Pesquisar este blog

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Capitalismo Selvagem: cai a sua máscara


A recente crise econômica mundial,cujo início se deu com as grandes corporações norte-americanas, expôs mais uma vez a selvageria do capitalismo.
Cai por terra também, a pregação falaciosa dos capitalistas que dizem que o "mercado", por si só se regula, se ajusta.
O estado, segundo esses "falsos profetas" da economia, não pode interferir. O estado só atrapalha.
Aconteceu exatamente o contrário. 700 bilhões de dólares é quanto o estado, os cofres públicos norte-americanos, vão oferecer para ajudar bancos, seguradoras, montadoras e tantas outras empresas que estão na eminência de falir e algumas, já faliram.Ou seja, os capitalistas selvagens, ambiciosos, ganham oceanos de dinheiros, lucros exorbitantes. Quando quebram, nós os contribuintes de todo o mundo pagamos a fatura.
Por isso, na V Marcha da Classe Trabalhadora, cerca de 35 mil trabalhadores disseram que não vão pagar por uma crise que não fabricaram. Não irão admitir que milhões de empregos sejam extintos, por causa da irresponsabilidade desse mercado selvagem e ambicioso.
A crise provou que a tese do "mercado-deus" é uma falácia.
Na hora de usufruir do dinheiro público, esquecem tudo que disseram e num cinismo impressionante sugam o meu e o seu dinheiro para arcar com seus prejuízos.
Ainda voltaremos a este tema que desmascarou muitos economistas, brasileiros, principalmente, que feito papagaios repetiam as falsas teorias econômicas de um mercado mentirosamente absoluto.
Se o estado brasileiro tiver de enjetar dinheiro nas empresas privadas, que estas se comprometam em preservar o empregos de seus trabalhadores. Mais que isso, pague com juros e correção monetária, tudo que pedir emprestado. A sociedade civil organizada, deve está atenta para cobrar todo dinheiro que os cofres públicos emprestarem.

Paulista, um novo tempo ainda será possível


"Paulista, um novo tempo é possível". Este foi o lema de minha campanha a vereador pela cidade do Paulista. Não obtive a vitória desejada. Mas não desisti da luta. E a maioria dos que votaram em mim, também não desistirá.
Esforçar-me-ei em passar em muitos lugares, e procurando as pessoas para agradecer pessoalmente, os votos que recebi: 697.
A luta continua, pois acredito que uma nova paulista, será possível. Uma Paulista, onde não reine uma prática política tradicional, atrasada que tem permeado tanto a Câmara Municipal, como a Prefeitura.
É vergonhoso vivermos numa cidade de um potencial político e econômico tão grande,mas que convive com o atraso na política de saúde. Paulista, tem apenas 40 equipes de saúde, quando deveria ter 125.
O transporte público organizado e decente inexiste em Paulista. Nossos bairros simplesmente não interagem com os outros bairros. Não existem ônibus circulando entre os bairros, e nem conseguimos sequer freqüentar nossas lindas praias de Maria Farinha, Janga, Pau Amarelo, etc.
As "kombis", que operam no transporte alternativo, é que "quebram o galho" dos moradores. Mas mesmo os "kombeiros" reclamam da falta de atenção da prefeitura e de organização do sistema.
Tudo isso nos leva a continuar lutando mesmo fora do espaço legislativo, para que tenhamos uma melhor qualidade de vida, que passa por uma melhor política de transporte público, meio ambiente, saúde, educação,desenvolvimento econômico e social, etc.
Por tudo isso e muito mais é que vamos continuar na luta por uma cidade melhor.
Daqui a quatro anos, estaremos de novo, dizendo: "Paulista, um novo tempo é possível".
IRINEU MESSIAS 13500