Pesquisar este blog

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

IPEA ganha disputa na Justiça; Direito de Resposta: “O Globo” acha que manda no Brasil – não manda!

21/12/2010
Do blog de Rodrigo Vianna
Por Juliana Sada

Presidente Lula e Marcio Pochmann, presidente do Ipea. Foto: Ricardo Stuckert/PR

A Justiça concedeu ao Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) direito de resposta no jornal “O Globo”, por matérias publicadas nos dias 22 e 24 de agosto. De acordo com o IPEA, as reportagens continham inverdades e ofendiam a honra do Instituto.

No dia 22 de agosto foi publicada, com chamada na primeira página, uma matéria com o título “Governo faz do IPEA máquina de propaganda, com alto custo para cofres públicos”, na qual o jornal afirma que “estudos [do Instituto] são produzidos para exaltar realizações do governo Lula e têm sido usados na campanha da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff”. Afirma ainda que os estudos são produzidos sem rigor técnico e que o Instituto é “braço de articulação de uma política externa movida pela ideologia”. Já no dia 24, o jornal entrevistou “especialistas” para reforçar os argumentos apresentados na reportagem anterior.

Determinou-se que o Instituto tem direito de resposta nos mesmos dias e formatos em que foram publicadas as matérias consideradas ofensivas. A Justiça afirmou que “o direito de resposta surge para o ente público quando a crítica, qualificada como ofensa, atinge a honra objetiva do órgão mediante a publicação de texto sem embasamento fático”.

===

NOTA DO ESCREVINHADOR

O IPEA foi diplomático demais ao dizer que ”O Globo” publicou “inverdades”. Esse Escrevinhador prefere ser mais direto: “O Globo” publicou mentiras. Simples. Trata-se de campanha orquestrada pela família Marinho contra a gestão de Márcio Pochmann – um economista respeitável, que não briga com os números, mas também não reza pela cartilha dos “mercadistas” amigos da Miriam Leitão.

“O Globo” elege amigos e inimigos. Aos segundos, como foi o caso de Brizola nos tempos de governador, trata com a falta de sutileza que a Casa Grande costumava dispensar à Senzala.

Mas os tempos de Brasil senhorial vão ficando pra trás. “O Globo” não percebeu. Acha que pode administrar o IPEA com editoriais e manchetes forjadas. Não pode mais. E não pode publicar impunemente mentiras sobre uma instituição pública.


Não é esse blogueiro quem diz. É a Justiça.
****
Fonte:www.escrevinhador.com.br

Desenvolvimento com justiça social, a marca do Mercosul hoje

17 de dezembro de 2010
Do blog do Planalto
Extraído do blog de Luiz Carlos Azenha

Mais do que apenas promover trocas comerciais, os países que integram o Mercosul compartilham de um valor maior, que é o desenvolvimento com justiça social. “Essa é a marca do Mercosul que estamos construindo”, afirmou o presidente Lula nesta sexta-feira (17/12) em declaração na sessão plenária da 40ª Cúpula do bloco econômico, em Foz do Iguaçu (PR). “E temos muito do que nos orgulhar.”

Em 20 anos de Mercosul, Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai conseguiram desenvolver um histórico processo de integração política, econômica e social na América do Sul, disse o presidente brasileiro, destacando que as conquistas foram obtidas em ambiente de paz e cooperação. Como resultado, os países do bloco vivem um momento extraordinário de dinamismo econômico e social. Enquanto os países do Mercosul apresentam consistente crescimento de suas economias, bem acima da média mundial, países desenvolvidos enfrentam a estagnação, desemprego e endividamento.

“Nosso modelo de integração sustenta um dos mais altos índices mundiais de crescimento do pós-crise. Enquanto as economias centrais se defrontam com problemas de estagnação e altas taxas de endividamento e desemprego, de acordo com numeros da Cepal ( Cepal (Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe), o Paraguai deverá terminar o ano com o maior crescimento de toda a America Latina e Caribe — 9,7%. Seguido do Uruguai (9%), Argentina (8,4%) o Brasil (estimado em 7,7%), deverá ser o quinto pais em crescimento aqui na America do Sul.”

A íntegra do discurso do presidente Lula em Foz do Iguaçu:

O presidente aproveitou a oportunidade para voltar a criticar a forma como os países desenvolvidos tem procurado enfrentar a crise, penalizando trabalhadores e premiando “a imprevidência de especuladores mal sucedidos”. Enquanto isso, argentinos, brasileiros, uruguaios e paraguaios reiteram sua determinação em consolidar o Mercosul, persistindo no caminho de sua convergência com outros processos na América Latina, Caribe e outras regiões — a reunião de Cúpula do Mercosul em Foz do Iguaçu atraiu altos representantes de países como Austrália, Nova Zelândia, Cuba, Palestina, Emirados Árabes Unidos, Turquia, Marrocos, Egito, Índia, Coreia do Sul, Indonésia e Malásia.

“Nosso bloco tornou-se realidade inquestionável. O comércio no Mercosul cresceu oito vezes em 17 anos. Fomos uma das últimas regiões do planeta a sentir os efeitos da crise, e uma das primeiras a sair delas. Nossas políticas de crescimento com inclusão social e integração protegeram-nos dos efeitos mais adversos e prolongados da crise. Sempre insisti em defender o Mercosul dentro da política externa brasileira e tive a fortuna de encontrar muitos líderes com a mesma visão.”
***
Fonte:http://www.viomundo.com.br/politica/lula-a-marca-do-mercosul-hoje-e-do-desenvolvimento-com-justica-social.html

PTB quer espaço, mas sem pressão

21.12.2010
Do jornal "Folha de Pernambuco"
Por ARTHUR CUNHA

Senador eleito e presidente regional do PTB, o deputado Amando Monteiro Neto confirmou ontem que seu partido deseja um espaço no primeiro escalão “eduardista”, apesar de não brigar abertamente por cargos no secretariado. “Qual partido não quer participar do governo?”, questionou, durante almoço de confratenização com a Imprensa. Ele lembrou que a legenda cresceu nas eleições deste ano. Além da sua vaga no Senado, elegeu deputados quatro federais e sete estaduais. Armando ressaltou, entretanto, que não fará pressão no governador Eduardo Campos (PSB), já que o desejo da sigla é contribuir. “Pressão não há. O que há é uma saudável expectativa”, pontuou.

O dirigente comentou que, caso venha a indicar um nome para o governador, o PTB o fará baseado nos critérios pré-estabelecidos pelo socialista, alinhando posicionamento político com perfil técnico. Também negou que o partido esteja de olho na pasta das Cidades, hoje na cota do PT.

Lançado pelo deputado estadual não reeleito Geraldo Coelho (PTB) como um potencial candidato ao Palácio, em 2014, Monteiro Neto não se excluiu da disputa. “Quem é que não tem esse sonho (de ser governador)? Agora, entre o sonho e a realidade há uma diferença muito grande. Tem que se resolver as condições objetivas”, argumentou.

Perguntado sobre como será a sua relação com o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), Monteiro Neto afirmou que não terá problemas em conversar sobres as questões de Pernambuco. “Quem é conterrâneo, de alguma forma, já é vizinho”, sublinhou Armando, admitindo que não tem uma relacionamento “fluido” com o peemdebista.
***
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/610185

Blog do Planalto ri da Folha: “Eta turminha ranheta”

21 de dezembro de 2010
Do blog do Planalto
Extraído do blog de Luiz Carlos Azenha

Vejam se não é coisa de gente ranzinza: a Folha de S. Paulo gastou uma coluna de 100 cm² de tinta e papel importados e isentos de impostos para apontar uma contradição entre o que o presidente Lula disse no programa de rádio “Café com o Presidente” de ontem e o pronunciamento que fez à Nação em 22 de dezembro de 2008. O título do texto publicado na edição de hoje do caderno Mercado é: “Lula agora pede responsabilidade na hora de gastar”.

É um exemplo do tipo de jornalismo sem compromisso com a verdade, que publica tudo que está na cabeça do editor ou do repórter, sem amparo na realidade. No caso, bastaria ter consultado a íntegra do pronunciamento do presidente clique aqui.

Todas estas informações estão disponíveis na página mantida pela Secretaria de Imprensa da Presidência .

No pronunciamento, o presidente disse aos brasileiros e brasileiras que não tivessem “medo de consumir com responsabilidade” e, se tivessem dívidas, procurassem “equilibrar seu orçamento” antes:

E você, meu amigo e minha amiga, não tenha medo de consumir com responsabilidade. Se você está com dívidas, procure antes equilibrar seu orçamento. Mas, se tem um dinheirinho no bolso ou recebeu o décimo terceiro, e está querendo comprar uma geladeira, um fogão ou trocar de carro, não frustre seu sonho, com medo do futuro.

Porque se você não comprar, o comércio não vende. E se a loja não vender, não fará novas encomendas à fábrica. E aí a fábrica produzirá menos e, a médio prazo, o seu emprego poderá estar em risco.

Assim, quando você e sua família compram um bem, não estão só realizando um sonho. Estão também contribuindo para manter a roda da economia girando. E isso é bom para todos.

No Café com o Presidente, ele disse que as pessoas deveriam aproveitar e comprar o que quisessem, “mas com muita responsabilidade para não se endividarem”:

Que as pessoas aproveitem e comprem o que quiserem comprar, mas com muita responsabilidade para não se endividarem, porque o mês de janeiro é sempre muito pesado. Então, é importante que a gente não perca o senso de responsabilidade nas nossas compras. Comprar, fazer a dívida necessária, mas sabendo que a gente precisa ter um 2011 tranquilo. Portanto, não vamos passar 2011 apenas pagando o que a gente gastou em 2010. Vamos gastar o suficiente para não atropelar a esperança e o futuro de todos nós.

Quem tenta encontrar contradição entre uma fala e outra está buscando pelo em ovo. A contradição só existe na cabeça dos ranhetas.

Para ler a íntegra, ouvir ou ler o discurso, vá ao blog do Planalto.
***
Fonte:http://www.viomundo.com.br/politica/blog-do-planalto-ri-da-folha-eta-turminha-ranheta.html

Brasil Reunião não tem acordo e ameaça de greve em aeroportos é mantida

21.12.2010
Do portal TERRA
Por Claudia Andrade
Direto de Brasília

Uma reunião de mais de três horas entre representantes de sindicatos de trabalhadores dos aeroportos e das empresas de aviação terminou sem acordo nesta terça-feira. Com isso, a ameaça de paralisação dos funcionários na próxima quinta-feira está mantida.

"As empresas aéreas receberam nossa pauta em setembro e só vieram avaliar agora. Por isso, já convocamos o trabalhador aeroviário a, no dia 23, parar com suas atividades e contribuir com seu destino", disse Marcelo Schmidt, do Sindicato Nacional dos Aeroviários.

Segundo ele, a greve deverá ocorrer ao longo de todo o dia 23, mas é possível que seja realizada em intervalos determinados, atrasando os voos, mas não os interrompendo. "Os passageiros precisam ter paciência, porque os trabalhadores estão no limite e isso compromete a segurança. Os passageiros chegarão ao seu destino, mas não chegarão no seu horário."

A tentativa de negociação foi realizada pelo Ministério Público do Trabalho, com a participação de representantes do Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias (Snea), Sindicato Nacional dos Aeroviários (funcionários que atuam em terra) e do Sindicato Nacional dos Aeronautas (pessoal que atua em voos).

"As categorias devem continuar negociando. Há prazo suficiente para negociação até o dia 23. Mas percebi que ainda há um distanciamento muito grande entre as propostas das empresas e as dos trabalhadores", avaliou o procurador-geral do trabalho, Otavio Brito.

As empresas passaram sua oferta de reajuste de 6,08% para 6,5%. Propuseram ainda antecipar a data-base de reajuste para maio de 2011. "Fizemos isso porque não se pode deixar a sociedade refém em uma situação dessas. Não há o menor cabimento fazer uma greve no dia 23 de dezembro, por tudo o que representa o Natal", disse Odilon Junqueira, do Snea.

Questionado sobre um plano B para o caso de greve, o representante do Snea descartou a possibilidade de paralisação. "Nós confiamos no elevado espírito profissional dos trabalhadores".

Os aeroviários querem aumento de 13% mais alta de 30% no piso salarial. Os aeronautas cobram aumento de 15%. E consideram a nova proposta dos empregadores fora de cogitação. "Foi uma provocação", disse Schmidt.
***
Fonte:http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI4855216-EI8139,00-Reuniao+nao+tem+acordo+e+ameaca+de+greve+em+aeroportos+e+mantida.html

Danilo Cabral volta a ser opção para a Saúde

21.12.2010
Do jornal "Folha de Pernambuco"
Caderno de Política
Por ARTHUR CUNHA

Deputado eleito entraria no primeiro escalão como cota do governador Eduardo Campos

Fechada a participação do PSB no ministério “dilmista”, o governador reeleito Eduardo Campos, presidente nacional da sigla, se voltará, agora, para a montagem do seu secretariado. Nos bastidores, cresce com muito respaldo o nome do deputado federal eleito Danilo Cabral (PSB) para a Secretaria da Saúde. Titular da Educação por três anos e três meses, Danilo teve seu trabalho bem avaliado pelo chefe, que o teria escolhido para tocar a “missão” de alavancar a Saúde estadual. Contudo, apesar de se apresentar para qualquer serviço, Cabral teria mais interesse em exercer o mandato de deputado. Preterido no primeiro escalão federal, o deputado Maurício Rands (PT) também é lembrado para o posto. A CNB, tendência a qual pertence o parlamentar dentro do PT, quer indicá-lo na sua cota.

Outros nomes também aperecem com certo destaque, nos bastidores. Paulo Câmara pode ir para a Secretaria de Educação. Seu substituto no Turismo seria o atual presidente do Porto do Recife, Sileno Guedes (PSB). Secretário-chefe da Casa Militar, Mário Cavalcanti é cogitado para a pasta de Desenvolvimento Social, atualmente na cota do PDT, com Roldão Joaquim. O pedetista seria nomeado chefe da Assessoria Especial do governador. Todos esses nomes são da cota pessoal de Eduardo.

Fala-se em Aldo Guedes, presidente da Copergás, para assumir o lugar de Fernando Bezerra Coelho (PSB), no Desenvolvimento Econômico. FBC, que acumula a presidência do Porto de Suape, será anunciado ministro da Integração Nacional. O prefeito do Cabo de Santo Agostinho, Lula Cabral (PTB), também tem seu nome citado para comandar a secretaria e Suape. Contudo, palacianos avaliam que a operação política para tirar o petebista da Prefeitura é complicada, apesar de ele ter o perfil para o cargo.

Em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, ontem, o primeiro secretário da Assembleia Legislativa, deputado João Fernando Coutinho (PSB), disse acreditar que Eduardo Campos manterá a maioria dos atuais secretários. O socialista é adepto da tese de que “em time que está ganhando não se mexe”. “O governador terá habilidade, competência e sabedoria necessárias nessas horas. Formará uma grande equipe que trabalhará em sintonia com a presidente Dilma”, argumentou Coutinho.
***
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/610184?task=view

Exclusiva: Antônio Patriota

17/11/2010

Do OPERA MUNDI

Secretário-Geral do Itamaraty fala à Rádio ONU sobre a cooperação do Brasil com a África e o papel crescente do país no cenário internacional.

Antônio Patriota

Antônio Patriota

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU em Nova York.

O embaixador carioca, Antônio Patriota, é considerado no meio diplomático uma espécie de 'estrela em ascensão'. Em outubro de 2009, com apenas 55 anos, ele assumiu o posto considerado mais alto da carreira: a Secretaria-Geral do Itamaraty.

Em seu discurso de posse, Patriota afirmou que havia feito um "verdadeiro curso de pós-graduação na 'Escola Celso Amorim' de diplomacia". Ex-colaborador do ministro das Relações Exteriores, quando Amorim ainda comandava a Missão do Brasil na ONU, em Nova York, Patriota também cultiva o mesmo estilo natural de Amorim com a mídia.

'Efervescência Geopolítica'

Na sua primeira entrevista à Rádio ONU, como secretário-geral do Itamaraty, o embaixador foi claro e fluente ao falar do papel do Brasil no mundo.

Para ele, o país precisa continuar avançando em suas cooperações bilaterais, especialmente com a África, ao mesmo tempo em que assume mais responsabilidades na agenda internacional. Ele citou o G-20 como uma dessas medidas.

"Nós estamos observando no mundo, hoje, um processo muito acelerado de transformação e de redistribuição de influência. Pode-se falar de uma verdadeira efervescência geopolítica no mundo", afirmou.

Déficit

Ao se referir à renovação do Conselho de Segurança, onde o país almeja um assento permanente, Patriota não titubeou ao dizer que uma 'reforma parcial' não resolverá o problema.

"Uma expansão numa categoria apenas não lidaria com o déficit de representação que há no Conselho de Segurança porque o déficit é na categoria de membro-permanente. É lá onde não há nenhum país da América Latina ou da África, onde o único país em desenvolvimento, mas mesmo assim é um país muito especial, seria a China. E enquanto nós não corrigirmos esse desequilíbrio, acho que não estaríamos lidando com o cerne do desafio", disse.

Desenvoltura

Na terça-feira, 16, Antônio Patriota esteve nas Nações Unidas para um discurso no órgão sobre o futuro do Sudão. Com um inglês perfeito, discursou com desenvoltura sobre a importância da paz, e a cooperação que o Brasil já tem com a nação africana nas áreas de agricultura e energia limpa. Acompanhando pela embaixadora do Brasil na ONU, Maria Luiza Ribeirot Viotti, Patriota sentou-se a mesma mesa que a secretária americana de Estado, Hillary Clinton, e o chefe da diplomacia britânica, William Hague.

Antônio Patriota

Hillary Clinton em debate sobre Sudão

Segundo Patriota, somente nos últimos oito anos, quase 50% das 40 novas embaixadas que o Brasil abriu, durante o governo Lula, foram instaladas na África. O continente é visto pelo Brasil de forma, cada vez mais estratégica, não só em relações diplomáticas, mas também comerciais. Durante a entrevista, o embaixador falou sobre a importância da língua portuguesa nas relações com os países lusófonos do continente: Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe, e disse que o idioma precisa ocupar mais espaço na ONU e outras organizações internacionais.

Acompanhe a entrevista à Rádio ONU.

Rádio ONU: No seu discurso o sr. mencionou que o Brasil já está colaborando com o Sudão na área de energia e outros setores. Como o Brasil irá cooperar agora para este processo que irá configurar o futuro do Sudão?

Antônio Patriota: O Brasil está desenvolvendo uma agenda com o Sudão com biocombustíveis. O Sudão é um país muito grande. Agora, discute-se o que vai acontecer com ele no futuro. Mas com longo território à margem do rio Nilo e terra muitos férteis com condições climáticas que não são muito diferentes das nossas. Então, muitos dos avanços que conseguimos com espécies de cana-de-acúçar para produzir etanol, estes resultados podem ser aplicados no Sudão. E há um grande interesse do governo sudanês. O setor privado brasileiro também tem contribuído com investimentos nessas área. Uma outra área inovadora e interessante é a do algodão. Um grupo do Mato Grosso está investindo também para desenvolver o cultivo de algodão perto da capital Cartum, perto do rio Nilo e com resultados, ao que me dizem, muitos encorajadores. Recentemente, como eu disse no discurso, uma missão da nossa ABC, Agência Brasileira de Cooperação, esteve em Cartum para identificar outras possíveis áreas. Eu lembraria também que em maio, o presidente Lula organizou em Brasília com ministros de agricultura de toda a África. Vieram representantes de praticamente todos os países africanos inclusive do Sudão. Existem vários programas de cooperação envolvendo agricultura e técnicas que nós desenvolvemos no Brasil. Como eu disse é uma prioridade para o governo brasileiro, hoje em dia, o engajamento com o desenvolvimento econômico, social, institucional da África. O continente, segundo todas as análises, está se recuperando, rapidamente, da crise econômica. Terá um crescimento econômico em torno de 4% e 5% como um todo. Além deste vigor da economia, notamos também desenvolvimentos políticos favoráveis. Acabamos de assistir agora ao processo eleitoral na Costa do Marfim, na Guiné-Conacri, e vemos o futuro da África cada vez mais democrático e com boa superação da pobreza, do subdesenvolvimento dos últimos anos.

Haiti

RO: Esta boa cooperação com a África tem sido uma marca da diplomacia brasileira, principalmente durante esses dois mandatos do presidente Lula. E analistas dizem que esse é um momento muito importante para o Brasil. Aqui na ONU, por exemplo, o país tem se destacado com vitórias em eleições para comissões relevantes. Sendo reeleito inclusive com mais votos do que havia sido eleito. A performance no Conselho de Segurança também tem sido positiva. O país está incrementando a sua cooperação com nações africanas como o sr. acabou de falar, mas também tem a questão da língua portuguesa. Como o sr. vê o idioma, como um fio condutor, na estratégia de afirmação da política externa brasileira com os países lusófonos na África?

Antônio Patriota

Soldado brasileiro no Haiti

AP: Como você sabe, além do Japão, o Brasil é o país que mais anos esteve no Conselho de Segurança como membro não-permanente. No último ano, nós procuramos atuar em conformidade com algumas das nossas prioridades dando muito atenção à situação no Haiti, que nos preocupa muito. Até agora, com alguns desenvolvimentos negativos. Essa epidemia de cólera que está afetando muitos hatianos. Mas, de uma maneira geral, vemos com otimismo as perspectivas de estabilização do Haiti, de retomada de um desenvolvimento que beneficie a população como um todo que se portou de maneira exemplar, heroica, depois do terromoto de 12 de janeiro deste ano. Os países de língua portuguesa, obviamente, constituem uma área de atuação importante para o Brasil. A embaixadora Maria Luiza Viotti, nossa embaixadora junto à ONU, assumiu uma posição de liderança no que se refere à Guiné-Bissau tanto na sua consideração no Conselho de Segurança, como mais especificamente na Comissão de Consolidação da Paz. Recentemente, eu tive a honra de representar o ministro Celso Amorim numa conferência que organizamos, em Brasília, sobre o futuro da língua portuguesa à qual compareceram os ministros das Relações Exteriores de todos os membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. Eu co-presidi a reunião com o chanceler português Luís Amado. Nessa ocasião, foi adotada uma "Declaração de Brasília" que estabelece objetivos e metas para a língua portuguesa inclusive a sua maior difusão no Sistema Nações Unidas. Já existem algumas organizações com mandato específico como a Ompi, em Genebra, onde o português é uma língua de trabalho. Talvez esse exemplo possa ser adotado por outras organizações. O presidente Lula que fez sete discursos de abertura da Assembleia Geral aqui nas Nações Unidas sempre discursou em português. O chanceler Celso Amorim, na abertura, este ano, também discursou em português. De modo que o português é uma língua que tem uma presença. Não é uma das seis línguas oficiais, mas é uma língua que tem uma presença importante. Eu sei que continuaremos trabalhando com nossos parceiros na África, com Portugal e Timor-Leste para divulgarmos e permitimos que as nossas perspectivas também, não só a língua como veículo, mas o conteúdo da nossa mensagem seja, cada vez mais, levado em consideração.

Língua Portuguesa

RO: O objetivo desta proposta é fazer do português língua de trabalho, língua oficial. O sr. acha essa uma proposta realista, já dá para falar em cronograma?

AO: Não. Não há propriamente um objetivo de transformar o português em língua de trabalho em todos os lugares onde as Nações Unidas se reúnem ou de fazer dela língua oficial. O que há, é um compromisso de se examinar em que maneiras podemos tornar o português mais presente. Poderá ser através de algumas situações ad-hoc, poderá ainda no futuro ser de maneira mais sistemática. É claro que isso também envolve um custo, que tem que ser arcado pelos Estados-membros e e isso aí é uma questão mais delicada. Mas de qualquer maneira, o que já se pode dizer é que a contribuição do português faz parte de uma agenda de coordenação da CPLP. E essa rádio mesmo é um veículo muito importante para nós. Nós valorizamos muito o seu trabalho. Eu mesmo, na minha capacidade anterior de colaborador do ministro Celso Amorim, aqui em Nova York, mais de uma vez, conversei com a Rádio ONU. Sabemos que através dela, nós alcançamos um público grande em todos os continentes. Não esqueçamos também as comunidades aqui nos Estados Unidos e no Canadá que falam português. Eu mesmo sugeri na recente reunião de Brasília que nós atualizássemos uma espécie de atlas da língua portuguesa porque não é só nos países de língua oficial portuguesa, onde se fala português, acho que ela é uma língua também falada em outros países.

Novas Embaixadas

RO: O sr. faz parte de uma geração jovem do Itamaraty e na sua posse, em 2009, o ministro Celso Amorim disse que queria a diplomacia brasileira mais representativa com minorias inclusive. Ele disse também que era preciso aumentar o número de diplomatas que é 10 vezes menor que o corpo diplomático dos Estados Unidos. Como estão as medidas para promover essas mudanças mencionadas pelo chanceler Amorim?

Antônio Patriota

Mapa do Sudão

AO: Bom, o ministro Amorim e o presidente Lula foram pioneiros em várias direções. Há quatro anos, estamos recrutando 100 diplomatas por ano. E isso é um aumento grande em relação ao padrão anterior em que as turmas do Instituto Rio Branco costumavam ter 20, 30 diplomatas. O objetivo não é, obviamente, ter um serviço diplomático do mesmo tamanho do que os Estados Unidos que têm uma presença internacional maior, população maior e uma economia muito maior que a brasileira. Mas o objetivo aqui é ter uma presença verdadeiramente global. E nós já estamos tendo. Até o fim do ano, nós teremos relações diplomáticas com os 192 membros das Nações Unidas. Até pouco tempo atrás faltavam 10 ou 15 países com quem não tínhamos relação alguma. Isso não significa que teremos embaixadas em todos esses países. Mas o número de embaixadas aumentou muito também. Foram cerca de 40 durante o governo Lula. Hoje em dia, temos embaixadas em todos os países independentes nas Américas. Abrimos 18 novas embaixadas na África. Somos os 4º país do mundo com mais embaixadas na África logo depois dos EUA, China e França. No Oriente Médio, na Europa do Leste, na Ásia Central, onde surgiram países com o fim da União Soviética, também estamos estabelecendo agora posições para diplomatas brasileiros. Há uma extensão da nossa rede diplomática que também inclui consulados. Isso nos fornece um instrumento muito importante para a nossa diplomacia. E esperamos que com essa presença também possamos trabalhar, de maneira mais eficaz, nas Nações Unidas, no multilateral. A rede bilateral tem uma finalidade, em si mesma, de promover comércio, intercâmbios cultural e científico, de pessoas, diálogo político, mas ela também pode ser utilizada para que nos organismos multilaterais, aqui na ONU, no Conselho de Segurança, por exemplo, nós tenhamos uma atuação que reflita a realidade no terreno, da sua forma mais verdadeira, e não, necessariamente, como interpretada por terceiros. Hoje, por exemplo, trouxemos aqui para o Conselho de Segurança o nosso embaixador em Cartum, uma embaixada relativamente recente, para participar dos debates. E foi muito útil para mim ter a sua assessoria para a realização do discurso.

Reforma do Conselho de Segurança

RO: Na semana passada, houve aqui na Assembleia Geral, mais uma vez, um debate sobre a ampliação do Conselho de Segurança. Qual é a sua análise sobre esse processo? Quais são as chances reais de um assento permanente para o Brasil? Por exemplo, o país aceitaria fazer parte de um Conselho mais alargado e sem direito a veto, ou fazer parte do Conselho por mais tempo ainda que sem um assento permanente?

AO: Nós estamos observando no mundo, hoje, um processo muito acelerado de transformação e de redistribuição de influência. Pode-se falar de uma verdadeira efervescência geopolítica no mundo que é o que levou à criação do G-20 como um local privilegiado para coordenação financeira e econômica. Na Conferência de Copenhague, observamos que os principais atores, na questão ambiental, acabaram reunidos em torno de uma mesa para tentar encontrar um caminho. Evidentemente, isso não significa que a comunidade internacional não deva estar sempre presente, mas a verdade é que está em curso um processo de reconfiguração dos mecanismos de coordenação em que novos atores como Índia, Brasil e África do Sul assumem maior responsabilidade. E o Conselho de Segurança não pode estar alheio a essas mudanças todas. Existem sinais positivos que nos permitem encarar, talvez, 2011 como uma janela interessante de oportunidade. Eu ontem estive com o presidente da Assembleia Geral, ex-presidente da Suíça, Joseph Deiss. Ele tem muito interesse na matéria. A Suíça, de certa forma, é o país ideal para lidar com esse assunto que representa um desafio, sem dúvida, para a comunidade internacional, na medida que é um país neutro, um país que desenvolve relações diplomáticas de cooperação com o mundo inteiro. De forma que eu encorajei muito o presidente Deiss a assumir uma liderança nesse processo.

Temos notícias também que o presidente da França, Nicolas Sarkozy, que assumirá a presidência do G-20, em 2011, estaria também interessado ou disposto a incluir a reforma da ONU e do Conselho de Segurança nas consultas que manterá com os demais membros do G-20. O que pode ser também um canal interessante não propriamente de negociação, mas ao menos de coordenação e diálogo. E vimos agora também um desenvolvimento importante que foi a manifestação de apoio, por parte do presidente Obama, ao ingresso da Índia no Conselho como membro-permanente. Isso aí é muito bem-vindo, na medida que, sinaliza flexibilidade por parte dos Estados Unidos, um país que estava, relativamente, alheio dos debates com uma participação que era tímida. Isso reflete, eu acho, um interesse maior. E essa declaração em si já teve o efeito de desencadear uma série de artigos de imprensa de editoriais etc que demonstram que o assunto está no topo da agenda internacional. Mas você havia me perguntado sobre a permanência mais longa...

RO: Só queria lembrar que, quase no mesmo dia, a Grã-Bretanha declarou o seu apoio a um assento permanente para o Brasil.

Antônio Patriota

Antônio Patriota

AO: É verdade. E justamente (na revista britânica) "The Economist", a matéria falava que hoje em dia já é possível pensar, o que antes talvez fosse impensável, que é uma reforma do Conselho de Segurança com países como o Brasil. E ontem, no "Finacial Times", havia um editorial semelhante. Quanto à questão da fórmula precisa que permitirá superarmos o impasse atual, digamos, que existe uma coordenação estreita, que o Brasil tem mantido entre os outros países que detêm uma posição semelhante (Alemanha, Japão e Índia) que é favorável à expansão nas duas categorias. Uma expansão numa categoria apenas não lidaria com o déficit de representação que há no Conselho de Segurança porque o déficit é na categoria de membro-permanente. É lá onde não há nenhum país da América Latina ou da África, onde o único país em desenvolvimento, mas mesmo assim é um país muito especial, seria a China. E enquanto nós não corrigirmos esse desequilíbrio, acho que não estaríamos lidando com o cerne do desafio. A ideia de uma etapa transitória que leve a uma reforma permanente tem sido levantada. Não é evidentemente a nossa preferência. Mas o que, sobretudo, acho que seria inaceitável para países como Brasil, Índia e outros, são as ideias relativas à manutenção atual de membros permanentes como fórmulas de participação mais prolongada no tempo ou de votação, porque isso aí não altera o status quo. No status quo, o Brasil já é um país de participação mais frequente no Conselho de Segurança. Desde a queda do Muro de Berlim, estivemos, inúmeras vezes, no Conselho como intervalos relativamente curtos de ausência. De modo que não é necessário uma reforma para nos permitir fazer algo que já estamos fazendo agora.


Para finalizar, eu gostaria de agradecer essa oportunidade e dizer que para mim foi um prazer participar dessa reunião ministerial sobre o futuro do Sudão. O Sudão é o maior país da África em extensão territorial, um país de 40 milhões de habitantes. Evidentemente, que a instabilidade do Sudão afetará todos os nove vizinhos que o Sudão tem. De modo que ficamos satisfeitos em vermos aqui os representantes do norte e do sul dialogando com a comunidade internacional e o engajamento de todos para assegurar que as Nações Unidas possam contribuir para o encaminhamento pacífico e uma paz duradoura que dê a todos os sudaneses melhores condições de vida.

Tempo total: 16'53"

Antônio Patriota - parte 1

Antônio Patriota - parte 2

Antônio Patriota - parte 3

Antônio Patriota - parte 4


FIM



***
Fonte:http://www.unmultimedia.org/radio/portuguese/detail/187814.html



A Igreja praticante da pedofilia e do preservativo

12/12/2010
Do OPERA MUNDI
Por Marcos Roitman Rosenmann | Venezuela

Como nas guerras de posição, para avançar e romper trincheiras, lançar bombas de fumaça pode ser muitas vezes uma excelente estratégia para desviar a atenção do inimigo. Todos os olhares estão concentrados em uma nuvem espessa, numa cortina protetora, por trás da qual se espera que apareça um exército bem equipado.

Esta manobra está cheia de variantes, cuja referência é a surpresa. Distrair e confundir. Transferida para a política, temos um efeito homólogo com as chamadas “bombas de informação”. Seus efeitos são imediatos, e a notícia, não interessa do que se trata, torna-se o numero um do ranking. Rádios, televisões e imprensa escrita se preparam para dar uma ampla cobertura. Por alguns dias não há outro assunto nas conversas. Entretanto, outros acontecimentos cuja repercussão pode ser infinitamente mais grave ou importante passaram despercebidos graças à eficácia da isca. Em outras palavras, jogaram o anzol. Ninguém escapa a seus encantos, que são feitos ainda mais atraentes por este estratagema.

Casamentos, assassinatos, prisões, assaltos, eventos esportivos entre outros se tornam carniça para a sociedade de espetáculo. No espaço político, essa bomba informativa adota a forma de uma declaração. Seu objetivo é o mesmo, burlar e despistar.

As opiniões do Papa sobre o uso de preservativos reproduzidas em um livro em forma de entrevista foram lançadas simultaneamente com as conclusões do conclave cardinalístico sobre pedofilia e abusos sexuais cometidos por membros da igreja. As conclusões apenas se comentam ou caem em um saco furado. Uma boa cortina de fumaça.

É um clichê ressaltar o caráter católico das sociedades ocidentais. Não podemos afirmar que esta afirmação é fruto da pressão da mídia, dos costumes ou um ato consciente. De qualquer forma o Estado do Vaticano permanece como representante institucional do reino de Deus na Terra, tem as chaves e decide quem será salvo e quem vai para o inferno. Com esta finalidade, excomunga, santifica ou declara guerra aos infiéis. Além disso, declara ser a religião com mais seguidores do planeta. Para confirmar sua hegemonia de culto, apresenta centenas de milhões de batizados, comunhões e casamentos que ano após ano realiza em rituais na Europa, América Latina, África, Ásia e Oceania.

Também contam com a fórmula da jurar por Deus de centenas de chefes de governo adeptos desta religião, dando graças ao Supremo e esperando que este os guie em seu trabalho e não os deixe cair no caos ou os afaste de sua fé. Ditadores como Franco, Pinochet, Somoza ou Trujillo unem-se a dirigentes eleitos pelas urnas que pertencem à mesma Igreja Católica Apostólica e Romana. Fox, Calderón, Piñera, Menem, Aznar, Bush ou Reagan. Sofrem quando a cúria lhes dá as costas e os incentiva a serem mais misericordiosos e lhes puxa as orelhas. Todos são filhos do Senhor. Por esta lógica, a distancia entre ricos e pobres, homens e mulheres, crianças e jovens se dilui. Não há como perder-se: “Totus Tus”. Família que reza unida permanece unida.

Hoje a igreja católica praticante não é capaz de assumir responsabilidades pelos seus atos. Reunidos, o Papa e os cardeais com a finalidade de dar uma resposta a uma sociedade escandalizada com os abusos sexuais que foram cometidos pelos seus membros por décadas, para não dizer séculos, não estiveram à altura do exigido. Seus fiéis devem sentir vergonha pela maneira como o problema foi tratado. Nenhuma excomunhão, nenhum ato de contrição. Só fazem um chamado a colaborar com as autoridades civis. A manifestação é simples. O problema deve ser tratado como um fato excepcional. Ovelhas perdidas do seu caminho e que sucumbiram às tentações da carne.

Eles romperam com o celibato. Que os atos são repugnantes, e mais dos claro. Portanto os sacerdotes acusados de pedofilia serão julgados pelas leis de Deus. As penitências podem ser variadas e não indicam diretamente a expulsão e a denúncia à policia. Talvez mudar o culpado da paróquia e obrigando-o a rezar com paixão, peregrinar até Fátima, Lourdes ou Santiago seja suficiente castigo para redimi-lo perante o Supremo. Em todo lugar acontecem falhas e a igreja católica não é uma exceção. Não há razão para alarme. Aqueles que acusam a igreja e denunciam os casos de abuso sexuais praticados por padres e freiras o fazem por raiva, esse é o discurso.

Querem desacreditar os seus membros, atuam de má fé. São ateus, comunistas, agnósticos, homossexuais e lésbicas. Pessoas de maus costumes. Desejam a destruição do catolicismo. Caso encerrado. O poder baseado no Vaticano tomou uma decisão de arquivar o assunto. Para evitar os escândalos dizem que o Papa e os cardeais serão mais cuidadosos ao escolher as futuras vocações. Assim aos noviços será feita uma pesquisa complementar incorporando perguntas tais como “você é pedófilo?”, “você manterá o voto de celibato?”

A resposta vai ser um mistério e será considerado segredo de confissão. Entretanto discutimos a “liberalidade” de Bento XVI e sua postura de justificar o uso de preservativos em casos excepcionais, mas não como um método para praticar sexo seguro, saudável e livre. Não há dúvidas, ser casto e puro até o matrimônio e, para esfriar os calores, duchas frias e masturbação sem preservativo.

É a igreja da pedofilia e do preservativo. Dêem as boas vindas. Amém.

Traduzido por Edna Meire de Moraes
Publicado originalmente pela TeleSur
***
Fonte:http://operamundi.uol.com.br/opiniao_ver.php?idConteudo=1319

Argentina julga ex-ditador Jorge Rafael Videla por crimes cometidos na ditadura

21/12/2010
Do OPERA MUNDI
Por Luciana Taddeo | Enviada especial a Córdoba

Após seis meses de audiências e décadas de espera, a Argentina deverá conhecer, nesta quarta-feira (22/12), o veredicto do julgamento oral e público de Jorge Rafael Videla, primeiro presidente da ditadura cívico militar do país, que deixou um saldo estimado de 30 mil mortos e desaparecidos, entre 1976 e 1983.

Desde julho deste ano, o ex-general está sendo julgado ao lado de 30 militares e policiais, por assassinatos e torturas na Unidade Penitenciária No 1 (UP1) de Córdoba, crimes cometidos entre abril e outubro de 1976. Um dos destaques do banco de réus é Luciano Benjamín Menéndez, então chefe do Terceiro Corpo do Exército, que comandava as atividades militares de dez províncias do noroeste argentino.

Luciana Taddeo/Opera Mundi
Policial protege a sede de H.I.J.O.S. em Córdoba, após denúncias de ameaças recebidas por advogados e parentes das vítimas

Pela primeira vez, um julgamento de crimes cometidos durante a ditadura reúne tamanha quantidade de acusados, uma das razões pelas quais as organizações de direitos humanos definem esta sentença como um “momento histórico” da luta pela aplicação da justiça aos envolvidos nos crimes cometidos durante a ditadura.

“A imagem inicial deste julgamento foi muito forte, com uma grande quantidade de pessoas no banco dos réus, com Videla na primeira fila. Dos julgamentos atuais, este é o maior do país e o primeiro que conta com a presença do repressor”, afirmou ao Opera Mundi Martín Notarfrancesco, o porta-voz de causas judiciais da organização H.I.J.O.S. (Filhos pela Identidade e Justiça, contra o esquecimento e o silêncio).

Nesta terça-feira (21/12), os acusados terão direito a dar sua última palavra e na quarta-feira (22/12), receberão a sentença. Este será o primeiro veredicto escutado por Videla desde 1985, no Julgamento das Juntas Militares que governaram o país durante o período de repressão.

Notarfrancesco confia na condenação do ex-ditador à prisão perpétua. “Esta conquista é o resultado de um caminho de luta que construímos há 15 anos, com um trabalho permanente de conscientização de muitos setores da sociedade sobre a importância do julgamento dos repressores”, afirmou.

Principais momentos

Um dos momentos mais significativos dos quase seis meses de audiências foi a declaração do ex-ditador, que pela primeira vez se pronunciou em um tribunal. Nem em 1985, quando foi condenado à prisão perpétua por numerosos crimes contra a humanidade, o ex-general tinha feito o uso da palavra.

Sem demonstrar indícios de emoção, Videla assumiu plena responsabilidade pela repressão promovida durante seu governo: “Reitero e assumo minhas responsabilidades em todas as ações realizadas pelo exército na guerra interna contra os subversivos”, disse ele, acrescentando ainda que seus “subordinados se limitaram a cumprir” suas ordens.

Outra etapa do processo que marcou tanto testemunhas como querelantes foi a inspeção ocular à unidade penitenciária onde estavam presas as vítimas em questão, realizada em novembro, para situar os fatos nos espaços do edifício. Durante a visita, duas testemunhas colaboraram com detalhes sobre dois crimes ocorridos no local.

Rosário Rodríguez Balustra, uma das querelantes do julgamento, pelo assassinato de seu marido, Pablo Alberto Balustra, contou que um dos momentos mais dolorosos da inspeção foi quando testemunhas descreveram o assassinato de René Moukarzel, cujos braços e pernas foram amarrados em estacas na noite mais fria de 1976. Ele passou horas de tormentos, tendo o corpo queimado com cigarros e molhado com baldes de água fria, entre outras agressões.

Para Claudio Orosz, advogado da associação de Familiares de Desaparecidos e Presos por Razões Políticas e da organização H.I.J.O.S., representante de algumas das famílias querelantes, uma das audiências mais críticas foi quando esperavam um testemunho por teleconferência da Itália. “Esta testemunha se refugiou inicialmente no Brasil e com a ajuda de Dom Paulo Evaristo Arns, foi elaborado um documento com muitos dados fundamentais para a causa, mas que a testemunha nunca ratificou. Confirmar esta declaração, como terminou acontecendo, era muito importante”, revelou.

Outro momento de destaque foi quando o ex-cabo do exército, Miguel Angel Pérez, um dos acusados, pediu perdão por ter “arruinado a vida” da família de Raúl “Paco” Bauducco, assassinado com um tiro na cabeça. “Somente a eles eu devo explicações”, afirmou o ex-militar.

Segundo ele, na época, seus superiores o obrigaram a declarar que o crime ocorreu devido a uma tentativa de roubo de sua arma. “Era a primeira vez que eu tinha ‘terroristas’ tão perto. Depois, soube que se tratava de presos políticos. Responsabilizo o exército argentino por ter arruinado minha vida quando eu tinha 20 anos, por ter me mandado atuar na prisão quando eu não tinha preparação”, relatou em uma audiência.

Repressores

Videla, hoje com 84 anos, deverá ser condenado pela primeira vez desde 1985, quando recebeu a pena de prisão perpétua por homicídios qualificados, 504 privações ilegais de liberdade, torturas, roubos agravados, falsidade ideológica de documentos públicos, usurpações, extorsões, roubo de menores, entre outros crimes contra a humanidade.

O ex-ditador cumpriu, no entanto, apenas cinco anos consecutivos de pena, seguidos por voltas intermitentes à prisão, devido aos benefícios dos indultos de 1990 do então presidente Carlos Menem, que mediante decretos determinou sua liberdade e direitos de prisão domiciliar após sua volta à cadeia em 1998.

Em 2003, o Tribunal Territorial de Nuremberg solicitou sua extradição para a Alemanha, pelo homicídio da alemã Elisabeth Kaesemann na Argentina em 1977. Pela falta de provas, o pedido foi negado. Em 2009, a causa de Nuremberg foi reaberta após a aparição do cadáver do alemão Thomas Stawowiok na Argentina.

Apesar do pedido dos querelantes de que seja condenado à prisão comum, Videla deve cumprir qualquer pena em prisão domiciliar, como garante a lei para réus com idade superior a 70 anos.

Já o réu Luciano Benjamín Menéndez foi o mandante das atividades militares em 10 províncias do noroeste argentino entre 1975 e 1979. Segundo testemunhos, supervisou e dirigiu pessoalmente torturas e fuzilamentos executados nos centros clandestinos de detenção desta área.

Em 1988, foi processado por quatro roubos de bebês, 47 casos de homicídio, 76 de torturas, sendo quatro deles seguidos de morte. Chegou a ficar na prisão por alguns dias, mas terminou beneficiado pela Lei de Ponto Final, que estabelecia um limite para o desfecho da causa, e pelos indultos de Menem.

Menéndez está preso desde julho de 2008 e, se concretizada a condenação, deve bater um recorde e acumular sua quinta prisão perpétua. Devido às precárias condições de saúde, o ex-militar passa períodos intermitentes na cadeia, revezando-se entre o hospital militar e a residência de um de seus filhos.
****
Fonte:http://operamundi.uol.com.br/noticias/ARGENTINA+JULGA+EXDITADOR+JORGE+RAFAEL+VIDELA+POR+CRIMES+COMETIDOS+NA+DITADURA_8369.shtml

Lula confirma que vetará distribuição de royalties do pré-sal

21/12/2010
Do MSN NOTÍCIAS
Por Reuters

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmou nesta terça-feira que irá vetar a nova fórmula de distribuição de royalties do petróleo da camada pré-sal. Ele sancionará até quinta-feira o novo marco regulatório para exploração do petróleo desta camada.

'Eu vou vetar e vou mandar para o Congresso um projeto de lei restituindo o acordo que nós firmamos naquele período para que as pessoas percebam que nós queremos que todos os Estados ganhem com o petróleo, mas que os Estados produtores possam ganhar um pouco mais', disse Lula a jornalistas após participar de cerimônia no Rio de Janeiro.

Pelo marco regulatório aprovado pela Câmara no início deste mês, foi estipulado um novo modelo de produção para áreas estratégicas --o de partilha-- e foi criado um novo sistema de distribuição de royalties que beneficia todos os Estados, desagradando os produtores.

Na conta dos governadores de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, eles perderiam uma grande arrecadação com o novo sistema.

'É a compensação que eu acho que os Estados produtores merecem. E vou fazer isso tranquilamente, o Congresso já está comunicado que eu vou fazer isso, os relatores já estão comunicados, a companheira presidenta Dilma (Rousseff) concorda com isso e isso será feito amanhã', afirmou Lula.

Com o veto de Lula, a presidente eleita terá que fazer uma nova negociação com os Estados para a criação de um novo sistema de distribuição de royalties.

O marco regulatório muda a lógica de concessão dos poços de petróleo. Os campos das águas ultraprofundas serão concedidos para os investidores que oferecerem a maior parte do óleo extraído para a União.

Hoje, a União vende os campos para aqueles que fizerem a melhor oferta em dinheiro (bônus de assinatura) pelo direito de explorá-los, em regime de concessão. O governo resolveu mudar as regras de exploração depois que a Petrobras fez descobertas de grandes campos na camada pré-sal.

Outra novidade do marco regulatório é que a Petrobras será operadora em todos os campos. Isso garante que o governo tenha informações corretas de produtividade em todos eles. O governo também criou uma nova empresa estatal para gerir os interesses da União nos consórcios que serão criados para a exploração nesses campos.
***
Fonte:http://noticias.br.msn.com/economia/artigo.aspx?cp-documentid=26851032

Anvisa suspende medicamentos usados para emagrecer

21/12/2010
Do MSN NOTÍCIAS

Divine Shen Equilibrium, que deveria conter apenas fibras de laranja amarga, vem com sibutramina

São Paulo
- A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu hoje a importação e a comercialização de todos os produtos da marca Divine Shen, usados para emagrecer. Segundo o órgão de vigilância, será investigado como o produto importado da China e registrado na Anvisa como alimento, foi misturado ao medicamento de uso controlado sibutramina. Também está interrompida a importação, fabricação e comércio da substância Caralluma Fimbriata.

De acordo com a agência, a sibutramina tem ação no sistema nervoso central e é capaz de reduzir a sensação de fome. Ela cita estudos em que pacientes com histórico de doença cardiovascular podem ter aumentado o risco de doença coronariana, acidente vascular cerebral (AVC), taquicardia e aumento da pressão arterial quando expostos ao medicamento.

A presença da sibutramina em um dos produtos da Divine Shen foi atestada em um laudo do Instituto de Criminalística de São Paulo (IC-SP) ao examinar amostras levadas a teste pelo Ministério Público (MP). A 2ª Promotoria de Justiça Criminal iniciou a apuração depois de receber a denúncia de que o produto estaria adulterado. A Anvisa também pretende notificar a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização Mundial do Comércio (OMC) sobre o ocorrido.

Irregular

A Anvisa informa que até o momento nenhum produto que contenha em sua composição a substância Caralluma Fimbriata se encontra regularizado no País, tendo em vista que não há qualquer comprovação em relação à sua segurança e eficácia. Por essa razão, uma resolução da agência, publicada hoje no Diário Oficial da União (DOU), suspende a importação da Caralluma Fimbriata, sua fabricação, distribuição, manipulação, comércio e o uso em todo o território nacional.

A primeira ação da Anvisa em relação às falsas alegações de propriedades relacionadas a emagrecimento foi tomada em maio deste ano, com a publicação da resolução 1992, no dia 3, que proibia a propaganda de insumos anunciados como "naturais" e com propriedade capazes de acelerar a perda de peso, entre eles a Caralluma Fimbriata.

A resolução de hoje da Anvisa amplia o que previa a RE 1992/2010 porque permite que, a partir de sua publicação, as equipes das vigilância sanitária dos Estados e dos municípios possam ir aos estabelecimentos comerciais e às farmácias para retirar o produto da prateleira.
***
Fonte:http://noticias.uol.com.br/ultnot/cienciaesaude/ultimas-noticias/estado/2010/12/21/anvisa-suspende-medicamentos-usados-para-emagrecer.jhtm

Ciro Gomes fica de fora do ministério Dilma

21/12/2010
Do MSN NOTÍCIAS e da Reuters
Por Jeferson Ribeiro

BRASÍLIA (Reuters) - O deputado Ciro Gomes (PSB) não vai fazer parte do ministério da presidente eleita Dilma Rousseff, informou à Reuters nesta terça-feira o vice-presidente do PSB, Roberto Amaral.

Ciro havia sido convidado por Dilma para integrar sua equipe e manifestou aos membros do PSB que gostaria de ocupar a pasta da Saúde. Como a presidente optou por nomear o atual ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha (PT), para o posto, Ciro declinou do convite.

'Ele recusou (o convite). Ele prefere esperar para uma segunda oportunidade. Quando o nome dele foi aventado, ele preferia o Ministério da Saúde, mas como esse ministério já estava compromissado ele preferiu recusar o convite', disse Amaral.

Ciro Gomes, que comandou a pasta da Integração Nacional no primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pretendia concorrer à Presidência da República neste ano, mas foi desestimulado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que priorizou a candidatura de Dilma.

Amaral, ex-ministro de Ciência e Tecnologia de Lula, estará com Dilma nesta tarde junto com o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), irmão de Ciro, para tentar fechar as indicações do partido, que vai ficar com as pastas da Integração Nacional e de Portos, acrescida de Aeroportos.

Cid já esteve negociando com Dilma e a presidente eleita também teve conversas com Eduardo Campos, presidente do partido e governador de Pernambuco.

'O governador Cid e eu nos reuniremos com a presidente Dilma para bater o martelo sobre os nomes', contou.

Para a Integração, o mais cotado é o secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Fernando Bezerra Coelho, indicado por Eduardo Campos.

Para a secretaria de Portos e Aeroportos concorrem o líder do PSB na Câmara, Márcio França (SP), e o secretário de Turismo do Ceará, Bismarck Maia.

O PSB foi um dos partidos que mais cresceu nas últimas eleições e a partir do ano que vem governará seis Estados. A legenda pretendia obter pelo menos três pastas e vai ficar com duas, mesma quantidade que tem no governo Lula. Dilma já anunciou 30 nomes dos 37 que compõem o ministério.

(Reportagem adicional de Leonardo Goy)
****
Fonte:http://noticias.br.msn.com/brasil/artigo.aspx?cp-documentid=26851025

Bispo recusa comenda no Senado em protesto contra aumento de salários

21/12/2010
Do MSN NOTÍCIAS
Por Por Rosa Costa, da Agência Estado, estadao.com.br

Em protesto contra o reajuste de 62% que os parlamentares concederam aos seus próprios salários, o bispo emérito de Limoeiro do Norte, do Ceará, D. Manuel Edmilson da Cruz, recusou a comenda de Direitos Humanos D.Hélder Câmara, que este ano foi conferido pelo Senado, pela primeira vez.

Ao falar no plenário, na sessão de entrega da comenda, o religioso lamentou que o Congresso tenha aprovado aumento para seus próprios salários, com efeito cascata nos vencimentos de outras autoridades, enquanto os trabalhadores no transporte coletivo de Fortaleza mal conseguiram 6% de reajuste, em recente reivindicação trabalhista.

Segundo o bispo, enquanto o Congresso premia a si próprio, as aposentadorias estão reduzidas e o salário mínimo cresce 'em ritmo de lesma'. 'Só me resta uma atitude: recusá-la (a comenda). Ela é um atentado, uma afronta ao povo brasileiro, ao cidadão, ao contribuinte, para o bem de todos com o suor no seu rosto e a dignidade no seu trabalho', disse. Para D.Manuel, o deputado e o senador que aprovaram o reajuste 'não é parlamentar. É para lamentar'. O bispo foi um dos cinco contemplados pela comenda D.Helder Câmara.
***
Fonte:http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/artigo.aspx?cp-documentid=26852874

Carreira do SUS tenta levar médicos ao interior

21.12.2010
Do MSN NOTÍCIAS e do estadão.com.br
Por Lígia Formenti / BRASÍLIA

O Ministério da Saúde vai apresentar nesta semana ao Ministério do Planejamento a proposta de criação da carreira do SUS. O projeto, preparado desde setembro, pretende oferecer médicos a cidades com dificuldade no recrutamento de profissionais. Estima-se que 500 municípios do País não tenham médicos que residam na cidade.

O projeto foi apresentado na semana passada ao ministro José Gomes Temporão pelo grupo de trabalho, formado por representantes de associações médicas e secretarias estaduais e municipais de Saúde. 'Será uma espécie de Força Nacional de Saúde', disse o secretário de Gestão do Trabalho e de Educação na Saúde da pasta, Francisco Campos.

A proposta prevê que a seleção será feita por concurso público. Cidades cadastradas para participar do projeto receberiam profissionais contratados pelo ministério. Ela prevê rotatividade dos médicos em um sistema semelhante ao que ocorre nas carreiras jurídicas. 'Na primeira cidade, o médico ficaria pelo menos três anos. Depois disso, ele seria transferido para um local próximo', contou o vice-presidente do Conselho Federal de Medicina, Aloísio Tibiriçá.

Resistência. A nova carreira foi pensada em um formato para quebrar a resistência apresentada por médicos para trabalhar em áreas distantes. Segundo Campos, a falta de interesse não é vencida só com altos salários.

Ele observa que médicos temem ficar desatualizados quando trabalham em locais distantes e não encontrar condições adequadas para exercer a profissão. A rotatividade ajudaria a convencê-los. 'A proposta prevê educação continuada. Cidades dispostas a participar teriam o compromisso de oferecer condições mínimas de trabalho', afirmou Tibiriçá. Segundo ele, secretarias estaduais podem ajudar na infraestrutura dos serviços.

Campos afirmou que, no primeiro momento, a força será composta só de médicos. 'O grupo de estudo verificou não haver problema para contratação nem de enfermeiros nem de dentistas.' A remuneração ficará sob responsabilidade do ministério, mas o valor seria 'descontado' dos repasses que a pasta faz para as cidades, mensalmente. O secretário informou que a maior parte dos municípios candidatos para participar do programa são do Norte e do Nordeste.

Tibiriçá contou que o projeto apresentado a Temporão poderá sofrer alguns ajustes. A proposta do grupo é de que, em uma outra etapa, o programa seja ampliado para Programas de Saúde da Família. 'Cerca de 30% das equipes não têm médicos, a forma de contratação é precária.'
****
Fonte:http://estadao.br.msn.com/ciencia/artigo.aspx?cp-documentid=26847886

Fraudadores tomam empréstimos em nome de Lula, apura PF

21/12/2010
Do MSN NOTÍCIAS e do Estadão.com.br
Por Pedro Rocha

A Polícia Federal investiga um golpe que utilizou o nome do presidente Luís Inácio Lula da Silva para conseguir empréstimo consignado, em Uruguaiana, no Rio Grande do Sul. O promotor de Justiça Rodrigo de Oliveira Vieira encaminhou à Justiça de Uruguaiana pedido que o caso seja repassado para a polícia da região.

Segundo Vieira, o crime começou a ser apurado pela PF em 2007, após ser constatada a realização de alterações indevidas de endereço nos registros do benefício previdenciário de Lula. A PF constatou que as alterações no cadastro ocorreram por falhas e vulnerabilidades do sistema e não por ato criminoso. Mas empréstimos consignados fraudulentos foram realizados em nome do presidente, em Uruguaiana, e serão apurados.

Vieira informa que, como o crime foi cometido contra pessoa física, a competência passou a ser não mais da Justiça Federal, mas da Estadual.
****
Fonte:http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/artigo.aspx?cp-documentid=26851908

'Canibal da besta' é condenado à prisão perpétua pela morte de 3 mulheres

21/12/2010
Do MSN NOTÍCIS
BBC Brasil


Griffiths admitiu ter assassinado três prostitutas locais

O britânico Stephen Griffiths, de 40 anos, foi condenado nesta terça-feira à prisão perpétua pelo assassinato de três mulheres em Bradford, no norte da Inglaterra.

Griffiths, que é formado em psicologia e doutorando em criminologia, confessou o assassinado de Suzanne Blamires, de 36 anos, Shelley Armitage, de 31, e Susan Rushworth, de 43, que trabalhavam como prostitutas na cidade.

Ele foi ouvido em julgamento na Corte Real de Leeds sobre as acusações que foram registradas em maio.

Na época, Griffiths se identificou no tribunal como 'o canibal da besta', apelido dado a ele por parte da mídia britânica por ter supostamente executado uma vítima usando uma besta (arma com aparência de espingarda que dispara uma flecha com uma corda).

Vídeos

O estudante foi acusado após a aparição de vídeos do circuito interno de vigilância do edifício onde morava, em que ele aparecia atacando Suzanne Blamires.

No vídeo, Blamires foi vista correndo do apartamento de Griffiths e, em seguida, arrastada pelo chão pelas pernas.

Griffiths atirou nela com uma besta e mostrou o dedo médio para a câmera.

Os restos mortais da mulher foram encontrados no dia seguinte boiando no rio Aire.

Griffiths admitiu ter matado Blamires entre 20 e 25 de maio, Susan Rushworth entre 22 de junho de 2009 e 25 de maio de 2010 e Shelley Armitage, entre 25 de abril e 25 de maio deste ano.

No tribunal, ele declarou ter comido pedaços da carne de Suzanne Blamires.

Segundo a mídia britânica, ele foi descrito pelos vizinhos como um 'solitário' obcecado com prostitutas.

Sua tese de doutorado era sobre assassinatos em Bradford no século 19.
***
Fonte:http://noticias.br.msn.com/mundo/artigo-BBC.aspx?cp-documentid=26849442

Agave dá mais do que tequila para o México

17/12/2010
Do MNS NOTÍCIAS e da Agência EFE
Por Helena Lozano


A planta do agave, mãe da tequila, do mezcal e do pulque, é chave na culinária, na religião e na cultura mexicana. Ela dá teto, alimento e vestimenta desde tempos milenares graças a mais de uma centena de variedades frequentes.

Conta a história que foi dos restos da deusa pré-hispânica Mayahuel - enterrados pelo deus Quetzalcoatl - que nasceu a primeira planta do agave para fornecer aos homens produtos que lhes dariam gozo e prazer.

Especialistas no tema asseguram que quase todas as culturas do México pré-hispânico consumiram, utilizaram e usaram o agave convertendo em um elemento "onipresente" em sua cultura.

A palavra maguey (o agave, na linguagem local) é de origem pré-colombiana, em língua nahuatl é chamada de "metl", um nome vinculado com mayauetl ou mayahuel, a deusa feminina.

Somente no México crescem pelo menos 136 espécies do agave, cerca de 26 subespécies, 29 variedades e sete formas, segundo disse à Agência Efe a pesquisadora Cristina Barros, acrescentando que crescem em climas semissecos a temperaturas médias de 22 graus e geralmente a uma altitude de 1.500 a 2.000 metros acima do nível do mar.

A planta foi adotada no México pelas diferentes culturas milenares para ser usada principalmente na elaboração de bebidas tradicionais como o pulque - que se obtém da fermentação do suco da planta denominado aguamiel - a tequila e o mezcal - resultado da destilação de tal suco.
****
Fonte:http://noticias.br.msn.com/artigo.aspx?cp-documentid=26802340

Rússia e Grã-Bretanha expulsam diplomatas mutuamente

21/12/2010
Do MSN NOTÍCIAS e Reuters, reuters.com
Por Olesya Dmitracova

LONDRES (Reuters)
- A Grã-Bretanha disse na terça-feira que expulsou um diplomata da embaixada russa em Londres, e que a Rússia reagiu expulsando um diplomata britânico de Moscou, em mais um capítulo das reiteradas disputas entre ambos os governos.

A Grã-Bretanha disse ter solicitado a expulsão do diplomata russo em 10 de dezembro, após 'claras evidências' de atividades do serviço russo de inteligência contra os interesses britânicos.

Seis dias depois, a Rússia solicitou a retirada do diplomata britânico, segundo nota divulgada pela chancelaria britânica. Ambos os diplomatas já deixaram os países onde estavam.

No começo de dezembro, a Rússia acusou a Grã-Bretanha de 'espiomania paranoica,' e sugeriu que a prisão da assessora russa de um parlamentar britânico poderia atrapalhar os esforços de aproximação diplomática bilateral.

A chancelaria russa criticou o tratamento dispensado a Katia Zatuliveter, 25 anos, assessora de um deputado liberal-democrata que atua na Comissão de Defesa do Parlamento britânico. O jornal Sunday Times havia informado que ela era suspeita de espionagem.

As relações entre Rússia e Grã-Bretanha foram abaladas em 2006 pela morte, em Londres, de Alexander Litvinenko, um crítico do governo russo, que foi vítima de contaminação por um raro isótopo radiativo. A Rússia se recusa a extraditar um parlamentar que a Grã-Bretanha acusa de envolvimento no crime.

Acusações de espionagem entre Moscou e Londres remontam à época da Guerra Fria. Mas o novo governo britânico, que tomou posse em maio, vinha buscando uma reaproximação, e no mês passado o primeiro-ministro David Cameron aceitou um convite para visitar a Rússia no ano que vem. Seu chanceler, William Hague, já esteve em Moscou.

(Reportagem adicional de Tim Castle)
****
Fonte:http://noticias.br.msn.com/mundo/artigo.aspx?cp-documentid=26854179

Ex-traficantes de favela no Rio procuram UPP atrás de emprego

21/12/2010
Do MSN NOTÍCIAS
Por BBC Brasil

Em uma tarde de agosto, cinco meninas chegaram juntas à Unidade de Polícia Pacificador(UPP) da Cidade de Deus, no Rio de Janeiro, para pedir ajuda. Elas atuavam no tráfico de drogas, mas queriam deixar o crime para trás.

'Entramos todas juntas, e eu falei que não queria mais ficar na vida que eu levava. Perguntei se eles podiam me ajudar a largar essas coisas e arrumar um emprego, uma escola. Queria mudar de vida', conta C., de 18 anos.

Um ano antes, a jovem havia sido presa pelos mesmos policiais aos quais se entregou. Menor de idade, passou sete dias presa e voltou à sua atividade: venda de cocaína nas ruas da Cidade de Deus. Agora, com a ajuda da UPP, ela e sua amiga R., de 19 anos, conseguiram emprego em um salão de beleza na comunidade.

'Fomos bem recebidas, eles ajudaram a gente. Mudou a nossa vida totalmente. Mudou para melhor, porque naquela vida não dava mais, não', conta C., que tem cicatrizes no corpo de agressões sofridas no passado.

Na última segunda-feira, a dupla conversou com a BBC Brasil dentro da UPP da Cidade de Deus. Nos meses após a instalação da unidade, em fevereiro de 2009, elas continuaram traficando e fugindo dos policiais que trabalham ali. Agora, elas fogem de traficantes, e recorrem aos policiais para proteção.

'Acho que, se a UPP não tivesse vindo, eu já estava era morta', diz R.

Menos dinheiro

O soldado Stanley Giffoni, que é apontado pelas duas como uma espécie de guardião, diz que elas chegaram sem rumo.

'A vida delas foi toda no tráfico, são nascidas e criadas ali dentro', diz o policial. 'Essas pessoas acham que só existe aquilo. A gente ajudou, arrumou escola, trabalho. Agora elas estão ganhando bem menos do que ganhavam antes, mas de maneira honesta.'

Com o tráfico de drogas, cada uma faturava de R$ 2 mil a R$ 3 mil por semana. Gastavam com roupas, cosméticos e noitadas em bailes funk. 'Eu gastava muito no baile, só tomava bebida cara', diz R. 'Antes o dinheiro era fácil. Agora é suado', diz.

Giffoni diz que as jovens não foram as únicas a recorrer à ajuda dos policiais para refazer a vida. Pelo menos outras três meninas e três rapazes deram o mesmo passo, e um deles já está empregado, de acordo com o soldado.

Além das UPPs, associações de moradores ou ONGs também têm sido procurados por jovens que querem sair do tráfico.

No Morro da Providência, o capitão Glauco Schorcht afirma que a associação local conseguiu emprego para alguns jovens da comunidade com pequeno grau de envolvimento com o crime.

Schorcht diz que um acordo foi firmado com uma empresa de óleo e gás, que está contratando moradores após oferecer um curso na área de solda.

'Eles já garantiram mais sete turmas para pessoas da comunidade ano que vem', afirma o policial. 'Isso vai ser uma ponta de lança para tentar cooptar esses garotos envolvidos com o trafico.'

O capitão José Luiz de Medeiros, comandante da UPP da Cidade de Deus, diz que os policiais identificam as pessoas com envolvimento primário com o crime organizado para oferecer ajuda. 'Muitas delas não devem nada à Justiça, não têm mandado judicial', afirma.
***
Fonte:http://noticias.br.msn.com/mundo/artigo-bbc.aspx?cp-documentid=26852099

Proposta de orçamento prevê investimento 7,6% maior que o previsto

20/12/2010
Do MSN NOTÍCIAS
Por BBC Brasil

A proposta para o Orçamento da União, que deverá ser votada nesta quarta-feira, prevê investimentos de R$ 171 bilhões em 2011, valor 7,6% maior do que o total previsto inicialmente pelo governo federal. Trata-se da quantia disponível para obras públicas e outras melhorias que são implementadas pelo governo federal, incluindo todos os ministérios e empresas estatais. Do total sugerido pela relatora Serys Slhessarenko (PT-MT), 62% seriam executados por empresas estatais e o restante diretamente pelo Executivo. A senadora também sugere um sugere um salário mínimo de R$ 540, seguindo a recomendação da equipe econômica do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O texto reserva ainda a quantia de R$ 1 bilhão, que poderá ser usada para pagamentos do Bolsa Família, caso o governo da presidente Dilma Rousseff decida fazer algum reajuste no benefício ao longo de 2011. Serys baseou sua proposta em uma previsão de crescimento econômico de 5,5% para o ano que vem. Já a estimativa do mercado é menor: 4,5%. O parecer final não inclui cortes efetivos de gastos, mas sim uma espécie de 'sugestão' para que o governo reduza suas despesas em R$ 3 bilhões no próximo ano, 'sem especificar as áreas atingidas', segundo a Agência Câmara. As despesas totais ficaram em R$ 2,07 trilhões, com o mesmo valor previsto para as receitas. Como a rolagem da dívida deverá consumir R$ 678,5 bilhões, o montante destinado para manutenção da máquina e investimentos ficou em R$ 1,39 trilhão. O parecer deverá ser avaliado até quarta-feira pela Comissão Mista de Orçamento e no mesmo dia poderá ser encaminhado para votação em plenário.
***
Fonte:http://noticias.br.msn.com/mundo/artigo-bbc.aspx?cp-documentid=26837975

Oposição pede que Berlusconi esclareça informação publicada pelo WikiLeaks

20.12.2010
Do MSN NOTÍCIAS
Agência EFE


Oposição pede que Berlusconi esclareça informação publicada pelo WikiLeaks

Roma, 20 dez (EFE).- A oposição pediu nesta segunda-feira que o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, compareça ao Parlamento para esclarecer uma informação publicada pelo WikiLeaks, na qual a embaixada dos EUA em Roma informava que o Governo italiano "bloquearia" as investigações do assassinato no Iraque do funcionário Nicola Calipari.

Ele morreu em março de 2005 quando o carro no qual viajava foi baleado em um controle americano na estrada que conduz ao aeroporto de Bagdá.

O WikiLeaks publicou nesta segunda-feira um documento de maio de 2005 assinado pelo embaixador dos EUA em Roma, Mel Sembler, no qual referia que o Governo, que presidia Berlusconi, queria "se esquecer" do caso e "bloquearia" qualquer tentativa da oposição de abrir uma comissão parlamentar.

Após conhecer a informação publicada pelo WikiLeaks, Emanuele Fiano, responsável pela segurança do Partido Democrata, disse que se trata de "notícias gravíssimas" e que Berlusconi deve dar explicações no Parlamento.
****
Fonte:http://noticias.br.msn.com/artigo.aspx?cp-documentid=26842654

Popó assumirá vaga de deputado federal

21/12/2010
Do "Último Segundo"
Caderno Esportes

Depois de confirmação de ministro, Popó assumirá vaga de deputado federal

"Este é o momento de transformar o esporte brasileiro em oportunidade de inclusão social, de trabalho", comemorou o ex-atleta

O ex-pugilista Acelino Popó Freitas assumirá como deputado federal em fevereiro como suplente do deputado Mario Negromonte, que foi confirmado como ministro de Cidades no Governo de Dilma Rousseff.

"Nos próximos anos teremos no Brasil a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos. Este é o momento de transformar o esporte brasileiro em oportunidade de inclusão social, de trabalho", comemorou o campeão mundial nesta terça-feira em seu Twitter.

Popó disputou um mandato como deputado nas eleições, e apesar de não ter alcançado o número de votos suficientes para garantir sua eleição, ficou como primeiro suplente pelo estado da Bahia.

"Agora tenho a honra de não só representar, mas trabalhar com mais forças para o povo. Vou fazer o que sei de melhor: lutar! Agora por vocês!", completou o ex-pugilista.

Dessa maneira, Popó se juntará na Câmara dos Deputados aos jogadores de futebol Romário, Bebeto, Danrlei e Marques.

O ex-pugilista teve experiência política quando trabalhou como secretário de Esportes, Lazer e Entretenimento de Salvador entre 2007 e 2008. EFE cm/ar
****
Fonte:http://esporte.ig.com.br/mais/2010/12/21/depois+de+confirmacao+de+ministro+popo+assumira+vaga+de+deputado+federal+10333227.html

Após quatro dias de frio, caos se mantém em aeroportos europeus

21/12/2010
Por BBC Brasil

Milhares dormiram no aeroporto de Heathrow após cancelamentos

"Passageiros esperam no terminal 1 de Heathrow"

Dezenas de milhares de pessoas voltaram a passar a noite em aeroportos e estações de trem no norte da Europa onde permanecem retidos por causa dos atrasos e cancelamentos provocados pela onda de frio que atinge a região desde o fim da semana passada.

Grã-Bretanha, França e Alemanha estão entre as áreas mais afetadas. Segundo as previsões, o frio deve continuar nos próximos dias.

No aeroporto internacional de Heathrow, em Londres, um dos mais movimentados do mundo, centenas de passageiros desesperados para viajar antes do Natal vêm passando as noites no saguão à espera de informações sobre seus voos.

Após apenas 20 pousos e decolagens no domingo, o aeroporto operou com cerca de um terço da capacidade na segunda-feira. Nesta terça-feira, a previsão é que essa proporção se mantenha.

O aeroporto de Gatwick, também em Londres, o segundo maior da Grã-Bretanha, reabriu às 6h desta terça-feira após ter ficado fechado desde a noite anterior.

Na Alemanha, mais de mil voos foram cancelados nos aeroportos de Frankfurt, Munique e Berlim.

O aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, tinha três de suas quatro pistas abertas, mas a maioria dos voos de curta distância foi cancelada para permitir que os passageiros de longa distância pudessem viajar.

No aeroporto de Orly, também na capital francesa, as duas pistas estavam abertas, mas alguns voos enfrentavam atrasos de mais de três horas.

Na Alemanha, as companhias aéreas sugeriam aos passageiros que viajassem de trem, mas as operadoras ferroviárias, com seus serviços já superlotados, pediam às pessoas que ficassem em casa.

No aeroporto de Frankfurt, o maior do país, a administração empregou palhaços para tentar melhorar o humor das pessoas que tiveram que passar a noite no local.

Cenas dramáticas

Mas as cenas mais dramáticas eram vistas em Londres, onde após mais de 48 horas da última forte nevasca, pessoas com passagens válidas para o dia eram impedidas de entrar no aeroporto de Heathrow, lotado com as pessoas que não puderam viajar nos dias anteriores.

Todos os voos de curta distância foram cancelados, e apenas uma das pistas estava em operação em Heathrow.

Apesar de um relaxamento da proibição de voos noturnos para tentar reduzir o acúmulo de passageiros de voos cancelados ou atrasados, as autoridades locais dizem que a situação somente voltará ao normal após o Natal ou mesmo mais tarde, se voltar a nevar.

O caos no aeroporto londrino levou o prefeito da cidade, Boris Johnson, a criticar as autoridades aeroportuárias.

'Certamente não pode estar além da capacidade humana encontrar pás, escavadeiras, limpadores de neve ou o que seja para limpar a neve da pista, colocar os aviões em movimento e ter mais do que uma pista funcionando', afirmou.

Segundo a BAA, empresa que administra o aeroporto de Heathrow, o grande volume de neve no sábado provocou o acúmulo de gelo no entorno das aeronaves, ameaçando a segurança.

Os serviços de trem entre a Grã-Bretanha e o continente europeu, pelo Eurostar, também foram afetados por grandes atrasos, com a limitação de velocidade imposta pelo gelo e pela neve acumulados nos trilhos.

Sob o frio abaixo de zero, grandes filas de passageiros se formaram por centenas de metros do lado de fora da estação St. Pancras, em Londres, de onde saem os trens do Eurostar.

De acordo com analistas, os problemas com o frio vêm provocando um impacto negativo sobre a já combalida economia britânica.

O caos nos aeroportos estaria custando cerca de 65 milhões de libras (cerca de R$ 170 milhões) por dia à British Airways, a maior companhia aérea do país.

O comércio também vem sofrendo. O movimento nas lojas, a menos de uma semana do Natal, sofreu uma queda de 25%.
****
Fonte:http://noticias.br.msn.com/mundo/artigo-bbc.aspx?cp-documentid=26847292

Dois terços das vítimas do Holocausto estão identificadas--museu

21/12/2010
Da Reuters, reuters.com
Por Allyn Fisher-Ilan

JERUSALÉM (Reuters) -
Uma lista com nomes confirmados de judeus mortos pelos nazistas na 2a Guerra Mundial chegou à marca de quatro milhões de pessoas, anunciou o Museu do Holocausto de Israel nesta terça-feira, afirmando que a identidade de todos os seis milhões de mortos talvez nunca seja conhecida.

'É um imperativo moral, uma obrigação nossa recuperar informações e relembrar todo indivíduo que desapareceu', disse Avner Shalev, presidente do Museu e Memorial do Holocausto Yad Vashem, de Jerusalém.

'Ao fazer isso, muito material importante aparece em nossa pesquisa para ajudar a combater a negação do Holocausto', disse ele à Reuters.

O Yad Vashem procurou em meio a 'milhões de ocorrências de nomes' ao longo de quase seis décadas de pesquisa e registros de testemunho de sobreviventes.

Ao anunciar que a organização confirmara a identidade de quatro milhões dos judeus que morreram, Shalev afirmou duvidar que os nomes de todos os seis milhões venham a ser conhecidos algum dia, embora tenha salientado que o número é preciso.

'Não acredito que chegaremos ao último nome', disse Shalev, ressaltando a dificuldade de verificar se crianças pequenas morreram ou sobreviveram e de outras vítimas executadas sem registro em campos da morte em toda a Europa durante a guerra.

Fundado no começo dos anos 1950, o Yad Vashem redobrou seus esforços para identificar as vítimas nos últimos anos, em parte para contestar os detratores, como o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, que nega publicamente e questiona se o Holocausto de fato ocorreu.

Shalev afirmou que os quatro milhões de nomes verificados pelo Yad Vashem até agora são o dobro do que a instituição havia confirmado até 1999.

Avanços na tecnologia de computação aceleraram o processo de identificação das vítimas, assim como um aumento no fluxo de informação proveniente da Europa do Leste, onde a maioria dos judeus do continente morreu.

Shalev afirmou esperar que os pesquisadores identifiquem ao menos cinco milhões de vítimas dentro de alguns anos.

Ele afirmou que o número de seis milhões é baseado em contagens de censos anteriores à guerra feitos por judeus que moraram em cidades específicas onde a maioria foi deportada para campos da morte ou executada de outras maneiras.

Muitas dessas listas, por sua vez, foram checadas com milhões de páginas de testemunhos de sobreviventes feitas ao longo dos anos e registros de prisioneiros, entre outros materiais de arquivo do Yad Vashem.
****
Fonte:http://noticias.br.msn.com/mundo/artigo.aspx?cp-documentid=26852550

Inédito: Lula, o líder da greve, há 32 anos

20/12/2010
Do blog "Outras Páginas", de José Miguel Aparecido
Enviado por Miguel

Trago aqui um documento inédito sobre um líder brasileiro, o metalúrgico, o sindicalista, o presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, a quem, assim, quero homenagear, às vésperas do encerramento de seu mandato. Dia 3 de abril de 1980, véspera de aniversário de 2 anos de meu filho, no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e Diadema, perguntei a Lula, então presidente da entidade, o que ele esperava conquistar, com as greves na região, quando o aniversariante tivesse 18 anos. Era noite. Gravei, durante o dia, a manifestação de Lula aos metalúrgicos no estádio de Vila Euclides, cenário de revelação de um líder de massas de carisma único.

Naquele 1980, há mais de 30 anos, portanto, foram 41 dias de greves. Vi muitas com 50 mil, 70 e 80 mil presentes. Era chefe da Sucursal do ABC (de Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul) de O Estado de S. Paulo, num tempo em que houve quem tentasse impor a grafia de Ignácio, em vez de Inácio, ao nome dele, com a vã idéia de que assim lhe daria, talvez, um toque nobre. A história contemplou Lula, depois de perder várias eleições, seja a governador paulista, seja a Presidente da República.

A divulgação desta gravação de aproximadamente 23 minutos – Lula duvidava que meu aparelho de fita cassete, quase uma caixa de sapato, sobrevivesse até os 18 anos de meu filho, hoje com 32 – é minha manifestação de respeito e admiração a ele, embora esteja fora do coro de unanimidade que garante sua popularidade e aprovação entre 83% dos brasileiros. Lula é o mais popular presidente eleito pelo voto direto pós ditadura militar (1964-1985).

(Atualizo o texto às 23 horas: a todo momento, jornalistas são lembrados que, numa eleição de dois turnos, o candidato de oposição José Serra, do PSDB, teve o apoio e o voto de 44% dos brasileiros, frente à presidente eleita, Dilma Rousseff, do PT, apoiada por Lula e seu governo.)

PROPAGANDA

Sobre isso, recorro a outras páginas, como a de um artigo escrito hoje mesmo na Folha de S. Paulo por Fernando Rodrigues. Sintetizo. (...) “Nunca é demais lembrar que (Lula) foi o mandatário que mais bem utilizou a comunicação de massas. (...) Quando assumiu, em 2003, havia 499 veículos recebendo dinheiro para veicular propagandas do governo. Em 2008, já eram 5.297 jornais, revistas, portais de internet, rádios e TVs desfrutando desse auxílio luxuoso”.

Mais: “Agora, o governo decidiu falar tchau aos brasileiros. Está em cartaz na mídia uma campanha de R$ 20 milhões, como revelou ontem a repórter Julia Duailibi. O slogan é "estamos vivendo o Brasil de todos". De fato, quem paga essa conta são todos os brasileiros”.

Concordo com Fernando Rodrigues. “Seria injusto, entretanto, creditar o sucesso de Lula só ao seu bem estudado plano de marketing. Após oito anos, o petista deixa um Brasil melhor. Sábio, manteve o rumo básico na condução da economia, com metas de inflação e uma certa responsabilidade fiscal. Ressalvas feitas, é também indisputável o fato de nunca na história deste país ter havido tanta propaganda a favor de um presidente. O tempo se encarregará de mostrar a perenidade de sua obra -já sem o efeito da avalanche de comerciais”.

O CANDIDATO LULA

Lula, no domingo, dispensou o medo e jogou na esperança, que certamente tem impacto no governo de sua criação e sucessora Dilma Rousseff, uma mulher com história de firmeza em suas decisões políticas. Em entrevista ao programa “É notícia”, apresentado por Kennedy Alencar, na Rede TV!, comentou sobre a possibilidade de se candidatar à sucessão de Dilma.

- Eu fico até com medo, amanhã alguém vai assistir à tua entrevista, e dizer que Lula diz que pode ser candidato. Eu não posso dizer que não porque eu sou vivo, sou presidente de honra de um partido, sou um político nato, construí uma relação política extraordinária.

E contemporizou:

- Vamos trabalhar para a Dilma fazer um bom governo e quando chegar a hora a gente vê o que vai acontecer.

Você pode ouvir o áudio pelo link :http://outraspaginas.com.br/audios/lula.mp3
****
http://jblog.com.br/outraspaginas.php?itemid=25076