domingo, 3 de outubro de 2010

Por que a Globo medrou

A Globo sabe que já era

A Globo medrou porque a Classe C aumentou e, com dinheiro no bolso, mais pessoas se libertaram da escravidão da Globo.

A Globo mudou porque menos gente assiste à televisão – e menos gente das classes A e B, vidradas na Globo.

A televisão se instalou na Classe C e a Globo não percebeu.

Como Serra e o FHC, a Globo pensa que a “Classe C” fica entre a Business e a Primeira.

A Globo medrou por causa da Ongoing, uma empresa de origem portuguesa, que começou a comprar jornais que fazem concorrência aos jornais da Globo.

E vai comprar mais.

A Globo medrou por causa da internet – e menos gente depende do jornal nacional.

A Globo medrou porque as pessoas vão ver o que bem entenderem da TV na telinha do celular.

A Globo medrou porque o Governo Lula não subsidiou a Globo.

No Governo do Fernando Henrique, com 50% da audiência, a Globo ficava com 90% da verba do Governo Federal.

Era subsídio na veia.

Com Lula, e Franklin Martins, os 45% de audiência de hoje rendem 48% da verba federal.

A Globo medrou porque o Edir Macedo apoiou a Dilma.

A Globo medrou porque, segundo a Veja, a última flor do Fascio, a Record vai comprar o Brasileirão e a Copa do Mundo.

A Globo medrou porque a Dilma vai fazer a Ley de Medios.

A Globo medrou porque a Globo tem que salvar a pele.

O Golpismo da Globo foi longe demais.

A Globo agora tem que se preocupar é com a sobrevivência dela e, não, com a do Serra, que caput.

A Globo já era.

E ela sabe disso.

Clique aqui para ler “A Globo medrou e o jornal nacional não resumiu o debate”.

Clique aqui para ver um vídeo histórico: “Como a Globo manipulou a eleição para eleger o Collor”.


Paulo Henrique Amorim
****
Fonte:http://www.conversaafiada.com.br/pig/2010/10/02/por-que-a-globo-medrou/

EVANGÉLICOS: QUEM PREGA A VERDADE DE CRISTO, NÃO PODE REPRODUZIR MENTIRAS CONTRA NINGUÉM


Os evangélicos brasileiros são conhecidos pela garra, determinação e muito compromisso em divulgar as boas novas do Evangelho.

Divulgam a verdades cristãs no afã de ver os homens livres das próprias trevas espirituais.

Contudo, para minha tristeza,o que vi nesses últimos dias do pleito eleitoral,deixou-me profundamente escandalizado com a atitude de muitos evangélicos, que parece terem se esquecidos do supremo compromisso de apregoar a Verdade de Cristo,posto passaram a reproduzir mentiras, falsos boatos,calúnias e difamações contra a candidata do PT. Poderia ser contra qualquer outra pessoa, seria igualmente pecaminoso, anti-bíblico.

As forças do mal, certamente, no inferno, se alegraram, enquanto o Senhor Jesus com toda certeza, não se agradou em ver seu Povo, envolvido em fatos tão caluniosos.

O compromisso de todo cristão deve sempre com a verdade. Jamais ele deverá sob hipótese nenhuma, servir de canal para espalhar o produto do Diabo, como diz a Bíblia, o verdadeiro pai da mentira.

È lamentável a reprodução dos boatos mentirosos contra Dilma. Sequer, se deram ao trabalho de averiguar se realmente era verdade. Foi e é, tudo absolutamente mentiroso.

Posso parecer duro ao escrever essas linhas; mas como não ser, se aprendi que a mentira é o verdadeiro produto do diabo?E que comunhão tem a Verdade com a mentira?

Espero que a comunidade evangélica,que venha ler este artigo ,ainda neste dia 03 de outubro, possa pedir perdão a Deus, por ter se envolvido com as obras das trevas.

Que os evangélicos não possam ser mais enganados como o foram em relação ao presidente Lula, de quem se dizia que ia perseguí-los e fechar suas igrejas;muitos, á época, reproduziram do mesmo jeito que agora, aquelas calúnias, que o governo do presidente Lula provou serem totalmente mentirosas.

Orgulho-me dizer que não me deixei levar pelas mentiras propaladas contra Dilma, uma mulher honrada, competente,e que não só desmentiu todos os boatos, como reafirmou seus compromissos com a vida e com a fé cristã.No encerramento de sua campanha ,no debate da Globo, agradeceu a Deus, com humildade pediu o nosso voto para fazê-la a primeira mulher presidenta do Brasil.

Convoco todos aqueles evangélicos, principalmente, os que talvez por zelo por sua fé, mas de forma equivocada ajudaram a espalhar mentiras contra Dilma, votem 13 neste domingo.

Sugiro a todos evangélicos que se informem melhor;que desconfiem de líderes que usam do prestigio com seus fiéis, para deturpar e desencaminhar suas ovelhas para um caminho tão ignóbil: a mentira.

A conclusão,porém,de tudo isso é que, mesmo na comunidade evangélica brasileira,existem os que querem o atraso, o retrocesso e que optaram por ficar ao lado de uma elite preconceituosa, arrogante e que, esta mesma elite , através de sua mídia golpista, muitas vezes ridicularizam os próprios evangélicos.

O episódio revela também , um número muito grande de evangélicos de visão progressista que querem um Brasil melhor; querem que o Brasil de Lula continue avançando cada mais pela mãos da futura presidenta do Brasil,Dilma.

Como prova disso, vários líderes evangélicos nacionais optaram por Dilma, a exemplo, do Bispo Rodovalho, da "Sara Nossa Terra"; do Bispo Manoel Ferreira, da Assembleia de Deus(Madureira); e do Bispo Macedo,líder da Igreja Universal.

Vale registrar também o brilhante manifesto* da Aliança de Batistas do Brasil, onde condena os ataques a Dilma e ao PT.

Ainda há tempo de dizer não à mentira: vote Dilma 13, para o Brasil seguir mudando com a Bênçãos de Deus e de Seu Filho Jesus Cristo, o Senhor da Verdade.Amém.

Irineu Messias


*http://irineumessias.blogspot.com/2010/09/evangelicos-batistas-repudiam-campanha.html

Dia “D”: votar em Marina é votar em Serra

Opinião do Escrevinhador

publicada domingo, 03/10/2010 às 00:25 e atualizada domingo, 03/10/2010 às 00:25

Nesse domingo decisivo para o Brasil, devo acompanhar o presidente Lula durante todo dia, na cobertura das eleições pela TV Record.

Isso talvez me impeça de atualizar o blog, o que só deve ser feito no começo da noite; pelo twitter, tentarei dar informações sobre o clima em São Bernardo do Campo, e sobre os bastidores da votação.

Mas antes de dormir algumas horas, pra depois seguir para um longo dia de trabalho, deixo aqui uma reflexão sobre o significado dessa eleição; e sobre o papel decisivo de uma parcela do eleitorado progressista – que hoje está disposta a votar em Marina Silva.

A candidatura de Marina subiu de maneira surpreendente nas últimas semanas. De início, avançou apenas nos setores médios: parece ter sido Marina a principal beneficiária pelo bombardeio promovido pela mídia e pelos tucanos contra Dilma – com denúncias de todo tipo, incluindo os “escândalos” e o tal ”risco para a democracia” de mais uma vitória petista.

No momento seguinte, Marina avançou também nos setores populares. Novamente, parece ter sido ela a principal beneficiária do terrorismo religioso sobre o qual – há 3 semanas – venho falando aqui no blog.

Marina, hoje, agrega eleitores de 3 grandes grupos:

- o eleitorado original, mais concentrado na juventude urbana, que vota no PV pelo apelo das causas ambientais (e é inegável que Marina tem uma trajetória respeitável nessa área);

- setores populares e de classe média, que um dia já votaram no PT, mas que se desiludiram com o partido por razões éticas; seriam eleitores que, grosso modo, poderíamos chamar de progressistas;

- um terceiro grupo é formado por evangélicos que se identificam com a candidata – já que Marina, nessa campanha, fez questão de ressaltar sua identidade religiosa, o que é absolutamente legítimo.

Foi esse último setor que garantiu o avanço de Marina nas derradeiras semanas de campanha. Ou seja, Marina acabou sendo a beneficiária da sórdida campanha conservadora que procura vincular Dilma a “aborto”, “comunismo”, “ateísmo”. Parte do eleitorado popular – apavorado com a campanha movida por certos pastores (e também por padres católicos) – viu em Marina (mulher de aspecto angelical, recatada e conservadora em questões morais) um porto seguro para descarregar o voto, diante das incertezas criadas em torno da figura de Dilma.

Será que aquele segundo núcleo de eleitores – que apóia Marina Silva por considerar necessário construir uma alternativa progressista, avançada e ética à polarização PT/PSDB – tem noção concreta do que significa o voto em Marina a essa altura?

Não é possível ter ilusões: votar em Marina no primeiro turno é votar em Serra. É servir aos interesses dos setores mais conservadores desse país. É dar a Serra a chance de estar num segundo turno.

Não é à toa que ontem, véspera da eleição, o presidente do PV já anunciava que num segundo turno o partido estaria com Serra. As urnas nem foram abertas e o aceno já foi dado. Ninguém tem dúvidas que o caminho seria esse mesmo.

Ah, mas num eventual segundo turno é possível votar em Dilma e impedir a volta do tucanato – devem pensar os eleitores mais progressistas de Marina. Claro, isso é possível.

Acontece que, num eventual segundo turno, a máquina de escândalos e calúnias consevadora vai voltar a operar com toda força, e com todo apoio do aparato midiático.

Teremos um mês de conflagração. O que há de mais atrasado nesse país fará o impensável para voltar ao poder.

A decisão sobre a vitória de Dilma no primeiro turno (que significa a vitória de um projeto de centro-esquerda, com todos seu acertos e erros ao longo dos últimos anos) vai-se dar por estreita margem – como venho prevendo há algumas semanas.

O Brasil tem a chance concreta de liquidar a fatura nesse domingo. E esse eleitorado progressista de Marina pode fazer toda a diferença.
***
Fonte:www.escrevinhador.com.br