Pesquisar este blog

sábado, 27 de novembro de 2010

A guerra no Rio e as distintas avaliações

26 de novembro de 2010
Do site de "Carta Capital"
Celso Marcondes

CartaCapital acompanha e analisa os fatos, graças aos nossos colaboradores, parceiros e leitores. Leia aqui tudo o que publicamos e mande sua avaliação

O triste assunto da semana é a guerra deflagrada no Rio de Janeiro. Durante todo o dia desta quinta-feira 25 pudemos acompanhar ao vivo pela tevê a tomada pela polícia da favela da Vila Cruzeiro, tido como o principal ponto de tráfico da cidade. As cenas que todos vimos foram das mais impressionantes já transmitidas pela telinha, mesmo para nossos olhos acostumados com imagens quase diárias de confrontos entre policiais e bandidos pelo Brasil afora. Costume reforçado pelo cinema com seus Cidade de Deus e Tropa de Elite 1 e 2.

Na cobertura dos acontecimentos, CartaCapital opta, como sempre faz, pela análise dos fatos. Não pode, nem deve, nem quer competir com os grandes portais de notícias ou com a televisão. E na análise dos fatos, as visões que surgem são as mais distintas. Nossa referência editorial é o jurista Wálter Maierovitch, colunista da revista e do site, com trajetória mais que respeitável na área. Já publicamos aqui três artigos dele nestes dias. Mas há quem discorde e em questões tão complexas e graves é mais do que normal. Vocês viram aqui as avaliações do deputado carioca Marcelo Freixo, em duas entrevistas, uma delas de um mês atrás, antes do conflito ganhar esta proporção. Leram também a análise do ex-deputado federal do Rio de Janeiro Vladimir Palmeira. E a do nosso leitor e SÓCIO CAPITAL prof. José Cláudio Souza Alves, pró-reitor de Extensão da UFRRJ.

Se você não as leu, pode ler agora e formar sua opinião. E deixá-la aqui, neste espaço para COMENTÁRIOS. Enquanto isso continuaremos com um olho na tevê e outro na internet, em busca de análises e entrevistas com quem estuda o assunto.

Wálter Maierovitch, em 24/11/2010: “Confederação Criminal” tenta evitar expansão das UPPs.

Wálter Maierovitch, em 25/11/2010: Rio: onda de ataques já atingiu finalidade.

Walter Maierovitch, em 26/11/2020: A represália do crime organizado.

Marcelo Freixo, em 25/10/2010: Um deputado no olho do furacão.

Marcelo Freixo, em 24/11/2010: Caso para o serviço de inteligência.

Vladimir Palmeira, em 25/11/2010: Onde foram parar todos os criminosos.

Prof. José Cláudio Souza Alves, em 25/11/2010: Violência no Rio: a farsa e a geopolítica do crime.

Mauricio Dias, em 26/11/2010: Como em Canudos

Plínio Arruda Sampaio, em 26/11/2010: Caçada na favela da Vila Cruzeiro

Página 12, argentino, em 26/11/2010: Rio entre balas, policiais e narcotraficantes

Bahia de Fato, em 26/11/2010: Ações de criminosos no RJ precisam ser combatidas sem execuções e torturas

Gaza? Não, Rio de Janeiro, em 26/11/2010

Chico Alencar, em 26/11/2010: Violência no Rio é fruto da omissão crônica do poder público

Celso Marcondes é jornalista, editor do site e diretor de Planejamento de CartaCapital. celso@cartacapital.com.br
****
Fonte:http://www.cartacapital.com.br/sociedade/a-guerra-no-rio-e-as-distintas-avaliacoes

Porto Alegre 2012

TERÇA-FEIRA, 23 DE NOVEMBRO DE 2010
Do blog "Ferreiro da Política"

A decisão do PDT de integrar o Governo Tarso não foi surpreendente. Ao contrário, em primeiro lugar pela participação nos Governo Lula/Dilma. Em segundo lugar, pelo fato de o PDT ter participado de todos os últimos Governos Estaduais, ao menos, no início desses.

Entretanto, chama a atenção a decisão da Regional de Porto Alegre, que foi a única contrária a participação.

As principais lideranças do PDT em Porto Alegre - Viera da Cunha, Juliana Brizola, Nereu D'avila , etc - militaram pela não adesão ao governo. De certa forma mantiveram a coerência pois este setor aliou-se ao PMDB para derrotar o PT nas duas últimas eleições municipais. E, significativamente, tem planos para 2012, que por óbvio, parecem não incluir o PT.

Esta posição da Regional pedetista porto-alegrense, deverá sepultar as intenções de algumas lideranças petistas que ensaiavam uma tentativa de aliança com o PDT já em 2011, e irá reforçar os setores que vinham opondo-se a tal aliança. Principalmente, por que um improvável ingresso do PT no Governo Fortunati, indicaria uma aliança em 2012, o que é rejeitado pela grande maioria dos petistas.
***
Fonte:http://ferreirodapolitica.blogspot.com/2010/11/porto-alegre-2012.html

A Folha mente e engana você

Sexta-feira, 26 de novembro de 2010
do blog "Amigos do presidente Lula"

A Folha "errou", mas só publicou o "erramos" após quinze dias, depois de desmascarada a manipulação pelo Ministro

A Folha como sempre,mente, inventa e engana. E quando é desmascarada na mentira, não pede desculpas. Escreve uma notinha. bem escondidinha, somente para o olhar mais atento do leitor que for assinante do jornal

A veja a notinha escondida na Folha, sobre o ministro Franklin Martins, que deveria ocupar manchete de capa, como foi publicado a mentira

O ministro Franklin Martins (Comunicação Social) afirmou ontem que a Folha distorceu a sua fala no encontro sobre convergência de mídias, promovido por sua pasta.

"A Folha botou na primeira página que eu tinha dito num tom quase arrogante algo como "vai haver controle", "com consenso ou sem consenso'", disse.

No dia 10, a chamada "Governo diz que vai regular mídia mesmo sem consenso", publicada na Primeira Página, dizia que o ministro "afirmou que o governo está disposto a levar adiante a discussão de novas regras para o setor de mídia digital mesmo sem entendimento".

Sérgio Dávila, editor-executivo da Folha e participante do seminário, disse ao ministro que, se ele considera ter havido erro, o jornal o convida a escrever artigo ou a dar uma entrevista. Na verdade, a Folha não errou. O ministro disse o que foi publicado.

A Folha mente...

O jornal Folha de São Paulo interpretou, de forma equivocada, os objetivos do seminário sobre convergência de mídias..Ou seja, a Folha, quer a imprensa livre, mas sem perder o comando.
****
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2010/11/folha-mente-e-engana-voce.html

Lula: 'É uma alegria saber que temos força para vencer o crime organizado'

Sexta-feira, 26 de novembro de 2010
Do blog "Amigos do presidente Lula"

Durante viagem à Guiana, o presidente Lula comentou os atos de violência ocorridos no Rio de Janeiro:

"O que o governador Sérgio Cabral pedir e estiver dentro da lei podem estar certos de que faremos para ajudar o Rio de Janeiro. Para nós é uma alegria saber que nós temos força para vencer o crime organizado", disse o presidente. "O Sérgio Cabral tem facilitado. Ele não fica com pequenez de achar que é interferência. Na medida em que ele precisou e pediu ele foi atendido. É assim que tem que ser", elogiou Lula, ressaltando que o Rio vem recebendo todo o apoio do Planalto. (Com informações do Jornal 'O Dia')

Governos do Rio e Federal agem com coragem, responsabilidade e decisão no Rio de Janeiro

As facções criminosas no Rio tentaram reagir à implantação das UPP's (Unidades de Polícia Pacificadora) que botam para correr quadrilhas de traficantes que se instalavam em comunidades carentes.

A tentativa foi de intimidar o governo, assustando a população com "arrastões" (assaltos em bandos) e incendiar carros e ônibus, para obrigar o governo a "aliviar" e diminuir ou parar com as UPP's.

Normalmente, governos sob onda de criminalidade, ficam com medo do confronto gerar muitas mortes e desgaste, e acabam cedendo, fazendo algum acordo informal de não agressão, como os demo-tucanos fizeram com o PCC em São Paulo. Preferem abafar, tirar o assunto segurança pública do noticiário.

No Rio, o governador Sérgio Cabral (PMDB/RJ) resolveu não aceitar a chantagem dos criminosos.

O quartel-general de uma das facções criminosas que estão por trás dos ataques, tornou-se o Complexo do Alemão, um conjunto de mais de 20 comunidades que, pelo tamanho, população e características geográficas, a polícia estava deixando para pacificar depois. E foi ali, onde estão os cabeças das quadrilhas, que a operação policial resolveu ir atrás.

As forças de segurança, tanto do governo estadual como federal, montaram uma operação mobilizando mais de 20 mil homens, e usando até blindados e helicópteros das Forças Armadas.

A supremacia das forças de estado, apesar da aparência de guerra mostrado na TV, acaba protegendo vidas da população, porque desencoraja os traficantes ao confronto, uma vez que preferem a fuga... tentativa, porque quase 200 já foram presos. As baixas na bandidagem inclui apreensão de armas e drogas, e asfixia no faturamento, porque atrapalha totalmente a venda e distribuição de drogas.

Os traficantes já devem estar arrependidos de terem provocado arrastões e incêndios, e o Rio de Janeiro caminha para se livrar de um dos maiores focos de insegurança.
***
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2010/11/lula-e-uma-alegria-saber-que-temos.html

Antonio Palocci: Volta à Esplanada, após limpar ficha

26.11.2010
Do jornal "Folha de Pernambuco"

BRASÍLIA (AE) - Desde que deixou o Ministério da Fazenda, em março de 2006, Antonio Palocci iniciou uma corrida para limpar sua ficha na Justiça. Nesta semana, viu o último processo que respondia no Superior Tribunal de Justiça (STF), por improbidade administrativa, ser rejeitado em julgamento que não durou um minuto sequer. No Supremo Tribunal Federal (STF), os 21 processos que o envolviam foram arquivados.

No mais difícil desses processos, Palocci conseguiu se livrar da suspeita de ter violado o sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa e da acusação de ter vazado as informações para a imprensa, escândalo que o tirou do Ministério da Fazenda. Por 5 votos a 4, em agosto de 2009, os ministros julgaram não haver provas suficientes do envolvimento de Palocci no vazamento dos dados bancários de Francenildo.

De acordo com um ministro do STF, esse foi o único caso em que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva atuou diretamente. Numa conversa privada, Lula teria tratado abertamente da rejeição da acusação contra Palocci. A intervenção do presidente funcionou. Somente o ex-presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Mattoso tornou-se réu no processo.

O resultado do julgamento gerou polêmica pela mudança de entendimento dos ministros. Para receber a denúncia do Ministério Público, o tribunal julgava serem necessários indícios mínimos da prática do crime. Neste julgamento, apesar dos indícios, Palocci acabou ficando de fora do processo.

Francenildo dos Santos revelou ao jornal “O Estado de S. Paulo” e, posteriormente, à CPI dos Bingos, que Palocci frequentava uma casa em Brasília onde havia festas e suspeitas de partilha de dinheiro de corrupção - casa que ficou conhecida como sede da república de Ribeirão. Palocci negava as acusações. Dois dias depois da entrevista, Francenildo teve o sigilo bancário violado e levantada a suspeita de que recebeu dinheiro da oposição para denunciar Palocci. Em depoimento à Polícia Federal, o ex-presidente da Caixa Jorge Mattoso, também denunciado, relatou ter entregue pessoalmente a Palocci os extratos bancários do caseiro.
***
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/605469

Vereador do PT que denunciou esquema de corrupção na Prefeitura do Guarujá (SP) é assassinado dentro de casa

Sexta-feira, 26 de novembro de 2010
Do blog "Amigos do presidente Lula"

O vereador do Guarujá, litoral do Estado de São Paulo, Luis Carlos Romazzini (PT), de 45 anos, foi assassinado em sua casa na madrugada desta sexta-feira, 26, por volta da 1h30.

Três homens chegaram em motocicletas à casa do vereador, no Jardim Maravilha, e o chamaram pelo nome, segundo a polícia. Romazzini saiu da residência armado e foi alvejado com vários tiros no quintal. Os criminosos fugiram em seguida, sem levar nada. Sua mulher testemunhou a cena e acionou os policiais militares da 2ª Companhia do 21º Batalhão do Interior.

O vereador morreu a caminho do hospital e o caso foi registrado no Distrito Policial Sede da cidade. Em 2006, Romazzini disse que passou a receber ameaças de morte após denúncias de um esquema de corrupção envolvendo a Câmara Municipal e a Prefeitura da cidade, conhecido como "Mensalinho do Guarujá". Na época, o vereador chegou a pedir proteção à Policia Federal.

Romazzini, natural de São Francisco, no interior do Estado, era advogado, graduado em História e Direito, e não tinha filhos, segundo seu blog pessoal.
***
Fonte:http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2010/11/vereador-do-pt-que-denunciou-esquema-de.html

Palocci vai para a Casa Civil

26.11.2010
Do jornal "Folha de Pernambuco"

Gilberto Carvalho deve ocupar a Secretaria-Geral da Presidência

BRASÍLIA (Folhapress) - A presidente eleita, Dilma Rousseff, anunciará na próxima semana os nomes de Antonio Palocci e Gilberto Carvalho para a Casa Civil e a Secretaria-Geral da Presidência, respectivamente. Palocci desejava ir para a Casa Civil desde o começo, mas chegou a considerar a alternativa de assumir a Secretaria-Geral. Dilma tinha dúvidas sobre colocá-lo na pasta. Sempre disse que não queria superministros.

A presidente eleita acabou se convencendo de que Palocci era a melhor opção para gerenciar o governo. A Casa Civil será desidratada, e já perdeu musculatura com a transferência do Minha Casa, Minha vida e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para o Planejamento. Medidas adicionais serão tomadas para reduzir o aspecto administrativo-gerencial que a pasta teve nos últimos anos.

Após divulgar os nomes dos ministros que terão assento no Palácio do Planalto, a petista enfrentará a fase mais crítica na formação do ministério: negociar cargos com os dez partidos da base de apoio, além do PP e PTB. Ela ainda precisa definir o destino de outras pastas do Planalto, caso das secretarias de Comunicação Social e Relações Institucionais. Para a primeira, não há nome certo, ao menos por ora.

No caso da segunda, a tendência é que Alexandre Padilha permaneça como o responsável pelas articulações do Executivo com o Congresso. Havia a possibilidade de que ele fosse indicado para a Saúde, mas essa hipótese estaria praticamente descartada, conforme afirmam integrantes da transição. Dilma avalia que Padilha fez um bom trabalho no governo Lula. Sua permanência na pasta não significa, entretanto, que a Saúde siga nas mãos do PMDB. Tudo indica uma negociação complicada, já que o partido não quer perder esse território.

Dilma Rousseff oficializou anteontem sua equipe econômica: Guido Mantega (Fazenda), Alexandre Tombini (Banco Central) e Miriam Belchior (Planejamento). De saída do Planejamento, é certo que Paulo Bernardo continuará ministro, mas seu futuro ainda não foi decidido. A hipótese mais forte nos últimos dias é que assumisse as Comunicações, hoje com o PMDB. O Ministério da Previdência foi igualmente apontado como alternativa.

José Eduardo Cardozo, um dos coordenadores da transição, terá espaço na Esplanada, mas seu endereço não foi fixado. Ele pode ir para a Justiça ou assumir outro órgão com status de ministro. Apesar dos problemas com as provas do Enem, Fernando Haddad deve continuar na Educação. Setores do PT queriam designar o senador Aloizio Mercadante (PT-SP) para a vaga, mas ele deve ir para outra pasta, possivelmente Ciência e Tecnologia, comandada pelo PSB.
****
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/605468-palocci-vai-para-a-casa-civil

Marco Aurélio fica no Governo

26.11.2010
Do jornal "Folha de Pernambuco"

Dilma pediu a assessor internacional de Lula que permaneça no Planalto

GEORGETOWN (Folhapress) - A presidente eleita, Dilma Rousseff (PT), convidou o assessor internacional do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Marco Aurélio Garcia, a permanecer no Planalto. Os dois conversaram na última semana e devem voltar a se falar na segunda-feira. O assessor era cotado por diplomatas sul-americanos para assumir a Secretaria-Geral da Unasul (União de Nações Sul-Americanas), mas desistiu a pedido de Dilma.

Representantes de Uruguai, Venezuela e Argentina articulavam a permanência de Garcia no cargo em substituição ao ex-presidente argentino Nestor Kirchner, morto no mês passado. Os presidentes do bloco se reuniram, ontem, em Georgetown, na Guiana. Sondado para o cargo na Unasul, Garcia consultou Dilma, que pediu para que permanecesse no governo. Ela ainda não anunciou o nome que irá ocupar o Ministério das Relações Exteriores, mas a expectativa tanto entre diplomatas quanto na equipe de transição é a de que o escolhido seja o embaixador Antonio Patriota, que é próximo ao chanceler Celso Amorim e ocupa a segunda posição do Itamaraty, a Secretaria Geral.

Há oito anos como principal assessor de Lula para a área internacional, Marco Aurélio se licenciou durante a campanha presidencial para coordenar o programa de governo de Dilma. Depois de incluir temas polêmicos, como a regulamentação da mídia e a taxação de grandes fortunas, o texto final do programa foi mais genérico. Ontem, em Georgetown, Garcia confirmou que foi sondado para a Secretaria-Geral da Unasul, mas não quis comentar seu futuro no governo Dilma.

A Unasul foi marcada por homenagens e despedidas ao presidente Lula. Bem humorado e à vontade, o presidente brasileiro engasgou ao mencionar a expressão latina “ipsis litteris” em seu improviso, trocou a palavra “constituem” por “prostituem” e distribuiu beijos e abraços a seus “companheiros”. Mas, deixou claro aos líderes da América do Sul que não se livrarão dele. “Deixo a Presidência da República certo de que não fizemos tudo o que tínhamos que fazer, mas que fizemos tudo o que era possível fazer”, afirmou. “Vou continuar fazendo política. Não pensem que vão se livrar de mim. As experiências bem-sucedidas precisam ser socializadas pro mundo inteiro”, completou Lula, referindo-se ao Bolsa Família e outros programas sociais de seu governo.

Lula deixou o encontro antes de seu término - um comportamento repetido em quase todas as reuniões de cúpula anteriores nas quais participou. Ao iniciar o improviso, alegou estar atrasado em uma hora para seus compromissos em Manaus (AM).
****
Fonte:http://www.folhape.com.br/index.php/caderno-politica/605673-marco-aurelio-fica-no-governo

Economia informal brasileira atinge R$ 650 bilhões e cresce na velocidade do PIB

24/11/2010
Por InfoMoney, InfoMoney

SÃO PAULO – A economia informal brasileira atingiu a marca de R$ 650 bilhões em 2010 e, pela primeira vez desde que começou a ser mensurada, em 2003, cresceu na mesma velocidade que o PIB (Produto Interno Bruto), segundo revelam dados do Índice de Economia Subterrânea divulgados nesta quarta-feira (24) pelo Etco (Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial) e Ibre/FGV (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas).

De acordo com o levantamento, neste ano, a economia subterrânea equivale a 18,6% do PIB nacional. Depois de passar cinco anos, entre 2003 e 2008, evoluindo menos do que o produto interno bruto, o índice se estabilizou e passou a acompanhar o crescimento da economia, o que, na opinião do responsável pelo estudo, é algo preocupante.

“A divulgação de valores absolutos é fundamental, para que não se tenha a visão equivocada de que a estabilização em relação ao PIB é positiva. A exemplo de 2009, este ano mais R$ 656 bilhões devem ficar à margem da economia formal brasileira”, comenta o pesquisador do Ibre/FGV Fernando de Holanda Barbosa Filho.

Já para o presidente do grupo Etco, André Franco Montoro Filho, o crescimento da economia exerce duplo efeito sobre a informalidade. “De um lado, o crescimento gera uma modernização institucional que estimula a formalização das atividades econômicas, mas, de outro, o crescimento da renda aumenta o consumo de bens e serviços, inclusive os produzidos na economia subterrânea. Os resultados divulgados indicam que o segundo efeito tem sido predominante nos últimos anos”, explica.

Economia subterrânea

A economia subterrânea abrange a evasão de impostos, de contribuições para a seguridade social e do cumprimento de leis e regulamentações trabalhistas. Além disso, diz respeito à produção de bens e serviços não reportada ao governo deliberadamente, para evitar custos decorrentes do cumprimento de normas aplicáveis na atividade.

Na comparação com 2003, percentualmente, observa-se uma queda no montante equivalente ao PIB, de 21% para 18,6%. Por outro lado, em termos de valores absolutos, tal economia vem se expandindo bastante, já que, naquele ano, ela era de R$ 357 bilhões. Em 2009, por sua vez, o montante alcançou R$ 538 bilhões, valor igual ao PIB da Argentina.
*****
Fonte:http://dinheiro.br.msn.com/tributos/artigo.aspx?cp-documentid=26484071

Bolsas europeias fecham em queda, frente a temores de crise de dívida em Portugal

26/11/2010
Por InfoMoney, InfoMoney


SÃO PAULO – Os principais índices acionários europeus encerraram o pregão desta sexta-feira (26) no campo negativo, frente à escalada de temores que sugerem que Portugal e Espanha serão os próximos países da Zona do Euro a necessitar de um pacote de resgate. No front corporativo, as ações de commodities e bancos estiveram entre as maiores baixas da sessão

O índice CAC 40 da bolsa de Paris apresentou desvalorização de 0,84% a 3.729 pontos, acumulando no ano forte baixa de 5,28%, enquanto o FTSE 100 da bolsa de Londres encerrou em baixa de 0,53%, atingindo 5.669 pontos e sua variação no ano acumula forte alta de 4,73%.

A Bolsa de Frankfurt, apresentou uma leve baixa de 0,45% , atingindo 6.849 pontos, acumulando forte valorização de 14,97% em 2010. Já o Euro Stoxx 50, índice calculado pela agência Dow Jones e que mede o desempenho das 50 principais ações da Europa Continental fechou em baixa de 0,98%, atingindo a 2.738 pontos.

Irlanda surpreende

Um dos destaques do dia foi a notícia de que em troca do socorro financeiro, os cinco maiores bancos da Irlanda serão total ou parcialmente nacionalizados, com participações governamentais que vão de 51% a 100%. A projeção foi feita por analistas da agência de classificação de risco Fitch e por autoridades do país.

Já socorrido com € 46 bilhões no auge da crise que estourou em 2008, o sistema financeiro da Irlanda deverá receber uma nova injeção de recursos, prevista em aproximadamente € 12 bilhões.

Portugal e Espanha na mira do mercado

Assim como em relação a Grécia e Irlanda, crescem os rumores de que o governo de Portugal pedirá ajuda ao FMI (Fundo Monetário Internacional) e ao EFSF (Fundo Europeu de Estabilização Financeira). A notícia foi prontamente negada pelo governo de Lisboa. Cabe dizer que, nesta sexta-feira, Portugal aprovou o orçamento de 2011, que traz pesados cortes de gastos e eleva os impostos do país.

Segundo o jornal alemão Financial Times Deutschland, os países da Zona do Euro têm pressionado o governo português a solicitar um pacote de ajuda do EFSF, a fim de reduzir as pressões sobre a moeda. Os temores mantiveram os papéis da dívida portuguesa pressionados, dificultando ainda a captação de recursos junto ao mercado.

Destaques

Revivendo os temores de desestabilização do setor financeiro, as ações de bancos lideraram as perdas no continente. Destaque para os papéis do Barclays, com baixa de 3,19%, e do Lloyds, cuja queda atingiu 4,4% em Londres.

Os ativos de produtoras de commodities também sofreram pressão, em meio a temores de que a autoridade monetária chinesa intensifique suas medidas de restrição à expansão do crédito no país, buscando combater a inflação. Assim, papéis da Rio Tinto e da Anglo American caíram 2,12% e 2,71%, respectivamente.

Cenário externo

Preocupações geopolíticas também pesaram sobre os mercados. Três dias após o confronto entre as Coreias na ilha de Yeonpyeong, a Coreia do Sul disse ter ouvido novos disparos em ilhas do Mar Amarelo, o que indica um possível exercício militar das tropas norte-coreanas.

Mais cedo, a Coreia do Norte havia reiterado sua oposição à realização de manobras militares conjuntas entre a Coreia do Sul e os Estados Unidos, marcadas para o próximo domingo, dizendo que os exercícios levam a península "à beira da guerra".
*****
Fonte:http://dinheiro.br.msn.com/artigo.aspx?page=0&cp-documentid=26514110

PT pressiona Dilma para reaver ministérios nas mãos de aliados

26/11/2010
BERNARDO MELLO FRANCO
DE SÃO PAULO


O PT pressiona a presidente eleita, Dilma Rousseff, para tentar reaver ministérios cedidos a partidos aliados no governo Lula. Os principais alvos são Saúde e Cidades, hoje nas mãos de PMDB e PP, respectivamente.

A ofensiva também inclui pastas de menor orçamento como a da Cultura, cuja indicação cabia ao PV, além de cargos federais de segundo e terceiro escalão nos Estados.

"É uma ação de reintegração de posse", resume a senadora Ideli Salvatti (PT-SC), cotada para a Secretaria de Políticas para as Mulheres.

O ministro Alexandre Padilha (Relações Institucionais) disse que as siglas aliadas serão respeitadas nas negociações, mas criticou a pressa por novos anúncios.

"Quem não estiver calmo tem que ficar, porque o tempo é da presidente eleita. Nenhum partido é dono de ministério", avisou.

O presidente do PT, José Eduardo Dutra, coordena um mapeamento de cargos para organizar os pedidos petistas em cada Estado. "Ou para ter ao menos uma noção do tamanho do pepino", brincou.

Ontem, representantes de diversas correntes do PT discutiram o tema em Guarulhos, na Grande São Paulo, em reunião fechada com a presença do ex-ministro José Dirceu (Casa Civil).

Sem mandato a partir de fevereiro, Ideli defendeu abertamente a retirada do Ministério das Cidades do PP, que se manteve neutro na eleição presidencial. "Politicamente, não faz sentido mantê-los ali. Não é compatível com o compromisso na campanha", disse.

Ela também pressiona por cargos em Santa Catarina cedidos a alas de PMDB e PP que apoiaram José Serra (PSDB) na eleição.

Anunciada como um seminário sobre conjuntura política, a reunião de ontem atraiu outros petistas sem destino certo em 2011, como o deputado José Genoino (SP), que não se reelegeu, e a ex-ministra Matilde Ribeiro (Igualdade Racial).

Genoino pregou que os petistas evitem brigas internas ao negociar espaço no governo. "O PT aprendeu na prática que dividido a gente se ferra", afirmou.
*****
Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/poder/837053-pt-pressiona-dilma-para-reaver-ministerios-nas-maos-de-aliados.shtml

Justiça condena associação a pagar multa de R$ 36 mi por doação ilegal a Kassab e vereadores

26/11/2010
Da Redação

O juiz Aloísio Sérgio Rezende Silveira, da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, condenou a AIB (Associação Imobiliária Brasileira) a pagar multa de R$ 36,6 milhões por doações supostamente ilegais feitas a vereadores e ao prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), nas eleições de 2008.

A condenação é resultado de uma proposta pelo Ministério Público Eleitoral, que já havia pedido a cassação de Kassab e de mais 24 vereadores. As cassações, no entanto, foram revertidas pelo TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo).

De acordo com informações do MP, a multa aplicada correspondente a seis vezes o valor das doações (R$ 6,16 milhões). O promotor acusa a AIB de ser uma entidade de fachada do Secovi-SP, sindicato do setor imobiliário, que é proibido por lei de fazer doações. O Secovi nega possuir qualquer vínculo com a AIB e diz que nunca fez doações eleitorais.

Na decisão, o juiz Aloísio Silveira afirma que os documentos apresentados pelo MP comprovam que a AIB atuou como “fonte indireta de captação ilícita de recursos”.

A sentença também diz que “não é necessário nenhum esforço de intelecção para divisar na existência da AIB uma verdadeira fraude à lei, justamente para encobrir doações de eventuais fontes vedadas, dentre elas, entidade de classe ou sindical. É um simulacro de associação, que não tem atividade própria, funcionários e nem mesmo associados há, o que foi confessado por seu representante legal.”

O juiz argumenta que assim como as pessoas físicas e jurídicas, as pessoas jurídicas sem finalidade lucrativa, devem ter suas doações limitadas 2% das contribuições do ano anterior. “Do contrário, estar-se-ia legitimando ou dando transparência ao “caixa dois” da campanha, implicando um verdadeiro “faz de conta” no qual a Justiça Eleitoral acaba chancelando uma prática ilegal”, disse o juiz na decisão.

Para o promotor Mauricio Antonio Ribeiro Lopes, autor da ação, “essa condenação deve representar o novo paradigma de atuação a ser adotada nas próximas campanhas eleitorais para os doadores, candidatos e partidos políticos, e pela própria Justiça Eleitoral, que tem se mostrado mais rigorosa na coibição do abuso do poder econômico nas eleições”.
****
Fonte:http://ultimainstancia.uol.com.br/noticia/JUSTICA+CONDENA+ASSOCIACAO+A+PAGAR+MULTA+DE+R+36+MI+POR+DOACAO+ILEGAL+A+KASSAB+E+VEREADORES_72129.shtml