste de R$ 510 para R$ 540 representaria aumento de 5,88%.

Para o dirigente, é importante ainda que os trabalhadores aposentados com vencimentos superiores ao piso tenham a elevação em ao menos 80% do que será dado ao mínimo, já que representam um fator importante para que a economia brasileira mantenha o sólido crescimento.

Outro ponto importante é a correção da tabela do imposto de renda, sem a qual os acordos conquistados pelas categorias durante as campanhas salariais são anulados, já que o trabalhador mudará de alíquota de contribuição e pagará mais.

CUT define mobilização nacional – Além da atividade na Avenida Paulista, a Central já orientou às estaduais e aos sindicatos cutistas que promovam atos públicos, passeatas, assembléias e ações em portas de fábrica para marcar a data.

As entidades representativas dos trabalhadores também já encaminharam um pedido de audiência à presidenta Dilma Rousseff e aos ministros para marcar uma audiência e discutir o tema.
****
Fonte: www.sindsprev.org.br

Fuja do PiG (*): O que a Dilma disse e fez no Rio

14/01/2011
Do CONVERSA AFIADA
Por Paulo Henrique Amorim


Dilma quer uma política habitacional

Como se sabe, a Globo escondeu a Dilma e o Cerra e culpou o Lula.

A cobertura que o PiG (*) fez das declarações e ações da presidenta no Rio foi truncada, enviesada e distorcida.

Fuja do PiG (*).

Saiu no Blog do Planalto:

“Dirijo-me aqueles que perderam seus familiares a minha integral solidariedade”

Após sobrevoar a região Serrana do estado do Rio arrasada pela tragédia em função das chuvas das últimas horas e de participar de reunião com o governador Sérgio Cabral, ministros e prefeitos, a presidenta Dilma Rousseff destacou, em entrevista coletiva, seus sentimentos de solidariedade às famílias que tiveram pessoas mortas. A presidenta Dilma dedicou os instantes finais da conversa com os jornalistas para “dizer da grande dor” que sentia e colocou à disposição dos governos estadual e municipais os recursos necessários para recuperar a região que sofreu com os estragos das enchentes.

“Boa tarde a todos. Hoje nós estivemos sobrevoando e também participando diretamente do que vem sendo o resgate na região Serrana. É de fato um momento muito dramático. As cenas são muto fortes. É visível o sofrimento das pessoas… O risco é muito grande. Vi também uma grande capacidade de organização do governo do Rio combinado com prefeitos daquela região… Solidariedade e quanto somos fraternalmente ligados. Em conjunto com o governo do estado no sentido de fazer com que esta seja a situação que possamos passar por ela da forma mais rápida possível.”

De acordo com a presidenta Dilma, que concedeu a entrevista junto com o governador fluminense, o trabalho se dará em três linhas de ação e estas diretrizes devem ser assimiladas pela população. Ou seja, os governos vão atuar neste primeiro momento no socorro às vítimas da tragédia, ao mesmo tempo em que prosseguirá no trabalho preventivo para que a situação não seja ampliada e, por último, coibir as moradias em áreas de risco, como por exemplo nas encostas dos morros.

Tanto a presidenta Dilma quanto o governador Cabral centram críticas à forma de ocupação nos municípios da região Serrana, especialmente Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo, os mais prejudicados pelas enchentes dos últimos dias. No decorrer da coletiva, Cabral fez um alerta: a previsão da meteorologia para as próximas horas é de chuvas intensas, fato que requer mais prudência e colaboração por parte das famílias que vivem em áreas de risco.

Dilma Rousseff contou também sobre aquilo que viu no sobrevoo. Uma região devastada. Isso faz com que, neste instante, o governo volte suas forças para o resgate e salvamento das famílias desalojadas. Num mesmo processo, segundo informou, o governo federal vai liberar recursos do Bolsa Família – para quem se enquadra na situação -, na liberação do fundo de garantia (FGTS) e também de outros programas sociais como Benefício de Prestação Continuada (BPC), que pode assegurar o pagamento de aluguel.

“Vamos [na segunda etapa] entrar num outro momento da reconstrução. Vamos estar operando com o governo estadual e com as prefeituras no sentido de, como disse o governador numa conversa comigo, que nós estamos aqui também para [o trabalho de] prevenir…”, disse a presidenta.

Ela lembrou que a atuação do governo abrange também os estados de São Paulo, Minas Gerais e Goiás. O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, que esteve hoje no Rio, seguiu para São Paulo, onde visitará o município de Franco da Rocha, inundado a partir da abertura das comportas de uma represa. Segundo a presidenta, o governo irá liberar os recursos para as regiões o mais rápido possível, mas ponderou que existem exigências legais que precisam ser cumpridas pelas autoridades.

Depois das considerações iniciais da presidenta Dilma e do governador Cabral os jornalistas iniciaram a série de perguntas. A primeira questão levantada foi sobre a diferença de recursos liberados para obras no estado do Rio e em outras unidades da federação. A indagação feita pela repórter da Rede Globo mereceu de início a intervenção do governador Cabral que contestou os números colocados no site de uma Organização Não-Governamental (ONG).

“Olha eu prefiro até responder primeiro. Não quero discutir com site que divulgou… O Rio recebeu nos últimos quatro anos recursos para as obras em Angra dos Reis e que estão em curso R$ 110 milhões. Uma velocidade que nunca houve. Quero dizer que não há nenhuma reclamação sequer. Mais de R$ 1 bilhão para áreas atingidas direta e indiretamente. Os rios da Baiada Fluminense. Fizemos investimentos mais R$ 300 milhões”, afirmou o governador com ressalva ao fato de que para liberação das verbas existem exigências que devem ser cumpridas pelos governantes.

A entrevista prosseguiu com explicações sobre as providências a serem adotadas para equacionar os danos da tragédia e a participação do estado no processo de reconstrução das cidades atingidas. Em todos os momentos, a presidenta assegurou que o governo vem investindo na prevenção das áreas de risco. Por exemplo, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) alocou R$ 11 bilhões para obras de infraestrutura. Outra forma de evitar a proliferação de moradias em encostas, por exemplo, é firmando convênios com as prefeituras sob condição de um programa de uso do solo mais adequado e seguro.

Após a conversa com os jornalistas, a presidenta Dilma seguiu para a Base Aérea do Galeão, na ilha do Governador, onde embarcou para Brasília.


E saiu também no Blog da Dilma:

“Agora é resgatar, depois reconstruir”, afirma Dilma

São Paulo – A presidente Dilma Rousseff sobrevoou a região serrana do Rio de Janeiro e deu uma entrevista coletiva ao lado do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral. Ao falar sobre o momento dramático por que passa a região, ela lembrou que estava ali para se solidarizar com as pessoas que sofrem com a tragédia. Até as 18h30, foram contabilizadas 432 mortes, no Rio.

Dilma disse que o momento é de “minimizar o sofrimento”. “Agora é resgatar as vítimas, depois reconstruir”, afirmou a presidente, dando o aval para a cooperação necessária entre governo federal e estadual. ”Ajudaremos os atingidos pelas enchentes da forma menos burocrática e mais rápida possível.”

“O governo federal está aqui cooperando, como estamos fazendo nos últimos anos, no sentido de resgatar, reconstruir e prevenir também.”

A presidente afirmou que o Governo Federal fará nas cidades atingidas pelas chuvas o que tem feito em diversas outras áreas do país onde vivem famílias em áreas de risco, Dilma disse que as pessoas desabrigadas serão relacionadas em projetos como o Minha Casa, Minha Vida.

“Temos que ter uma política de habitação no país. A última que tivemos foi na época do BNH [Banco Nacional de Habitação]. Depois, agora no governo do presidente Lula, fizemos o Minha Casa, Minha Vida e continuarei com o Minha Casa, Minha Vida 2”, disse.

Já o governador do Rio, Sérgio Cabral, fez um apelo para que as prefeituras proíbam a construção de casas em áreas de risco. “Aqui não pode construir. É duro dizer isso, mas tem que dizer”, afirmou.

Em Nova Friburgo, Dilma sobrevoou de helicóptero a região serrana do Rio de Janeiro e desceu no campo de futebol do Friburguense acompanhada de seis ministros e do governador do Rio, Sérgio Cabral. Ela visitou a Praça Getúlio Vargas, no centro de Nova Friburgo. A praça continua coberta de lama e lixo trazidos pela enxurrada.
Bolsa Família

Outra medida anunciada pela presidente é a da antecipação do pagamento do Bolsa Família e do aluguel social (beneficío que a família recebe para custear outra casa) aos moradores das cidades fluminenses atingidas pelas chuvas dos últimos dias.

”Nós vamos atender os desabrigados, os 5 mil, com algumas medidas. Uma delas é o aluguel social, a outra, estamos antecipando o Bolsa Família e o benefício da prestação continuada. Essa é uma ação específica para esse momento”, disse a presidenta.

“A prevenção não é uma questão de defesa civil apenas, mas também de municípios, Estados e Governo Federal”
Minas e São Paulo

Em Minas Gerais, 70 cidades estão em situação de emergência e foram registradas 16 mortes. De acordo com a Defesa Civil do Estado, quatro cidades decretaram situação de emergência: Guaraciaba, Inhapim, Maria da Fé e Itamonte. Em todo o estado, 15.630 pessoas tiveram que deixar suas casas e 2.295 estão em abrigos. O total de pessoas afetadas passa de 1 milhão.

Em São Paulo, a população de Franco da Rocha enfrenta seu terceiro dia de inundação. O rio que corta a cidade, o Juqueri, ainda não baixou. Os moradores temem que a Sabesp aumente o volume de água liberado pela comporta da Represa Paiva Castro. O superintendente de Sabesp, Hélio Castro, foi até o local pela manhã e negou a possibilidade.

“Queremos, na verdade, diminuir [a vazão] cada vez mais. Estamos agora com 10 metros cúbicos por segundo e a ideia é chegar a 1 metro [cúbico/segundo]. Mas isso também depende do tempo. O que não podemos é deixar que a represa suba novamente. Estamos monitorando o nível da represa, do rio e a vazão que está sendo descarregada”, disse.

Castro declarou que as chuvas intensas que caíram na região no fim da noite do dia 10 e na madrugada do dia 11 deixaram o reservatório com a capacidade máxima de armazenamento.

“A represa estava ajudando a minimizar o problema. Mas a vazão do Rio Juqueri fez com que o nível da represa, que era de 46%, subisse para 96%. Em uma situação dessas não há outra coisa a fazer a não ser descarregamento [abertura das comportas para escoar a água da represa]”. Se a água ultrapassasse o limite da barragem, as consequências poderiam ser, segundo ele, “catastróficas”.
Doações

A Caixa Econômica Federal e o Bradesco anunciaram a abertura de contas correntes para receber doações em solidariedade às vítimas das chuvas na região serrana do Rio de Janeiro.

A conta aberta pela Caixa está em nome da Defesa Civil do Rio de Janeiro. Os depósitos devem ser feitos na agência 0199, conta 2011-0 e para a operação 006. Já a conta aberta pelo Bradesco é em nome do Fundo Estadual de Assistência Social. A agência para os depósitos é a de número 6570-6 e a conta é 2011-7.

Com informações da Agência Brasil

(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.
****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/politica/2011/01/14/fuja-do-pig-o-que-a-dilma-disse-e-fez-no-rio/

Vai dar tudo errado ! É a nova palavra de ordem do PiG

17/01/2011
Do CONVERSA AFIADA
Por Paulo Henrique Amorim


Na foto, o momento exato em que um raio do PiG destrói o Tupã

A fase I do PiG (*) foi “a culpa é do Lula”.

(Em São Paulo é de Deus ou da chuva. A escolher.)

A fase II foi “a culpa é do Cabral”.

A fase III já se desenha, pelas manchetes dos portais piguentos – UOL, Estadão, Folha etc etc:

“Tudo o que a Dilma fizer vai dar errado.”

O supercomputador Tupã vai dar pau, ao ser atingido por um raio disparado pela urubóloga.

Os Governos estaduais não conseguirão montar esquemas de alerta com as prefeituras.

Os mapas das áreas de risco serão destruídos no computador por um vírus instalado por uma multinacional que produz padiolas e body-bags.

As prefeituras vão torrar o dinheiro em chafariz e estádio de futebol, especialmente as do PT, como o Satã que governa Teresópolis.

(Com exceção da de São Paulo, que, como se sabe, não alaga, especialmente na Zona Leste – leia aqui sobre a hipótese de um crime eleitoral. E onde a empresa de saneamento se especializa em inundar bairro de nordestino pobre. )

O Pão de Açúcar se transformará num vulcão e as lavas subirão o Cristo, que se lançará de cima do Corcovado.

O Minha Casa Minha Vida não vai construir mais um kitchnete/banheiro.

As turbinas de Itaipu racharam – como demonstrou a Eliane Catanhêde -, vão alagar e inundar Buenos Aires e o Rio de Janeiro.

A transposição vai afundar o rio São Francisco e inundará de Minas abaixo e devolverá o Norte Fluminense à Idade de Pedra.

Furnas entrará em colapso e vai faltar luz em todo o Sudeste – com exceção de São Paulo, onde não falta nada.

As operadoras de telefonia vão se concentrar em fazer a extra-mile da banda larga e se esquecerão de prover telefone celular para todo o estado Rio.

A Dilma nunca mais pisará no Rio.

E o Pezão vai abandonar a política para se transformar em passista da Mangueira.

O Rio acaba.

E São Paulo se separa do Brasil.

E instala a República da Daslu.


Paulo Henrique Amorim


(*) Em nenhuma democracia séria do mundo, jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político – o PiG, Partido da Imprensa Golpista.
***
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/pig/2011/01/17/vai-dar-tudo-errado-e-a-nova-palavra-de-ordem-do-pig/

Vale-tudo por audiência: BBB é criticado por banalização da violência

17/01/2011
Do blog de Rodrigo Vianna
Por Maíra Kubik Mano, no blog Viva Mulher


Boninho, tapinha vale para levantar a audiência, né?

Eu conheço uma pessoa que se inscreveu para a 11ª edição do Big Brother Brasil (BBB). Perdeu um final de semana inteiro fazendo o tal vídeo, com direito a locações diferentes e falas ensaiadas. Seu objetivo era o mesmo de todos os demais: ganhar uma bolada e, numa tacada só, ficar famosa. E quem não quer isso na sociedade do espetáculo e da hiper valorização do consumismo?

Como ela é uma amiga de longa data, eu não quis criticar sua decisão. Tentei entender, acolher, participar. Me peguei até prometendo que sim, eu iria naquela torcida da família ao lado de fora da casa quando tem alguma eliminação. “Disfarçada e o mais longe possível do Pedro Bial”, pensei. “E sem camisetinha com frase de apoio”. Amigo que é amigo vai ao BBB, né?

No fim das contas, ela não foi selecionada. E cá entre nós, sorte a dela. Para além do absurdo inicial da concepção do programa, que explora publicamente o espaço privado sem qualquer limite, essa edição promete ser ainda mais degradante para os participantes. É o que demonstra a declaração de José Bonifácio de Oliveira, o Boninho, diretor do reality show, que decidiu “liberar a pancadaria”.

Como não presto muita atenção nesse programa, fiquei sabendo do ocorrido por meio de uma nota de repúdio (abaixo) que mulheres de diferentes organizações lançaram hoje contra o BBB e seu comandante. A preocupação delas é evitar o estímulo à violência gratuita, o que me parece bastante sensato e motivo suficiente para divulgar o texto nesse blog que vos fala. No mínimo, vale o esforço e o alerta.

“A banalização e espetacularização da violência têm servido de estímulo para mais-violência na sociedade. (…) Não há qualquer sentido em ‘liberar a pancadaria’ num programa de grande audiência, sabedoras que somos do estímulo que isso representa para os jovens e adultos”, afirmam. E continuam: “exigimos a retratação imediata e pública da ‘liberação’ dada pelo diretor do programa aos componentes do mesmo, bem como sugerimos medidas preventivas, que se contraponham ao discurso proferido, entre as quais recomendamos: – a veiculação de uma campanha de não-violência (uma geral, e outra, de gênero); – uma atenção redobrada no sentido de minimizar a quantidade de cenas de violência na programação geral das emissoras de TV e, particularmente, no BBB11.”

É um pedido difícil este que elas estão fazendo. Afinal, qual seria o parâmetro para medir algo mais ou menos bizarro, violento e invasivo num programa com tal proposta? De qualquer forma, eu assino embaixo. Não custa nada tentar melhorar um pouco o maior meio de comunicação do Brasil, certo?

NOTA DE PREOCUPAÇÃO E REPÚDIO

Temos acompanhado com muita preocupação o pronunciamento de José Bonifácio de Oliveira, o Boninho, diretor do programa de reality show BBB (Big Brother Brasil), da TV Globo.

O pronunciamento do “Boninho”, antes da estréia do programa, cuja fala e repercussão anexamos, não poderia ser mais evidente – é um estímulo à violência na nova edição do BBB, em sua 11ª edição.

Provavelmente preocupado com os índices de audiência do programa e, querendo reerguê-los, Boninho explicitamente “liberou a pancadaria” nesta edição, provavelmente apostando na tradicional espetacularização da violência, receita já bastante usada pela grande mídia, sem qualquer respeito aos direitos humanos.

Acreditamos que, por ser uma concessão pública, e pela sua importância como educadora informal, pelo respeito devido aos telespectadores, cabe à televisão se pautar pelos mais altos interesses da sociedade e pela responsabilidade social que o poder que detém com a concessão lhe confere.

Não nos interessa a banalização da violência na mídia, que tem servido de estímulo para a sua reprodução na sociedade em que vivemos, numa espiral infernal que nos distancia do modelo de sociedade livre de violência na qual gostaríamos de viver.

A violência contra a mulher é um mal que queremos erradicar, pelo que temos militado há décadas. Os acordos e protocolos internacionais firmados pelo Brasil, a luta implementação da Lei Maria da Penha veio coroar os nossos esforços no sentido de tentar inibir tal violência. Seria portanto altamente prejudicial e contraditório que a mídia estimulasse a violência, tão-somente para melhorar os seus próprios índices de audiência! As mulheres querem, merecem, precisam e têm o direito de viver numa sociedade livre de violência de gênero e de qualquer forma de opressão.

Nos parece igualmente prejudicial a nossos interesses, caso a mensagem do Boninho não vise estimular a violência contra as mulheres, mas “a pancadaria” entre os homens.

A banalização e espetacularização da violência têm servido de estímulo para mais-violência na sociedade. Como mães, namoradas, filhas, companheiras, irmãs, amigas, a violência entre os homens não nos interessa. Não há qualquer sentido em “liberar a pancadaria” num programa de grande audiência, sabedoras que somos do estímulo que isso representa para os jovens e adultos.

As masculinidades não devem ser medidas pela violência e é importante ter em mente que não podemos oferecer tais modelos, para muitos jovens que se identificam com esse programa. Finalmente, dizem bem os psicólogos sobre a contribuição destas cenas na formação da subjetividade das crianças, quando não também dos adultos.

Finalmente, por se tratar de um reality show, passa como cenas da vida real, selecionada para estar na mídia. Neste contexto, essa violência, pancadaria estimulada, seria ainda mais nociva à sociedade brasileira, do que a presenciada em filmes e telenovelas, notadamente mais ficcionais.

Assim, exigimos a retratação imediata e pública da “liberação” dada pelo diretor do programa aos componentes do mesmo, bem como sugerimos medidas preventivas, que se contraponham ao discurso proferido, entre as quais recomendamos:

- a veiculação de uma campanha de não-violência (uma geral, e outra, de gênero),

- uma atenção redobrada no sentido de minimizar a quantidade de cenas de violência na programação geral das emissoras de TV e, particularmente, no BBB11.

Observatório da Mulher, Colet. de Mulheres Ana Montenegro, Campanha pela Ética na TV – SP, Themis Assessoria Jurídica e Estudos de Gênero, Articulação Popular e Sindical de Mulheres Negras/SP, Anas do Brasil – Educação Popular Ampliada, Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social, AMARC-BRASIL (Associação Mundial de Rádios Comunitárias, Fórum da Mulher Tocantinense, Jornal MULHERES, Jornal H; Palmas/Tocantins, SESEG/Amazonas, Rede Mulher e Democracia – Alagoas, Ciranda Brasil de Comunicação Compartilhada, Rede 3setor, Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher – Americana – SP, entre outras.

******
Fonte:http://www.escrevinhador.com.br/

Vitória trabalhista: Bradesco é condenado por assédio moral

17/01/2011
Do blog de Rodrigo Vianna
Por Virginia Toledo, na Rede Brasil Atual


Bradesco é condenado a pagar R$ 35 mil por assédio moral

O Banco Bradesco foi condenado a pagar R$35 mil a um ex-funcionário vítima de assédio moral. Ele conseguiu comprovar a ação por ter sofrido problemas psicológicos e atos discriminatórios pelo chefe da agência onde trabalhava. A decisão foi do Tribunal Superior do Trabalho (TST), que rejeitou o recurso apresentado pelo banco.

No entendimento do TST, o laudo técnico apresentado pelo empregado foi conclusivo no sentido de que, à época, o ex-funcionário sofreu transtornos decorrentes do tratamento discriminatório que recebia do chefe, combinado com o estresse ocasionado pela sobrecarga de trabalho a que foi submetido, apresentando quadros de depressão, com intensas ideias de suicídio. Diante disso, para o TST, ficou comprovado o assédio moral

Para o relator do caso no TST, ministro Emmanoel Pereira, é dever do empregador respeitar o empregado, zelando pela saúde mental e pela liberdade de trabalho, não devendo praticar atos que exponham o empregado a situações “humilhantes, constrangedoras, ridículas, vexatórias e discriminatórias”.

O ministro observou que a Constituição de 1988 assegura a inviolabilidade da intimidade, da vida privada, da honra e da imagem das pessoas, assim como o direito à indenização pelo dano moral decorrente de sua violação, quando comprovado o dano, a causalidade e a culpa.

Quanto ao valor da indenização, questionado pelo banco, o relator destacou que o TST, ao fixar a quantia, pautou-se pelos princípios da razoabilidade e da proporcionalidade.
***
Fonte:http://www.escrevinhador.com.br/

Marcelo Lopes: Os cavalos e o filho do empregado

17 de janeiro de 2011

Do blog de Luiz Carlos Azenha

Azenha, meu nome é Marcelo Nogueira Lopes.

Estou enviando uma matéria que passou no JN de sábado. Entrevistaram o responsável pelo Jockey e ele fala dos cavalos que morreram e por último de uma criança de 5 anos. Ficou muito estranho, pois ele lamentava a morte dos cavalos e a criança não teve tanta importância assim. Estou enviando o link também pois lá tem a entrevista que saiu no JN.

http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2011/01/quinze-cavalos-do-jockey-club-brasileiro-morrem-em-itaipava-rj.html

Quinze cavalos do Jockey Club Brasileiro morrem em Itaipava (RJ)

Muitos passaram três dias dentro da lama. Tragédia na Região Serrana do Rio atingiu também um dos mais importantes centros de treinamento de cavalos do país.

Cerca de 120 cavalos viviam em um haras, no Vale do Cuiabá, em Itaipava, distrito de Petrópolis. É o principal centro de treinamento do Jóquei Clube do Rio de Janeiro. Quinze cavalos morreram. Alguns ficaram feridos. Muitos passaram três dias dentro da lama.

“Um desespero. Você ver o cavalo morrer. Parte das cocheiras foi destruída. O cavalo foi levado água afora. Perdemos casas, empregados, perdemos o filho de 5 anos de um empregado nosso. É muita tristeza”, contou o veterinário Leopoldo Curi.

***

Fonte:http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/marcelo-lopes-os-cavalos-e-o-filho-do-empregado.html

Blog da Cidadania faz queixa ao diário espanhol ‘El País’

17/01/11
Do BLOG DA CIDADANIA
Por Eduardo Guimarães


Comunico que às 11 horas do dia 17 de janeiro de 2011 entrei em contato telefônico com a Redação do diário espanhol “El País”, em Madrid, Espanha. A ligação foi feita para o telefone (34) 91 337 82 00. Após informar o assunto, a chamada foi transferida para o senhor Juan Carlos Sans, “jefe de la sección de internacional”.

O jornalista pareceu surpreso e um tanto quanto preocupado, sobretudo ao ouvir o teor da queixa que fiz em nome dos leitores deste blog. Formal e cortês, ouviu atentamente a minha argumentação – feita em bom espanhol, posso garantir.

Disse a ele que dói a milhares de brasileiros leitores deste blog – e, por conta do sentimento da sociedade brasileira, a dezenas de milhões de seus compatriotas – a artimanha da Globo para começar a guerra que, a exemplo da que fez contra o presidente Lula, deve começar a travar contra a sua sucessora.

Expliquei o que é a Globo, do ponto de vista de milhões de brasileiros, e que é inaceitável a conclusão que tirou o correspondente do El País no Brasil, Juan Arias – sediado no Rio de Janeiro –, de matéria da emissora carioca sobre a primeira reunião da presidente Dilma Rousseff com seu ministério, na semana passada.

Como todos sabem, a Globo fez o que o jornalista Luis Nassif chamou de “pegadinha”, ao induzir o público a crer que a presidente da República e seus ministros debocharam da tragédia nas serras fluminenses, com suas centenas de mortos em meio à mais dolorosa devastação.

Adotando um tom menos “seco”, o senhor Sans se prontificou a me dar dados para contatos com o “director de El País”, senhor Javier Moreno, com o “corresponsal” Juan Arias e com a “Ombudswoman”, ou “defensora del lector”, senhora Milagros Perez Olivar.

Pretendo ir até o fim dessa história, cobrando do El País postura responsável e ética em relação a uma conclusão do “corresponsal” Juan Arias sobre mera insinuação que fez a Globo para desmoralizar o novo governo, pois sua “leitura” daquela matéria comprova o que tantos, aqui no Brasil, concluíram.

Convido, pois, o leitor a dizer o que julga importante relatar ou considerar às instâncias às quais este blog se dirigirá, lembrando que a serenidade e a cortesia produzem melhores chances de se estabelecer uma discussão séria, em vez de mero bate-boca, pois só queremos que o El País diga a verdade ao mundo.
****
Fonte:http://www.blogcidadania.com.br/2011/01/blog-da-cidadania-faz-queixa-ao-diario-espanhol-%E2%80%98el-pais%E2%80%99/

Mobilidade será ampliada

18.01.2011
Da FOLHA DE PERNAMBUCO


NO CAPITÃO TEMUDO, fluxo de veículos passará para 40 mil/dia

A mobilidade urbana terá bons ganhos este ano com a conclusão das obras de duplicação do Viaduto Capitão Temudo. Ele passará a ter quatro faixas de rolamento nos dois sentidos, ampliando sua largura dos atuais 14 me­tros para 28 metros. Isso permitirá uma ampliação do fluxo de veículos no sentido zona sul da cidade, de cerca de 20 mil para 40 mil/veí­cu­los dia, de acordo com es­ti­mativas da CTTU. A ligação do viaduto à ponte João Paulo II também será duplicada. Duas alças irão ligar o viaduto à Rua Imperial, no bairro de São José, o que facilitará o acesso ao centro da cidade e ao bairro de Afogados.

Outra grande ação estruturadora que vai melhorar a mobilidade para os bairros da região sul do Recife é a construção do viário da Via Mangue. Esta primeira via expressa da capital pernambucana está com o processo licitatório já em andamento e tem previsão de início de obra até junho de 2011. O viário com 4,75 quilômetros ligará a Ponte do Pina à Rua Antônio Falcão, em Boa Viagem, e terá como velocidade máxima permitida 60km/h. Faixas de rolamento para veículos, calçadas para pedestres e ciclovia integram o projeto da via, que também não possuirá semáforos ou cruzamentos de tráfego.

Cinco comunidades de palafitas localizadas às margens do manguezal do Pina e Boa Viagem estão sendo relocadas para três conjuntos habitacionais. O primeiro deles foi entregue este ano no bairro da Imbiribeira para onde foram deslocadas 352 famílias das comunidades de Xuxa e Deus nos Acuda (parte). Outros dois conjuntos com 640 unidades já estão em construção no Pina e têm previsão de término este ano. Além disso, uma área de 221 hectares receberá ações de saneamento integrado com a implantação de rede de saneamento, estações elevatórias e emissários de esgoto.

Segundo o prefeito João da Costa, a duplicação do Capitão Temudo e a Via Mangue são ações que ajudarão a preparar o Recife para a Copa do Mundo de 2014. “Estas duas ações auxiliarão na melhoria do deslocamento da população no sentido zona sul da cidade, onde hoje há grandes investimentos sendo realizados e a localização de diversos hotéis que deverão estar lotados durante a Copa do Mun­do. Além da diminuição do tempo do percurso, nós viabilizaremos a criação da primeira via expressa da cidade e de um corredor exclusivo de ônibus, obra que será executada pelo Governo do Estado na Avenida Domingos Ferreira”, ressalta.
****
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-grande-recife/615053?task=view

ORIENTE MÉDIO: Tunísia anuncia formação de governo de unidade nacional

17.01.2011
Da BBC BRASIL


Premiê anunciou governo interino de unidade nacional

O primeiro-ministro da Tunísia, Mohammed Ghannouchi, anunciou nesta segunda-feira a formação de um governo interino de unidade nacional, dias depois de uma revolta popular ter forçado a renúncia do presidente Zine Al-Abidine Ben Ali.

O governo será liderado pelo próprio premiê, que deve preparar o país norte-africano para novas eleições.

A oposição deve ficar com os Ministérios de Educação Superior, Desenvolvimento Regional e Saúde. Apesar dos protestos contra o governo de Ben Ali, seis dos seus ministros permanecerão nos seus cargos – inclusive os das pastas de Finanças, Relações Exteriores e Interior.

O premiê também anunciou que o ministério da Informação seria abolido e que todos os prisioneiros políticos seriam libertados.

Ben Ali renunciou na sexta-feira, em meio a uma onda de protestos contra o governo que vinham ocorrendo desde dezembro. O chefe do Parlamento, Foued Mebazzaa, foi oficializado como presidente interino no sábado.

Correspondentes dizem que não está claro se a inclusão de políticos que já ocupavam posições de destaque será aceita pelos manifestantes.

Violência

O anúncio ocorreu horas depois de novos episódios de violência, entre soldados do Exército e milícias leais a Ben Ali, terem sido reportados na capital, Túnis.

A capital do país vivem momentos de violência na segunda-feira

Segundo Wyre Davies, correspondente da BBC na cidade, foram ouvidos intensos tiroteios durante a noite.

Moradores relataram confrontos nos arredores do palácio presidencial, ao norte de Túnis. Também foram verificados tiroteios em frente ao Ministério do Interior e à residência presidencial.

Os confrontos se intensificaram no domingo depois da prisão do ex-chefe da segurança do presidente, Ali Seriati, acusado de estimular a violência no país.

Soldados em tanques estão patrulhando a capital tunisiana e outras cidades para tentar restaurar a ordem. O estado de emergência continua em vigor e começaram faltar produtos básicos nas lojas e em postos de combustíveis.

Leia mais: Exército e milícias leais a ex-presidente entram em confronto na Tunísia

Crise

Segundo a atual Constituição tunisiana, a nova eleição presidencial deve acontecer dentro de 60 dias.

Os protestos começaram no último mês motivados pela insatisfação com o alto desemprego, o aumento no preço dos alimentos e a corrupção.

Dezenas foram mortos em choques entre manifestantes e a polícia.

Ben Ali, que foi presidente da Tunísia por 23 anos, viajou na sexta-feira para a Arábia Saudita, depois de renunciar ao cargo.

Leia mais: Entenda a crise na Tunísia
****
Fonte:http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2011/01/110117_tunisia_govunidade_va_pai.shtml

Miséria está no caminho diário de Dilma Rousseff

18.01.2011
Da FOLHA DE PERNAMBUCO


Presidente vê os acampamentos de catadores de lixo, no trajeto

PROMESSA da petista é erradicar a pobreza extrema, durante o seu mandato

BRASÍLIA (Folhapress) - No caminho que a presidente Dilma Rousseff faz cotidianamente de sua residência atual em Brasília até o local de trabalho, ela encontra uma realidade que se enquadra em suas promessas de campanha: erradicar a miséria e investir em educação. Famílias com renda salarial baixíssima vivem em acampamentos de catadores de lixo nas margens do trajeto de Dilma entre a Granja do Torto e o Palácio do Planalto, ou escondidos no mato a poucos metros da pista.

Caso de Jéssica Pereira dos Santos, 18, que na quarta-feira passada aguardava no IML a liberação do corpo de seu filho de cinco meses. Pedro Henrique teve diagnóstico de pneumonia em 2010 e virou o ano com tosse. Morreu no dia 8 a poucos metros da praça dos Três Poderes, onde fica o Palácio do Planalto, sob a suspeita de ter se sufocado após regurgitar. O laudo do IML deve atestar a causa exata.

“Mãe, coloca a meia no pé dele. Se ficar grande, dobra’’. Essa foi a instrução que Jéssica deu à mãe na porta do IML. O corpo do menino ficou cinco horas no barraco, com a mãe em desespero, até a chegada da perícia.

A esperança de Jéssica, agora, é dar um futuro melhor para a filha de 2 anos, irmã de Pedro Henrique. Quer que Ana Clara estude, o que ela própria não fez. “A gente tira R$ 100 por mês. Para mim, meu padrasto, minha mãe, minha filha e meu finado filho’’, diz Jéssica. Aos 18 anos, não sabe ler nem escrever. O único trabalho que já teve foi catar lixo.

Outro Pedro Henrique mora num barraco vizinho ao do menino morto. Aos sete meses, passa os dias sem roupa e brincando numa caixa que serve de cercadinho. Não tem brinquedos nem vai à creche. A irmã, Beatriz, 10, não tem bonecas em casa. Os dois ou brincam no mato ou dormem, já que não há outra opção por perto. Nem TV, nem parque. Beatriz sabe ler e escrever. Frequenta uma escola pública num bairro nobre da cidade e volta de ônibus comum, tendo que atravessar diariamente as seis faixas de pista por onde passa o comboio presidencial a 150 km/h.

Com o que a família ganha - algo na faixa de R$ 350 mensais -, Beatriz e Pedro Henrique conseguem almoçar arroz, feijão e, eventualmente, carne. De manhã, o cardápio é pão e manteiga, acompanhados de mortadela e leite quando é possível. Os irmãos se inscrevem na faixa da pobreza, com renda per capita menor que R$ 140 ao mês, segundo critérios do Bolsa Família. Já Jéssica e sua família podem ser classificadas como indigentes, com até R$ 70 mensais.

Carlos Roberto dos Reis, 42, tem certeza de que a presidente notou a existência dos catadores em seu caminho. “Ela passa do meu lado todo dia.’’. E aproveita para mandar um recado. “Fale para a dona Dilma cumprir a promessa que fez, porque votei nela por causa do Lula’’, apelou. A face mais visível da miséria no caminho diário da presidente tem data para acabar. Dilma mora provisoriamente no Torto enquanto o Palácio da Alvorada, residência oficial, é preparado para recebê-la, o que deve ocorrer até fevereiro.
****
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/615076-miseria-esta-no-caminho-diario-de-dilma-rousseff

Funcionários públicos do Estado começam a abrir conta no Bradesco

17.01.2011

Do BLOG DE JAMILDO




Do JC Online

Em novembro de 2010, o Banco Bradesco venceu a licitação para assumir a folha de pagamento dos servidores do Governo de Pernambuco, em substituição ao Santander. Por isso, a partir desta segunda-feira (17), cerca de 215 mil funcionários públicos devem começar a se dirigir aos pontos de atendimento para abrir nova conta corrente. Destes, 80 mil - servidores do Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes e Paulista - vão ser atendidos no Centro de Convenções, Av. Prof. Andrade Bezerra, s/n, Olinda. As cidades de Petrolina, Caruaru e Garanhuns também vão receber centrais de atendimento. Confira o calendário de cadastramentos.

Segundo Ricardo Dantas, secretário de Administração, esta é "a maior operação de abertura de contas já vista neste País para esse curto espaço de tempo". E é bom ficar atento: "se ele (funcionário) não abrir a sua conta, o dinheiro não vai poder ser depositado, por isso reforçamos a necessidade de comparecer e realizar o cadastramento". O governo afirma que os retardatários vão poder abrir a conta em outros dias, mas ressalta a importância de se respeitar o calendário para não ocorrerem filas e complicações.

» VEJA VÍDEO DA ENTREVISTA

Aqueles impossibilitados de se locomover ao local de cadastramento podem solicitar atendimento em casa, pela central telefônica. O número é 0800 882 0202. Os demais devem levar CPF, RG (originais e cópias) e um comprovante de residência.

Flávio Figueiredo, secretário executivo de Administração do Estado, assegurou que os funcionários não vão perder as vantagens que possuiam na instituição anterior, como conta corrente sem taxa de manutenção e até cinco transferências sem cobrança por mês.

Para obter o direito de operar o salário dos servidores pelos próximos cinco anos, o Bradesco ofereceu R$ 700 milhões no pregão realizado pelo governo. "Em todo o Estado temos equipes trabalhando para identificar os servidores e efetuar a abertura das contas", afirmou Ademir Consiello, diretor executivo do Bradesco. O cliente tem a liberdade de transferir o montante do pagamento para outra instituição, sem cobrança de taxas.

***

Fonte:http://jc3.uol.com.br/blogs/blogjamildo/canais/noticias/2011/01/17/funcionarios_publicos_do_estado_comecam_a_abrir_conta_no_bradesco_89401.php