quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Oito ministérios vão atuar no 'PAC da miséria'

06.01.2011
Do JC ON LINE

O programa de erradicação da extrema pobreza, discutido nesta quinta-feira (6) pela presidente Dilma Rousseff e ministros, terá como modelo de gestão o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), com prestação de contas anuais e um comitê gestor formado por oito ministérios: Desenvolvimento Social, Planejamento, Fazenda, Casa Civil, Educação, Saúde, Trabalho e Desenvolvimento Agrário.

O programa, segundo a ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, vai atuar em três frentes: inclusão produtiva, ampliação da rede de serviços sociais do governo e a continuação da ampliação da rede de benefícios. Além disso, de acordo com a ministra, o governo trabalha na definição de uma linha de pobreza para identificar quem será beneficiado pelo programa.

A ex-secretária executiva do Ministério do Desenvolvimento Social Ana Fonseca, responsável pelo programa Bolsa Família no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, será responsável agora pelo programa de erradicação da extrema pobreza.

Fonte: Agência Estado
****
Fonte:http://jc.uol.com.br/canal/cotidiano/politica/noticia/2011/01/06/oito-ministerios-vao-atuar-no-pac-da-miseria-251511.php

Polícia Civil descobre desmanche de carros de luxo no Janga

06.01.2011
Do JC Online
Com informações de Cidades/JC

A Polícia Civil localizou, nesta quinta-feira (6), uma casa que servia como desmanche de carros de luxo no bairro do Janga, Paulista, Região Metropolitana do Recife. Após receberem três ligações através do Disque-Denúncia, a polícia chegou à casa nesta manhã, mas foi impedida de entrar pelo morador do local e ex-presidente do Íbis, Ozir José Vieira Ramos. Como não portavam um mandado de busca e apreensão, os policiais tiveram que respeitar a vontade de Ozir José, que passou a ser considerado suspeito. À tarde, já com a autorização judicial, voltaram e entraram no imóvel, mas ninguém foi encontrado.

No local, foram achadas diversas partes de carros de luxo, como portas, motores e bancos. O material foi apreendido e enviado para perícia pelo Instituto de Criminalística. Já se sabe, entretanto, que um dos pedaços encontrados faz parte de um carro roubado, por conta do número do chassi do veículo. Caso confirmado seu envolvimento no caso, o suspeito será indiciado por receptação de elemento roubado e adulteração de sinal identificador veicular. A Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos, ligado ao Departamento de Investigação de Crime Contra o Patrimônio, investiga o caso e tem 30 dias para concluir o inquérito.
****
Fonte:http://jc.uol.com.br/canal/cotidiano/grande-recife/noticia/2011/01/06/policia-civil-descobre-desmanche-de-carros-de-luxo-no-janga-251536.php

Em troca de apoio, PDT pressiona PT a elevar o mínimo

06.01.2011
Do BLOG DA FOLHA e Portal R7

O presidente do PDT de São Paulo, deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, informou que protocolou na quarta-feira (5), na Câmara dos Deputados, proposta de elevação do salário mínimo para R$ 580. A iniciativa surge em um momento em que se discute medida provisória editada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) que fixa o mínimo em R$ 540.

A intenção do PDT, de acordo com lideranças da sigla, é forçar o governo federal a revisar o valor para cima, em troca do apoio da legenda à reeleição do atual presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS). Na manhã de hoje, a questão foi tratada em reunião, promovida na capital paulista, entre parlamentares do PT e PDT. Além da elevação do mínimo, os pedetistas apresentaram como condição de apoio a indicação de postos na máquina federal e maior espaço na Câmara.

Paulinho afirmou que, durante a reunião, pediu que Maia negocie uma reunião entre centrais sindicais e a presidente Dilma. O deputado acrescentou que outra reivindicação do partido é a presidência da CTASP (Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público), que na legislatura passada era liderada pelo PTB.

O PDT apresentou ainda a intenção de indicar as presidências de Itaipu e Eletrosul, que passariam para o comando do senador Osmar Dias (PDT-PR) e do deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT-MS), respectivamente. O encontro de hoje, que teve a presença de apenas nove dos 28 deputados federais eleitos pelo PDT, frustrou a expectativa de petistas e pedetistas, que irão retomar as negociações na próxima semana.

O esforço concentrado do PT tem como objetivo evitar que a ameaça de rebelião do PMDB, que exige maior participação no governo da presidente Dilma, respingue na sucessão da Câmara do Deputados, minando a intenção de Maia prosseguir no comando da Casa. Os peemedebistas já sinalizaram que podem apoiar os nomes de Sandro Mabel (PR-GO) e Aldo Rebello (PCdoB-SP), o que levou o PT a articular um leque de apoios para evitar o fortalecimento de novas candidaturas. Ontem, lideranças do PT se reuniram em São Paulo com membros do PR e hoje, durante a tarde, se encontram com parlamentares do PSDB.
****
Fonte:http://www.blogdafolha.com.br/index.php/materias/16007-em-troca-de-apoio-pdt-pressiona-pt-a-elevar-o-minimo

Sisu divulga dia 22 lista de aprovados em 1ª chamada

06.01.2011
Do MSN NOTÍCIAS, estadao.com.br

As inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do primeiro semestre de 2011começam no próximo dia 16, às 6h. De acordo com edital publicado no Diário Oficial da União (DOU), a lista dos aprovados em primeira chamada será divulgada em 22 de janeiro e todo o processo será concluído até 10 de fevereiro.

Os estudantes já podem acessar o site do Sisu para consultar quais são as instituições e cursos participantes desta edição.

Criado pelo Ministério da Educação (MEC) em 2009, o sistema unifica a oferta de vagas em instituições públicas de ensino superior. Os estudantes são selecionados a partir da nota obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em três chamadas subsequentes. Nesta edição, serão 83.125 vagas em 83 instituições, sendo 39 universidades federais. Pode participar do processo de seleção quem fez o Enem 2010.

De 16 a 18 de janeiro, os candidatos devem acessar o Sisu e escolher duas opções de curso, elegendo a sua prioridade. Nesse período, ao final de cada dia, o sistema divulga a nota de corte para cada graduação. O estudante pode mudar a sua opção caso avalie que tem mais chance de ser aprovado em outra instituição ou em outro curso. Cada alteração invalida a opção feita anteriormente.

No dia 22 de janeiro, serão divulgados os resultados da primeira chamada. O candidato selecionado para sua primeira opção é automaticamente retirado do sistema e, caso não faça a matrícula, prevista para o período de 25 a 27 de janeiro, perde a vaga. Aqueles que forem selecionados para a segunda opção de curso ou não atingirem a nota mínima em nenhuma das graduações escolhidas permanecem no sistema e podem ser aprovados nas chamadas subsequentes. Não é necessário fazer uma nova inscrição.

O resultado da segunda chamada será divulgado no dia 1° de janeiro, com previsão de matrícula dos alunos nas respectivas instituições para as quais foram selecionados nos dias 3 e 4 de fevereiro. No dia 10 de fevereiro, sai a terceira e última chamada, encerrando o Sisu do 1° semestre de 2011. Os aprovados nesta etapa devem matricular-se de 11 a 14 de fevereiro.

Após as três chamadas, o candidato que ainda não foi selecionado pode optar por participar de uma lista de espera que será gerada pelo sistema com base nas notas do Enem. Essa relação poderá ser utilizada pelas instituições a partir de 18 de fevereiro caso ainda haja vagas não preenchidas.
****
Fonte:http://estadao.br.msn.com/educacao/artigo.aspx?cp-documentid=27138063

MEC divulga municípios selecionados para construção de 520 creches

06.01.2011
Do MSN NOTÍCIAS, estadao.com.br

O Ministério da Educação já selecionou os primeiros municípios que receberão recursos para construção de creches e quadras poliesportivas por meio da segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento, o PAC 2. Nesse primeiro grupo, 223 municípios receberão verba para construção de 520 creches e 98 cidades para 213 quadras poliesportivas.

A construção de 1,5 mil centros de educação infantil ao ano foi uma das plataformas de campanha da presidente Dilma Roussef. Atualmente, apenas 20% das crianças de 0 a 3 anos têm acesso a creches no país. Essa primeira lista de contemplados inclui municípios com mais de 50 mil habitantes e localizados em regiões metropolitanas. São Paulo é o estado com o maior número de projetos atendidos: 103 creches. Em seguida, aparecem Rio de Janeiro (59), Rio Grande do Sul (55) e Minas Gerais (51).

O Rio de Janeiro foi o município com mais projetos selecionados: receberá verba para construir 30 creches. De acordo com o coordenador-geral de Infraestrutura Educacional do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Tiago Radunz, a seleção é feita com base no número de projetos inscritos e na demanda por vagas em creches que há naquela região.

'O Sul e o Sudeste concentram os municípios de maior porte. Por isso, tiveram mais projetos selecionados. Mas no grupo 3 do PAC [formado por cidades de menor porte], que está sendo analisado, há uma quantidade muito grande de municípios inscritos', explica Radunz. Segundo ele, há previsão de que mais duas listas sejam divulgadas até o final de abril. A meta é fechar 2011 com 1,5 mil creches.

De acordo Radunz , a inclusão das creches e quadras esportivas no PAC 2 facilitou a liberação dos recursos do governo federal para as prefeituras. Antes, esse repasse era feito pelo Programa Nacional de Reestruturação e Aparelhagem da Rede Escolar Pública de Educação Infantil (Proinfância) por meio convênios. Havia uma queixa por parte dos prefeitos da quantidade de documentos e pré-requisitos que precisavam ser atendidos para receber a verba. Nessa nova etapa, os projetos são viabilizados a partir de termos de compromisso.

'É menos burocracia [pelo PAC 2]. Na modalidade de convênio pode haver contingenciamento orçamentário. Os prazos para que as prefeituras regularizem a documentação é dado ao longo do processo [pelo PAC 2 ]. Mas alguns critérios técnicos e de segurança precisam ser seguidos', explica Radunz.

A partir da divulgação da lista dos contemplados, começa o processo de assinatura dos termos de compromisso e posterior repasse. O MEC disponibiliza para as prefeituras dois tipos de projeto de creche formulados a partir de critérios técnicos necessários para atender o público de 0 a 3 anos. Segundo Radunz, o total de recursos ainda que será liberado ainda está sendo definido com o Ministério do Planejamento.
****
Fonte:http://estadao.br.msn.com/educacao/artigo.aspx?cp-documentid=27138279

MUSA DO PLANALTO: Veja o que disse Marcela Temer sobre Dilma durante a campanha

06.01.2011
Do BLOG DA FOLHA


****
Fonte:http://www.blogdafolha.com.br/index.php/materias/16004-veja-o-que-disse-marcela-temer-sobre-dilma-durante-a-campanha




Vendas de veículos batem recordes

06.11.2011
Do BLOG DE JAMILDO
No Jornal do Commercio

As vendas de veículos novos bateram recorde no ano passado, totalizando 3.515.120 unidades comercializadas – um aumento de 11,91% em comparação a 2009. O mesmo aconteceu com o mercado automotivo em dezembro, que também foi recorde histórico. Ao todo, mo último mês de 2010 foram emplacados 381.498 veículos novos no País, 30,20% a mais que em dezembro de 2009. Os dados fazem parte de relatório mensal, divulgado ontem, pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). Os dados incluem automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus.

A Fiat, que na semana passada anunciou a implantação de uma fábrica em Suape, encerrou o ano de 2010 como líder de vendas no mercado brasileiro. A empresa vendeu 760.474 unidades de automóveis no ano, o que representa 22,84% do mercado. A Volkswagen aparece em segundo lugar, com 697.342 unidades e 20,95% de participação de mercado, seguida pela General Motors, com 19,75%. A Ford, com 10,10% das vendas, e a Renault, com 4,82%, aparecem na sequência.

As montadoras italiana e alemã, que estão no topo do ranking, perderam participação no mercado doméstico, já que terminaram o ano de 2009 com 24,49% e 22,74%, respectivamente. As norte-americanas GM e Ford mantiveram suas fatias.

PREVISÕES Itálico

As vendas no setor automotivo brasileiro devem cair cerca de 30% este mês em relação a dezembro de 2010, segundo avaliação do presidente da Fenabrave, Sérgio Reze.

De acordo com o dirigente, o recorde histórico de vendas registrado em dezembro ocorreu devido à disputa das montadoras por participação de mercado. “As montadoras forçaram as concessionárias a emplacarem veículos antes de eles serem vendidos. Não há uma explicação econômica para o recorde de vendas em dezembro”, afirmou.

Ainda segundo Reze, as medidas de restrição aos financiamentos com prazos maiores que 24 meses adotadas pelo Banco Central ainda não perturbaram o mercado. Para ele, no entanto, essas medidas poderão reduzir as vendas de veículos ao longo deste ano.
****
Fonte:http://jc3.uol.com.br/blogs/blogjamildo/canais/noticias/2011/01/06/vendas_de_veiculos_batem_recordes_88397.php

Rodrigo Vianna: Os números da Globo, lenta decadência

05/01/2011
Do blog de Luiz Carlos Azenha
Por Rodrigo Vianna, no Escrevinhador

Altamiro Borges, aqui, e Paulo Henrique Amorim, aqui, destacam fatos que demonstram a decadência da TV Globo.

O texto de Miro mostra que o Faustão – em crise de audiência (e de faturamento?) – demitiu a banda de músicos. E que o “Fantástico” enfrenta a pior crise de sua longa história. O Paulo Henrique relata como a audiência do “JN” encolheu em dez anos: o jornal apresentado por Bonner perdeu um de cada quatro telespectadores de 2000 para 2010 – são números oficiais do IBOPE.

São fatos. Não é bom brigar com eles. Mas é bom analisar esse proceso com cautela.

Quando entrei na TV Globo, em 95, o “JN” dava quase 50 pontos de audiência. Era massacrante. O “Globo Repórter” dava perto de 40 pontos.

Em 2005/2006, quando eu estava prestes a sair da emissora, o “JN” já tinha caído pra casa dos 36 ou 37 pontos (havia dias em que o jornal local conseguia mais audiência do que o principal jornal da casa) e o “Globo Repórter” se segurava em torno de 30 ou 32 pontos (programa que desse menos de 30 abria crise, era preciso sustentar a marca dos 30).

Esse tempo ficou pra trás. O “JN” já caiu pra menos de 30 pontos. E o Globo Repórter hoje patina em 24 ou 25 – dizem-me.

O “Jornal da Record” dobrou de audiência. Em São Paulo chega a 10 pontos, em outros Estados passa dos 12 ou 13. Nas manhãs, a Globo e a Record (com o SBT um pouco atrás) brigam pau a pau. E a Record vence em muitos horários matutinos, há meses. Aos domingos, a Globo também sofre. A grande jóia da coroa da emissora carioca é o horário nobre durante a semana: novelas+ JN. Nesse caso, os números revelam que o domínio da Globo se reduz, ainda que de forma lenta.

Muita gente espera o dia em que a Globo vai passar por uma hecatombe e deixará de ser a Globo. Acredito que isso não vai acontecer: a queda será lenta, negociada, chorada…

A Globo poderia ter quebrado ali pelo ano 2000. No primeiro governo FHC, Marluce (então diretora geral) tivera duas idéias “brilhantes”: tomar dinheiro emprestado, em dólar, para capitalizar a empresa de TV a cabo do grupo; e centralizar as operações numa “holding”. Ela acreditou nas previsões do Gustavo Franco e da Miriam Leitão, de que o Real valeria um dólar para todo o sempre! Passada a reeleição de FHC, em 98, o Brasil quebrou, veio a crise cambial e a Globo ficou pendurada numa dívida em dólar que (de uma semana pra outra) triplicou.

A dívida era da TV a cabo mas, como Marluce e os geniais irmãos Marinho tinham centralizado as operações na holding, contaminou todo o grupo. A Globo entrou em “default”. Quebrou tecnicamente. Poderia ter virado uma Varig. Mas conseguiu (sabe-se lá com quais acordos e pressões políticas) equalizar a dívida.

Quando saiu da crise, em meados do primeiro mandato de Lula, a Globo (o jornalismo) estava já sob os auspícios de Ali Kamel – o Ratzinger. Ele conduziu a empresa para a direita: contra as cotas nas universidades, contras as políticas de combate ao racismo (“Não somos racistas”, diz), contra o Bolsa-Família. O grande público não percebe isso de forma racional. Mas (mesmo que de forma despolitizada) sente que a Globo ficou contra todos os avanços sociais dos últimos 8 anos. Lentamente, foi-se criando uma antipatia no público. Ouve-se por aí: a Globo não fica do lado do povão.

Não é à toa que um fenômeno novo surge nas grandes cidades, como São Paulo. Nas padarias, restaurantes populares, pontos de táxi, era comum ver televisores ligados sempre na Globo. Isso há 7 ou 8 anos. Acabou. De manhã, especialmente, a programação da Record e do SBT (e às vezes também dos canais a cabo) entra nas padarias, ocupa os lugares públicos.

Essa é uma mudança simbólica.

Mas é bom não brigar com outro fato: boa parte do público segue a ter admiração e carinho pela progamação da Globo. E há motivos pra isso, entre eles a qualidade técnica. A iluminação, a textura da imagem, o cuidado com o bom acabamento. Tudo isso a Globo conseguiu manter – apesar de muitos tropeços aqui e ali.

Fora isso, apesar de toda crítica que façamos (e eu aqui faço muito) ao jornalismo global, é bom não esquecer que na TV da família Marinho há sim ótimos profissionais, gente séria que tenta (e muitas vezes consegue) fazer bom jornalismo.

Esse capital – qualidade técnica – a turma do Jardim Botânico tem conseguido manter. O que não ajuda: a política editorial, adotada por exemplo durante a posse de Dilma. Ironias desmedidas, falta de compreensão do momento histórico e uma arrogância de quem se acha no direito de “ensinar” como Dilma deve governar. A seguir nessa toada, a decadência será mais rápida…

E o que mais pode entornar o caldo por lá? Grana.

A Globo tem custos altíssimos de produção. Quem conhece de perto o Projac diz que aquilo é uma fábrica de boas novelas e minisséries, mas também uma fábrica de desperdício. Empresa familiar, que cresceu demais. Cada naco dominado por um diretor, como se fosse um feudo. Até hoje a Globo conseguiu manter essa estrutura porque ficava com uma porção gigante das verbas públicas de publicidade (isso mudou com Lula/Franklin) e com uma porção enorme da publicidade privada: o BV – bônus em que a agência é “premiada” pela Globo se concentrar seus anúncios na emissora – explica em parte essa “mágica”; outra explicação é que a Globo detem (detinha!?) de fato fatia avassaladora da audiência.

Com menos audiência, as agências (ou as empresas anunciantes, através das agências) podem pressionar para que o valor dos anúncios caia. Se isso acontecer, a Globo vai virar um elefante branco. Impossível manter aquela estrutura verticalizada se a grana encurtar.

Qual o limite que a Globo suporta? Difícil saber. Mas dispensa da banda do Faustão é um indicador de que a água pode estar subindo rápido.

Outro problema sério: o risco de perder a transmissão do futebol, ou de ter que pagar caro demais para mantê-lo.

Para terminar de ler este artigo do excelente Escrevinhador, acesse:http://www.rodrigovianna.com.br/
****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/rodrigo-vianna-os-numeros-da-globo-lenta-decadencia.html

ALCA: Quem remou em defesa de Washington

06.01.2011
Do blog de Luiz Carlos Azenha
RICARDO BALTHAZAR, na Folha de S. Paulo
DE SÃO PAULO


Estratégia do Itamaraty foi atacada em contatos com os EUA, mostram telegramas Wikileaks

Críticos da estratégia comercial adotada pelo Ministério das Relações Exteriores após a chegada do PT ao poder expressaram com frequência sua insatisfação em contatos com funcionários americanos, contribuindo para minar a credibilidade dos negociadores brasileiros.

Até diplomatas contrariados com as orientações recebidas da cúpula do Itamaraty expuseram suas divergências aos americanos, conforme telegramas diplomáticos dos Estados Unidos obtidos pela organização WikiLeaks.

Os documentos iluminam os bastidores das negociações da Alca (Área de Livre Comércio das Américas), ambicioso projeto lançado pelos EUA em 1994 e que naufragou uma década mais tarde.

Em maio de 2003, quando o embaixador Clodoaldo Hugueney foi afastado do comando das negociações, um dos seus assessores atribuiu a mudança à opinião favorável que o chefe tinha da Alca e criticou seus superiores.

Em outubro do mesmo ano, um funcionário do Ministério da Agricultura disse aos americanos que os negociadores do Itamaraty eram “paranoicos” e “mentiam” nos relatos feitos ao então presidente Lula sobre as negociações.

Os informes são parte do pacote de milhares de despachos diplomáticos que o WikiLeaks começou a divulgar em novembro. A Folha e outras seis publicações têm acesso ao material antes da divulgação no site da organização (www.wikileaks.ch).

Defensores da Alca acenaram aos EUA com a possibilidade de reativar as negociações em 2005, quando o então ministro da Fazenda, Antônio Palocci Filho, aproveitou um encontro do presidente Lula com o secretário do Tesouro dos EUA, John Snow, para debater a ideia.

Segundo os americanos, Palocci “se ofereceu para liderar um esforço para dar novo impulso às negociações” e levar o Itamaraty a “uma postura mais proativa”. Mas Lula simplesmente “desconversou”, indicando que não tinha interesse no assunto.

Colaborou FERNANDO RODRIGUES, de Brasília
****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/alca-quem-remou-em-defesa-de-washington.html

TRANSMISSÃO: Garibaldi destaca avanços da Previdência Social nos últimos anos

03.06.2011
Do MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL


Na transmissão do cargo, ministro diz que comandar a pasta será um dos maiores desafios de sua trajetória política

Da Redação (Brasília) – Ao assumir o cargo na tarde desta segunda-feira (3), o ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves, disse que comandar a estrutura da Previdência brasileira será um dos maiores desafios de sua trajetória política. “Confesso que a tarefa que hoje assumo se configura como uma das mais árduas de minha vida. Árdua pela sua magnitude e por seu objetivo precípuo, que é o bem estar e a segurança da população idosa”, declarou.

O vice-presidente da República, Michel Temer; prestigiou a transmissão de cargo do ministro Garibaldi. Também estiveram presentes os ministros Edison Lobão (Minas e Energia), Wagner Rossi (Agricultura), Raimundo Carneiro (Tribunal de Contas da União); os senadores Fernando Collor e Valdir Raupp e o deputado federal Henrique Eduardo Alves.

Ao falar sobre o aumento da expectativa de vida dos brasileiros – hoje em 73,2 anos, segundo dados do IBGE –, Garibaldi Alves destacou a urgente inclusão de todos os idosos na cobertura previdenciária. “É preciso impor, ainda, a meta para incluir no Regime Geral da Previdência Social parcela significativa da população economicamente ativa, que continua de fora, principalmente os trabalhadores do mercado informal”, complementou.

Garibaldi defendeu ainda que a discussão sobre a reforma da Previdência seja feita de forma planejada e articulada. “As questões impõem intrincados desafios, como o de buscar equilíbrio entre tempo de contribuição e tempo de recebimento, desafios inerentes ao fator previdenciário”, disse.

O ministro afirmou estar consciente de que é preciso estreitar os controles e medidas de combate à sonegação e às fraudes, além de reforçar e consolidar os programas de resgate dos créditos do INSS junto às empresas e instituições devedoras. “Não podemos e não devemos fechar os olhos aos buracos negros por onde se esvaem grandes parcelas de recursos do sistema previdenciário. Urge, portanto, manter o equilíbrio das contas do INSS”.

Ao encerrar sua fala, Garibaldi Alves destacou a importância da Previdência Social no sucesso econômico do país e disse que este é um fato de orgulho para o próprio ministro. “A Previdência constitui o maior fator de estabilidade econômica para o país. No conjunto das políticas públicas, é o mais abrangente programa de distribuição de renda”, completou.

O ministro Garibaldi Alves assume o posto de Carlos Eduardo Gabas, que voltará à Secretaria Executiva do MPS, cargo que ocupou entre agosto de 2005 e abril de 2010, quando foi nomeado ministro.

Currículo - Garibaldi Filho se formou em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e também atua como jornalista. Em 1966, assumiu a chefia da Casa Civil da prefeitura de Natal, na época governada pelo tio, Agnelo Alves. Em 1970, foi eleito deputado estadual, reelegendo-se por três vezes consecutivas. Foi filiado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e, com o fim do bipartidarismo em 1979, entrou no PMDB.

Após ser eleito prefeito de Natal em 1985, Garibaldi elegeu-se senador em 1990. Cumpriu o mandato até 1994, quando venceu em primeiro turno as eleições para governador do Rio Grande do Norte, sendo reeleito em 1998. Voltou ao Senado nas eleições de 2002 e se reelegeu em 2010.
Informações para a Imprensa
Renata Brumano e Daniel Dutra
(61) 2021-5113
ACS/MPS
****
Fonte:http://www.mps.gov.br/vejaNoticia.php?id=41017#destaque

Dilma cria PAC do combate à miséria

06/01/2011
Da FOLHA.COM
SIMONE IGLESIAS
BRENO COSTA
DE BRASÍLIA


A primeira ação da presidente Dilma Rousseff será a criação do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) do combate à miséria.

Ela se reuniu com 12 ministros nesta quinta-feira (6), pela manhã, e pediu que organizem o programa de forma a garantir que haja metas, prestação de contas e monitoramento das medidas.

Na posse, presidente projeta país de classe média sólida
Dilma promete luta obstinada para erradicar pobreza extrema
Conheça os ministros do governo Dilma Rousseff

Segundo a ministra Tereza Campello (Desenvolvimento Social e Combate à Fome), que coordenará o novo PAC, o programa partirá de iniciativas como a ampliação das redes sociais e das políticas de transferência de renda e inclusão produtiva.

"A presidente pediu que não se faça anúncios que não tenham consistência. Vamos estabelecer metas objetivas para vocês [jornalistas] cobrarem", disse Campello, em entrevista após a reunião.

O Bolsa Família integrará o novo PAC, que ainda não tem nome definido pelo governo.

Campello disse que a ideia do PAC não é "apagar" programas sociais já existentes, mas ampliar as medidas em curso e o atendimento a pessoas que vivem em situação de pobreza extrema.

Ana Fonseca, responsável pela criação do Bolsa Família, em 2004, foi anunciada como secretária executiva do novo programa.

Fonseca disse que na reunião com Dilma não foi definido os recursos e a fonte do Orçamento para o programa.

Além de Campello e Fonseca, participaram da reunião os ministros Antonio Palocci (Casa Civil), Guido Mantega (Fazenda), Afonso Florence (Desenvolvimento Agrário), Fernando Haddad (Educação), Miriam Belchior (Planejamento), Mário Negromonte (Cidades), Alexandre Padilha (Saúde), Carlos Lupi (Trabalho), Fernando Bezerra Coelho (Integração Nacional), Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral), e o presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Luciano Coutinho.
****
Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/poder/855839-dilma-cria-pac-do-combate-a-miseria.shtml

O abacaxi de Isaltino

06.01.2011
Do BLOG DA FOLHA
Por Valdecarlos Alves
COLUNA FOGO CRUZADO


Embora não seja um abacaxi com o sabor e textura encontrados pelo ministro da Previdência, Garibaldi Alves, o secretário de Transportes, Isaltino Nascimento, tem pela frente uma fruta nada fácil de descascar. O petista terá que correr contra o tempo para concluir obras viárias importantes antes da Copa do Mundo em 2014. O governador Eduardo Campos já delegou metas para o seu novo comandado com foco na manutenção de ações em andamento e a recuperação urgente de estradas que se encontram em péssimo estado de conservação. O maior inimigo de Isaltino não será o tempo. O secretário terá pela frente um problema ainda maior para combater: o estado obsoleto da pasta e a precariedade de pessoal e equipamentos no Departamento Estadual de Estradas e Rodagem (DER).

Os engenheiros pernambucanos sabem bem o problema existente por lá e cobram há tempos melhores gratificações. Uma das tarefas do novo secretário será buscar junto ao governo estadual uma melhor remuneração para a categoria que vê mais vantagem trabalhar no setor privado, onde tem salários bem mais atrativos.Problemas à parte, a modernização que Isaltino pretende implantar em Transportes terá início com a contratação de um call center, ainda sem licitação prevista, onde os pernambucanos e turistas contarão com as mais diversas informações. Segundo o secretário, será mais fácil chegar a determinados lugares do Estado, facilitando a ida e vinda de quem usar o serviço. O deputado estadual licenciado terá que cumprir as metas determinadas por Eduardo e tem a chance de mostrar que sabe muito mais do que descascar um abacaxi.

Verde - Daniel Coelho não está nem aí para a executiva estadual do PV. Isolado do grupo por assumir o papel de líder da oposição na Alepe, a partir de fevereiro, o verde é taxativo e diz que pode não ter o apoio do partido, mas terá dos “militantes e eleitores”. Então tá.

Confetes - A chegada do ex-vereador Mozart Sa­les foi festejada pelos parlamentares na autoconvocação extraordinária de ontem, na Alepe. O petista será deputado por apenas 28 dias no lugar de Isaltino Nasci­mento. Mozart volta em fevereiro a Brasília para assumir a chefia de Gabinete na Saúde.


Tudo em fa­mí­lia - Dizem por aí que a Se­cretaria de Cul­tura em Pernam­buco e a Empe­tur estão sob total vigilância caseira neste segundo mandato de Edu­ardo Cam­­­pos. Al­berto Feitosa é genro do ministro do Tribunal de Con­tas da União (TCU), José Jorge. André “Bolo­ta”, por sua vez, é filho do presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Fernando Correia.


Peru de Natal - Depois dos deputados, ontem foi a vez de 30 secretários estaduais, cargos comissionados e gratificações salariais terem seus reajustes. O aumento aprovado foi de 51,31% e irá beneficiar cerca de 10.700 servidores. O salário atual de um secretário em Pernambuco gira em torno de R$ 7 mil, mas agora vai chegar a R$ 10.570. Nada mal...


Silêncio - Prestes a deixar a Câ­mara Federal, Raul Jung­mann (PPS) é só artilharia. Diz que falta liderança à presidente Dilma Rousseff para controlar a briga entre petistas e peemedebistas por cargos no segundo e terceiro escalões da gestão petista. “A Dilma está muito calada”, observa o pós-comunista.

Secretários - O governador Eduardo Cam­pos (PSB) reúne pela primeira vez o seu secretariado para um encontro a portas fechadas das 8h às 12h, no Palácio do Campo das Prin­cesas. Na pauta, as metas e ações que deverão ser cumpridas por cada integrante de sua equipe.

Vice - O vice-governador João Lyra Neto (PDT) quebrou o protocolo, ontem, durante a transmissão de cargo do novo presidente da Compesa, Roberto Tavares. O pedetista agradeceu ao ex-presidente João Bosco e passou a rasgar elogios para o novo gestor da quinta de empresa de água e saneamento do Brasil.

Herança - O líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias, diz que Dilma “experimenta do próprio veneno” ao receber “herança maldita” deixada por Lula. Tem como base o levantamento da ONG “Con­tas Abertas” que releva um estoque de restos a pagar em R$ 137,5 bilhões no OGU.

Reforço - Seguran­ça continua sendo prioridade no governo Edu­ardo. O socialista anuncia um reforço e tanto para 2011 no efetivo das polícias Civil e Militar. Se­rão 2.025 novos soldados e 624 agentes e escrivães.
****
Fonte:http://www.blogdafolha.com.br/index.php/materias/15982-o-abacaxi-de-isaltino

Feitosa detalha medidas contra irregularidades

06.01.2011
Da FOLHA DE PERNAMBUCO
PorCAROL BRITO

SERVIDORES
farão registro das festas que forem realizadas, diz secretário do Turismo

O secretário de Turismo, Alberto Feitosa (PR), enfatizou as ações para combater irregularidades durante a sua gestão à frente da pasta, em entrevista à Rádio Folha FM 96.7, ontem. Alvo de denúncias no escândalo dos shows fantasmas, protagonizado pela Em­petur, a Secretaria de Turismo terá como principal veículo de fiscalização um Portal da Transparência, sob os mesmos moldes mantidos pelo Gover­no do Estado. “Vamos disponibilizar todos os dados sobre eventos. Vai ter fotos, vídeos, data, hora e logomarca dos patrocinadores. A fiscalização e acompanhamento das realizações ficará à cargo da própria secretaria e dos responsáveis pelo portal”, esclareceu.

O secretário, no entanto, evitou estabelecer uma data para a estrutura do Portal sair do papel. “Vamos acelerar o processo licitatório. Eu não vou marcar datas porque não sou técnico. Mas pretendo colocar o portal no ar nos próximos seis meses”, estipulou. Para evitar irregularidades em contratos fechados com municípios, Feitosa pretende dar ênfase a consolidação de destinos e eventos. A medida teria a função de descentralizar o turismo do Estado para áreas pouco prestigiadas e ampliar o vínculo com as prefeituras, evitando dar margem a desvios nos contratos estabelecidos.

Com as medidas, o republicano demonstra querer afastar de vez a sombra do caso Empetur que ainda será julgado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). O anúncio do nome para presidir a empresa era um dos mais aguardados no segundo escalão do governo e, segundo Feitosa, foi uma indicação pessoal. “O governador não me pediu nem uma faxineira. Ele disse: vá e monte a sua secretaria. Bolota (como é conhecido André Correia) foi uma indicação minha. No meu primeiro dia chamei ele para trabalhar comigo”, relatou o secretário. Ele colocou que a estrutura da pasta foi montada por ele junto ao padrinho político Inocêncio Oliveira e correligionários republicanos por indicação do Chefe do Executivo.
*****
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/612974

Reunião com secretários será hoje, no Palácio

06.01.2011
Da FOLHA DE PERNAMBUCO
Por ARTHUR CUNHA

Menos de uma semana após ter empossado seu primeiro escalão, o governador Eduardo Campos (PSB) promoverá a primeira reunião do secretariado desde mandato, hoje. Das 8h às 12h, no Pa­lácio do Campo das Prin­cesas, o socialista apresentará aos auxiliares o tão alardeado modelo de gestão estadual. Também explicará como funcionam as reuniões de monitoramento - onde ocorrerm as cobranças por resultados -, e detalhará o balanço financeiro do Estado.

Eduardo havia prometido a reunião para amanhã, sábado ou segunda-feira. No entanto, o secretário da Casa Civil, Tadeu Alencar, destacou, antontem, que o encontro poderia ser adia­do para que sua pauta fos­se melhor trabalhada. O que aca­bou não sendo necessário. Ontem, a Secretaria de Meio Am­biente teve sua criação aprovada na Assembleia Legislativa. O presidente do PV, Sérgio Xavier, deve ser o titular da pasta - como ainda não foi nomeado, não irá ao encontro.

CORTES

Assegurando que nenhum programa do Governo Federal sofrerá descontinuidade, o governador defendeu os cortes nas despesas da União. Justificou, para tal, a melhoria na qua­lidade do gasto e a redução da taxa de juros como for­ma de manter o crescimento econômico. “O que está se falando é especulação de cortes. Não vamos especular onde vai ter cortes“, ponderou.

“Economia, por mais que seja número, ela também é psicologia. As atitudes que quem comanda toma, elas têm um sinal psicológico importante para ser interpretado. Acredito que esse sinal será interpretado de maneira positiva”, pontuou Eduardo.
***
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/612973?task=view

Falha que matou policial federal repercute

06.01.2011
Da FOLHA DE PERNAMBUCO
Por JOSÉ ACCIOLY E PRISCILLA AGUIAR

Dois policiais federais foram baleados e um deles terminou morrendo após uma troca de tiros entre agentes das polícias Federal e Civil de Pernambuco, na manhã de ontem, na BR-232, no bairro do Curado. As duas equipes investigavam o mesmo traficante, ponto comum entre investigações distintas. Informações preliminares dão conta de que policiais civis confundiram os agentes federais, que estavam à paisana, com bandidos e iniciaram o fogo cruzado. O agente federal Jorge Washington Cavalcanti de Albuquerque, 58 anos, foi atingido por dois tiros no abdômen e morreu ao Hospital Getúlio Vargas (HGV), no Cordeiro. O colega de corporação, identificado como Sílvio Romero Moury Fernandes dos Santos, de 40 anos, levou um tiro no peito e foi levado para o Hospital da Restauração (HR), onde passou por um cirurgia e encontra-se na sala de recuperação, sem previsão de alta.

A tragédia ocorreu depois que agentes federais prenderam, no Terminal Integrado de Passageiros (TIP), um homem que transportava 17,4 quilos de pasta-base para produção de crack. O traficante, identificado como Wagner Alves do Nascimento, 24, utilizaria um táxi para fazer a entrega do entorpecente, em um ponto de ônibus na rodovia federal, em frente à fábrica da Coral. Os policiais seguiram no veículo - um Palio Weekend, de placa KGB-6729, junto com o suspeito para o local de encontro, como havia sido combinado com o receptador, e foram escoltados por uma viatura descaracterizada da PF. Ao chegar ao endereço, um Gol branco, que transportava os policiais do Departamento de Repressão ao Narcotráfico (Denarc), interceptou o táxi, iniciando a troca de tiros.

Jorge Washington estava no táxi e, depois de ser baleado, caiu na pista local da rodovia. O outro policial ferido estava em um Astra preto, de placa KJE-1350, que levava mais um agente da federal. Mais de 30 tiros foram disparados e o tiroteio durou cerca de cinco minutos, de acordo com testemunhas. Os veículos ficaram cravados de balas. Dois pneus do táxi foram estourados, além de três vidros estilhaçados. A traseira do carro apresentava várias perfurações, assim como a viatura da PF.

Pela pista, podiam ser observadas diversas cápsulas e evidências de sangue. O material foi recolhido por peritos do Polícia Federal. A troca de tiros teria parado somente depois que policiais federais se apresentaram. Informações extraoficiais indicam que os policiais do Denarc, depois de reconhecer os agentes federais, não prestaram socorro aos feridos. Eles foram socorridos por viaturas do 6º Batalhão da Polícia Militar (BPM) e o traficante, levado para a sede da Polícia Federal, onde prestou depoimento. A confusão entre as polícias chamou a atenção dos motoristas e o policiais rodoviários federais (PRF) foram acionados para controlar o fluxo de carros.

O delegado Wagner Furtado de Menezes, da Polícia Federal, esteve no local e adiantou apenas que seis agentes da corporação participavam da operação. De acordo com o gestor do Denarc, o delegado Luiz Andrey, três policiais civis do departamento estavam envolvidos na ocorrência. “Essa era uma investigação conduzida pela 2ª Delegacia do Denarc, sob os cuidados da delegada Maria Elizabeth. A Polícia Federal intercedeu a mesma operação“, informou.
****
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/edicao-de-hoje/613005-falha-que-matou-policial-federal-repercute

Estudo mostra condições precárias de trabalho nos canaviais paulistas

05/01/2011
Bruno Bocchini
Repórter da Agência Brasil

São Paulo
– Um estudo feito pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo mostra que as condições de trabalho nas lavouras paulistas de cana-de-açúcar são precárias. A pesquisa tomou como base as inspeções coordenadas pela Vigilância Sanitária Estadual.

De acordo com o levantamento, o trabalho de corte na maioria das lavouras de cana-de-açúcar ainda é feito manualmente, repetitivo e exaustivo. O trabalhador é submetido, a cada um minuto trabalhado, a 17 flexões de tronco, e tem de aplicar 54 golpes de facão. Segundo a pesquisa, o joelho do cortador fica todo o tempo semiflexionado, e há extensão da coluna cervical.

O estudo mostra também que não há sombra nos canaviais e o trabalhador não se hidrata adequadamente. Por dia, são cortadas e carregadas, por empregado, em média, 12 toneladas de cana, e percorrido um percurso de quase 9 quilômetros. O levantamento constatou que, no fim de um dia de trabalho, o cortador perde 8 litros de água.

A pesquisa da secretaria mostra ainda que, quanto à alimentação, os empregados não dispõem de local adequado para as refeições, que são acondicionadas e servidas em recipientes inadequados.

“Enquanto trabalham, os cortadores carregam consigo suas marmitas. Muitas vezes, o alimento fermenta ou azeda. Porém, como o trabalho consome muita energia, eles acabam consumindo a comida mesmo que esteja estragada”, diz o texto da Secretaria de Saúde.

O estudo constatou ainda que, apesar da cana-de-açúcar ter uma indústria altamente lucrativa, as condições de trabalho oferecidas são, geralmente, de qualidade ruim, “colocando em risco a saúde dos trabalhadores”.

Para a União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica), que representa os usineiros, as informações da Secretaria de Saúde contêm erros e conclusões equivocadas, “distantes tanto da realidade do setor quanto das posturas que o setor vem adotando há vários anos”.

“Entre os diversos erros da pesquisa, de acordo com a nota da única, está o dado que mostra que a cana-de-açúcar é cortada manualmente na grande maioria das lavouras. Na verdade, mais de 60% da cana em São Paulo são colhida mecanicamente e sem uso de fogo”, diz a entidade.

Segundo a Única, o índice de corte sem fogo cresce a cada ano, como determina um protocolo agroambiental, assinado em 2007 pelo setor sucroenergético e o governo do estado de São Paulo.
“O Protocolo prevê o fim da queima, e consequentemente do corte manual de cana em São Paulo, até 2014, em áreas mecanizáveis, que representam a maior parte do cultivo da cana no estado”. De acordo com a Unica, não há descumprimento de obrigações legais, como o não uso de equipamentos de proteção individual e a falta de água fresca.

“A entidade e suas indústrias associadas são comprometidas com o cumprimento das leis vigentes. Havendo qualquer registro de não cumprimento, a obrigação da secretaria é tomar as devidas providências com relação à empresa envolvida, inclusive garantindo à empresa o direito constitucional de defesa, o que não ocorre quando a autoridade pública opta por primeiro disseminar generalizações que atingem injusta e levianamente todo um setor”.
Edição: Aécio Amado
****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/cidadania?p_p_id=56&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-1&p_p_col_count=1&_56_groupId=19523&_56_articleId=3156988

Cardozo quer aproveitar militares da reserva na Força Nacional de Segurança

05/01/2011
Gilberto Costa
Repórter da Agência Brasil

Brasília
– O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, vai propor ao ministro da Defesa, Nelson Jobim, o aproveitamento de militares da reserva na Força Nacional de Segurança Púb
lica. Os dois ministros deverão ter uma reunião na próxima semana para tratar do assunto.

“A Força Nacional pode ser engrandecida com pessoas que foram treinadas pelas Forças Armadas”, opinou Cardozo durante a gravação do programa 3 a 1 da TV Brasil. Segundo ele, há muitos militares que “vão cedo” para a reserva e receberam bons treinamentos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, “que não podem ser desprezados”.

O ministro da Justiça ressaltou que a ideia ainda é “embrionária” e “tem que ser aprofundada” até para decidir a quem caberia o comando em operações que utilizassem militares e verificar se há necessidade de mudança na lei. “Vamos tratar sem questões dogmáticas definidas a priori”, ponderou.

A Lei nº 11.473/2007, que trata da cooperação federativa para a segurança pública, prevê que o governo federal poderá “colocar à disposição dos Estados e do Distrito Federal, em caráter emergencial e provisório, servidores públicos federais”. Segundo a lei, “as atividades de cooperação federativa, no âmbito da Força Nacional de Segurança Pública, serão desempenhadas por militares e servidores civis dos entes federados que celebrarem convênio”.

Não há nenhuma restrição expressa na lei quanto ao aproveitamento de militares. A Força Nacional conta atualmente com policiais militares, bombeiros e policiais civis dos estados, que são treinados pelo governo federal e alocados conforme pedido dos governadores.

Cardozo também adiantou no programa que pretende reunir-se ainda este mês com os secretários estaduais de Segurança Pública. A reunião antecederá o encontro que a presidenta Dilma Rousseff pretende ter em fevereiro com os governadores. Segundo Cardozo, o governo federal e os governos estaduais vão dialogar sobre o enfrentamento à criminalidade.

“Esse problema [o da criminalidade] só poderá ser enfrentado se houver conjugação de esforços”, disse ao destacar que as medidas preventivas e de repressão ao crime exigem articulação da União, dos estados e municípios, inclusive para produzir um “mapa sobre a criminalidade” elaborado coletivamente com a “mesma metodologia”, mas coordenado por um organismo central. “Só se combate o crime organizado com informações”.

Cardozo pretende visitar em breve os governadores do Rio de Janeiro, de São Paulo, Minas Gerais, do Rio Grande do Sul, Espírito Santo, da Bahia e de Pernambuco. A conversa com os estados exige diálogo com a oposição e o ministro afirmou estar aberto a esse diálogo e quer mantê-lo.

Além disso, quando o tema é segurança pública, Cardozo avalia que é hora dos agentes públicos como policiais, promotores, juízes e defensores públicos também se aproximarem. “É um plano nacional. Tem que estar acima dos partidos e das corporações. A sociedade tem que cobrar os agentes públicos para fazerem isso.”

A entrevista de José Eduardo Cardozo ao programa 3 a 1 vai ao ar hoje (5) às 22h na TV Brasil.

Edição: Lana Cristina
****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/home;jsessionid=FF9A3FECBD00262B59F842FD26DD0189?p_p_id=56&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-3&p_p_col_count=7&_56_groupId=19523&_56_articleId=3156603