quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Refinaria Alberto Pasqualini (Refap) agora é 100% da Petrobrás

Postado por Irineu Messias,em 15.12.2010
A partir do blog de Robson Leite

Após quase uma década, a Petrobras volta a deter 100% do controle das ações da Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), com a decisão do Conselho de Administração aprovada nesta segunda-feira (13/12). Trata-se de uma vitória da sociedade e dos trabalhadores da Petrobrás, que sempre contestaram a venda de 30% do capital da refinaria para o grupo espanhol Repsol-YPF em 2001.

A Refap foi criada em 1968 na cidade de Canoas (RS) e foi a primeira unidade da companhia a atuar na Região Sul. Com um faturamento de R$ 12,6 bilhões em 2010 a Refap é a quinta maior refinaria do Sistema Petrobras e possui 890 empregados. Tem uma capacidade instalada de 200 mil barris de petróleo por dia e produz, principalmente, óleo diesel e gasolina, além de nafta petroquímica, propeno, GLP, querosene de aviação, óleo combustível e asfalto.

Esta foi uma decisão estratégica para Petrobras no segmento de refino, agregando valor aos negócios da companhia. O retorno do controle integral do Sistema Petrobras sobre a Refap simboliza a política da atual da empresa de constituir uma Petrobras sólida e integrada, motor para o desenvolvimento do país.
***
Fonte:http://robsonleite.com.br/blog/refinaria-alberto-pasqualini-refap-agora-e-100-da-petrobras/

A aurora boreal cada vez mais intensa

14/12/2010

A aurora boreal, fenômeno luminoso que ocorre no pólo Norte geralmente na época dos equinócios, está se intensificando desde 2007 e deve atingir o ápice de luminosidade em 2012, segundo a Nasa

Barcroft Media
Em 2012, espera-se que as luzes da aurora possam ser vistas até a latitude de Roma

O fenômeno é causado pelos ventos solares que carregam um fluxo contínuo de partículas elétricas liberadas pelas explosões que ocorrem na superfície do Sol. Quando estas partículas atingem os campos magnéticos da Terra algumas ficam retidas provocando a luminosidade intensa pela liberação de energia ocorrida com a colisão destas partículas com as moléculas e átomos presentes na atmosfera.

O fotógrafo islandês Orvar Thorgiersson, 35, está registrando a evolução do fenômeno. "Agora há dias em que as luzes são tão claras que você pode ler um livro à noite. Elas são mais claras que a lua", diz.

O evento será causado pelo máximo solar, período em que o campo magnético no equador do sol roda num ritmo ligeiramente superior ao dos seus pólos.

O ciclo solar leva em média 11 anos entre um máximo solar e o outro.

O último máximo solar ocorreu em 2000. Segundo a Nasa, o próximo, que ocorrerá em 2012, deve ser o maior desde 1958, quando a aurora boreal surpreendeu os habitantes do México com três ocorrências.

Em 2012, espera-se que as luzes da aurora possam ser vistas até a latitude de Roma. No entanto, caso seja de fato tão intenso, o fenômeno poderá causar problemas a telefones celulares e sistemas de GPS pela liberação de energia num grau mais elevado.
***
Fonte:http://verde.br.msn.com/galeria-de-fotos-bbc.aspx?cp-documentid=26744544

Novo Código de Processo Civil é aprovado no Senado e segue para a Câmara

15/12/2010
Mariana Jungmann
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O Senado aprovou esta noite (15) o novo Código de Processo Civil, elaborado por uma comissão de juristas convocada pelo presidente da Casa, José Sarney, e relatado pelo senador Valter Pereira (PMDB-MS). Em votação simbólica, os senadores aprovaram o mesmo texto enviado pela Comissão Especial criada para avaliar o projeto.

Segundo o relator, o novo código servirá para dar rapidez aos processos com a criação da conciliação. Para isso, o projeto muda o momento da conciliação e da maioria dos recursos. No caso da conciliação, o texto traz a audiência para antes do começo do processo.

O texto cria a figura do mediador, que poderá exercer a atividade independentemente de qual formação profissional para atuar nas conciliações.

Sobre a definição dos honorários pagos a quem perde as causas em processos contra a Fazenda Pública, o texto diz que que nos casos em que a ação é contra a União, estados ou municípios será aplicada uma tabela com faixas de honorários. Os percentuais mínimos variam de 10% a 20% em causas de até 200 salários mínimos e chegam no máximo de 1% a 3% em causas de valores acima de 100 mil salários mínimos.

O novo Código deverá agora ser apreciado e votado na Câmara dos Deputados.

Edição: Rivadavia Severo
****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica;jsessionid=946B11D7C2D7948B7EA9E31F44BA2245?p_p_id=56&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-1&p_p_col_count=1&_56_groupId=19523&_56_articleId=1122822

Recepção de “pop star” para o presidente

15.12.2010
Do jornal "Folha de Pernambuco"

SALGUEIRO
- A exemplo de Missão Velha, no Ceará, onde cumpriu agenda na última segunda-feira, o presidente Lula foi bastante “tietado” em Salgueiro, on­tem. Cerca de duas mil pessoas foram à entrega de títulos de posse as 113 famílias que tiveram de deixar suas moradias em virtude da obra de Transposição do Rio São Francisco. Os pernambucanos trataram Lula, que ainda recebeu o título de cidadão de Salgueiro, como um verdadeiro “pop star”. Gritaram, puxaram coro de elogios ao petista e se aglomeraram para tirar fotos com o mandatário. Todos os entrevistados classificaram Lula como o melhor presidente da história do Brasil.

A reportagem identificou um ex-operário que participou de diversas greves com o então líder sindical Lula, no ABC paulista, na década de 70. Natural de Floresta, Manoel Silva, 64 anos, relembrou os momentos passados ao lado do presidente. “Fiz greves com ele lá em São Bernardo do Campo (berço político do petista), Santo André e São Caetano. Em toda firma que chegava, Lula mandava parar tudo. E todo mundo parava”, relembra Manoel, que retornou ao estado em 1977.

Para a agricultora Maria de Socorro Sá, 55, “pessoa daquela como Lula não entra mais”. “Dilma (Rousseff/PT, presidente eleita) pode até ser boa. Mas não como o Lula. Ele é o pai dos pobres”, profetizou Maria do Socorro, cuja opinião é a mesma do aposentado Francisco da Silva, 65. “Não tem ‘parêa’ para Lula, não. Pode ser que nasça outro. Até agora, nada. Foi quem mais fez pelo Nordeste”, assegurou. A estudante Daiana Silva, 17, elencou como principais ações para Salgueiro a Ferrovia Transnordestina e o investimento em Educação. “Acho que Dilma também nos ajudará”, comentou.

DEDO

Durante a entrega dos títulos de posse, Lula brincou com um dos beneficiados, Vicente de Souza, 67, que, assim como o presidente, perdeu um dedo na mão esquerda – mais tarde, ele informou tratar-se de um acidente sofrido em 1983, com explosivos. Lula levantou a mão de Vicente e posou para as fotos.
****
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/609119

Dilma anuncia mais cinco integrantes do primeiro escalão do futuro governo

15/12/2010
Danilo Macedo e Daniella Jinkings
Repórteres da Agência Brasil

Brasília – A presidenta eleita, Dilma Rousseff, confirmou hoje (15) o nome de mais cinco integrantes do primeiro escalão do futuro governo. O atual secretário-geral do Itamaraty, embaixador Antonio Patriota, será o ministro das Relações Exteriores. Nelson Jobim continuará comandando Ministério da Defesa. O ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel, amigo pessoal da presidenta eleita, assumirá o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

O senador Aloizio Mercadante (PT-SP) será o novo ministro da Ciência e Tecnologia. A vaga de chefe de gabinete da Presidência da República será ocupada pelo geólogo Giles Carriconde, que foi chefe de gabinete de Dilma Rousseff quando ela estava à frente da Casa Civil.

Em nota, a assessoria de Dilma informou que ela orientou os novos auxiliares a trabalhar de forma integrada com os demais setores do governo para cumprir o programa de desenvolvimento com distribuição de renda e estabilidade econômica.

Edição: Vinicius Doria
****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/home;jsessionid=1D9F134477B1A8D5A2DE4AB99597DB6C?p_p_id=56&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-3&p_p_col_count=6&_56_groupId=19523&_56_articleId=1122607

A igreja católica e Dilma: Mudança de rumo

Quarta-feira, 15 de dezembro de 2010
Do blog "Amigos do presidente Lula"


A Igreja Católica, fez ontem um gesto de simpatia com a nova presidente eleita. Na missa de confraternização de fim de ano do Congresso, o arcebispo de Brasília, Dom João Braz de Aviz, disse na homilia que o Brasili viverá um novo momento com a posse de Dilma e depositou confiança no comando das mulheres.

Vamos nos aproximar de um novo momento político. Pela primeira vez, vamos ser governados por uma presidenta. Estamos vendo muitos ministérios nas mãos das mulheres. Temos confiança, porque a mulher é um dos símbolos mais profundos do amor, da vida - disse. - Queremos que seja um tempo de crescimento que aconteça também por essa liderança feminina.Os presidentes da Câmara, Michel Tmer, e do Senado, José Sarney, e dezenas de parlamentares participaram da missa.
****
Fonte:http://www.redebrasilatual.com.br/temas/internacional/2010/12/cupula-social-do-mercosul-celebra-mudanca-politica-a-esquerda-e-condena-desigualdade

Anistia não beneficiou torturadores, decide OEA

15 de dezembro de 2010
Do blog de Luiz Carlos Azenha
Por Celso Lungaretti, do Náufrago da Utopia, via Vermelho

Foi exemplar a sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos (vinculada à OEA), que, 15 anos após a apresentação a denúncia por parte de ONG’s defensoras dos DH, finalmente condenou o Brasil pelo “desaparecimento forçado” de 62 inimigos da ditadura militar, assassinados durante a repressão à guerrilha do Araguaia, na década de 1970.

Sabe-se que muitos foram aprisionados com vida e covardemente executados tendo as forças repressivas dado sumiço nos seus restos mortais.

Além desses 62 guerrilheiros seguramente mortos, a Corte afirmou existirem pelo menos mais oito desaparecidos no confronto.

De acordo com a sentença:

• contrariamente à aberrante decisão do Supremo Tribunal Federal, a anistia de 1979 não desobriga o Estado brasileiro da apuração desses casos, pois suas disposições “carecem de efeitos jurídicos e não podem seguir representando um obstáculo para a investigação”, “nem para a identificação e punição dos responsáveis” pelas mortes;

• a Lei de Anistia também não garante a impunidade dos responsáveis por “outros casos de graves violações de direitos humanos” durante a ditadura de 1964/85;

• o Estado brasileiro é “responsável pelo desaparecimento forçado” dos guerrilheiros mortos;

• deverá, portanto, promover uma investigação sobre os desaparecimentos, “a fim de esclarecê-los, determinar as correspondentes responsabilidades penais e aplicar efetivamente as sanções e consequências que a lei preveja”;

• também lhe cabe desenvolver “todos os esforços” para encontrar ossadas dos combatentes, realizar um “ato público de reconhecimento de suas responsabilidades” e criar “um programa ou curso permanente e obrigatório sobre direitos humanos”, dirigido a “todos os níveis hierárquicos das Forças Armadas”.

Finalmente, a sentença estimula a implementação da Comissão Nacional da Verdade, proposta do Programa Nacional dos Direitos Humanos que até agora não saiu do papel.

O Itamaraty confirmou que, pelas regras do direito internacional, o Brasil, na condição de signatário da Convenção Americana sobre Direitos Humanos, é obrigado a cumprir a decisão.

Já o ministro da Defesa Nelson Jobim, manifestando-se sempre como representante da caserna e não do governo, levantou a possibilidade de o Brasil invocar a Lei de Anistia para continuar acobertando os culpados.

Ou seja, agora está também na contramão do Direito internacional, comprovando que sua manutenção na Pasta foi a pior de todas as escolhas ministeriais de Dilma Rousseff.

Quanto ao STF, ficou com a imagem em cacos, ao receber um puxão de orelhas explícito de uma corte internacional. Suas presidências reacionárias — a anterior e a atual — o desmoralizam e nos desmoralizam aos olhos do mundo.

Na prática, a morte chega antes

Mesmo que, em termos práticos, a decisão tenha vindo tarde demais para que os homicidas e torturadores venham a ser efetivamente punidos — os remanescentes estão no fim da vida e tendem a beneficiar-se da morosidade e infinitos recursos protelatórios possibilitados pela Justiça brasileira –, pelo menos a página da História será virada como se deve, com os culpados inculpados e as vítimas reconhecidas.

Quem sentir-se futuramente tentado a incorrer nas mesmas práticas hediondas e genocidas, vai estar sabendo que, já existindo um entendimento definitivo e inequívoco da questão, será grande a possibilidade de receber em vida o merecido castigo.

E que teses falaciosas como a da contrarrevolução preventiva e a da anistia recíproca jamais prevalecerão no longo prazo, acabando por ser varridas juntamente com o restante do entulho autoritário.

* Celso Lungaretti é jornalista, escritor e ex-preso político
****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/lungaretti-anistia-nao-beneficiou-torturadores-decide-oea.html

Itamaraty afirma que Brasil se esforçará para cumprir sentença da OEA no caso Araguaia

15/12/2010
Débora Zampier
Repórter da Agência Brasil

Brasília – O Ministério das Relações Exteriores afirmou hoje (15), em nota, que o Brasil está cumprindo várias determinações da sentença anunciada ontem pela Corte Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), que puniu o país pelo desaparecimento de 62 pessoas na Guerrilha do Araguaia. A nota ainda afirma que essas medidas continuarão a ser implementadas e que “o Brasil também envidará esforços para encontrar meios de cumprir as determinações remanescentes da sentença”.

O Itamaraty também afirmou que o Estado brasileiro reconheceu sua responsabilidade pela morte e pelo desaparecimento de pessoas durante o regime militar, apresentando informações sobre medidas implementadas, nos planos legal e político, em sua defesa junto à CIDH. Cita como exemplos o pagamento de indenizações a familiares das vítimas e o julgamento, pelo Supremo Tribunal Federal, da constitucionalidade da Lei da Anistia em abril deste ano.

“Essas medidas também incluíram os esforços, ainda em curso, de localização e identificação de restos mortais; de compilação, digitalização e difusão de documentos sobre o período do regime militar; e de preservação, divulgação e valorização da memória histórica associada àquele período” afirmou a nota.

Edição: Rivadavia Severo
****
Fonte:http://agenciabrasil.ebc.com.br/web/ebc-agencia-brasil/ultimasnoticias?p_p_id=56&p_p_lifecycle=0&p_p_state=maximized&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-1&p_p_col_count=1&_56_groupId=19523&_56_articleId=1122700

8 anos de Governo ótimo e imprensa péssima

Quarta-feira, 15 de dezembro de 2010
Do blog "Amigos do presidente Lula"

O que seria dos historiadores, no futuro, que não viveram estes anos, e que dependessem das páginas do jornais, revistas e "reporcagens" de TV para analisar os 8 anos de governo Lula?

De cara encontrariam um sério problema. Leriam notícias negativas, alarmistas, caóticas, catastróficas, de cabo a rabo, durante os 8 anos de governo, mas contraditoriamente encontrariam notícias sobre resultados de pesquisas mostrando 96% de aprovação, sendo que 84% consideram ótimo e bom o governo. E ainda constatariam que conseguiu eleger sua sucessora, estreante como candidata em eleições, vencendo adversários veteranos e experientes que contavam com apoio do poder econômico, do capital estrangeiro, e da unanimidade do chamado quarto-poder: a dita grande imprensa.

Os historiadores teriam a internet, cuja blogosfera fez seu contraponto, a imprensa alternativa, a imprensa oficial, para pesquisar, mas teriam que vasculhar e estudar minuciosamente documentos, decretos, atas, liberações do orçamento, relatórios de aprovação do TCU (o noticiário só noticia uma meia-dúzia de obras quando apontam problemas, esquecendo dos milhares de obras aprovadas), etc. Para facilitar um pouco, e para prestar contas a quem de direito: o povo, o governo fez uma compilação de tudo o que foi feito, em cada ministério, nos 8 anos de governo, e registrou em cartório.

Não deixa de ser uma situação desmoralizante para a dita grande imprensa brasileira, pois uma imprensa decente, teria registrado em suas páginas e vídeos a informação do que ocorreu de fato nestes 8 anos.

Os 8 anos de "reporcagens" do PIG (Partido da Imprensa Golpista) estão enterrados no lixo da história. Ou melhor, estão na galeria dos horrores da história, como o holocausto, e coisas do gênero.

Veja, Estadão, Folha e Globo entram para a história ao lado da imprensa infame racista da África da Sul no tempo do Apartheid, ao lado da imprensa racista do Sul do EUA na antes dos direitos civis, ao lado da imprensa fascista da Itália que bajulava Mussolini, ao lado da imprensa nazista da Alemanha na época de Hitler.

Globo, Veja, Folha e Estadão entram para a galeria dos vexames da história ao lado da imprensa dócil e chapa-branca à ditadura brasileira que apoiou e deu sustentação ao golpe de estado de 1964, que bajularam a ditadura e os vendilhões da pátria dos governos demo-tucanos, em troco de benesses econômicas governamentais... ôpa... entram ao lado delas mesmas, pois a imprensa golpista da ditadura e dos vendilhões da pátria é a mesma de hoje: Globo, Veja, Estadão, Folha.
***
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2010/12/8-anos-de-governo-otimo-e-imprensa.html

Governo flagra tucano e uso de laranjas na partilha de emendas

Quarta-feira, 15 de dezembro de 2010
Do blog "Amigos do presidente Lula"

Parlamentares envolvidos com a investigação feita pela Controladoria-Geral da União (CGU) sobre o repasse de R$ 20 milhões, desde 2008, para dois institutos de fachada, procuraram se eximir de responsabilidade. A CGU identificou um esquema envolvendo empresas fantasmas que usam laranjas.

Os alvos da CGU são os institutos Educar e Crescer e Premium Avança Brasil. As emendas partiram do senador Marconi Perillo (PSDB-GO), dos deputados Sandro Mabel (PR-GO), Raquel Teixeira (PSDB-GO), Carlos Alberto Lereia (PSDB-GO), Luciana Costa (PR-SP), Sandes Júnior (PP-GO), e do líder do PTB, Jovair Arantes (GO), entre outros parlamentares.

Parlamentares envolvidos com a denúncia apurada pela Controladoria-Geral da União (CGU) procuraram se eximir de responsabilidade.

Investigação recém-concluída pelo setor de inteligência da Controladoria-Geral da União (CGU) identificou um esquema envolvendo dois institutos de fachada e empresas fantasmas que usam um frentista de posto de gasolina e um motorista de caminhão como laranjas.

Uma faxineira também aparece como testa de ferro nesse esquema, que levou R$ 20 milhões em emendas parlamentares liberadas pela pasta do Turismo desde 2008.

Os alvos da CGU são os institutos Educar e Crescer e Premium Avança Brasil. Este último, segundo o relatório de investigação obtido pela reportagem, é registrado num endereço onde funciona uma papelaria.

Um jardineiro foi usada para lavar os recursos destinados a shows e eventos culturais. Um dos institutos, o Renova Brasil, tem sede numa vidraçaria.

Relatoria

Autor de emendas para essas entidades, o senador Gim Argello (PTB-DF) renunciou à relatoria do Orçamento na semana passada. Agora, pelo menos R$ 600 mil em emendas de Gim também aparecem para os institutos investigados pela CGU. Surgem ainda emendas do senador Marconi Perillo (PSDB-GO), dos deputados Sandro Mabel (PR-GO), Raquel Teixeira (PSDB-GO), Carlos Alberto Lereia (PSDB-GO), Luciana Costa (PR-SP), Sandes Júnior (PP-GO), e do líder do PTB, Jovair Arantes (GO), entre outros parlamentares.

A investigação da controladoria será compartilhada pelo Ministério Público Federal a partir de hoje, segundo informou ontem à reportagem o ministro da pasta, Jorge Hage. “A CGU vai encaminhar todos os seus achados de inteligência e auditoria ao Ministério Público, para as providências de natureza cível e penal. No âmbito administrativo, o Ministério do Turismo se comprometeu a passar um pente fino nas prestações de contas”, disse. Para Hage, o caso identificado pela CGU pode ter ligação com o esquema descoberto pelo Estado.

Parlamentares

Os alvos da CGU são os institutos Educar e Crescer e Premium Avança Brasil. As emendas partiram do senador Marconi Perillo (PSDB-GO), dos deputados Sandro Mabel (PR-GO), Raquel Teixeira (PSDB-GO), Carlos Alberto Lereia (PSDB-GO), Luciana Costa (PR-SP), Sandes Júnior (PP-GO), e do líder do PTB, Jovair Arantes (GO), entre outros parlamentares.As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
****
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2010/12/governo-flagra-tuxano-e-uso-de-laranjas.html

Pepe Escobar: Nem o inferno conhece fúria como de império corneado

15/12/2010
Do blog de Luiz Carlos Azenha
Por Pepe Escobar, em Asia Times Online

Traduzido pelo coletivo da Vila Vudu

A revolução não será televisionada.
A revolução não será reapresentada, mano;
A revolução será ao vivo.
Gill Scott-Heron,
1970
(Pode ser ouvido em http://www.youtube.com/watch?v=1qoalKUt0mo)

Nem o inferno conhece fúria como de mulher corneada.

William Congreve
[dramaturgo inglês, 1670-1729], na peça “The Mourning Bride”, 1697

Não há episódio de Law and Order ou The Good Wife [1] que supere isso.

Parece que tudo afinal se resumiu ao detalhe nada insignificante de conseguir, em minutos, meros 315 mil dólares em dinheiro.

Às 15h25 GMT da 3ª-feira, o fundador de WikiLeaks Julian Assange foi libertado sob fiança por uma corte londrina. Sim. As condições cairiam melhor se tivesse sido acusado de ser agente da al-Qaeda: fiança estipulada como se noticiou em 315 mil dólares, em dinheiro; ‘toque de recolher’ das 10h às 14h e das 22h às 2h; apresentação em delegacia de polícia às 18h, todos os dias; passaporte confiscado; e uso de tornozeleira eletrônica para rastrear seus movimentos. Mas pelo menos, livre!

Não, não foi bem assim. Duas horas mais tarde, Assange foi mandado de volta à presença do juiz; a Procuradoria sueca apelara. Ficou tudo como antes, pelo menos por mais 48 horas: Assange permaneceria na prisão Wandsworth, sob condições que seu advogado Mark Stephens descreveu como “Orwellianas”, “Dickensianas”, “Vitorianas” ou todas as anteriores.

O novelão exibido como extravaganza amalucada-sangrenta para tapete vermelho do Festival de Cinema de Cannes – com empurra-empurra de repórteres, flashes espocando, twittagem frenética de dentro da sala de julgamento e apoio de celebridades, de Jemima Goldsmith a Ken Loach e sobrinha de Benazir Bhutto. E tudo isso gerado por acusações de estupro apresentadas duas ex-fanzocas de Assange Anna Ardin e uma Miss W, versão irmã-gêmea da “mulher corneada” de Congreve. Pela lei inglesa, não houve estupro, segundo o advogado de Assange Geoffrey Robertson. Portanto, se não houve estupro, não há motivo para extraditar Assange para a Suécia – e da Suécia, de onde poderia ser extraditado para os EUA, como exigem seletos grupos de norte-americanos “patriotas” de tridente em riste.

São Julian ou Assange, o Estuprador?

Oh, as ligações perigosas entre sexo e a liberdade de imprensa!

Falando fora do tribunal, imediatamente depois de Assange (não) ter sido libertado sob fiança, Vaughan Smith, fundador do FrontLine Club no oeste de Londres, fez o possível para demarcar um nível adequado de debate. Disse: “Não se trata só de liberdade de imprensa. Trata-se da Internet. Como jornalistas, deveríamos estar muito preocupados com a ameaça de leis que limitarão nossa liberdade. Assange meteu um grande espelho à frente dos jornalistas. Os jornalistas estão aflitos com a imagem que estão vendo.”

Antes de todo o som e fúria judiciais, Assange ganhara o primeiro lugar em pesquisa entre leitores da revista Time para selecionar a Personalidade do Ano de 2010. Muito à frente do segundo colocado, o primeiro-ministro da Turquia Recep Tayyip Erdogan, o mesmo Erdogan que, no “cablegate” de WikiLeaks, diplomatas norte-americanos descreveram com perigoso islamista anti-norte-americano.

Casem agora essa dupla progressista Assange/Erdogan, com pesquisa da CNN na qual 44% dos britânicos declararam-se convencidos de que as acusações de crime sexual contra Assange são “pretexto” para poder mantê-lo preso, para que possa ser processado pelo governo dos EUA. Ah, as ligações perigosas entre sexo e a liberdade de imprensa, outra vez!

E tudo isso depois de Assange ter enviado mensagem ao mundo, via sua mãe, Christine, distribuída pelo canal australiano de notícias Seven News. Na mensagem, Assange não perdeu a oportunidade para mais uma bomba: “Agora sabemos que Visa, Mastercard e PayPal são instrumentos da política externa dos EUA. Antes, não sabíamos. Agora, já sabemos.” Isso é saber redigir manchete de primeira página!

E quem dá aos altos executivos de Amazon, Mastercard, Visa, PayPal, Facebook, Twitter e, mais dia menos dia, Google – empresas privadas que detêm o só muito levemente mascarado monopólio da Internet – o direito de agir como editores do tipo de informação à qual a opinião pública deve ter acesso? Mega-empresas comerciais tomando decisões políticas em nome do interesse público? Bem que a opinião pública pode protestar: “OK, comprem quantos deputados e senadores dos EUA vocês queiram, mas não se metam com nosso direito de escolher.”

Em vez de acompanhar a saga sexual made-in-Scandinavia, o mundo todo deveria estar discutindo a que é a questão-chave de nosso tempo. Quem mais se beneficiará do acesso às informações mais cruciais WikiVazadas? O incansável hipercapitalismo hegemônico e seus asseclas? Ou os movimentos sociais globais contra-hegemônicos – em resumo, o poder popular?

Se o grande Herbert Marcuse estivesse vivo, já teria avisado que o império está aprendendo rapidamente a lição de WikiLeaks, e que rapidamente saberá aproveitar-se dela.

Os realistas já esperam nova legislação imperial “antiterroristas”. Pouco importa que o ex-analista da CIA Ray McGovern tenha lembrado de aspecto essencial, em entrevista na CNN: O chefe do Pentágono Robert Gates disse que os telegramas vazados não põem em risco vidas de norte-americanos (os relatórios são “altamente exagerados”, disse Gates). A OTAN disse também que “nenhuma de nossas fontes foi exposta”. E até o “El Supremo” do AfPak, general (“Estou sempre me posicionando para 2012”) Petraeus disse a mesma coisa. Mas nada disso bastará para aplacar a elite do establishment e sua coorte de mentirosos, caluniadores, gângsteres ideológicos e vasto sortimento de parasitas, todos babando, doidos para acabar com Assange.

Perderam o controle, outra vez

Make no mistake[2] em matéria de o que é, mesmo, a “nova ordem mundial” real: o campo de batalha tem hoje a cara de um movimento de resistência contra a apropriação da tecnologia de informação pelas elites do poder. A fúria, a ansiedade para silenciar Assange, se não para acabar co’a raça dele, empregando para tal os meios que sejam necessários, revela a verdadeira cara do imperador: terei controle total, indivisível e indiscutível sobre todas as tecnologias.

Naturalmente, nem o próprio WikiLeaks é imune à batalha. Uma aparente orgia de transparência pode não passar de cortina de fumaça. O próprio Assange sempre reclamou que a mídia alternativa jamais se mostrou capaz de analisar e sintetizar a torrente de dados dos seus gigantescos. Apesar disso, porções imensas da opinião pública estão tendo acesso ao “cablegate” ou principalmente ou exclusivamente através dos parceiros de WikiLeaks nas grandes empresas-imprensa. São eles que selecionam, editam e definem o “ponto de vista” a partir do qual os documentos são noticiados. A palavra é sempre a mesma: manipulação. Os grandes jornais manipulam os dados vazados.

Não há razão alguma para engolir-se a ‘edição’ de Le Monde, El Pais ou do The New York Times [ou da Folha de S.Paulo, de O Estado de S.Paulo, de O Globo, da revista Veja etc., no Brasil (NTs)]. Já há inúmeros exemplos, até aqui, de opinião conversacional, desimportante, enunciada por diplomata dos EUA, que se tornou evento ‘decisivo’, exclusivamente porque editada com requintes técnicos da redação do ‘jornalismo’ de futricas. É preciso que o público leia os próprios telegramas (já há 1.885 páginas espelho de WikiLeaks, e o número continua a aumentar).

Numa via paralela, a internet pulula de teorias de conspiração, segundo as quais WikiLeaks seria apenas um sofisticado agente de manipulação psicológica – incluindo a ideia de que Assange seria sido belamente pago por Israel para apagar telegramas embaraçosos (como se Israel já não vivesse suficientemente embaraçada pelo que perpetra na Palestina). Claro. É preciso também investigar WikiLeaks, para conhecer o que não está sendo divulgado.

Mas há problemas com o cenário Israel-pagou-Assange. Algum autor poderia – ou não – ter ouvido essa história de Daniel Domscheit-Berg, ex-colaborador de Assange, que agora está lançando seu próprio site de ‘vazamentos’ OpenLeaks, cujo diferencial será vazar menor volume de dados, e mais lentamente. Tanto quanto se sabe até agora, a melhor fonte de todos esses desenvolvimentos é WikiRebels, documentário de uma hora, iluminador, distribuído pela televisão pública sueca, SVT, ao qual se pode assistir aqui e agora em http://svtplay.se/v/2264028/wikirebels_the_documentary .

O saque de Roma

Não é preciso ter os poderes analíticos de um Michel Foucault para desconfiar muito do modo como as elites do poder, seja na Suécia ou nos EUA, e sempre em nome da “liberdade”, “segurança” e um consenso universal a favor do mercado, sempre fazem o diabo para impor universalmente sua própria griffe hegemônia de transparência.

A Suécia conseguiu circunscrever e virtualmente enquadrar todos os sobretons de liberdade e da imprevisibilidade no reino das relações sexuais – com a vantagem extra de que tudo pode ser furiosamente dissecado/inspecionado.

Portanto… Todo o cuidado é pouco com fornicadores(as) cujas camisinhas dão chabu no meio nos procedimentos! É indispensável ter 100% de certeza de que em todos os inefáveis nanossegundos do rola-rola há consenso absoluto, total, irrefutável, à prova de qualquer investigação. É isso, ou você estuprou alguém. Outra vez, sei, parece reexibição “liberal” do filme de Monty Python “Inquisição Espanhola”. Confesse! Confesse! A Orgia da Transparência casa-se com a Alegria da Inquisição.

E é aí que São Julian, o Apóstolo (da liberdade de expressão) converge para Assange, o Estuprador, o Mártir da Transparência. E, isso, num país que tem uma das legislações mais avançadas, do mundo, de proteção à liberdade de expressão.

Mais para o fundo, a coisa fica pior. De Naomi Klein a Naomi Wolf, é evidente para todas as mulheres espertas, que as fanzocas escandinavas de Assange sentiram-se tomadas pelo “amor”. Bem, depois de uma noite veio outra noite – e deve ter sido horrível descobrir, em conversa ‘de moças’, que o “amor” fora, de fato, “traição”, mais uma, pelos imutáveis machos chauvinistas sem coração. Quem diria que a Escandinávia ainda abriga “mulheres corneadas” que ainda sonham os contos de fada de Hollywood. Pior: mulheres letradas, ferozmente independentes, na Europa e nos EUA, que avaliam Hollywood pelo que Hollywood é, consideram profundamente humilhante que essa lei sueca de mil caras infantilize a tal ponto as mulheres.

E já que estamos falando de sexo, como não lembrar a coincidência poética de esse mais recente “filme de tribunal” acontecer no mesmo dia em que o primeiro-ministro da Itália Silvio “Il Cavaliere” Berlusconi, do qual os telegramas WikiVazados só dizem, basicamente, que é ganancioso, irresponsável, dado a trinchar ninfetas em orgias à moda Nero, sobreviveu por um triz a um voto de desconfiança e, imediatamente, praticamente no mesmo instante, Roma foi tomada por furiosas manifestações de protesto e (literalmente) pegou fogo, em fúria. É como rebobinar Nero.

Mais uma vez, make no mistake: não se trata do re-incêndio da Antiga Roma. Todo o império está em fogo. O hipercapitalismo hardcore pode ser simultaneamente um Terminator e um gigante com pés de barro.

Cabe aos progressistas decifrar o enigma e enfrentar o paradoxo. A Arte de Guerra de Sun Tzu encontra Gilles Deleuze e sua máquina de guerra subterrânea. Já se combatem guerrilhas nômades de informação-tecnologia. A ‘contrainsurgência’ dos EUA está virada de pernas p’ra cima. Avante! À net-guerra! (Não esqueçam as camisinhas).

--------------------------------------------------------------------------------
[1] Dois seriados muito populares nos EUA, exibidos no Brasil em canais a cabo.

[2] É expressão muito frequente nos discursos do presidente Obama, quase um cacoete. Pode ser traduzido por “que ninguém se engane” ou “não se iludam” (NTs).
***
Fonte:http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/pepe-escobar-nem-o-inferno-conhece-furia-como-de-imperio-corneado.html

Eduardo Campos exalta a queda dos “coronéis

15.12.2010
Do jornal "Folha de Pernambuco"

SALGUEIRO
- Aproveitando a passagem do presidente Lula por este município, ontem, o governador reeleito Eduardo Campos (PSB) creditou na conta do petista a derrota de “velhos coronéis” que mandavam na política regional. “Lula mandou para a aposentadoria os velhos coronéis”, bradou Campos, sem, no entanto, ci­tar nomes, durante a entrega de títulos de posse a famílias de agricultores. Para o socialista, o Nordeste arrancou as cercas e os currais. O discurso veio um dia após o próprio presidente ter partido para ci­ma da oposição, no Ceará. Na última segunda-feira, em Missão Ve­lha, ele disse que o senador não reeleito Tasso Jereissati (PSDB) saiu com “o rabo entre as pernas” depois de não ter feito nada pelo Estado.

“Ascendeu uma renovação e essa renovação tem a sua mão, a sua participação, o seu exemplo”, pontuou Eduardo Campos, para, em seguida, rasgar elogios ao aliado. “É este Nordeste que abre os braços ao presidente Lula, para dizer: ‘sinta-se em casa’. Aqui sempre o senhor será recebido; não porque é presidente, porque o senhor cuidou do nosso povo. Foi generoso com a esperança do povo e zelou pela confiança daqueles que confiaram no senhor”, garantiu, ressaltando que os nordestinos sabem agradecer.

Após o anúncio da fábrica da Fiat que se instalará em Suape, Eduardo seguiu para Brasília no avião da Presidência. Na última sexta-feira, ele assegurou que até hoje a presidente eleita, Dilma Rousseff (PT) deveria anunciar os socialistas convidados para o primeiro escalão. Mas o ingresso do deputado federal Ciro Gomes (PSB) na bolsa de apostas prejudicou o favoritismo do secretário Fernando Bezerra Coelho (PSB/ De­sen­vol­vi­mento Econômico) - am­bos são cogitados para a Integração Nacional ou para a Secretaria dos Portos. Ci­ro, porém, te­ria a preferência de escolher a pas­ta, deixando a outra para o pernambucano.

Bezerra também seguiu pa­ra a Capital Federal, já que pode ser anunciado hoje. Questionado, Eduardo, que preside nacionalmente o PSB, reafirmou que a cota do partido já está resolvida, mas só Dilma anunciará os espaços. Sobre o fator Ciro, disse que não houve alteração do que foi acertado entre a presidente eleita e o PSB, sexta-feira passada.

“Cabe a ela (Dilma) fazer o anúncio, não cabe a mim. Não posso e não devo fazer o anúncio, nem falar o que ficou resolvido. Ela está fazendo o fechamento de outras áreas. Acredito que hoje, amanhã ou depois de amanhã ela deve estar anunciando”, adiantou Eduardo Campos.
***
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/609118-eduardo-campos-exalta-a-queda-dos-coroneis

Depois da Câmara, Senado também aprova reajuste salarial para Executivo e Legislativo

15/12/2010
Do UOL Notícias
Por Camila Campanerut
Em Brasília

Depois que a Câmara aprovou reajuste para seus salários na tarde desta quarta-feira (15), o projeto que eleva o salário dos parlamentares, do presidente, do vice e dos ministros de Estado para R$ 26,7 mil, a partir de 1º de fevereiro de 2011 também foi aprovado pelo Senado. A proposta não precisa passar pela Presidência da República por se tratar de decreto legislativo.

A matéria foi aprovada em menos de 10 minutos de discussão.

Apesar de discutida nos bastidores há meses, a tramitação oficial se deu a “toque de caixa”. A Mesa Diretora da Câmara dos Deputados se reuniu pela manhã, aprovou a urgência do tema (279 votos favoráveis, 35 contra e 3 abstenções), depois simbolicamente aprovaram a matéria em si no início da tarde. De lá, ela já foi encaminhada ao Senado, onde os senadores a apreciaram no mesmo dia.

O projeto pretende equiparar os salários do Executivo e do Legislativo ao do Judiciário. Os vencimentos dos deputados e senadores terão um reajuste de 61,8%, atualmente em R$ 16,5 mil. Já para o presidente da República e para o vice, o reajuste é de 133,9% em relação ao atual salário de R$ 11,4 mil; os ministros recebem hoje R$ 10,7 mil.

Os parlamentares, o presidente, o vice e os ministros estão sem reajuste desde 2007. A inflação no período, porém, foi inferior a 20%.

A senadora Marina Silva (PV-AC) e o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) apresentaram suas manifestações contrárias à proposta. O líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR), disse que o reajuste deveria ser acompanhado da redução da verba indenizatória --que, na prática, torna os vencimentos dos parlamentares ainda maiores, por bancar gastos com gasolina, passagens aéreas e outros.

A parlamentar do PV seguiu a sugestão do PSOL de que o incremento salarial fosse equivalente apenas ao aumento da inflação nos últimos três anos – data em que houve o último reajuste.

Antes da votação em plenário, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), evitou comentar o assunto. "Vou ver a resolução e ouvir os líderes, a decisão não é da Presidência, é da Casa, e o nosso sistema é sempre ouvir as lideranças", disse.
***
Fonte:http://noticias.uol.com.br/politica/2010/12/15/depois-da-camara-senado-tambem-aprova-reajuste-salarial-para-executivo-e-legislativo.jhtm

Representante dos trabalhadores diz que governo Lula foi segunda independência do Brasil

15/12/2010
Por: Redação da Rede Brasil Atual


São Paulo - A artesã Maria do Socorro Nascimento, escolhida para representar os trabalhadores na cerimônia de balanço de oito anos de governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, comparou os programas sociais às “armas” utilizadas pelo presidente para “resgatar quase 30 milhões de brasileiros da pobreza extrema”.

Maria do Socorro, que mora em Missão Velha, no Ceará, disse que durante o governo Lula conseguiu ter acesso a financiamento para investir no próprio negócio e agradeceu o presidente. A artesão informou que graças a recursos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e do Agroamigo, Programa de Microcrédito Rural do Banco do Nordeste, conseguiu realizar o sonho de montar o próprio negócio.

“Quero dizer que vale a pena. Na minha região do interior do Ceará, todas as trabalhadores e trabalhadores, assim como eu, têm uma história de progresso para contar”, disse.

A artesã ainda comparou o governo Lula a uma segunda independência do Brasil, ao lembrar o fim da dívida com o Fundo Monetário Internacional (FMI). “Sei que o senhor está deixando a presidência, mas não sairá do nosso coração, nem nossa esperança irá morrer”.

Maria do Socorro disse ter certeza de que a presidenta eleita, Dilma Rousseff, dará continuidade às conquistas do seu antecessor. "Nós, pobres, lhe damos o título de vencedor e de pai dos pobres. E nossa esperança não vai morrer (com o final do mandato de Lula), porque temos a certeza de que Dilma dará continuidade ao projeto de governo que o senhor está depositando nas mãos dela”, disse a representante dos trabalhadores.
Com informações da Agência Brasil
****
Fonte:http://www.redebrasilatual.com.br/temas/cidadania/2010/12/representante-dos-trabalhadores-diz-que-governo-lula-foi-segunda-independencia-do-brasil?utm_source=twitterfeed&utm_medium=facebook

Sindicalista que denunciou Máfia dos Fiscais morre baleado em São Paulo

15/12/2010
Estadao.com.br
Por Marília Lopes e Pedro da Rocha

Sergio Castro/AE - 26/5/2004."Sindicalista havia sido alvo de atentado em 1999"

SÃO PAULO - Morreu no final da tarde desta quarta-feira, 15, o presidente do Sindicato dos Camelos Independentes São Paulo (Sindcisp), Afonso José da Silva. Ele levou três tiros na sede do sindicato, na Rua Brigadeiro Machado, 309, no Brás, centro de São Paulo.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, Silva deu entrada no Hospital do Tatuapé já em estado gravíssimo e morreu poucos minutos depois, às 17h10. A Polícia Militar informou que uma testemunha ouviu um grito de assalto e logo depois o som de tiros. Até o momento, nenhum suspeito foi preso.

O sindicalista ficou conhecido em fevereiro de 1999, quando denunciou envolvidos na Máfia dos Fiscais - um esquema em que vários vereadores foram acusados de cobrar propinas de ambulantes e comerciantes durante a gestão do então prefeito Celso Pitta.

Duas semanas depois de ter feito a denúncia ao vivo em uma emissora de televisão, Silva levou quatro tiros no peito em um atentado na porta de sua casa.
****
Fonte:http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/artigo.aspx?cp-documentid=26764014

Wikiliquidação do Império?

QUARTA-FEIRA, 15 DE DEZEMBRO DE 2010
Do blog de Altamiro Borges

Reproduzo artigo do sociólogo português Boaventura de Sousa Santos, publicado no sítio Carta Maior:

A divulgação de centenas de milhares de documentos confidenciais, diplomáticos e militares, pela Wikileaks acrescenta uma nova dimensão ao aprofundamento contraditório da globalização. A revelação, num curto período, não só de documentação que se sabia existir mas a que durante muito tempo foi negado o acesso público por parte de quem a detinha, como também de documentação que ninguém sonhava existir, dramatiza os efeitos da revolução das tecnologias de informação (RTI) e obriga a repensar a natureza dos poderes globais que nos (des)governam e as resistências que os podem desafiar. O questionamento deve ser tão profundo que incluirá a própria Wikileaks: é que nem tudo é transparente na orgia de transparência que a Wikileaks nos oferece.

A revelação é tão impressionante pela tecnologia como pelo conteúdo. A título de exemplo, ouvimos horrorizados este diálogo – Good shooting. Thank you – enquanto caem por terra jornalistas da Reuters e crianças a caminho do colégio, ou seja, enquanto se cometem crimes contra a humanidade. Ficamos a saber que o Irã é consensualmente uma ameaça nuclear para os seus vizinhos e que, portanto, está apenas por decidir quem vai atacar primeiro, se os EUA ou Israel. Que a grande multinacional famacêutica, Pfizer, com a conivência da embaixada dos EUA na Nigéria, procurou fazer chantagem com o Procurador-Geral deste país para evitar pagar indenizações pelo uso experimental indevido de drogas que mataram crianças. Que os EUA fizeram pressões ilegítimas sobre países pobres para os obrigar a assinar a declaração não oficial da Conferência da Mudança Climática de Dezembro passado em Copenhaga, de modo a poderem continuar a dominar o mundo com base na poluição causada pela economia do petróleo barato. Que Moçambique não é um Estado-narco totalmente corrupto mas pode correr o risco de o vir a ser. Que no “plano de pacificação das favelas” do Rio de Janeiro se está a aplicar a doutrina da contra-insurgência desenhada pelos EUA para o Iraque e Afeganistão, ou seja, que se estão a usar contra um “inimigo interno” as tácticas usadas contra um “inimigo externo”. Que o irmão do “salvador” do Afeganistão, Hamid Karzai, é um importante traficante de ópio. Etc., etc, num quarto de milhão de documentos.

Irá o mundo mudar depois destas revelações? A questão é saber qual das globalizações em confronto — a globalização hegemônica do capitalismo ou a globalização contra-hegemônica dos movimentos sociais em luta por um outro mundo possível — irá beneficiar mais com as fugas de informação. É previsivel que o poder imperial dos EUA aprenda mais rapidamente as lições da Wikileaks que os movimentos e partidos que se lhe opõem em diferentes partes do mundo.

Está já em marcha uma nova onda de direito penal imperial, leis “anti-terroristas” para tentar dissuadir os diferentes “piratas” informáticos (hackers), bem como novas técnicas para tornar o poder wikiseguro. Mas, à primeira vista, a Wikileaks tem maior potencial para favorecer as forças democráticas e anti-capitalistas. Para que esse potencial se concretize são necessárias duas condições: processar o novo conhecimento adequadamente e transformá-lo em novas razões para mobilização.

Quanto à primeira condição, já sabíamos que os poderes políticos e econômicos globais mentem quando fazem apelos aos direitos humanos e à democracia, pois que o seu objectivo exclusivo é consolidar o domínio que têm sobre as nossas vidas, não hesitando em usar, para isso, os métodos fascistas mais violentos. Tudo está a ser comprovado, e muito para além do que os mais avisados poderiam admitir. O maior conhecimento cria exigências novas de análise e de divulgação.

Em primeiro lugar, é necessário dar a conhecer a distância que existe entre a autenticidade dos documentos e veracidade do que afirmam. Por exemplo, que o Irã seja uma ameaça nuclear só é “verdade” para os maus diplomatas que, ao contrário dos bons, informam os seus governos sobre o que estes gostam de ouvir e não sobre a realidade dos fatos. Do mesmo modo, que a táctica norte-americana da contra-insurgência esteja a ser usada nas favelas é opinião do Consulado Geral dos EUA no Rio. Compete aos cidadãos interpelar o governo nacional, estadual e municipal sobre a veracidade desta opinião. Tal como compete aos tribunais moçambicanos averiguar a alegada corrupção no país. O importante é sabermos divulgar que muitas das decisões de que pode resultar a morte de milhares de pessoas e o sofrimento de milhões são tomadas com base em mentiras e criar a revolta organizada contra tal estado de coisas.

Ainda no domínio do processamento do conhecimento, será cada vez mais crucial fazermos o que chamo uma sociologia das ausências: o que não é divulgado quando aparentemente tudo é divulgado. Por exemplo, resulta muito estranho que Israel, um dos países que mais poderia temer as revelações devido às atrocidades que tem cometido contra o povo palestiniano, esteja tão ausente dos documentos confidenciais. Há a suspeita fundada de que foram eliminados por acordo entre Israel e Julian Assange. Isto significa que vamos precisar de uma Wikileaks alternativa ainda mais transparente. Talvez já esteja em curso a sua criação.

A segunda condição (novas razões e motivações para a mobilização) é ainda mais exigente. Será necessário establecer uma articulação orgânica entre o fenómeno Wikileaks e os movimentos e partidos de esquerda até agora pouco inclinados a explorar as novas possibilidades criadas pela RTI. Essa articulação vai criar a maior disponibilidade para que seja revelada informação que particularmente interessa às forças democráticas anti-capitalistas.

Por outro lado, será necessário que essa articulação seja feita com o Foro Social Mundial (FSM) e com os media alternativos que o integram. Curiosamente, o FSM foi a primeira novidade emancipatória da primeira década do século e a Wikileaks, se for aproveitada, pode ser a primeira novidade da segunda década. Para que a articulação se realize é necessária muita reflexão inter-movimentos que permita identificar os desígnios mais insidiosos e agressivos do imperialismo e do fascismo social globalizado, bem como as suas insuspeitadas debilidades a nível nacional, regional e global.

É preciso criar uma nova energia mobilizadora a partir da verificação aparentemente contraditória de que o poder capitalista global é simultaneamente mais esmagador do que pensamos e mais frágil do que o que podemos deduzir linearmente da sua força. O FSM, que se reune em fevereiro próximo em Dakar, está precisar de renovar-se e fortalecer-se, e esta pode ser uma via para que tal ocorra.
****
Fonte:http://altamiroborges.blogspot.com/2010/12/wikiliquidacao-do-imperio.html

Familiares de vítimas da ditadura pedem a Lula um 'Wikileaks brasileiro'

15/12/2010
Por: Anselmo Massad, Rede Brasil Atual


São Paulo – Um "Wikileaks brasileiro" é uma das formas que familiares de vítimas da ditadura militar no país usaram para expressar a demanda de abertura dos arquivos mantidos pelas Forças Armadas sobre o período. Após a divulgação, na terça-feira (14), da sentença da Corte Interamericana de Direitos Humanos condenando o Brasil por não investigar os crimes cometidos pelo Estado na repressão à guerrilha do Araguaia, os peticionários consideram reaberto o debate sobre o direito à informação e à verdade.

"O Lula elogiou o Wikileaks. Por que não abre o nosso wikileaks?", disparou Criméia Almeida, da Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos, atualmente com 63 anos, companheira de André Grabois, morto no Araguaia. Ela revela ter recebido com satisfação a sentença da Corte, ligada à Organização dos Estados Americanos (OEA).

A declaração de Criméia faz alusão ao site que vazou documentos secretos do governo dos Estados Unidos. Ela ironizou a declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que defendeu a iniciativa por duas vezes na última semana, alegando defesa da liberdade de expressão e de imprensa.

A crítica direta ao governo Lula deve-se ao fato de que a gestão dele não promoveu, a exemplo dos governos civis anteriores, qualquer forma de investigação efetiva ou abertura de arquivos da Ditadura.

A representante da Comissão participou, na manhã desta quarta-feira (15), de uma entrevista coletiva em São Paulo ao lado de membros dos dois demais peticionários da ação, que tramitou na Corte por 15 anos. O Grupo Tortura Nunca Mais e o Centro Pela Justiça e o Direito Internacional (Cejil) assinaram o pedido com base em acordos internacionais firmados pelo país em 1992 e no reconhecimento da instância em 1998.
****
Fonte:http://gestao.redebrasilatual.com.br/temas/cidadania/2010/12/familiares-de-vitimas-da-ditadura-pedem-a-lula-um-wikileaks-brasileiro

Michael Moore paga fiança de Assange

QUARTA-FEIRA, 15 DE DEZEMBRO DE 2010
Do blog de Altamiro Borges


Reproduzo artigo do cineasta estadunidense Michael Moore, intitulado "Porque estou dando dinheiro para pagar fiança de Julian Assange". O texto foi traduzido Miguel Leite, do blog "Te bloga!":

Ontem, no Tribunal de Magistrados de Westminster, em Londres, os advogados de Julian Assange, co-fundador da WikiLeaks, apresentaram ao juiz um documento informando que eu paguei 20.000 dólares de meu próprio dinheiro para ajudar a resgatar Assange da cadeia.

Além disso, estou oferecendo publicamente o apoio do meu site, meus servidores, meus nomes de domínio e qualquer outra coisa que possa fazer para manter viva e próspera a WikiLeaks enquanto continuar seu trabalho para expor os crimes que eram preparados em segredo e realizados em nosso nome (cidadãos americanos) e com dinheiro de nossos impostos.

Fomos levados à guerra do Iraque por uma mentira. Centenas de milhares estão mortos. Imaginem se os homens que planejaram esse crime de guerra em 2002 tivessem um WikiLeaks para lidar com eles. Eles poderiam não ter sido capazes de consumá-lo. A única razão que os levava a pensar que poderiam fugir da verdade era porque tinham um manto de sigilo garantido. Esse manto foi rasgado, e eu espero que eles nunca sejam capazes de operar em segredo novamente.

Então, porque WikiLeaks, após a realização de um serviço público tão importante, sob tal ataque vicioso? Porque eles têm denunciado e envergonhado aqueles que encobriram a verdade. O ataque que têm sofrido vem do topo:

* Senador Joe Lieberman diz que WikiLeaks “violou a Lei da Espionagem”.

* George, da The New Yorker Packer, Assange chamadas “super-espião, de pele fina, [e] megalomaníaco.”

* Sarah Palin diz ser “um agente anti-americano com sangue nas mãos” a quem devemos perseguir “com a mesma urgência com que buscamos a Al Qaeda e líderes do Taliban”.

* Democrata Bob Beckel (gerente de campanha de Walter Mondale em 1984) disse sobre Assange na Fox: “Um homem morto não pode vazar coisas … só há uma maneira de fazê-lo:. Ilegalmente atirar no filho da puta”.

* Mary Matalin, republicano, diz que “ele é um psicopata, um sociopata … Ele é um terrorista”.

* Rep. Peter A. King chama WikiLeaks uma “organização terrorista”.

E de fato eles são! Eles existem para aterrorizar os mentirosos e belicistas que trouxeram a ruína de nossa nação e para os outros. Talvez a próxima guerra não seja tão fácil, porque as regras foram mudadas – e agora é Big Brother que está sendo vigiado… por nós!

WikiLeaks merece os nossos agradecimentos e que se jogue luz sobre tudo isso. Mas alguns na imprensa hegemônica têm rejeitado a importância do WikiLeaks (“eles já lançaram pouco que há de novo!”). Ou os está pintando como simples anarquistas (“WikiLeaks libera tudo, sem qualquer controle editorial!”).

WikiLeaks existe, em parte, porque a grande mídia não conseguiu fazer jus à sua responsabilidade. Os donos das empresas têm dizimado redações, tornando impossível para bons jornalistas fazerem seu trabalho. Não há mais tempo ou dinheiro para o jornalismo investigativo. Simplificando, os investidores não querem essas histórias expostas. Eles gostam de seus segredos… como segredos.

Peço-lhe para imaginar o quanto o nosso mundo diferente seria se WikiLeaks existisse a 10 anos atrás. Dê uma olhada na foto. Este é o Sr. Bush prestes a receber um documento “secreto” em 6 de agosto de 2001. Seu título dizia: “Bin Laden determinado em atacar nos EUA”. E nessas páginas disse que o FBI descobriu “os padrões de atividade suspeita neste país em conformidade com os preparativos para atentados.” Bush decidiu ignorá-la e foi pescar pelas próximas quatro semanas.

Mas se esse documento houvesse vazado, como você ou eu teríamos reagido? O que o Congresso ou as FAA teriam feito? Não seria uma grande chance de que alguém, em algum lugar tivesse feito alguma coisa, se todos nós soubéssemos sobre Bin Laden, ataque iminente, usando aviões sequestrados?

Mas as pessoas na época tinham pouco acesso a esse documento. Porque o segredo foi mantido, um instrutor da escola de voo em San Diego, que percebeu que dois alunos da Arábia tinham interesse em decolagens ou pousos, não fez nada. Se ele tivesse lido sobre a ameaça de Bin Laden, ele poderia ter chamado o FBI? (Por favor, leia este ensaio pelo ex-agente do FBI Coleen Rowley, 2002 Time co-Person of the Year, sobre sua crença de que com WikiLeaks 2001, 11/09 poderia ter sido evitado.)

Ou se o público, em 2003, tivesse lido o “segredo” dos memorandos de Dick Cheney e de como ele pressionou a CIA a dar-lhe os “fatos” que ele queria, a fim de construir o seu caso falso para a guerra? Se WikiLeaks houvesse revelado na época que não havia, de fato, nenhuma arma de destruição em massa, você acha que a guerra teria sido lançada – ou melhor, não teria havido apelos para detenção de Cheney?

A abertura, transparência – estas estão entre as poucas armas dos cidadãos para se protegerem dos poderosos e dos corruptos. E se dentro poucos dias depois de 04 de agosto de 1964 – após o Pentágono mentir que nosso navio foi atacado pelos norte-vietnamitas no Golfo de Tonkin – tivesse havido um WikiLeaks para dizer ao povo americano que a coisa toda era armação? Eu acho que 58 mil dos nossos soldados (e 2 milhões de vietnamitas) poderiam estar vivos hoje.

Em vez disso, segredos mataram.

Para aqueles de vocês que pensam que é errado apoiar Julian Assange devido às alegações de abuso sexual, tudo que eu peço é que você não sejam ingênuos sobre como o governo funciona quando ele decide ir atrás de suas presas. Por favor – nunca, jamais, acreditem na “história oficial”. E, independentemente de culpa ou inocência Assange, este homem tem o direito de ter paga fiança e se defender. Eu me juntei com os cineastas Ken Loach e John Pilger e escritor Jemima Khan para pagar o dinheiro da fiança – e esperamos que o juiz aceite isso e se pronuncie hoje.

Poderia WikiLeaks causar alguns danos não intencionais às negociações diplomáticas e os interesses dos EUA no mundo? Talvez. Mas esse é o preço que você paga quando você e o seu governo nos leva a uma guerra baseada numa mentira. Sua punição por mau comportamento é que alguém acenda todas as luzes da sala para que possamos ver o que você e ele estão fazendo. Você simplesmente não pode ser confiável. Então, cada transmissão, cada e-mail que você escreve agora é o jogo aberto. Desculpe, mas vocês pediram isto para si mesmos. Ninguém pode esconder a verdade agora. Ninguém pode traçar o próximo Big Lie (grande mentira) se eles sabem que podem ficar expostos.

E essa é a melhor coisa que o site fez. WikiLeaks, Deus os abençoe, vai salvar vidas, como resultado de suas ações. E qualquer um de vocês que me acompanhem ao apoiá-los estarão cometendo um verdadeiro ato de patriotismo.

Eu estou hoje em solidariedade a Julian Assange em Londres, pedindo ao juiz que conceda a sua libertação. Estou disposto a garantir o seu regresso o dinheiro da fiança determinado pela corte. Eu não permitirei que esta injustiça possa continuar incontestada.

P.S. Você pode ler a declaração que apresentou hoje no tribunal de Londres aqui.

P.P.S. Se você está lendo isso em Londres, por favor, vá apoiar Julian Assange e WikiLeaks em uma demonstração em um PM hoje, terça-feira dia 14, em frente ao tribunal de Westminster.
***
Fonte:http://altamiroborges.blogspot.com/2010/12/michael-moore-paga-fianca-de-assange.html

Tânia Passos: Lei para controlar resíduos

Quarta-feira, 15 de dezembro de 2010
Do Diário de Pernambuco
Caderno de Vida Urbana
Por Tânia Passos

Meta é definir, em dois anos, nos 185 municípios do estado, qual o destino e o tratamento dos entulhos

Em até dois anos os 185 municípios pernambucanos deverão ter definidos a destinação e tratamento dos seus resíduos. Pelo menos essa é a expectativa da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente (Sectma).

O estado definiu regras sobre a política estadual de resíduos sólidos com a lei nº 14.236/2010, sancionada pelo governador, na segunda-feira. Um dos principais avanços da legislação é oferecer mecanismos para compartilhar as responsabilidades, a exemplo da criação de consórcios. A preocupação é principalmente com os municípios de pequeno porte. Atualmente apenas 20 municípios pernambucanos encaminham os resíduos para aterros.

Consórcios são alternativa de solução para os resíduos. Foto: Inês Campelo/DP/D.A Press

Uma das experiências de consórcio, já em funcionamento, se encontra no sertão do Araripe. Na região, 12 municípios dividem os custos para dar a destinação correta do lixo. ´Não há necessidade de cada município dispor de um aterro sanitário. Por isso é importante o consórcio`, afirmou o secretário executivo de Meio Ambiente, Hélvio Polito. Segundo o secretário já existem nove consórcios em andamento no estado, que irão reunir 111 municípios. ´Os consórcios estão em fase de implantação. Nós acreditamos que em dois anos todos os municípios estejam com a questão do lixo resolvida`, afirmou o secretário. O consórcio abrange desde o trabalho de coleta, transporte e destino final dos resíduos sólidos.

A lei dispõe sobre todo tipo de lixo e suas fontes geradoras e prevê, ainda, ações de educação ambiental e estímulo à coleta seletiva e inclusão de catadores. Como destaque ainda inclui a logística reversa, que prevê a responsabilidade dos fabricantes e distribuidores. A gestora de qualidade ambiental da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente (Sectma), Danuza Gusmão, destacou que a política impulsiona a adequação do município e cita a evolução desde a criação do primeiro modelo. Em 2002, um ano antes da publicação da primeira política de resíduos sólidos, dois municípios tinham aterros. Em 2006, aumentou para 11 e, neste ano, já são 20.

Parao secretário executivo a nova lei vai funcionar como uma bússola. ´A lei estadual foi construída em sintonia com a lei federal, recentemente aprovada. Ela funcionará como uma política-bússola, com leis de orientação`, afirmou. Entre as iniciativas apontadas para a criação dos planos de gerenciamento está o uso compartilhado de aterros, o que valeria para o Recife que, atualmente, divide o lixo da cidade entre dois aterros particulares, em Jaboatão dos Guararapes e Igarassu.

Saiba mais

Obrigações previstas na lei

Poder público municipal

Organizar e gerenciar os sistemas de segregação, acondicionamento, armazenamento, coleta, transporte, tratamento, destinação e disposição final dos resíduos sólidos

Poder público estadual

Exigir que os municípios ou consórcios intermunicipais, o setor industrial, os estabelecimentos e demais fontes geradoras de lixo elaborem e apresentem os seus planos de gerenciamento

Fonte: Cempre
***
Fonte:http://www.diariodepernambuco.com.br/2010/12/15/ciencia1_0.asp

PF prende homem em Curitiba durante operação de combate à pedofilia na internet

15/12/2010
Da Folha.com
DA AGÊNCIA BRASIL

A PF (Polícia Federal) prendeu nesta quarta-feira, em Curitiba, um homem suspeito de crime de pornografia infantil na internet. A prisão faz parte da Operação Comic Br, desencadeada pelo Grupo Especial de Combate aos Crimes de Ódio e de Pornografia Infantil na Internet.

PF faz operação contra pedofilia na internet

Estão sendo cumpridos 19 mandados de busca e apreensão nos Estados do Espírito Santo, de Minas Gerais, do Paraná, do Rio Grande do Sul e de São Paulo.

Segundo a assessoria da PF, havia um mandado de busca e apreensão para ser cumprido em Curitiba, entretanto, quando a polícia chegou ao local, encontrou um homem utilizando o computador para troca de arquivos de vídeos contendo pornografia infantil. Ele foi preso e encaminhado para a sede da Polícia Federal, em Curitiba.

O operação conta com a participação da polícia alemã que detectou a existência de arquivos de vídeos com imagens de pedofilia, disseminados em 2008 pela internet por meio de uma rede de downloads e compartilhados por diversos usuários brasileiros.

Em um dos principais vídeos "havia inescrupulosas e inaceitáveis cenas de abuso sexual infantil", informa o comunicado da PF.
***
Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/846112-pf-prende-homem-em-curitiba-durante-operacao-de-combate-a-pedofilia-na-internet.shtml

Polícia apreende armas e R$ 50 mil com ex-presidente do sindicato dos motoristas

15/12/2010
Da Folha.com
ANDRÉ CARAMANTE
DE SÃO PAULO
MARIANA DESIDÉRIO
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

A polícia apreendeu na manhã desta quarta-feira cerca de dez armas e R$ 50 mil em dinheiro, escondidos dentro de uma panela, na casa de Edvaldo Santiago, ex-presidente do Sindmotoristas (Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano) de São Paulo, no Campo Limpo (zona sul da cidade). A apreensão faz parte de uma megaoperação contra a diretoria do sindicato.

Polícia faz operação contra sindicato dos motoristas em SP

Também foi preso um homem ligado ao sindicato com uma arma calibre.22 sem registro. Ao todo, os policiais civis do DHPP cumprem 21 mandados de busca e apreensão autorizados pela juíza Élia Kinosita Bulman, do 2º Tribunal do Júri da Capital.

O objetivo da megaoperação é recolher possíveis provas que possam ligar os membros do Sindmotoristas aos assassinatos de Sérgio Augusto Ramos, 48, o Serjão, em outubro, e de José Carlos da Silva, 50, o Irmão da Sambaíba, mês passado.

Santiago afirmou que o dinheiro apreendido foi declarado no Imposto de Renda --ele afirma que teria R$ 85 mil declarados à Receita. O ex-presidente do sindicato também disse que anda com colete à prova de balas. "Sempre andei com medo. Tantos companheiros que moram no sindicato", afirmou. Ele nega envolvimento na morte de Ramos e Sambaíba.

As duas vítimas eram diretores de base do sindicato e foram mortas de maneira semelhante: por uma dupla de matadores que estava em uma motocicleta.

Dentre as casas de diretores do Sindmotoristas vasculhadas hoje pela Polícia Civil estão as do presidente da entidade, Isao Hosogi, o Jorginho, e do diretor de finanças, José Valdevan de Jesus Santos, hoje vereador em Taboão da Serra (Grande SP), conhecido como Valdevan Noventa e já investigado pela polícia por suspeita de elo com a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). Santos sempre negou relação com o grupo criminoso.

José Ilton Pereira, o Zé Ilton, diretor jurídico do Sindmotoristas é outro alvo da operação do DHPP.

POLICIAIS MILITARES

Em uma outra frente da operação do DHPP, os policiais investigam nove policiais militares ligados ao Sindmotoristas. Oito desses PMs trabalham como seguranças particulares de três diretores do sindicato. Três deles são integrantes da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar), espécie de tropa especial da PM paulista.

O nono PM investigado pelo DHPP trabalha na região do Jardim Peri (zona norte de São Paulo), mesma área onde foi assassinado em 12 de novembro o sindicalista Irmão da Sambaíba.

Uma das suspeitas da polícia é a de que Sambaíba era ligado à atual cúpula do Sindmotoristas e brigou por não receber pagamentos de propina de seus aliados na entidade.

Cerca de um mês antes de sua morte, durante uma reunião com trabalhadores do transporte público e de diretores do Sindmotoristas na zona norte, ele teria sacado uma arma e dito que iria cobrar a verba que não recebia do Sindmotoristas havia três meses.

Essa discussão com ameaças foi, segundo a investigação, contra Zé Ilton, o diretor jurídico do Sindmotoristas. À polícia, ele nega qualquer participação na morte.

Depois da briga, Irmão da Sambaíba teria passado a tentar reunir provas dos desvios de verba no sindicato para entregar à polícia e ao Ministério Público e, com isso, despertou a ira dos diretores da entidade.

Ao contrário de Sambaíba, que se tornou um dissidente da atual diretoria do Sindmotoristas, o outro diretor de base da entidade morto recentemente, Sérgio Ramos, era opositor e denunciava desde janeiro a corrupção no sindicato.

Ramos também foi morto a tiros quando dois homens em uma motor o perseguiram. O crime foi no dia 25 de outubro, quando Ramos distribuía panfletos sindicais em uma garagem de ônibus da zona sul de São Paulo.

16 MORTOS

A disputa pelo poder entre sindicalistas do transporte público paulistano já causou a morte de ao menos 16 pessoas nos últimos 18 anos, aponta investigação da polícia e do Ministério Público.

A guerra sempre foi motivada pelo controle de um caixa dois de meio milhão de reais ao mês que, segundo as investigações, vão parar nas mãos de diretores do Sindmotoristas, representante de motoristas e cobradores de ônibus em São Paulo.

O dinheiro seria desviado de contratos de planos de saúde da categoria, da compra de cestas básicas para os funcionários e de convênios com empresas, como farmácias e lojas de sapatos.

Há, ainda, uma parte da investigação que tenta saber se os diretores do Sindmotoristas fazem vista grossa para evitar denúncias sobre condições de trabalho de motoristas, cobradores e fiscais.

Na avaliação da polícia e da Promotoria, a entidade se transformou numa "central de corrupção" travestida de defensora da categoria.

De 1992 até agora, mesmo com mudanças na cúpula da diretoria, o roteiro dos crimes é muito parecido: um sindicalista contrariado começa a divulgar denúncias de desvio de verbas do sindicato ou de cobrança de propinas. Aparece morto meses depois.

Em meio à guerra, outras ligações suspeitas aparecem, como no caso do diretor de finanças Valdevan Noventa, investigado pela polícia sob suspeita de lavar dinheiro para traficantes da facção criminosa PCC.

A Folha tenta sem sucesso entrevistar o atual presidente do Sindmotoristas, Isao Hosogi, desde o final de outubro. Jorginho sempre prefere se manifestar via o jornal do sindicato, "O Veículo", no qual nega desvios de verba e envolvimento nos crimes.

Em outubro, por exemplo, uma "edição extra" do jornal sobre o assassinato de sindicalista Ramos, que havia gravado um vídeo no qual dizia que Jorginho era "o único interessado" em sua morte.

"Quero transmitir a seus amigos e familiares as condolências da diretoria, e dizer que estamos inteiramente à disposição dos órgãos públicos", afirmou Jorginho.
****
Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/846037-policia-apreende-armas-e-r-50-mil-com-ex-presidente-do-sindicato-dos-motoristas.shtml

Cultura: dívida do Estado brasileiro

15/12/2010
Do blog de Rodrigo Vianna
Por Izaías Almada


Novo governo começa a ser montado; a Cultura fica relegada a segundo plano

Durante a última campanha para as eleições presidenciais, os candidatos defenderam, em sua maioria, a necessidade de priorizar os temas da educação, da saúde e da segurança, considerados ainda insatisfatórios e como sendo alguns dos principais óbices ao desenvolvimento do Brasil como nação. Embora prementes, não são os únicos problemas a atacar, mas como se tratava de uma campanha eleitoral, muito justo que os candidatos elegessem as suas prioridades e nelas focassem o seu programa de governo.

A candidata Dilma Roussef não fugiu ao desenho que se esboçou durante a campanha, deixando bem claro o seu programa de governo e, nele, a sua preocupação em eliminar a miséria no Brasil, destacando a saúde e a educação como elementos fundamentais para esse objetivo. E com muita razão.

Completados os primeiros 45 dias após o resultado das eleições e chegando o ano de 2010 ao seu final, a presidente eleita – com aparente calma e determinação – vai montando a sua equipe de governo num quadro, se é possível assim dizer, bem mais tranquilo do que aquele que caracterizou a primeira eleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

As pressões para a indicação de ministros, internas e externas, essas normalmente apresentadas como balões de ensaio pela velha mídia, são inúmeras. Não deve ser fácil à presidente eleita equilibrar na balança do poder os seus objetivos estratégicos de governo com os compromissos assumidos com partidos aliados e até com o seu próprio partido.

Bem posta a questão e consideradas as dificuldades naturais para a composição de um novo governo, a sucessora do presidente Lula comete, involuntariamente quero acreditar, o mesmo erro da maioria de seus antecessores, incluindo o próprio Lula. Os ministérios prioritários da Saúde e da Educação, até a altura em que escrevo esse artigo (14/12), ainda não tiveram seus ministros definidos. Além desses dois, outro ministério importantíssimo, o da Cultura, como sempre acontece, é um dos últimos a ter o seu titular definido. Uma vez mais a Cultura fica relegada a um segundo plano dentro das prioridades governamentais, o que – aliás – ocorre há anos. E não somente em nível federal, mas também em níveis estaduais e municipais.

Não quero fazer disso uma crítica a um governo que nem ainda tomou posse. Reconheço que seria uma irresponsabilidade, mas o fato em si é um acontecimento que se repete invariavelmente, pois o Brasil ainda não aprendeu a reconhecer o valor da Cultura (com C maiúsculo mesmo) como elemento mobilizador de enriquecimento e transformação de seus cidadãos. Fala-se muito a respeito, mas faz-se pouco, essa é a verdade que não quer calar. Basta ver no orçamento da União o valor da verba destinada à Cultura.

Caríssima presidente: a senhora ainda deve se lembrar com entusiasmo do revigoramento da sua campanha por ocasião dos encontros com artistas e intelectuais no Teatro Casagrande no Rio de Janeiro e no TUCA em São Paulo. Não se trata aqui de estabelecer qualquer tipo de privilégio, mas o seu governo poderá resgatar uma dívida do estado brasileiro para com muitos daqueles que têm dedicado boa parte de suas vidas a tentar fazer da cultura brasileira um símbolo de humanismo e solidariedade, uma luta de resistência contra a mercantilização de alguns valores tão caros a uma cidadania que teima, por exemplos de governos ainda recentes, em escoar pelo ralo da mediocridade e da arrogância, quando não da venda pura e simples da nossa alma ao diabo.

Eliminar a pobreza, mas não só a material. Essa, com certeza, é urgente. Contudo, a pobreza espiritual também merece cuidados. Não é por acaso e chega a ser patético que uma ex-miss Brasil, transformada em atriz de telenovelas e que agora se diz também escritora proclame no lançamento do seu primeiro de dez livros escritos em apenas um ano: “Detesto escrever para pobres”…

Ainda temos que ouvir essas barbaridades.

Izaías Almada é escritor, dramaturgo, autor – entre outros – do livro “Teatro de Arena: uma estética de resistência” (Boitempo) e “Venezuela povo e Forças Armadas” (Caros Amigos).
****
Fonte:http://escrevinhador.com.br/

WikiLeaks: Os esforços dos EUA para minar a influência de Chávez

14 de dezembro de 2010
Do blog de Luiz Carlos Azenha
Por Stanley Burburinho


No dia 9 de dezembro de 2010, em artigo escrito por Maria Luisa Rivera, traduzido por Natalia Viana, do WikiLeaks (a íntegra está após minhas observações), o embaixador americano no Chile, Craig Kelly, escreveu uma lista secreta de estratégias para minar o poder político do presidente venezuelano Hugo Chavez no continente:

“Conheça o inimigo: nós temos que entender melhor como Chavez pensa e o que ele pretende; —Engajamento direto: temos que reforçar nossa presença na região e nos aproximar fortemente, em especial com as “não-elites”

“—Aumentar as relações militares: Nós devemos continuar a fortalecer os laços com esses líderes militares na região que compartilham as nossas preocupações sobre Chavez”

“Para ele, os militares latinoamericanos ainda são vistos como aliados, por causa da sua admiração ao poderio militar dos EUA.”

“Os militares do cone sul continuam sendo instituições-chave nos seus respectivos países, e aliados importantes para os EUA. Esses militares geralmente são organizados e tecnicamente competentes. O seu desejo de manter a interoperabilidade e o acesso à tecnologia e treinamento americanos são algo que podemos usar em nosso favor
”, diz o documento.

Curiosamente, na continuação, os americanos têm o mesmo discurso dos partidos políticos da oposição. Confiram:

“…e pressionar os vizinhos a se voltarem contra ele, por exemplo, excluindo a Venezuela de acordos de livre comércio.”

“Também sugere que os EUA ameacem reduzir o comércio como os países sulamericanos se a Venezuela conseguir ingressar no Mercosul.”


******

WikiLeaks – Os esforços dos EUA para minar a influência de Chavez

9 December 2010, 15.00 GMT

por Maria Luisa Rivera

Traduzido por Natalia Viana, do WikiLeaks

No dia 15 de junho de 2007, o embaixador americano no Chile, Craig Kelly, escreveu uma lista secreta de estratégias para minar o poder político do presidente venezuelano Hugo Chavez no continente.

“Conheça o inimigo: nós temos que entender melhor como Chavez pensa e o que ele pretende; —Engajamento direto: temos que reforçar nossa presença na região e nos aproximar fortemente, em especial com as “não-elites”; —Mudar o cenário político: Devemos oferecer uma mensagem de esperança e apoiá-la com projetos financiados adequadamente; —Aumentar as relações militares: Nós devemos continuar a fortalecer os laços com esses líderes militares na região que compartilham as nossas preocupações sobre Chavez”, resumiu.

Kelly propõe ainda reforçar as operações de inteligência na America Latina para entender melhor os objetivos de Chavez a longo prazo, e pressionar os vizinhos a se voltarem contra ele, por exemplo, excluindo a Venezuela de acordos de livre comércio.

Kelly, que acabou de se aposentar como o número dois para temas do hemisfério ocidental no Departamento do Estado, reconheceu no seu telegrama que “Chavez conseguiu muitos avanços, em especial para as populações locais, ao fornecer programas para os desprivilegiados”.

Mas também disse que o venezuelano tem uma visão “distorcida” e que “a boca de Chavez frequentemente se abre antes que o seu cérebro esteja funcionando”. Kelly recommenda a Washington simplesmente dizer “ a verdade” sobre Chavez e “a sua visão estreita, suas promessas vazias, suas relações internacionais perigosas, começando pelo Irã”.

Mesmo assim, o documento alerta que Chavez tem que ser levado a sério. “Seria um erro considerar Chavez apenas um palhaço ou um caudilho. Ele tem uma visão, mesmo que deturpada, e está tomando medidas calculadas para conseguir”.

Para ele, países pobres como o Uruguai não conseguem resistir às ofertas de ajuda do Venezuelano. A Argentina, depois da crise, também teria sido vítima dos “petrobolívares” de Chavez.

Passo a passo

Para reduzir a sua influência nos temas regionais, Kelly propõe que o Brasil e o Chile sejam estudados como “países que têm governos esquerdistas mas são democráticos e responsáveis na política fiscal”. Também sugere que os EUA ameacem reduzir o comércio como os países sulamericanos se a Venezuela conseguir ingressar no Mercosul.

O telegrama mostra como a diplomacia americana propõe desestabilizar o poder de Chavez internamente. Kelly recomenda usar “a diplomacia pública” para vencer o que seria uma “batalha de idéias e visões”. Além disso, diz ele, vale explorar o medo de lideres anti-chavistas e formadores de opinião que “apreciam a importância da relação com os EUA”

Visitas do alto escalão americano, como a de Bush em março de 2007, também podem ajudar o país a se aproximar das populações dos países hostis aos EUA. ”Mostrar nossa bandeira e explicar diretamente para as populações nossa visão de democracia e progresso pode mudar a visão sobre os EUA”.

Usando os militares

Outro dado interessante é que Kelly recomenda aumentar o financiamento para programas de parceria militar como o Military Education and Training (IMET) e Commander Activities (TCA).

Para ele, os militares latinoamericanos ainda são vistos como aliados, por causa da sua admiração ao poderio militar dos EUA.

“Os militares do cone sul continuam sendo instituições-chave nos seus respectivos países, e aliados importantes para os EUA. Esses militares geralmente são organizados e tecnicamente competentes. O seu desejo de manter a interoperabilidade e o acesso à tecnologia e treinamento americanos são algo que podemos usar em nosso favor”, diz o documento.

Ele também recomenda o corte de financiamento de outros programas, o que estaria sendo usaodo como uma retaliação à recusa dos países de assinar o Artigo 98, um contrato que impede cidadãos americanos de serem extraditado à Corte Penal Internacional se estiverem nesses países.

****
Fonte:http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/wikileaks-os-esforcos-dos-eua-para-minar-a-influencia-de-chavez.html

Eleita celebra discretamente

15.12.2010
Do jornal "Folha de Pernambuco"


PORTO ALEGRE (AE) - A presidente eleita Dilma Rousseff passou a maior parte do dia em que completou 63 anos em seu apartamento na zona sul de Porto Alegre, ontem. Cientes do desejo da aniversariante de evitar badalações, os amigos e políticos optaram por homenagens discretas. As mais visíveis foram os sete buquês de flores, um dos quais do empresário Jorge Gerdau Johannpeter, cinco telegramas, dois cartões e uma imagem da Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos - enviada pela deputada estadual Marisa Formolo (PT) - entregues aos seguranças na portaria do edifício até às 18 horas. Entre os telefonemas que Dilma recebeu, um era do presidente Luiz Inácio Lula da Silva cumprimentando-a pela data.

A programação reservada só foi interrompida uma vez, de manhã, pelas professoras e alunos da Escola de Educação Infantil Nossa Senhora das Graças, localizada ao lado do edifício em que Dilma mora. Elas cantaram “parabéns a você” e enviaram um bilhete, portado por um segurança, desejando sucesso ao governo da futura presidente e pedindo que ela faça pelas mulheres “o que os outros não fizeram”.

Pouco depois, Dilma, que mora no quinto andar, desceu e foi visitar a escola, onde cumprimentou as professoras, abraçou e beijou as crianças e pegou algumas delas no colo. Ao sair, a presidente eleita falou com os jornalistas rapidamente. “Agradeço os parabéns. A gente vai ficando velha, mas também tem uma recepção como essa que comove”, disse.
***
Fonte: http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/609113

Ladrões ''trabalham'' mais em Brasília

15/12/2010
Estadao.com.br
Por Bruno Paes Manso


Brasília é a unidade da federação onde os ladrões mais trabalham. No ano passado, foram registrados 1.105,9 roubos por 100 mil habitantes, o que coloca o Distrito Federal no primeiro lugar do ranking de roubos. O Rio, Estado em segundo lugar, tem taxas bem mais modestas: 862,5 casos por 100 mil habitantes.

São Paulo, quarto colocado em roubos, lidera o ranking quando os dados se restringem a veículos. Em 2009, foram roubados 173,6 carros para cada 100 mil habitantes. O segundo lugar fica com o Rio, que registrou 156,4 veículos roubados por 100 mil habitantes. Os dados são do 4.º Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgados ontem em São Paulo.

Segundo o Anuário, a despesa per capita com a função segurança pública da União e dos 26 Estados aumentou em 44% nos últimos quatro anos, passando de R$ 165 por habitante em 2006 para R$ 238 no ano passado. O total gasto no setor em 2009 foi de R$ 45,6 bilhões, valor que ficou 15% acima do ano anterior. Segundo os números, apenas dois Estados reduziram investimentos em segurança: Rio (-24,6%) e Roraima (-7,6%).

O governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), que ontem esteve em São Paulo em evento da Revista Exame, explicou que a queda é, na verdade, resultado de uma mudança contábil. Em 2008, as aposentadorias e pensões de policiais civis e militares entravam na conta, passando no ano passado a integrar a Previdência. 'Para que se possa fazer a comparação correta, deve-se incluir na conta de 2009 esses mesmos gastos. Feito isso, verifica-se que a despesa com segurança cresceu de R$ 4,4 bilhões para R$ 4,9 bilhões', explicou.

Em relação aos homicídios, 10 das 27 unidades da federação registraram queda nas taxas. Alagoas ocupa o primeiro lugar no ranking de violência, com 63,3 homicídios por 100 mil habitantes. No outro extremo da tabela está Minas, que no ano passado reduziu os assassinatos em 33%. Atualmente, é o Estado onde menos se mata, com taxa de 7,1 homicídios por 100 mil habitantes.

Pernambuco, terceiro colocado entre os Estados com maiores taxas de assassinatos, registrou queda de 12,3% nos homicídios. Em compensação, é o primeiro no item 'morte a esclarecer'. Em 2009, 2.363 mortes violentas foram registradas nesse gênero, o que representa 26,8% dos casos. Caso essas mortes violentas sejam confirmadas como assassinato, os casos passam a engrossar as taxas de homicídio pernambucanas com longa defasagem de tempo.
***
Fonte:http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/artigo.aspx?cp-documentid=26752942

Lula recebe hoje lideranças de movimentos sociais

QUARTA-FEIRA, 15 DE DEZEMBRO DE 2010
Do blog do Deputado Federal André Vargas

Hoje, 15/12, às 15h, o Presidente Lula, recebe representantes de movimentos sociais no Salão Nobre do Palácio do Planalto. O encontro contará com a participação de cerca de 500 lideranças de diversos segmentos da sociedade civil como entidades sindicais, do campo, das mulheres, dos negros, da juventude, de economia solidária e de reforma urbana entre outros.

O encontro marca o último encontro oficial de Lula com as entidades. A intenção da Secretaria Geral da Presidência, responsável pelo evento, é reforçar a ideia de que a relação entre governo e os ativistas foi marcada pelo diálogo para construir políticas públicas, como ocorreu nas 72 conferências setorais realizadas nos últimos oito anos.

Durante o ato, Lula deve registrar oficialmente alguns dos programas sociais criados durante sua gestão. O objetivo é emitir um sinal de que as iniciativas vão ser mantidas na gestão da presidente eleita Dilma Rousseff. A expectativa é de que Lula faça ainda um balanço de sua gestão, além de reafirmar compromissos firmados.

*Com informações da Assessoria de Comunicação da Presidência
****
Fonte:http://andrevargas13.blogspot.com/2010/12/lula-recebe-hoje-liderancas-de.html