Pesquisar este blog

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

A vez de Dilma

01.01.2011
Do DIÁRIO DE PERNAMBUCO
Por Denise rothenburg


Presidente eleita toma posse hoje e tem o desafio de manter a satisfação do brasileiro com o governo

´Mudar muito para quê, se 83% aprovam o atual governo?` A pergunta foi dita por um dos ministros na reunião em que Dilma Rousseff definiu a linha do discurso que fará hoje, quando tomará posse como a primeira mulher eleita presidente do Brasil. Ela assume com o desejo de se mostrar como algo novo dentro de um governo com cara de velho, porém, querido por mais de 80% dos brasileiros, conforme demonstram as pesquisas de opinião. O maior desafio, ninguém duvida: manter a popularidade nos níveis atuais, sem a presença do maior comunicador do Planalto, o próprio Luiz Inácio Lula da Silva.

A imagem ´criador e criatura`, divulgada ainda durante a campanha eleitoral, terá um só corpo, o de Dilma Rousseff. Foto: Edilson Rodrigues/CB/D.A Press

Hoje, a imagem criador e criatura divulgada na campanha terá um só corpo, o de Dilma. E com os sinais totalmente invertidos em relação a 2003, quando Lula assumiu pela primeira vez o governo com o lema da mudança. Naquele dia, o Brasil apostou em alguém tarimbado em política sem muito conhecimento na área de gestão. Passados oito anos, o país será comandando por aquela que Lula apontou como excelente gestora. Porém, avaliada por muitos como alguém sem experiência política.

Dilma sabe que, para manter a popularidade nos níveis de hoje não poderá prescindir de alguns fatores: contato direto com o público, projetos sociais, economia funcionando a contento e, para completar, manter a maior distância possível de crises na área política. Os aliados de Dilma, entretanto, vêem outro problema. ´Em termos de gestão, teremos tranquilidade. O desafio estará na política e não é nem na oposição, e sim com a base de apoio, e com o perigoso sentimento de posse que toma conta daqueles que participaram `, diz o senador eleito Jorge Vianna, ex-governador do Acre, o único petista que a experiência de passar o comando do estado para um sucessor que ajudou a eleger graças à aprovação do governo, mesma situação de hoje entre Lula e Dilma.

Os aliados da presidente eleita lembram ainda que ela não é tão intuitiva quanto o antecessor na discussão dos problemas. Organizada e austera, Dilma gosta de relatórioscompletos, informações precisas. Aos ministros que não a conhecem - uma parte deles só foi apresentado na hora da indicação - recomenda-se evitar o ´eu acho`, ´parece que é` quando ela pedir dados técnicos. Sejam toneladas, bilhões, litros, alunos, postos de trabalho, de saúde, casas ou qualquer outro número que ela pergunte.

Início marcado

A forma de divulgar o futuro ministério, inclusive, foi diferente do que Lula fez em 2003. Enquanto ele posava ao lado de cada ministro indicado, ela se manteve recolhida. E os indicados, salvo uma entrevista aqui outra ali, foram discretos por ordem de Dilma. ´Lembre-se: nosso governo só começa em 1º de janeiro`, dizia a presidente com muitos dos escolhidos para o primeiro escalão. Era um recado claro de que não queria constrangimentos com Lula e com algum ministro que saiu de cena. A partir de hoje, com Lula fora do palco, ela passa a valer o que dizia o jingle da campanha: ´Agora é Dilma, é a vez da mulher`.
****
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/2011/01/01/politica1_0.asp

Nordeste é parte da solução para o Brasil

1 de janeiro de 2011
Do DIÁRIO DE PERNAMBUCO
Caderno ECONOMIA

Fernando Bezerra, que toma possa 2ª feira no ministério, defende que região contribui para desenvolver o país

´O Nordeste precisa virar um projeto nacional`, defende o futuro ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho. Para ele, é necessário que os problemas da região sejam vistos como parte da solução para o desenvolvimento do país e que os próprios nordestinos tenham essa compreensão. ´É uma sutil mudança`, crê. ´Pensar integração regional não é algo exclusivo do Nordeste, mas do Brasil`, pontua. As declarações de Bezerra Coelho foram dadas em entrevista ao Diario dias antes de ele embarcar para Brasília, onde assistirá hoje à posse da presidente Dilma Rousseff (PT) e às vésperas de ele assumir o novo posto.

Fernando Bezerra, que deixará o cargo de secretário de Desenvolvimento Econômico do governo de Pernambuco, afirmou que conversará com governadores nordestinos e de outras partes do Brasil para ampliar a percepção sobre o papel que a região pode desempenhar. Ele assume o ministério tendo como projeto trazer ´o discurso da infraestrutura para o fórum da Sudene` e aproveitar o conhecimento adquirido pela pasta ao administrar obras como a transposição do São Francisco e a da ferrovia Transnordestina. Bezerra Coelho acredita que esse know how pode ser levado a outras regiões, como Sudeste e Sul. ´Estamos acumulando experiência e temos que aproveitar`, afirma.

Promover uma interface do Ministério da Integração com o Bolsa Família, programa de complemento de renda do governo federal, é outra proposta defendida por Fernando Bezerra. ´A sugestão é que a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) possa articular políticas públicas para promover a transição dos beneficiários do Bolsa Família para o emprego e a renda`. Mas primeiro, frisa no entanto, ´temos de reconhecer que o programa é transitório`. A proposta de articulação por parte da Sudene no caso do Bolsa Família foi levada a presidente e está sendo aprimorada. Deve voltar à pauta do futuro ministro em breve. Hoje, cerca de 12 milhões de famílias são beneficiadas pelo Bolsa Família em todo o Brasil, segundo dados da Matriz de Informação Social (2009-2010).

Os beneficiários recebem bolsas mensais que podem variar de R$ 22 a R$ 200, a depender do grau de pobreza do cidadão e do número de filhos. Têm direito à bolsa cidadãos com renda familiar per capita com valor abaixo de R$ 140. ´Faríamos uma política de migração dessas pessoas, integrando ministérios do Desenvolvimento Nacional, da Ciência e Tecnologia, Saúde e outros`, cogita. O Nordeste, região mais pobre do país, concentra hoje uma média de 50% dos atendidos pelo programa.

Fernando Bezerra Coelho pretende ainda transformar a Sudene num fórum de discussão sobre as prioridades para investimentos de infraestrutura no Nordeste. ´Daqui a pouco vem o PAC-3`, frisa, referindo-se ao Programa de Aceleração do Crescimento e lembrando que nas edições do PAC 1 e PAC 2 ´não houve um aprofundamento e uma visão articulada dos governadores do Nordeste sobre o uso dos recursos para a região`.
****
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/2011/01/01/economia7_0.asp

Lula emocionado na despedida em Pernambuco.28/12/2010

28.12.2010
Extraído do youtube.com



****
Fonte:http://www.youtube.com/watch?v=EzZoxIwLWXA

"O presidente mais amado do povo brasileiro", declama o poeta na despedida de Lula , em Recife

Postado por Irineu Messias, em 31.12.2010,
Versos do poeta Luis Marinho, na despedida de Lula em Recife, 28.12.2010


***
Fonte:http://www.youtube.com/watch?v=J17o5qU7xX8&feature=related

Secom dá paulada na cabeça da Cantanhede

31 de dezembro de 2010
Do Blog de Luiz Carlos Azenha, do blog do Planalto

Colunista da Folha infla números e levanta suspeitas descabidas. É no que dá a falta de rigor…

Na sua coluna de hoje na Folha de S.Paulo, a jornalista Eliane Cantanhede diz que 2.512 sites e blogs teriam sido “agraciados” com investimentos publicitários do governo federal no ano de 2010. A jornalista errou. Na verdade, esse número refere-se à rubrica “outros” – ou seja, outros veículos além das TVs, rádios, jornais e revistas –, que compreende uma variada gama de mídias, como outdoors, busdoors, painéis eletrônicos, cinemas, painéis em metrôs, terminais rodoviários e ferroviários, aeroportos, carros de som, além de portais, sites e blogs.

No caso da Secom, os investimentos em publicidade na internet em 2010 foram de R$ 3.948.284,98 e alcançaram apenas 71 veículos – menos de 3% do total equivocadamente citado pela colunista, portanto. Registre-se ainda que 88% desses recursos foram aplicados em dez dos maiores portais do país, a saber: MSN, Uol, Globo.com, Terra, iG, Yahoo, Abril, Estadão, Valor Online e Folha.com.br. Nenhum deles pode ser incluído na categoria dos chamados “blogs sujos”. Estão mais próximos daquilo que alguns batizaram de “massa cheirosa”.

Segue abaixo o quadro de investimentos da Secom até 20 de dezembro de 2010. Para evitar novos erros e avaliações apressadas, tomamos o cuidado de separar o segmento “internet” da rubrica “outros”:

****












Réveillon no Recife deve atrair mais de meio milhão de pessoas

31.12.2010
Da BLOG DA FOLHA
Postado por Valdecarlos Alves

alt

Queima de fogos na orla de Boa Viagem virou tradição na virada de ano

O Réveillon 2011 no Recife deve atrair de 500 mil a 700 mil pessoas na orla da capital pernambucana em trecho compreendido pelas praias de Boa Viagem e do Pina. Os hotéis, segundo informações da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-PE), estão com ocupação próxima aos 100%, mas ainda há vagas para aqueles que desejarem passar o Réveillon na Cidade.

Os turistas que vierem brindar 2011 na capital pernambucana encontrarão o mapa turístico do Recife, material produzido pela Secretaria de Turismo do Recife em parceria com o Shopping Recife, em seus dormitórios nos mais diversos meios de hospedagem (hotéis, pousadas, flats e albergues). A equipe de Turismo da Prefeitura do Recife realizou distribuição de aproximadamente 5,5 mil mapas e material promocional da Cidade. A ideia é facilitar o acesso à informação turística, estimulando os visitantes a passarem mais tempo no destino.

Além disso, haverá atendimento ao turista nos postos de informações mantidos em seis pontos do municípío (observar horários abaixo). Para aqueles que ainda não reservaram hotel, os recepcionistas dos postos de informações estão aptos a informar onde ainda há vagas a partir do Box de Disponibilidade Hoteleira, uma parceria com a ABIH.

***

Fonte:http://www.blogdafolha.com.br/index.php/materias/15825?task=view

Em nota, alvirrubros repudiam postura do rubro-negro petista João Paulo

30 de Dezembro de 2010
Do BLOG DA FOLHA
Postado por Valdecarlos Alves


REPÚDIO A JOÃO PAULO

O Movimento Transparência Alvirrubra (MTA) – organização apolítica que tem como único propósito o engrandecimento do Clube Náutico Capibaribe (CNC), e que abriga em seus quadros pessoas de diversos matizes ideológicos - aprovou voto de repúdio às atabalhoadas declarações do ex-prefeito do Recife João Paulo, divulgadas pela imprensa pernambucana hoje (30.12), em referência ao Clube Náutico Capibaribe. Com sua já conhecida falta de habilidade no trato de assuntos polêmicos o senhor João Paulo declarou:

Votei no hepta, porque acredito em dois anos vitoriosos da nova gestão (do Sport Club Recife). Creio no hepta porque hexa é normal, até o Náutico já é também”. Sem a grandeza que deveria demonstrar como homem público (e não como um mero torcedor sectário e mesquinho) o senhor João Paulo desdenhou do centenário Clube Náutico Capibaribe e de um de nossos maiores orgulhos, a conquista do Hexacampeonato. Certamente “consultou os astros” para prever o Sport campeão em 2011 e 2012.

Além de inoportuna e deselegante, a declaração mostrou o quanto o pseudo-político “humilde e popular” é arrogante e prepotente. Aliás, foram justamente a arrogância e a prepotência que o impediram recentemente de ser governador, senador, ministro e tantas outras oportunidades perdidas por ele a partir da sua incapacidade de pavimentar caminhos de entendimento. Submerso em sua vã vaidade, hoje o senhor João Paulo é visto no meio político com desconfiança. Por isso ele não conseguiu a indicação do PT para ser candidato a governador em 2006, nem para ser senador em 2010. Bajulou Lula e Dilma na tentativa de ser ministro, mas foi repudiado e hoje está prestes a deixar o PT porque queria fazer do prefeito João da Costa apenas um fantoche em suas maquiavélicas mãos.

João Paulo não tem a grandeza e a diplomacia de adversários nossos como o próprio presidente eleito do Sport, Gustavo Dubeux, que declarou recentemente ser importante que o Náutico e o Santa Cruz se fortaleçam para que o futebol pernambucano como um todo se torne mais competitivo. Em resumo, João Paulo é “sutil como elefante em loja de cristais” e por isso merece o nosso repúdio. Esperamos que o Clube Náutico Capibaribe e os alvirrubros correligionários do PT também se manifestem oficialmente. Este é o desejo da torcida alvirrubra, que se Deus quiser continuará afirmando sempre que HEXA É LUXO.
****
Fonte:http://www.blogdafolha.com.br/index.php/materias/15828-em-nota-alvirrubros-repudiam-postura-do-rubro-negro-petista-joao-paulo

Em despedida, Lula diz que usa termo 'nunca antes' para irritar adversários

31.12.2010
Do BLOG DE JAMILDO
Por Simone Iglesias e Larissa Guimarães, na Folha.com

Ao se despedir dos funcionários da Presidência, nesta sexta-feira, em cerimônia no Palácio do Planalto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que passou a usar sempre que possível a frase "nunca antes na história desse país" para irritar os adversários. (VEJA A ÍNTEGRA DO DISCURSO

Lula autoelogiou seu governo e afirmou que tudo o que ele e o PT prometeram nos programas de governo de 2002 e de 2006 foi cumprido.

"Eu gosto de falar 'nunca antes' porque eu sei que tem adversários e gente que não gosta, que sofre quando eu falo. Como eles pensam que eu sofro quando eles falam mal de mim, então eu retribuo dizendo que nunca antes na história do país houve, dentre deste palácio, nesta sala, a quantidade de movimentos sociais participando, falando, propondo e decidindo políticas que o governo brasileiro tinha que executar", afirmou.

Lula disse que sua sucessora, Dilma Rousseff, fará um bom governo, mas que precisará convencer o ministro da Fazenda, Guido Mantega, a liberar mais recursos para investimentos.

"A Dilma vai fazer muito mais, porque o carro não está estacionado, o carro está andando. É só apertar um pouquinho o acelerador, fazer o Guido abrir um pouquinho a mão, liberar um pouco mais de dinheiro, que a coisa vai fluir com muito mais facilidade."

O presidente brincou com a cerimônia de posse, que ocorrerá neste sábado, a partir das 14h. Disse que se Dilma bobear, não passará a faixa.

"Se ela vacilar eu saio correndo, quero ver ela correr atrás de mim na Esplanada, atrás daquela faixa. Por isso é que eu me preparei fisicamente, ela disse que parou de andar, então ela vai estar menos preparada do que eu, fisicamente", afirmou.

Depois de decidir pela manutenção do terrorista italiano Cesare Battisti no Brasil, Lula discursou para ministros e funcionários e tirou fotos.

Na agenda do presidente, antes de encerrar seu mandato, há uma reunião com o vice-presidente do Conselho de Estado de Cuba, José Ramón Ventura, e com o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas.
****
Fonte:http://jc3.uol.com.br/blogs/blogjamildo/canais/noticias/2010/12/31/em_despedida_lula_diz_que_usa_termo_nunca_antes_para_irritar_adversarios_87891.php

Amorim: Brasil tomou decisão soberana sobre Battisti

31/12/2010
Do MSN NOTÍCIAS
Por Tânia Monteiro, estadao.com.br


O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, disse hoje que não há razão para o Brasil se preocupar com as relações com o governo italiano, depois da decisão de não conceder extradição ao ex-ativista Cesare Battisti. 'O Brasil tomou uma decisão soberana, dentro dos termos previstos do tratado e as razões estão explicitadas no parecer da AGU (Advocacia Geral da União)', disse Amorim.

Em nota, o governo brasileiro afirma que 'considerou atentamente' todas as cláusulas do Tratado de Extradição entre o Brasil e a Itália e manifesta 'estranheza' com as declarações da presidência do Conselho de Ministros da Itália, de que negar a extradição seria 'incompreensível e inaceitável' e que o presidente brasileiro teria que explicar a decisão às famílias das vítimas de Battisti.

'O governo brasileiro manifesta sua profunda estranheza com os termos da nota da Presidência do Conselho dos Ministros da Itália, de 30 de dezembro de 2010, em particular com a impertinente referência pessoal ao Presidente da República', afirma o texto.
****
Fonte:http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/artigo.aspx?cp-documentid=26975504

Fausto de Sanctis é nomeado para o TRF

31.12.2010
Da FOLHA DE PERNAMBUCO

Caderno POLÍTICA

SÃO PAULO (Folhapress) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva nomeou o juiz federal Fausto Martin de Sanctis como novo desembargador do TRF (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região. O decreto foi publicado ontem na imprensa oficial. A promoção havia sido antecipada pelo jornal Folha de São Paulo no final de novembro. A posse do juiz deve ocorrer em 30 dias.
De Sanctis ficou nacionalmente conhecido pela atuação nas ações penais relativas à Operação Satiagraha, da Polícia Federal, ao determinar por duas vezes a prisão do banqueiro Daniel Dantas, na fase de inquérito da operação, e por ter aplicado a Dantas a pena de dez anos de prisão em um dos processos relativos ao caso. Dantas nega ter cometido os crimes apontados na Satiagraha e recorreu contra a condenação imposta por De Sanctis.

A medida do TRF foi tomada de acordo com a vontade de De Sanctis, que se inscreveu no concurso de promoção por antiguidade. O juiz era o primeiro da lista de concorrentes por ter o maior tempo na magistratura na 1ª instância da 3ª Região da Justiça Federal, na qual são julgadas as causas federais de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Em 2008, auge da Satiagraha, uma vaga por antiguidade também foi aberta no TRF. Na oportunidade, contudo, De Sanctis abriu mão da promoção e não se inscreveu para o concurso.
*****
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/611970?task=view

Dilson Peixoto tem função definida na nova gestão

31.12.2010
Da FOLHA DE PERNAMBUCO
Por ARTHUR CUNHA


Secretário das Cidades comandará empresa que será criada

Depois de sua permanência no Governo ser questionada por vários dias, o secretário das Cidades, Dilson Peixoto (PT), será mantido na máquina estatal. Vai do primeiro para o segundo escalão, onde comandará a Empresa Pernambucana de Transporte Intermunicipal (EPTI), cuja proposta é gerenciar todo o transporte no Interior. Ligada à Secretaria de Transportes, a empresa pública será criada em 2011, conforme lei já aprovada em 2007. Para o Departamento de Estradas de Rodagens do Estado de Pernambuco (DER) vai a engenheira Erika Luna, atual diretora da Companhia Estadual de Habitação e Obras (Cehab).

As informações nos bastidores eram de que Dilson não seria mantido por não ter cumprido as metas estipuladas pelo governador Eduardo Campos (PSB). Em meio aos rumores, o futuro secretário de Transportes, deputado Isaltino Nascimento (PT); o presidente estadual do PSB, Milton Coelho; e o próximo secretário da Casa Civil, Tadeu Alencar, saíram em defesa de Dilson. Eles exaltaram a capacidade técnica do aliado, sua importância para o PT e para projeto. Antes de ser anunciado, Dilson reuniu-se com Eduardo, no Palácio.

“Dilson é sério e tem relevantes serviços prestados a Pernambuco e ao Recife”, destacou Milton Coelho. Isaltino afirmou que a reportagem se baseou em “previsões de Mãe Diná” para publicar matéria dizendo que o correligionário seria mantido a contragosto no Governo. “Dilson é um dos melhores quadros do PT de Pernambuco, com experiência nacional. Não há nenhuma querela”, salientou. Tadeu Alencar negou que a troca do aliado estivesse nos planos do governador. “Se alguém está tentando isso (jogar o PSB contra o PT), não terá sucesso”, comentou.

Dilson Peixoto disse sua principal tarefa na EPTI será discutir com municípios de fora da Região Metropilitana do Recife, Poder Legislativo e sociedade a regulamentação do transporte. “Vamos mediar politicamente nesse sentido”, reforçou, enfatizando que não atenderá aos interesses das empresas. O orçamento inicial da empresa será de R$ 5 milhões. Um concurso para contratação de servidores está nos planos dos dirigentes.

2º ESCALÃO

O futuro secretário de Turismo, Alberto Feitosa (PR), reforçou que a composição do segundo escalão da pasta será feita em conjunto por ele, pelo governador e pelo presidente estadual do PR, Inocêncio Oliveira. Feitosa negou que o diretor-adjunto da Secretaria de Juventude e Emprego, André Correia, seja o escolhido para dirigir a Empetur. Nos bastidores, porém, o nome já está confirmado.

Já o atual secretário de Educação, Nilton Mota, acompanhará o futuro secretário das Cidades, Danilo Cabral (PSB). Nilton tem três caminhos prováveis: a secretaria-executiva, a direção da Cehab ou do Grande Recife Consórcio de Transportes.
****
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/611966?task=view

No Ano que Vem(poema)

31.12.2010

No Ano Que Vem
Autor: Irineu Messias

No ano que vem,
Vou cada vez mais olhar para o céu,
Pois lá em cima existe um Alguém
Que nunca me deixou ao léu,
Sinto que Ele dirige minha sina

No ano que vem
Vou ser mais agradecido á Aquele
Pelos grandes livramentos
Que à minha vida Ele tanto deu
Graças à intercessão misericordiosa
Daquele que se assenta sua Destra, o Filho Seu

No Ano que vem,
Todos os dias vou me lembrar
De agradecer, de louvar e de orar...
Pois seremos seres incompletos
nosso oásis, será deserto
Se nossas vidas, perante ele, não se prostrar

No Ano que vem,
Sejamos melhores humanos,
não importa a cor, a raça...
sejam negros,pardos, indios ou brancos

No Ano que Vem...
É verdade, poderia ter sido este ano...
Mas, como se diz: "Antes tarde do que nunca"
Fácil, mais fácil tudo será...
Convidemo-Lo pra nossas vidas
Ele quer sempre nos ajudar
Seja neste fim de ano,
Ou no ano que vem

Mas sem Ele, não existiria este ano,
Muito menos o ano que vem
O nome Dele é Jesus Cristo,
Ele é o Filho
Que faz a brilhar as estrelas no Firmamento,
Nos dar tantas alegrias, no ano que passa,
No ano que vem,
Todos os anos,
E em todos os momentos!

Ele é Deus,
Senhor dos Senhores,
Por todos os séculos, amém!

***








Posse de Eduardo Campos tem início às 10h deste sábado. Governador não fará ato festivo

31.12.2010
Da FOLHA DE PERNAMBUCO
Com informações de Manoel Guimarães
Repórter de Política


A cerimônia de posse do governador reeleito Eduardo Campos (PSB) e do vice João Lyra Neto (PDT) se inicia às 10h deste sábado. O ato será realizado na Assembleia Legislativa, onde os dois serão recebidos por uma comissão suprapartidária de deputados e convidados a integrar a mesa, junto ao presidente da Casa, Guilherme Uchoa (PDT). Na ocasião, Campos e Lyra entregam as declarações públicas de seus bens, para em seguida, prestar juramento à Constituição e realizar pronunciamento.

A estimativa da equipe do Cerimonial da Assembleia é que a posse tenha duração de uma hora, terminada após os integrantes da Mesa e os deputados presentes assinarem a ata de reunião. Campos não vai realizar desfile em carro aberto ou qualquer outro ato festivo, já que embarca para Brasília a fim de participar da posse da presidente eleita Dilma Rousseff (PT), marcada para as 16h (horário de Brasília).
****
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/noticias-geral/33-destaque-noticias/612018-posse-de-eduardo-tem-inicio-as-10h-deste-sabado-governador-nao-fara-ato-festivo

Obrigado leitores, e um Novo Ano de muitas alegrias

31.12.2010
Por Irineu Messias


Quero agradecer a todos leitores por ter acompanhado todo este ano de 2010 nosso blog. Fico feliz ao ver que a cada dia cresce o número de acesso. Mais gratificante é saber que não só meus irmãos brasileiros acessam.

Tenho tido a alegria de contar com leitores diários dos Estados Unidos, Eslovênia, Itália, Portugal, Reino Unido, Croácia, Alemanha,Cingapura, Holanda e Canadá, além de internautas de outros países que acessam um pouco menos.

Desejo um Feliz 2011 de muitas alegrias. Que seja de alegrias no amor, no trabalho, na família e todos os aspectos da vida.

Que Deus lhe ajude a realizar os muitos sonhos e projetos que não possíveis em 2010.
Adeus Ano Velho, adeus 2010. Leve consigo as tristeza que os muitos momentos geraram em nós. Repitam-se em profulsão as muitas alegrias que tivemos também.

Reitero meus agradecimentos a todos que acessam diariamente meu blog.Espero poder melhorá-lo cada vez apartir de 2011.

Deus abençoe a todos e muitas alegrias em 2011 e em todos os anos que vamos romper, juntos,aqui.

Irineu Messias
***

Parecer da AGU conclui que Battisti poderia correr "perigo" se voltasse à Itália

31/12/2010
Camila Canmpanerut
Do UOL Notícias
Em Brasília


O ativista italiano Cesare Battisti

Cesare Battisti deve permanecer no Brasil como imigrante.

Advogado da Itália afirma que não extradição de Battisti é ato "ilegal e abusivo" .

Advogado de Battisti elogia decisão "humanista" do presidente Lula.

Itália recorrerá de decisão e promete garantir integridade de Battisti, diz advogado.

O parecer do Advogado-Geral da União, ministro Luís Inácio Lucena Adams, que foi usado na decisão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para não extraditar o ativista italiano Cesare Battisti, concluiu, com base na defesa dos direitos humanitários que, o regresso de Battisti à Itália, poderia representar algum perigo à vida do preso.

“Conclui-se que há ponderáveis razões para se supor que o extraditando possa ser submetido a agravamento de sua situação pessoal. E que, se plausível a premissa, deve-se aplicar o tratado, no sentido de se negar a extradição, insista-se, por força de disposição do próprio tratado, que confere discricionariedade, ao Presidente da República, nos termos do já referido tratado”, disse Adams em seu parecer.

O documento de 65 páginas, disponível no site da AGU (Advocacia Geral da União) desde a manhã desta sexta-feira, recomenda a não extradição de italiano e foi uma das bases que fundamentou a decisão do presidente Luiz Inácio Lula para tomar a decisão anunciada nesta manhã pelo ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim.

“Há fundadas razões para suposição de que o extraditando possa ter agravada sua situação pessoal. E tal suposição não sugere, e nem suscita, e nem cogita, de qualquer ato de hostilidade para com as autoridades do Estado- requerente”, diz o documento. E continua: “A questão exige que se proteja, de modo superlativo possível, a integridade de pessoa eventualmente exposta a perigo, em ambiente supostamente hostil”.

Segundo a AGU, o parecer foi elaborado pela CGU (Consultoria-Geral da União), respeitando a legislação brasileira e o tratado de extradição firmado entre Brasil e Itália. O texto também fora debatido com a Casa Civil, o Ministério de Relações Exteriores e com o Ministério da Justiça.
****
Fonte:http://noticias.uol.com.br/politica/2010/12/31/parecer-da-agu-conclui-que-battisti-poderia-correr-perigo-se-voltasse-a-italia.jhtm

Para analistas, 'diplomacia do carisma' de Lula projetou Brasil

30 de dezembro de 2010
Do blog AMIGOS DO PRESIDENTE LULA

Ao imprimir um tom "carismático e personalista" à sua política externa, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva contribuiu de forma decisiva para uma maior projeção do Brasil no cenário internacional, dizem especialistas ouvidos pela BBC Brasil.


A avaliação é de que a história pessoal do presidente, que ascendeu da pobreza ao cargo máximo da política do país, aliada à sua capacidade de negociação, ajudaram a "legitimar" as reivindicações do Brasil nos principais debates mundiais.


Mas os analistas também veem "excessos" em uma estratégia que, para muitos, privilegiou os "gestos e a retórica" em detrimento de resultados concretos.


"A contribuição do presidente Lula para a projeção do país é inegável. Na questão da imagem, saímos melhores, mas isso não é tudo em diplomacia", diz Rubens Ricupero, ex-secretário-geral da Conferência das Nações Unidas para o Comércio e o Desenvolvimento (Unctad) e atualmente diretor da Faculdade de Economia da Faap.


Em oito anos de governo, Lula foi frequentemente elogiado pela opinião pública internacional, que viu no líder brasileiro um "símbolo" e "porta-voz" das demandas dos países em desenvolvimento.


Na opinião de Ricupero, o estilo de Lula aplicado à diplomacia trouxe "perdas e ganhos" ao Brasil nos últimos oito anos.


O principal ganho, segundo ele, foi o fortalecimento do G20, grupo que reúne as maiores economias do mundo, e que a partir de 2008 passou a dar mais voz aos países emergentes.


"Claro que a conjuntura internacional, com a crise financeira, ajudou a mudar o status quo, dominado pelas grandes potências. Mas o presidente Lula teve o mérito de ser um dos principais porta-vozes da necessidade de mudanças no grupo", diz Ricupero.


Como perda, o ex-secretário da Unctad cita o "fracasso" das negociações com o Irã, que para ele foi fruto de uma "insistência sem qualquer respaldo internacional".


"Ali ficou claro o quanto o excesso de personalismo, o desejo de vitória a qualquer preço, pode ser também infrutífero. O resultado foi desastroso", diz o ex-embaixador.


LÍDER 'INTUITIVO'


Professor de história das Relações Internacionais da UNB (Universidade de Brasília), Amado Cervo diz que o perfil "intuitivo" e "menos racional" do presidente Lula, com seus discursos em prol da justiça e de defesa da negociação no lugar do confronto, fez do presidente uma "celebridade política" no circuito internacional.


"Sem dúvida Lula foi um líder com altíssima aceitação na opinião pública mundial. E é natural que o país tenha se beneficiado disso", diz Cervo.


Um dos principais legados de Lula para a diplomacia, na opinião do professor da UNB, está na projeção econômica e comercial do país.


Para Cervo, Lula foi uma espécie de "garoto-propaganda" não apenas da economia brasileira, mas também das empresas. "Ele se responsabilizou por essa tarefa como ninguém e acho que a estratégia funcionou bem".


Já do ponto de vista das relações políticas, o professor da UNB vê "excessos" na diplomacia lulista, como na tentativa de acordo com o Irã e a na condenação a Honduras.


"Minha avaliação é de que, em muitos desses casos, o presidente precisava agradar a certas alas do PT. E acabou dando passos maiores do que as pernas, como na aproximação com (Mahmoud) Ahmadinejad", diz Cervo.


DILMA


A figura do líder carismático, que fala de improviso e sempre com uma opinião sobre os mais variados assuntos, deverá ceder lugar a uma presidente mais racional, mais concentrada em resultados e comedida em seus comentários.


É assim que analistas e diplomatas veem a transição da diplomacia do governo Lula para a da futura presidente, Dilma Rousseff.


"Minha impressão é de que ela será mais comedida nos comentários e mais racional nas negociações", diz Cervo.O perfil mais técnico da nova presidente, aliado ao seu conhecimento de economia, também é apontado como diferença em relação ao perfil político e carismático de Lula.


"O presidente Lula é um superstar, mas isso não quer dizer que a presidente eleita não possa conquistar seus nichos. Diplomacia não é uma disputa de popularidade", diz Ricupero.BBC Brasil
***
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2010/12/para-analistas-diplomacia-do-carisma-de.html

MSM pedirá investigação da publicidade oficial de SP

30.12.2010
Do BLOG DA DILMA
Por Jussara Seixas

São revoltantes as matérias que o jornal Folha de São Paulo vem fazendo sobre a dispersão de gastos publicitários durante os dois governos Lula. Menos pela insinuação torpe quanto a suposta compra de apoio até de “blogs” com dinheiro da publicidade oficial, uma acusação sem provas e sem nomes, do que pela suprema hipocrisia de veículos como esse jornal, que recebem fortunas do governo do Estado, praticarem, em relação a esse governo, o jornalismo mais chapa-branca que se pode conceber.

Há fartura de matérias na internet sobre as fortunas que o governo do Estado gasta com Globos, Folhas, Vejas e Estadões desde Mário Covas até hoje, durante os 16 anos em que os tucanos governam São Paulo. O site Namaria News, linkado nesta página, divulga, reiteradamente, matérias sobre os abusos que os governos tucanos do Estado praticam com o dinheiro público para comprarem a benevolência desses veículos que não apenas se omitem de fiscalizar a administração paulista como se prestam ao papel de leões-de-chácara do tucanato, atacando seus inimigos políticos.

Nos últimos dias, a mesma Folha que se negou a noticiar as denúncias da revista Carta Capital sobre os negócios mal-explicados da filha de José Serra e do próprio com o banqueiro Daniel Dantas ou que não viu nada demais em a filha do ex-governador Geraldo Alckmin entrar como vendedora na organização criminosa Daslu e, em poucos meses, se tornar “diretora de novos negócios”, agora fica fazendo suposições sobre os negócios dos filhos do presidente Lula.

Chegou ao limite a paciência de amplos setores da sociedade paulista com a descarada negociata que é a relação do governo do Estado de São Paulo com a imprensa local, de forma que, por decisão deste blogueiro, a Organização Não Governamental que preside, o Movimento dos Sem Mídia, no início de 2011 representará ao Ministério Público pedindo investigação da publicidade oficial do governo do Estado, sobretudo dos negócios desse governo com Folhas, Globos, Vejas e Estadões.

http://www.blogcidadania.com.br/2010/12/msm-pedira-investigacao-da-publicidade-oficial-de-sp/
***
Fonte:http://blogdadilma.blog.br/2010/12/msm-pedira-investigacao-da-publicidade-oficial-de-sp.html

Brasileiro ganha documento de identidade com chip

30/12/2010
Daniella Jinkings
Repórter da Agência Brasil

Brasília – Em 2011, 2 milhões de brasileiros poderão substituir a cédula do Registro Geral (RG) pelo cartão de Registro de Identidade Civil (RIC). Com a chegada do RIC, cada cidadão passa a ser reconhecido nacionalmente por um único número, vinculado diretamente às suas impressões digitais e registrado em um chip presente no cartão. O novo documento foi lançado hoje (30), em Brasília, pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e pelo ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto.

Segundo Barreto, a nova identidade é um dos mais modernos documentos de identificação do mundo. “Com o RIC, o Brasil ingressa no século 21. A identidade atual completou 27 anos sem muitas mudanças. O novo RIC é mais moderno, traz tecnologia de ponta, é mais seguro e mais prático. No futuro, esse documento também integrará o CPF, o título de eleitor e muitos outros documentos. Além disso, há possibilidade de fazer transições bancárias com o novo cartão.”

A nova identidade é um cartão magnético com impressão digital e chip eletrônico, incluirá nome, sexo, data de nascimento, foto, filiação, naturalidade, assinatura, impressão digital do indicador direito, órgão emissor, local e data de expedição e de validade.

De acordo com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Ricardo Lewandowsky, o novo documento de identificação é a prova de fraudes e evita que uma mesma pessoa seja identificada por mais de um número de registro em diferentes estados da Federação ou que o cidadão seja confundido com uma pessoa de mesmo nome.“Os resultados [do RIC] são de extrema relevância. Essas vantagens poderão contribuir para mitigar os graves prejuízos para o estado e para os cofres públicos, pois evita crimes”, afirmou.

A substituição da carteira de identidade será feita, gradualmente, ao longo de dez anos. As primeiras cidades que receberão o projeto piloto no próximo ano serão Brasília, Rio de Janeiro, Salvador, Hidrolândia (GO), Ilha de Itamaracá (PE), Nísia Floresta (RN) e Rio Sono (TO).

Os cidadãos contemplados nesta etapa inicial receberão uma carta indicando a possibilidade de troca do RG pelo RIC, além do local onde o novo documento poderá ser retirado. A implementação da nova identidade não compromete a validade dos demais documentos de identificação.

A emissão do RIC em 2011 será custeada pelo Ministério da Justiça, o cidadão não precisará pagar pela troca. Segundo o ministério, o investimento no primeiro ano será de cerca de R$ 90 milhões. Para os próximos anos, o comitê gestor do RIC vai definir a origem dos recursos que vão custear as emissões, sendo possível, inclusive, parcerias público-privadas e financiamentos internacionais.

Edição: Aécio Amado
****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/home;jsessionid=559A9AFDA5FC6DFD85F34EAD2E108BAC?p_p_id=56&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-3&p_p_col_pos=1&p_p_col_count=8&_56_groupId=19523&_56_articleId=3152173

Presidente Lula assina MP que reajusta salário mínimo para R$ 540

30/12/2010
Stênio Ribeiro
Repórter da Agência Brasil

Brasília
– O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou hoje (30) duas medidas provisórias: a que reajusta o salário mínimo de R$ 510 para R$ 540, a partir de 1º de janeiro, e a que cria facilidades para crédito de longo prazo.

A informação foi dada pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, após despachar com o presidente, no Palácio do Planalto, no início da tarde. O áudio da conversa com os jornalistas foi divulgado pela assessoria do ministro.

Mantega disse que encontrou o presidente satisfeito com o desempenho da economia em seus oito anos de governo. Segundo o ministro, ele destacou o recorde das exportações brasileiras, que devem ultrapassar US$ 200 bilhões neste ano, e o fechamento de mais de 1 milhão de contratos para construção de moradias do programa Minha Casa, Minha Vida.

O ministro ressaltou também que o cenário econômico está amplamente favorável à continuação do crescimento sustentado do país. Citou, como exemplo, o fato de a inflação estar sob controle, apesar das pressões inflacionários observadas no início deste ano e nos últimos meses, em grande parte devido aos aumentos de preços dos alimentos.

Ele afirmou que “não há condições da inflação sair da meta”, cujo centro é 4,5%, podendo flutuar entre 2,5% e 6,5%. De acordo com o boletim Focus, divulgado na última segunda-feira (27) pelo Banco Central, a expectativa dos consultores financeiros da iniciativa privada é de que o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) feche o ano em 5,90%.

Mantega disse ainda que as expectativas são de redução do nível de atividade em 2011, comparado a este ano, que terá crescimento entre 7,5% e 7,7%. Mas salientou que também haverá redução dos gastos públicos para cumprimento integral da meta de superávit primário (economia para pagamento dos juros da dívida).

“Cumpriremos o superávit primário estabelecido para 2011, e a relação dívida/PIB [Produto Interno Bruto], que está levemente acima de 40%, vai fechar o ano que vem abaixo de 38%, certamente. Poderemos fazer mais do que a meta”, afirmou.

Edição: Nádia Franco
****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/home;jsessionid=559A9AFDA5FC6DFD85F34EAD2E108BAC?p_p_id=56&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-1&p_p_col_count=1&_56_groupId=19523&_56_articleId=3152333

Assalto no Hiper de Casa Forte

31 de dezembro de 2010
Do DIÁRIO DE PERNAMBUCO
Por Ana Neiva

Assaltantes trocaram tiros com vigilantes que estavam abastecendo caixas eletrônicos no subsolo do local

Na véspera do último dia do ano, quando muitas pessoas lotavam o Hiper Bompreço de Casa Forte nos preparativos do réveillon, assaltantes trocaram tiros com seguranças de uma empresa de transporte de valores na hora que desceram do carro-forte, deixando duas pessoas feridas e causando pânico entre os clientes. Os tiros atingiram o médico aposentado Paulo Gustavo Viana Lira, 71, que estava na fila para sacar dinheiro, e o vigilante da Brinks Samuel José Freitas Júnior, 27, atingido na cabeça. O médico foi ferido com um tiro transfixante na região do abdômen, fraturou duas costelas e está internado na UTI do Hospital Esperança.Seu estado de saúde é estável. Já Samuel passava, na noite de ontem, por uma cirurgia no Hospital da Restauração. Sua situação é delicada.

Polícia não conseguiu prender nenhum bandido da quadrilha. Abaixo, mancha de sangue próxima aos caixas. Foto:Ricardo
Fernandes/DP/D.A Press

Segundo a polícia, os ladrões chegaram armados com pistolas e uma espingarda calibre 12 por volta das 13h, no momento em que os vigilantes da Brinks abasteciam os caixas eletrônicos, localizados no estacionamento do subsolo do supermercado. Houve trocade tiros. Pânico e correria para quem estava na fila para sacar dinheiro e para os clientes dentro do supermercado. Os assaltantes fugiram levando um malote, cuja quantia não foi divulgada pela empresa de segurança.

Pelas imagens do circuito de segurança fornecidas pelo supermercado, os ladrões já esperavam o carro-forte. ´Tudo indica que eles se dividiram em grupos. Quatro bandidos aparecem na hora da abordagem ao vigilante, mas acreditamos que havia outros homens dando corbertura no estacionamento externo`, disse o delegado Manuel Martins, titular da Delegacia de Repressão ao Roubo e Furto.

Um dos carros usados pela quadrilha, um Astra prata, foi abandonado minutos depois ao lado da Loja Insinuante de Casa Forte, a 50 metros do Hiper Bompreço. Dentro do veículo, os policiais encontram quatro capacetes e três capuzes, além de mochilas de viagem e uma sacola de malote vazia. Uma espigarda calibre 12 com um cartucho deflagrado também foi localizada às margens do mangue do Rio Capibaribe por trás do supermercado.

A dona de casa Ana Maria Viana Lira, 67, mulher do médico aposentado Paulo Gustavo, contou que tudo aconteceu muito rápido. ´Meu marido se deslocou um pouco porque a fila atrapalhava a passagem, quando escutei os tiros. Uma pessoa me empurrou para baixo e eu cai no chão. Enquanto isso, meu marido já estava ferido, chamando pelo meu nome`, lembrou a senhora, que tinha ido ao supermercado sacar dinheiro para fazer pagamentos e compras para a festa de Ano Novo.

Em nota, o Bompreço informou que a segurança de seus clientes e funcionários é uma prioridade na operação de todas as suas lojas e que a empresa reforçou a segurança externa e interna da loja. Este ano, foram registrados quatro assaltos a carros-fortes. (Ana Neiva)
****
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/2010/12/31/urbana1_0.asp

Reforço com mais de 1,5 mil policiais

31 de dezembro de 2010
Do DIÁRIO DE PERNAMBUCO


Mais de 1,5 mil homens da Polícia Militar farão o policiamento de todo o estado durante à noite de réveillon. Somente nos principais polos de festas da Região Metropolitana do Recife (RMR) serão 813 policiais, a pé, a cavalo e também motorizados. Além disso, os plantões das delegacias funcionarão normalmente, tendo o reforço de duas delegacias móveis: uma nas imediações do Edifício Acaiaca, na orla de Boa Viagem, e outra em Bairro Novo, Olinda.

Segundo o diretor geral de operações da PM, coronel Eden Vespaziano, haverá efetivos lançados nos mais diversos pontos da RMR, litoral e interior. ´Em Boa Viagem teremos o policiamento reforçado nas imediações do Castelinho, Acaica e no Pina, além das paradas de ônibus`, garantiu o coronel.

Ao todo, 1.112 presos serão liberados para passar o réveillon com a família. A medida é um direito apenas de detentos de regime semiaberto. Eles devem retornar às unidades até as 18h de domingo. Na liberação para o Natal, dos 992 presos que obtiveram autorização, 26 não retornaram.
****
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/2010/12/31/urbana3_2.asp

Rotas alternativas para fugir do trânsito

31 de dezembro de 2010
Do DIÁRIO DE PERNAMBUCO

Motoristas recebrão panfletos para evitar engarrafamentos no Litoral Sul. Caminhões proibidos na PE-60

A partir de hoje até às 5h de segunda-feira, todas as lombadas eletrônicas do estado estarão desligadas para auxiliar o fluxo nas rodovias. As obras nos viadutos da Estrada da Batalha e na PE-60, em Suape, também serão paralisadas para evitar uma maior lentidão no trânsito. Para completar os trabalhos da ação denominada Operação Réveillon, caminhões que usualmente utilizam a PE-60, principal via de acesso às praias do Litoral Sul, não poderão utilizar a rodovia, sendo instruídos para seguir pela BR-101.

´Vamos fazer um bloqueio e só será permitido a passagem dos caminhões na PE-60 que forem para Suape, salve exceções`, afirmou o inspetor da PRF, Eder Rommel. Em dias normais, o número de carros que seguem para o Litoral Sul é de aproximadamente 25 mil; para o Norte, 20 mil. Nessa época do ano, os números chegam a 75 e 60 mil veículos, respectivamente. As praias de Porto de Galinhas, Maracaípe, Cupe e Muro Alto são os destinos mais procurados no Litoral Sul. Por isso, o futuro secretário de Transportes do estado, Isaltino Nascimento, anunciou ontem, na sede da Secretaria, em Santo Amaro, rotas alternativas para desafogar a PE-60 (ver quadro).

Cerca de 700 homens da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRV) estarão nas rodovias, aliados a cerca de 30 viaturas e um helicóptero. Além disso, também serão distribuídos cem mil panfletos com indicações de rotas alternativas para o litoral. O BPRV, que trabalha com cerca de 25 homens nas rodovias estará com uma média de 85 policiais nas rodovias durante os dias de ´rush`. O coronel Manoel Martins afirmou que o aumento no contigente é uma tentativa de acelerar o tráfego, porém os motoristas também podem ajudar. ´ O segredo para evitar estresse é sair cedo de casa. Tanto na ida, quanto na volta, quanto mais cedo sair, melhor`, garantiu.
******
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/2010/12/31/urbana3_0.asp

Previsível, repetitiva, chata: nossa mídia em coma intelectual

9 de dezembro de 2010
Por Luiz Carlos Azenha

O professor Jay Rosen foi mencionado na coluna do Glenn Greenwald, da revista eletrônica Salon, como tendo dito que a imprensa-empresa dos Estados Unidos está morta, diante dos fracassos que promoveu em anos recentes, especialmente no período que antecedeu a invasão do Iraque.

Como eu morava, então, em Nova York, vi tudo muito de perto. Se existe uma repórter que, individualmente, promoveu a invasão do Iraque, foi a veterana Judith Miller, no New York Times (desde então demitida).

Ela foi “cavalgada” de forma espetacular pelas forças que pregavam a invasão do Iraque baseadas na teoria das “armas de destruição em massa” de Saddam Hussein.

Eu me lembro perfeitamente de ler no Times sobre os tubos de metal que seriam indício de que Saddam montava centrífugas clandestinas para enriquecer urânio; eu me lembro perfeitamente de ler sobre os laboratórios móveis para produção de armas químicas; sobre os aviões não tripulados que dariam ao ditador iraquiano a possibilidade de espalhar veneno sobre cidades americanas.

Tudo isso culminou, obviamente, com aquele teatro de fazer corar os ficcionistas de Hollywood que nos foi proporcionado pelo então secretário de Estado Colin Powell nas Nações Unidas (eu estava lá, cobrindo pela TV Globo), quando ele apresentou as “provas” contra Saddam.

A grande dificuldade para todos os leitores, hoje em dia, é separar o jornalismo do lobismo implícito ou explícito. No Brasil, o caso recente do banqueiro Daniel Dantas deixou explícitas (graças a gente como o Luís Nassif, por exemplo) essas conexões.

Mas o lobby, muitas vezes, não é específico. Trata-se da defesa de dogmas. No Brasil, qualquer tentativa de regulamentar a mídia, por exemplo, é vista como “censura”. Na política externa, qualquer questionamento ao status quo é visto como antiamericanismo. Na economia, a pregação pela ortodoxia sobreviveu à crise econômica internacional.

Deriva daí a previsibilidade dos grandes jornais brasileiros e a completa incapacidade que eles desenvolveram de genuinamente surpreender os leitores (para além dos truques fáceis, como o de publicar a foto de um colunista vestido de mulher).

Eu juro que bocejo ao ler a Folha, o Estadão, o Valor e o Globo diariamente (já me livrei deste último). Repetitivos e, francamente, chatos. Acabou a relação custo-benefício. Eu me surpreendo muito mais navegando e lendo (de graça) blogs e sites na internet.

Quando me surpreendo nos jornais, é com algo que não foi escrito por um jornalista.

Neste caso, de um empresário que identificou o “coro das vozes da ortodoxia” que se expressa na mídia brasileira:

O risco da mão pesada

por Benjamin Steinbruch*, na Folha de S. Paulo

O coro das vozes da ortodoxia canta alto nestes dias entre a eleição e a posse do novo governo. Vibra com os anúncios de que vem aí um forte ajuste fiscal, com cortes profundos nos gastos públicos. Vibra também com a proximidade de uma nova rodada de aumentos dos juros internos, uns prevendo a primeira etapa dessa elevação já na reunião de amanhã do Copom e outros esperando isso para janeiro. E ainda aplaude o aperto no crédito anunciado pelo Banco Central.

Ninguém pode, em sã consciência, ser contra austeridade fiscal ou combate à inflação, recomendáveis em qualquer situação e em qualquer país. São corretos, portanto, os alertas sobre o aumento dos gastos públicos correntes no ano eleitoral. Dados do Banco Central comprovam a deterioração das contas públicas. Mesmo com manobras contábeis que somaram R$ 35 bilhões – entre essas, principalmente, o reforço de R$ 32 bilhões decorrente da capitalização da Petrobras -, o superávit primário ficou abaixo da meta no período de janeiro a outubro.

Apesar da importância do esforço para buscar o equilíbrio das contas públicas, o tom alarmista na abordagem desse tema é inadequado e exagerado. O País precisa de mais austeridade e de firmeza no combate à inflação, mas não está à beira do abismo nessa matéria.

O Brasil está saindo de um período em que foi preciso elevar o gasto público para injetar adrenalina numa economia deprimida por fatores externos. Como a crise atingiu a todos, é relevante comparar nossa situação com a de outros países. O déficit público nominal, aquele que inclui também os gastos com juros da dívida pública, está em torno de 2,5% do PIB nos 12 meses findos em outubro, ou R$ 87,8 bilhões.

Expurgando-se todas as maracutaias contábeis, esse déficit ficaria ainda em torno de 3,5% do PIB, um pouco abaixo do nível da saudável Alemanha e muito aquém do observado em outras poderosas nações desenvolvidas (10,1% no Reino Unido, 9,0% nos Estados Unidos, 7,5% no Japão, 7,8% na França, 9,7% na Espanha e 37% na Irlanda). Em toda a zona do euro, o déficit nominal médio alcança 6,5% do PIB.

Não é correto, portanto, examinar a situação difícil das contas públicas sem colocá-la no contexto da conjuntura mundial, que mostra esses déficits espetaculares nas grandes nações industrializadas.

Além disso, é necessário considerar um segundo aspecto: o déficit nominal brasileiro decorre em grande parte de uma equivocada política de juros internos. Só três países – Venezuela, Argentina e Paquistão – praticam hoje taxa de juros mais alta que a brasileira. Nossa Selic de 10,75% tem um enorme impacto nas contas públicas. Nos últimos 12 meses, os juros nominais pagos para o carregamento da dívida pública de R$ 1,5 trilhão alcançaram R$ 187 bilhões, ou 5,37% do PIB.

Uma redução de dois pontos percentuais na taxa básica de juros poderia representar economia de uns R$ 30 bilhões – quase 1% do PIB – para os cofres públicos.

Preocupa o dominante olhar conservador lançado sobre essas questões. Nenhum destaque e nenhuma ênfase têm sido dados ao volume astronômico de gasto público decorrente da taxa de juros desajustada, que se pretende elevar ainda mais. Se a dívida exibe uma fatura de juros de R$ 187 bilhões em 12 meses, haja esforço fiscal para pagá-la.

Para resumir, diria que a situação difícil das contas públicas exige austeridade e a inflação precisa de cuidado, mas esses problemas não são dramáticos. Além disso, no médio prazo, a redução da taxa de juros básica para níveis civilizados é necessária e possível. Se essas ressalvas não forem levadas em conta, há o risco de que, ao usar uma mão pesada demais, o novo governo acabe por abortar o crescimento que, pela primeira vez em décadas, parece ter tomado um ritmo sustentado, a despeito da crise internacional.

Vários sinais indicam que estão em curso medidas para puxar a economia para baixo: corte de gastos do governo, inclusive de investimentos, aumento de juros, aumento de impostos e restrições ao crédito. Segurar a economia é fácil. Difícil será reanimá-la depois.

*Diretor-presidente da CSN, presidente do conselho de administração da empresa e primeiro vice-presidente da Fiesp
****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/opiniao-do-blog/previsivel-repetitivo-chato-nossa-midia-em-coma-intelectual.html

Visita do primeiro-ministro búlgaro

31 de dezembro de 2010
Do DIÁRIO DE PERNAMBUCO

A presidente eleita, Dilma Rousseff, dois dias antes de tomar posse do cargo, recebeu a visita do primeiro-ministro da Bulgária, Boyco Borrisov. Ele veio a Brasília especialmente para a posse da petista, amanhã. Durante o encontro, no Itamaraty, Dilma foi presenteada com um quadro que mostra a árvore genealógica da família Rousseff - o pai dela era búlgaro, e com uma foto da irmã de seu pai, Vana. A presidente, por sua vez, deu uma bola de prata a Borrisov, fã do futebol brasileiro. No encontro, ambos trataram de uma cooperação bilateral nas áreas de transporte e de tecnologia da informação. O primeiro-ministro convidou Dilma para uma visita a Bulgária em 2011. Ela disse que pretende ir ao país do leste europeu no próximo verão da Europa, entre junho e setembro. No dia da posse, Borrisov entregará a sucessora de Lula uma mensagem do governo búlgaro e outra da União Europeia.
******
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/2010/12/31/politica2_2.asp

A entrevista histórica e a pequenez humana

29.12.2010
Do blog de Luiz Carlos Azenha



Acabei de assistir à entrevista concedida pelo presidente Lula aos blogueiros sujos.

Gostei das perguntas, de todas as perguntas, inclusives das feitas através do twitter. O presidente tergiversou aqui e ali, não respondeu diretamente à pergunta que tratava do Paulo Lacerda e da Operação Satiagraha e deixou absolutamente claro que sabe exatamente o que a “velha mídia” andou fazendo no verão passado.

Frases dele:

“A raiva deles é que eu não os leio”.

“Sei que durante muito tempo eles torceram para me derrubar”.

“Eu quero saber a quantidade de leviandades, de inverdades que foi dita a meu respeito” [sobre uma futura leitura do que foi publicado].

Achei muito adequada a ponderação que acompanhou a pergunta de Eduardo Guimarães, do Cidadania.

Achei impagável ver o Cloaca no Palácio do Planalto.

Quem diz que a entrevista foi chapa-branca ou não viu a entrevista ou, francamente, é idiota. Leandro Fortes cobrou Lula. Rodrigo Vianna cobrou Lula. Altamiro Borges cobrou Lula. Conceição Oliveira cobrou Lula. Tulio Vianna cobrou Lula. Cloaca cobrou Lula. Infelizmente, devido ao formato, não houve possibilidade de réplicas.

O presidente da República fez duas digressões absolutamente reveladoras, uma delas não provocada pelos entrevistadores: sobre o processo de escolha de juizes do Supremo Tribunal Federal e sobre os seus contatos com o presidente iraniano, Ahmadinejad.

Ou seja, ainda que nem todos os presentes à entrevista fossem jornalistas, conseguiram o que qualquer jornalista quer: informações e ângulos reveladores sobre o presidente da República.

Portanto, a entrevista foi histórica por ser a primeira dada a blogueiros, mas valeu também do ponto-de-vista informativo.

Não é por acaso a ciumeira que notei aqui e ali.

De fato, foi um erro não ter convocado um número maior de mulheres blogueiras. Quem sabe as mulheres não se organizem, agora, para fazer uma entrevista da “turma da luluzinha” com a presidente Dilma.

No mais, eu me senti representado pelos que foram convocados.

Quanto às suposições de que haveria uma “casta” entre os blogueiros, ela é absurda. Vários dos convidados não puderam comparecer à entrevista justamente por não fazerem parte de casta alguma. A grande maioria de nós não ganha um tostão furado na internet; o blog é uma atividade paralela aos compromissos profissionais. No entanto, no Encontro Nacional de Blogueiros Progressistas o Viomundo comprou uma cota de patrocínio para ajudar a viabilizar a reunião. A intenção era agregar e ajudar gente que, agora, exibe publicamente toda a sua pequenez humana.

PS do Viomundo: A título de esclarecimento, a Conceição Oliveira ganha a vida publicando livros didáticos; a Lemes escreve livros na área de saúde. Eu, Azenha, sou repórter. Todos nós temos filhos, casas ou gatos para cuidar. Todos nós temos uma ou mais pessoas na família com sérios problemas de saúde, que dependem mais ou menos da gente para sobreviver. Em resumo, ninguém aqui precisa ou está em uma ego trip.
*****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/opiniao-do-blog/a-entrevista-historica-e-a-pequenez-humana.html

A tropa de elite e os cucarachas

29 de novembro de 2010
por Luiz Carlos Azenha

A “Guerra contra as Drogas” é coisa antiga. Nos Estados Unidos, do tempo de Richard Nixon. Mas foi no governo Reagan que a “Guerra contra as Drogas” realmente começou a ser levada a sério em Washington. Reagan militarizou a interdição do tráfico entre a América do Sul e o território estadunidense. Envolveu até mesmo a Central de Inteligência Americana na parada. Eu, por acaso, era correspondente da TV Manchete nos Estados Unidos.

Portanto, embora tenha acompanhado minha dose de tiroteios no Jacarezinho, quando fui repórter da Globo no Rio de Janeiro, conheço a guerra contra as drogas de muito, muito antes.

Logo que cheguei aos Estados Unidos, aliás, acompanhei como repórter o combate ao que sobrava da Máfia em Nova York. Uma de minhas primeiras reportagens em Manhattan (desembarquei na cidade em 7 de dezembro de 1985, dia do aniversário de minha mãe) foi sobre o assassinato do chefão Paul Castellano, abatido diante da famosa Sparks Stakehouse, um restaurante que servia um belíssimo filé — e que era um dos favoritos do Paulo Francis, então veterano correspondente na cidade.

Cobri o primeiro julgamento de John Gotti, absolvido em um tribunal do Brooklyn da acusação de eliminar Castellano para assumir o “cargo” de chefe dos chefes. Fiz reportagens tanto no Little Italy, onde a Máfia lentamente definhava, quanto em Queens, diante da casa de Gotti. Quando ele ainda não era o todo poderoso, Gotti perdeu um filho perto de casa, atropelado por um vizinho. Uma das acusações contra ele é de que tinha mandado dar um sumiço no atropelador.

Naquela época, quando eu ainda tinha a cabeça pequena e o peito grande, cheguei a bater na porta de ferro do que era tido como o salão de reuniões informais dos mafiosos em Queens (com o Domingos Mascarenhas, cinegrafista da TV Manchete, filmando).

Gotti foi absolvido mais de uma vez das acusações que lhe foram imputadas, pelo trabalho brilhante do advogado Bruce Cutler. Cutler, aliás, esteve no centro de uma polêmica que os Estados Unidos viveram nos anos 80 e que chegou com trinta anos de atraso ao Brasil: até que ponto o advogado pode se envolver na defesa de seu cliente. A promotoria de Nova York, que perseguia febrilmente a condenação de Gotti, pediu o afastamento do advogado alegando que ele tinha se tornado um acessório do crime organizado. Conseguiu. Sem Cutler na defesa, Gotti foi finalmente condenado por liderar a família Gambino (mais tarde morreria de câncer, na cadeia).

Fiz muitas coberturas relativas à chamada “guerra contra as drogas”, dentro e fora dos Estados Unidos.

O que mais me chamou a atenção, à época — e que guardo até hoje, como lição — é que Washington pregava para os outros o que não fazia em casa.

Para os outros e fora dos Estados Unidos, o governo americano pregava a militarização da interdição e do combate às drogas.

Internamente, no entanto, a coisa era diferente.

Nunca vi a Guarda Nacional americana chutando portas atrás de traficantes. Muito menos o Exército.

Em casa, a ênfase era no serviço de inteligência. No trabalho silencioso do FBI.

Tropa de elite, aparentemente, era coisa de cucaracha* (o cartunista Henfil popularizou a palavra usada pelos gringos para definir os hispânicos quando voltou ao Brasil de uma estadia em Nova York e escreveu “O Diário dos Cucarachas”).

Voltarei ao assunto em breve, tratando do general Manuel Noriega e da invasão do Panamá.

* Aliás, essa história de vibrar com homem de preto segurando fuzil… sei lá.
****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/opiniao-do-blog/a-tropa-de-elite-e-os-cucarachas.html

A “guerra contra as drogas” derruba o general Manuel Noriega

29 de novembro de 2010 às 21:57
por Luiz Carlos Azenha

Se você vibra com homem de preto disparando fuzil…

Se você vibra com homem de preto fincando bandeira…

Se você vibra com homem de preto subindo o morro…


Você está no lugar certo. Talvez eu não te ajude tanto a vibrar, mas eu prometo ao menos alguma ilustração sobre a “guerra contra as drogas” e as consequências da militarização da interdição ao tráfico.

Nos anos 80 eu era correspondente da TV Manchete nos Estados Unidos.

Foi nessa condição que segui para o Panamá, para cobrir a crise que envolvia o governo do general Manuel Noriega.

Se você conhece um pouquinho da História sabe que o Panamá é uma invenção dos Estados Unidos.

Sim, meu caro, o Panamá era parte da Colômbia.

Reconhecendo a importância de uma futura ligação entre os oceanos Atlântico e Pacífico — ligação, afinal, entre as duas costas dos Estados Unidos — o presidente americano Theodore Roosevelt incentivou a independência do Panamá. Que tratou de garantir através da chamada “gunboat diplomacy”. Tchau, Colômbia.

Fast forward para os anos 70. Neles, o presidente americano Jimmy Carter fez um acordo com o líder panamenho Omar Torrijos para por fim a uma antiga reivindicação nacionalista — com repercussão em toda a América Latina — dos panamenhos: a soberania sobre o canal do Panamá. O acordo, fechado em 1977, previa que a autonomia sobre o canal seria entregue aos panamenhos no primeiro minuto do ano 2000.

Estamos em 1989. O presidente é George W. Bush. Bush é acusado de ser um “wimp”, um fracote, o que pode vir a comprometer as chances dele de se reeleger. Bush é sucessor de Ronald Reagan, o presidente durão que enfrentou a União Soviética e deu gás à corrida armamentista.

Manuel Noriega é o presidente do Panamá. Ele foi um “asset” da Central de Inteligência Americana (CIA), um informante. Ironicamente, ele foi informante da CIA quando Bush era diretor da agência, nos anos 70.

Noriega, nos anos 90, se sustenta no poder apelando para o nacionalismo de Torrijos.

Ele é acusado de levar dinheiro dos cartéis de Medellin, na Colômbia, para facilitar o trânsito de carregamentos de drogas que passam em direção aos Estados Unidos.

A “guerra contra as drogas” está bombando.

Em breve teremos o Plano Colômbia, através do qual os Estados Unidos injetarão centenas de milhões de dólares na Colômbia para militarizar a interdição do tráfico de cocaína rumo ao Norte. Detalhe: o dinheiro é gringo; os “professores” são gringos; o equipamento é gringo.

Deixa eu ver se eu entendi: os Estados Unidos usam dinheiro do contribuinte para um país-cliente comprar equipamento e expertise de empresas privadas dos Estados Unidos para combater o tráfico de drogas.

As vítimas da guerra? Estas são colombianas.

Mas, na verdade, eu e o cinegrafista Hélio Alvarez, da TV Manchete, desembarcamos na cidade do Panamá.

Noriega manobra para se manter no poder. Faz concessões à oposição civil.

Mas Washington não tem mais paciência com clientes militares. Washington descobriu, nos anos 80, que as ditaduras militares da América Latina eram boas aliadas contra a União Soviética mas pouco flexíveis. Washington preferia, a esta altura, governos civis mais flexíveis, especialmente em um país como o Panamá, ao qual entregaria em breve entregaria a soberania do canal.

Estamos no hotel, na cidade do Panamá, quando somos convocados para uma entrevista no comando do canal. O comando do canal do Panamá é exercido por militares dos Estados Unidos. Vamos. Lá, o porta-voz do comando acusa Noriega de ter recebido algumas centenas de milhares de armas de Fidel Castro, para se defender em caso de invasão dos Estados Unidos. O militar estadunidense não apresenta uma prova sequer. Fico em dúvida sobre a acusação, mas me surpreendo no dia seguinte ao ver a capa do Washington Post: a acusação está lá, sem qualquer prova. Sinal de que o destino de Noriega está selado?

Meses depois, quando já estávamos de volta a Nova York, os Estados Unidos invadem o Panamá e derrubam Noriega. Acusação formal: envolvimento com o tráfico internacional de drogas.

Lição deste segundo capítulo: a “guerra contra as drogas” é um álibi. Nem sempre é o que parece. Por trás dela se escondem outros interesses.

Lição apreendida.

No próximo capítulo, a “guerra contra as drogas” na Colômbia e o cartel de Medellin.
****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/opiniao-do-blog/a-guerra-contra-as-drogas-derruba-o-general-manuel-noriega.html

Emiliano José: Celebrando Dilma

25 de dezembro de 2010
Do blog de Luiz Carlos Azenha

Heranças atávicas

Dilma foi um tsunami tão forte quanto Lula. E um tsunami que provocou a recuperação, parcial que seja, dos valores de uma sociedade patriarcal, misógina, homofóbica, autoritária e elitista. A parte da sociedade que assumiu esses valores de modo militante recusa conquistas já consagradas pelas sociedades democráticas avançadas. E o fez abraçando-se a religiões, pretendendo que o Estado brasileiro deixasse de ser laico, e se rendesse a princípios que contrariam os avanços da ciência e dos direitos à saúde, e atacando principalmente o direito das mulheres. O artigo é de Emiliano José.

A contingência da passagem de ano sempre nos leva a algum tipo de balanço, e o ano de 2010 não será fácil de esquecer. Pelo fato simbólico da eleição de uma mulher para a presidência da República. E pela circunstância de que a assunção dessa mulher à condição de principal protagonista da cena política fez emergir preconceitos atávicos que muitos de nós, quem sabe ingenuamente, imaginávamos sepultados definitivamente.

As mudanças não são fáceis de serem aceitas. E uma mulher na presidência da República no Brasil se, num primeiro momento, poderia parecer um acontecimento quase banal, era um fato novo, muito novo, inédito, e representava quase um novo marco civilizatório. Tão forte que provocou reações que muitos de nós não imaginávamos possível. A eleição do presidente operário em 2002 provocou uma avalanche de preconceitos da elite brasileira, que foram solenemente ignorados pelo nosso povo. Lula termina seu mandato com um recorde de aprovação: 83%.

Dilma foi um tsunami tão forte quanto Lula. E um tsunami que provocou a recuperação, parcial que seja, dos valores de uma sociedade patriarcal, misógina, homofóbica, autoritária e elitista. A parte da sociedade que assumiu esses valores de modo militante recusa conquistas já consagradas pelas sociedades democráticas avançadas. E o fez abraçando-se a religiões, pretendendo que o Estado brasileiro deixasse de ser laico, e se rendesse a princípios que contrariam os avanços da ciência e dos direitos à saúde, e atacando principalmente o direito das mulheres.

Tudo por causa de uma mulher. Tudo contra uma mulher. Tudo tendo um significado político, evidentemente. Mas um significado político que se entrelaça com revelações culturais profundas, a evidenciar que o ovo da serpente do pensamento conservador ultradireitista não desapareceu da cena brasileira. E seria ilusório, creio, imaginar que tivesse desaparecido. Não foi ocasional que a campanha adversária tenha ressuscitado e valorizado até a famosa Tradição, Família e Propriedade (TFP) para afirmar suas posições. Ou que igrejas tenham retornado a posições de 1964.

A raiva contra a mulher ficou manifesta na discussão desonesta sobre o aborto. Como se a questão fosse ser apenas contra ou a favor do aborto, e não a discussão sobre o direito à saúde das mulheres, a assistência às mulheres vítimas de abortos clandestinos, normalmente mulheres pobres. Estima-se que morrem mais de 500 mulheres por ano no Brasil devido aos abortos clandestinos.

E as que não morrem, seriam o caso de colocá-las todas na cadeia?

Impossível. Ora, ora, tudo próprio de uma sociedade hipócrita, farisaica, que não olha para sua própria face. O próprio Serra, como ministro da Saúde, tinha posição mais humana. Mas, na campanha, preferiu abraçar as teses do medievo trevoso, só abrandadas quando foi revelado o aborto feito por sua própria mulher, revelação feita por algumas alunas de Mônica Serra.

As teses contra os homossexuais só perderam força quando perceberam o impacto eleitoral negativo. Mas, como conseqüência disso, temos assistido cenas freqüentes e deploráveis de ataques a homossexuais. A raiva contra os nordestinos, que revisitava o arianismo, surgiu com vigor logo que se revelou a vitória de Dilma. Para que não nos enganemos, o pensamento foi expresso especialmente por uma parcela da nossa juventude.

Não creio que devamos tratar esses acontecimentos como secundários. Nem com raiva. Com indignação, sim, sem dúvida. Mas, também, com a compreensão de que há ainda uma longa marcha para a mudança de mentalidade de nossa sociedade. Quem viveu bem mais de três séculos sob a escravidão não pode esperar que o espectro da Casa Grande tenha desaparecido. Esse espectro, aqui e ali, ressurge, e muitas vezes, com força.

E especialmente quando uma mulher resolve confrontar toda essa cultura, ao se pôr como principal mandatária do País. É verdade que a maioria da sociedade brasileira optou pela continuidade de um projeto transformador. No entanto, a luta por uma nova sociedade, livre de preconceitos, de discriminações, de racismos, continua mais que atual. Feliz 2011.
*****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/politica/emiliano-jose-celebrando-dilma.html

Tucanos em Pernambuco hesitam entre oposição e independência

30 de Dezembro de 2010
Da Folha de Pernambuco
Postado por Valdecarlos Alves

O presidente estadual do PSDB, Evandro Avelar assegurou que o tucanato não tem planos de migrar para base do Governo do Estado. “O PSDB ficou no lugar em que ele sempre esteve, que é na oposição. Já houve conversa de (presidente nacional do PSDB) Sérgio Guerra com bancada. Sérgio não decide isso, mas dá opinião. A decisão da bancada coincide com a decisão do partido”, registrou o dirigente estadual. A explicação visa a desfazer especulações de que os tucanos, ao se aliar ao PV, estariam apenas organizando “um prato pronto” para o governador Eduardo Campos (PSB), no sentido de abrandar o embate legislativo.

De outro lado, o deputado estadual, Betinho Gomes (PSDB) deu outra explicação sobre a indicação de Daniel Coelho (PV) para a liderança. “É preciso informar à opinião pública pernambucana que este bloco, formado pelo PSDB, PV e PMN, embora denominado de oposição, por força do regimento, irá buscar ter um posicionamento independente em relação aos grandes temas de interesse de Pernambuco, ao mesmo tempo em que irá buscar o entendimento com todos os partidos que queiram fortalecer essa nossa posição”, realçou Betinho.

O presidente do PSDB no Estado negou haver um “veto” ao nome de Tony. “Não estamos vetando ninguém. Estamos criando um bloco com três partidos apenas”, resumiu. Quanto às críticas do deputado estadual Gustavo Negromonte (PMDB) à postura do PV, cuja executiva fechou participação na secretaria estadual de Meio Ambiente, Avelar argumentou: “A bancada (Daniel Coelho) do PV está aí assinando que está na oposição e nós reconhecemos Daniel como membro da oposição. Se Negromonte não reconhece, não vamos nos meter na posição dele”.
****
Fonte:http://www.blogdafolha.com.br/index.php/materias/15810?task=view

ONU fica apreensiva com ataque a hotel de Ouattara

30/12/2010
Do MSN NOTÍCIAS
Por Reuters

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS,
Nova York., 30 de dezembro (Reuters) - O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, ficou 'profundamente alarmado' pelas incitações a ataques contra o hotel na Costa do Marfim onde o homem eleito presidente está morando.

'O secretário-geral continua apreensivo com a deterioração da situação na Costa do Marfim', disse a assessoria de imprensa da ONU em nota.

'Ele ficou profundamente alarmado ao saber das incitações do Sr. Ble Goude aos chamados Jovens Patriotas para que ataquem o Golf Hotel de Abidjan a partir de 1o de janeiro', dizia a nota.

A nota afirma que os soldados da tropa de paz na Costa do Marfim, conhecida como Unoci, estão 'autorizados a usar todos os meios necessários para proteger seu pessoal, como também os funcionários do governo e outros civis nas premissas do hotel'.

Líderes mundiais estão pressionando Laurent Gbagbo para que renuncie à Presidência e entregue o poder a Alassane Ouattara, reconhecido internacionalmente como vencedor das eleições no mês passado. Gbagbo e seus aliados rejeitaram os resultados das eleições, verificados pela ONU, que declararam Ouattara o vencedor.

Charles Ble Goude é o líder do movimento pró-Gbagbo 'Jovem Patriota' e ministro da Juventude no governo de Gbagbo.

Ouattara e seus aliados estão se protegendo no Golf Hotel, que está cercado pela Unoci.

'Qualquer ataque contra o Golf Hotel poderá provocar violência generalizada, o que poderia terminar em guerra civil', dizia a nota.

'O secretário-geral conclama a todos que possam estar contemplando a participação no ataque a evitarem uma ação tão perigosa e irresponsável', acrescentou a nota.

'Ele pede que os cidadãos defensores da paz na costa do Marfim contribuam pela restauração da estabilidade duradoura e da democracia no seu país.'
****
Fonte:http://noticias.br.msn.com/mundo/artigo.aspx?cp-documentid=26966729