domingo, 2 de janeiro de 2011

Veja a íntegra do discurso de Dilma no parlatório do Planalto

01.01.2010
Do BLOG DE JAMILDO

"Queridas brasileiras, queridos brasileiros,

Eu e o nosso vice-presidente Michel Temer e sua senhora, Marcela, estamos aqui assumindo a Presidência e a Vice-Presidência do Brasil.

Eu estou feliz, como raras vezes estive na minha vida, pela oportunidade que a história me deu de ser a primeira mulher a governar o Brasil. Mas eu estou muito emocionada pelo encerramento do mandato do maior líder popular que este país já teve. Ter a honra do seu apoio, ter o privilégio de sua convivência, ter aprendido com sua imensa sabedoria, são coisas que se guardam para a vida toda.

Conviver todos estes anos com o presidente Lula me deu a dimensão do governante justo e do líder apaixonado por seu país e por sua gente. A alegria que sinto pela minha posse como presidenta se mistura com a emoção da sua despedida. Mas Lula estará conosco. Sei que a distância de um cargo nada significa para um homem de tamanha grandeza e generosidade.

A tarefa de suceder o presidente Lula é desafiadora. Eu saberei honrar este legado e saberei consolidar e avançar nesta obra de transformação do Brasil. A vontade de mudança do nosso povo levou um operário à Presidência do Brasil. Seu esforço, seu esforço, sua dedicação e seu nome já estão gravados no coração do povo, o lugar mais sagrado da nossa nação.

Hoje, o presidente Lula deixa o governo depois de oito anos, período em que liderou as mais importantes transformações na vida do país. A força dessas transformações permitiu que vocês, o povo brasileiro, tivessem uma nova ousadia: colocar, pela primeira vez, uma mulher na Presidência do Brasil.

Para além da minha pessoa, a valorização da mulher melhora nossa sociedade e valoriza a nossa democracia.
Quero, neste momento, prestar minha homenagem a outro grande brasileiro, incansável lutador, companheiro que esteve ao nosso lado, ao lado do presidente Lula nesses oito anos. Eu me refiro ao nosso querido vice-presidente José Alencar. Que exemplo de coragem e de amor à vida nos dá este grande homem! E que parceria Zé Alencar e Lula, Lula e Zé Alencar fizeram, pelo Brasil e pelo nosso povo!

Eu e Michel Temer nos sentimos responsáveis por seguir no caminho iniciado por eles. Aprendemos com eles que quando se governa pensando no interesse público e nos mais necessitados, uma imensa força brota do nosso país. Aprendemos que quando se governa amando o Brasil, preservando a sua soberania e desenvolvendo o nosso país para torná-lo do tamanho do sonho de cada brasileira e cada brasileiro, uma força imensa é mobilizada e todos nós avançamos juntos.

Reafirmo aqui outro compromisso: cuidarei com muito carinho dos mais frágeis e mais necessitados. Governarei para todos e todas as brasileiras.
Uma mulher, uma importante líder indiana disse um dia que não se pode trocar um aperto de mão com os punhos fechados. Pois eu digo: minhas mãos vão estar abertas e estendidas para todos, desde os nossos aliados de primeira hora até aqueles que não nos acompanharam neste processo eleitoral.

É com este espírito de união que eu assumo hoje o governo do meu país. Acredito e trabalharei para que estejamos todos unidos pelas mudanças necessárias na educação, na saúde, na segurança e, sobretudo, na luta para acabar com a pobreza, com a miséria.
Não peço a ninguém que abdique de suas convicções. Buscarei o apoio, respeitarei a crítica. É o embate civilizado entre as ideias que move as grandes democracias como a nossa.

Não carrego, hoje, nenhum ressentimento nem nenhuma espécie de rancor. A minha geração veio para a política em busca da liberdade, num tempo de escuridão e medo. Pagamos o preço da nossa ousadia ajudando, entre outros, o país chegar até aqui. Aos companheiros meus que tombaram nessa caminhada, minha comovida homenagem e minha eterna lembrança.

Queridas brasileiras e queridos brasileiros,

Já fizemos muito nos últimos oito anos, mas ainda há muito por fazer. E foi por acreditar que nós podemos fazer mais e melhor que o povo brasileiro nos trouxe até este momento.

Agora é hora de trabalho. Agora é hora de união. União de todos nós pela educação das crianças e dos jovens. União pela saúde de qualidade para todos. União pela segurança de nossas comunidades. União para o Brasil continuar crescendo, gerando empregos. União para o Brasil continuar crescendo, gerando empregos para as atuais e para as futuras gerações. União, enfim, para criar mais e melhores oportunidades para todos nós.

O meu sonho é o mesmo sonho de qualquer cidadão ou cidadã: o sonho de que uma mãe e um pai possam oferecer aos seus filhos oportunidades melhores do que a que eles tiveram em suas vidas. Esse é o sonho que constrói um país, uma família, uma nação. Esse é o desafio que ergue um país.

Apresentei há pouco uma mensagem, com meus princípios e compromissos, no Congresso. Ali existem metas e objetivos, mas também existem sonhos.

Acho bom que seja assim. Para governar um país, um país continental do tamanho do Brasil, é também preciso ter sonhos. É preciso ter grandes sonhos e persegui-los.

Foi por não acreditar que havia o impossível que o presidente Lula fez tanto pelo país nesses últimos anos. Sonhar e perseguir os sonhos é exatamente romper o limite do possível.

Para consolidar e avançar as grandes conquistas recentes precisarei muito do apoio de todos vocês.

Quero pedir o apoio de todos, de Leste a Oeste, do Norte ao Sul do nosso país.
Vou estar ao lado dos que trabalham pelo bem do Brasil na solidão do Amazonas, nos rincões do Nordeste, na imensidão do cerrado, na vastidão dos pampas.
Se todos trabalharmos pelo Brasil, o Brasil nos devolverá em dobro o nosso esforço. O Brasil é uma terra generosa. Tudo que for plantado com mãos carinhosas e olhar para o futuro será colhido com abundância e alegria.

Que Deus abençoe o Brasil e o povo brasileiro.

Que todos nós juntos possamos construir um mundo de paz.

Eu quero, neste momento, dizer a vocês que eu darei todo o meu empenho, toda a minha dedicação para fazer com que as transformações que nós começamos nesses últimos oito anos continuem, prossigam e se expandam porque o povo brasileiro e o nosso país tem condições, hoje, de se transformar no maior e no melhor país para se viver.

Um abraço a todos, homens e mulheres do meu Brasil"

*****
Fonte:http://jc3.uol.com.br/blogs/blogjamildo/canais/noticias/2011/01/01/veja_a_integra_do_discurso_de_dilma_no_parlatorio_do_planalto_87986.php

Imprensa tucana tenta azedar o Reveillon

31.12.2010
Do blog GONZUM
Por Miguel do Rosário

A grande imprensa tucana encerra o ano fazendo das suas. E agora já lembrei dos argumentos para responder aos amigos que me criticam por dar atenção ao que se publica na big mídia: eles (os lacaios do PIG) são a direita, os adversários, então precisamos acompanhar o que pensam, o que dizem, quem atacam e para quem eles se dirigem.

Os jornais tem a liberdade de criticar o governo, a esquerda, os sindicatos, e darem as manchetes que lhes convém, mas nós também temos a nossa liberdade de criticá-los e, sobretudo, desnudar as suas práticas, visto que a maioria vêm escondida sob o enganoso manto da “imparcialidade”.

O problema desses jornais, no entanto, não é uma questão de liberdade, e sim de desinformação. O Globo hoje, por exemplo, aproveita-se da decisão de Lula de fixar o mínimo em R$ 540 para tascar uma manchete negativa no último dia do ano. A notícia é relevante, e merece constar na capa, mas não ser a manchete principal. Hoje teremos no Rio a maior festa do planeta. Eu imaginava que o jornal poderia aproveitar a oportunidade para publicar alguma notícia positiva para a cidade e para o país.

A manchete, além disso, força a barra, pois não é tecnicamente correto dizer que o salário de R$ 540 ficará abaixo da inflação. O Dieese calcula que a inflação do ano “deverá” fechar em 6,47%, o que deveria levar o mínimo para R$ 543. Ou seja, se a inflação fechar em alguns decimais abaixo do “calculado” pelo Dieese, teremos um mínimo acima da inflação e mais uma manchete do Globo furada. Não deixa de ser irônico que o Globo, inimigo figadal do sindicalismo, agora use o Dieese como fonte “única” em análise de inflação.

Tática Goebbels, repetir, repetir a mentira

Outra matéria que me chamou a atenção no Globo de hoje nos leva à uma das mentiras mais repetidas do jornal. Por conta da decisão de Lula de manter Cesare Battisti no Brasil, o Globo reitera a lenda de que o governo brasileiro recusou a dar asilo político aos dois boxeadores cubanos que fugiram do Pan. Representantes da OAB, do Ministério Público, delegados da Polícia Federal e próprio ministro da Justiça, afirmaram categoricamente que os atletas pediram para voltar a Cuba. Outros atletas cubanos receberam asilo político do governo brasileiro. Por que mentir tanto?


O Globo ainda se vale dessa mentira para fazer uma crítica leviana à diplomacia brasileira. Enquanto nosso chanceler, Celso Amorim, é qualificado como o “melhor do mundo” pela mais importante revista especializada em política externa dos EUA e o presidente Lula é homenageado como “Estadista do Ano” no Fórum Econômico de Davos, o Globo adjetiva nossa diplomacia de “companheira”, “militante” e “ideológica”, o que revela não apenas o critério colonizado com que o jornal julga nossa política externa, como também seus preconceitos políticos contra o vocabulário da esquerda. O Globo quer uma diplomacia “não-ideológica”? Mentira, ele quer uma diplomacia afinada com a ideologia da direita. O Globo não gosta de “militantes”? Mentira. Ele não gosta é dos militantes da esquerda; quando identifica qualquer esboço de militância anti-esquerda ou anti-governo Lula, ele dá espaço generoso e laudatório em suas páginas.

Lulinha, a bola da vez

Por fim, temos as matérias (no Globo e na Folha) tentando denegrir Lula através de seu filho, Fabio Luíz. É fácil identificar o veneno presente nas matérias, sobretudo em títulos, manchetes e adjetivações. O “empresário” que paga o aluguel do apartamento do filho de Lula é sócio dele. Mais ainda: dividia o apartamento com ele. Fábio mora sozinho apenas há alguns meses, depois que teve seu filho. É um acerto privado e ninguém tem nada a ver com isso. Se são sócios numa empresa, o dinheiro pode ser descontado de outra maneira.

O Globo pagou as despesas do filho de FHC por anos a fio, e ninguém jamais comentou nada…

O jornal, como sempre, consegue arrancar de uma autoridade uma pré-condenação. Leia a declaração de Janice Ascari, procuradora da República:

Esse caso é, no mínimo, imoral. Mas acredito que possa caracterizar alguma ilegalidade. Não é normal uma pessoa ou empresa pagar R$12 mil de aluguel para outra. Assim como não é normal uma empresa do porte da Oi injetar um capital absurdo em uma empresa de fundo de quintal como a Gamecorp – afirmou a procuradora do MP ao GLOBO.

Bem, não creio que Ascari (que é minha colega no Twitter, mas não posso me abster de criticá-la por ter entrado no jogo da mídia) deva fazer julgamentos “morais”. Se for assim, deveria fazê-lo contra a matéria do Globo, que atenta contra a honra e a privacidade de um indíviduo, devassando-lhe os detalhes de sua vida financeira. Jamais fizeram isso com parentes de tucanos. A troco de quê o Globo descreve assim uma empresa de Fábio: “Fica em um prédio pomposo de escritórios também nos Jardins”. Para que adjetivar de pomposo se não for para gerar intriga?

Repare que Ascari afirma que “acredita que possa caracterizar alguma ilegalidade”.

Meditem bem sobre essa expressão: acreditar que possa caracterizar alguma ilegalidade. O que ela significa? Nada! Ou antes, que não há crime nenhum, ilegalidade nenhuma! O que não falta no Brasil é ladrão, corrupto, bandido, assassino, grande parte deles livre, leve e solto. A troco de quê, uma procuradora da República faz uma declaração agressiva dessas contra um cidadão brasileiro? Não é ele inocente até prova em contrário! Janice Ascari, atiçada pela mídia, violou a honra de Fábio.

Vou repetir pela milésima vez: não boto a mão no fogo por ninguém. Mas também não a boto no gelo. O filho de Lula poderia ser o maior salafrário do mundo, mas isso não dá direito a uma procuradora ou a um jornal de atacar a sua honra e a sua privacidade com base em julgamentos subjetivos de ordem moral, ou por “acreditar que [um aluguel pago pelo próprio sócio, que dividia o apartamento com ele] possa caraterizar alguma ilegalidade”. Se Fábio cometeu algum tipo de crime, o Ministério Público deve investigar com discrição, e apenas se manifestar quando tiver provas. O que Ascari fez, repito, foi um crime. O criminoso aqui não é Fábio Luiz, são Janice Ascari e o jornal. A procuradora deveria reler Zadig, do Voltaire, e lembrar da lição do sábio: “mais vale arriscar-se a deixar livre um culpado a condenar um inocente”, e “as leis são feitas para trazer segurança ao cidadão, não para intimidá-lo”. Algumas autoridades, caindo na pilha da mídia partidária, tem adotado a postura contrária: não hesitam em condenar verbal e moralmente um cidadão, mesmo antes de ter provas sobre seus crimes”.

Ainda mais se tratando de um filho de político, num caso onde naturalmente há motivação partidária, a procuradora deveria ter prudência redobrada. Mais uma vez, observamos o ódio de classe contra Lula, porque nunca veríamos uma reação irada e descontrolada contra um filho de Fernando Henrique Cardoso ou José Serra.

A matéria devassa a vida dos filhos de Lula, ao falar que eles abriram seis companhias “com capital irrisório”, de R$ 1 mil cada. Qual o problema? É ilegal? Não. Qual o interesse em divulgar detalhes e endereços de cada empresa deles, a não ser prejudicá-los?

Eu já li na Folha, em informação escondida no meio da matéria, que o tal empresário que pagou o aluguel do apartamento, tem contratos irrisórios com o governo federal. A maioria dos contratos de sua empresa, a Gol, é com governos estaduais e municípios. Mesmo assim, a matéria, acentuando seu caráter partidário, diz apenas, maliciosamente, que ele “tem negócios com o governo”. Ora, toda editora de médio porte para cima tem contratos com governos.

Outra frase que me irritou, da Ascari, é essa:

- Não estou desfazendo de seus méritos pessoais, mas será que ele teria tudo se não fosse o filho de Lula?

Ora, isso é um julgamento mais do que subjetivo: é preconceituoso e hipócrita! Por que não faz a mesma pergunta para a filha de Serra, milionária dona do Mercado Livre? Ou para qualquer outro filho de político! Fábio é filho de Lula, sim, e isso evidentemente lhe traz grandes vantagens! É muita hipocrisia achar que não! Qual o problema! E se ele fosse filho de um psicopata estuprador de criancinhas, isso não lhe seria prejudicial? Meu pai foi um grande jornalista especializado em café, e isso me trouxe vantagens para trabalhar no setor de café. Se meu pai fosse o governador Geraldo Alckmin, claro que eu teria mais facilidade para encontrar sócios do que se fosse filho de um viciado em crack preso em algum penitenciária vagabunda…

Lulinha é filho de uma grande liderança política e é normal que isso lhe seja vantajoso. Querem o quê, que ele mude de nome e renegue a sua paternidade? Desde que não constitua tráfico de influência, e nada até agora relacionado a Lulinha apontou o mínimo indício disso, não há problema. O que Ascari fez foi criminalizar o simples fato do rapaz ser filho de Lula!
****
Fonte: http://gonzum.com/?p=1472

Cesare Battisti: uma vergonha que a imprensa brasileira leva para seu anuário

29.12.2010
Do blog FAZENDO MEDIA
Por Gustavo Barreto

Como a Revista Consciência.Net informou por dezenas de vezes, os crimes atribuídos a Battisti não estão provados por evidências tangíveis, não há testemunhas que não sejam falsas ou compradas, não houve advogados e, pior, os autores dos quatro assassinatos estão perfeitamente identificados.

O presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva deve mesmo conceder refúgio ao italiano Cesare Battisti. Para interlocutores próximos a Lula, a quem cabe a decisão de acordo com o STF (Supremo Tribunal Federal), a decisão é dada como certa e ocorrerá entre hoje (29).

A Advocacia Geral da União entregou na semana passada à Presidência da República o parecer com o embasamento jurídico para a recusa do pedido italiano de extradição.

Como a Revista Consciência.Net informou por dezenas de vezes, os crimes atribuídos a Battisti não estão provados por evidências tangíveis, não há testemunhas que não sejam falsas ou compradas, não houve advogados e, pior, os autores dos quatro assassinatos estão perfeitamente identificados (leia detalhes aqui e aqui).

Em um dos exemplos, o professor universitário e ativista da Anistia Internacional no Brasil, Carlos Lungarzo, demonstrou que em 2005 a historiadora, arqueóloga e romancista francesa Fred Vargas, auxiliada por uma perita do Tribunal de Apelações de Paris (Evelyne Marganne) e por dois advogados franceses (Turcon & Camus), descobriu um fato fundamental sobre o caso: as procurações utilizadas pelos advogados italianos de Battisti, no processo de 1982 até 1990, no qual foi condenado a prisão perpétua, foram falsificadas (leia aqui e aqui em detalhes).

A maior parte da imprensa brasileira, por sua vez, tem afirmado que a decisão de Lula é “política” – sugerindo que haveria uma decisão “técnica”, que seria a extradição. Com isso, estes jornalistas apoiam direta ou indiretamente o Estado ditador italiano à época, que perseguiu e assassinou ativistas. Pior: omitem informações que mudariam decisivamente a opinião pública, repetindo por mil vezes a mesma mentira sobre os assassinatos.

Já que é para falar dos “terroristas de esquerda”, que tal falarmos dos atos terroristas do Estado italiano à época? Há muitos casos, processos etc. Falaremos sobre isso? Lá, como aqui, todos os generais e agentes da Polizia di Stato ficaram impunes. Todos.

Uma vergonha que a imprensa brasileira leva para seu anuário.
****
Fonte:http://www.fazendomedia.com/cesare-battisti-uma-vergonha-que-a-imprensa-brasileira-leva-para-seu-anuario/

Finalmente Lula nos pagou

30/12/10
Do Blog da Cidadania
Por Eduardo Guimarães

Demorou, mas o presidente Lula finalmente me pagou por ter lutado pelo mesmo projeto que ele ao apoiá-lo durante mais de vinte anos em sua caminhada para chegar à Presidência da República e para conseguir exercê-la da forma histórica e benéfica que até seus inimigos reconhecem.

Na verdade, porém, não posso desfrutar sozinho desse pagamento porque os leitores deste blog também fazem jus a uma recompensa pelo apoio que me deram na luta que venho travando para permitir que um governo popular continue promovendo tudo aquilo que transformou este país.

Na verdade, o pagamento veio por conta de uma carta que enviei ao presidente da República logo depois de entrevistá-lo no Palácio do Planalto no último dia 24 de novembro. Poucos dias depois, recebi um envelope pelo correio com um pagamento altíssimo, ao qual nunca imaginei fazer jus.

Vejam, abaixo, quão valioso é o único pagamento que recebi de um político em meus 51 anos de vida. E vejam como o presidente Lula, mesmo tendo demorado a me fazer um pagamento pessoal, foi generoso. Entenderão por que considero muito só para mim e quero dividi-lo com vocês.

*****
Fonte:http://www.blogcidadania.com.br/2010/12/finalmente-lula-nos-pagou/

Garcia ameniza conflito diplomático entre Brasil e Itália por causa de decisão sobre Battisti

02/01/2011
Renata Giraldi
Repórter da Agência Brasil

Brasília
- O assessor especial para Assuntos Internacionais da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, amenizou hoje (2) o conflito diplomático entre o Brasil e a Itália devido à decisão do governo brasileiro de não extraditar o ex-ativista italiano Cesare Battisti. Segundo ele, as relações entre os dois países sofrerão apenas “um pequeno constrangimento” e será superado por meio do diálogo. Garcia reiterou ainda que o governo brasileiro não se preocupa com a possibilidade que o caso seja levado para o Tribunal de Haia, na Holanda.

“[A relação Brasil e Itália] poderá sofrer um pequeno constrangimento durante um período brevíssimo. Mas eu destacaria que a própria presença do embaixador da Itália, Gherardo La Francesca, que ontem esteve na recepção da presidenta Dilma, é um indício que a disposição é muito mais para o diálogo, para uma solução diplomática”, disse.

Há informações divulgadas hoje pela imprensa italiana de que governo da Itália pretenda levar o pedido de extradição de Battisti para ser julgado no Tribunal de Haia. Garcia afirmou, no entanto, que a iniciativa não preocupa o governo brasileiro. “Não preocupa, é uma decisão soberana que o governo brasileiro tomou, com uma forte fundamentação jurídica. O país é soberano para decidir, então não traz preocupação alguma”, disse.

Desde 2007, Battisti está preso no Brasil e provisoriamente é mantido na Penitenciaria da Papuda, no Distrito Federal. Na Itália, o ex-ativista é condenado à prisão perpétua sob acusação de participação em vários crimes. Battisti nega todas as acusações. No último dia de governo, o então presidente Luiz Inácio Lula decidiu que o italiano não fosse extraditado. Mas o caso ainda será analisado pelo Supremo Tribunal Federal.
Edição: Aécio Amado
****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/home;jsessionid=2B68FB37F64505C4ADEE66F032F47F9D?p_p_id=56&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-2&p_p_col_pos=2&p_p_col_count=3&_56_groupId=19523&_56_articleId=3154457

Brasileiro afastado de missão da OEA no Haiti reitera críticas à ação internacional no país

02/01/2011
Renata Giraldi
Repórter da Agência Brasil

Brasília
– O ex-representante especial da Organização dos Estados Americanos (OEA) no Haiti, o brasileiro Ricardo Seitenfus, reiterou hoje (2), ao participar da cerimônia de transmissão de cargo de Antonio Patriota, ministro das Relações Exteriores, as críticas ao número de militares presentes no país caribenho e à ação das organizações não governamentais.

Em decorrência dessas críticas, Seitenfus foi afastado das funções no final de dezembro. Para ele, a decisão foi “contraproducente”, mas disse que representou o que muitos pensam sobre as missões em atuação no Haiti. “Tenho impressão que não falei inverdades. O Haiti não precisa de tantos soldados. O Haiti precisa de engenheiros, técnicos e desenvolvimento socioeconômico”, disse Seitenfus.

O brasileiro afirmou que “o Haiti não pode ser simplesmente ser objeto ou coadjuvante da sua própria história. O Haiti tem de estar no centro da sua história”. Segundo ele, suas críticas “são reflexões generosas feitas com o coração, mas que retratam a percepção de muita gente que não tem voz. Fui o porta-voz daqueles que não têm voz”.

Ao ser perguntado sobre como recebeu a informação sobre seu afastamento, Steinfus disse que foi uma medida contraproducente. “É contraproducente. Meu mandato foi incurtado, pois ia até 31 de março. Isso deu uma grande repercussão. É uma forma de tentar calar algo no Haiti que é a aspiração do Haiti de tentar recuperar sua autonomia”, disse.

Seitenfus criticou, em entrevista recente a um jornal suíço, o papel da comunidade internacional e, especialmente da Missão das Nações Unidas (Minustah), presente no Haiti desde 2004. Para o ex-presidente de Cuba Fidel Castro, Steinfus fez afirmações “incontestáveis”.

Edição: Lana Cristina
****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/home?p_p_id=56&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-2&p_p_col_pos=2&p_p_col_count=3&_56_groupId=19523&_56_articleId=3154516

Portugal será aliado “mais fiel” do Brasil para vaga em conselho da ONU, diz primeiro-ministro

02/01/2011
Luciana Lima
Repórter da Agência Brasil

Brasília
- O primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, destacou hoje (2), durante encontro com a presidenta Dilma Rousseff, o apoio do país europeu para que o Brasil ocupe uma vaga permanente no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

“Tive a oportunidade de dizer à presidenta do Brasil que pode contar com Portugal como mais fiel e mais próximo aliado, no que vai ser a caminhada do Brasil para ocupar o seu espaço no Conselho [de Segurança] das Nações [Unidas]”, destacou.

Ontem (1º), na cerimônia de posse de Dilma, Sócrates já havia defendido a entrada no Brasil na instituição, que conta com cinco membros permanentes (Estados Unidos, China, Reino Unido, França e Rússia). Ele disse também, na ocasião, que assistiu a toda a transformação passada pelo Brasil nos oito ano de governo Lula e que, ao mudar o país, “mudou também a visão do mundo sobre o Brasil”.

Edição: Talita Cavalcante
***
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/home?p_p_id=56&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-1&p_p_col_count=1&_56_groupId=19523&_56_articleId=3154346

Hillary fica fora de reunião com Dilma

01.01.2011
Do MSN NOTÍCIAS
Por Lisandra Paraguassú, estadao.com.br


Os primeiros encontros bilaterais da presidente Dilma Rousseff, neste domingo, deixaram de fora a secretária de Estado americana Hillary Clinton, que representou na posse o presidente norte-americano Barack Obama.

O governo dos Estados Unidos pediu um encontro mas, de acordo com o Ministério das Relações Exteriores brasileiro, não havia mais espaço na agenda. No entanto, no final da noite de domingo, o primeiro horário vagou: o presidente venezuelano, Hugo Chávez, decidiu voltar para casa antes mesmo do coquetel no Palácio do Itamaraty. Ainda assim, Hillary também foi embora na noite de domingo.

A previsão era de que conversasse com Dilma no Itamaraty, mas a secretária de Estado foi a primeira a sair, antes mesmo de a presidente chegar. As conversas aconteceram durante a cerimônia de posse no Palácio do Planalto. Hillary foi quem permaneceu mais tempo conversando com Dilma na fila de cumprimentos. Nos bastidores, também conversou com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-chanceler Celso Amorim e o novo ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota.

Apesar das relações estremecidas entre Estados Unidos e Venezuela, a secretária de Estado americana e Chávez conversaram por mais de 15 minutos, sozinhos. O venezuelano até mesmo perdeu seu lugar na fila de cumprimentos para ficar próximo a Hillary. Chávez chegou a 'convocar' uma pequena reunião de sul-americanos com Hillary, incluindo na conversa Juan Manuel Santos, o presidente colombiano.

Trabalho. Na manhã de hoje, Dilma começa sua agenda oficial de encontros como presidente. Com a ausência do presidente venezuelano, a primeira reunião será com o príncipe das Astúrias dom Felipe de Bourbon, vice-chefe de governo da Espanha. Estão na lista ainda José Mujica, presidente do Uruguai, os primeiros-ministros da Coreia, Kim Hwang-Sik, e de Portugal, José Sócrates, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, o vice-presidente de Cuba, José Machado Ventura, e o ex-primeiro-ministro japonês Taro Aso.
***
Fonte:http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/artigo.aspx?cp-documentid=26991497

Suplicy: Berlusconi deveria ler relatório sobre Battisti

1/1/2011
Do MSN NOTÍCIAS
Por FERNANDO NAKAGAWA, estadao.com.br


O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) sugeriu hoje ao primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, que lesse as 65 páginas do relatório que a Advocacia-Geral da União (AGU) preparou sobre o caso Cesare Battisti. Segundo o parlamentar, que leu o documento, o argumento das autoridades brasileiras para não extraditar o ex-ativista para a Itália é 'muito bem fundamentado e que, por isso, poderia ser lido por Berlusconi'.

A decisão de não extraditar Battisti foi tomada ontem pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva com base no relatório da AGU. O italiano foi condenado a prisão perpétua na Itália em 1987 por quatro assassinatos promovidos pela organização Proletários Armados pelo Comunismo (PAC).

Preso na Penitenciária da Papuda desde março de 2007, aguardava uma decisão do presidente sobre sua extradição. Lula não queria deixar o caso para ser resolvido pela futura presidente Dilma Rousseff. Segundo a defesa do governo italiano, o país europeu vai recorrer da decisão no Supremo Tribunal Federal (STF).
***
Fonte:http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/artigo.aspx?cp-documentid=26987963

Dilma recebe faixa presidencial de Lula

01.01.2011
Do BLOG DA FOLHA
Postado por Jairo Lima


***
Fonte:http://www.blogdafolha.com.br/index.php/materias/15862-dilma-recebe-faixa-presidencial-de-lula

Momento para ficar na história do Brasil

01.01.2010
Do BLOG DA DILMA
Por Celso Jardim


O momento histórico do país, a passagem da faixa presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva, o primeiro presidente operário e o mais popular da história do país para Dilma Vana Rousseff, a primeira mulher presidente do Brasil.
****
Fonte:http://blogdadilma.blog.br/2011/01/momento-para-ficar-na-historia-do-brasil.html

Nunca antes, e nem depois, na história desse país, teremos um Presidente como Lula...

31.12.2010
Do blog AMIGOS DO PRESIDENTE LULA

Até logo Lula!Lula acena ao se despedir do Palácio do Planalto, no último dia de seu mandato

Lula se despediu de servidores do governo e do Palácio do Planalto. Em seu discurso, o Presidente brincou e disse que pode simplesmente "sair correndo" e se recusar a entregar à sua sucessora a faixa presidencial. Lula também exaltou as conquistas para o Brasil durante os seus dois mandados.

"Eu penso que vocês poderão dizer - e agora sem nenhuma modéstia, com orgulho - que participaram de um momento histórico deste País (...), em que a autoestima do povo mudou, a vida do povo mudou, mesmo sabendo que ainda tem muito para fazer. Porque a gente não consegue mudar em oito anos os desmandos de 500 anos, a gente não consegue, vai precisar mais alguns anos para que a gente possa consolidar", disse Lula emocionado.
****
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2010/12/nunca-antes-e-nem-depois-na-historia.html

Dilma Rousseff se emociona no primeiro discurso como presidente do Brasil

02.01.2011
Do BLOG DA DILMA



***
Fonte:http://blogdadilma.blog.br/2011/01/dilma-rousseff-se-emociona-no-primeiro-discurso-como-presidente-do-brasil.html

Ele vai fazer falta

31.12.2010

Do blog AMIGOS DO PRESIDENTE LULA


Veículos da imprensa internacional publicaram nesta sexta-feira reportagens sobre o último dia de governo do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que entrega no sábado a faixa presidencial para sua sucessora, a também petista Dilma Rousseff. Além do assunto do dia - a não extradição do ex-ativista italiano Cesare Battisti -, a mídia destacou a expansão econômica e as mudanças sociais no País nos últimos oito anos.

A versão online do jornal inglês The Guardian ressalta as origens humildes de Lula. "Ele foi o primeiro presidente do Brasil da classe trabalhadora, ex-operário obcecado por futebol, que trocou a pobreza rural pelo mais alto cargo em seu país e ajudou a empurrar 20 milhões de pessoas para fora da pobreza", abre a reportagem. O jornal afirma que a posse da "ex-rebelde marxista" Dilma Rousseff marcará o fim oficial da Era Lula.

O texto avalia ainda que o petista deixa o governo de um país que se transformou radicalmente, com a economia em expansão e a redução da pobreza - graças, segundo o jornal, aos programas de combate à fome e transferência de renda do governo Lula. A publicação destaca ainda que o presidente termina o segundo mandato com índice de aprovação de quase 90%.

O americano "The Wall Street Journal" destaca os avanços do governo Lula e despedida com uma folgada vitória.

Já o correspondente Bradley Brooks, da Associated Press, afirma que Lula está deixando o poder com um país transformado. Nem os seus adversários podem negar os avanços de sua administração, afirma.

O "The Guardian", destaca o fato de cerca de 20 milhões de brasileiros terem saído da linha da pobreza.
O jornal inglês também fala sobre a possibilidade da volta de Lula em 2014 ou 2018.

Já a reportagem do americano "The Christian Science Monitor" fala que Lula conseguiu fazer o Brasil sede da próxima Copa do Mundo e da Olimpíada de 2016. "Ele vai fazer falta", afirma o jornal.


O site "The Huffington Post" reproduz vídeo da agência Reuters mostrando Lula se emocionando em discursos nos últimos dias de governo.

No site do francês "Le Monde", o destaque vai para o fato de Lula negar a extradição do italiano Cesare Battisti como último ato de seu governo.

No italiano Corriere della Sera, a questão também recebe grande atenção.

Enquanto isso, o blogueiro Ramón Lobo, do site do "El País", compara Lula ao líder sul-africano Nelson Mandela. "Em uma época em que o poder corrompe, mancha e modifica os que o ocupam e decepciona os eleitores, Lula tem um resultado extraordinário". "Nos oito anos de Lula, o Brasil abandonou seu papel secundário, não apenas na América Latina, e se mostra agora como um país corajoso, empreendedor, simpático e em transformação, afirmou, destacando que o ministro da Economia, Guido Mantega, assegura que o País será a quinta economia do mundo em 2026. afirma.
****
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2010/12/ele-vai-fazer-falta.html

Times: Lula deixa para trás um Brasil transformado

01.01.2011
Do blog AMIGOS DO PRESIDENTE LULA

Na Revista Times, uma longa matéria que você nunca vai ler nos jornais e revistas brasileira.


Desde a primeira eleição de Lula em 2002, a classe média cresceu - 29 milhões de pessoas - mais do que a população do Texas - a criação de um novo e poderoso mercado consumidor interno. Outros 20 milhões de pessoas - tanto como no estado de Nova York - foram retirados da pobreza. O país que recebeu uma ajuda 30000000000 dólares do Fundo Monetário Internacional(época de Fernando Henrique Cardoso) ao se aproximar do colapso econômico em 2002 agora empresta dinheiro ao FMI, fazendo até US $ 5 bilhões disponíveis para empréstimos a outras nações.

O valor da moeda do Brasil mais que dobrou em relação ao dólar dos EUA. A desigualdade tem sido reduzido, a renda dos mais pobres, 10 por cento da população, cresceu cinco vezes mais rápido.. A inflação foi domada, o desemprego está em um registro baixo e analfabetismo caiu. No momento em que Brasil sedia os Jogos Olímpicos, é previsto para ser a quinta maior economia do planeta, superando a Itália, Inglaterra e França. Link para a Times, aqui
***
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2011/01/times-lula-deixa-para-tras-um-brasil.html

Emoção na passagem da faixa presidencial

02.01.2011
Do blog AMIGOS DO PRESIDENTE LULA



Lula desce a rampa do Planalto para os braços do povo



A passagem da faixa presidencial, do presidente Lula para a presidenta Dilma, foi marcada por forte emoção.

Lula recebeu Dilma no Palácio do Planalto com grande alegria, com a satisfação dos vitoriosos: de estar transferindo a presidência para as boas mãos da presidenta em quem ele deposita inteira confiança para prosseguir os rumos traçados nos últimos 8 anos.

Na hora de passar a faixa, D. Marisa Letícia deixou escapar lágrimas de emoção. O presidente Lula também marejou os olhos ao despedir da presidência, e na hora que caiu nos braços do povo. A presidenta Dilma também teve que conter as lágrimas de emoção em diversos momentos.

Mas para quem saiu em um pau-de-arara de Garanhuns/Caetés para São Paulo, construiu o mais importante movimento sindical no fim do século passado, construiu a maior central sindical do Brasil, construiu o maior partido de massas, construiu um governo popular sem precedentes na história do Brasil, construiu novas forças nas relações internacionais, e estabeleceu as bases para um Brasil todo de classe média para cima, sem pobreza, e uma potência econômica e política mundial neste século XXI... temos a certeza de que continuará nos surpreendendo e surpreendendo o mundo, mobilizando as nações antes excluídas, da América Latina, da África e do oriente, para construir um mundo melhor.
****
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2011/01/emocao-na-passagem-da-faixa.html

Dilma: “Sou a presidenta de todos”

02.01.2011
Da FOLHA DE PERNAMBUCO


A mineira Dilma Vana Rousseff (PT) tornou-se, ontem, a primeira mulher presidente do Brasil. Eleita com 55.752.529 votos, no dia 31 de outubro de 2010, a petista ressaltou, em seu discurso de posse, que chega ao cargo não apenas como uma representante das mulheres, mas como “presidente de todos”. Ela recebeu a faixa presidencial do antecessor Luiz Inácio Lula da Silva (PT), garantiu que fará o possível para acabar a pobreza extrema no País e levará adiante reformas consideradas inadiáveis, como a política e a tributária. Milhares de pessoas compareceram à cerimônia, que ocorreu na tarde de ontem, em Brasília.
***
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/612237-dilma-sou-a-presidenta-de-todos

Eduardo Campos: “A vitória é desafiadora e nos confere oportunidade”

02.01.2011
Da FOLHA DE PERNAMBUCO
Por ARTHUR CUNHA

“A vitória é desafiadora. E nos confere a oportunidade de - nos próximos quatro anos - consolidar um novo ciclo de desenvolvimento, inclusivo e sustentável, jamais visto em Pernambuco, e um modelo de gestão inovador, que prestigia o estado do fazer, aproximando-o dos que mais precisam, garantindo a participação e o controle social, fortalecendo o serviço público e seus servidores”, destacou o governador Eduardo Campos (PSB), no seu discurso de posse, ontem, na Assembleia Legislativa.

Além dele, o vice-governador João Lyra Neto (PDT) reassumiu o mandato de mais quatro anos. A cerimônia foi pontual e curta, com uma hora e dez minutos de duração. Ao contrário do seu primeiro mandato, em 2007, Eduardo optou por não desfilar em carro aberto. Também não promoveu ato no Palácio do Campo das Princesas. Isso porque teve de embarcar para Brasília para participar da posse da nova presidente, Dilma Rousseff (PT) - ele viajou acompanhado da família.

Eduardo Campos dividiu seu discurso em duas partes. Na primeira, prestou contas do seu primeiro mandato; na segunda, falou dos seus compromissos para o futuro. Emocionou-se por duas vezes: ao falar do avô, o ex-governador já falecido Miguel Arraes, da esposa e dos quatro filhos. Também exaltou as parcerias com os municípios e, principalmente, com o presidente Lula.

O governador destacou que seu objetivo foi promover “uma mudança de atitude no modo de fazer política”, salientando que deixou no passado as “velhas brigas desprovidas de conteúdo e de propósito” para construir a “paz política em torno dos mais elevados interesses do Estado”. “Desta forma conseguimos concentrar tempo e energia para retirar Pernambuco das listas e rankings negativos, onde constumava figurar”, enfatizou.

Campos exaltou a consolidação do Nordeste como a solução do Brasil e a inclusão da meritocracia no serviço público. Olhando para o futuro, disse ter consciência dos desafios que o aguardam, a exemplo de melhorias na educação e qualificação profissional, na qualidade dos gastos, além da aprovação de uma reforma tributária, redução da taxa de juros e ampliação da oferta de financiamento.

Ao falar do ex-presidente Lula, Eduardo arrancou aplausos dos presentes. “O presidente Lula que se mostrou um fiel aliado de todas as horas, a quem, neste momento, em no­me do povo de Pernambuco, presto uma justa homenagem, um tributo sincero e a eterna gratidão da nossa gente”, exaltou.

Quando citou o discurso de posse de Arraes, no seu primeiro mandato, há 48 anos, da mesma tribuna, Eduardo não resisitu ao choro. Ele escolheu o trecho onde o avô pregava a emancipação político-econômica do povo pernambucano. Campos também não segurou as lágrimas ao citar o nome da esposa, Renata Campos, e dos quatro filhos. Nas duas passagens foi bastante apaludido.

Por fim, o governador terminou sua fala parafraseando Gilberto Freyre: “Eu ouço as vozes, eu vejo as cores, eu sinto os passos de outro Pernambuco que vem por aí. Mais justo, mais equilibrado, mais brasileiro”.
***
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/edicao-de-hoje/612232-a-vitoria-e-desafiadora-e-nos-confere-oportunidade