terça-feira, 8 de setembro de 2009

EXTINGUIR O SENADO É A SOLUÇÃO?

Os escândalos que abalou a credibilidade do Senado Federal, fez com quem várias bradassem pela extinção da Câmara Alta. Sou contrário a esta tese oportunista e que demonstra desconhecimento do papel de Senado.

A Câmara Federal, com 513 deputados, representa o povo. o Senador representa cada Estado da Federação, garantindo assim um equilíbrio político. O estado de São Paulo, apesar de seus 23 milhões de habitantes tem a mesma quantidade de senadores que o estado de Pernambuco,com 7,5 milhões de habitantes. Ou seja, cada Estado, tem 03 senadores.

O ´Senado ´é composto de 81 senadores, sendo 03 por cada estado e 03 do Distrito Federal( 27x3 =81)

E neste momento de descoberta da camada do pré-sal, é extremamente necessário este equilíbrio político para que o debate da redistribuição dessa novel riqueza seja garantida para todos os estados brasileiros, e não apenas para São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, produtores de petróleo.

Portanto, defender a extinção do senado é desconhecer seu papel, que está claramente discriminado na Constituição brasileira. Devemos sim lutar para que o senado cumpra com suas prerrogativas constitucionais,entre as quais a de defender os interesses dos estados, e claro de todo povo brasileiro.

Ano que vem, 2010, acontecerão as eleições. Nelas os brasileiros e brasileiras, terão a oportunidade de renovar 2/3 dos senadores. Será a hora de fazermos uma grande limpeza moral no senado.

Aqui no meu estado, estarei atento e lutarei para não ver renovados os mandatos de Sergio Guerra e Marco Maciel. Tomara possa votar em Mauricio Rands ou Humberto Costa,ambos do PT, para uma das vagas e para a outra, quem sabe, Armando Monteiro(PTB) ou Fernando Bezerra Coelho(PSB). Estes nomes com certeza representarão bem melhor Pernambuco, no Senado Federal.

Infelizmente teremos que aturar o "pequeno senador", Jarbas Vasconcelos, por mais quatro anos. Ao invés de representar bem Pernambuco no Senado, ele também se fantasia de "paladino da moralidade".

PSDB e DEM: FALSOS "PALADINOS DA MORALIDADE"

Nos últimos meses, o Brasil todo assistiu a mídia deflagrar uma verdadeira campanha contra a corrupção e por uma nova moralidade no Senado Federal. O que me admirou muito foi o cinismo e a tentativa de fazer a nós todos de idiotas, escolhendo para protagonistas personalidades políticas igualmente envolvidas também nos escândalos do Senado Federal.

Claro que todos condenamos toda e qualquer atitude imoral no manejo da coisa pública. Mas para não se mostrar tendenciosa e parcial, a mídia deveria ser dura e implacável com todos os envolvidos e não apenas com alguns. Acusar apenas alguns e “defender” outros igualmente culpados, é também prestar um deserviço à ética e à moralidade. Acusar apenas alguns e se abster de ser contundente com todos os praticam atos de corrupção,é querer está do lado daqueles que defendem seus principios ideológicos de direita. E foi exatamente o que a mídia fez ao ser “boazinha” com os senadores do PSDB e do DEM, muitos deles, falsos ”paladinos da moralidade”.

O Senador Artur Vígilio, por exemplo, ele mesmo confessou que pagou com dinheiro do Senado, curso no exterior para um seu afilhado. Além de não explicar os 780 mil reais em despesas médicas para a senhora sua mãe. O limite de despesas médicas para cada senador é de 30 mil reais. A atitude do "paladino da moralidade, Artur Vigílio é tão reprovavel quanto ás ações do Senador Sarney. Há ainda a história do emprestimo que ele pediu a Agaciel Maia a quem tanto espinafrou nos seus discursos.

Contudo a grande imprensa deu pouca amplitude ao este caso de Artur Virgilio. Essas práticas reprováveis de Artur Virgilio só passou a ter destaque( não dava mais para abafar), quando o também senador Renan Calheiros - quase cassado por problemas semelhantes- resolveu denunciá-lo no Conselho de Ética. Antes ,porém, o Líder Virgiilio, todos os dias, aparecia na mídia, brandindo sua espada contra Sarney e companhia, mas esquecia de brandir contra si mesmo.

A grande mídia portanto, so comentava rapidamente a situação igualmente escandalosa de Virgílio, que foi forçado depois, de denunciado, a pagar o dinheiro que seu gabinete pagou para que seu afilhado, estudasse no exterior. Mas ainda teve o tal empréstimo que o senador pediu ao Agaciel Maia, quando estava de férias no exterior.

Além dele, tem também Sergio Guerra, que segundo a própria imprensa pagou com dinheiro do do senado, passagens para uma de suas filhas fazer turismo nos EUA. Tem ainda o Tasso Jereissati(PSDB/CE), que transformava suas cotas passagens em combustivel para vir com seu jatinho partIcular para Brasilia.

No DEM, do senador Marco Maciel, cujo partido mudou de nomes várias vezes( ex-Arena, ex-PDS, ex-PFL e agora DEM) para tentar ocultar seu passado de apoio á ditadura militar. Pois bem, os partidarios do DEM usou e abusou do aparelhamento da maquina publica, durante anos, beneficiando seus afilhados politicos, amigos e família, tal qual Sarney.
Os senadores do DEM, ocuparam durante 15 anos, a Primeira Secretária do Senado, se revezando com o PSDB. Os famosos atos secretos vinha sendo editados desde a época em que ACM foi presidente do senado. Ou seja, todos do DEM, PSBD e PMDB, sabiam da existência de tais atos. Porque criminalizar apenas o Sarney, se todos estãvam ,em maior ou menor escala, envolvidos na edição dos atos secretos ? Porque a imprensa não fez um grande alarde da posição do Senador Heráclito Forte,(DEM/PI), que se recusou ficar contra Sarney? Só lembrando, Heráclito Forte é o atual Primeiro Secretário do Senador, o segundo em poder , depois de Sarney.
Por tudo isso, concluimos uma coisa: nem a imprensa, muitos menos, o PSDB e o DEM estavam preocupados em moralizar o Senado, pois os integrantes destes partidos sabiam dos tais atos secretos há muito tempo! Não só dos atos secretos mas também de outros vícios que atingem o senado.

Na verdade o que estava – e ainda está - por trás disso tudo, era a tentativa do PSDB e DEM tomarem de assalto a presidência do senado, pois se o Sarney fosse cassado, Marcondes Perillo, senador pelo PSBD de Goiás,.como vice-presidente assumiria. Este era o verdadeiro pano de fundo da “ falsa cruzada pela moralidade” no senado!

De fato, o Senado Federal, precisa sanar seus próprios vícios que tanto nos envergonham. Mas não queremos apenas que se condene os vícios e erros de Sarney, mas de todo e qualquer senador que use mal os recursos públicos, seja ele de qualquer partido: DEM, PSBD, PT.